JAPT Janeiro 2011

968 visualizações

Publicada em

Primeira edição da Revista Jane Austen Portugal

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
968
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
78
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

JAPT Janeiro 2011

  1. 1. 1Revista Jane Austen Portugal UM MÊS, UM LIVRO Com Persuasão JANEIRO DE 2011 Nº 1 janeaustenpt.blogs.sapo.pt
  2. 2. 2Índice1. A História dos Romances (Persuasão) 32. Uma Leve Impressão sobre Persuasão 43. Dois Filmes, a Mesma História a. Persuasão 1995 7 b. Persuasão 2007 9 c. Remar Contra a Maré 124. Anne Elliot 135. Capitão Wentworth 156. Lady Russel, Uma Vilã Disfarçada? 177. Sir Walter Elliot 228. Elizabeth Elliot 249. Mr. Elliot 2610. Mrs. Croft 2711. Mrs. Clay – Oportunista Inocente? 2812. Cap. Harville e Cap. Benwick 2913. O Casal Perfeito – Almirante e Mrs. Croft 31
  3. 3. A História dos Romances 3Por Clara FerreiraPersuasão foi o último romanceacabado por Jane Austen. Contudo,Austen começou a escrevê-lo poucodepois de acabar Emma, algures entreAgosto de 1815, terminando-o emAgosto de 1816 (cerca de um anoantes da sua morte).Inicialmente, Persuasão, intitulava-se“The Elliots”, mas acredita-se que,mesmo em vida, não tenha sido umtítulo que agradasse a Jane Austen, eraapenas a expressão que utilizavaquando se referia àquela obra. FoiHenry Austen quem escolheu o actualtítulo Persuasão.Austen terminou o primeiro rascunho revisto e adicionado mais partes. Janeem Julho de 1816. Depois de Emma,Jane Austen não publicou mais Austen não estava satisfeita com o finalnenhuma obra em vida por problemas de The Elliots e re-escreveu os dois últimos capítulos, terminando-os a 6financeiros da família e por isso The de Agosto de 1816.Elliots e Susan (mais tarde A Abadia deNorthanger) acabaram por só ser Persuasão acabou por só ser publicadopublicados postumamente. em Dezembro de 1817, embora dateOs sítomas da sua doença surgiram por de 1818, juntamente com A Abadiaaltura em que escrevia The Elliots, daí de Northanger - as duas obras de Jane Austen publicadas postumamente e asque se especule que Persuasão não sejaum romance completo, foi escrito com primeiras onde se atribuiu a Janepressa e foi-nos deixado incompleto, Austen a autoria, graças à Introduçãono sentido em que Jane o poderia ter que Henry Austen faz para estas duas obras publicadas em conjunto.
  4. 4. Uma Leve Impressão sobre 4PersuasãoPor Paula FreirePersusão é o último dos romancesescritos por Jane Austen. Foiterminado pouco tempo antes da suamorte, não tendo a autora aoportunidade de o rever. Coincidênciaou não com o período que atravessavana sua vida, Jane Austen confere àheroína desta estória umapersonalidade mais madura, maisconsciente da vida e das pessoas e bemassim das suas qualidades e fragilidades.Este é, para mim, o romance quemelhor define a escrita desta autoraque tanto admiro. Trata-se de umtexto, em comparação com osanteriores, escrito de uma forma maismadura, com mais confiança, maisserenidade e certeza quanto aodesenrolar da estória e quanto à de frases bem escritas, bemmodelação das personagens. A escrita estruturadas e cheias de significadoprende-nos logo no início pela forma quanto ao seu objecto. Mais uma vez,como discorre sobre a personagem de Jane Austen caracteriza de formaSir Walter Elliot. sublime, inteligente e subtil as fraquezas da sociedade de então.Embora a frase mais famosa de JaneAusten faça parte de “Orgulho e A heroína desta estória é Anne Elliot,Preconceito” – curiosamente a sua uma jovem que vive com o seu pai, Sirobra mais famosa também -, a Walter Elliot, na propriedade deverdade é que “Persuasão” está repleto Kellynch-hall, no Somerstshire. O
  5. 5. cavalheiro tinha como (grande)distracção o Baronetage, um livro quemais não era do que o registo da sua porque tinha herdado tudo de sua mãe, incluindo a beleza, pelo que era a quem Sir Walter Elliot dedicava toda a sua 5árvore genealógica. Apenas via virtude atenção e respeito. Quanto a Mary, umna beleza e noutras futilidades de casamento menos relevante quanto aentão. Como bem escreve a nossa fortuna e situação tinha-a colocadoautora “a vaidade era o princípio e o num lugar de menor importância parafim da personalidade de Sir Walter seu pai.Elliot; vaidade pessoal e de situação". Jane AustenAnne era, para seu pai, umajovem que não merecia grande descreve, através de Lady Russell (umaconsideração porquanto a sua beleza amiga íntima da família pela parte danão era de grande evidência. Segundo Mrs Elliot), a encantadora Anne Elliotele, Anne há muito que perdera a da seguinte forma: “(…) Anne,vivacidade da juventude. Já Elizabeth, a possuidora de uma elegância defilha mais velha, era a sua favorita espírito e de uma doçura de carácter
  6. 6. que deveriam tê-la colocado numelevado lugar na consideração dequalquer pessoa dotada de verdadeira estória, a que pôs fim por respeito à família. O capitão Wentworth era (e é) o eleito do seu afecto. Ao longo da 6compreensão, não era ninguém, nem estória Anne irá deparar-se com o seupara o pai nem para a irmã: a sua voz desprezo e até com o seu desdém.não tinha qualquer peso; a sua Será perante estas situações, e outrasconveniência residia em transigir, ceder que surgirão, que Anne mostrará asempre – era apenas Anne. É verdade grandeza e a elegância do seu carácterque, para Lady Russell, ela erarealmente uma muito querida e Um outro aspecto que gostei emaltamente apreciada afilhada, a sua “Persuasão” foi, como diz uma daspreferida e amiga. Lady Russell amava- personagens do filme “O clube deas a todas, mas só em Anne conseguia leitura de Jane Austen”, a força e oimaginar que a mãe poderia voltar a impacto que Jane Austen imprime aviver." uma carta bem escrita.Anne viveu um grande amor oito anos Estas são algumas das característicasantes da localização temporal da que admiro na escrita de Jane Austen.
  7. 7. Dois Filmes, A Mesma História 7Persuasão 1995Por Vera SantosEsta não é a primeira adaptação Fiel à obra de Jane Austen esta é umadaquele que é o último livro de Jane adaptação que não desilude mesmoAusten, antes desta houve duas: uma aqueles mais puristas que não suportamem 1960 e outra em 1971. qualquer alteração em relação ao livro.Mas esta é com certeza a adaptação Todos sabemos o quanto isso é difícil,que mais pessoas têm na memória. Foi já que a linguagem do cinema e dosexibido pela BBC e posteriormente foi livros é diferente e por isso aestreado nos cinemas um pouco por adaptação é sempre complicada.todo o mundo. Quantas vezes não vemos um filme e depois ao ler um
  8. 8. livro acabamos desiludidos? Ou vice-versa? Isso não acontece aqui.Tal como no livro depressa Anne muda, parecendo pálida e triste no início e mais luminoso e bonito no fim. Talvez aqui a maquilhagem tenha 8 ajudado um pouco, mas mesmo assimpercebemos como Anne é querida pela Amanda Root consegue exprimir afamília Musgrove e desprezada pela doçura de carácter de Anne e a suasua, a vaidade do Sir Walter, a aflição quando reencontra o Capitãoinfluência que Lady Russell tem sobre a Wentworth. O mesmo digo de Ciáranfamília, especialmente sobre Anne, Hinds que consegue ser frio no inícioentre outras coisas igualmente e muito doce a partir do encontro naimportantes. pastelaria em Bath. Ainda sobre o elenco acrescento que a MaryQuanto às actuações dos actores acho-os a todos perfeitos, tanto os Musgrove é interpretada por Sophieprotagonistas: Amanda Root e Ciaran Thompson, irmã de Emma Thompson.Hinds como todos os secundários. Éformidável a forma como o rosto de
  9. 9. Persuasão 2007Por Clara Ferreira 9Não há Darcys nem Lizzies que verdadeiramente que a carta de amorconsigam o que esta Anne Elliot e este de Wentworth é a melhor de toda aFredrick Wentworth conseguem - literatura, precisamente porque é umaenvolver os espectadores no romance carta escrita por uma escritora mulhermais profundo e mais verdadeiro de que a coloca nas mãos de umaJane Austen. personagem masculina.Confesso que Persuasão tem um lugar “Não consigo mais permanecermuito especial no meu coração e esta em silêncio. Tenho de falaradaptação em especial. Embora por contigo pelos meios de quevezes se afaste da obra, é quase agora disponho. Trespassaste acriminoso, se não fosse terrivelmente minha alma. Sou metadepoético, a distorção da cena da carta agonia, metade esperança. Nãode Wentworth a Anne a revelar-lhe os me digas que é demasiado tardeseus sentimentos. Acredito e que sentimentos tão preciosos
  10. 10. desapareceram para sempre.Ofereço-me novamente à tuapessoa com um coração ainda noite ou jamais o faça.” 10 entre em casa do teu pai esta Tenho uma adoração secreta por Sirmais teu do que quando quase opartiste há oito anos e meio. Elliot, embora seja snob a todo eNão digas que um homem qualquer custo, diverte-me imensoesquece mais depressa do que dado o ridículo em que se deixa cair euma mulher, que o seu amor o actor desta versão é excelente.morre mais cedo. Eu somente te Elizabeth é para mim um enigma, nãoamei a ti. Posso ter sido injusto, consigo compreender esta personagem,fraco e ressentido, fui, mas mas em comparação com a versão denunca inconstante. Somente a 1995 esta interpretação é muitotua pessoa me trouxe a Bath. melhor, tal como a maioria dasPor ti apenas, eu penso e ajo. restantes.Não viste isso? Falhaste a Considero que esta Mary Musgrove éentender os meus desejos? Não do melhor que há, para além de nosteria esperado nem estes dez proporcionar muito riso, passa para odias se pudesse ler os teussentimentos, como penso quepenetraste nos meus. Malconsigo escrever. A cadainstante oiço algo que meoprime. Baixas a voz mas eu seidistinguir os tons dessa vozmesmo quando ela se perdepara os outros. Demasiadobondosa, excelente criatura! Tufazes-nos justiça, de facto.Acreditas no verdadeiro afecto econstância entre os homens.Acredita nisto, mais fervoroso econstante, F.W.Parto, incerto sobre a minhasorte, mas voltarei aqui ou paraa tua festa. Uma palavra, umolhar será suficiente para que eu
  11. 11. ecrã toda a frivolidade e necessidade deatenção tão características desta irmãmais nova. 11 possível, se a entrega da carta fosse tal e qual como no livro, embora a corrida de Anne seja deveras empolgante e o beijo tremendamente demorado... aíAnne Elliot no corpo de Sally Hawkins acho que exageraram. Mas o final énão podia estar melhor. A actriz lindíssimo, o regresso a Kellynch e o arconsegue dar-lhe a ternura e de apaixonados, adorável mesmo!maturidade devidas para além detrespassar a tristeza que vive. Uma curiosidade, o actor que aqui interpreta o papel de Mr. Musgrove éQuanto a Wentworth, enfim, Rupert Nicholas Farrel, o Edmund Bertram daPenry-Jones será o eterno Wentworth, versão de Mansfield Park de 1983, sóvenham as adaptações que vierem! hoje ao rever o filme é que meComo já referi aqui, adoro esta versão, apercebi que era ele, um pouco mais velho, claro!mas gostaria ainda mais, se é que é
  12. 12. Remar Contra a MaréPor Cátia Pereira 12 no que diz respeito à frieza e ao egocentrismo que os caracterizam. Eu sei que neste filme de 2007 algumas cenas afastam-se da obra literária em si mas, confesso, que esta versão fala mais ao meu coração. O desenho dos personagens, a fotografia, o guarda-roupa e a banda sonora criam na minha mente todo o cenário e percurso da nossa heroína. Se repararem, o filme tem uma tonalidadeAté hoje ainda só consegui assistir a sombria e cinzenta; aspecto que éversão de 1995 e a de 2007 de muito criticado sobre este filme. MasPersuasão. Apesar de saber que a esta subtileza ressalta e reforça comopreferência geral vai para a versão de era a vida de Anne e de Frederick1995, eu remo contra a maré: gosto separados: fria, cinzenta e triste. Ummais da versão de 2007. detalhe acrescentado à história que a enriquece são os momentos em queDo meu ponto de vista, Sally Hawkins Anne Elliot aparece a escrever numaconsegue criar uma Anne Elliot espécie de diário. Se, por um lado,completa. Ela consegue transmitir a permite que se conheça osresignação, a tristeza, a solidão da pensamentos e sentimentos de Anne;personagem num só olhar. Para além por outro lado, leva-nos a identificardisso, ela personifica a doçura e a Anne Elliot como a própria Janesuavidade de carácter de Anne. De Austen. Entenda-se que a minhaigual forma, Sir Walter Elliot e Miss afirmação resulta da minha opinião eElizabeth Elliot parecem-me ser melhor interpretação pessoal.retratados nesta versão, principalmente
  13. 13. Anne ElliotPor Cátia Pereira 13Jane Austen apresenta-nos AnneElliot de duas formas no início dolivro: o que ela era quandoconheceu Frederick e o que elase tornou após o afastamentoentre ambos. Então, quando elesse conheceram Anne era "umarapariga extremamente bonita,dotada de delicadeza, modéstia,bom gosto e sensibilidade".Depois "o seu viço dissipara-secedo", causado essencialmentepelo afastamento de Wentworth. doçura de carácter queFisicamente sabemos que Anne teria deveriam tê-la colocado num"traços delicados e doces olhos elevado lugar na consideraçãoescuros" e que seria "magra e sem de qualquer pessoa dotada deviço". verdadeira compreensão, não era ninguém, nem para o paiPortanto, pela descrição feita no livro nem para a irmã: a sua voz nãofico sempre com a convicção de que tinha qualquer peso; a sua vozAnne Elliot seria bonita, mas de uma não tinha qualquer peso; a suamaneira discreta. Ela não teria uma conveniência residia embeleza chamativa e exuberante. E, este transigir, ceder sempre - eraaspecto físico, quase que é apenas Anne."transportado para a sua própriapersonalidade. Quantos sentimentos guardará o coração de Anne Elliot? Quanta paixãoImagino Anne Elliot possuidora de uma existe por detrás de seus gestos? Ébeleza silenciosa. quase um lugar comum considerá-la lenta, sossegada, conformada e "Anne , possuidora de uma "boazinha". Afasto-me totalmente elegância de espírito e uma
  14. 14. desta caracterização. Para mim, AnneElliot foi e sempre será uma mulhercom classe, com rectidão, com bom Deixem-me ser bastante franca, a 14 forma como ela é tratada pela família mais próxima cria em mim umsenso e corajosa. O grande problema sentimento de revolta.na vida dela é que ninguém lhereconhece isto. O seu pai e irmã a Vemos ao longo da história o descansoignoram e a tratam quase como uma e a forma humilhante como ela écriada, Mary (sua irmã) trata-a como tratada pela família e a tudo isto elase ela tivesse a obrigação de a nunca responde na mesma moeda.consolar, Lady Russel (que apesar de a Nunca lhe vemos uma palavra amarga.amar sinceramente) trata-a como se Nunca lhe adivinhamos um gestoela não tivesse qualquer tipo de brusco. Nunca lhe escapa sequer umacapacidade de discernimento e até queixa. Acompanhamos o seuWentworth acredita na sua falta de sofrimento de ter aberto mão do seufirmeza de carácter. O cunhado e a grande amor e de vê-lo a cortejarfamília dele, que até demonstram afecto outra pessoa.por ela, não lhe dedicam atenção. Eu não faço segredo de que amo esteApenas usufruem do bem-estar que a livro - Persuasão - e de que mecompanhia dela proporciona. Anne é identifico com Anne Elliot. Ler o seuprofundamente incompreendida por percurso é, muitas vezes para mim,todos. A meu ver, para além de um como olhar-me ao espelho. Identifico-amor frustrado, é deste aspecto - da me com o que é dito e descrito; abraçoincompreensão - que advém toda a o que fica por dizer.sua tristeza. Para mim, era muito importante falar sobre Anne Elliot neste dia em que completo 35 anos. Mas ainda muito mais terei a dizer.
  15. 15. Capitão Frederick Wentworth 15Por Vera SantosOs homens fardados atraem as fardados virem sempre rodeados deatenções do sexo oposto, é uma uma certa aura de heróis. Afinalatracção inexplicável, e no tempo de enfrentam perigo no seu trabalho, masJane Austen, também era assim, basta ainda mais numa altura como a daver as atenções prestadas aos homens Jane que existiam as guerrasfardados das estórias de Jane. napoleónicas, o interesse e a excitação por estes homens aumentavaDizia-me uma vez uma colega que um consideravelmente.homem estando fardado significaemprego, logo dinheiro, logo a Se Frederick Wentworth fosse apenaspossibilidade de casar. Mas eu não mais um homem fardado num livro,concordo eu acho que a atracção quase com certeza que não valeria a penairresistível vem do facto de os homens escrever sobre ele. Mas ele é o herói do
  16. 16. livro e ao contrário de outros não é oanti-herói que assume um duplo papelde herói e anti-herói, mas somente e defeitos, quando aparece em cena, 16 trata de uma forma bastante fria Anne, mostra-se disponível para as irmãsapenas o herói. Desde o momento em Musgrove, levando quem os rodeia aque se fala dele, somos logo levados supor um a vê- sentimento que não existe, afinal elelo como alguém com bom carácter, nunca esqueceu Anne. Estas pequenasintegro, sendo o seu único problema a faltas, não o tornam um monstro efalta de dinheiro e de conhecimentos. acabam por lhe dar uma humanidade que poucos personagens de ficção "... um jovem conseguem ter. Wentworth é apenas extraordinariamente simpático, um homem que amou e não esqueceu, dotado de grande inteligência, ficou ferido por ser rejeitado, isso fê-lo denodo e talento.." criar ressentimentos, mas felizmente ".... um jovem que não tinha percebeu tudo isso e acabou por arriscar e conseguir ficar com a sua nada a recomendá-lo, além de amada. ele próprio..." ".... O Capitão Wentworth não O melhor de Wentworth, para uma mulher que leia o livro é mesmo isto: possuía fortuna...." amou Anne e continuou a amá-laContudo, Wentworth, apesar de todas durante oito anos, provando umaas suas qualidades não é isento de constância que poucos homens reais são capazes.
  17. 17. Lady Russel, Uma Vilã Disfarçada? 17Por Clara FerreiraNutri sempre um carinho especial por Também é certo que, por pouco, Ladyesta personagem e de certa forma, Russell não voltava a encaminhar Annetambém alguma reverência. Mas para um futuro menos seguro com Mr.parece-me inevitável que não surja a William Elliot, apenas por uma questãoquestão: Até que ponto a influência de de vaidade. Serão todas estas acções eLady Russell sobre Anne quase destruiu interferências de Lady Russela sua felicidade? desculpáveis? Qual o papel dela na história?É indiscutível que a recusa de Anne àproposta de Wentworth oito anos antesse deveu, fortemente, à opiniãonegativa de Lady Russell. Mas creio que Antes de mais, comecemos por saberela não pode servir de bode expiatório quem ela é. Lady Russell é uma viúvapara as acções de Anne, e ela própria de longa data, velha amiga de Ladyadmite isso. Elliot, com fortuna e que sempre se julgou que pudesse vir a ser a próxima "Não culpava Lady Russell, não Lady Elliot - embora, na minha sincera se culpava a si própria por ter opinião, considere isso praticamente seguido os seus conselhos" impraticável. Depois da morte de Lady Elliot ocupou um espaço "maternal" na vida de Anne e também das outras
  18. 18. meninas Elliot, mas Anne é sem dúvidaa sua predilecta. Sempre a encareicomo detentora de grande os bons princípios e ensinamentos que 18 ela transmitira empenhadamente àsgenerosidade e amizade. Tem filhas"qualidades que não devem sermenosprezadas e tem falhas, sim, "Esta amiga e Sir Walter nãoalgumas. Mas é precisamente isso que casaram, ao contrário do que asa torna tão real. suas relações poderiam levar a supor (...). O facto de Lady "Ela tinha, porém, uma amiga Russell, uma mulher com muito íntima, uma mulher maturidade de idade e de sensata e digna que ela tinha carácter e com uma situação convencido, com a sua grande económica extremamente boa, amizade, a vir vever perto dela, não pensar num segundo na aldeia de Kellynch; e Lady casamento, não necessita de Elliot confiava sobretudo na sua qualquer justificação perante o generosidade e nos seus bons público, o qual tende a ficar, conselhos para ajudar a manter absurdamente, mais descontente
  19. 19. quando uma mulher volta a casar-se do que quando ela não se casa" das pessoas, o caso de Anne. Lady Russell é a única personagem do círculo familiar que tem o devido 19 respeito por Anne e reconhece o seu "Lady Russell gostava delas valor e a sua integridade, e quase todas todas, mas era apenas em Anne as vezes parece ser a única que se que ela imaginava que a mãe preocupa com o bem-estar de Anne. pudesse reviver". "Era uma mulher bondosa, caridosa, amável, capaz deSendo uma Senhora da Alta Classe amizade fortes, com uma conduta extremamente correcta,compreende-se até certo ponto, algunsdos seus preconceitos - a propósito da severa nas suas noções deunião de Anne com Frederick; a decoro e com maneiras que eram consideradas o padrão daimportância dada às Darymple; odesejo da união de Anne com Mr. Elliot boa educação. Ela possuía umapara a ver ocupar o lugar da mãe. E tal mente cultivada e era, de umcomo Jane Austen refere, são modo geral, racional e coerente - tinha porém, preconceitos nopreconceitos capazes de a cegarperante os defeitos de quem os possui que dizia respeito à linhagem:- como ela atribuía grande valor à posiçãofaz com Mr.Elliot. Se, por social e àum lado, importância, oparece ser que a tornava um poucouma máavaliadora de cega emcarácteres, relação aos defeitos dospor outro,sabe dar valor que ase reconhecer possuíam. "as qualidades
  20. 20. 20 na altura, ela não tinha consciência do verdadeiro amor entre ambos e achava aquilo uma paixoneta passageira. Podemos pensar, talvez se ele fosse Duque, filho de um Sir, isso não fosse relevante e ela consideraria que a "paixoneta" era um bom partido. Todavia, temos de admitir que, mesmo sem grandes preconceitos à mistura, aLady Russell é então união erauma amiga, uma totalmenteconfidente (até certoponto), um ombroamigo uma influência ereferência para Anne. Daí a imprudente. Wentworth estava numaimportância que Anne atribui à sua posição arriscada, estávamos no tempoopinião, porque temos de reconhecer das Guerras Napoleónicas e talvez, istoque Lady Russell é uma pessoa de sou eu a supor, tanto ele como Annecarácter íntegro e razoável embora tivessem de provar algo mais um aotenha uma boa dose de orgulho que a outro, tivessem de garantir o seu amortende a cegar. Mas não é uma pela constância no tempo.influência maldosa, porque o que elaprocura é o melhor para Anne. E dasua maneira é isso que a leva a ser tão "Sir Walter (...) achava que eradura em relação à união de Anne com uma união muito degradante; eWentworth oito anos antes, para ela, Lady Russell, embora com umtudo aquilo era uma grande orgulho mais comedido eimprudência. Eu sou de acreditar que
  21. 21. desculpável, considerava-aextremamente infeliz""Lady Russell via a situação de vista" 21 união sob todos os pontos de Confundir Lady Russell como uma vilãum modo diferente. O é um erro. Podemos gostar mais outemperamento optimista dele e menos dela, mas é indiscutível, ela é oa sua ousadia de espírito grande suporte de Anne e das poucasfuncionavam de um modo muito que, ao longo da história, sabe parar ediferente nela. Ela via-os como perguntar, "como estás Anne". Se nãouma intensificação do mal. Só lhe quisermos chamar mãe substituta,tornavam o carácter dele ainda temos ao menos de lhe dar o devidomais perigoso. Ele era brilhante, valor e de admitir que ela é umaobstinado. Lady Russell gostava Senhora com "S" grande, que funcionapouco de ditos espirituosos, e como um símbolo de fortepara ela, tudo o que se independência da mulher e que é dasaproximasse da imprudência era personagens mais reais e corpóreasum horror. Ela censurava a alguma vez criadas por Jane Austen.
  22. 22. Sir Walter ElliotPor Cátia Pereira 22 "A vaidade era o princípio e o satisfazer o seu bem-estar e as suas fim da personalidade de Sir exigências. Menos do que isso seria Walter Elliot: vaidade pessoal e demasiadamente, nas suas próprias de situação." palavras, "degradante". O seu quotidiano resumia-se à satisfação das suas próprias conveniências e a constatação da extensão da sua imagem. " Sir Walter Elliot, de Kellynch- Hall, no Sommersetshire, era um homem que, para se distrair, nunca pegava noutro livro que não fosse o Baronetage: nele encontrava ocupação para uma hora de lazer e consolo" Se o único defeito de Sir Walter Elliot fosse a vaidade talvez eu não o recriminasse tanto. Nos livros de Jane Auten podemos encontrar uma variedade de tipos de figuras paternais.Ele é possuidor de um título, Todos eles com maneiras específicas depropriedades, bens, educação, classe e ser e com diferentes formas de serbeleza. Sir Walter Elliot tem a relacionar com os seus filhos e filhas.convicção de que o mundo existe e Em Persuasão, a meu ver, encontro orespira unicamente por causa da sua tipo paternal execrável. Sei que, ditoexistência. O nome Elliot seria sempre assim, esta minha afirmação pode soarum nome a ser reverenciado. Nadapoderá ser mais importante do que
  23. 23. exagerada. Mas explicarei as minhasrazões.Toda a pompa, circunstância e simplesmente não existe. Excepto, 23 talvez, quando é necessário que alguém cumpra alguma tarefa desagradável. Mesmo na situação da possível uniãoreverência das quais Sir Elliot se julga entre Anne e Frederick, Sir Walter nemmerecedor; toda a vaidade e presunção sequer se dá ao trabalho de manifestarde seus gestos, palavras e atitudes discordância.seriam desculpáveis se ele se mostrasseser efectivamente um pai carinhoso, "Sir Walter, quando foipresente e cuidadoso das suas três solicitado nesse sentido, semfilhas. A única filha a quem ele dedica recusar, de facto, o seureal afeição é Miss Elizabeth Elliot. consentimento, ou dizer que talPermitam-me dizer: tenho certeza de coisa jamais poderia acontecer,que isto acontece apenas porque ela é reagiu com todo o negativismoa versão feminina dele. Herdou-lhe a do grande espanto, da grandebeleza, a vaidade e a presunção. O que frieza, do grande silêncio e deconstitui uma prova mais do que uma resolução manifesta de nãopalpável da dimensão do seu fazer nada pela filha"egocentrismo. A impressão que eu tenho sempre que "como era muito bonita, e leio "Persuasão" é a de que Sir Walter muito semelhante a ele, a sua Elliot é um pai indiferente, frio e influência fora sempre grande e distante. Por vezes, sobressai mais o tinham-se dado os dois muito lado frio. Outras vezes, sobressai a bem juntos. O valor das suas indiferença. Mas o que me perturba duas outras filhas era muito mais é a sua indiferença. Não há nada inferior" pior que a indiferença. Tudo isto, estou convicta está na raiz dos defeitos eSomente à Miss Elliot ele dedicava as frustrações das filhas.suas conversas, "preocupações",passeios e decisões. Vemos, ao longo Sei que as filhas, cada uma da suado livro, o desprezo com o qual ele maneira, amavam o pai. É o que Janeolha para Mary - por se ter casado transmite-nos. Mas eu, enquantocom alguém que ele julga inferior aos leitora, devo manifestar a minhaElliot - e a total indiferença repulsa por Sir Walter. Nunca lherelativamente à Anne. Ela perdoarei a indiferença.
  24. 24. Elizabeth ElliotPor Cátia Pereira 24É a filha mais velha de Sir Walter Elliot autoridade dentro de Kellynch-hall.e de Lady Elliot. Herdou do pai a Era, por isso, autoritária.beleza e a personalidade. Elizabeth é,sem dúvida, uma cópia do seu pai na Nota-se que o seu relacionamento comvaidade, no orgulho, na presunção, na as irmãs revela, mais uma vez, afrivolidade, na superficialidade e na semelhança com o pai: distanciamento,indiferença por todos os que não frieza e indiferença. Havia, contudo, uma preocupação que era exclusivamente sua: ser ainda solteira. Guardava para si esta preocupação de ver a idade a avançar eestivessem ao nível dos Elliot.Partilhava interesse pelas conversas,assuntos e preocupações de SirWalter Elliot. Pelo lado da mãeherdou - por ser a filha mais velha -a posição social e os direitos. Desde não ter pretendentes à sua altura emcedo assumiu o seu papel de senhora vista. Talvez a sua própria vaidade nãoda casa e a sua palavra tornou-se lhe permitiria partilhar esta
  25. 25. preocupação nem com o seu pai nemcom ninguém. "tinha a consciência de contar 25 da irmã, por esta ter tido as atenções de Frederick Wentworth. Bem sei que para ela o mais importante é a posição social e o peso que isto tem em vinte e nove anos a causar-lhe honrarias e privilégios. Mas imagino alguns pesares e algumas que uma mulher vaidosa e presunçosa apreensões. Estava plenamente como ela é, deverá ter tido algum convencida de que ainda era tão ciúme de ver um jovem bonito como bonita como sempre fora, mas Frederick preferir Anne, que para todos sentia aproximarem-se os anos "é apenas Anne". perigosos (...)"Pergunto-me, muitas vezes, se nopassado não terá Elizabeth tido ciúmes
  26. 26. Mr. ElliotPor Vera Santos 26Diz o povo: Nem tudo o que reluz é Mas debaixo das maneiras afáveis, daouro e esta frase só por si já resumia boa educação, da cordialidade,bem a personalidade de Mr. Elliott. esconde-se alguém que estando em situação económica precária procuraO primo da família Elliott que um dia agora uma forma de ter novamenteirá herdar a fortuna e o título de Sir dinheiro; sendo ele herdeiro de SirWalter, que surge como um parente Walter é preciso assegurar que estecom o qual não existem relações uma não volte a casar e a ter um herdeirovez que Mr. Elliott casou com uma do sexo masculino que herdaria amulher sem pedir autorização a Sir fortuna.Walter e isso ditou o fim das relaçõesentre ambos; este casamento foi feito Assim, a aproximação à família Elliot écom vista a ser independente, já que a apenas feita para garantir que os seusmulher tinha uma vasta fortuna. interesses serão preservados. O Mr. Elliott corteja ainda assiduamente AnnePouco se sabe dele até que surge e pretende casar com ela, numanovamente em Bath, agora viúvo, e tentativa de melhor conseguir os seusreata as suas relações com os Elliott, intentos.depressa se torna numa pessoaapreciada por Sir Walter e pelas Li algures que o Mr. Elliot personificasuas filhas Elizabeth e Anne. aquelas que pessoas que debaixo da cortesia, boas maneiras, boa educação se esconde muitas vezes alguém que não olha a meios para atingir os fins e só se interessa por si mesmo. Não podia concordar mais com esta afirmação.
  27. 27. Mrs. Croft 27Por Clara FerreiraA par de Lady Russell, Mrs. Croft temum carácter muito sólido, e em certosaspectos muito mais desenvolto einfinitamente mais aberto que a própriaLady Russell; é, como li algures (forammuitos os artigos que passei porrevista), uma alternativa para Anne aomodelo adulto feminino que lhe éapresentado pela mão de Lady Russellou Mrs. Musgrove.Mrs. Croft é uma personagem decarácter forte, é uma mulher inteligentee muito confiante, é isso que mostra apropósito do argumento que apresenta vigor na sua forma, o que lhea Wentworth, aquando da sua discussão dava uma certa importância.a respeito das mulheres nos navios - Tinha brilhantes olhos negros,Capitão Wentworth tenta argumentar bons dentes, e no conjunto umade que as mulheres são criaturas face agradável; embora a suasensíveis como flores e que devem ser complexidade se apresentassepoupadas da vida rude e dura do mar, bronzeada e um poucoela contrapõe dizendo que as mulheres maltratada pelo tempo, comosão seres racionais e que ninguém consequência dos anos passadosespere que elas desejem permanecer ao lado do marido no mar.”em águas calmas toda a vida. “As suas maneiras eram muito “Pareceu-me uma mulher muito abertas, fáceis e decididas, como bem-falante, gentil, perspicaz de alguém com total confiança (…)” em si própria e sem dúvidas sobre o que fazer, contudo, sem “Nem muito alta nem muito gorda, tinha postura, rectidão e qualquer rudeza e sempre de bom humor”
  28. 28. Mrs. Clay – Oportunista Inocente? 28Por Marina Nunes Persuasão ainda mais interessante. A sua astúcia em lisonjear Elizabeth e o pai, para ser das suas relações intimas, a sua candura, falsa mas aparente, conquistaram pai e filha e fez com que ela acreditasse que poderia ser a futura Mrs Elliot. Contudo, a sua astúcia e inteligência desvanecem-se quando aparece Mr. Elliot e ela se apaixona. Os seus actos deixam de ser "seus" para passarem a ser comandados por ele e pelas suas promessas.Mrs. Clay tem a minha inimizade desdea primeira vez que li Persuasão... E o fim de Mrs. Clay é o esperadoOportunista, falsa, manipuladora... Um numa obra destas:autêntico lobo com pele de cordeiro. " Os sentimentos de Ms Clay "... uma filha de Mr. Shepherd, tinham-se sobreposto aos seus que regressara, após um interesses e ela sacrificara, por casamento mal sucedido, a casa amor do jovem cavalheiro, a de seu pai ... mulher nova e possibilidade de continuar inteligente, que compreendia a durante mais tempo as suas arte de agradar... pelo menos, maquinações para apanhar Sir em Kellynch-Hall." Walter".Mrs. Clay não tem influência directa na Pergunto-me: E se ela tivesse casadohistória de Wentworth e Anne mas a com Sir Walter? O que teriasua relação com o pai e a irmã de acontecido?Anne e posteriormente com Mr Elliotajudam a tornar toda a trama de
  29. 29. Capitão Harville e Capitão Benwick – Os 29Amigos do HeróiPor Marina NunesCapitão Harville e Capitão Benwick O capitão Harville, parece-me, tinhasão os Amigos de Wentworth... são de Wentworth não apenas a amizadeaqueles com quem ele privou durante sincera mas também o respeito deas suas viagens e aos quais mantêm a homem mais velho. Mas, acima desua amizade. Ambos são importantes tudo, uma amizade sincera e fiel.no desenrolar da história dos nossosheróis porque é por eles que " Toda incorporada na minha amizade,Wentworth vai a Lyme e leva com ele Sophia. (...) e traria qualquer coisa doos Musgrove e Anne. A relação, quer Harville do fim do mundo, se elede um quer de outro, com Anne já faz quisesse."antever o quanto iria ser harmoniosa a É aliás esta amizade que o leva a Lymevida de Anne com o Capitão para ver o amigo que está doente porWentworth.
  30. 30. ter sido gravemente ferido. E Lyme émuito importante nesta nossa história. "O capitão Benwick fora, há 30 no caso de Benwick, e aqui Wentworth tinha uma razão sólida para "condenar" Anne por não o ter aceitado 8 anos antes. Benwick acaba por casar com algum tempo, primeiro Louisa Musgrove e aqui "resolve" um tenente de Laconia, e o relato problema a Wentworth. Contudo, que o Capitão Wentworth fizera também "desanima" Wentworth que dele, ... os elogios calorosos que não compreende como é que ele lhe dedicara como excelente conseguiu esquecer a irmã de Harville jovem e oficial... seguidos de que descreve como "mulher superior", uma pequena história da sua tal como ele considera Anne. vida particular que o tornara absolutamente interessante aos Tenho grande simpatia por estas olhos de todas as senhoras. personagens. São personagens de Estivera noivo da irmã do "sentimentos": a amizade entre eles e Capitão Harville e chorava Wentworth, a tristeza pela perda da agora a sua perda. Tinham irmã de Harville, o amor de Benwick e esperado um ou dois anos pela a sua apatia pela perda, o seu "novo fortuna e promoção (...)" amor" por Louisa, a tristeza de Harville por a sua irmã ter sido esquecida. EEm relação a Benwick acho que nunca poderei deixar de falar no factoWentworth vê na história dele uma de que é com Harville que Anne falasemelhança com a sua. Esperar pela quando o Capitão escreve a lindafortuna ou pela idade para ficar com carta...quem se ama poderia acabar mal como
  31. 31. O Casal Perfeito- Almirante e Mrs. CroftPor Clara Ferreira 31 descontracção perante tudo e todos. AÉ difícil não nos rendermos a este sua mente aberta varreu-lhes muitoscasal. Comungam de uma felicidade preconceitos, isto possivelmente graçasimensa que transpira em cada frase que aos muitos anos fora da sempre atentaJane escreve sobre eles. São duas sociedade inglesa e da quantidade dealmas feitas uma para a outra, o realidades que enfrentaram ecarácter amigável e passivo do conheceram nas suas viagensAlmirante Croft contrasta com a marítimas.confiança e abertura de Mrs. Croft.Mas o que sobressai neste casal é a sua bastante simbolismo. Parecem servir de prenúncio para aquilo que virá a ser o casamento de Anne e Wentworth. O amor de ambos é igualmente constante e tem sobrevivido a muitas tempestades, é um casal sem falsas modéstias, sempre muito divertido, sem preconceitos Este casal tem de facto – lembro-me agora da passagem do
  32. 32. livro em que Anne sobe para a tipóiacom eles, e o Almirante e Mrs. Croft seapertam no banco de dois lugares para comum às outras obras de Jane, que casais tão felizes e completos encontramos em O&P ou S&S ou 32dar espaço a Anne e de como a mesmo Parque de Mansfield? Emconversa deles durante esse percurso é Emma temos Mr. e Mrs. Weston, emtão relaxada e despreocupada; ou da Abadia de Northanger, Mr. e Mrs.conversa de Mrs. Croft no jantar Morland e Mr. e Mrs. Allen, sim, équando entra numa luta de argumentos certo, mas um casal tão feliz, completocom o irmão a propósito das mulheres e em pé de igualdade como comnos navios. Almirante e Mrs. Croft, acho que não encontramos – neste casal, não háSão um claro símbolo de felicidade, uma mulher por detrás de um grandealiás, Persuasão está repleto de casais homem; há antes uma grande mulherfelizes, cada um à sua maneira - Mr. e ao lado de um grande homem.Mrs. Musgrove, Captain Harville e Mrs.Harville. E saliento que não é algo
  33. 33. 33Quem desejar ver o seu texto publicado na Revista do blogue Jane Austen Portugal, basta enviar um mail para janeaustenpt@sapo.pt com o texto O tema da próxima edição é: Orgulho e Preconceito

×