AULA 1 - CONCEITUACAO

460 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
460
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AULA 1 - CONCEITUACAO

  1. 1. AULA 1 – JORNALISMO ESPECIALIZADOConceito: Tipo de jornalismo disseminado nos mais diversos produtos jornalísticosManifestações do Jornalismo EspecializadoO Jornalismo Especializado diz respeito a três tipos de manifestações específicas: 1) Meios de Comunicação específicos (rádio, jornal, TV, internet etc) 2) Temas (econômico, científico esportivo, literário etc) 3) A junção dos dois anteriores: (radiofônico esportivo, econômico televisivo)Por que ocorre a especialização?“A especialização é fruto das exigências da audiência, cada vez mais diversa, quedemanda conteúdos específicos, que façam uma abordagem com profundidade erigor” (Berganza Conde)A divisão do ambiente jornalístico em editorias acaba por fomentar umaespecialização dentro do próprio jornalismo (Erbolato)A especialização do jornalismo é uma decorrência natural da lógica da divisão dotrabalho nos veículos de comunicação (Lustosa)Comparação com o modo de produçãoTaylorismoSistema de organização industrial criado pelo engenheiro mecânico e economistanorte-americano Frederick Winslow Taylor, no final do século XIX. A principalcaracterística deste sistema é a organização e divisão de tarefas dentro de umaempresa com o objetivo de obter o máximo de rendimento e eficiência com o mínimode tempo e atividade.Principais características:Divisão das tarefas de trabalho dentro de uma empresaEspecialização do trabalhadorTreinamento e preparação dos trabalhadores de acordo com as aptidõesapresentadas;
  2. 2. Adoção de métodos para diminuir a fadiga e os problemas de saúde dos trabalhadores;Implantação de melhorias nas condições e ambientes de trabalho;Uso de métodos padronizados para reduzir custos e aumentar a produtividade;FordismoSistema de produção, criado em 1914 pelo empresário norte-americano HenryFord, cuja principal característica é a fabricação em massa.Objetivo do sistemaO objetivo principal deste sistema era reduzir ao máximo os custos deprodução e assim baratear o produto, podendo vender para o maior númeropossível de consumidores.O fordismo foi o sistema de produção que mais se desenvolveu ao longo doséculo XX, sendo responsável pela produção em massa de mercadorias.Declínio do fordismoNa década de 1980, o fordismo entrou em declínio com o surgimento de umnovo sistema de produção mais eficiente: o toyotismoToyotismoSistema de organização criado na década de 1960, no Japão, voltado para a produçãode mercadorias. Foi aplicado na fábrica da Toyota.CaracterísticasMão-de-obra multifuncional e bem qualificada, treinada para conhecer todos osprocessos de produção, podendo atuar em várias áreas do sistema produtivo daempresa.Sistema voltado para a produção somente do necessário, evitando ao máximo oexcedente. A produção deve ser ajustada a demanda do mercado.Implantação do sistema de qualidade total em todas as etapas de produção.
  3. 3. Aplicação do sistema Just in Time, ou seja, produzir somente o necessário, no temponecessário e na quantidade necessária.Uso de pesquisas de mercado para adaptar os produtos às exigências dos clientes.A especialização dentro do JornalismoA especialização no jornalismo começa ocorrer ainda no século 19, quando ojornalismo se desenvolve nos EUA. É com a adoção novas rotinas que contrariam omodo publicista que o jornalismo passa a ganhar outra forma e deixa de ser políticopara se tornar lucrativo.Na lógica do capitalismo, ele passa a objetivar o lucro, e para isso são incluídas novasrotinas de produção como a lógica da divisão do trabalho:- modificação na concepção de jornal (são criadas as manchetes, matérias,reportagens, artigos)- divisão do trabalho (figura do tipógrafo, impressor, redator, editor e repórter)- divisão do jornal em espaço editorial e espaço publicitário (criação dos anúncios)Essa evolução vai se estender pelo século XX, com a divisão das editorias (política,economia, policial, cultural, esportivo etc) e da própria segmentação do jornalismo(feminino, infantil, masculino, cultural)O final do século, com o advento da internet, o toyotismo passa a ser explicitado nasredações, com o acumulo de funções e a exclusão de alguns cargos (alguns jornais, porexemplo, excluíram a figura do revisor, sendo a função acumulada pelo redator).E atualmente, a figura do jornalista multimídia acentua ainda mais essa tendência. Atépouco tempo o jornalista tinha a opção de escolher qual mídia se adaptava ou qual oramo de especialização iria seguir.Atualmente, com o desenvolvimento do jornalismo digital o jornalista vem setransformando num exímio produtor de conteúdo, e para isso passa a ser cobrado doprofissional o domínio de outras técnicas que até então eram optativas (edição devídeo, edição de áudio, atuação em redes sociais, noções de fotografia etc)Quem deve exercer a função do jornalismo especializado: o jornalista ou oespecialista?
  4. 4. O jornalista é em sua essência um mediador da sociedade. Ele é um intérprete entre oconhecimento técnico e científico e o senso comum. A ferramenta de trabalho dele é atécnica jornalística (apuração, produção e edição de textos).“Atribui-se ao jornalismo especializado o papel de buscar intermediar saberesespecializados na sociedade, construindo um novo tipo de discurso, o noticioso, ouapenas informacional, promovendo um outro tipo de conhecimento que se funde nacompreensão do universo científico e do senso comum”

×