EXPOSIÇÃO PRÉ-NATAL A     FUMAÇA DO TABACO:TOXICIDADE, BIOMARCADORES E   MÉTODOS DE DETECÇÃO      Acadêmica: Bárbara Blaut...
OBJETIVOObjetivo geral: Realizar uma revisão bibliográfica detrabalhos que abordem a exposição pré-natal a fumaçade tabaco...
INTRODUÇÃONicotiana tabacum, da família das solanáceas,popularmente conhecida como tabaco, é aespécie vegetal mais utiliza...
Mais de 4000                substâncias               em forma de                 partículas               são liberadas  ...
Epidemiologia do Tabagismo                  O tabagismo é considerado a                principal causa de morte evitável  ...
O índice de mulheresfumantes em idade fértil    é elevado (11%).                                            ValoresDietz e...
Os efeitos maléficos à saúde da                                          gestante e do feto são amplamente                ...
Para detectar essascrianças, utiliza-se                  Aplicação decomo ferramentas:                     questionários  ...
TOXICIDADE DO TABAGISMO   DURANTE A GESTAÇÃOOs prejuízos decorrentes do tabagismoativo ou passivo durante a gravidezocorre...
Menor                               comprimento                Óbito fetal                              Baixo peso   Ruptu...
Menor comprimento e baixo peso ao nascerhttp://objetoseducacionais2.mec.gov.br                                         NIC...
Hipotermia         Asfixia                                Hipoglicemia        perinatal                     Em 1961 a OMSH...
Diversos estudos demonstraram que pode haverdiferença de peso em recém-nascidos de mãesfumante e não fumantes       Difere...
Estudo para         Em relação    Constataram queShankara    avaliar a influência    ao peso,     houve diminuição        ...
Aspiração do líquido amniótico meconial  Não está totalmente esclarecido     Está associada a altos índices de     mortali...
Ruptura prematura de membranas                                                     Se rompem antes do parto induzindo-o pr...
Parto prematuro e aborto espontâneo                                             Redução da síntese de óxido nítrico nashtt...
Anóxia                                       O monóxido de                                       carbono (CO)             ...
Placenta prévia e deslocamento prematuro da placentahttp://www.engravidar.blog.br                                         ...
Redução da função pulmonar Testes de função pulmonar demostram que em neonatos expostos à FAT ocorre uma                  ...
Desenvolvimento intelectual comprometido  O fumo materno compromete o desenvolvimento neurológico e o comportamental      ...
Óbito fetal  Estudo com objetivo de avaliar a  influência do tabagismo sobre a  mortalidade fetal e infantil              ...
Biomarcadores de exposição à        fumaça do tabaco Os biomarcadores são indicadores biológicos utilizados para detectar ...
Monóxido de carbono                                                                            Meia-vida de aproximadament...
O monoxímetro (ou carboxímetro) mede ahttp://www.conchal.sp.gov.br                                                        ...
Carboxihemoglobina                                                                                                        ...
Determinação da carboxihemoglobina http://quimicandovzp.blogspot.com.br                                                   ...
Ponto de corte =1,6%     Jarvis et al                       Sensibilidade = 86%                       Especificidade = 92%...
Tiocianato   Substância residual              da metabolização             hepática do cianeto             de hidrogênio q...
Em sangue: Cohen et al.                                   Pojer et al.   • n = 191 não fumantes e 426                    •...
Em saliva:Trullén et al.                          Jarvis et al       O ponto de                           O ponto de    de...
Cotinina  Melhor parâmetro para avaliar a exposição ao                    tabaco        Possui maior estabilidade, especif...
Estudos de determinação de cotinina em sangue                                     n = 3.078 fumantes e 13.078             ...
http://www.analiselaboratorial.com.brEstudos de determinação de cotinina em saliva  Jarvis et al. (2008)               Jar...
A utilização de                  mecônio para            determinar cotinina é              um método pouco            uti...
Estudos de determinação de cotinina em mecônio Gray et al.(2008). • 168 neonatos com objetivo de quantificar cotinina em m...
Estudos de determinação de cotinina em urina   Métodos utilizados: colorimétricos, imunológicos   ou cromatográficos      ...
Estudos de determinação de cotinina em cabelohttp://alopecia.net.br                                                       ...
Jacqz-Aigrainet al. Analisatam amostras de cabelos de 182 pares mãe-criança cujas amostras de cabelo estavam disponíveis d...
Kintz et al.(1992)• Pesquisa com amostras de cabelo com objetivo de quantificar nicotina e  cotinina• Método de espectrome...
Florescu et al. (2007)    Realizou um estudo para identificar valores de corte de cotinina para    caracterizar a exposiçã...
Tabela 2 - Principais técnicas analíticas e matrizes e pontos de corte utilizados para determinar expostos à FAT          ...
Considerações finais         Esta revisão reuniu diversos estudos que demonstraram queexistem meios de detectar a ocorrênc...
Referências1.    Schuh CM. Efeito da exposição ao fumo durante a gestação nas medidas antropométricas dos recém-nascidos [...
13. Machado JB. Avaliação dos efeitos da carga tabágica sobre a circulação materno-fetal. [thesis]. Porto Alegre: Pontifíc...
31. Gondim K, Da Silva GR, Macêdo KN. Repercussões do tabagismo na gestação: um levantamento bibliográfico. Enferm Global ...
49. Jarvis MJ, Fidler J, Mindell J, Feyerabend C, West R. Assessing smoking status in children, adolescents and adults: co...
OBRIGADA!!!Título > Subtítulo > Nome slide
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tcc exposição pré-natal a fumaça do tabaco - toxicidade, biomarcadores e métodos de detecção

1.660 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Tcc exposição pré-natal a fumaça do tabaco - toxicidade, biomarcadores e métodos de detecção

  1. 1. EXPOSIÇÃO PRÉ-NATAL A FUMAÇA DO TABACO:TOXICIDADE, BIOMARCADORES E MÉTODOS DE DETECÇÃO Acadêmica: Bárbara Blauth Orientador: Rafael Linden
  2. 2. OBJETIVOObjetivo geral: Realizar uma revisão bibliográfica detrabalhos que abordem a exposição pré-natal a fumaçade tabaco.Objetivo específico: Determinar os efeitos tóxicos do fumo ao feto,apontar possíveis marcadores biológicos para determinar exposição àfumaça do cigarro e identificar os métodos de detecção e matrizesbiológicas empregados na determinação do tabagismo ativo ou passivono período pré-natal
  3. 3. INTRODUÇÃONicotiana tabacum, da família das solanáceas,popularmente conhecida como tabaco, é aespécie vegetal mais utilizada para a confecçãode cigarros.O cigarro é constituído por aproximadamente4000 substâncias tóxicas como a nicotina e omonóxido de carbono produzido no processo dequeima. SCHUH, 2008.
  4. 4. Mais de 4000 substâncias em forma de partículas são liberadas Entre elasEm especial destaca-se aao feto se a . nicotina efumante for monóxido de gestante carbono http://nikoska.com/ Causam diversos males à saúde CIAMPO (1999), MALAFATTI et al. (2009)
  5. 5. Epidemiologia do Tabagismo O tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável no mundo INCA e OMS Aproximadamente um terço No Brasil, 18,3% da populaçãoda população mundial adulta masculina adulta e 11% da(1,2 bilhões) era fumante em população feminina adulta era 2003 fumante em 2010 INCA (2010), WHO (2011)
  6. 6. O índice de mulheresfumantes em idade fértil é elevado (11%). ValoresDietz et al. (2010) analisaram dados do semelhantes National Health and NutritionExamination Survey (EUA) entre 1999- 2006 e estimou o percentual de fumantes de 994 gestantes e 3203 mulheres não grávidas. Resultado: 13% das gestantes foram determinadas fumantes. WHO (2010), DIETZ (2010)
  7. 7. Os efeitos maléficos à saúde da gestante e do feto são amplamente documentados na literatura http://semprematerna.uol.com.br A identificação de crianças expostas ao tabaco na fase pré-natal é extremamente importante para uma avaliação mais precisaMACHADO et al. (2009), SANT’ANNA (2010) da natureza e magnitude dos efeitos
  8. 8. Para detectar essascrianças, utiliza-se Aplicação decomo ferramentas: questionários Análise de http://maeeu.blogspot.com.br biomarcadores específicos MALAFATTI et al. (2009), TRULLÉN et al. (2006)
  9. 9. TOXICIDADE DO TABAGISMO DURANTE A GESTAÇÃOOs prejuízos decorrentes do tabagismoativo ou passivo durante a gravidezocorrem em diversos sistemas noorganismo do bebê e da gestante, estandoenvolvido no desenvolvimento de doençasseveras CAMPOS et al. (2012), RIOS et al. (2005)
  10. 10. Menor comprimento Óbito fetal Baixo peso Ruptura Abortoprematura das espontâneo membranas Aspiração doDescolamento líquido amnióticoprematuro de meconial placenta http://veja.abril.com.br Comprometimento da função Parto pulmonar prematuro Anóxia SILVA et al. (2002)
  11. 11. Menor comprimento e baixo peso ao nascerhttp://objetoseducacionais2.mec.gov.br NICOTINA http://www.portalsaofrancisco.com.br Causa diminuição do fluxo sanguíneo para a placenta e consequente redução no Prejuízo no ganho de aporte de nutrientes e oxigênio peso e pela restrição do para o feto crescimento fetal SANT’ANNA (2010)
  12. 12. Hipotermia Asfixia Hipoglicemia perinatal Em 1961 a OMSHipomagnesemia definiu que recém- Hipocalcemia nascidos com peso menor que 2.500 g seriam considerados de baixo peso Acidose metabólica Hiperbilirrubinemia Hiponatremia MUSSI-PINHATA et al. (2012), BRITO et al. (2006)
  13. 13. Diversos estudos demonstraram que pode haverdiferença de peso em recém-nascidos de mãesfumante e não fumantes Diferença de peso ao nascer de filhos de mulheres fumantesDiferença de peso em fumantes ReferênciaDiminuição média de 232 g Shankaran et al. (2004)Diminuição média de 166 g Steyn et al. (2006)Diminuição média de 92 g Dejmek et al. 2002Diminuição média de 107 g em fumantes até 15 cigarros/dia Neto (1990)Diminuição média de 158 g em fumantes de 16 ou +cigarros/diaDiminuição media de 36 g Ward et al. (2007) SHANKARAN et al. (2004) , STEYN et al. (2006) , DEJMEK et al. 2002 , NETO (1990), WARD et al. (2007)
  14. 14. Estudo para Em relação Constataram queShankara avaliar a influência ao peso, houve diminuição do uso de drogas altura e no comprimento demet et al e tabaco, durante diâmetro 0,82 a 0,98cm por a gestação cefálico causa do fumo. SHANKARAN et al. (2004)
  15. 15. Aspiração do líquido amniótico meconial Não está totalmente esclarecido Está associada a altos índices de mortalidade neonatal Caracteriza-se por insuficiência respiratória, pela presença de mecônio nas cordas vocais e pneumonia Podendo causar sofrimento fetal por hipóxia Estudo com 120 neonatos 66 com SAM. Os autores chegaram à conclusão de que nos casos mais grave da síndrome houve associação significativa com o tabagismo. MADI et al. (2003), Benny et al. (1987)
  16. 16. Ruptura prematura de membranas Se rompem antes do parto induzindo-o prematuramentehttp://teovida.wikispaces.com Causando infecções maternas Endometrite e corioamnionite Infecções perinatais Pneumonia e sepse, prolapso de cordão umbilical, oligoidrâmnio (pouco líquido amniótico) e aborto espontâneo • Reduz à metade a concentração de vit. C presente no líquido aminiótico, enfraquecendo o sistema imunológico comprometendo macrófagos. A vitamina C é essencial para formação do colágeno que compõe a membrana aminiocoriônica. • Passagem de aminoácidos para a placenta está reduzida nas fumantes, interferindo na síntese protéica e resultando em um desenvolvimento inadequado da membrana amniocoriônica. A frequência de aimiorrexe é 28% maior em gestantes tabagistas do que em não tabagistas PIERRE et al. (2003) LEOPÉRCIO et al. (2004), NETO (1990
  17. 17. Parto prematuro e aborto espontâneo Redução da síntese de óxido nítrico nashttp://www.manualmerck.net vilosidades da placenta Um potente relaxante do miométrio Prevenir contrações precoces que podem evoluir a um parto prematuro http://noticias.r7.com Causando contraçõe Reduz a inativação s uterinas, do fator de ativação de plaquetas que está Levando a diretamente envolvido um parto prematuro no início e na manutenção do trabalho de parto Ou até mesmo ao aborto. LEOPÉRCIO et al. (2004)
  18. 18. Anóxia O monóxido de carbono (CO) Possui afinidade 200 vezes produzido maior à hemoglobina materna e fetal do que o oxigêniohttp://jbmoura.com A hemoglobina liga-se ao CO formando carboxihemoglobina Podendo causar hipóxia tecidual O que leva ao aumento da eritropoiese Elevando o hematócrito da mãe e da criança Promovendo o aumento na viscosidade do sangue Pode levar a um infarto cerebral do feto E consequentes lesões neurológicas temporárias ou permanentes Podendo chegar à anóxia. (13, 2) MACHADO (2009), PINTO et al. (2000)
  19. 19. Placenta prévia e deslocamento prematuro da placentahttp://www.engravidar.blog.br Ocorre quando a placenta é implantada acima do colo do útero ou próxima a ele. No interior do útero, a placenta pode recobrir a abertura do colo do útero. O fumo pode causar o desenvolvimento de lesões escleróticas nas artérias e arteríolas uterinas, prejudicando o fluxo sanguíneo do endométrio reduzindo o aporte de oxigênio. A má vascularização da placenta, causada pelo tabagismo, é maior no lado do feto contribuindo para a ocorrência de placenta prévia e seu descolamento prematuro. SCHUH (2008), GONDIM et al. (2006), NETO (1990)
  20. 20. Redução da função pulmonar Testes de função pulmonar demostram que em neonatos expostos à FAT ocorre uma http://pt.dreamstime.com redução de até 51% no fluxo expiratório forçado quando comparados às crianças nascidas de progenitoras não fumantes. Este teste é usado como uma medida da permeabilidade das vias aéreas. O fumo induz remodelamento das vias aéreas causando alterações na histoarquitetura pulmonar Os movimentos respiratórios são importantes para o crescimento normal e maturação estrutural dos pulmões do feto. A exposição à fumaça de cigarro reduz estes movimentos causando alterações nas dimensões das vias respiratórias. Estes indivíduos quando adultos têm maiores chances de desenvolver asma. Sintomas como chiados, tosse, catarro, falta de ar são de 20 a 40% mais frequentes em crianças expostas a FAT. HOFHUIS et al. (2003), LEOPÉRCIO et al. (2004), MACHADO (2009)
  21. 21. Desenvolvimento intelectual comprometido O fumo materno compromete o desenvolvimento neurológico e o comportamental Reduzindo a habilidade Déficit de Hiperatividade intelectual atenção Um estudo onde,por meio de testes 166 garotos foram O TDO pode específicos, foram Foram expostos ao tabagismo evoluir para o estabelecidas acompanhad durante a gestação e desvio de associações entre os 448 apresentaram conduta na crianças que meninos a comportamento adolescência, sofreram partir de sete antissocial, conhecido apresentando exposição à FAT anos de como transtorno tendência adurante a gestação idade do desafiador opositivo mentir, a evasão e distúrbios de Pittsburgh com uma incidência escolar, acomportamento em Youth Study. mais que o dobro de agressão e o crianças e meninos filhos de vandalismo. adolescentes mães não fumantes. SCHUH (2008), DIFRANZA et al. (2004),
  22. 22. Óbito fetal Estudo com objetivo de avaliar a influência do tabagismo sobre a mortalidade fetal e infantil Os dados foram analisados e foi possível observar que os bebês de mães não fumantes que tiveram seu primeiro filho, comparados com os bebês de mães fumantes de menos de um maço de cigarros por dia, tinham um risco 25% maior de mortalidade. Já os neonatos cuja mãe consumia um ou mais maços por dia tinham um risco 56% maior. Os recém-nascidos de mulheres que geraram seu segundo filho ou mais, apresentaram mortalidade 30% maior do que os de não-fumantes, porém sem haver diferença na quantidade de cigarros fumados KLEINMAN et al. (1988)
  23. 23. Biomarcadores de exposição à fumaça do tabaco Os biomarcadores são indicadores biológicos utilizados para detectar a exposição a alguma substância como para determinar o status tabágico de indivíduos fumantes ativos e passivos. Monóxido de carbono No ar exalado Carboxihemoglobina No sangue Principaisbiomarcadores são: Na saliva, sangue e Tiocianato urina Na urina, sangue, Cotinina saliva, mecônio e cabelo BARROS (2011), PETERSEN et al. (2009), MALAFATTI et al. (2009)
  24. 24. Monóxido de carbono Meia-vida de aproximadamente 2 a 5 horashttp://oitavaquimica.blogspot.com.br/ É eliminado por completo a partir de 48 a 72 horas após a interrupção do consumo As medições devem ser feitas até 24 horas da exposição à fumaça do tabaco http://www.manutencaoesuprimentos.com.br/ http://terramagazine.terra.com.br http://www.jornaldosite.com.br BARROS (2011), MACHADO et al. (2009)
  25. 25. O monoxímetro (ou carboxímetro) mede ahttp://www.conchal.sp.gov.br concentração de CO, avaliando o grau de exposição nas últimas horas. Não Simples Rápido Econômico invasivo SANTOS et al. (2010) comparar o valor de monóxido de carbono no ar exalado entre fumantes e não fumantes. Resultado: uma média de 14,01 ppm de CO em fumantes, 2,03 ppm em fumantes passivos e 2,50 ppm nos não fumantes. Valor de corte:6 ppm Sensibilidade: 77% Especificidade :96%. para fumantes método eficiente para aferir o hábito tabágico, porém não é o indicador adequado para a identificação de fumantes passivos. Porém, esse biomarcador não irá indicar se o neonato sofreu exposição ao tabaco durante a fase pré-natal, uma vez que seu tempo de meia-vida é curto . BARROS (2001), MACHADO et al (2009), SANTOS et al. (2001), MIDDLETON et al. (2000)
  26. 26. Carboxihemoglobina O que resulta em https://myhealth.alberta.ca uma dificuldade na capacidade da hemoglobina transportar oxigênio Após a fumaça de tabaco ser Liga-se à hemoglobina (Hb) nosinalada, ativa ou passivamente, o capilares pulmonares, formando a ocasionado CO difunde-se rapidamente carboxihemoglobina (COHb). hipóxia tecidual. Pode permanecer Sendo Determinando A COHb em níveis proporcionais a quantidade possui uma mensuráveis aos níveis de de inalação da meia-vida de no sangue monóxido de fumaça do 5 a 6 horas por no carbono tabaco máximo 24 exalado horas BARROS (2011), TRULLÉN et al. (2006)
  27. 27. Determinação da carboxihemoglobina http://quimicandovzp.blogspot.com.br em sangue é feita em espectrofotometria, em 2 comprimentos de onda, 420 e 432 nm.Janzon et al. n = 974 (23,6% não fumantes, 28,6% ex-fumantes e 28,5% fumantes. Concentração média de carboxihemoglobina 0,5% em não 1,2% em fumantes 1,8% nos que 2,2% nos fumantes e ex- de menos de 10 fumavam de 10 a fumantes de mais fumantes cigarros/dia 20 cigarros/dia de 20 cigarros/dia. Ponto de corte = 1,6%, pois nenhum participante não fumante ou ex-fumante teve uma concentração superior a 1,6%. MELLO et al. (2005), JANZON et al. (2001)
  28. 28. Ponto de corte =1,6% Jarvis et al Sensibilidade = 86% Especificidade = 92%. Wald et al. Ponto de corte = 1,5% Ponto de corte = 2%. Kesges et al. Sensibilidade = 83% Especificidade = 81% Ponto de corte = 2%. Cohen et al. Sensibilidade = 85% Especificidade = 96%Entretanto, este biomarcador não seria eficaz para detectarse o neonato sofreu exposição à fumaça de tabaco durante a gestação devido ao curto tempo de meia vida JARVIS et al. (1987), WALD et al. (1981), KESGES et al. (1992), COHEN et al. (1980)
  29. 29. Tiocianato Substância residual da metabolização hepática do cianeto de hidrogênio que é produzido pela queima do tabaco Meia-vida é de três dias Pode ser medido em fumantes ativos. Em fumantes passivos ou esporádicos não é muito sensível devido à interferência de alimentos que contenham tiocianato. TRULLÉN et al. (2006), BARROS (2011)
  30. 30. Em sangue: Cohen et al. Pojer et al. • n = 191 não fumantes e 426 • n = 181 não fumantes e 187 fumantes fumantes• Ensaio colorimétrico automatizado • Ensaio colorimétrico após cromatografia de troca iónica. • Os níveis séricos médios de tiocianato para os foi de 73,5µmol/L • Os níveis séricos médios de em não fumantes e de 180,2 tiocianato para os foi de µmol/L em fumantes 33µmol/L em não fumantes e de 109 µmol/L em fumantes • Ponto de corte = 100 µmol/L • O ponto de corte = 70 µmol/L • 93% de sensibilidade • 75,9% de sensibilidade • 81% de especificidade. • 96,7% de especificidade. •Trullén et al.: Ponto de corte = 100 µmol/L Jarvis et al. : Ponto de corte = 78 µmol/L. COHEN et al. (1980), POJER et al. (1984)
  31. 31. Em saliva:Trullén et al. Jarvis et al O ponto de O ponto de determinação de determinação detiocianato na saliva é de tiocianato na saliva é de 1,8 µmol/L 1,64 µmol/L Em urina:Trullén et al. Jarvis et al O ponto de O ponto de determinação de determinação detiocianato na urina é de tiocianato na urina é de 108 µmol/L 118 µmol/L TRULLÉN et al. (2006), JARVIS et al. (1987)
  32. 32. Cotinina Melhor parâmetro para avaliar a exposição ao tabaco Possui maior estabilidade, especificidade e meia-vida (36 – 40h) em relação à outros marcadores É um método muito preciso, pois a concentração é proporcional à quantidade de tabaco consumida pelos fumantes ativos e com a exposição sofrida pelos passivos MALAFATTI et al. (2009), MACHADO (2009)
  33. 33. Estudos de determinação de cotinina em sangue n = 3.078 fumantes e 13.078 não fumantes Pontos de corte = 3,8ng/mL, Benowitz et al. Sensibilidade = 96,3%, Especificidade = 97,4% Método: CLAE Trullén et al. ponto de corte =10ng/mL Ponto de corte =13,7ng/ml Jarvis et al Sensibilidade de 96% Especificidade de 100%. (8, 41) BENOWITZ et al. (2009), TRULLÉN et al. (2006). JARVIS et al. (1987)
  34. 34. http://www.analiselaboratorial.com.brEstudos de determinação de cotinina em saliva Jarvis et al. (2008) Jarvis et al. (1987) • Cromatografia gasosa • Cromatografia gasosa • Ponto de corte de 14.2ng/ml • Ponto de corte de 12ng/ml • Sensibilidade de 96% • Sensibilidade 96,7%. • Especificidade de 99%. • Especificidade de 96,9% Ette et al. • n= 222 fumantes e 97 não fumantes • [cotinina] =113ng/ml em fumantes • [cotinina] = 2,4ng/ml em não-fumantes • Ponto de corte de 7ng/ml • Sensibilidade de 92,3% • Especificidade de 89,7% JARVIS et al. (2008), JARVIS et al. (1987), ETTER et al. (1999)
  35. 35. A utilização de mecônio para determinar cotinina é um método pouco utilizado, porém muito útil e eficazAs concentrações dos produtos de biotransformação Este é o melhor da nicotina no método para mecônio estão monitorar diretamente exposição pré- proporcionais ao natal ao tabacograu de tabagismo Pode ser ativo ou passivo medida por da mãe. imunoensaio ou métodos cromatográficos SANT’ANNA (2010), BRAUN et al. (2010)
  36. 36. Estudos de determinação de cotinina em mecônio Gray et al.(2008). • 168 neonatos com objetivo de quantificar cotinina em mecônio, a fim de identificar os melhores biomarcadores de exposição ao tabaco na fase pré-natal. • Espectrometria de massa em conjunto com cromatografia em fase líquida. • Ponto de corte = 10 ng/g GRAY et al. (2008)
  37. 37. Estudos de determinação de cotinina em urina Métodos utilizados: colorimétricos, imunológicos ou cromatográficos http://pfarma.com.br Segundo Trullén et al.,o ponto de corte da concentração de cotinina na urina na população em geral é de 200ng/mL para fumantes ativos. JARVIS et al. (2008), TRULLÉN et al (2006)
  38. 38. Estudos de determinação de cotinina em cabelohttp://alopecia.net.br Possui capacidade de detectar exposições que ocorreram na fase pré-natal, pois a cotinina se acumula no cabelo durante seu crescimento. É de fácil obtenção Coleta não é invasiva Ampla janela de detecção Não há necessidade de cuidados especiais no transporte e armazenamento MALAFATTI et al. (2009), BULCÃO et al. (2012)
  39. 39. Jacqz-Aigrainet al. Analisatam amostras de cabelos de 182 pares mãe-criança cujas amostras de cabelo estavam disponíveis durante o terceirotrimestre. O limite de nível de significância foi fixado em 0,05ng/mg. Todas as análises foram realizadas utilizando a técnica deradioimunoensaio. As concentrações de cotinina encontradas estãodescritas na Tabela 1. Tabela 1 – Concentração de cotinina em cabelos da mãe e neonato em relação à quantidade de cigarros fumados Concentração de cotinina (ng/mg) Consumo de Mãe Neonato cigarros por dia 0 (n=9) 0,64 0,62 1 – 5 (n=44) 1,76 0,83 6 – 10 (n=56) 2,27 1,24 11-15 (n=38) 1,95 1,32 ≥ 16 (n=35) 2,79 1,61 P <0.001 <0.0001 JACQZ-AIGRAIN et al. (2002)
  40. 40. Kintz et al.(1992)• Pesquisa com amostras de cabelo com objetivo de quantificar nicotina e cotinina• Método de espectrometria por gás e cromatografia de massa.• Definiram que a concentração de 2ng de cotinina por miligrama de cabelo pode ser utilizado para diferenciar os fumantes de não fumantes. KINTZ et al.(1992)
  41. 41. Florescu et al. (2007) Realizou um estudo para identificar valores de corte de cotinina para caracterizar a exposição à FAT. Um total de 1.746 amostras de cabelo de mulheres em idade reprodutiva, mulheres grávidas, crianças e recém-nascidos foram coletados. Em fumantes não grávidas a [cotinina] = 2,3ng/mg Em fumantes grávidas a [cotinina] =1,5ng/mg. Em fumantes passivas não grávidas a [cotinina] = 0,5ng/mg. Em fumantes passivas grávidas a [cotinina] = 0,04ng/mg Em recém-nascidos a [cotinina] = 1,2ng/mg. Em não fumantes que não sofreram exposição à FAT a média era de 2ng/mg em não grávidas, 0,6ng/mg em grávidas e de 0,3ng/mg nos RNs. O ponto de corte= 0,8ng/mg para mulheres não grávidas e 0,2ng/mg para mulheres grávidas e crianças expostas. (55) FLORESCU et al. (2007)
  42. 42. Tabela 2 - Principais técnicas analíticas e matrizes e pontos de corte utilizados para determinar expostos à FAT Matriz Valores de corte Biomarcadores Método analítico biológica para fumantes ReferênciaMonóxido de carbono Aparelho micromedidor de CO Ar exalado ≥ 6ppm 38, 39 CG ≥1,6 % 40, 41Carboxiemoglobina Espectrofotometria Sangue ≥1,5 % 42 Espectrofotometria ≥ 2% 43, 44, 45 Espectrofotometria Sangue ≥ 100 µmol/L 44, 8Tiocianato Clorimétricos- Aldridge ≥ 78 µmol/L 41 Cromatrografia de troca iônica ≥ 70 µmol/L 45 Espectrofotometria +Cromatografia de troca Saliva ≥1,8 µmol/L 8 iônica ≥1,64 µmol/L 41 Clorimétricos- Aldridge ≥108 µmol/L 8 Espectrofotometria Urina ≥118 µmol/L 41 Clorimétricos- Aldridge CLAE + espectrometria de massa Sangue ≥ 3.08 ng/mL 48Cotinina ≥ 10 ng/mL 8 Cromatografia gasosa ≥ 13.7 ng/mL 41 Cromatografia gasosa Saliva ≥ 12 ng/mL 49 Cromatografia gasosa ≥ 10 ng/mL 8 Cromatografia gasosa ≥ 7 ng/mL 50 Cromatografia gasosa ≥ 14,2 ng/mL 41 Cromatografia gasosa Urina ≥ 200 ng/mL 8 Cromatografia gasosa ≥ 49,7 ng/mL 41 Espectrometria de massas +Cromatografia Mecônio ≥ 10 ng/g 47 líquida Cabelo ≥2 ng/g 55, 56 Espectrometria por gás e cromatografia de massa
  43. 43. Considerações finais Esta revisão reuniu diversos estudos que demonstraram queexistem meios de detectar a ocorrência de exposição pré-natal à fumaça detabaco por meio de biomarcadores, sendo o mais efetivo deles a cotininaem matrizes como o mecônio e o cabelo, pois fornecem informações maisexatas sobre a exposição intrauterina ao tabaco e são facilmente obtidas. A identificação precoce destas crianças pode colaborar para umaavaliação mais precisa da natureza e magnitude dos efeitos e posterioresestudos de impacto de novos tratamentos e diagnósticos.
  44. 44. Referências1. Schuh CM. Efeito da exposição ao fumo durante a gestação nas medidas antropométricas dos recém-nascidos [thesis]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2008.2. Pinto GR, Botelho C. Influência do Tabagismo no Sistema Vascular Materno-fetal: Estudo com Dopplervelocimetria. RBGO. 2000; 22 (10): 641-46.3. Inca.gov.br [homepage on the Internet]. Tabagismo no mundo INCA. No date [cited 2012 out 7]. Available from: http://www1.inca.gov.br/tabagismo/frameset.asp?item=dadosnum&link=mundo.htm4. Who. Int. [homepage on the Internet]. WHO Report on the Global Tobacco Epidemic, 2011. [cited 2012 April 02]. Available from: http://www.who.int/tobacco/surveillance/policy/country_profile/bra.pdf5. Machado JB, Lopes MHI. Abordagem do tabagismo na gestação. Scie. Medica. 2009;19(2):75-80.6. Sant’anna SG. Avaliação da exposição fetal à nicotina através da análise toxicológica em mecônio [thesis].São Paulo: Universidade de São Paulo; 2010.7. Malafatti L, Martins I. Aspectos analíticos da determinação de cotinina em matrizes biológicas. Rev. bras. toxicol. 2009;22(1-2):9-20.8. Trullén AP, Bartolomé CB, Barrueco M, Herrero I, Jiménez CA. Nuevas perspectivas en el diagnóstico y evolición del consumo de tabaco: marcadores de exposición. Prev Del Tabaq. 2006;8(4):164-73.9. Nunes E. Consumo de tabaco. Efeitos na saúde. Rev Port Clin Geral. 2006; 22: 225-44,10. Cavalcante TM. O controle do tabagismo no Brasil: avanços e desafios Rev. Psiq. Clín. 2005; 32 (5): 283-300.11. Ibge.gov.br [homepage on the Internet]. Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição [cited 2012 out 17]. Available from: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1505&id_pagina=112. Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer A situação do tabagismo no Brasil [data table online]. [cited 2012 Out. 20]. Available from : http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/situacao_tabagismo.pdf Título > Subtítulo > Nome slide
  45. 45. 13. Machado JB. Avaliação dos efeitos da carga tabágica sobre a circulação materno-fetal. [thesis]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2009.14. Ciampo LAD, Almeida CAN, Ricco RG. Tabagismo passivo em lactentes. Pediatr. (São Paulo). 1999; 21(1):15-20.15. Rios S, Rosas M, Machado PPP. A Exposição ao Fumo Passivo e os Hábitos Tabágicos Numa Escola Secundária. Int J Clin Health Psychol. 2005; 5(1):143-6016. Nakamura UM, Alexandre SM, Santos JFK, Souza E, Sass N, Beck; APA et al. Repercussões obstétricas perinatais do tabagismo ativo e / ou passivo durante a gravidez.São Paulo Med J 2004; 122(3):94-8.17. Mello PRB, Okay TS, Dores EFGC, Botelho C. Avaliação de um sistema de exposição tabágica passiva em modelo experimental utilizando cotinina e carboxiemoglobinacomo marcadores de exposição. Pulmão RJ. 2005; 14(3): 228-3618. Campos ACL, Alves MR, Ioshii SO, Moraes-Junior H, Sakamoto D, Gortz LW Influência da nicotina na proliferação de miofibroblastos e de vasos sanguíneos no tecidocicatricial da parede abdominal de ratos lactentes estudo imunoistoquímico. ABCD Arq Bras Cir Dig.2010; 23(4):222-27.19. Silva TP, Tocci HA. Efeitos obstétricos, fetais e neonatais relacionados ao uso de drogas, álcool e tabaco durante a gestação. Rev. de Enferm. UNISA. 2002;3:50-6.20. Mussi-Pinhata MM, Bissani C. Recém-nascido de baixo peso [serial on the Internet]. [cited 2012 Set 22]; Available from:http://www.fmrp.usp.br/rpp/downloads/rotinas/rn_baixo_peso.pdf21. Brito MC, Juliano Y, Novo NF, Sigulem DM, Cury MCFS. Fatores associados ao baixo peso ao nascer em uma maternidade de nível secundário no município de São Paulo.Rev Paul Pediatria. 2006;24(3):221-6.22. Shankaran S, Das A, Bauer CR, Bada HS, Lester B, Wright LL, Smeriglio V. Association between patterns of maternal substance use and infant birth weight, length, andhead circumference. Pediatr. 2004;114(2):226-34.23. Steyn K, de Wet T, Salooiee Y, Nel H, Yach D. The influence of maternal cigarette smoking, snuff use and passive smoking on pregnancy outcomes: the Birth To Ten Study[abstract]. Paediatr Perinat Epidemiol. 2006;2(20):9024. Dejmek J, Solansk’y I, Podrazilová K, Srám J. The exposure of nonsmoking and smoking mothers to environmental tobacco smoke during different gestational phases andfetal growth. Environ Health Persp. 2002;110(6): 601-0625. Neto AA. Efeitos do fumo na gravidez. Rev. Saúde Públ. 1990;24(5):420-2426. Ward C, Lewis S, Coleman T. Prevalence of maternal smoking and environmental tobacco smoke exposure during pregnancy and impact on birth weight: retrospective studyusing Millennium Cohort. BMC Pub Health 2007;7(81).27. Madi JM, Locatelli ENME, Madi SRC, Rombaldi RL. Síndrome de aspiração do mecônio: análise de resultados obstétricos e perinatais. RBGO. 2003;25(2):123-28.28. Benny OS, Malani S, Hoby MA, Hutton JD. Meconium aspiration-role of obstetric factors and suction [abstract]. Aust. NZJ Obstet Gynaecol. 1987;27(1):36.29. Pierre AMM, Bastos GZG, Oquendo R, Alencar CA Jr. Repercussões maternas e perinatais da ruptura prematura das membranas até a 26ª semana gestacional. RBGO.2003;25(2):109-114.30. Leopércio W, Gigliotti A. Tabagismo e suas peculiaridades durante a gestação: uma revisão crítica. J bras pneumol. 2004;30(2):176-85. Título > Subtítulo > Nome slide
  46. 46. 31. Gondim K, Da Silva GR, Macêdo KN. Repercussões do tabagismo na gestação: um levantamento bibliográfico. Enferm Global 2006;8:1-632. Hofhuis W, de Jongste JC, Merkus PJFM. Adverse health effects of prenatal and postnatal tobacco smoke exposure on children. Arch Dis Child 2003;88(12):1086–9033. DiFranza JR, Aligne CA, Weitzman M. Prenatal and postnatal environmental tobacco smoke exposure and children’s health. Pediatr. 2004;113:007-1634. Drugabuse.gov [homepage on the Internet]. Behavioral problems related to maternal smoking during pregnancy manifest early in childhood, [cited 2008 Jun 1]. Availablefrom: http://www.drugabuse.gov/news-events/nida-notes/2008/06/behavioral-problems-related-to-maternal-smoking-during-pregnancy-manifest-early-in-childhood35. Kleinman JC, Pierre MB Jr, Madans, Land GH, Schramm WF.The effects of maternal smoking on fetal and infant mortality [abstract]. Am J Epidemiol. 1988;2(127):274.36. Barros ARG. Marcadores biológicos de tabagismo: determinação de cutoff points [thesis].Lisboa:Universidade Nova de Lisboa;2011.37. Petersen GO, Leite CE, Thiesen FV, Chatkin JM. Cotinina urinaria sérica e plasmática como marcadores de exposição ao tabagismo. Validação de método e comparaçãoentre matrizes [abstract]. In: Salão de Iniciação Científica PUCRS. 10°.2009;700-701.38. Santos UP, Gannam S, Abe JM, Esteces PB, Freitas M Fl, Wakassa TB et al. Emprego da determinação de monóxido de carbono no ar exalado para a detecção doconsumo de tabaco. J Pneumol. 2001;27(5):231-236.39. Middleton ET, Morice AH. Breath carbon monoxide as an indication of smoking habit.Chest. 2000;117(3):758.40. Janzon L, Lindell SE, Trell E, Larme P. Smoking habits and carboxyhaemoglobin. A cross-sectional study of an urban population of middle-aged men. J Epidemiol andCommu Health.1981;35:271-7341. Jarvis MJ, Tunstall-Pedoe H, Feyerabend C, Vesey C, Saloojee Y.Comparison of tests used to distinguish smokers from nonsmokers. Am J Public Health. 1987;77:1435-38.42. Wald NJ, Idle M, Boreham J, Bailey A. Carbon monoxide in breath in relation to smoking and carboxyhaemoglobin levels. Thorax. 1981;36(5):366-6943. Kesges LM, Kiesges RC, Cigran JA. Discrepancies between self-reported smoking and carboxyhemoglobin: an analysis of the second national health and nutrition survey.Public Health Briefs. 1992;82(7):1026-29.44. Cohen JD, Bartsch GE. A Comparison between Carboxyhemoglobin and Serum Thiocyanate Determinations as Indicators of Cigarette Smoking. Am J Public Health.1980;70(3):284-286.45. Pojer R, Whitfield JB, Poulos V, Eckhard IF, Richmond R, Hensley WJ. Carboxyhemoglobin, cotinine, and thiocyanate assay compared for distinguishing smokers from non-smokers. Clin. Chem. 1984;30(8):1377-8146. Braun JM, Daniels JL, Poole C, Olshan AF, Hornung R, Bernert JT et al. A prospective cohort study of biomarkers of prenatal tobacco smoke exposure: the correlationbetween serum and meconium and their association with infant birth weight. Environ. Health. 2010;9(53):1-11.47. Gray TR, Magri R, Shakleva DM, Huestis MA. Meconium nicotine and metabolites by liquid chromatography-tandem mass spectrometry: differentiation of passive andnonexposure and correlation with neonatal outcome measures. Clin Chem. 2008;54(12):2018-27.48. Benowitz NL, Bernert JT, Caraballo RS, Holiday DB, Wang J. Optimal serum cotinine levels for distinguishing cigarette smokers and nonsmokers within different racial/ethnicgroups in the United States between 1999 and 2004. Am J Epidemiol. 2009;169(2):236–48. Título > Subtítulo > Nome slide
  47. 47. 49. Jarvis MJ, Fidler J, Mindell J, Feyerabend C, West R. Assessing smoking status in children, adolescents and adults: cotinine cut-pointsrevisited. Addiction. 2008;103(9):1553-61.50. Etter JF, Due TV, Perneger TV. Saliva cotinine levels in smokers and nonsmokers. Am J Epidemiol. 1999;151(3):251-58.51. Vacchino MN, Velurtas SM, Salinas GP, Garcialoredo HH. Determinación de cotinina y exposición a tabaco. Acta Bioquím Clín Latinoam.2006;40(2):181-85.52. Bulcão R, Garcia SC, Limberger RP, Baierle M. Designer drugs: aspectos analíticos e biológicos. Quim. Nova. 2012;35(1):149-58.53. Tzatzarakis MN, Vardavas CI, Terzi I, Kavalakis M, Kokkinakis M, Liesivuori J et al. Hair nicotine/cotinine concentrations as a method ofmonitoring exposure to tobacco smoke among infants and adults [abstract]. Hum Exp Toxicol. 2012;31(3):258-65.54. Jacqz-Aigrain E, Zhang D, Maillard G, Luton D, André J, Oury JF. Maternal smoking during pregnancy and nicotine and cotinineconcentrations in maternal and neonatal hair. BJOG. 2002;109(8):909-11.55. Florescu A, Ferrence R, Einarson TR, Selby P, Kramer M, Woodruff S et al. Reference values for hair cotinine as a biomarker of active andpassive smoking in women of reproductive age, pregnant women, children, and neonates: systematic review and meta-analysis.Ther DrugMonit. 2007;29(4):437-46.56. Kintz P. Strasbourg, France. Gas chromatographic analysis of nicotine and cotinine in hair, J Chromatogr. 1992;580(1-2):347-53. Título > Subtítulo > Nome slide
  48. 48. OBRIGADA!!!Título > Subtítulo > Nome slide

×