Carta aos Romanos 01

1.903 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.903
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carta aos Romanos 01

  1. 1. Carta de Paulo aos Romanos: Cristãos à sombra do Império I. INTRODUÇÃO •Paulo usa termos que remetem à realidade dele e à qual nem sempre captamos. •Essa linguagem deve ser interpretada dentro do contexto (histórico, literário, social, político) daquele tempo → intenção do autor. •Essa Carta tem sido interpretada de diferentes formas. Três interpretações marcaram a história:
  2. 2. I. INTRODUÇÃO •1. Antijudaica: → baseando-se em Rm 1,18: •A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que sequestram a verdade pela injustiça • Injustiça: adikia → dos judeus •2. Martinho Lutero: revolta-se com a exploração dos camponeses da Alemanha, pela igreja de Roma. Baseia-se em Rm 1,17: • o justo (díkaios) vive da fé • → o “justo” não vive “das obras” =) os abusos praticados pela religião.
  3. 3. I. INTRODUÇÃO •3. Universalismo: novas perspectivas sobre Paulo: um homem de três mundos •Antecedentes: conferências em 1987, pouco tempo antes de morrer, do biblista judeu Jacob Taubes •A novidade: interpretar Paulo dentro do contexto em que viveu e escreveu •Paulo: une os povos num universalismo tolerante e aponta o verdadeiro inimigo do universalismo : não apenas diferenças entre as nações, mas o Império Romano •O cenário mundial muda em 1990: galopante unificação econômica do globo: globalização.
  4. 4. I. INTRODUÇÃO •Retomada da Carta aos Romanos: o fundamento do universalismo não capitalista •As clássicas tensões entre “judeus e gregos” são abandonadas a favor de um universalismo de comprometimento de uns para com os outros • Paulo sempre fala em “nações”, em grego “éthne”, e não mais em “povo de Deus” contraposto “as gentes”.
  5. 5. II. CONTEXTO HISTÓRICO •Em 54 morre o imperador Cláudio. Seu filho adotivo, Nero (17 anos) pede imediatamente ao senado a divinização do pai. •se torna legalmente “filho de deus” (dei filius, divi filius). •Nero proclama o evangelho (a mensagem triunfal) de sua divindade por toda a extensão do império. •Eis o contexto político da Carta aos Romanos •Um ano após a ascensão de Nero, no inverno entre os anos 55 e 56, em Corinto, Paulo escreveu a Carta aos
  6. 6. III. PRESCRIPTIO •Escrito antes. O “prescrito” de uma carta na antiguidade era sua abertura. •Prescrito da Carta aos Romanos está em Rm 1,1-7 •Era dividido em três partes: •a) Superscriptio (escrito principal): nome do remetente •Rm 1,1: Paulo, servo de Jesus Cristo, convocado a ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,
  7. 7. •b) Adscriptio (que se junta ao principal, adicional): identificação do destinatário •Rm 1,7a: A todos que estais em Roma amados de Deus convocados à santidade •c) Salutatio: a saudação (gratia vobis et pax) : graça e paz a vós da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo • Detalhes importantes: o que Paulo afirma
  8. 8. ACRÉSCIMO AO SUPERSCRIPTIO Rm 1,2-6 que foi prometido através dos seus profetas nas Sagradas Escrituras, a respeito de seu Filho, nascido da estirpe de Davi segundo a carne, e declarado Filho de Deus no poder do Espírito de Santidade desde a ressurreição dos mortos, Jesus o Cristo, o nosso Senhor, por quem recebemos a graça e o apostolado para obediência da fé das nações todas no nome dele entre as quais sois também vós convocados para serdes de Jesus Cristo

×