1
Modelo de Intervenção para o
adulto com autismo e
deficiência intelectual grave
Natália Costa
Natália Inês Costa
 Psicóloga pela PUC Minas
 Mestre em Psicologia do Desenvolvimento Humano, ênfase em
Diferenças Indiv...
Público
•Adultos com autismo e
deficiência intelectual
moderada e grave
•Dependentes e demandam
apoio pervasivo, constante...
* Com alterações
comportamentais
significativas
* Demandam a atuação
de equipe de cuidadores
sob a supervisão de
uma equip...
Premissa
Abordagem do
AUTISMO enquanto
CONDIÇÃO
e não como doença
As potencialidades
coexistem com as
limitações
Pressuposto
GERADOR DE
OPORTUNIDADES E
POSSIBILIDADES
Descobrir e
investir nas
potencialidades,
desenvolvendo
habilidades e
possibilidades de
inserção social
Pressuposto
Interação com
a família e com
a comunidade
Pressuposto
COMPORTAMENTO ADAPTATIVO
PLANO DE DESENVOLVIMENTO
INDIVIDUAL
Foco
Equipe Transdisciplinar
Atendimentos
Clínicos
Gestão da
Informação
e construção
do saber
Orientação e
treinamento
de pais ...
Fundamentação teórica e
Metodológica - AAMR
Modelo teórico multidimensional
1. Habilidades Intelectuais
2. Comportamento a...
Fundamentação teórica e
Metodológica - ABA
ABA - Análise
Comportamental Aplicada
- metodologia baseada
em princípios cient...
 Habilidades funcionais
exigidas frequentemente no
contexto familiar e comunitário.
Dependência
Autonomia e a participaçã...
Norteadores das Ações
Grupos de
Convivência
Acompanhamento
individualizado
Intervenções
Comportamentais
Processo
Retroalim...
Planeja
PDCA - Processo Retroalimentador
Avalia
Controla
Desenvolve
Modelo de intervenção
Treino de
cuidadores
Rotina fixa e
estruturada
Orientação e
treino da família
Esporte
Adaptado
Oficinas
Integradas
Teatro e Música
Projetos
Projeto Esporte Adaptado
Modalidades:
 Atletismo
 Basquete
 Bocha
 Futebol
 Natação
Oficinas Integradas
Oficinas Integradas
 Terapêutica + Pedagógica + Laborativa
O enfoque possibilidade de promover a independência, sociabili...
Teatro e música
uma possibilidade de …
 de trocas...
 de aprendizagens...
 de experiências...
 de vivências...
 de in...
Área comunitária :
Apresentações da Trupe
Alegria & Cia.
Teatro Marília
Dom Silvério
Santa Dorotéia
Icbeu
Maçonaria
Sesi Minas
Praças e parqu...
Fatores que sustentam
o modelo
 Inexistência desse serviço no âmbito público
 Desestruturação da família
 Envelheciment...
PARCEIROS
 SEDESE / CAADE
 IPSEMG
 EXÉRCITO BRASILEIRO
 MARINHA DO BRASIL
 AERONÁUTICA DO BRASIL
 CASSI
 CNEN
 SOC...
Referências
American Association on Mental Retardation (2006). Retardo Mental:
Definição, Classificação e Sistemas de Apoi...
Contato
diretoria@censabetim.com.br
(31) 35293500
www.censabetim.com.br
Obrigada!
Nathalia Costa - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Nathalia Costa - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nathalia Costa - 30mai14 1º Congresso A&R SUS

409 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
409
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nathalia Costa - 30mai14 1º Congresso A&R SUS

  1. 1. 1
  2. 2. Modelo de Intervenção para o adulto com autismo e deficiência intelectual grave Natália Costa
  3. 3. Natália Inês Costa  Psicóloga pela PUC Minas  Mestre em Psicologia do Desenvolvimento Humano, ênfase em Diferenças Individuais, Inteligência e Personalidade - UFMG Pós Graduação em  Recursos Humanos – CEPEMG  Pesquisa e Projetos - PUC Minas  Gestão Hospitalar e Serviços de Saúde – UNAERP  Gestão de Negócios - PUC Minas Diretora do CENSA – Centro Especializado N. Sra D’Assumpção Professora do curso de Pós Graduação em Saúde da FAMINAS
  4. 4. Público •Adultos com autismo e deficiência intelectual moderada e grave •Dependentes e demandam apoio pervasivo, constante e intenso, necessário em diferentes áreas de atividade da vida. São apoios generalizados e exigem mais pessoal e maior intromissão na vida do indivíduo
  5. 5. * Com alterações comportamentais significativas * Demandam a atuação de equipe de cuidadores sob a supervisão de uma equipe multiprofissional Público
  6. 6. Premissa Abordagem do AUTISMO enquanto CONDIÇÃO e não como doença
  7. 7. As potencialidades coexistem com as limitações Pressuposto GERADOR DE OPORTUNIDADES E POSSIBILIDADES
  8. 8. Descobrir e investir nas potencialidades, desenvolvendo habilidades e possibilidades de inserção social Pressuposto
  9. 9. Interação com a família e com a comunidade Pressuposto
  10. 10. COMPORTAMENTO ADAPTATIVO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL Foco
  11. 11. Equipe Transdisciplinar Atendimentos Clínicos Gestão da Informação e construção do saber Orientação e treinamento de pais e cuidadores GEPA
  12. 12. Fundamentação teórica e Metodológica - AAMR Modelo teórico multidimensional 1. Habilidades Intelectuais 2. Comportamento adaptativo (habilidades conceituais, sociais e práticas) 3. Participação, Interação e papéis sociais 4. Saúde 5. Contexto Deficiência caracterizada por limitações significativas no funcionamento intelectual e no comportamento adaptativo, como expresso nas habilidades práticas, sociais e conceituais
  13. 13. Fundamentação teórica e Metodológica - ABA ABA - Análise Comportamental Aplicada - metodologia baseada em princípios científicos do comportamento que visa construir repertórios socialmente relevantes e reduzir repertórios problemáticos.
  14. 14.  Habilidades funcionais exigidas frequentemente no contexto familiar e comunitário. Dependência Autonomia e a participação do indivíduo.  Ambiente natural viabiliza a aprendizagem, facilita a generalização das habilidades adquiridas. Fundamentação teórica e Metodológica - CFN
  15. 15. Norteadores das Ações Grupos de Convivência Acompanhamento individualizado Intervenções Comportamentais Processo Retroalimentador
  16. 16. Planeja PDCA - Processo Retroalimentador Avalia Controla Desenvolve
  17. 17. Modelo de intervenção Treino de cuidadores Rotina fixa e estruturada Orientação e treino da família
  18. 18. Esporte Adaptado Oficinas Integradas Teatro e Música Projetos
  19. 19. Projeto Esporte Adaptado Modalidades:  Atletismo  Basquete  Bocha  Futebol  Natação
  20. 20. Oficinas Integradas
  21. 21. Oficinas Integradas  Terapêutica + Pedagógica + Laborativa O enfoque possibilidade de promover a independência, sociabilidade e responsabilidade  O indivíduo têm o compromisso de: 1. chegar no horário marcado, 2. executar seu produto até o final, podendo trocar de modalidade, desde que o trabalho iniciado não seja abandonado. 3. Vivenciar o processo de produção, formação de preço, exposição e venda. 4. Participar do processo de escolha do passeio a ser realizado com a renda dos produtos vendidos.
  22. 22. Teatro e música uma possibilidade de …  de trocas...  de aprendizagens...  de experiências...  de vivências...  de inclusão social
  23. 23. Área comunitária :
  24. 24. Apresentações da Trupe Alegria & Cia. Teatro Marília Dom Silvério Santa Dorotéia Icbeu Maçonaria Sesi Minas Praças e parques
  25. 25. Fatores que sustentam o modelo  Inexistência desse serviço no âmbito público  Desestruturação da família  Envelhecimento e a falta e dos pais  Promoção da saúde e qualidade de vida  Viabilidade econômica do modelo
  26. 26. PARCEIROS  SEDESE / CAADE  IPSEMG  EXÉRCITO BRASILEIRO  MARINHA DO BRASIL  AERONÁUTICA DO BRASIL  CASSI  CNEN  SOCIEDADE DE ENSINO SUPERIOR ESTÁCIO DE SÁ  CESP (CIA. ENERGIA ELÉTRICA DE SÃO PAULO)  ADMEDICO  CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DO RIO DE JANEIRO  CELPAV - CIA DE CELULOSE E PAPEL (GRUPO VOTORANTIN)  SAB TRADING – COM. EXPORTAÇÃO S.A – SÃO PAULO  PREFEITURAS: CONGONHAS, OURO PRETO E PORTO FIRME
  27. 27. Referências American Association on Mental Retardation (2006). Retardo Mental: Definição, Classificação e Sistemas de Apoio. trad/Magda França Lopes. 10ª.ed. Porto Alegre: Artmed. BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº12.764 de 27 de dezembro de 2012. Leblanc, J. M.(1982). Ensenanza Funcional / Natural para La Generalización y Mantenimiento de lãs Habilidades para ninos com Autismo y Retardo Mental. Universidade de Kansas e Centro de Educação Especial Ann Sillivan, Peru. Suplino, Maryse (2005). Currículo Funcional Natural: Guia Prático para a Educação na Área do Autismo e Deficiência Mental – Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Coordenadoria Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência: Maceió, AL, Brasil
  28. 28. Contato diretoria@censabetim.com.br (31) 35293500 www.censabetim.com.br Obrigada!

×