UNIVERSIDADE WPOS             PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO              EM INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA        ARNALDO VALENTE PO...
2       ARNALDO VALENTE POERNER DIAS FERNANDESA INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA COMO FERRAMENTA INOVADORA NOSERVIÇO PÚBLICO APLIC...
3             ARNALDO VALENTE POERNER DIAS FERNANDES   A INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA COMO FERRAMENTA INOVADORA NO    SERVIÇO ...
4                     Dedico esta monografiaA todas as pessoas que trabalham arduamente                Visando um amanhã m...
5Meus sinceros agradecimentos aos professores: Marco Antonio, Jacinto Rodrigues             Franco e Denise M. Paulinelli ...
6“O planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras”,                     Mas com o futuro de decisões presentes...
7RESUMOEste estudo visa demonstrar a importância da utilização da Inteligência Estratégicano âmbito público, mais especifi...
8ABSTRACTThis study aims to demonstrate the importance of using the Strategic Intelligence inthe public, more specifically...
9LISTA DE FIGURASFigura 5.1: Mapa das áreas críticas – IP                                  21Figura 5.2: Mapa - caracterís...
10LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLASATG            Assessoria Técnica do Gabinete.CAF            Coordenadoria de Administraçã...
11SIURB          Secretaria de Infra-Estrutura Urbana e Obras.SMSP           Secretaria Municipal das Subprefeituras.SPSA ...
12LISTA DE SÍMBOLOSKm²       Quilômetro quadradom²        Metro quadrado
13SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO                                   142. OBJETIVOS                                    15  2.1. Objeti...
14INTRODUÇÃOA utilização da Inteligência Estratégica na administração pública parece ser umcaminho simples de ser percorri...
152. OBJETIVOSO objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da aplicação de InteligênciaEstratégica no ambiente do ...
163. MÉTODO DE TRABALHOEste trabalho foi desenvolvido por meio de pesquisas em livros, revistas e artigoscujo tema princip...
174. JUSTIFICATIVAA Inteligência Estratégica projeta um novo horizonte na administração públicaproporcionando novas formas...
185. PAINEL DA SITUAÇÃO5.1. SUBPREFEITURA SANTO AMARO.A Subprefeitura Santo Amaro é uma organização pública do Poder Execu...
19   •   Valores - Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Ética, Transparência,       Eficiência, Excelência.As estratégi...
20   •   Coordenadoria de Administração e Finanças: Formado pelo Coordenador,       Supervisão   de Administração    e    ...
215.2. Levantamento do Mobiliário Urbano5.2.1. Iluminação PúblicaEste estudo iniciou-se em Abril de 2005 e visava atender ...
22Em seguida, foi realizado o levantamento físico destes equipamentos além dascaracterísticas básicas de funcionamento.   ...
235.2.2. PraçasEm conjunto com este levantamento, foram inventariadas as praças existentes,identificando sua correta local...
245.2.3. CórregosDevido a sua localização, Santo Amaro, conta com vinte e quatro córregos, além dosRios Jurubatuba e Pinhe...
255.2.4. Equipamentos de DrenagemAtravés de parceria entre a SPSA e SABESP, foi realizado estudo sobre o referidoassunto, ...
266. Fatos portadores de futuro.6.1. Intervenções Urbanas (horizonte 2012 / 2015)6.1.1. Meio Ambiente - Córrego Limpo     ...
276.1.2. Segurança - Operação Delegada                                    Figura 6.2 – Segurança                       Map...
286.1.3. Mobilidade Urbana6.1.3.1. Bicicletas                                     Figura 6.3 – Mobilidade                 ...
29                                    Figura 6.4 – Mobilidade                         Mapa com localização da Ciclovia CPT...
30                                      Figura 6.5 – Mobilidade.              Mapa com a localização da Ciclofaixa Parque ...
31                                       Figura 6.6 – Mobilidade       Mapa com a localização da Ciclorrota – Roberto Mari...
326.1.3.2. CPTMA linha 9, mais comumente conhecida como Esmeralda percorre a maior parte dasmargens do rio Pinheiros. Cont...
336.1.3.3. Metrô - Linha LilásInaugurada em 2002, a primeira fase da Linha Lilás, faz a ligação entre o CapãoRedondo e a á...
346.1.3.4. Metro - Linha OuroComo forma rápida de expandir e modernizar o transporte público foi dado umimportante passo a...
35Será construído sobre o Piscinão Jabaquara, pátio de estacionamento emanutenção dos equipamentos que serão utilizados na...
366.1.3.5. SPTRANS                         Figura 6.12 – Foto aérea do Terminal Santo Amaro                             Fo...
37                                 Fonte: SIBRT / SPTRANS (2011)Dos 10 corredores de ônibus sob responsabilidade da SPTRAN...
387. CONCLUSÃOO presente estudo buscou explorar um instante fixo, dentro da espiral evolutiva quenos encontramos. O mosaic...
398. REFERÊNCIASBERARDI, Maria Helena Petrillo. História dos Bairros de São Paulo.São Paulo: DPH / Coleção História dos Ba...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A inteligencia estrategica como ferramenta inovadora spsa - abril 2012

654 visualizações

Publicada em

Trabalho de Conclusão de Curso, visando aplicar os conceitos aprendidos com a realidade existente na Subprefeitura Santo Amaro - Abril 2012.

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
654
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A inteligencia estrategica como ferramenta inovadora spsa - abril 2012

  1. 1. UNIVERSIDADE WPOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA ARNALDO VALENTE POERNER DIAS FERNANDESA INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA COMO FERRAMENTA INOVADORA NOSERVIÇO PÚBLICO APLICADO AOS TRABALHOS DE PLOTAGEM DO MOBILIÁRIO URBANO NA SUBPREFEITURA DE SANTO AMARO, PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, NO ANO 2010/2011. SÃO PAULO 2012
  2. 2. 2 ARNALDO VALENTE POERNER DIAS FERNANDESA INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA COMO FERRAMENTA INOVADORA NOSERVIÇO PÚBLICO APLICADO AOS TRABALHOS DE PLOTAGEM DE EQUIPAMENTOS DO MOBILIÁRIO URBANO NA SUBPREFEITURA DE SANTO AMARO, PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, NO ANO 2010/2011. Monografia apresentada no Trabalho de Conclusão de Curso - Programa de Pós-Graduação em Inteligência Estratégica da WPOS, sob a orientação do Professor Marco Antonio dos Santos. São Paulo 2012
  3. 3. 3 ARNALDO VALENTE POERNER DIAS FERNANDES A INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA COMO FERRAMENTA INOVADORA NO SERVIÇO PÚBLICO APLICADO AOS TRABALHOS DE PLOTAGEM DE EQUIPAMENTOS DO MOBILIÁRIO URBANO NA SUBPREFEITURA DE SANTO AMARO, PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, NO ANO 2010/2011. Monografia apresentada no Trabalho de Conclusão de Curso - Programa de Pós-Graduação em Inteligência Estratégica da WPOS, como exigência parcial à obtenção do título de Especialista em Inteligência Estratégica Professor Marco Antonio dos Santos.Aprovado pelos membros da banca examinadora em ___ / ___ / ___, com menção___ ( _______________ ). São Paulo 2012
  4. 4. 4 Dedico esta monografiaA todas as pessoas que trabalham arduamente Visando um amanhã melhor.
  5. 5. 5Meus sinceros agradecimentos aos professores: Marco Antonio, Jacinto Rodrigues Franco e Denise M. Paulinelli Raposo pela orientação e incentivo no desenvolvimento das atividades do curso. Aos colegas de jornada, Um grande abraço e a certeza De poderem sempre contar comigo. Agradecimentos especiais para Isis e Regina, Filha e esposa querida, Razões do meu viver.
  6. 6. 6“O planejamento de longo prazo não lida com decisões futuras”, Mas com o futuro de decisões presentes.” Peter Drucker
  7. 7. 7RESUMOEste estudo visa demonstrar a importância da utilização da Inteligência Estratégicano âmbito público, mais especificamente, na Subprefeitura Santo Amaro; apossibilidade de trazer contribuições significativas na tomada de decisões do GestorLocal (subprefeito).Através da plotagem dos estudos realizados nos últimos cinco anos (iluminaçãopública, identificação/localização das praças, favelas, córregos e equipamentos dedrenagem), com o cruzamento de informações sobre Intervenções Urbanas,permitiu a identificação de áreas vulneráveis e locais que apresentam maiorpotencial de utilização.Qualidade de Vida e mobilidade urbana são as principais demandas que apopulação de nossa cidade tem demonstrado maior preocupação, uma vez que,diariamente sofremos pela ausência destes quesitos.Além disto, outra preocupação da administração é em relação à manutenção dopatrimônio público. Vem daí a necessidade de se conhecer o território e osequipamentos nele existentes.Palavras Chave: Inteligência Estratégica, Mobiliário Urbano, Mobilidade Urbana.
  8. 8. 8ABSTRACTThis study aims to demonstrate the importance of using the Strategic Intelligence inthe public, more specifically, subprefecture in Santo Amaro, the possibility to bringsignificant contributions in making decisions of the Local Management (mayor).It was through the plot of the studies in the last five years (including street lighting,identification / location of the streets, slums, streams and drainage equipment) withthe intersection of information on Urban Interventions, which allowed theidentification of vulnerable areas and locations that have greater potential for use.Quality of life and urban mobility are the main demands that the people of our cityhas been more concern, since every day we suffer by the absence of theseconditions.Furthermore, another concern is the administration regarding the maintenance ofpublic assets. Hence the necessity of knowing the territory and the equipment itcontains.Keywords: Strategic Intelligence, Street Furniture, Urban Mobility.
  9. 9. 9LISTA DE FIGURASFigura 5.1: Mapa das áreas críticas – IP 21Figura 5.2: Mapa - características dos equipamentos – IP 22Figura 5.3: Mapa da localização das praças públicas 23Figura 5.4: Praça Memorial 17 de Julho 23Figura 5.5: Hidrografia de Santo Amaro 24Figura 5.6: Estudo da Rede de Microdrenagem 25Figura 6.1: Fases do Programa Córrego Limpo 26Figura 6.2: Mapa da área de atuação – Operação Delegada 27Figura 6.3: Mapa do Sistema cicloviário em Santo Amaro 28Figura 6.4: Mapa da Ciclovia CPTM / EMAE 29Figura 6.5: Mapa da ciclofaixa – Parque do Povo / Parque do Chuvisco 30Figura 6.6: Mapa da ciclorrota – Roberto Marinho/Pq.Severo Gomes/Cordeiro 31Figura 6.7: Mapa da Linha Esmeralda 32Figura 6.8: Mapa da Linha Lilás 33Figura 6.9: Mapa da Linha Ouro 34Figura 6.10: Concepção artística – Pátio de Estacionamento - Linha Ouro 35Figura 6.11: Concepção artística – mudança de via - Linha Ouro 35Figura 6.12: Foto área do Terminal Santo Amaro 36Figura 6.13: Mapa dos corredores de ônibus / dados operacionais 36Figura 6.14: Projeto Binário de Santo Amaro 37
  10. 10. 10LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLASATG Assessoria Técnica do Gabinete.CAF Coordenadoria de Administração e Finanças.CET Companhia de Engenharia de Tráfego.CONVIAS Departamento de Controle de Uso de Vias Públicas.CPDU Coordenadoria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano.CPO Coordenadoria de Projetos e Obras.CPTM Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.EMAE Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.EMURB Empresa Municipal de Urbanização.IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.ILUME Departamento de Iluminação Pública.IP Iluminação Pública.LIMPURB Departamento de Limpeza Urbana.METRÔ Companhia do Metropolitano de São Paulo.PDE Plano Diretor Estratégico.PMSP Prefeitura do Município de São Paulo.POLMIL Policia Militar do Estado de São PauloSABESP Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo.SECOM Secretaria Executiva de Comunicação.SEHAB Secretaria Municipal de Habitação.SEME Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação.SEMPLA Secretaria Municipal de Planejamento.SES Secretaria Municipal de Serviços.
  11. 11. 11SIURB Secretaria de Infra-Estrutura Urbana e Obras.SMSP Secretaria Municipal das Subprefeituras.SPSA Subprefeitura Santo Amaro.SPTRANS São Paulo Transporte S/A.SP OBRAS São Paulo Obras.SP URBANISMO São Paulo Urbanismo.VLT Veículo Leve sobre Trilhos.
  12. 12. 12LISTA DE SÍMBOLOSKm² Quilômetro quadradom² Metro quadrado
  13. 13. 13SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO 142. OBJETIVOS 15 2.1. Objetivo Geral 15 2.2. Objetivo Especifico 153. MÉTODO DE TRABALHO 164. JUSTIFICATIVA 175. PAINEL DA SITUAÇÃO 18 5.1. Subprefeitura Santo Amaro 18 5.1.1. Diretrizes estratégicas 18 5.1.2. Execução 19 5.1.3. Avaliação e controle 20 5.2. Levantamento do Mobiliário Urbano 21 5.2.1. Iluminação Pública 21 5.2.2. Praças 23 5.2.3. Córregos 24 5.2.4. Equipamentos de Drenagem 256. FATOS PORTADORES DE FUTURO 26 6.1. Intervenções na região - (2012 – 2015) 26 6.1.1. Meio ambiente – Córrego Limpo 26 6.1.2. Segurança – Operação Delegada 27 6.1.3. Mobilidade Urbana 28 6.1.3.1. Bicicleta 28 6.1.3.2. CPTM 32 6.1.3.3. Metro – Linha Lilás 33 6.1.3.4. Metro – Linha Ouro 34 6.1.3.5. SPTRANS 367. CONCLUSÃO 388. REFERÊNCIAS 39
  14. 14. 14INTRODUÇÃOA utilização da Inteligência Estratégica na administração pública parece ser umcaminho simples de ser percorrido, pois não havendo a “concorrência”, um dospilares de alavancagem do franco desenvolvimento, os passos em direção aosucesso mostram-se extremamente triviais. Ledo engano. A constante pressãoexistente devido à intolerância aos erros de conduta e ou gestão, não perdoamquem segue por este caminho. A necessidade de conhecimento do negócio, dasconexões com outros organismos, de estar “antenado” com as tendências da novasociedade multifacetada, exige uma nova forma de pensar. É através da inovação,fazendo o que ainda não foi feito, indo aonde ninguém foi, permite alcançar umestágio avançado em relação ao que costumeiramente vivenciamos. O presentetrabalho busca obter este diferencial, ao sair da cômoda situação de aguardar pelacobrança na execução de alguma demanda. Ao abordar superficialmente temascomo zeladoria urbana, meio ambiente, segurança e mobilidade urbana em uma dasmais antigas regiões de nosso amado país, nota-se a vocação pelas quais devemossempre acreditar... A contrapartida do que temos vem do trabalho sério queexecutamos.
  15. 15. 152. OBJETIVOSO objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da aplicação de InteligênciaEstratégica no ambiente do Poder Público. Estudos realizados por ATG, nas áreasde Iluminação Pública, Vielas, Praças, Córregos, Pontos de Alagamento,equipamentos de Drenagem e Favelas proporcionaram melhora significativa natomada de decisões, uma vez que os elementos acima descritos estão entrelaçadosnum contexto maior que é a comunidade pertencente à Região da SubprefeituraSanto Amaro.2.1. Objetivo Geral:Este estudo vem apresentar a importância da constituição de sistemática de trabalhovoltado à consolidação de informações de cunho Estratégico, tendo como objetivoprincipal auxiliar o Gestor na tomada de decisões.2.2. Objetivos específicosConhecendo o território, a capacidade de atendimento, analisando as demandas dasociedade e monitorando as diversas ações dos organismos públicos, permite-nosrealizar a prestação de serviços de zeladoria urbana com maior qualidade e rapidez.
  16. 16. 163. MÉTODO DE TRABALHOEste trabalho foi desenvolvido por meio de pesquisas em livros, revistas e artigoscujo tema principal é Santo Amaro.Além disto, foi utilizado, de forma intensa, acesso à Internet uma vez o canal decomunicação entre os diversos organismos públicos dá-se de forma restrita; emdiversas ocasiões estas comunicações ocorreram no âmbito da alta administração einformalmente.As informações aqui escritas são de domínio público, portanto, não carregam fatorde privilégio ou apresentam algum grau de diferenciação.Tomou-se como ponto de partida, os estudos realizados por ATG, onde as regiõesforam mapeadas, visando à consolidação das informações e permitindo ao gestoruma visão sistêmica do território.
  17. 17. 174. JUSTIFICATIVAA Inteligência Estratégica projeta um novo horizonte na administração públicaproporcionando novas formas de interação com a Sociedade. Ao analisar osdesdobramentos existentes nas questões de mobilidade urbana, habitação e meio-ambiente, deparamo-nos com um complexo habitat.Esta complexidade do ambiente exige nova postura onde fatores como: necessidadede ação rápida e correta, fluxo permanente de informações, mudança rápida depostura, liderança bem-informada e preparada determinam como os representantesda população (formadores de opinião) avaliam o Plano de trabalho do Gestor Local(Subprefeito).
  18. 18. 185. PAINEL DA SITUAÇÃO5.1. SUBPREFEITURA SANTO AMARO.A Subprefeitura Santo Amaro é uma organização pública do Poder Executivo,integrante da administração direta, voltada para o planejamento, implementação econtrole das políticas públicas setorizadas. Surgiu a partir do processo dedescentralização dos poderes da Prefeitura do Município de São Paulo comaprovação da Lei 13.399 de 1 de agosto de 2002. Na década de 70, Santo Amarocontava com área de 640 km² (Santo Amaro, Campo Belo, Campo Grande, Parte doItaim Bibi, Cidade Ademar, Pedreira, Campo Limpo, Capão Redondo, Vila Andrade,Jardim Ângela, Jardim São Luis, Socorro, Cidade Dutra, Grajaú, Parelheiros eMarsilac), representando 45% do território do município de São Paulo. Nesta época,devido ao intenso processo de industrialização ocorrido no país, Santo Amarotornou-se grande polo industrial, sendo que 90% da indústria farmacêutica daAmérica Latina encontravam-se na região, proporcionando-nos a segunda colocaçãoem arrecadação de ICMS de São Paulo. Atualmente a Subprefeitura Santo Amaroadministra os distritos de Campo Belo, Campo Grande e Santo Amaro, totalizando37,5 km² com população estimada em 238.025 mil habitantes, conforme censo IBGE2010. A força de trabalho é atualmente composta de 340 servidores.5.1.1. Diretrizes estratégicasOs valores e os princípios organizacionais são estabelecidos em seus dispositivoslegais através da Constituição Federal em seu artigo 37, Legislações Federais,Estaduais e Municipais vigente e em especial pelo estatuto do Servidor PúblicoMunicipal Lei nº 8.989 de 29 de outubro de 1979.Em 2008, a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras realizou o PlanejamentoEstratégico, envolvendo as Subprefeituras, Supervisão de Abastecimento eSuperintendência de Usina e Asfalto, definindo a filosofia organizacional, asdiretrizes e objetivos para o período de 2008-2015, que seguem abaixo citado: • Missão - Promover e assegurar a qualidade de vida dos cidadãos. • Visão - Ser reconhecida como excelência na gestão pública até 2015.
  19. 19. 19 • Valores - Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Ética, Transparência, Eficiência, Excelência.As estratégias da Subprefeitura são divididas em duas etapas:1ª etapa – Corporativa – orientada pela Agenda 2012, Programa de Metas para aCidade de são Paulo, definindo metas de curto, médio e longo prazo que traduzem oplano de governo aprovado pela maioria da população em outubro de 2008. Suaelaboração atende às exigências da Emenda nº 30 da Lei Orgânica do Município. Èconstituída por seis eixos estruturantes (Cidade de Direitos, Cidade Sustentável,Cidade Criativa, Cidade de Oportunidades, Cidade Eficiente e Cidade Inclusiva), quedefinem os objetivos à serem alcançados por meio das 223 metas propostas. Esteprograma integra o Sistema Municipal de Planejamento, juntamente com o PlanoDiretor Estratégico, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, o Orçamento Anual e o PlanoPlurianual.2ª etapa – Tática e Operacional – Subprefeito, Chefe de Gabinete e Coordenadoresdesenvolveram esta etapa utilizando as diretrizes e o mapa dos objetivosestratégicos 2008-2015. Os Supervisores e Chefes de Unidades foram envolvidosnos pré-trabalhos, realizando os estudos de cenário baseado na FOFA,desenvolvendo suas metas e planos de ação.5.1.2. ExecuçãoA portaria intersecretarial nº 6 de 21 de dezembro de 2002, define a constituição eas respectivas competências de cada departamento da Subprefeitura.Resumidamente temos: • Gabinete: formado pela Chefia de Gabinete, Supervisão de Esportes, Cultura, Habitação, Assessoria Jurídica, Assessoria de Comunicação, Assessoria de Gestão e Qualidade, Assessoria de Defesa Civil e Assessoria Técnica.
  20. 20. 20 • Coordenadoria de Administração e Finanças: Formado pelo Coordenador, Supervisão de Administração e Finanças, Supervisão de Finanças, Supervisão de Gestão de Pessoas, Informática. • Coordenadoria de Projetos e Obras: Formado pelo Coordenador, Supervisão Técnica de Manutenção, Supervisão Técnica de Limpeza Pública, Supervisão Técnica de Projetos e Obras. • Coordenadoria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano: Formado pelo Coordenador, Supervisão de Uso do Solo e Licenciamento, Supervisão Técnica de Fiscalização e Supervisão de Planejamento.5.1.3. Avaliação e controleNas reuniões estruturadas (periodicidade – mensal), tem como finalidade promoverintegração entre as lideranças e a força de trabalho visando estimular e disseminarinformações relevantes para a organização.Os indicadores, metas, plano de ação e seu monitoramento são definidos noPlanejamento Estratégico e aprovados na reunião de Análise das DemandasOrganizacionais (periodicidade – semanal). A implementação e coordenação dosplanos são de responsabilidade dos Coordenadores e supervisores, que levam emconsideração a demanda de recursos (materiais, humanos e orçamentários).Mensalmente a Assessoria de Planejamento da Secretaria de Coordenação dasSubprefeituras, com base nas informações obtidas pelo Sistema Corporativoencaminha para as Subprefeituras o Relatório de Gestão que contem o desempenhooperacional. Com estes dados, o Subprefeito apresenta na reunião de Análise deDemandas o desempenho físico, produtividade e financeiros, sendo os resultadoscomparados com as outras subprefeituras. Os Coordenadores discutem o resultadocom os Supervisores visando o alcance das metas e quando pertinente, propõesoluções de melhorias. O desempenho operacional e estratégico é analisado a cadatrês meses na reunião de Análise de Demandas, através do Sistema deMonitoramento de Metas, desenvolvido pela área de Informática.
  21. 21. 215.2. Levantamento do Mobiliário Urbano5.2.1. Iluminação PúblicaEste estudo iniciou-se em Abril de 2005 e visava atender a população quereclamava da crítica situação em que se encontrava. Dentre os problemas existenteshavia a questão de roubo de cabos, equipamentos antigos e alto índice de falha. Figura 5.1 – Mapa das áreas críticas – Iluminação Pública Fonte: ATG (2007)Foram desenvolvidos procedimentos para atuação direta (planejamento de vistoria,identificação do problema no local, registro, relatório, solicitação e verificação doconserto). O trabalho foi iniciado com o levantamento dos equipamentosluminotécnicos, visando à identificação de locais que apresentavam maior fator derisco para a população.
  22. 22. 22Em seguida, foi realizado o levantamento físico destes equipamentos além dascaracterísticas básicas de funcionamento. Figura 5.2 – Mapa das características dos equipamentos de – Iluminação Pública Fonte: ATG (2006)Nesta etapa foi solicitado a remodelação dos equipamentos existentes (vapor demercúrio para vapor de sódio), através do Programa Reluz (Governo Federal).
  23. 23. 235.2.2. PraçasEm conjunto com este levantamento, foram inventariadas as praças existentes,identificando sua correta localização, visando parceria com a iniciativa privada(termo de cooperação) além de construir acervo com mais de 400 fotos. Figura 5.3 – Mapa com a localização das praças públicas Fonte: ATG (2006) Figura 5.4 – 205ª Praça – Memorial 17 de Julho Futura inauguração – Julho 2012 Fonte: ATG (2012)
  24. 24. 245.2.3. CórregosDevido a sua localização, Santo Amaro, conta com vinte e quatro córregos, além dosRios Jurubatuba e Pinheiros.Historicamente, esta era uma região formada por uma grande faixa de várzea, comgrande presença de nascentes. Figura 5.5 – Estudos sobre a Hidrografia de Santo Amaro Fonte: ATG (2011)A explosão populacional, juntamente com a falta de uma política habitacional, fezcom que a ocupação do solo fosse realizada de forma desordenada,impermeabilizando o solo e gerando novas áreas de alagamento.
  25. 25. 255.2.4. Equipamentos de DrenagemAtravés de parceria entre a SPSA e SABESP, foi realizado estudo sobre o referidoassunto, utilizando-se equipamentos de alta precisão (geo-referenciamento), visandoaumentar a confiabilidade dos serviços de limpeza nos equipamentos de micro-drenagem. Figura 5.6 – Estudo da rede de Micro-Drenagem Fonte: ATG (2011)O principal resultado deste estudo foi a identificação de áreas que não possuemequipamentos de drenagem, e por conseguinte, ausência de galerias de águaspluviais que façam a captação de águas de chuvas.Foram gerados novos projetos específicos para as áreas que não haviam sidocontempladas e o respectivo encaminhamento destas solicitações para SMSP.
  26. 26. 266. Fatos portadores de futuro.6.1. Intervenções Urbanas (horizonte 2012 / 2015)6.1.1. Meio Ambiente - Córrego Limpo Figura 6.1 – Fases do Programa Córrego Limpo em Santo Amaro Fonte: SABESP (2011)Com o objetivo de reverter a degradação dos córregos, o Governo de São Paulo e aPrefeitura do Município de São Paulo lançaram o Programa Córrego Limpo, trabalhoeste que prevê o aprimoramento dos sistemas de coleta de esgotos.A Sabesp executa obras para ampliar as redes existentes, eliminando oslançamentos clandestinos de esgotos nos córregos e galerias de águas pluviais etambém melhorar os sistemas de envio de esgotos às estações de tratamento.À Prefeitura cabe a manutenção das margens e dos leitos dos córregos, bem comoa remoção de imóveis nos fundos de vale que impeçam a passagem das tubulaçõesprincipais de esgotamento sanitário.O programa prevê a despoluição de todos os córregos do município de São Paulo eserá feito em consonância com o andamento do programa de despoluição do RioTietê e do programa de reurbanização das favelas realizado pela Prefeitura de SãoPaulo.
  27. 27. 276.1.2. Segurança - Operação Delegada Figura 6.2 – Segurança Mapa com a área de atuação da Operação Delegada Fonte: ATG (2012)Contando com efetivo de 140 homens e cobrindo uma área de 2 Km² a OperaçãoDelegada trouxe mais segurança a população que freqüenta as ruas centrais ondeestá localizada a concentração do comércio popular na região.Em Santo Amaro antes da implantação da operação, havia em média milocorrências de furto e roubo/mês. Atualmente não passam de 100 ocorrências/mês.Criada em 2009, a Operação Delegada é um convênio entre o Estado e osMunicípios (O Estado de São Paulo firma com cada Município) com o objetivo decombater o comércio ilegal nas ruas, permitindo a utilização de policiais militares, emdias de folga, no policiamento ostensivo e no apoio às prefeituras nas atividades defiscalização que são responsabilidade do município. Proporciona oportunidade aospoliciais militares que desejam complementar a renda familiar.
  28. 28. 286.1.3. Mobilidade Urbana6.1.3.1. Bicicletas Figura 6.3 – Mobilidade Mapa com localização do Sistema Cicloviário. Fonte: TC Urbes (2010)Segundo estudo elaborado pela empresa TC Urbes (Plano Cicloviário Integrado aoTransporte Coletivo – 2010), a região de Santo Amaro tem potencial para ainstalação de um projeto funcional que contempla 123 km de vias que formará redeinterconectada com diversas origens e destinos além das estações de trens eterminais de ônibus.
  29. 29. 29 Figura 6.4 – Mobilidade Mapa com localização da Ciclovia CPTM / EMAE Fonte: CPTM / EMAE (2010)Em Fevereiro de 2010, foi inaugurada a Ciclovia CPTM/EMAE, com 14,8 km, queacompanha o leito do Rio Pinheiros e a Linha Esmeralda da CPTM, interligando oextremo sul de Santo Amaro com Vila Olímpia (região dos Jardins). Apresentamponto de apoio ao ciclista, tendo em sua infra-estrutura, sanitários públicos,bebedouros, paraciclos, além de duas estações (Vila Olímpia e Jurubatuba) combicicletários de uso gratuito.(Nota do autor: Conceito de Ciclovia: espaço reservado apenas para o fluxo debicicletas).
  30. 30. 30 Figura 6.5 – Mobilidade. Mapa com a localização da Ciclofaixa Parque do Povo / Parque do Chuvisco Fonte: CET (2011)Em Maio de 2011, a Prefeitura, através da Secretaria de Esportes inaugurou a ciclo-faixa, interligando o Parque do Povo até o Clube do Chuvisco (Avenida JornalistaRoberto Marinho) com 15 km de extensão.(Nota do autor: O conceito de Ciclofaixa é: faixa pintada no chão, sem separaçãofísica de outros meios de transporte utilizando a estrutura viária existente, com diase horários diferenciados).
  31. 31. 31 Figura 6.6 – Mobilidade Mapa com a localização da Ciclorrota – Roberto Marinho / Parque Severo Gomes / Cordeiro Fonte: CET (2011)Em Agosto de 2011, através de projeto da CET, foi inaugurada a ciclorrota,interligando a Avenida Jornalista Roberto Marinho aos Parques Severo Gomes eCordeiro, com 15 km de extensão.(Nota do autor: Conceito de Ciclorrota : caminho sinalizado representando uma rotarecomendada para o ciclista chegar a um determinado destino, dividindo a estruturaviário existente com outros meios de transporte. Ocorre em ruas de menor trafego).
  32. 32. 326.1.3.2. CPTMA linha 9, mais comumente conhecida como Esmeralda percorre a maior parte dasmargens do rio Pinheiros. Conta com 32,8 km de extensão fazendo a ligação entre aregião sul da cidade de São Paulo com Osasco. Foi inaugurada em 1957 servindocomo ramal da Estrada de Ferro Sorocabana, cuja finalidade era encurtar a distânciado centro da cidade à descida da serra que era feita pela linha Mairinque-Santos.Em 1971, foi incorporada a Ferrovia Paulista S.A. (FEPASA). Visando a melhorar oatendimento a população, passou por reestruturações, aumentando a bitola da linha,construindo mais estações e em 2007, passou a ser administrada pela CPTM eMetro. Figura 6.7 – Linha Esmeralda Fonte: CPTM (2011)Atualmente conta com 18 estações totalmente operacionais, cinco delas localizadasdentro da área de Santo Amaro (Morumbi, Granja Julieta, Santo Amaro, Socorro eJurubatuba), 24 trens e capacidade de atendimento de 266.000 usuários/dia.Recentemente foi agraciada com plano de expansão, onde serão construídas maisduas estações (Mendes e Varginha) aquisição de 08 trens sendo que sua demandamédia deverá passar para 300.000 usuários/dia. A previsão da entrega é inicio de2013.Faz integração com as Linhas Lilás e Amarela do Metro respectivamente nasEstações Santo Amaro e Pinheiros. Futuramente existirá conexão com o Monotrilhoda Linha Ouro (Metro), nas estações Morumbi e Granja Julieta.
  33. 33. 336.1.3.3. Metrô - Linha LilásInaugurada em 2002, a primeira fase da Linha Lilás, faz a ligação entre o CapãoRedondo e a área central de Santo Amaro. Parcialmente construída conta com 8,4km de extensão, sendo 7 km em via elevada. É composta por seis estações sendoduas na área de Santo Amaro – Estação Santo Amaro (faz conexão com a Linha 9Esmeralda CPTM) e a Estação Largo 13 (conexão com o Terminal Urbano SantoAmaro). Sua demanda é de 150.000 passageiros e sua frota de trens é compostapor 08 trens de seis carros. Figura 6.8 – Linha Lilás Fonte: METRO (2011)Para sua total operacionalidade serão construídas mais 11 estações (em SantoAmaro – Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin e Campo Belo –conexão com Linha 17 Ouro), com aquisição de mais 26 trens a serem entreguesentre 2013 e 2016.Quando concluída (2015), terá 20,1 km, 17 estações, 34 trens e sua demanda seráde 640.000 usuários/dia.Atualmente encontra-se em estudo, projeto de ampliação desta linha, interligando aEstação Capão Redondo com o Terminal Jardim Ângela.
  34. 34. 346.1.3.4. Metro - Linha OuroComo forma rápida de expandir e modernizar o transporte público foi dado umimportante passo ao conceber um modo diferente de deslocamento pela metrópoleatravés do monotrilho, cujas principais características são: Para a linha - menor custo de implantação e rapidez de construção, uma vezque o material a ser utilizado é pré-moldado além de maior segurança devido àsegregação das linhas. Existirão desvios de via que poderão ser utilizados paramanutenção e situações emergenciais. Para o trem - tração elétrica, baixo nível de ruído, sustentado por pneus.Com obras iniciadas recentemente a construção da Linha Ouro, terá como funçãoprincipal ligar o Aeroporto de Congonhas com a rede Metroferroviária através deconexões com as linhas Lilás, Amarela e Azul (Estação Campo Belo, São Paulo-Morumbi e Jabaquara do Metro respectivamente) além da ligação com a linhaEsmeralda (Estação Morumbi da CPTM). Figura 6.9 – Linha Ouro Fonte: METRO (2011)A primeira fase ligará o Aeroporto de Congonhas com a Estação Morumbi (CPTM –Linha Esmeralda), devendo entrar em operação até 2014 atendendo 43.000usuários/dia (estações em Santo Amaro – Congonhas, Jardim Aeroporto, BrooklinPaulista, Vereador Jose Diniz, Campo Belo e Morumbi).
  35. 35. 35Será construído sobre o Piscinão Jabaquara, pátio de estacionamento emanutenção dos equipamentos que serão utilizados na respectiva linha. Figura 6.10 – Concepção artística do pátio de estacionamento e manutenção - Linha Ouro Fonte: METRO (2011)Deverá estar totalmente operacional em 2015, contando com 28 trens, 20 estações,21,5 km de vias elevadas e uma demanda de 230.000 usuários/dia Figura 6.11 – Concepção artística da linha e mudança de via - Linha Ouro Fonte: METRO (2011)
  36. 36. 366.1.3.5. SPTRANS Figura 6.12 – Foto aérea do Terminal Santo Amaro Fonte: Fernando Pereira – SECOM (2011)Inaugurado em 1987, o Terminal de Santo Amaro é o maior já construído, sendoponto final de 53 linhas de ônibus, além de fazer integração com a Estação Largo 13– Metrô – da linha Lilás. Figura 6.13 – Mapa dos corredores de ônibus / Dados operacionais
  37. 37. 37 Fonte: SIBRT / SPTRANS (2011)Dos 10 corredores de ônibus sob responsabilidade da SPTRANS, cinco passam porSanto Amaro; Santo Amaro-Nove de Julho-Centro, Itapecerica-João Dias-SantoAmaro, Jardim Ângela-Guarapiranga-Santo Amaro, Vereador Jose Diniz-Ibirapuera-Santa Cruz e Parelheiros-Rio Bonito-Santo Amaro. Passam pelas ruas e avenidasde Santo Amaro mais de 16 linhas intermunicipais e 77 linhas locais. São realizadasmais de 3,2 milhões de viagens diárias, o equivalente a 11% de todo o movimentoda região metropolitana de São Paulo. Figura 6.14 – Apresentação do Projeto Binário de Santo Amaro Fonte: SPTRANS (2011)Esta obra tem como finalidade, readequar as onze principais vias de acesso deSanto Amaro, melhorando a condição de circulação de pedestres e veículos,acessibilidade e iluminação. Será refeito o pavimento e a micro-drenagem, além deestabelecer política de estacionamento e regulamentação para carga e descarga.Dentre os benefícios a serem obtidos, haverá maior conforto e segurança aosusuários, diminuindo o conflito do transporte coletivo com o trafego local.
  38. 38. 387. CONCLUSÃOO presente estudo buscou explorar um instante fixo, dentro da espiral evolutiva quenos encontramos. O mosaico das situações aqui apresentadas, permitiu-nosdemonstrar as facilidades na obtenção destas informações através da conexão como mundo, sendo encontradas em sua grande maioria, na Internet.Mostramos a importância de conhecer bem os mobiliários urbanos da região, cujafinalidade principal foi à de pleitear melhorias em todas as localidades cujanecessidade fazia-se presente.O futuro se mostra grandioso... Apenas não podemos esquecer de fazer cada vezmais e melhor o nosso dia a dia... “Não há nada permanente, exceto a mudança”. Heráclito de Éfeso
  39. 39. 398. REFERÊNCIASBERARDI, Maria Helena Petrillo. História dos Bairros de São Paulo.São Paulo: DPH / Coleção História dos Bairros, 1969.CLAVELL, James. Sun Tzu: A Arte da Guerra,Rio de Janeiro, Ed. Record, 2004.MELLO, Letícia Bandeira deAeroporto de Congonhas, terminal de passageiros:São Paulo, Ed. Premio, 2006.SANTOS, Marco Antonio dosInteligência Estratégica, 2010Elaboração Técnica TC UrbesDiretrizes e Propostas para o desenvolvimento doPlano de Mobilidade Sustentável de São Paulo, Setembro 2010Associação Latino Americana de Sistemas Integrados Y BRT (SIBRT)www.sibrtonline.org/pt/fichas_tecnicas/sptranshttp://site.sabesp.com.br/site/default.aspxhttp://www.metro.sp.gov.br/index.asphttp://www.cptm.sp.gov.br/http://200.144.28.204/emae/index.phphttp://www.sptrans.com.br/http://www.ibge.gov.br/home/http://www.capital.sp.gov.br/portalpmsp/homec.jsphttp://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/servicos/ilume/http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/infraestrutura/sp_obras/http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/desenvolvimento_urbano/sp_urbanismo/http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/subprefeituras/santo_amaro/http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/infraestrutura/convias/http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/planejamento/

×