Determinação do teor de cafeína     em amostras vegetais          Bárbara Blauth        Franciele dos Passos        Luana ...
Introdução• Ilex paraguariensis A. St. - Hil. (erva-mate)  é uma árvore pertencente à família  Aquifoleaceae, nativa da re...
• Das folhas secas desta planta produz-se o  tererê e o chimarrão (bebidas à base de  erva-mate elaboradas com água fria e...
• Esta planta chamou a atenção da  comunidade científica nos últimos anos  por seus efeitos benéficos à saúde  humana,    ...
Composição química• A Erva mate contém cerca de 0,2 - 2% de  cafeína, 0,3% de teobromina, traços de  teofilina, cerca de 1...
• A quantidade e composição de metilxantinas  nas folhas podem ser influenciadas por  diferentes fatores, tal como variabi...
Procedimento   Extração da cafeína a partir da amostra                   vegetal:• Pesou-se 1,0 g da amostra de erva-mate ...
• Esfriamos, e o extrato transferimos paraoutro erlenmeyer ;• Adicionamos 10mL de água destilada aoresíduo, agitamos e fil...
• Transferimos para uma pêra de separação  enxaguando o erlenmeyer por 2 vezes  com 1 mL de água destilada;• Em seguida fo...
• Decantamos a fase clorofórmica para uma  cápsula de porcelana;• Enxaguamos o erlenmeyer com 2 mL de  CHCl3 e reunimos co...
• Dissolvemos o resíduo em água destilada  e transferimos quantitativamente para  balão volumétrico de 100ml, e desde  tom...
Curva Padrão de cafeína:• Um dos grupos pesou 5mg de cafeína;• Dissolveu em 10 mL de água destilada;• Transferiu quantitat...
• Transferiu 0.15; 0.25; 0.50; 1.0; 1.5;e  2.0mL dessa solução para balão  volumétrico de 10 mL e completou o  volume;• Re...
Cálculos• Dados obtidos.  PONTO     VOLUME    CONCENTRAÇÃO    ABSORBÂNCIA  Amostra    ******    0,0070 mg/mL      0,1772  ...
• Cálculos para a concentração da curva      padrão     5 mg ---------- 50mL                             X ---------------...
• Gráfico da curva padrão pelo Excel                0,6                0,5  Absorbância                0,4                ...
• Concentração da amostra pela equação           da reta pelo Excel           y = 25,56x - 0,002        0,1772 = 25,56x - ...
• Concentração de cafeína em g% na  amostra pelo Excel   1 mg ---------- 0,0070 mg/mL   100000mg ------ X mg/mL   X = 700 ...
• Gráfico manual
• Equação da reta pelo gráfico manual        y1 – y2 = a (x2 – x1)0.5119 – 0.0620 = a (0.0200 – 0.0025)         0.4499 = a...
• Concentração de cafeína em g% na  amostra pelo gráfico manual         1 mg   ----------   0,0069 mg         100 000 mg -...
Conclusão• Os resultados obtidos tanto pelo Excel  (0,70g%) quanto pelo método manual  (0.69g %) apresentaram valores muit...
Referências•   BRENELLI, E. C. S. A EXTRAÇÃO DE CAFEÍNA EM BEBIDAS ESTIMULANTES – UMA NOVA ABORDAGEM    PARA UM EXPERIMENT...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Determinação do teor de cafeína em amostras vegetais

1.829 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.829
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Determinação do teor de cafeína em amostras vegetais

  1. 1. Determinação do teor de cafeína em amostras vegetais Bárbara Blauth Franciele dos Passos Luana K. Wendling
  2. 2. Introdução• Ilex paraguariensis A. St. - Hil. (erva-mate) é uma árvore pertencente à família Aquifoleaceae, nativa da região sul da América do Sul e de grande importância cultural e econômica para os três estados da região sul do Brasil (Bruneton, 1993; Esmelindro et al., 2002).
  3. 3. • Das folhas secas desta planta produz-se o tererê e o chimarrão (bebidas à base de erva-mate elaboradas com água fria e quente,respectivamente) e com as folhas secas e torradas prepara-se o chá-mate.
  4. 4. • Esta planta chamou a atenção da comunidade científica nos últimos anos por seus efeitos benéficos à saúde humana, principalmente aqueles relacionados à atividade antioxidante e protetora frente a processos degenerativos como, por exemplo, os que levam ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e a danos ao DNA.
  5. 5. Composição química• A Erva mate contém cerca de 0,2 - 2% de cafeína, 0,3% de teobromina, traços de teofilina, cerca de 10 – 16% de ácido clorogênico (ácido cafeoiltânico), pequena quantidade de óleo volátil, saponinas triterpênicas, aminoácidos e vitaminas .
  6. 6. • A quantidade e composição de metilxantinas nas folhas podem ser influenciadas por diferentes fatores, tal como variabilidade genética, condições ambientais, idade, período de colheita, tratamento e preparação.• Esta composição química tem seus índices estabelecidos pela Portaria 234, de 25 de março de 1998, da ANVISA, a qual prevê um teor de cafeína mínimo (0,5g/ 100g) em erva mate (LOPES et al, 2007).
  7. 7. Procedimento Extração da cafeína a partir da amostra vegetal:• Pesou-se 1,0 g da amostra de erva-mate JR ;• Transferimos para erlenmeyer de 100ml;• Adicionamos 15 mL de solução de H2SO41ml/l e submetemos a ebulição em banho-mariapor 15 min;
  8. 8. • Esfriamos, e o extrato transferimos paraoutro erlenmeyer ;• Adicionamos 10mL de água destilada aoresíduo, agitamos e filtramos, removendo afase líquida, reunindo-a ao extrato;• Alcalinizamos adicionando gotas deamônia até pH 9 a 10;
  9. 9. • Transferimos para uma pêra de separação enxaguando o erlenmeyer por 2 vezes com 1 mL de água destilada;• Em seguida foram feitas 3 extrações com 10mL de CHCl3 recolhendo a fase clorofórmica em erlenmeyer de 50ml;• Adicionamos uma pitada de Na2SO4 para retirar a água;
  10. 10. • Decantamos a fase clorofórmica para uma cápsula de porcelana;• Enxaguamos o erlenmeyer com 2 mL de CHCl3 e reunimos com o líquido da cápsula ;• Evaporamos em banho-maria até a secura;
  11. 11. • Dissolvemos o resíduo em água destilada e transferimos quantitativamente para balão volumétrico de 100ml, e desde tomamos 1mL para diluir para 10ml em balão volumétrico;• Lemos a absorbância em espectrofotômetria de UV a 273nm.
  12. 12. Curva Padrão de cafeína:• Um dos grupos pesou 5mg de cafeína;• Dissolveu em 10 mL de água destilada;• Transferiu quantitativamente para o balão volumétrico de 50mL e completou o volume;
  13. 13. • Transferiu 0.15; 0.25; 0.50; 1.0; 1.5;e 2.0mL dessa solução para balão volumétrico de 10 mL e completou o volume;• Realizou a leitura da absorbância de cada solução em espectrofotômetro de UV a 273nm.
  14. 14. Cálculos• Dados obtidos. PONTO VOLUME CONCENTRAÇÃO ABSORBÂNCIA Amostra ****** 0,0070 mg/mL 0,1772 Ponto 1 0,15mL 0.0015mg/mL 0,0382 Ponto 2 0,25mL 0,0025 mg/mL 0,0620 Ponto 3 0,5 mL 0,0050 mg/mL 0,1237 Ponto 4 1,0 mL 0,0100 mg/mL 0,2546 Ponto 5 1,5 mL 0,0150 mg/mL 0,3773 Ponto 6 2,0 mL 0,0200 mg/mL 0,5119
  15. 15. • Cálculos para a concentração da curva padrão 5 mg ---------- 50mL X ---------------- 1mL X = 0,1 mgPonto 1 - 0,15 mL Ponto 2 - 0,25 mL Ponto 3 - 0,5 mL C1 x V1=C2 x V2 C1 x V1=C2 x V2 C1 x V1=C2 x V20.1mg x 0.15mL = C2 x 10mL 0.1mg x 0.25mL = C2 x 10mL 0.1mg x 0.5mL = C2 x 10mL C2= 0.0015mg/mL C2 = 0,0025 mg/mL C2 = 0,005 mg/mLPonto 4 - 1,0 mL Ponto 5 - 1,5 mL Ponto 6 - 2,0 mL C1 x V1=C2 x V2 C1 x V1=C2 x V2 C1 x V1=C2 x V20.1mg x 1,0mL = C2 x 10mL 0.1mg x 1,5mL = C2 x 10mL 0.1mg x 2,0mL = C2 x 10mLC2 = 0,01 mg/mL C2 = 0,015 mg/mL C2 = 0,02 mg/mL
  16. 16. • Gráfico da curva padrão pelo Excel 0,6 0,5 Absorbância 0,4 0,3 y = 25,56x - 0,002 R² = 0,999 0,2 0,1 0 0 0,005 0,01 0,015 0,02 0,025 Concentração mg/mL
  17. 17. • Concentração da amostra pela equação da reta pelo Excel y = 25,56x - 0,002 0,1772 = 25,56x - 0,002 X= 0,0070 mg/mL
  18. 18. • Concentração de cafeína em g% na amostra pelo Excel 1 mg ---------- 0,0070 mg/mL 100000mg ------ X mg/mL X = 700 mg/mL 700mg = 0,70g% 1000 0,70g% de cafeína em 100g de erva mate.
  19. 19. • Gráfico manual
  20. 20. • Equação da reta pelo gráfico manual y1 – y2 = a (x2 – x1)0.5119 – 0.0620 = a (0.0200 – 0.0025) 0.4499 = a (0.0175) 0.4499 = a 0.0175 a= 25.7085 y1 = y2 - y1 + b x2 – x1 b = 0.0620 – 04499 x 0.0025 0.0175 b= 0.0620 – 25.7085 x 0.0025 b= 0.0620- 0.06427 b= - 0.00227 Y= a . x + b Y = 2507085 x – 0.00227 0.1772 = 25.7085 x – 0.00227 0.1772=25.7062x 0.1772 = x 25.7062 X= 0.0069
  21. 21. • Concentração de cafeína em g% na amostra pelo gráfico manual 1 mg ---------- 0,0069 mg 100 000 mg ------ X mg X = 690 mg 690mg = 0,69g% 1000 0.69g % de cafeína em 100g de erva mate
  22. 22. Conclusão• Os resultados obtidos tanto pelo Excel (0,70g%) quanto pelo método manual (0.69g %) apresentaram valores muito próximos na concentração do teor de cafeína e são compatíveis com os valores encontrados na literatura, que relata que a concentração da cafeína em erva mate se encontra entre 0,7 a 2,3%. Simões (2000)
  23. 23. Referências• BRENELLI, E. C. S. A EXTRAÇÃO DE CAFEÍNA EM BEBIDAS ESTIMULANTES – UMA NOVA ABORDAGEM PARA UM EXPERIMENTO CLÁSSICO EM QUÍMICA ORGÂNICA. Rev. Quim. Nova, Niterói, RJ, Vol. 26, No. 1, 136-138, 2003.• BRUNETON, J. Elementos de fitoquímica y de farmacognosia. Paris: Lavoisier, 1993. 544p.• CARELLI, G et al. Avaliação preliminar da atividade antimicrobiana do extrato de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St. - Hil.) obtido por extração com CO2 supercrítico. Rev. bras. plantas medicinais, Erechim, RS, vol.13 no.1 2011• CROCE, D. M. D. CARACTERÍ STICAS FÍSICO-QUÍMICAS DE EXTRATOS DE ERVA MATE (Ilex paraguariensis St. Hil) NO ESTADO DE SANTA CATARINA. Rev. Ciência Florestal, Santa Maria, Vol. 12, n. 2, p. 107-113. 2002.• LOPES, M. R. S.; MARTINEZ; S. T.; CHAVES, V. C.; ROCHA, A. S. R.; AMARANTE, L. Determinação por HPLC de cafeína e teobromina em folhas jovens e velhas de Ilex paraguariensis. Rev. Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, supl. 2, p. 954-956, jul. 2007• SIMÕES, C. M. O.; SCHENKEL, E. P.; GOSMANN, G.; MELLO, J. C. P. Farmacognosia: da planta ao medicamento. 2. ed. Porto Alegre, RS: Ed. da Universidade / UFRGS, Florianópolis, SC: Ed. da UFSC, 2000.• VALDUGA, E; FREITAS, R. J. S.; REISSMANN, C. B.; NAKASHIMA, T. CARACTERIZAÇÃO QUÍMICA DA FOLHA DE Ilex paraguariensis St. Hil. (ERVA-MATE) E DE OUTRAS ESPÉCIES UTILIZADAS NA ADULTERAÇÃO DO MATE. Rev. B.CEPPA, Curitiba, v. 15, n. 1, p. 25-36, jan./jun.1997

×