1
O Autismo
e
Sistemas de Saúde no Mundo
CARLOS GADIA , MD
Diretor Médico, Autismo&Realidade
Diretor Associado, Dan Marino C...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
EDUCAÇÃO:
2006: 64% das crianças autistas não estavam em escolas
50% sem acesso a qua...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
EDUCAÇÃO:
 Escolas recusam admissão por não terem professores treinados ou
competent...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
SAÚDE:
 A maioria dos médicos generalistas recebe um total de 2 horas
de aula sobre ...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
RECURSOS PARA PESQUISA:
AIDS: 53.3 milhões de euros por ano
Alzheimer: 200 milhões de...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
Um Príncipe Autista...
O rei queria fazer tudo para o seu filho…
Levou para o seu rei...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
 É preciso utilizar recursos de forma mais EFICAZ…
 Em um formato baseado em EVIDÊN...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
A SOLUÇÃO MÁGICA…
QUEM SABE EXPORTAMOS NOSSOS AUTISTAS?
 No final dos anos 90, um si...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
E se nós fossemos a Albânia…
População: 3 milhões de pessoas
 Centro “Fly for Life” ...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
APAdeA ( Asociación Argentina de Padres de Autistas): fundada há 30
anos atrás
Em 199...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
Recursos para cobrir essas intervenções vem de um fundo criado com as
multas pagas ca...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
A GRAMA DO VIZINHO É SEMPRE MAIS VERDE
 Recém-nascidos de risco para atrasos de neur...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
A GRAMA DO VIZINHO É SEMPRE MAIS VERDE
MEDICAID - sistema público de saúde dos EUA - ...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
A “Grande Diferença”:
•O Sistema público de educação tem obrigação legal (a partir da...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
Como disse o Dr. Decio Brunoni ontem, para pessoas com TEA:
Talvez devamos PENSAR E P...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
Barreiras para Respostas Rápidas e Eficazes ao Desafio do
Transtorno do Espectro do A...
Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo
Poderia parecer uma estória de Ficção:
Em uma galáxia muito distante…havia um país em...
OS TEA SÃO MUiTO MAIS FREQUENTES
DO QUE SE PENSAVA
PROBLEMA DE SAUDE PÚBLICA PRIORITARIO
(PREVALÊNCIA 1%)
URGÊNCIA DE UMA
...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Carlos Gadia - 31mai14 1º Congresso A&R SUS

483 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
483
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carlos Gadia - 31mai14 1º Congresso A&R SUS

  1. 1. 1
  2. 2. O Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo CARLOS GADIA , MD Diretor Médico, Autismo&Realidade Diretor Associado, Dan Marino Center – Miami Children’s Hospital Professor-Assistente, Departamento de Neurologia University of Miami Miller School of Medicine Professor-Adjunto, Departamento de Neurolciências Herbert Wertheim College of Medicine Florida International University Professor-Adjunto, Nova-Southeastern University School of Osteopathic Medicine 1o CONGRESSO BRASILEIRO DE AUTISMO APLICADO AO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS
  3. 3. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo EDUCAÇÃO: 2006: 64% das crianças autistas não estavam em escolas 50% sem acesso a qualquer tipo de educação estruturada - EXCLUSÃO 2012: de um total de ± 440.000 autistas (prevalência estimada em 1:150 em 2006), somente 25.000 estavam em escolas regulares;  Devido a falta de professores e assistentes terapeuticos (ATs), o “acesso” dessas crianças a escola representa mais um reconhecimento simbólico de um direito do que um acesso real (não-ficcional) a educação. – PSEUDO-INCLUSÃO QUE PAÍS É ESTE ?
  4. 4. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo EDUCAÇÃO:  Escolas recusam admissão por não terem professores treinados ou competentes para lidar com essas crianças e/ou porque uma criança autista “atrapalha o ensino de todos os outros alunos” – FALTA CAPACITAÇÃO  Muitas escolas recusam matricula para crianças autistas se não tiverem uma AT (embora esta condição não ser um pré-requisito para aceitação) e apesar do treinamento para ATs ser muito limitado ou inexistente.  90% de autistas com mais de 16 anos não recebe qualquer tipo de educação; QUE PAÍS É ESTE ?
  5. 5. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo SAÚDE:  A maioria dos médicos generalistas recebe um total de 2 horas de aula sobre TEA durante todo o seu treinamento;  Existe somente um programa de mestrado em Análise do Comportamento em todo o pais;  Existem 23 instituições (não escolas) que oferecem programas de ABA atendendo a um total de 700 autistas; QUE PAÍS É ESTE ?
  6. 6. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo RECURSOS PARA PESQUISA: AIDS: 53.3 milhões de euros por ano Alzheimer: 200 milhões de euros por 5 anos (40 milhões/ano) Autismo: 7 milhões de euros por 3 anos (2.3 milhões/ano) MESMO EM PAÍSES DESENVOLVIDOS A QUESTÃO DE COMO LIDAR COM TEA É EXTREMAMENTE COMPLEXA.
  7. 7. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo Um Príncipe Autista... O rei queria fazer tudo para o seu filho… Levou para o seu reino especialistas de todo o mundo e a melhor tecnologia… Para ele foi construida uma escola maravilhosa… Uma escola para uma pessoa só… POR OUTRO LADO, NEM SEMPRE TER RECURSOS RESOLVE TUDO... Uma Escola Autista ! Em um terra muito, muito distante…vivia um Príncipe...
  8. 8. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo  É preciso utilizar recursos de forma mais EFICAZ…  Em um formato baseado em EVIDÊNCIAS… NEM SEMPRE TER RECURSOS RESOLVE TUDO... PARA QUE TUDO NÃO VIRE UM CONTO DAS MIL E UMA NOITES!
  9. 9. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo A SOLUÇÃO MÁGICA… QUEM SABE EXPORTAMOS NOSSOS AUTISTAS?  No final dos anos 90, um sistema público de saúde de um país europeu cobria os custos para enviar crianças autistas e seus pais aos Estados Unidos para receberem intervenções;  Quase todos melhoraram muito em períodos relativamente curtos de tratamento (6 meses);  Seis meses depois, de volta “ao mesmo” (psicoanálise, ludoterapia): tudo voltou ao que era antes; BOAS INTENÇÕES… POUCO PLANEJAMENTO Grupo de pais se mobilizaram e começaram a criar programas de treinamento de profissionais de saúde.
  10. 10. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo E se nós fossemos a Albânia… População: 3 milhões de pessoas  Centro “Fly for Life” da Fundação da Criança da Albânia criado em 2009, atende 150 familias/ano (de uma estimativativa de 30.000 famílias com crianças autistas).  Mas oferece treinamento para 100 profissionais por ano
  11. 11. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo APAdeA ( Asociación Argentina de Padres de Autistas): fundada há 30 anos atrás Em 1998, a lei 24.901, Sistema de prestaciones basicas en habilitacion y rehabilitacion integral a favor de las personas con discapacidad, apresentada pela APAdeA é aprovada pelo Congresso Argentino Deveria cobrir intervenções de caráter preventivo, de reabilitação, terapêutico-educativas, assistênciais, incluindo-se: Estimulación temprana Educación inicial Educación general básica Formación laboral Centro educativo terapéutico Centro de día Centro de rehabilitación psicofísica Atención odontológica integral Sistemas alternativos al grupo familiar: hogares, pequeños hogares y residencias Prestaciones de apoyo Transporte Apoyo económico para la persona discapacitada y su familia por medio de beneficios y subsidios Atención domiciliaria especializada - Iniciación laboral Cobertura del costo total en medicación. Há recursos mas…
  12. 12. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo Recursos para cobrir essas intervenções vem de um fundo criado com as multas pagas cada vez que alguém passa um cheque sem fundos e que, por lei, só pode ser utilizado para para pessoas com deficiências MAS…. -> Faltam médicos em número suficiente com experiência/treinamento para fazer um diagnóstico precoce -> Disperssão dos recursos entre tratamentos baseados em evidência e outros -> Lobby poderoso de profissionais que não querem mudanças
  13. 13. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo A GRAMA DO VIZINHO É SEMPRE MAIS VERDE  Recém-nascidos de risco para atrasos de neuro-desenvolvimento são referidos já no hospital para programas de seguimento (contratados por município ou pelo estado).  Crianças de 1 a 3 anos podem também ser referidas por profissionais de saúde (pediatras, médicos de família, etc) para avaliação através desses programas (Early Steps, Child Find, etc).  Se necessitarem intervenções (fisioterapia, fonoterapia, terapia ocupacional), essas são cobertas pelo Medicaid (sistema de saúde federal mas organizado em nível estadual)  Diferentes estados com diferentes pressupostos para a saúde vão ter níveis diversos de qualidade e intensidade de intervenções
  14. 14. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo A GRAMA DO VIZINHO É SEMPRE MAIS VERDE MEDICAID - sistema público de saúde dos EUA - cobre os custos das terapias até os 3 anos de idade: claro que existem limitações em termos de: -frequência/ duração das terapia; -nível de qualidade dos terapeutas; - disponibilidade de horários, de terapeutas que possam atender em casa; Até há pouco tempo atrás, terapias comportamentais não eram cobertas pelo Medicaid. Atualmente, alguns estados já cobrem terapias Comportamentais. Até há pouco tempo, planos de seguro privados não consideravam Autismo como um diagnóstico médico e, sim, de “Saúde Mental’ (Mental Health) ou, até mesmo, um “atraso do desenvolvimento” e não cobriam intervenções. Mais recentemente, leis estaduais (até agora implementadas em 30 estados) foram implementadas para obrigar planos de saúde privados a cobrir custos de avaliação/intervenções relacionadas ao diagnóstico de Transtorno do Espectro do Autismo (até $ 30 mil dólares/ano).
  15. 15. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo A “Grande Diferença”: •O Sistema público de educação tem obrigação legal (a partir da IDEA – Individual with Disabilities Act ) de prover um ambiente educacional para qualquer aluno a partir dos 6 anos e, para criancas com “atrasos de desenvolvimento”, a partir dos 3 anos de idade •Escolas tem professores especializados em educacão especial, fonoaudiológos, psicólogos para atender crianças dentro do espectro autista (entre outros transtornos do neuro-desenvolvimento) tanto dentro de classes “regulares”(inclusão) ou classes especiais ( para crianças mais severamente afetadas)
  16. 16. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo Como disse o Dr. Decio Brunoni ontem, para pessoas com TEA: Talvez devamos PENSAR E PLANEJAR SAÚDE E EDUCAÇÃO COMO UMA UNIDADE em termos de plano individualizado de intervenções; A partir de Setembro/2014, uma nova lei no Reino Unido - o Children and Families Act - vai requerer que se faça um plano individualizado das necessidades de saúde e educação para pessoas com necessidades especiais da infância até a faculdade;
  17. 17. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo Barreiras para Respostas Rápidas e Eficazes ao Desafio do Transtorno do Espectro do Autismo como um Problema de Saúde Pública Global 1) falta de recursos financeiros compatíveis com a prevalência e severidade do transtorno; 2) falta de compromisso da maioria dos governos para lidar de forma eficaz com esse problema; 3) sistemas de saúde demasiadamente centralizados; 4) falta da integração de serviços de saúde mental nos sistemas de cuidados primários de saúde; 5) ausência de formação adequada e em números suficientes de profissionais; 6) falta de conhecimento sobre o transtorno e sobre intervenções eficazes por parte dos tomadores de decisão em Saúde Mental. "Esforços abrangentes e coordenados para a Gestão de Transtornos do Espectro do Autismo”. Resolução aprovada em Maio de 2013 pelo Conselho Executivo da Assembléia Mundial da Saúde (órgão da Organização Mundial da Saúde)
  18. 18. Autismo e Sistemas de Saúde no Mundo Poderia parecer uma estória de Ficção: Em uma galáxia muito distante…havia um país em que: TEA não aparecia, como matéria especifica no curriculum de nenhuma das 202 faculdades de Medicina O mesmo ocorria nos Cursos de Fonoaudiologia e Faculdades de Psicologia No treinamento de pós-graduação de Pediatria também não havia enfase nos TEA como um problema de saúde publica Um centro de excelência, na maior cidade do país, recebia R$ 6,79 por hora de atendimento a crianças autistas Poderia parecer uma estória de Ficção, MAS NÃO É.
  19. 19. OS TEA SÃO MUiTO MAIS FREQUENTES DO QUE SE PENSAVA PROBLEMA DE SAUDE PÚBLICA PRIORITARIO (PREVALÊNCIA 1%) URGÊNCIA DE UMA POLÍTICA PÚBLICA EFICAZ AUMENTO DO NÚMERO E UMA MAIOR INTEGRAÇÃO DOS SERVIÇOS PARA IDENTIFICAÇÃO PRECOCE E TRATAMENTO ADEQUADO. URGÊNCIA NA FORMAÇAO E CAPACITAÇÅO DE PROFISSIONAIS NECESSITAMOS FAZER TUDO AO MESMO TEMPO OBRIGADO

×