SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa atividade? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
ATIVIDADE 3 - CIÊNCIAS DO AMBIENTE - 54/2023
No artigo de revisão sobre as perspectivas da rota de resíduos sólidos urbanos para
energia: características, estratégia de gestão e papel na economia circular, Hoang et al.
(2022) trazem informações acerca de forma de destinação final de resíduos sólidos e
rejeitos não passíveis de reciclagem, em específico forma de tratamento com o objetivo de
geração de energia. Vejamos alguns pontos apresentados neste estudo, os quais poderão
lhe subsidiar juntamente com o material didático da disciplina na realização desta atividade.
Segundo os autores, os resíduos sólidos urbanos (RSU) (ou resíduos sólidos municipais)
em todo o mundo vêm aumentando ao longo dos anos, resultando em pressões exercidas
sobre os setores de energia, gestão de resíduos e sustentabilidade industrial em escala
global. A geração anual de RSU a partir de 2017-2018 por países, vem mostrando os fluxos
de geração mais significativos, sendo os cinco principais países geradores de RSU são os
Estados Unidos (258 Megatonetadas – Mt, o equivalente a um milhão de toneladas), China
(220 Mt), Índia (168 Mt), Brasil (80 Mt) e Rússia (60 Mt). O aumento constante de RSU, em
volume e complexidade, ampliou os desafios da gestão de resíduos para as sociedades
atuais e futuras. Assim, a valorização dos RSU em energia ou outros produtos úteis tem um
potencial de sinergia estratégica para minimizar a poluição, o uso de energia fóssil e o
esgotamento dos recursos naturais.
Logo, os avanços tecnológicos permitem a conversão de RSU não reciclável em várias
formas de energia como eletricidade, calor, biocombustível e biogás. A compostagem e a
disposição em aterro são tecnologias convencionais de tratamento de resíduos, enquanto a
digestão anaeróbia, incineração, pirólise e processamento hidrotérmico oferecem maior
potencial de valorização de RSU em produtos químicos e combustíveis de valor agregado,
consideradas tecnologias W2E, sigla do inglês waste-to-energy, ou resíduo para energia.
Por esse motivo, o W2E apresenta um potencial real para resolver simultaneamente
problemas de resíduos e energia em escala global. Isso pode ser explicado porque a
transformação e conversão de resíduos em energia útil poderiam não só reduzir os
poluentes lançados no meio ambiente, mas também diversificar as fontes de energia
fornecidas, dependendo das características tecnológicas de cada nação, região e localidade
(Figura 1).
Figura 1 - Resíduos sólidos urbanos: seus efeitos na saúde humana e no meio ambiente,
composição e tecnologias para produção de energia
Legenda: MSWC: Municipal Solid Waste Components, em português Componentes de
Resíduos Sólidos Municipais.
Fonte: HOANG, A. T. et al. Perspective review on Municipal Solid Waste-to-energy route:
Characteristics, management strategy, and role in circular economy. Journal of Cleaner
Production, v. 359, 2022. <https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2022.131897>
Para garantir a utilização efetiva de RSU, tecnologias de processamento de longo prazo
devem ser aplicadas em implementações de economia circular bem direcionadas. Como tal,
as atuais estratégias de gestão de RSU que se concentram no tratamento de fim de tubo
devem ser reconsideradas. De forma que, a hierarquia de na gestão e no gerenciamento de
resíduos, deve ser seguida, minimizando a necessidade de tratamento e disposição final, e
maximizando a viabilidade econômica de tecnologias sustentáveis para recuperação de
energia e materiais. Neste contexto, a gestão de RSU deve ter uma perspectiva mais
alargada, colocando as tecnologias W2E como uma componente vital da estratégia global
de gestão, como forma de valorização energética apenas após as fases de reutilização e
reciclagem. Tal evolução do paradigma W2E permitiria que as autoridades e indústrias
relacionadas adotassem o W2E que é mais socialmente aceitável e economicamente viável.
Fonte: HOANG, A. T. et al. Perspective review on Municipal Solid Waste-to-energy route:
Characteristics, management strategy, and role in circular economy. Journal of Cleaner
Production, v. 359, 2022.
Considerando as informações apresentadas e o conteúdo estudado na disciplina, elabore
um texto dissertativo considerando os itens a seguir:
a) Apresente pelo menos três benefícios associados à valorização dos RSU em energia ou
em outros produtos.
b) Cite possíveis formas de conversão de RSU não reciclável em energia (eletricidade,
calor, biocombustível e biogás), assim como a aplicação desta energia, como no caso dos
resíduos orgânicos e rejeitos, que na maioria dos municípios brasileiros nenhum tratamento
é aplicado a estes resíduos sólidos.
c) Apresente a forma de disposição final ambientalmente adequada e inadequada de RSU,
e cite pelo menos três dos impactos ambientais causados pela disposição inadequada de
rejeitos.
Instruções para realização da atividade
- É obrigatória a utilização do arquivo "Modelo de Resposta AE3 - Ciências do Ambiente"
para responder à atividade, que está disponível no Material da Disciplina no ambiente da
disciplina no Studeo.
- Para suporte no desenvolvimento da atividade, você pode consultar o artigo citado na
contextualização, que está disponível no Material da Disciplina no ambiente da disciplina no
Studeo, assim como acessar o vídeo explicativo da atividade.
- Esta é uma atividade individual. Trabalhos com plágio, copiados da internet ou de
outros(as) alunos(as) serão zerados.
- O trabalho pode ter quantas páginas você precisar para respondê-lo, desde que siga a sua
estrutura. A formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times
New Roman tamanho 12, espaçamento entre linhas 1,5 e texto justificado.
- Após inteiramente respondido, você entregará apenas UM ARQUIVO com suas respostas,
o trabalho deve ser enviado para correção pelo seu Studeo em formato de arquivo doc/docx
ou PDF, na forma de anexo no campo de resposta da atividade MAPA. Caso você utilize
OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em PDF para evitar incompatibilidade.
- Coloque um nome simples no seu arquivo para não haver confusão no momento do envio.
- Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa como o livro da disciplina, artigos, materiais
extras disponibilizados pela mediação, sites da internet e outros, apresente as referências
no final do trabalho conforme as normas da ABNT (NBR 6023:2018).
- Ao final do enunciado desta atividade, aqui, no Studeo, há uma caixa de envio de arquivo.
Basta clicar e selecionar sua atividade ou arrastar o arquivo até a caixa de envio de arquivo.
- Antes de clicar em FINALIZAR, certifique-se de que está tudo certo, pois uma vez
finalizado, você não poderá mais modificar o arquivo. Sugerimos que você clique no link
gerado da sua atividade e faça o download para conferir.
- A qualidade do trabalho será considerada na hora da avaliação, então preencha tudo com
cuidado. Alguns dos critérios de avaliação são a utilização do template; atendimento ao
tema; constituição dos argumentos e organização das ideias; correção gramatical e
atendimento às normas ABNT.
Bom trabalho!

Mais conteúdo relacionado

Mais de azulassessoriaacadem3

Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...azulassessoriaacadem3
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...azulassessoriaacadem3
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.azulassessoriaacadem3
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.azulassessoriaacadem3
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?azulassessoriaacadem3
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 

Mais de azulassessoriaacadem3 (20)

Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
 
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
2. Avalie a postura do pastor Epafrodito na condução do conflito, apresente p...
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
 
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
1. Classifique a natureza do conflito entre Loide e Sintique.
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
 
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
5. Em caso de sentença condenatória do Estado agressor, quais as penas?
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 

Último

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasCasa Ciências
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de PartículasRecurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
Recurso Casa das Ciências: Sistemas de Partículas
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

b) Cite possíveis formas de conversão de RSU não reciclável em energia (eletricidade, calor, biocombustível e biogás), assim como a aplicação desta energia, como no caso dos resíduos orgânicos e rejeitos, que na maioria dos

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa atividade? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 ATIVIDADE 3 - CIÊNCIAS DO AMBIENTE - 54/2023 No artigo de revisão sobre as perspectivas da rota de resíduos sólidos urbanos para energia: características, estratégia de gestão e papel na economia circular, Hoang et al. (2022) trazem informações acerca de forma de destinação final de resíduos sólidos e rejeitos não passíveis de reciclagem, em específico forma de tratamento com o objetivo de geração de energia. Vejamos alguns pontos apresentados neste estudo, os quais poderão lhe subsidiar juntamente com o material didático da disciplina na realização desta atividade. Segundo os autores, os resíduos sólidos urbanos (RSU) (ou resíduos sólidos municipais) em todo o mundo vêm aumentando ao longo dos anos, resultando em pressões exercidas sobre os setores de energia, gestão de resíduos e sustentabilidade industrial em escala global. A geração anual de RSU a partir de 2017-2018 por países, vem mostrando os fluxos de geração mais significativos, sendo os cinco principais países geradores de RSU são os Estados Unidos (258 Megatonetadas – Mt, o equivalente a um milhão de toneladas), China (220 Mt), Índia (168 Mt), Brasil (80 Mt) e Rússia (60 Mt). O aumento constante de RSU, em volume e complexidade, ampliou os desafios da gestão de resíduos para as sociedades atuais e futuras. Assim, a valorização dos RSU em energia ou outros produtos úteis tem um potencial de sinergia estratégica para minimizar a poluição, o uso de energia fóssil e o esgotamento dos recursos naturais.
  • 2. Logo, os avanços tecnológicos permitem a conversão de RSU não reciclável em várias formas de energia como eletricidade, calor, biocombustível e biogás. A compostagem e a disposição em aterro são tecnologias convencionais de tratamento de resíduos, enquanto a digestão anaeróbia, incineração, pirólise e processamento hidrotérmico oferecem maior potencial de valorização de RSU em produtos químicos e combustíveis de valor agregado, consideradas tecnologias W2E, sigla do inglês waste-to-energy, ou resíduo para energia. Por esse motivo, o W2E apresenta um potencial real para resolver simultaneamente problemas de resíduos e energia em escala global. Isso pode ser explicado porque a transformação e conversão de resíduos em energia útil poderiam não só reduzir os poluentes lançados no meio ambiente, mas também diversificar as fontes de energia fornecidas, dependendo das características tecnológicas de cada nação, região e localidade (Figura 1). Figura 1 - Resíduos sólidos urbanos: seus efeitos na saúde humana e no meio ambiente, composição e tecnologias para produção de energia Legenda: MSWC: Municipal Solid Waste Components, em português Componentes de Resíduos Sólidos Municipais.
  • 3. Fonte: HOANG, A. T. et al. Perspective review on Municipal Solid Waste-to-energy route: Characteristics, management strategy, and role in circular economy. Journal of Cleaner Production, v. 359, 2022. <https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2022.131897> Para garantir a utilização efetiva de RSU, tecnologias de processamento de longo prazo devem ser aplicadas em implementações de economia circular bem direcionadas. Como tal, as atuais estratégias de gestão de RSU que se concentram no tratamento de fim de tubo devem ser reconsideradas. De forma que, a hierarquia de na gestão e no gerenciamento de resíduos, deve ser seguida, minimizando a necessidade de tratamento e disposição final, e maximizando a viabilidade econômica de tecnologias sustentáveis para recuperação de energia e materiais. Neste contexto, a gestão de RSU deve ter uma perspectiva mais alargada, colocando as tecnologias W2E como uma componente vital da estratégia global de gestão, como forma de valorização energética apenas após as fases de reutilização e reciclagem. Tal evolução do paradigma W2E permitiria que as autoridades e indústrias relacionadas adotassem o W2E que é mais socialmente aceitável e economicamente viável. Fonte: HOANG, A. T. et al. Perspective review on Municipal Solid Waste-to-energy route: Characteristics, management strategy, and role in circular economy. Journal of Cleaner Production, v. 359, 2022. Considerando as informações apresentadas e o conteúdo estudado na disciplina, elabore um texto dissertativo considerando os itens a seguir: a) Apresente pelo menos três benefícios associados à valorização dos RSU em energia ou em outros produtos. b) Cite possíveis formas de conversão de RSU não reciclável em energia (eletricidade, calor, biocombustível e biogás), assim como a aplicação desta energia, como no caso dos resíduos orgânicos e rejeitos, que na maioria dos municípios brasileiros nenhum tratamento é aplicado a estes resíduos sólidos. c) Apresente a forma de disposição final ambientalmente adequada e inadequada de RSU, e cite pelo menos três dos impactos ambientais causados pela disposição inadequada de rejeitos. Instruções para realização da atividade - É obrigatória a utilização do arquivo "Modelo de Resposta AE3 - Ciências do Ambiente" para responder à atividade, que está disponível no Material da Disciplina no ambiente da disciplina no Studeo. - Para suporte no desenvolvimento da atividade, você pode consultar o artigo citado na contextualização, que está disponível no Material da Disciplina no ambiente da disciplina no Studeo, assim como acessar o vídeo explicativo da atividade. - Esta é uma atividade individual. Trabalhos com plágio, copiados da internet ou de outros(as) alunos(as) serão zerados. - O trabalho pode ter quantas páginas você precisar para respondê-lo, desde que siga a sua estrutura. A formatação exigida para esta atividade: documento Word, Fonte Arial ou Times New Roman tamanho 12, espaçamento entre linhas 1,5 e texto justificado. - Após inteiramente respondido, você entregará apenas UM ARQUIVO com suas respostas, o trabalho deve ser enviado para correção pelo seu Studeo em formato de arquivo doc/docx ou PDF, na forma de anexo no campo de resposta da atividade MAPA. Caso você utilize OPEN OFFICE ou MAC, transforme o arquivo em PDF para evitar incompatibilidade. - Coloque um nome simples no seu arquivo para não haver confusão no momento do envio. - Ao utilizar quaisquer materiais de pesquisa como o livro da disciplina, artigos, materiais extras disponibilizados pela mediação, sites da internet e outros, apresente as referências no final do trabalho conforme as normas da ABNT (NBR 6023:2018).
  • 4. - Ao final do enunciado desta atividade, aqui, no Studeo, há uma caixa de envio de arquivo. Basta clicar e selecionar sua atividade ou arrastar o arquivo até a caixa de envio de arquivo. - Antes de clicar em FINALIZAR, certifique-se de que está tudo certo, pois uma vez finalizado, você não poderá mais modificar o arquivo. Sugerimos que você clique no link gerado da sua atividade e faça o download para conferir. - A qualidade do trabalho será considerada na hora da avaliação, então preencha tudo com cuidado. Alguns dos critérios de avaliação são a utilização do template; atendimento ao tema; constituição dos argumentos e organização das ideias; correção gramatical e atendimento às normas ABNT. Bom trabalho!