Vl Forum de mineração  A FOSFORITA OLINDA S/A E SEUS    PASSIVOS SOCIOAMBIENTAIS
Antonio Augusto CoutinhoEngenheiro de Minas, mestrando em Engenharia Mineral – UFPE                               Rafaella...
A Fosforita Olinda S/A (FASA).Uma abordagem ao passivo ambientalEmpresa vinculada ao setor de mineração e beneficia-mento ...
Olinda é um município do estado de Pernambuco,Região Metropolitana do Recife.População de 377.779 habitantes.Área de 41,65...
FASA - Fosforita de Olinda S.A.Passivos ambientais• Geração de problemas socioeconômicos ocasionados  pela demissão em mas...
Perfil EstratigráficoBacia sedimentar Pernambuco/Paraíba
Perfil EstratigráficoBacia sedimentar Pernambuco/Paraíba
As rochas fosfáticas encontradas ao norte do estado dePernambuco são de origem sedimentar e estão localizadas naregião cos...
“Passivo Socioambiental é constituído     pela avaliação do impactocumulativo que a atividade cause no ambiente e na socie...
Taxa temporal bruta de mortalidade por câncer no município deOlinda, entre 1980 e 2002, (Secretaria Estadual deSaúde/PE, 2...
O câncer no sistema respiratório quasequadruplicou: taxa bruta de mortalidade          2,83% em 1980          9,37 % em 2002
Taxa de Mortalidade (em 100.000) (*) por Câncer doPulmão, Traquéia e Brônquios, segundo sexo.Brasil e Grandes Regiões - 19...
 Considerando que a ingestão de água é a via principal para a contaminação radioativa.     Sabe-se que 80% dos recursos ...
Departamento de Energia Nuclear daUniversidade    Federal    de    Pernambuco(DEN/UFPE) desenvolve estudo dos teores derad...
Desde a antiguidade, eram conhecido os problemas e dificuldades pelada falta de água potável e de alimentos.   Era do cons...
O progressivo aumento da mortalidade pordoenças     crônico-degenerativas     como       ocâncer, requer a promoção de um ...
Entre outras pesquisas resta ainda realizar estudosmais detalhados: Quanto aos teores do 222Rn. Quanto teores de carcino...
Agradeço a todos!
Fosforita Olinda SA Impactos Ambientais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fosforita Olinda SA Impactos Ambientais

1.436 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.436
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fosforita Olinda SA Impactos Ambientais

  1. 1. Vl Forum de mineração A FOSFORITA OLINDA S/A E SEUS PASSIVOS SOCIOAMBIENTAIS
  2. 2. Antonio Augusto CoutinhoEngenheiro de Minas, mestrando em Engenharia Mineral – UFPE Rafaella Carolina Ribeiro SilvaGeógrafa Licenciada, mestranda em Engenharia Mineral – UFPE Márcio Luiz de Siqueira Campos BarrosProf. DrC. Eng. Civil. PPGEMinas - Universidade Federal de Pernambuco Kênia Valença CorreiaProfª. DrªC. PPGEMinas - Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  3. 3. A Fosforita Olinda S/A (FASA).Uma abordagem ao passivo ambientalEmpresa vinculada ao setor de mineração e beneficia-mento de fertilizantes que atuou entre os anos de 1957a 1968 na cidade de Olinda.
  4. 4. Olinda é um município do estado de Pernambuco,Região Metropolitana do Recife.População de 377.779 habitantes.Área de 41,659 km².Densidade demográfica de 9.068,36 habitantes/km².Dados IBGE 2010
  5. 5. FASA - Fosforita de Olinda S.A.Passivos ambientais• Geração de problemas socioeconômicos ocasionados pela demissão em massa.• Não ocorreu a reabilitação das áreas degradadas pela mineração.• Houve ocupação urbana sem prévia análise de riscos.• Poluição e o assoreamento do leito do rio Beberibe.
  6. 6. Perfil EstratigráficoBacia sedimentar Pernambuco/Paraíba
  7. 7. Perfil EstratigráficoBacia sedimentar Pernambuco/Paraíba
  8. 8. As rochas fosfáticas encontradas ao norte do estado dePernambuco são de origem sedimentar e estão localizadas naregião costeira. Nestes depósitos, o teor de P2O5 é inferior a 10% nas regiõespróximas ao mar e cresce na direção oeste. As concentrações de U3O8 (30 a 500 ppm) estão localizadasem áreas próximas ou envolvido por extensos aquíferos conside-rados potáveis, as jazidas de fosfato.
  9. 9. “Passivo Socioambiental é constituído pela avaliação do impactocumulativo que a atividade cause no ambiente e na sociedade, sejamimpactos de natureza material como degradação, acumulação deresíduos, drenagem de recursos etc. ou de natureza imaterial comoalterações sensíveis na dinâmica social, representadas principalmen-te pela geração de novas necessidades sociais”.Neves (2002)
  10. 10. Taxa temporal bruta de mortalidade por câncer no município deOlinda, entre 1980 e 2002, (Secretaria Estadual deSaúde/PE, 2005). Verifica-se um aumentou significativo, especialmente em relaçãoao câncer de pulmão e de próstata, o câncer de estômagomostrou poucas variações em 22 anos (de 1980 a 2002).
  11. 11. O câncer no sistema respiratório quasequadruplicou: taxa bruta de mortalidade 2,83% em 1980 9,37 % em 2002
  12. 12. Taxa de Mortalidade (em 100.000) (*) por Câncer doPulmão, Traquéia e Brônquios, segundo sexo.Brasil e Grandes Regiões - 1991, 1996 e 1998 1991 1996 1998Regiões homens mulheres homens mulheres homens mulheresBrasil 10,7 3,8 11,6 4,5 12,0 4,8Norte 3,7 1,8 5,1 2,3 5,4 2,2Nordeste 3,2 1,5 4,2 1,9 4,7 2,3Sudeste 14,2 4,8 15,1 5,6 14,9 5,8Sul 20,1 6,3 20,2 7,6 22,8 8,4Centro- 6,9 3,2 8,7 4,2 8,2 4,3Oeste Fonte: Ministério da Saúde/CENEPI: Base de dados do SIM e base demográfica do IBGE Nota: (*) Taxa não ajustada por idade
  13. 13.  Considerando que a ingestão de água é a via principal para a contaminação radioativa. Sabe-se que 80% dos recursos hídricos subter- râneos de abastecimento público localizam-se nos depósitos de fosfato, o qual é rico em urânio.
  14. 14. Departamento de Energia Nuclear daUniversidade Federal de Pernambuco(DEN/UFPE) desenvolve estudo dos teores deradionuclídeos registrados na camadamineralizada por fosfato que ocorre na baciasedimentar Pernambuco/Paraíba da série 238U.226Ra, 222Rn, 210Pb e 210Po, em águassubterrâneas dessa região.
  15. 15. Desde a antiguidade, eram conhecido os problemas e dificuldades pelada falta de água potável e de alimentos. Era do consenso geral que o ar, necessário para a respiração dosseres humanos e de outros seres vivos, nunca deixaria de estar disponívelde forma adequada à manutenção da vida. Contudo, a qualidade do ar tornou-se uma das maiores preocupaçõesnesta virada de século. Entende-se como poluição do ar, a mudança em sua composição ouem suas propriedades, decorrentes das emissões de poluentes A brumas marinhas (bactérias e microcristais de cloreto e brometosalcalinos), produtos vegetais (grãos de pólen, hidrocarbonetos ealérgenos), produtos de erupções vulcânicas (enxofre, óxidos deenxofre, vários tipos de partículas, ácido sulfúrico, dentre outros) e poeirasextraterrestres (material pulverizado de meteoritos que chegam àatmosfera); enquanto que os de origem artificial podem ser representadospelos radionúcleos, derivados plúmbicos e os derivados halogenadosde hidrocarbonetos (COELHO, 1977: 156-157).
  16. 16. O progressivo aumento da mortalidade pordoenças crônico-degenerativas como ocâncer, requer a promoção de um sistema deinforma-ções, a fim de gerar dados estatísticos deboa qualidade para o planejamento de ações naárea de saúde.Jacob Kligerman 2000 – Dir Geral do IINCA
  17. 17. Entre outras pesquisas resta ainda realizar estudosmais detalhados: Quanto aos teores do 222Rn. Quanto teores de carcinogênos na atmosfera.
  18. 18. Agradeço a todos!

×