AD1 2014.2 Educação a Distância

600 visualizações

Publicada em

Trabalho referente a Avaliação a Distância 1 da disciplina EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - PEDAGOGIA/UERJ/CEDERJ

Publicada em: Educação
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

AD1 2014.2 Educação a Distância

  1. 1. Coordenador: Marcos Silva. Tutores: Flávia, Rosemary e Patrícia. Alunos (polo São Pedro da Aldeia): Fábio dos Santos Azevedo - 12112080073 Antonio Marcos Rodrigues Ribeiro - 12112080091 Gilmar Ercival Brand - 11212080400
  2. 2. Após a leitura dos comentários expostos no fórum “Superando a Pedagogia da Transmissão” podemos afirmar que todos os alunos da disciplina Educação a Distância tiveram uma educação tradicional onde o ensino se dava do Professor, aquele que detinha todo o conhecimento, para o aluno, aquele estava apto para receber todo o conhecimento. Fica evidente, também, o questionamento com relação ao fato de o EAD ainda não conseguir libertar-se da prática de ensino tradicional a qual é notada nas formas de avaliações que ainda permanecem pautadas nos modelos antigos. Todavia, no emaranhado de disciplinas presente no curso de Licenciatura em Pedagogia já conseguimos presenciar poucas disciplinas que conseguem quebrar a barreira com o tradicional, entretanto, o grande questionamento que os alunos fazem é: Porque nos ensinam “teoria” da prática de ensino pautada na pedagogia libertadora de Paulo Freire e na hora de efetivá-la ainda estão presos a uma modelo de avaliação tradicional?
  3. 3. Não podemos deixar de considerar todo o contexto histórico que cada geração está exposta, bem como a enorme variável que a envolve. Não que isso sirva de álibi para práticas retrógadas, mas não podemos julgá-las e sim buscar compreendê-las dentro do seu contexto e a partir daí buscar rompê-la de maneira que não utilizemos as mesmas práticas no nosso contexto. Ao olharmos para o passado, verificamos o quão o sistema de ensino era opressivo “professores jogavam apagador nos alunos”, entretanto, podemos dizer que talvez pouco mudou, ou seja, a prática de punição corporal não se faz presente, porém, a maneira como é dirigida as aulas permanece a mesma, não acompanhando a evolução que acontece fora da escola. Atualmente, com o advento da internet, passamos por mudanças muita rápidas, mudanças essas que as crianças acompanham normalmente uma vez que faz parte da realidade delas, porém, os profissionais de educação demonstram não estarem preparados.
  4. 4. Anísio Teixeira ressalta em seu texto “como as escolas de cultura geral do homem comum ficaram com os mestres preparados para ministrar a cultura muito mais simples e paroquial do século passado”, por outro lado “A Universidade conservou, a despeito de tudo, um certo controle dessa cultura extremamente difusa e em explosiva mudança, graças à alta qualidade dos seus professores e à vigorosa institucionalização de sua independência e sua liberdade”. Ou seja, temos uma universidade que segundo Anísio Teixeira se diz mais aberta a receptividade das mudanças e ao acompanhamento das inovações e um ensino básico que não consegue se desprender das raízes tradicionais. Dessa maneira o professor do ensino básico deverá estar dotado de extrema perspicácia a ponto de poder acompanhar toda as mudanças que ocorrem em um mundo cada vez mais globalizado tornando o ensino prazeroso, bem como atuando como um mediador/facilitador da aprendizagem.
  5. 5. A era das TIC’s tem marcado, no âmbito da sociedade, da cultura, da economia, e outros uma nova forma de visualizar e interagir com o mundo. Os valores, os princípios, os produtos, os processos, os comportamentos, os instrumentos científicos e tecnológicos estão cada vez mais globalizados a rotina das pessoas. Em casa, no trabalho, no lazer, nos deslocamentos, nas comunicações, nos serviços e, entre outros, na educação, o ser humano se vê obrigado a aprender, no seu dia-a-dia a utilizar e obter os resultados que a tecnologia promete, conforme suas necessidades pessoais e coletivas. A incorporação crescente das TIC’s ao processo ensino- aprendizagem, vem tornando a modalidade educacional EAD mais extensiva em público e audiência, rompendo barreiras culturais, de língua, de espaço geográfico, de tempo, tanto quanto vem dinamizando os modos de ensinar e aprender, e de realizar as interações necessárias entre "aprendiz/interface, aprendiz/conteúdo, aprendiz/professor, aprendiz/aprendiz" (Hoffman e Mackin,1996).
  6. 6. Há algum tempo atrás o conhecimento era para poucos, o que os possibilitavam serem os donos do poder. mas isso mudou... Essas mudanças contribuíram para uma sociedade formada por cidadãos mais consciente, ativos, críticos, questionadores, informados e participantes da sociedade. Sabedores e exerceres de seus direitos e deveres.
  7. 7. “O futuro da educação está fora do campus tradicional, fora da sala de aula tradicional” Peter Drucker “Em um mundo ideal, nós teremos acesso constante a todo o conhecimento existente ... salas de aulas se formarão espontaneamente em tempo real no ciberespaço, com pessoas entrando e saindo constantemente ... nós poderemos aprender ou frequentar aulas com quem quisermos, sempre que quisermos ... nós teremos feedback de especialistas virtuais que nos observarão e nos ensinarão ... e finalmente, aprenderemos em nossos sonhos.” John Seely Brown
  8. 8. Durante anos as formas de ensinar baseadas na Pedagogia da transmissão, cujos alicerces são a memorização e a repetição dos conteúdos, dominaram o cenário da educação formal. Tratava-se de práticas que pouco ou nunca permitiam abordagens dialógicas do que se propunha a ensinar, e com isso, diminuíam-se os espaços para a criação discente. Com o advento das novas tecnologias da informação, tendo como principal protagonista a internet, novas demandas foram criadas, e com isso, a necessidade de novas formas de ensinar foram pensadas no intuito de atender às novas gerações de aprendizes que anseiam pela interação e pelo conhecimento.
  9. 9. É bem verdade que bem antes das mídias de massa surgirem, pensadores como Paulo Freira e Anísio Teixeira já defendiam uma abordagem educacional baseada no diálogo, permitindo a cocriação. Onde os que ensinam também aprendem com os seus aprendizes. Mas foi com o surgimento das mídias de massa que essas novas formas de educação puderam ser postas em prática, modificando os “espaçostempos” onde as mesmas se desenvolvem, transformando assim os formatos das salas de aula e a forma de atuação daqueles que se propõem a ensinar. Saem as salas de aula com carteiras enfileiradas e entram em cena novos layouts que permitem maiores interações e acesso às tecnologias da informação. Aquele antigo mestre que era senhor e detentor único de toda sabedoria, deu lugar ao facilitador e mediador do conhecimento, utilizando as suas técnicas para possibilitar o envolvimento dos alunos com os novos saberes.
  10. 10. Outro aspecto importante, está relacionado ao desenvolvimento das tecnologias mediáticas e seu uso para a educação. Esse assunto nos faz refletir sobre os porquês de essas tecnologias não terem a mesma eficiência para a educação escolar e a formação humana, que possuem para o entretenimento, a propaganda e o consumismo. Nos tornando escravos e usuários passivos diante de sua vasta gama de possibilidades. Anísio Teixeira em uma de suas obras defendia que: “Toda essa imensa revolução dos meios de comunicação não poderia deixar de criar, em sua fase inicial, antes a confusão do que o esclarecimento, sobretudo porque esses meios não foram sequer conservados na posse dos grupos responsáveis pela educação do homem, como a escrita e a imprensa, por exemplo, de certo modo se mantiveram, mas se fizeram recursos para a propaganda e a diversão comercializada, quando não para o condicionamento político e ideológico do homem.”
  11. 11. Através das palavras de Anísio Teixeira, percebemos a sua grande preocupação com os caminhos que a educação vem tomando frente às novas tecnologias de informação para as massas. Esse ilustre educador nos deixou o legado de que as escolas e as universidades precisam se inserir nesse processo de transformação científica que estamos presenciando, para que essa avalanche de informações na qual estamos submetidos diariamente seja transformada em conhecimentos indispensáveis à vida humana.
  12. 12.  http://graduacao.cederj.edu.br/ava/mod/forum/discuss.php?d=148450. Acesso em 10 AGO 2014;  http://graduacao.cederj.edu.br/ava/pluginfile.php/191011/mod_resource/content/4/S uperando%20a%20Pedaggia%20da%20Transmiss%C3%A3o.pdf. Acesso em 06 AGO 2014;  TEIXEIRA, Anísio. Mestres de amanhã. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro , vol. 40, nº 92, out./dez. 1963. P.10-19 ;  De Anísio Teixeira a Cibercultura: Desafios para a Formação de Professores ontem, hoje e amanhã. Disponível em: <http://graduacao.cederj.edu.br/ava/course/view.php?id=603>;  http://atividadecolaborativa.blogspot.com.br/. Acesso em 09 AGO 2014;
  13. 13. “O principal objetivo da Educação é criar pessoas capazes de fazer coisas novas e não simplesmente repetir o que as outras gerações fizeram.” (Jean Piaget)

×