2016_Inteligência de Dados

39 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2016_Inteligência de Dados

  1. 1. Estratégias  digitais  pressupõem   uma  quantidade  cada  vez  maior  de   dados,  sejam  questões  específicas   de  campanha  ou  relacionadas  ao   contexto  da  rede. As  fontes  – mídia,  canais,   monitoramento,  imprensa,  SAC,   tráfego  e  performance  – são  as   mais  diversas  e  não  conversam,   necessariamente,  entre  si.
  2. 2. OWNED MEDIA GENERAL EMAIL  MKT YOUTUBE FACEBOOK SITE BLOG PAID MEDIA TARGET EVENTOS PATROCÍNIO PUBLICIDADE CELEBRIDADES REDES   SOCIAIS GOOGLE EARNED MEDIA SUPER  FANS IMPRENSA INFLUENCIADORES SHARING INTELIGÊNCIA  DE  DADOS INSIGHTS IDENTIFICAÇÃO  DE   TENDÊNCIAS PREVISÃO  DE   CENÁRIOS AS  DIVERSAS  MÍDIAS  ESTÃO  INTERCONECTADAS TWITTER INSTAGRAM APLICATIVO BUZZ LINKEDIN
  3. 3. Análise  dos  canais  proprietários  da  marca  em  ambientes  digitais,  como  redes  sociais  e  sites,   avaliando  a  performance  do  conteúdo   e  o  comportamento  do  consumidor  online. • Inteligência  de  conteúdo • Análise  competitiva • Experiência  do  usuário OWNED MEDIA   PAID MEDIA   EARNED MEDIA  
  4. 4. Acompanhar,  analisar  e  mensurar  as  ações  realizadas  no  ambiente  online   é  importante  para  obter  melhores   resultados.  Observando   indicadores  como  aquisição  de  tráfego,  fluxo   de  navegação  e  conversões,  é  possível   atestar  o  resultado,  verificar  se  os  objetivos   iniciais  foram  atingidos  e,  principalmente,  otimizar  a  experiência   do  usuário  para  alcançar  os  KPIs  definidos. Essa  análise  é  realizada  através  das  ações  listadas  a  seguir: Estratégia de  SEO on  page  e  off   page  para  otimizar o   rankeamento do  site  nos resultados de  busca orgânica; Mensuração dos  resultados da   busca interna como forma  de   hierarquizar os conteúdos mais importantes para  o  usuário; Testes  A/B  para  identificar quais criativos,   calls-­‐to-­‐action   e  fluxos de  navegação geram mais conversões; Mapeamento e  tagueamento de  eventos para  identificação mais efetiva das  etapas de   conversão; Avaliação do  comportamento de  navegação do  usuário e  de   seu engajamento com  cada área do  site; Análise de  mapa de  calor para   identificação das  áreas mais clicadas,  contribuindo para   otimização da  arquitetura do   site; Identificação dos  padrões de   comportamento do  usuário de   acordo com  cada fonte de   tráfego (redes sociais em comparação com  orgânico,  por exemplo).
  5. 5. SEO  (Search  Engine  Optimization)  é  a  utilização  de   técnicas  para  otimizar  a  posição  do  site  nos  resultados   orgânicos  dos  mecanismos  de  busca  (Google,  Yahoo!,   Bing)  nas  pesquisas  por  palavras  chave  relacionadas   ao  negócio. A  implementação  de  uma  estratégia  de  SEO  desde  o   desenvolvimento   do  site  possibilita  conquistar: AUMENTO  DO  TRÁFEGO  ESPONTÂNEO e  menor  investimento  em  links  patrocinados AWARENESS Torna  a  marca  ainda  mais  relevante  no  cenário  digital CONFIABILIDADE Alta  posição  na  busca  aumenta  a  reputação  do  site
  6. 6. PILARES  DO  PLANEJAMENTO  SEO ESCOLHA  DAS   PALAVRAS -­‐CHAVE OTIMIZAÇÃO  DE   CONTEÚDO OTIMIZAÇÃO   TÉCNICA USABILIDADE Estudo  dos  termos  de  pesquisa   relacionados  ao  negócio  mais   utilizados  nos  buscadores. Criação  de  conteúdo  utilizando   as  palavras  chave  escolhidas   para  impulsionar  a  indexação  do   site  nos  mecanismos  de  busca. Estruturação  de  URLs,   categorias,  títulos  de  páginas,   links  internos  e  externos  e   implementação   de  meta   tags   em  toda  a  arquitetura  do  site,   incluindo  imagens. Organização  do  conteúdo  e   utilização  de  recursos  para   facilitar  a  experiência   de   navegação  do  usuário,  como   breadcrumbs  e  mapa  do  site.
  7. 7. Com  o  objetivo   de  avaliar  a  evolução  dos  objetivos   da   marca  nas  plataformas  sociais  proprietárias  e   compará-­‐los  com  as  principais  concorrentes  e  players   do  mercado,  são  produzidas   análises com  dados   obtidos   a  partir  de  ferramentas  como  o  Facebook   Insights,  módulo  de  análise  próprio   do  Facebook,  e   Quintly,  que  permite  analisar  e  comparar  perfis  de   várias  redes. RELATÓRIOS  PERIÓDICOS  COM: • Evolução  de  fãs  e  seguidores; • Impressões  dos  posts  e  usuários  impactados; • Total  de  interações  das  publicações; • Média  de  engajamento  (relação  entre  usuários   impactados  e  usuários  que  interagiram); • Análise  qualitativa  da  linha  editorial  dos  posts   com  o  conteúdo  do  período classificados  por   engajamento; • Contextualização  com  os  resultados  da   estratégia  de  mídia,  quando  aplicada; • Conclusões,  aprendizados,  recomendações.
  8. 8. Mais  do  que  responder  dúvidas  e  conversar  com  os  fãs   e  seguidores,  o  Community  Manager  e  o  Analista  de   SAC  2.0  têm  um  papel  importante  na  conexão   entre   marcas  e  clientes  através  de  interações  com  o  mesmo   tom  de  voz  da  comunicação   digital  da  marca  em   comentários,  respostas  e  mensagens  privadas. *Fonte:  ComScore (Digital  Future  in  Focus  Brazil2015) QUAL  SUA  ATUAÇÃO? • Analisar  a  audiência   e  sua  percepção  em   relação  à  marca; • Utilizar  os  canais  proprietários  como  meio   de  comunicação   com  o  usuário; • Esclarecer  dúvidas,  resolver  problemas,   identificar   e  gerar    oportunidades; • Criar  conversas  e  aumentar  o  engajamento   com  as  publicações; • Atrair  e  fidelizar  o  público. 3  EM  CADA  5   BRASILEIROS   INTERAGEM  COM   MARCAS  NAS   REDES  SOCIAIS*  
  9. 9. Otimização  do  investimento  em  mídia  online,  como  Google  AdWords,  Google  Display  Network,   Facebook  Ads  e  estratégias  de  mídia  programática. • Inteligência  de  mídia • Pesquisa  de  público-­‐alvo • Análise  de  resultados OWNED MEDIA   PAID MEDIA   EARNED MEDIA  
  10. 10. A  área de  mídia  é  responsável  por  todo  o  processo  de   veiculação   de  campanhas  on  e  off  line,  que  inclui: PESQUISA  DE  COMPORTAMENTO   E  CONSUMO  DE  MÍDIA PLANEJAMENTO  ESTRATÉGICO   E  TÁTICO NEGOCIAÇÕES  E  COMPRA   MANUTENÇÃO  E  OTIMIZAÇÃO   DAS  VEICULAÇÕES RELATÓRIOS  DE  RESULTADOS   PARCIAIS  E  FINAIS
  11. 11. Monitoramento  e  acompanhamento   sistemático  de  menções  espontâneas  fora  dos  nossos   canais,  sejam  menções  em  redes  sociais,  publicações  em  blogs  ou  notícias  da  imprensa  online. • Identificação e gestão de crises • Consumer insights • Mapeamento de influenciadores OWNED MEDIA   EARNED MEDIA   PAID MEDIA  
  12. 12. O  monitoramento  sistemático  de  menções  nas  redes   sociais  à  marca  e  seus  concorrentes  permite  analisar   quanti  e  qualitativamente  a  presença  online  e   reputação  da  marca  entre  os  usuários,  contribuindo   para  identificar  tanto  situações  com  buzz  potencial   para  afetar  significativamente   a  imagem  da  marca   quanto  novas  tendências  e  oportunidades,   além  de   gerar  insights  para  a  produção   de  um  conteúdo   mais   assertivo  e  relacionado  ao  que  o  usuário  quer  ver  e   compartilhar  nas  redes  sociais. PERIODICIDADE Diário,  semanal  ou  mensal UNIVERSO Censitário  (100%)  ou  amostral  (95%  de  nível  de   confiança  e  5%  de  margem  de  erro) CLASSIFICAÇÃO Assunto,  sentimento  e  público REDES Facebook  (páginas  proprietárias),  Twitter,   Instagram,  YouTube,  sites  e  blogs  indexados  pelo   Google
  13. 13. Assuntos  abordados  e  compartilhados  por  internautas   nas  redes  sociais  frequentemente  exibem  potencial   para  gerar  crises  que  afetam  significativamente   a   imagem  da  marca.  O  papel  da  Inteligência   de  Dados  é   identificar   precocemente  estes  temas  e  recomendar   estratégias  de  relacionamento  que  contribuam  para   diminuir  o  tom  negativo   da  repercussão. APURAÇÃO  COTIDIANA  (AC) Acompanhamento  da  dispersão  de  temas  de   conhecimento  público,  para  conhecimento  do  time   de  comunicação  do  cliente; CRÍTICO  1  (C1) Assuntos  com  potencial  de  leve  a  moderado  para  a   reputação  da  marca; CRÍTICO  2  (C2) Repercussão  em  primeira  mão  de  temas  críticos  ou   apuração  de  crises  embrionárias,  que  demandem   atenção  imediata. O  gerenciamento  de  eventuais  crises  em  nível  C2  é  realizado  pelo  Community   Manager,  com  base  nos  alertas  de  monitoramento  enviados  e  em   alinhamento  prévio  de  informações  com  o  cliente. NÍVEIS  DE  CRISES
  14. 14. Ações  com  influenciadores   relevantes  no  cenário  digital   com  uma  audência  cativa  que  os  vêem  como   referência  e  confia   em  suas  indicações  contribuem  para  o  sucesso  de  marcas  que  ainda  não  possuem  uma   presença  digital  estabelecida.  Lançamento  de  novos   produtos  e  reposicionamento   no  mercado  são  outras   oportunidades   para  o  relacionamento  com  influenciadores.     O  mapeamento  de  pessoas,  perfis,  páginas  e  blogs  que  são  referência  em  determinado  assunto  ou  universo  no   ambiente  online   é  realizado  pela  área  de  Inteligência   de  Dados  como  primeira  etapa  do  planejamento  deste   tipo  de  iniciativa. Como  identificamos  os  influenciadores: Interações   com  os  canais  proprietários   das   marcas; Menções  espontâneas   identificadas   no  Social   Listening; Desk  research  em  diversas  fontes,  como   pesquisas  primárias   de  mercado; Análise  de  clusters  de  acordo   com  a  similaridade   de  opiniões   em  torno   de  um  determinado   assunto,  marca  ou  produto; Questionários   online   qualitativos; Promoção   de  Focus  Group  em  comunidades   do   Facebook.
  15. 15. MONITORAMENTO  E  PERFORMANCE PESQUISA  E  CONTEXTO OTIMIZAÇÃO  DE  INVESTIMENTOS

×