Calendário Econômico Pine: Momento de decisão, o retorno28 de Maio de 2013BRASILIGP –M – maioNós projetamos uma nova desac...
exportações de bens de capital) reverteu a sua trajetória de queda que caracterizou 2012.Aliás, esse resultado tem correla...
Decisão do COPOM – maioA reunião do Copom na quarta-feira não só definirá a taxa Selic que vigorará até meados dejulho, ma...
Horário País Indicador Data PINE Consenso AnteriorSegunda-feira, 27/05/201308:00 Brasil INCC-M mai/13 1,34% - 0,84%15:00 B...
DisclaimersEste relatório foi preparado pelo Banco Pine S.A. (“Banco PINE”), instituição financeira validamente existente ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Calendário Econômico Pine: Momento de decisão, o retorno

128 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
128
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Calendário Econômico Pine: Momento de decisão, o retorno

  1. 1. Calendário Econômico Pine: Momento de decisão, o retorno28 de Maio de 2013BRASILIGP –M – maioNós projetamos uma nova desaceleração no IGP-M de maio, de 0,15% para 0,06%, pouco acimadas suas prévias (0,03% do IGP-M1 e 0,01% no IGP-M2). Se estivermos corretos, a alta seráacompanhada de nova desaceleração na leitura anual, de 7,3% em abril para estimados 6,3%.Neste ponto, vale dizer que, segundo nossas estimativas, essa tendência de desaceleração naleitura anual deverá permanecer até o final do 3T13.O primeiro gráfico abaixo aponta para a redução da influência deflacionária das commoditiessobre os índices de preços até a última semana de maio, uma vez que a deflação de produtosagropecuários perdeu força. O indicador foi construído com o objetivo de identificar a parcelarelevante para a inflação doméstica proveniente da variação de preços das commoditiesnegociadas nos mercados internacionais.Já o segundo gráfico traz a contribuição semanal de cada subitem dos IPC-S semanais da FGVpara o índice cheio. Como vemos, a descompressão do item ‘Alimentação’ perdeu força naúltima leitura, limitando a tendência de melhora esperada para os próximos meses (em linha,inclusive, com as coletas diárias dos últimos dias). A queda nos preços de ‘Transportes’permanece como principal contribuição deflacionária.Deflação das commodities (esq.) e ancoragem dos IPC-S (dir.)Fontes: Diversas; elaboração: PINE Macro & Commodities Research e MCM ConsultoresPIB – 1T13De acordo com os dados do índice de atividade do banco central (IBC-Br), que apontam parauma variação trimestral (ajustada sazonalmente) de apenas 1,0% no tri passado, ocrescimento do PIB no 1T13 atingiria 0,8% contra o 4T12, quando a economia cresceutrimestralmente 0,6% em termos reais. Resultados como esses tendem a diminuir apressão sobre os ombros do banco central (BC) para acelerar a elevação da Selic (de 25para 50 pontos base) a fim de mitigar parcialmente as pressões inflacionárias de curtoprazo. No entanto, a projeção por meio da desagregação do produto agregado pode revelaruma história menos tragicômica para o governo por ser alinhada com alguns de seus anseios.Do lado da demanda (ou da despesa agregada), o melhor desempenho do PIB no 1T13 emrelação ao 4T12 concentrar-se-ia nos investimentos. O consumo trimestral aparente de bensde capital (que é o total da produção industrial doméstica mais importações menos as-5%-4%-3%-2%-1%0%1%2%jan/13fev/13mar/13abr/13mai/13Variação mensal (MM 20 dias)-0.05%0.00%0.05%0.10%0.15%0.20%0.25%4 1 2 3Alimentação HabitaçãoVestuário SaúdeEducação TransportesDesp. Diversas
  2. 2. exportações de bens de capital) reverteu a sua trajetória de queda que caracterizou 2012.Aliás, esse resultado tem correlação com a elevação anual e trimestral das importações debens de capital, o que tende a aumentar tanto a produtividade total doa fatores de produçãoquanto o crescimento dos investimentos devido à complementaridade entre a produçãonacional e as importações. Entretanto, no âmbito da demanda externa, em linha com osdados da FUNCEX, enquanto o incremento do consumo aparente de bens de capital explicaparcialmente a ampliação trimestral esperada da formação bruta de capital fixo, a alta dasimportações totais vis-à-vis as exportações subtrairia importantes pontos percentuais docrescimento do PIB real. De fato, enquanto a quantidade exportada apresentaria quedatrimestral dessazonalizada de 4,5% no 1T13 (4,6% no 4T12), as importações cresceram 5,5%(8,1% no 4T12), subtraindo 1,4% do crescimento trimestral do PIB do 1T13.Nós contamos com a continuidade de números relativamente robustos do consumo dasfamílias, o qual desaceleraria levemente de 1,2% no 4T12 pata 1,0% no trimestre passado.Ainda que o desaquecimento do crédito e a inadimplência ainda relativamente alta inibamnúmeros mais expressivos, a robustez do mercado de trabalho sustenta a principal forçamotriz (em termos de contribuição) da atividade doméstica.No âmbito setorial, apesar da recuperação no trimestre passado, a principal força quesubtrairia importantes pontos percentuais da variação tri contra tri do PIB é a ainda fracarecuperação da atividade industrial. A sua variação trimestral – que atingiu 0,4% no 4T12 eque foi afetada pela variação negativa da atividade de construção civil (-0,5%) e da indústriade transformação (também -0,5%) – contaria com variações positivas advindas do crescimentoreal desses dois setores e com uma performance mais comedida (em relação ao 4T12) dosegmento de Serviços Industriais de Utilidade Pública, perto de 1,0% (o seu crescimento foi de1,8% no trimestre retrasado).A produção da indústria de transformação, cujo peso no PIB é o mais representativo entre ossegmentos industriais, seria a força mais importante na recuperação do PIB industrial,conforme os dados disponíveis até março da PIM. Similarmente, o concomitante retorno aocampo positivo da produção de insumos típico da construção civil no 1T13 em relação ao 4T12contribuiria para o produto agregado tanto da construção civil quanto industrialrazoavelmente mais elevado em relação ao trimestre retrasado. Ainda no âmbito do PIBindustrial, mas no lado das eventuais notícias negativas, de acordo com os dados da PIM entrejaneiro e março, os quais mostraram uma queda trimestral de 7,3% do produto industrialextrativo mineral, a produção agregada extrativa mineral diminuiria entre 4,5% e 5,0% no1T13 contra o 4T12.Nós contamos também com a continuidade da retomada da produção agropecuária – a qual foimuito afetada por problemas enfrentados pela produção de soja no 2S12. Da mesma forma,esperamos desempenho positivo do PIB de serviços, a despeito do crescimento menosacelerado frente ao 4T12 dos itens mais sensíveis à demanda (como o comércio varejista). Defato, os dados de vendas mensais do comércio varejista entre janeiro e março mostraram umaqueda de 0,15% frente ao 4T12 (cuja expansão atingiu 0,8%), enquanto que as vendasvarejistas ampliadas (que incluem veículos, motos, partes e peças e material de construção)expandiram apenas 0,16%, em linha com o trimestre retrasado. A simulação de uma taxamenor de crescimento no segmento de comércio varejista e de transportes no cálculo do PIBdo 1T13, afetados pela expansão menos acelerada da massa real de salários, seriaparcialmente compensada pela continuidade da recuperação da produção de serviçosfinanceiros, de informação e das atividades imobiliárias e de aluguéis, menos elásticos comrelação à desaceleração do crescimento da massa real de salários. Noves-fora, o cálculo daperformance trimestral de todas essas variáveis leva-nos a projetar a variação de 0,8% do PIBdo setor de serviços como um todo.Se estivermos corretos, dada a nossa projeção de crescimento médio tri contra tri igual a0,7% por trimestre ao longo do resto do ano, a nossa expectativa para o PIB de 2013convergiria para 2,6%, inibindo ações mais contundentes do Copom quanto à aceleração daelevação da Selic em maio.
  3. 3. Decisão do COPOM – maioA reunião do Copom na quarta-feira não só definirá a taxa Selic que vigorará até meados dejulho, mas também poderá dar novas pistas sobre a sua provável trajetória até o final do ano.Nesse sentido, o lado mais fácil é prever uma Selic mais alta; mas, com relação ao seucaminho ao longo do ano, o mais difícil é adivinhar o jogo de palavras do comitê, abarcando ainclusão extraoficial de certas expressões (como a “devida tempestividade” das últimasaparições públicas de Tombini), bem como o placar da decisão do Copom.Há duas reuniões temos dito que, tecnicamente, o ciclo está atrasado e aquém do necessáriopara garantir a convergência da inflação para o centro da meta. O ponto central doargumento é o caráter permanente (ou melhor, duradouro) da pressão inflacionáriaproveniente do mercado de trabalho nos patamares atuais de pleno emprego da mão de obra.Nossos estudos sugerem um deslocamento da meta inflacionária de facto de 5,5% (metaimplícita para o IPCA que melhor explica a tomada de decisão do Copom após 2008) para 5,8%com a manutenção do estado de pleno emprego, estimada por nós em 6,0% de taxa dedesemprego.Contudo, de lá para cá, as surpresas relevantes vieram, em geral, a favor da manutenção dociclo a conta-gotas (25pb/reunião): os dados de atividade de março foram negativos (como asvendas varejistas) ou surpreenderam negativamente frente às expectativas (no caso daprodução industrial e do IBC-Br); os últimos dados de emprego (CAGED e a Pesquisa mensal doemprego) trouxeram novos sinais de acomodação e, finalmente, enquanto os IPCAs de abrilvieram mais fortes, a difusão da alta permaneceu em queda e o IPCA-15 de maio surpreendeupositivamente (em termos de menor inflação). Mesmo o caráter anticíclico e, portanto,expansionista da política fiscal atual não é novidade.Sendo assim, e seguindo a lógica deste BC, que distintas vezes mostrou-se pouco propenso auma postura mais austera, mantemos nossa estimativa de nova elevação de 25 pontos-basenesta reunião, o que levaria a Selic para 7,75% ao ano. Novamente, nós não pretendemos cairna seara das interpretações de textos de um BC que já deu sinais de alteração de políticamonetária em algumas ocasiões e não as adotou mesmo que mais tardiamente. Se estivermoscorretos, mantemos a projeção de um ciclo de aperto total de 150 pontos-base até o final doano.Marco Antonio MacielEconomista-chefeBanco PineMarco Antonio CarusoEconomistaBanco Pine
  4. 4. Horário País Indicador Data PINE Consenso AnteriorSegunda-feira, 27/05/201308:00 Brasil INCC-M mai/13 1,34% - 0,84%15:00 Brasil Balança Comercial Semanal (USD mi) 26/mai - - -47- EUA Dia Memorial: Mercados Fechados - - - -Terça-feira, 28/05/201308:00 Brasil Sondagem da Indústria mai/13 - - -08:00 Brasil Sondagem do Comércio mai/13 - - -Preços ao Produtor: Indústria de Transformação (MoM) - - 0,03%Preços ao Produtor: Indústria de Transformação (MoM) - - 6,64%11:00 Brasil Indicadores Industriais - INA e NUCI abr/13 - - -06:00 Itália Leilão de Títulos (Bonds) - - - -10:00 EUA Case-Shiller: Preços Residenciais (MoM) mar/13 - 1,00% 1,24%11:00 EUA Sondagem Industrial - Richmond mai/13 - -5 -611:00 EUA Confiança do Consumidor mai/13 - 71,0 68,111:30 EUA Sondagem Industrial/Dallas mai/13 - -10,0 -15,6Quarta-feira, 29/05/201308:00 Brasil Sondagem Serviços mai/13 - - -IGP-M (MoM) 0,06% 0,01% 0,15%IGP-M (YoY) 6,3% 6,24% 7,30%PIB ( QoQ) 0,85% 0,9% 0,6%PIB ( YoY) 2,3% 2,3% 1,4%12:30 Brasil Fluxo Cambial Semanal (USD mi) 24/mai - - 6.501- Brasil Reunião do Copom - Taxa Selic 29/mai 7,75% 7,75% 7,50%- Brasil Resultado do Governo Central (BRL bi) abr/13 10,5 11,2 0,304:55 Alemanha Taxa de Desemprego mai/13 - 6,9% 6,9%06:00 Z. do Euro Economic Outlook mai/13 - - -09:00 Alemanha Preços ao Consumidor (Preliminar - MoM) mai/13 - 0,2% -0,5%14:00 EUA Discurso de Eric Rosengren (Fed Boston) - - - -- EUA Discurso: Paul Volcker - - - -Quinta-feira, 30/05/2013- Brasil Corpus Christi: Mercados Fechados - - - -06:00 Itália Leilão de Títulos (Bonds) - - - -06:00 Z. do Euro Confiança na Economia mai/13 - 89,4 88,606:00 Z. do Euro Confiança na Indústria mai/13 - -13,0 -13,806:00 Z. do Euro Confiança do Consumidor (Preliminar) mai/13 - -21,9 -21,906:00 Z. do Euro Confiança no Setor de Serviços mai/13 - -10,6 -11,109:30 EUA PIB (Revisão) I/13 2,6% 2,5% 2,5%09:30 EUA Jobless Claims 24/mai - 340.000 340.00009:30 EUA Deflator PCE Core (QoQ) I/13 - 1,2% 1,2%11:00 EUA Vendas Pendentes de Moradias (MoM) abr/13 - 1,5% 1,5%20:15 Japão Sondagem Industrial PMI mai/13 - - 51,120:30 Japão Taxa de Desemprego abr/13 - - 4,1%20:50 Japão Produção Industrial (Preliminar - MoM) abr/13 - 0,6% 0,9%Sexta-feira, 31/05/201310:30 Brasil Nota à Imprensa: Política Fiscal (BRL bi) abr/13 13,0 13,9 3,503:00 Alemanha Vendas do Varejo (MoM) abr/13 - 0,2% -0,3%06:00 Z. do Euro Preços ao Consumidor (Preliminar - YoY) mai/13 - 1,4% 1,2%06:00 Z. do Euro Taxa de Desemprego abr/13 - 12,2% 12,1%09:30 EUA Renda pessoal abr/13 - 0,1% 0,2%09:30 EUA Gasto pessoal abr/13 - 0,1% 0,2%Deflator do PCE (núcleo - MoM) - 0,1% 0,0%Deflator do PCE (núcleo - YoY) - 1,0% 1,1%10:45 EUA Chicago PMI mai/13 - 50,0 49,010:55 EUA Confiança do Consumidor (Preliminar) mai/13 - 83,7 83,722:00 China Sondagem Industrial PMI mai/13 - 49,9 50,6Domingo, 02/06/201322:00 China Sondagem Serviços PMI mai/13 - - 54,522:30 EUA Discurso de Janet Yellen (FOMC Board of Governors) - - - -22:45 China Sondagem Industrial PMI mai/13 - 49,6 50,409:00 Brasil abr/1308:00 Brasil mai/13I/1309:00 Brasilabr/1309:30 EUA
  5. 5. DisclaimersEste relatório foi preparado pelo Banco Pine S.A. (“Banco PINE”), instituição financeira validamente existente de acordo com as leisda República Federativa do Brasil. PINE Securities USA LLC (“PINE US”), broker-dealer registrada na U.S. Securities and ExchangeCommission e membro da Financial Industry Regulatory Authority and the Securities Investor Protection Corporation, estádistribuindo este relatório nos Estados Unidos da América. A PINE US é uma afiliada do Banco PINE. A PINE US assume totalresponsabilidade por este relatório sob a lei dos Estados Unidos da América. Qualquer norte-americano que receber este relatório edesejar efetuar qualquer transação com valores mobiliários abordado neste relatório deve fazê-lo com PINE no +1-646-398-6900, 645Madison Avenue, New York, NY 10022. Qualquer referência ao PINE inclui, também, Banco PINE e PINE US, conforme aplicável.Este relatório é para distribuição apenas nas circunstâncias permitidas pela lei aplicável. Este relatório não é dirigido a você se o PINEfor proibido ou restringido por qualquer legislação ou regulamentação em qualquer jurisdição. Você deve se certificar antes da leituraque o PINE é permitido para fornecer este material sobre investimentos pra você no âmbito da legislação e regulamentos aplicáveis.Nada neste relatório constitui indicação de que a estratégia de investimento ou recomendações aqui citadas são adequadas ao perfildo destinatário ou apropriadas as circunstâncias individuais do destinatário e tampouco constituem uma recomendação pessoal. Esterelatório possui caráter informativo, não constitui material promocional e não foi produzido como uma solicitação de compra ouvenda de qualquer ativo ou instrumentos financeiros relacionados em qualquer jurisdição. Os dados que aparecem nos gráficosreferem-se ao passado, a rentabilidade obtida no passado, não representando garantia de rentabilidade futura. Os preços e demaisinformações contidas neste relatório são críveis e dignos de confiança na data de publicação do mesmo e foram obtidas de uma, oumais, das fontes a seguir descritas: (i) fontes expressas ao lado da informação; (ii) preço de cotação no principal mercado regulado dovalor mobiliário em questão; (iii) fontes públicas confiáveis; ou (iv) base de dados do PINE. Todas as informações aqui contidas foramobtidas de fontes públicas, as quais acreditamos serem confiáveis e de boa fé a partir da data em que este relatório foi emitido.Nenhuma garantia ou declaração, tanto expressa quanto implícita, é provida em relação à exatidão, abrangência ou confiabilidadedas informações aqui contidas, com exceção das informações referentes ao PINE, suas subsidiárias e afiliadas. Também não tem ointuito de ser uma declaração completa ou um resumo sobre os ativos, mercados ou estratégias abordadas no documento. Em todos oscasos, investidores devem conduzir suas próprias investigações e análises antes de proceder ou deixar de proceder qualquer açãorelacionada aos valores mobiliários analisados neste relatório.O PINE não praticou atividades de formador de mercado de valores mobiliários da companhia objeto, no momento em que esterelatório foi publicado. Ademais, o PINE não se responsabiliza assim como não garante que os investidores irão obter lucros. PINEtampouco irá dividir qualquer ganho de investimentos com os investidores assim como não irá aceitar qualquer passivo causado porperdas. Investimentos envolvem riscos e os investidores devem ter prudência ao tomar suas decisões de investimento. O PINE não temobrigações fiduciárias com os destinatários deste relatório e, ao divulgá-lo, não apresenta capacidade fiduciária. O presente relatórionão deve ser considerado pelos destinatários como um substituto para o exercício do seu próprio julgamento. Opiniões, estimativas eprojeções expressas aqui constituem o julgamento atual do analista responsável pelo conteúdo deste relatório na data na qual foipreparada e por isso, está sujeito a mudanças sem aviso e pode diferir ou ser contrário a opiniões expressas por outras áreas denegócios ou grupos do PINE e suas afiliadas ou subsidiárias como resultado do uso de diferentes hipóteses e critérios. Preços edisponibilidade de instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a mudanças sem aviso.A análise contida aqui é baseada em diversas hipóteses. Diferentes hipóteses podem ter resultados substancialmente diferentes. Osanalistas responsáveis pela preparação deste relatório podem interagir com a mesa de operações, mesa de vendas e outrosdepartamentos, com o intuito de reunir, sintetizar e interpretar informações de mercado. O PINE não está sob a obrigação deatualizar ou manter atualizada a informação contida neste relatório. O PINE confia no uso de barreira de informação para controlar ofluxo de informação contida em uma ou mais áreas dentro do PINE, em outras áreas, unidades, grupos e filiadas do PINE. Aremuneração do analista responsável pelo relatório é determinada pela direção do departamento de pesquisa e pelos diretoresseniores do PINE. A remuneração do analista não é baseada mas pode ser relacionada às receitas do PINE como um todo, incluindoárea de investimentos, vendas e operações.Os ativos de dívida mencionados neste relatório podem não estar disponíveis para venda em todas as jurisdições ou para certascategorias de investidores. Opções, derivativos e futuros não são adequados a todos os investidores e a negociação desses tipos deinstrumentos é considerada arriscada. Hipotecas e ativos lastreados em títulos de crédito podem envolver alto grau de risco e podemser altamente voláteis em resposta às taxas de juros ou outras variáveis de mercado. Performance passada não é indicação deresultado futuro. Se um instrumento financeiro é cotado em uma moeda que não a do investidor, mudanças nas taxas de câmbiopodem afetar de forma adversa o valor, o preço ou o retorno proveniente de qualquer ativo mencionado nesse documento e o leitordeve considerar o risco relacionado ao descasamento de moedas.Este relatório não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades especiais de nenhuminvestidor em particular. Investidores devem buscar orientação financeira baseada em suas particularidades antes de tomar qualquerdecisão de investimento baseadas nas informações aqui contidas. Para recomendações de investimento, execução de ordens denegociação ou outras funções correlacionadas, os clientes devem contatar seus representantes de vendas locais. O PINE, suas empresaafiliadas, subsidiárias, seus funcionários, diretores e agentes não se responsabilizam e não aceitam nenhum passivo oriundo de perdaou prejuízo eventualmente provocado pelo uso de parte ou da integralidade do presente relatório.Qualquer preço apresentado neste relatório possui caráter informativo e não representa avaliação individual do valor de mercado doativo ou outro instrumento. Não há garantias de que qualquer transação pode ou pôde ter sido efetuada nos preços apresentadosneste relatório. Os preços eventualmente apresentados não necessariamente representam os preços contábeis internos ou os preçosteóricos provenientes de avaliação por modelos do PINE e podem estar baseados em premissas específicas. Premissas específicasassumidas pelo PINE ou por terceiros podem ter resultados substancialmente diferentes.Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído por qualquer outra pessoa, parcialmente ou em sua totalidade, sem o prévioconsentimento por escrito do PINE.Informações adicionais acerca dos instrumentos financeiros mencionados nesta apresentação estão disponíveis sob consulta.O PINE e suas afiliadas têm acordos para gerenciar conflitos de interesses que possam surgir entre eles e seus respectivos clientes eentre seus clientes diversos. O PINE e suas afiliadas estão envolvidas em uma gama completa de serviços financeiros e relacionados,incluindo bancário e a prestação de serviços de investimento. Assim, o PINE ou suas afiliadas podem ter um interesse material ou umconflito de interesse em qualquer dos serviços prestados aos clientes pelo PINE ou suas afiliadas. As áreas de negócio dentro do PINE eentre suas afiliadas operam independentemente uma das outras e restringem o acesso a determinado indivíduo responsável pelotratamento dos assuntos do cliente a determinadas áreas da informação, onde este é necessário para gerenciar conflitos de interessesou interesses materiais.Certificação de AnalistasOs analistas responsáveis pela elaboração deste relatório de análise são certificados e as opiniões aqui expressadas refletemexclusivamente suas opiniões pessoais, sendo que as opiniões sobre qualquer dos emissores ou valores mobiliários analisados nesterelatório foram preparadas de forma autônoma e independente.

×