A EMPRESA VIVA

4.829 visualizações

Publicada em

Um social game para estimular a inovação na empresa e prepará-la para a transição dos negócios para uma sociedade-em-rede | Programa de Aprendizagem da empresa-em-rede Netweaving HCW

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.829
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.647
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A EMPRESA VIVA

  1. 1. Um programa de aprendizagem corporativa voltadopara a convivência em redeUm social game para estimular a inovação naempresa e prepará-la para a transição dos negóciospara uma sociedade-em-rede
  2. 2. Um programa da empresa-em-rede
  3. 3. Sua empresa precisa de uma rede de inovação?Mas uma rede de inovação não é uma ferramenta –uma plataforma – e sim pessoas, conectadashorizontalmente, interagindo por iniciativa própria.Na ausência de uma verdadeira rede social, qualquerplataforma interativa tende a ficar inativa.
  4. 4. Por que as iniciativas de articular redes de inovaçãoem empresas costumam dar errado?Em geral essas redes são urdidas artificialmente paraseguir uma nova moda e são adotadas como um novoexpediente de gestão corporativa que não altera ospadrões de relacionamento entra as pessoas quehabitam ou orbitam o ecossistema da empresa.
  5. 5. Projetos de rede dão errado quando as redesprogramadas não conseguem existir por si mesmas(não conformam uma entidade self-propelled). Issoacontece quando as pessoas:  não manifestam espontaneamente seu desejo de se conectar e interagir
  6. 6. Projetos de rede dão errado quando as pessoas:  não se interessam em compartilhar agendas por iniciativa voluntária  não freqüentam com regularidade as ferramentas de netweaving instaladas, que ficam então ociosas, recaindo o trabalho de alimentá-las sobre uma equipe burocrática
  7. 7. Costumam dar errado: Redes implantadas top down por instânciashierárquicas Redes de instâncias hierárquicas em vez depessoas Redes de adesão compulsória
  8. 8. Costumam dar errado: Redes avaliadas com métricas fixas, estabelecidasex ante Redes corporativas fechadas aos stakeholders Redes com um escopo pré-fixado
  9. 9. Costumam dar errado: Redes que confundem as ferramentas com aspessoas, tomando as mídias sociais (plataformas,sites, portais e outros mecanismos de comunicação)pelas redes sociais (pessoas interagindo)
  10. 10. Tecer redes é alterar um padrão de organização (maisdistribuído do que centralizado), não adotar um novotipo de organização ou uma nova ferramenta.Veja no próximo slide as diferenças entrecentralização, descentralização e distribuição.
  11. 11. BARAN, Paul (1964). On Distributed Communications. Santa Monica: Rand Corporation, 1964.
  12. 12. Um padrão de organização mais distribuído do quecentralizado configura um ambiente mais favorável àinteração.Um ambiente mais interativo aumenta as chances deinovação.Este é o objetivo do programa.
  13. 13. A Empresa Viva funciona ativando a rede socialdentro da empresa a partir dos desejos de seusstakeholders, por meio da instalação de um creativesocial game.
  14. 14. O social game A Empresa Viva é instalado em umencontro presencial de pessoas da empresa a partirde uma única pergunta:“ – Se você pudesse fazer apenas uma mudança nasua empresa, que mudança seria esta?”
  15. 15. Em torno das mudanças desejadas formam-secomunidades durante o encontro de instalação dogame.Terminado o encontro as respostas – em forma devídeo – são publicadas em uma plataforma de gamee vão continuar rodando no dia-a-dia da empresa.
  16. 16. Todas as pessoas da empresa são chamadas a aderir auma comunidade de desejo já formada ou a propornovas comunidades.Bem... aí começa o jogo! Um jogo cooperativo, complacar, badges, desafios, emulações e vertigem.
  17. 17. A medida que jogam, as pessoas da empresa passama confiar na rede social e a gostar de se relacionarumas com as outras.Ao proporem mudanças – de produto, processo ougestão – as pessoas passam a inovar e a polinizarmutuamente suas inovações, dando origem a umprocesso de collective creativity.
  18. 18. E a medida que jogam, as pessoas passam a realizarvárias atividades rotineiras da empresa dentro dogame, transformando o trabalho repetitivo em umaatividade lúdica, prazerosa e, sobretudo, desejável.
  19. 19. Um programa criado, desenvolvido e aplicado porAUGUSTO DE FRANCO CACAU GUARNIERI NILTON LESSA
  20. 20. PARA CONTRATAR O PROGRAMAhttp://dojonave.ning.com/page/a-empresa-viva

×