SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
E .E. JOÃO DANTAS FILGUEIRAS GRIPE SUÍNA H1N1 Três Lagoas Agosto 2009 7º e 8º A
A gripe suína refere-se à  gripe  causada pelas estirpes de  vírus da gripe , chamadas vírus da gripe suína, que habitualmente infectam  porcos , onde são endémicas. Em 2009 todas estas estirpes são encontradas no  vírus da gripe C  e nos subtipos do  vírus da gripe A  conhecidos como  H1N1 ,  H1N2 ,  H3N1 ,  H3N2 , e  H2N3 .  O QUE É GRIPE SUÍNA:
Em seres humanos, os sintomas de gripe A (H1N1) são semelhantes aos da  gripe  e  síndroma  gripal em geral, nomeadamente calafrios,  febre ,  garganta dolorida ,  dores musculares ,  dor de cabeça  forte,  tosse ,  fraqueza , desconforto geral, e em alguns casos,  náusea ,  vômito  e  diarreia .. SINTOMAS:
O vírus é transmitido de pessoa para pessoa, e o papel do suíno na emergência desta nova estirpe de vírus encontra-se sob investigação. Contudo, é certo que não há qualquer risco de contaminação através da alimentação de carnes suínas cozidas. Cozinhar a carne de porco a 71  °C  mata o vírus da influenza, assim como outros vírus e bactérias. TRANSMISSÃO:
Assim como a gripe  humana  comum, a influenza A (H1N1) apresenta como sintomas febre repentina, fadiga, dores pelo corpo, tosse,  coriza , dores de garganta e dificuldades respiratórias. [5]  Esse novo surto, aparentemente, também causa mais  diarreia  e vômitos que a gripe convencional. De acordo com a  OMS , os medicamentos antiviral  oseltamivir  e  zanamivir , em testes iniciais mostraram-se efetivos contra o vírus H1N1. PROGRESSÃO, SINTOMAS E TRATAMENTO:
Ter hábitos de higiene regulares, como lavar as mãos, é uma das formas de prevenir a transmissão da doença. Além disto, deve-se evitar o contato das mãos com olhos, nariz e boca depois de tocar em superfícies, usar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar, evitar aglomerações e ambientes fechados e ter hábitos saudáveis como hidratação corporal, alimentação equilibrada e atividade física. Caso ocorra a contaminação, 5 dias após o início dos sintomas, o paciente deve evitar sair de casa pois este é o período de transmissão da gripe A  PREVENÇÃO:
Algumas organizações religiosas também orientaram aos fiéis evitar abraços, apertos de mãos ou qualquer outro tipo de contato físico para impedir a dispersão do vírus durante os cultos religiosos
GRUPOS DE RISCO
Gestantes   Idosos (maiores de 65 anos) - neste grupo existe uma situação especial pois os idosos tem sido poupados de morte.  Crianças (menores de 2 anos)  Doentes crônicos  Problemas cardiovasculares, exceto  hipertensos   Asmáticos   Portadores de  doença obstrutiva crônica   Problemas  hepáticos  e  renais   Doenças metabólicas  Doenças que afetam o sistema imunológico  Obesos
A contaminação se dá da mesma forma que a  gripe  comum, por via aérea, contato direto com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados. Não há contaminação pelo consumo de carne ou produtos suínos. Cozinhar a carne de  porco  a 70  graus   Celsius  destrói quaisquer microorganismos patogênicos. Não foram identificados animais (porcos) doentes no local da epidemia (México). Trata-se, possivelmente, de um vírus  mutante , com material genético das gripes humana, aviária e suína.  FORMAS DE CONTÁGIO:
O  surto de gripe suína de 2009  em humanos, oficialmente denominado como  gripe A (H1N1)  ( português europeu ) ou  influenza A (H1N1)  ( português brasileiro ), e inicialmente conhecido como  gripe mexicana,  gripe norte-americana,   influenza norte-americana   ou  nova gripe , deveu-se a uma nova estirpe de  influenzavirus  A subtipo H1N1  que continha genes relacionados de modo muito próximo à gripe suína.[ A origem desta nova estirpe é desconhecida. No entanto, a  Organização Mundial de Saúde Animal  (OIE) anunciou que esta estirpe não foi isolada em porcos. Esta estirpe transmite-se de humano para humano,[e causa os sintomas habituais da gripe  SURTO DE GRIPE SUÍNA:
Existe uma  vacina  para porcos, mas nenhuma para humanos. A vacina contra a gripe "convencional" oferece pouca ou nenhuma proteção contra o vírus H1N1. O  Japão  anunciou que pretende desenvolver uma vacina eficaz  e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) vem investigando formas de tratamento. O  Instituto  Butantan , em  São Paulo , está colaborando com a  Organização Mundial de Saúde  em uma pesquisa para elaborar uma vacina contra a gripe suína e prevê finalizar o processo dentro de quatro a seis meses. Todavia, segundo Karl Nicholson, da  Universidade de  Leicester , na Grã-Bretanha,  se o vírus evoluir para uma pandemia, a primeira  onda  vai chegar e irá embora antes que uma vacina tenha sido produzida .  VACINA:
Para tirar dúvidas da Gripe Suína ligue para o número 0800-61-1997 do Disque Saúde do Ministério da Saúde. De acordo com o governo, os atendentes foram treinados para tirar dúvidas da população da Gripe Suína. Qual o telefone para tirar dúvidas da Gripe Suína?
Mapa da gripe Suína no Mundo   Fonte: http://gamapserver.who.int/h1n1/atlas.html?select=ZZZ&filter=filter4,confirmed
 
SINTOMAS RESFRIADO COMUM Pandemia de gripe suína Febre Criança 39º Adultos pouco freqüente Pode elevar-se acima de  40º Dura de 3 a 4 dias Dor de cabeça Raras vezes Inicio brusco e de muita intensidade Dores musculares e nas articulações Leve a moderado Grande intensidade (geralmente) Cansaço e debilidade Pode durar de 2 a 3 semanas Decaimento Leve Inicio brusco e de grande intensidade Congestão nasal Freqüente intensa Tosse  V ô mito  e diarréia Raras vezes intensa
 
REFERÊNCIAS: http://portal.saude.gov.br/saude/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Gripe_su%C3%ADna

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM CloriH1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
H1N1 para alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - EM Clori
 
Influenza A H1 N1 2009
Influenza A H1 N1   2009Influenza A H1 N1   2009
Influenza A H1 N1 2009
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Slide gripe suína
Slide gripe suínaSlide gripe suína
Slide gripe suína
 
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela PetrobrasGripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Influenza
InfluenzaInfluenza
Influenza
 
Influenza H1N1
Influenza H1N1Influenza H1N1
Influenza H1N1
 
A Gripe SuíNa Powerpoint
A Gripe SuíNa PowerpointA Gripe SuíNa Powerpoint
A Gripe SuíNa Powerpoint
 
Influenza a
Influenza aInfluenza a
Influenza a
 
H1N1
H1N1H1N1
H1N1
 
Gripe comum, suina e aviaria
Gripe comum, suina e aviariaGripe comum, suina e aviaria
Gripe comum, suina e aviaria
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1Agir Contra O H1 N1
Agir Contra O H1 N1
 
Influenza A
Influenza AInfluenza A
Influenza A
 
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe AApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
ApresentaçãO PopulaçãO Sobre Gripe A
 
ApresentaçãO1 Ann
ApresentaçãO1 AnnApresentaçãO1 Ann
ApresentaçãO1 Ann
 
Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1Apresentação gripe influenza h1n1
Apresentação gripe influenza h1n1
 
Influenza
InfluenzaInfluenza
Influenza
 

Destaque

Circular Informativa Dgs
Circular Informativa DgsCircular Informativa Dgs
Circular Informativa DgsMamar ao Peito
 
Ofício Circular Nº 023 - Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...
Ofício Circular Nº 023  -   Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...Ofício Circular Nº 023  -   Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...
Ofício Circular Nº 023 - Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...Anderson Ramos
 
Cartilha gripe suina
Cartilha gripe suinaCartilha gripe suina
Cartilha gripe suinaEscolaeas
 
Gripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- BrasilGripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- BrasilMarcos Nascimento
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A8Aap
 
Hemaglutinina
HemaglutininaHemaglutinina
HemaglutininaTBQ-RLORC
 
Apresentação gripe a h1 n1
Apresentação gripe a h1 n1Apresentação gripe a h1 n1
Apresentação gripe a h1 n1cainaa13
 
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)UFVJM
 
Mikrobiologi-Virus Influenza
Mikrobiologi-Virus InfluenzaMikrobiologi-Virus Influenza
Mikrobiologi-Virus InfluenzaSintia Julianti
 
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)Carlos
 
Arboviroses Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016
Arboviroses  Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016Arboviroses  Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016
Arboviroses Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016Alexandre Naime Barbosa
 
Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Aluisio Junior
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aidsletosgirl
 
Influenza Humana A-H1N1
Influenza Humana A-H1N1Influenza Humana A-H1N1
Influenza Humana A-H1N1mauxmatta
 

Destaque (20)

Circular Informativa Dgs
Circular Informativa DgsCircular Informativa Dgs
Circular Informativa Dgs
 
Ofício Circular Nº 023 - Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...
Ofício Circular Nº 023  -   Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...Ofício Circular Nº 023  -   Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...
Ofício Circular Nº 023 - Frequencia Escolar - prazo de Entrega das fichas ...
 
Cartilha gripe suina
Cartilha gripe suinaCartilha gripe suina
Cartilha gripe suina
 
Gripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- BrasilGripe Suína Paraná- Brasil
Gripe Suína Paraná- Brasil
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
Hemaglutinina
HemaglutininaHemaglutinina
Hemaglutinina
 
Apresentação gripe a h1 n1
Apresentação gripe a h1 n1Apresentação gripe a h1 n1
Apresentação gripe a h1 n1
 
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)
Medidas preventivas contra a Gripe Suína (vírus H1N1)
 
Mikrobiologi-Virus Influenza
Mikrobiologi-Virus InfluenzaMikrobiologi-Virus Influenza
Mikrobiologi-Virus Influenza
 
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)
Slide da apresentaçã sobre a influenza A (H1N1)
 
Febre amarela
Febre amarelaFebre amarela
Febre amarela
 
Arboviroses
ArbovirosesArboviroses
Arboviroses
 
H1N1
H1N1H1N1
H1N1
 
CiêNcias+[1]..
CiêNcias+[1]..CiêNcias+[1]..
CiêNcias+[1]..
 
Arboviroses Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016
Arboviroses  Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016Arboviroses  Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016
Arboviroses Chikungunya - Dengue - Febre Amarela - Zika 2016
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
H1N1
H1N1H1N1
H1N1
 
Influenza Humana A-H1N1
Influenza Humana A-H1N1Influenza Humana A-H1N1
Influenza Humana A-H1N1
 

Semelhante a Gripe Suína H1N1 (20)

Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Dssms Gripe SuíNa
Dssms   Gripe SuíNaDssms   Gripe SuíNa
Dssms Gripe SuíNa
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Influenza h1 n1
Influenza h1 n1Influenza h1 n1
Influenza h1 n1
 
Edição 5
Edição 5Edição 5
Edição 5
 
H1 n1
H1 n1H1 n1
H1 n1
 
H1N1
H1N1 H1N1
H1N1
 
X Gripe A Grp9
X Gripe A Grp9X Gripe A Grp9
X Gripe A Grp9
 
X Gripe A Grp11
X Gripe A Grp11X Gripe A Grp11
X Gripe A Grp11
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
Gripes e Resfriados
Gripes e ResfriadosGripes e Resfriados
Gripes e Resfriados
 
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novoDoencas emergentes e reemergentes 2008-novo
Doencas emergentes e reemergentes 2008-novo
 
FlueducaçãO080709 Final Revisado 06 07 2009 Completo
FlueducaçãO080709 Final Revisado 06 07 2009 CompletoFlueducaçãO080709 Final Revisado 06 07 2009 Completo
FlueducaçãO080709 Final Revisado 06 07 2009 Completo
 
O virus influenza h1 n1
O virus influenza h1 n1O virus influenza h1 n1
O virus influenza h1 n1
 
Gripe A
Gripe AGripe A
Gripe A
 
X Gripe A Grp10
X Gripe A Grp10X Gripe A Grp10
X Gripe A Grp10
 
Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]Gripe Virus H5 N1[1]
Gripe Virus H5 N1[1]
 
Influenza gripe A
Influenza gripe AInfluenza gripe A
Influenza gripe A
 
Gripe A Folheto Informativo
Gripe A Folheto InformativoGripe A Folheto Informativo
Gripe A Folheto Informativo
 

Último

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 

Último (20)

Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 

Gripe Suína H1N1

  • 1. E .E. JOÃO DANTAS FILGUEIRAS GRIPE SUÍNA H1N1 Três Lagoas Agosto 2009 7º e 8º A
  • 2. A gripe suína refere-se à gripe causada pelas estirpes de vírus da gripe , chamadas vírus da gripe suína, que habitualmente infectam porcos , onde são endémicas. Em 2009 todas estas estirpes são encontradas no vírus da gripe C e nos subtipos do vírus da gripe A conhecidos como H1N1 , H1N2 , H3N1 , H3N2 , e H2N3 . O QUE É GRIPE SUÍNA:
  • 3. Em seres humanos, os sintomas de gripe A (H1N1) são semelhantes aos da gripe e síndroma gripal em geral, nomeadamente calafrios, febre , garganta dolorida , dores musculares , dor de cabeça forte, tosse , fraqueza , desconforto geral, e em alguns casos, náusea , vômito e diarreia .. SINTOMAS:
  • 4. O vírus é transmitido de pessoa para pessoa, e o papel do suíno na emergência desta nova estirpe de vírus encontra-se sob investigação. Contudo, é certo que não há qualquer risco de contaminação através da alimentação de carnes suínas cozidas. Cozinhar a carne de porco a 71 °C mata o vírus da influenza, assim como outros vírus e bactérias. TRANSMISSÃO:
  • 5. Assim como a gripe humana comum, a influenza A (H1N1) apresenta como sintomas febre repentina, fadiga, dores pelo corpo, tosse, coriza , dores de garganta e dificuldades respiratórias. [5] Esse novo surto, aparentemente, também causa mais diarreia e vômitos que a gripe convencional. De acordo com a OMS , os medicamentos antiviral oseltamivir e zanamivir , em testes iniciais mostraram-se efetivos contra o vírus H1N1. PROGRESSÃO, SINTOMAS E TRATAMENTO:
  • 6. Ter hábitos de higiene regulares, como lavar as mãos, é uma das formas de prevenir a transmissão da doença. Além disto, deve-se evitar o contato das mãos com olhos, nariz e boca depois de tocar em superfícies, usar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar, evitar aglomerações e ambientes fechados e ter hábitos saudáveis como hidratação corporal, alimentação equilibrada e atividade física. Caso ocorra a contaminação, 5 dias após o início dos sintomas, o paciente deve evitar sair de casa pois este é o período de transmissão da gripe A PREVENÇÃO:
  • 7. Algumas organizações religiosas também orientaram aos fiéis evitar abraços, apertos de mãos ou qualquer outro tipo de contato físico para impedir a dispersão do vírus durante os cultos religiosos
  • 9. Gestantes Idosos (maiores de 65 anos) - neste grupo existe uma situação especial pois os idosos tem sido poupados de morte. Crianças (menores de 2 anos) Doentes crônicos Problemas cardiovasculares, exceto hipertensos Asmáticos Portadores de doença obstrutiva crônica Problemas hepáticos e renais Doenças metabólicas Doenças que afetam o sistema imunológico Obesos
  • 10. A contaminação se dá da mesma forma que a gripe comum, por via aérea, contato direto com o infectado, ou indireto (através das mãos) com objetos contaminados. Não há contaminação pelo consumo de carne ou produtos suínos. Cozinhar a carne de porco a 70 graus Celsius destrói quaisquer microorganismos patogênicos. Não foram identificados animais (porcos) doentes no local da epidemia (México). Trata-se, possivelmente, de um vírus mutante , com material genético das gripes humana, aviária e suína. FORMAS DE CONTÁGIO:
  • 11. O surto de gripe suína de 2009 em humanos, oficialmente denominado como gripe A (H1N1) ( português europeu ) ou influenza A (H1N1) ( português brasileiro ), e inicialmente conhecido como gripe mexicana, gripe norte-americana, influenza norte-americana ou nova gripe , deveu-se a uma nova estirpe de influenzavirus A subtipo H1N1 que continha genes relacionados de modo muito próximo à gripe suína.[ A origem desta nova estirpe é desconhecida. No entanto, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) anunciou que esta estirpe não foi isolada em porcos. Esta estirpe transmite-se de humano para humano,[e causa os sintomas habituais da gripe SURTO DE GRIPE SUÍNA:
  • 12. Existe uma vacina para porcos, mas nenhuma para humanos. A vacina contra a gripe "convencional" oferece pouca ou nenhuma proteção contra o vírus H1N1. O Japão anunciou que pretende desenvolver uma vacina eficaz e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) vem investigando formas de tratamento. O Instituto Butantan , em São Paulo , está colaborando com a Organização Mundial de Saúde em uma pesquisa para elaborar uma vacina contra a gripe suína e prevê finalizar o processo dentro de quatro a seis meses. Todavia, segundo Karl Nicholson, da Universidade de Leicester , na Grã-Bretanha, se o vírus evoluir para uma pandemia, a primeira onda vai chegar e irá embora antes que uma vacina tenha sido produzida . VACINA:
  • 13. Para tirar dúvidas da Gripe Suína ligue para o número 0800-61-1997 do Disque Saúde do Ministério da Saúde. De acordo com o governo, os atendentes foram treinados para tirar dúvidas da população da Gripe Suína. Qual o telefone para tirar dúvidas da Gripe Suína?
  • 14. Mapa da gripe Suína no Mundo   Fonte: http://gamapserver.who.int/h1n1/atlas.html?select=ZZZ&filter=filter4,confirmed
  • 15.  
  • 16. SINTOMAS RESFRIADO COMUM Pandemia de gripe suína Febre Criança 39º Adultos pouco freqüente Pode elevar-se acima de 40º Dura de 3 a 4 dias Dor de cabeça Raras vezes Inicio brusco e de muita intensidade Dores musculares e nas articulações Leve a moderado Grande intensidade (geralmente) Cansaço e debilidade Pode durar de 2 a 3 semanas Decaimento Leve Inicio brusco e de grande intensidade Congestão nasal Freqüente intensa Tosse V ô mito e diarréia Raras vezes intensa
  • 17.