Roadmap carvao mineral_cgee_apresentacao_versao_01

873 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
242
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roadmap carvao mineral_cgee_apresentacao_versao_01

  1. 1. Centro de Gestão e Estudos EstratégicosCiência, Tecnologia e InovaçãoRoadmap Tecnológico para Produção,Uso Limpo e Eficiente do Carvão Mineral NacionalElyas MedeirosAssessor do CGEELíder do Estudo
  2. 2. Slide 2O Estudo• O Estudo foi uma demanda proveniente do setor empresariale acadêmico, com a incumbência do CGEE de construirsubsídios para a formulação de políticas públicas pelo MCTIno tema Carvão Mineral Nacional.• Foi acompanhado por uma comissão composta porrepresentantes da ABCM, ANEEL, CETEM, MCTI(SETEC),MDIC, MMA, MME(SGM/SPE) e Rede Carvão Mineral.
  3. 3. Slide 3MetodologiaEm março de 2012, ocorreu um workshop, em Pirenópolis-GO,para a elaboração desse Roadmap. Esse evento contou com aparticipação de mais de 50 especialistas, entre eles:– Pesquisadores– Acadêmicos– ABM– ABCM– ANEEL– BNDES– CETEM– FINEP– IBAMA– IPEN– MCTI– MDIC– MMA– MME– Rede CarvãoMineral– Representantesdo setor produtivo– FrenteParlamentar
  4. 4. Slide 4MetodologiaOs participantes desse workshop tiveram acesso a 3 documentos,fornecidos pelos CGEE, com informações estruturadas sobre o setor.Esses documentos propiciaram condições necessárias para que osdebates atingissem um consenso sobre os itens prioritários de quedeverão constar nas agendas dos tomadores de decisão do país:• Contribuições via internet de 317 especialistas sobre a SituaçãoAtual do setor carbonífero.• Documento com as principais Diretrizes, Recomendações eDesafios do setor carbonífero elencados nos Planos do governobrasileiro.• Seis notas técnicas de consultores contratados pelo CGEEsobre ações Tecnológicas, formação de Recursos Humanos,Regulação, Responsabilidade Social, Mercado e MeioAmbiente.
  5. 5. Slide 5MotivaçãoQual é a motivação para se fazer o Roadmap doCarvão Mineral brasileiro?
  6. 6. Slide 6Maiores reservas mundiais• O Brasil possui uma dasmaiores reservas de carvãomineral do mundo.• Nós somos o único paíspossuidor de grandesreservas que não seencontra entre os maioresprodutores.Fonte: BP Statistical Review of World Energy, June 2011
  7. 7. Slide 7Termos Energéticos• O carvão mineral é expressivo também em termosenergéticos.• A energia dos recursos petrolíferas corresponde a2,02x109 tep, enquanto que a energia dos recursos de carvãomineral é de 7,04x109 tep.• Logo, no Brasil, a quantidade de energia armazenada nosrecursos de carvão é 3,5 vezes maior que a energia dosrecursos petrolíferos.Fonte: Ministério de Minas e Energia, Balanço Energético Nacional 2011 - modificado
  8. 8. Slide 8AplicaçõesFonte: Ministério de Minas e Energia, Balanço EnergéticoNacional 2011O carvão mineral possui duasaplicações no Brasil:• Utilização como combustível parageração de energia elétrica; e• Utilização na siderurgia para aprodução de coque, ferro-gusa eaço.O país importa carvão para o usosiderúrgico. O que é aqui atualmenteproduzido não é específico para usosiderúrgico e sim, destinado àprodução de calor.
  9. 9. Slide 9AplicaçõesUma outra possibilidade de aproveitamento do carvão mineral nacionalé direcioná-lo para a produção de materiais poliméricos e carbonosos.Esse processo recebe o nome de carboquímica.– Estima-se que a obtenção de compostos como polietileno epolipropileno, a partir da gaseificação do carvão mineral,apresenta um retorno financeiro na razão de 1:10.
  10. 10. Slide 10Política PúblicaUma política pública para melhor aproveitar o carvãomineral, nos horizontes de 2022 e 2035, deve,necessariamente, estar alinhada com as diretrizesadotadas pelo Brasil nas questões relacionadas ao meioambiente.
  11. 11. Slide 11Planos Nacionais– Lei Nº 12.187, de 29 de dezembro de 2009.– Decreto Nº 7.390, de 9 de dezembro de 2010.– Plano Nacional sobre Mudança do Clima.– Plano Nacional de Energia 2030.– Plano Nacional de Mineração 2030.– Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 2012-2015.
  12. 12. Slide 12PropostasAs estratégias propostas pelo roadmap, para o Brasil alcançar a produção,uso limpo e eficiente de quantidade expressiva do carvão mineral são:– RENTABILIDADE: Gerar produtos de elevado valor agregado utilizando processos carboquímicos.– MEIO AMBIENTE: Gerar produtos que contribuam para a redução dos gases de efeito estufa,utilizando derivados do metanol produzidos a partir do syngas.– TECNOLOGIAS PROMISSORAS: Investir no domínio de tecnologias-chave que permitamdiversificar o uso do carvão, com ênfase na gaseificação.– SEGURANÇA ENERGÉTICA: Tecnologias competitivas e ambientalmente corretas para geraçãotermelétrica.– NOVAS TECNOLOGIAS: Dominar tecnologia de produção de carvão nacional com qualidade parauso siderúrgico. Promover tecnologias de mistura do carvão mineral nacional com biomassa visandoa redução das emissões na siderurgia.– INCENTIVO À INDÚSTRIA NACIONAL: Estimular o desenvolvimento industrial nacionalaproveitando os coprodutos oriundos da queima do carvão.– LIDERANÇA MUNDIAL: Dominar tecnologias de interesse mundial, pois diversos países possuemcarvão de qualidade semelhante ao do Brasil, e se interessam em aumentar sua utilização de formarentável, limpa e eficiente.
  13. 13. Slide 13O RoadmapO uso do carvão mineral nacional, de forma limpa e eficiente, deve seragregado em três aplicações principais:• Geração termelétrica• Carboquímica• Siderurgia.• A curto prazo, a geração termelétrica pode promover um aumentosubstancial da utilização do carvão mineral, de forma limpa eeficiente.• A médio prazo, a carboquímica apresenta-se como uma soluçãoinovadora, rentável e ambientalmente sustentável para o uso docarvão mineral nacional.• E, na siderurgia, o uso do carvão mineral nacional complementará ocarvão importado.
  14. 14. Slide 14Algumas Tecnologias prioritárias para aGeração TermelétricaDentre todas as tecnologias citadas no roadmap, as tecnologiasdefinidas como prioritárias, em cada setor, para uma maiorprodução, uso limpo e eficiente do carvão mineral nacional são:
  15. 15. Slide 15Algumas Tecnologias prioritárias para aGeração TermelétricaTECNOLOGIAS PRIORITÁRIAS PARA GERAÇÃO TERMELÉTRICA• Plantas supercríticas de carvão pulverizado e leito fluidizadocirculante.• Plantas leito fluidizado borbulhante subcrítica multicombustível.• Previsão de captura e armazenamento de CO2 em novas plantas acarvão.• Gaseificadores para IGCC e poligeração e gaseificação in situ paraIGCC e poligeração.• Aproveitamento de coprodutos da combustão.• Captura de CO2• Cofiring.
  16. 16. Slide 16Algumas Tecnologias prioritárias para aCarboquímicaTECNOLOGIAS PRIORITÁRIAS PARA CARBOQUÍMICA• Gaseificação.• Síntese do metanol.• Obtenção de produtos apartir do syngas.
  17. 17. Slide 17Algumas Tecnologias prioritárias para aSiderurgiaTECNOLOGIAS PRIORITÁRIAS PARA SIDERURGIA• Processos de concentração a ar.• Processos de concentração utilizando meios densos.• Escalonamento e dimensionamento do processo industrial deredução direta com carvão mineral nacional.
  18. 18. Slide 18AçõesEm relação ao Mercado, Recursos Humanos, InfraestruturaFísica, Investimentos e Aspectos Regulatórios as principaisações necessárias para se criar um ambiente mais favorávelpara o maior uso do carvão mineral nacional.
  19. 19. Slide 19AÇÕES EM RELAÇÃO AO MERCADO• Ambiente favorável ao aproveitamento do carvão mineral parageração de energia elétrica, respeitando-se critérios ambientais• Aproveitamento dos coprodutos da cadeia produtiva do carvãomineral nacional.• Opinião pública com percepção positiva do carvão mineral comoinsumo industrial.
  20. 20. Slide 20AÇÕES EM RELAÇÃO AOS RECURSOS HUMANOS• Conhecimento do cenário completo de recursos humanos nas áreasde aplicação do carvão mineral e das tecnologias limpas.• Fixação dos recursos humanos desenvolvidos para não perdê-lospara outras áreas.• Ampliação do número de projetos de pesquisa que se tornemprodutos comercializáveis, aumentando o depósito de patentes.
  21. 21. Slide 21AÇÕES EM RELAÇÃO À INFRAESTRUTURA FÍSICA• Identificar e caracterizar novas jazidas, e melhorar o conhecimentodas existentes.• Melhorar o conhecimento do potencial do carvão mineral nacionalpara uso limpo em carboquímica, gaseificação, combustão,siderurgia e CCT/CCS.• Laboratórios adequados para modelagem numérica e simulaçãodos processos químicos e para caracterização de concentradospara uso limpo na siderurgia, carboquímica e geração termelétrica.• Viabilizar a modernização do atual parque termelétrico brasileiro.
  22. 22. Slide 22AÇÕES EM RELAÇÃO AOS INVESTIMENTOS• BNDES fornecendo aos investimentos em carvão mineral asmesmas condições de financiamento disponibilizadas para asoutras fontes de energia, considerando critérios ambientais.• Os recursos recolhidos pelas termelétricas a carvão sejamutilizados em projetos estruturantes, evitando a solução decontinuidade.• Ambiente favorável onde a empresa privada deseja investir emPD&I.
  23. 23. Slide 23AÇÕES EM RELAÇÃO AOS ASPECTOS REGULATÓRIOS• Eficiência energética das termelétricas de 40% a 45% com menorgeração de impactos/emissões.• Plantas comerciais de gaseificação de carvão, competitivas e comcontrole de emissões.• Participação da indústria nacional com pelo menos 60% deequipamentos e serviços nos projetos de grande porte, bem como oincentivo fiscal para importação de componentes específicos nãoproduzidos pela indústria nacional.
  24. 24. Slide 24Definido as tecnologias prioritárias em cada setor e quais açõessão necessárias para o uso limpo e eficiente do carvão mineralnacional, temos como METASMetas
  25. 25. Slide 25Principais Metas para 2022• Jazidas carboníferas caracterizadas.• Marco regulatório definido para que a geração termelétrica tenhaigualdade de oportunidades frente às demais fontes.• Usinas termelétricas com 40% de eficiência energética.• Processos químicos da gaseificação dominados.• Tecnologias para gaseificação, síntese de metanol e de outrosprodutos carboquímicos desenvolvidas.• Técnicas limpas de lavra e beneficiamento (siderurgia e térmica)desenvolvidas, adequadas às características do carvão mineralnacional.• Processos de redução-direta desenvolvidos para carvão mineralnão coqueificável e de alto teor de cinzas
  26. 26. Slide 26Principais Metas para 2035• Brasil posicionado como desenvolvedor e exportador de tecnologiasde aproveitamento limpo de carvões de altos teores de cinzas eenxofre.• Usinas termelétricas com 45% de eficiência energética.• Pólos carboquímicos implantados em escala comercial.• Técnicas desenvolvidas para utilização do carvão mineral nacionalgaseificado em processos de redução direta
  27. 27. Slide 27MUITO OBRIGADO!

×