Engenharia de Resiliência - Estrutura para a gestão de sinais fracos e difusos

379 visualizações

Publicada em

Em coautoria com Júlio Cesar Rodrigues dos Santos
Sinais fracos e difusos são inerentes ao sistema. Um sistema resiliente deve ser capaz de detectá-los e para isso um numero significativo de agentes, sistemas e processos deve ser utilizado para evitar o "drift to failure"

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
379
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Engenharia de Resiliência - Estrutura para a gestão de sinais fracos e difusos

  1. 1. Engenharia de Resiliência Estrutura para a gestão de sinais fracos e difusos Avelino Ferreira Gomes Filho Júlio Cezar Rodrigues dos Santos
  2. 2. Nesse capítulo Lars Axelsson fala sobre...
  3. 3. ...a importância da união das diversas competências para realizar a Resiliência.
  4. 4. Ressalta que em uma organização / sistema, não há pessoa com domínio total sobre tudo o que acontece.
  5. 5. e por isso é necessário o envolvimento de todos na discussão de possíveis problemas.
  6. 6. principalmente para tratar ... sinais fracos de riscos.
  7. 7. principalmente para tratar... sintomas difusos de problemas
  8. 8. principalmente para tratar... inabilidade para tomar decisões apropriadas em um tempo razoável.
  9. 9. Envolver várias competências no contexto de segurança é essencial para tentar manter um constante estado de inquietação e desconfiança na busca permanente de desvios...
  10. 10. ... ter vários pontos de vista...
  11. 11. ... e uma oportunidade para ouvir opiniões diferentes...
  12. 12. ... e também para traduzir sinais de desvio em cada área para riscos de segurança.
  13. 13. O autor cita o exemplo da Swedish Nuclear Power Plants (NPP)
  14. 14. Em que eles fazem hoje uma reunião diária para discutir segurança.
  15. 15. Inicialmente essa reunião contava com a presença de todos, porém a participação apenas da equipe técnica.
  16. 16. Hoje ela ocorre com a participação de todos.
  17. 17. Todas as áreas tem a possibilidade e a obrigação de reportar possíveis problemas de segurança.
  18. 18. Isso faz com que pequenos desvios, que as vezes passavam imperceptíveis pela equipe técnica fossem levados em consideração + Resiliência.
  19. 19. Exemplos de fontes de riscos fora do núcleo duro da empresa • Gestão de pessoas percebendo funcionários desmotivados. • TI analisando uma fonte de risco em um software ou na infraestrutura. • Administração olhando para mobiliário inadequado. • etc.
  20. 20. Reunião Diária Desvio percebido Investigate Meeting
  21. 21. Também é importante que a alta administração faça reuniões semelhantes sobre a segurança da organização.
  22. 22. Como ela é a dona do poder decisório, ela tem mais facilidade para envolver várias áreas e colocar rapidamente as ações de mitigação ou eliminação de um risco.
  23. 23. WHW São pontos essenciais dessas reuniões • WHAT (Qual informação será discutida) • HOW (Como será comunicada) • WHICH (Por quais participantes)

×