Aula 4 TIPOLOGIA

2.525 visualizações

Publicada em

Aula 4 TIPOLOGIA

  1. 1. Composição e Projeto Visual TIPOLOGIA
  2. 2. TIPOLOGIA Fonte (vem do latim fundir). Técnica utilizada para fundir tipos de metal Fonte e tipo são sinônimos. Família são as variações que uma fonte oferece: Um mesmo tipo pode ser: - Itálico - Bold - Normal - Medium - Extra Bold - Condensada
  3. 3. TIPOLOGIA  No dia-a-dia não é necessário conhecer as fontes pelos nomes, uma vez que existem catálogos para isso.  O importante, em tipologia, é saber o que combina e o que não combina, entrelinhamento, espacejamento, contraste e legibilidade.
  4. 4. Tipos de Fontes 1- Antigo 2-Moderno 3-Serifado 4-Não Serifado 5-Manuscrito (ou cursivo) 6-Decorativo (ou fantasia)
  5. 5. 1-Tipos Antigos  São as fontes que apresentam traços grossos e finos, num estilo clássico, típico dos escrivães públicos, escritores jurídicos e letrados. É uma fonte sempre serifada, de estilo formal.  São indicados para textos longos, pois são mais confortáveis para a leitura Exemplo de fonte antiga: GARAMOND ANTIGO Antigo
  6. 6. Exemplos de fontes Antigas:
  7. 7. 2-Tipos Modernos  São uma evolução das fontes antigas, com espaçamento maior entre os tipos e serifas mais finas e delicadas. São também mais retas, com nítido contraste entre o traço e as serifas.  Devem ser usadas com moderação no caso de textos longos, pois podem prejudicar a leitura, por terem um espaçamento maior
  8. 8. Exemplos de tipos Modernos
  9. 9. 3-Fontes Serifadas  São aqueles tipos que apresentam uma “perninha” para acentuar o contraste e facilitar a leitura
  10. 10. Exemplos de Fontes Serifadas Times New Roman David Bookman Old Style Yu Mincho Demibold
  11. 11. 4-Fontes Não Serifadas  São aquelas que não apresentam as “perninhas” e são utilizadas para uma leitura rápida. Os tipos não-serifados geralmente são elegantes e bonitos. Devem ser utilizadas observando-se o contraste de pesos  São indicadas para títulos
  12. 12. Exemplos de tipos não-serifados
  13. 13. 5-Fontes Manuscritas  Manuscritas (ou cursivas) são as fontes que imitam a escrita humana.  Devem ser evitadas em longos textos e jamais utilizadas em caixa alta.
  14. 14. Exemplo de fontes manuscritas Bradley Hand Freestyle Script Bradley Hand
  15. 15. 6-Tipos Decorativos ou Fantasia  São tipos únicos, confeccionados geralmente com a intenção de originalidade ou servir como índice de uma marca  Devem ser utilizadas com critério
  16. 16. Exemplos de tipos decorativos ou fantasia
  17. 17. Classificação das fontes por Série Os tipos podem ser classificados por série:  Largura  Tonalidade  Inclinação
  18. 18. Largura normal condensada estendida
  19. 19. Tonalidade light medium bold
  20. 20. Inclinação redonda itálica
  21. 21. Entrelinha  É o espaço entre uma linha e outra. Esse simples intervalo pode determinar uma boa diagramação ou uma diagramação de gosto duvidoso. Se ela estiver “pesada”, pequena demais, pode levar o leitor a desistir do texto.
  22. 22. Entrelinha - #dicas  Em textos longos, a entrelinha apertada desestimula o leitor.  Por outro lado, o espaçamento demasiado também não é bem vindo. Guie-se pelo bom senso.  Em títulos, a entrelinha muito aberta é ruim Cuidado!!!  O entrelinhamento deve ser uniforme ao longo de um texto. Entrelinhas diferentes num mesmo parágrafo causam um resultado desastroso.
  23. 23. Espacejamento  É o espaço entre uma letra e outra. Ele pode ser ótico ou mecânico DESIGN espacejamento ótico D E S I G N espacejamento mecânico
  24. 24. Kerning  É o encaixe de letras como o A e o T, com o intuito de diminuir os espaços em branco entre as letras CATARATA
  25. 25. Entre-parágrafos  É o espaço entre um parágrafo e outro. Em textos longos, é recomendável que se use um espaço para arejar a leitura
  26. 26. Evite!!!! Viúvas – linha ou palavra curta perdida no final de um parágrafo Órfã – palavra ou linha curta, no final de uma coluna, separada do parágrafo
  27. 27. Critérios para a escolha da tipologia  Experimentação O uso do computador permite ter uma rápida visualização do que vai ser impresso. Pode-se imprimir as fontes e estudá-las separadamente e no contexto do layout  Legibilidade É um excelente critério para guiar a confecção de uma publicação. Ler o que está impresso é mais do que necessário. Por isso, fontes decorativas devem ser extremamente evitadas.
  28. 28. Critérios para a escolha da tipologia  Fontes serifadas e não-serifadas Fontes sem serifa, pesadas, combinam com público masculino. Fontes serifadas, elegantes delicadas, combinam com público feminino
  29. 29. Critérios para a escolha da tipologia As fontes serifadas quase sempre representam uma escolha certa quando se trata de textos longos. No entanto, quando a fonte é pequena deve-se ter cuidado quando o fundo é colorido. O registro da cor pode ser um grande vilão nesse caso. Outra dica valiosa é a combinação entre fontes serifadas e não-serifadas. Elas permitem um resultado excelente, principalmente quando utilizadas em títulos
  30. 30. Critérios para a escolha da tipologia  Opte por fontes com famílias extensas. Às vezes é possível utilizar apenas uma fonte dentro de um trabalho, variando apenas a sua série.  Quando for preciso diagramar um texto longo num curto espaço, a melhor opção é a Times, já que ela ocupa menor espaço  Tipos em itálico e em caixa alta jamais devem ser utilizados, uma vez que sua visualização é de gosto duvidoso
  31. 31. Tipologia na Web  Apesar de tudo, as melhor fontes para a web ainda são Times e Arial, que permitem uma boa visibilidade, mas limitam o critério de originalidade.
  32. 32. Tipologia na Web - #Dicas  Títulos, capitulares devem ser trabalhados como se fossem imagens (GIF), para garantir a fidelidade daquilo que se pretende em termos de tipologia.  Para grandes massas de texto, o ideal ainda são as fontes Times e Arial.  Fontes serifadas não devem ser escolhidas para textos muito pequenos. Ao contrário do impresso, fontes serifadas, no vídeo, perdem legibilidade.  Quando precisar utilizar uma fonte serifada, utilize a Georgia, que foi criada especialmente para uso em monitor de vídeo.  Evite o uso de tipos itálicos no vídeo, pois a legibilidade não é boa.
  33. 33. Fontes utilizadas na Web Garamond Tahoma Trebruchet MS Times Arial
  34. 34. Bibliografia CESAR, Newton. Direção de Arte em Propaganda. 8. ed. São Paulo: Senac, 2006. PUC Goiás. Site Docente. Fontes Tipográficas. Disponível em: http://professor.ucg.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/13187/material/A ULA_8_FONTES_TIPOGRAFIA_IMP.pdf VINTE E UM. Site sobre Design Gráfico. Conceitos Básicos. Disponível em: http://vinteum.com/conceitos-basicos-parte-ii/

×