SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa atividade? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
ATIVIDADE 3 - BROMATOLOGIA - 54/2023
A fermentação é uma das técnicas de conservação de alimentos mais antigas existentes no
mundo. Entre as técnicas de fermentação mais empregadas a fermentação alcoólica é, de
longe, a mais importante, seja no emprego em grandes indústrias sucroalcooeiras, bem
como na indústria de bebidas (vinho, cerveja, destilados, entre outros).
A produção de bebidas alcoólicas é cultural e data de milhares de anos. Cada tipo de
bebida foi sendo desenvolvido de acordo com a cultura e agricultura locais: produção de
vinho, produção de cerveja, produção de uísque, hidromel, pisco, grappa, entre outros. É
sabido que, para cada um dos tipos de bebidas uma determinada matéria-prima é
empregada: uva para vinho, malte para cerveja e uísque, milho (ou outros cereais) para
Tennesse e Bourbon, agave para tequila, etc
HENDGES, A. P. P. K. Bromatologia. Maringá - PR: Unicesumar, 2022, p. 224.
Com base no exposto, e considerando os aprendizados sobre carboidratos (unidade 4 do
livro) e fermentações (unidade 8 do livro). DESCREVA, de forma breve e objetiva, quais os
principais carboidratos utilizados na produção de vinho e cerveja, e como esses
carboidratos podem ser obtidos
Com base no exposto, e considerando os aprendizados sobre carboidratos (unidade 4 do livro) e fermentações (unidade 8 do livro). DESCREVA, de forma breve e objetiva, quais os principais carboidratos utilizados na produção

Mais conteúdo relacionado

Mais de azulassessoriaacadem3

ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...azulassessoriaacadem3
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...azulassessoriaacadem3
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...azulassessoriaacadem3
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.azulassessoriaacadem3
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.azulassessoriaacadem3
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?azulassessoriaacadem3
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 

Mais de azulassessoriaacadem3 (20)

ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxalessandraoliveira324
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
Combinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptxCombinatória.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 

Com base no exposto, e considerando os aprendizados sobre carboidratos (unidade 4 do livro) e fermentações (unidade 8 do livro). DESCREVA, de forma breve e objetiva, quais os principais carboidratos utilizados na produção

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa atividade? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 ATIVIDADE 3 - BROMATOLOGIA - 54/2023 A fermentação é uma das técnicas de conservação de alimentos mais antigas existentes no mundo. Entre as técnicas de fermentação mais empregadas a fermentação alcoólica é, de longe, a mais importante, seja no emprego em grandes indústrias sucroalcooeiras, bem como na indústria de bebidas (vinho, cerveja, destilados, entre outros). A produção de bebidas alcoólicas é cultural e data de milhares de anos. Cada tipo de bebida foi sendo desenvolvido de acordo com a cultura e agricultura locais: produção de vinho, produção de cerveja, produção de uísque, hidromel, pisco, grappa, entre outros. É sabido que, para cada um dos tipos de bebidas uma determinada matéria-prima é empregada: uva para vinho, malte para cerveja e uísque, milho (ou outros cereais) para Tennesse e Bourbon, agave para tequila, etc HENDGES, A. P. P. K. Bromatologia. Maringá - PR: Unicesumar, 2022, p. 224. Com base no exposto, e considerando os aprendizados sobre carboidratos (unidade 4 do livro) e fermentações (unidade 8 do livro). DESCREVA, de forma breve e objetiva, quais os principais carboidratos utilizados na produção de vinho e cerveja, e como esses carboidratos podem ser obtidos