“Quando dá certo, a cola é bem-vinda”
Elaboração de jogos no processo de ensino e aprendizagem
Prof. Alexandre Quadrado
O que é necessário para dar “certo”?
• Vontade do
professor
• Crer na
proposta
• “Dar nota”
para o aluno
Como sabemos que os
jogos em sala de aula
deram “certo”?
• Quando o aluno não pede para ir ao banheiro ou
para beber água;...
O que pode dar “errado” no jogo?
Não abordarem
o tema sugerido
Jogos de Tabuleiros inventados pelos alunos
A foto mostra o jogo
inventado da idade
média, onde o objetivo
era entrar no c...
Jogos e brincadeiras no processo de aprendizagem
• A brincadeira constitui
um incentivo ao
desenvolvimento de
novas habili...
• Os jogos e as
brincadeiras são fontes
de felicidade e prazer
que se fundamentam
no exercício da
liberdade e, por isso,
r...
• Brincar é colocar a
imaginação em ação.
O bom jogo não é
aquele que o aluno
pode dominar
corretamente, o
importante é qu...
• Nesse sentido, o lúdico tem caráter de liberdade
e subversão da ordem que contrapõe a lógica da
produtividade; indica pi...
• As brincadeiras estabelecem a relação entre o mundo
interno do individuo - imaginação, fantasia, símbolos - e o
mundo ex...
Outros exemplos de jogos
Dominó geográfico da região Sul
Através da brincadeira,
o aluno se apropria da
realidade, criando...
“Bingo da industrialização e urbanização
brasileira”
• A seguir temos as dicas estabelecidas do respectivo jogo:
• 1- Sécu...
Jogo da memória associativa do clima e vegetação da
américa
Nos jogos, o aluno começa a
estabelecer e entender regras
cons...
Jogo das três pistas dos continentes
• Os jogos e as
brincadeiras
ajudam os alunos
a vivenciarem
regras
preestabelecidas.
...
Como é feito os jogos em sala de aula?
• Após ou antes de abordar um conteúdo, lanço a ideia
que deverão pensar e criar um...
O que ainda falta em minha/nossa(s) aula(s)?
• Mais jogos variados criados por professores,
no qual possam abordar os cont...
FIM
O uso dos jogos no ensino e aprendizagem nas aulas de Geografia e História
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O uso dos jogos no ensino e aprendizagem nas aulas de Geografia e História

2.317 visualizações

Publicada em

construindo jogos para aulas de Geografia e História...

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

O uso dos jogos no ensino e aprendizagem nas aulas de Geografia e História

  1. 1. “Quando dá certo, a cola é bem-vinda” Elaboração de jogos no processo de ensino e aprendizagem Prof. Alexandre Quadrado
  2. 2. O que é necessário para dar “certo”? • Vontade do professor • Crer na proposta • “Dar nota” para o aluno
  3. 3. Como sabemos que os jogos em sala de aula deram “certo”? • Quando o aluno não pede para ir ao banheiro ou para beber água; • Não pergunta a hora do recreio e nem que horas é; • Pede para jogar de novo na próxima aula; • Quando no final do ano, lembra de uma determinada ideia/pergunta/ estratégia do jogo sugerido.
  4. 4. O que pode dar “errado” no jogo? Não abordarem o tema sugerido
  5. 5. Jogos de Tabuleiros inventados pelos alunos A foto mostra o jogo inventado da idade média, onde o objetivo era entrar no castelo, para isso, cada jogador deveria acertar as perguntas sobre a idade medieval...
  6. 6. Jogos e brincadeiras no processo de aprendizagem • A brincadeira constitui um incentivo ao desenvolvimento de novas habilidades e à busca de novas explicações, pois, para os alunos, é sempre mais agradável trabalhar sobre situações imaginárias e hipotéticas, seguindo determinadas regras.
  7. 7. • Os jogos e as brincadeiras são fontes de felicidade e prazer que se fundamentam no exercício da liberdade e, por isso, representam a conquista de quem pode sonhar, sentir, decidir, arquitetar, aventurar e agir, com energia para superar os desafios da brincadeira, recriando o tempo, o lugar e os objetos.
  8. 8. • Brincar é colocar a imaginação em ação. O bom jogo não é aquele que o aluno pode dominar corretamente, o importante é que o aluno possa jogar de maneira lógica e desafiadora, e que o jogo proporcione um contexto estimulador para suas atividades mentais e amplie sua capacidade de cooperação e libertação.
  9. 9. • Nesse sentido, o lúdico tem caráter de liberdade e subversão da ordem que contrapõe a lógica da produtividade; indica pistas para definição de papéis sociais e da cultura humana subjetiva.
  10. 10. • As brincadeiras estabelecem a relação entre o mundo interno do individuo - imaginação, fantasia, símbolos - e o mundo externo - realidade compartilhada com os outros. Ao mesmo tempo, os alunos, ao brincarem, vão criando condições de separarem esses dois mundos e de adquirirem o domínio sobre eles.
  11. 11. Outros exemplos de jogos Dominó geográfico da região Sul Através da brincadeira, o aluno se apropria da realidade, criando um espaço de aprendizagem em que possam expressar, de modo simbólico, suas fantasias, desejos, medos, sentimentos, sexualidade e agressividade.
  12. 12. “Bingo da industrialização e urbanização brasileira” • A seguir temos as dicas estabelecidas do respectivo jogo: • 1- Século que a atividade industrial não era tão significativa no Brasil: sec. XIX; • 2- Produto que movimentava a economia no Brasil antes da industrialização: Café; • 3- Estado do sudeste em que a industrialização foi mais intensa: São Paulo; • 4-Infra-estrutura de transporte utilizada pelas primeiras fabricas, porem pouco utilizadas atualmente: Portos e Ferrovias; • 5- Essencial para a produção de riqueza: Capital; • 6- Impulsionou a produção industrial no Brasil do século XX, devido à queda de produção industrial dos países envolvidos no conflito: As guerras mundiais; Cartela do Bingo de Industrialização e Urbanização Brasileira
  13. 13. Jogo da memória associativa do clima e vegetação da américa Nos jogos, o aluno começa a estabelecer e entender regras constituídas por si e/ ou pelo grupo. Desse modo, estará elaborando e resolvendo conflitos e hipóteses de conhecimento e, ao mesmo tempo, desenvolvendo a capacidade de entender pontos de vista diferentes do seu ou de fazer-se entender e de coordenar o seu ponto de vista com o do outro.
  14. 14. Jogo das três pistas dos continentes • Os jogos e as brincadeiras ajudam os alunos a vivenciarem regras preestabelecidas. Elas aprendem a esperar a sua vez e também a ganhar e perder.
  15. 15. Como é feito os jogos em sala de aula? • Após ou antes de abordar um conteúdo, lanço a ideia que deverão pensar e criar um jogo que aborde o tema estudado (ou a ser estudado); • Numa aula de 30min a 1h, os alunos se unem em grupos de 4 ou 5 pessoas, para criarem as ideias e regras de como será o jogo; • Na outra aula de 2h; os grupos confeccionarão o jogo com imagens e perguntas feitas pelos integrantes.
  16. 16. O que ainda falta em minha/nossa(s) aula(s)? • Mais jogos variados criados por professores, no qual possam abordar os conteúdos de uma forma mais “leve”, “descontraída”, “divertida”, “reflexiva”...
  17. 17. FIM

×