SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
Baixar para ler offline
1
Sessão 2
16 de março, 2013
Amadora, Portugal
Pedagogia
empreendedora
Dana T. Redford, PhD
Presidente da
Diretor da Faculdade CEE
& Conselho de Administração IES-PSP
Professor Auxiliar Convidado
Coordenador 4 Projetos e Perito da UE
Associado e Consultor Estratégico
Diretor de Câmara Comércio Americana
Avaliador e Destinatário das Melhores Práticas Educacionais
Empreendedor Internacional
Sérgio Leal, MsC
3
Sócio-Diretor do Centro de Estudos e Formação EDUCATE
Professor de FQ Escola Secundária Padre António Vieira
Coordenador de Projetos da ESPAV
Formador/Explicador/Comunicador de FQ/TIC/Empreendedorismo
Vogal do Conselho Fiscal
Colaborador com o IST no projeto e-lab
Aluno de Doutoramento
Boa Prática da FEG UCP, Porto
4
Uma das oito boas
práticas de Educação
em Empreendedorismo
na OCDE em 2010
Msc – Entrepreneurship,
Leadership and
Opportunity Recognition
Uma história empreendedora
…Em Portugal!
Projeto ADEPTT
• “Acknowledging and Developing
Entrepreneurial Practice in Teacher
Training (ADEPTT)” Projeto Leonardo
para Transferência de Inovação com a
designação 2011-1-ES1-LEO05-36404.
Está financiado pela Comissão Europeia,
Fundação Calouste Gulbenkian e pela
COTEC e Fundação Aga Kahn –
K’Cidades.
6
7
O que é que as
pessoas pensam
sobre os
empreendedores
O que é que as
pessoas pensam
sobre os
empreendedores
Empresas
Normas e
Comportamentos
Empresas
Normas e
Comportamentos
Tradições
culturais,
preferências,
e
comportamentos
Tradições
culturais,
preferências,
e
comportamentos
Contexto de Empreendedorismo na Sociedade
Portuguesa / Europeia
Estados Unidos da América
8
Visão EUA: Nunca se é novo de mais para se começar
Como é que consigo convencer os pais
a fazer uma empresa?
Como é que consigo convencer a minha
avó a dar-me a receita secreta de
limonada?
Que tipo de stand irá atrair os
consumidores mais sedentos?
Qual o melhor local para montar o stand?
Eu preciso de 250€ para um bicicleta nova,
quantos copos de limonada terei de vender?
AS CRIANÇAS APRENDEM COMO VENDER!
Europa
9
Visão EUROPEIA: Muito novo para se começar
É permitido aos pais fazer um menor
criar uma empresa?
Será que a avó possui direitos legais para a
sua receita de limonada?
Que tipo de regulação da UE existe para que
eu me possa queixar de estarem a beber
bebidas frescas na rua?
Eu preciso de uma autorização do Governo
Local para montar um stand?
Eu preciso de passar faturas e pagar taxas?
PORQUE NÃO POSSO SIMPLESMENTE VENDER?
10
11
3 Aspetos importantes sobre Empregabilidade
“Employability is about having the capacity
to gain initial employment, maintain
employment and obtain new employment if
required.” (Hillage & Pollards, 1998)
Ideia de Adam-Smith de auto-regulação dos
mercados:
“Knowledge is the new basis for wealth”
(Thurow, 2000)
12
Grandes mudanças na Sociedade
(Megatendências)
Demografia:
A Geração madura,
pessoas nascidas antes de 1946
Os Baby Boomers,
pessoas nascidas entre 1946 - 1964
Geração X,
pessoas nascidas entre 1964 - 1979
Geração Y,
pessoas nascidas entre 1980 - 2000
Geração Milénio,
pessoas nascidas a partir de 2000 
Mudanças Demográficas
• Como será o Mundo quando for mais
velho? E a Europa? E Portugal?
• Vídeo
14
Macrotendências — Últimos 50 anos
Tendências Impacto
Baby Boomers Fraldas, rock & roll, televisão,
minivans, bens imóveis, grandes
moradias
Computador pessoal Internet, media-on-demand,
publicação eletrónica, folhas de
cálculo, comunicação eletrónica
Obesidade Drenar no sistema de saúde,
crescimento na indústria de dieta,
mudanças na indústria alimentar,
clubes de sáude, ginásios
Renda dupla
Famílias
Assistência a crianças, serviços
domésticos: paisagismo, limpeza
da casa, alimentos preparados
Macrotendências — Próximos 50 anos
Tendências Impacto
Macrotendências — Próximos 50 anos
Tendências Impacto
Economias
emergentes
Conetividade Internet, media-on-demand, ...
Cuidados de saúde,
Sociedade
envelhecida &
Obesidade
Organização do
trabalho: Renda dupla
Famílias
Quiz: EUA Mercado de trabalho
• Qual é a atual percentagem de
desempregados nos EUA?
18
Desempregados nos EUA
19
O que é o mercado de trabalho nos EUA
• Caracterizado por rotatividade
• Empreendedor
• “At will employments States” = Níveis
relativamente baixos de lealdade do
empregado e da empresa
• Fraca rede de segurança providenciada
pelo Governo
• A saúde é um problema para os
trabalhadores e empresas – Reformas
recentes
20
População nos Países Desenvolvidos
21
Projeções da População Mundial
22
Desempregados nos EUA
23
Desempregados nos EUA
24
Desemprego Jovem a nível Mundial
25
O que é empreendedorismo?
Quais são os atributos/
competências para se ser
empreendedor?
26
Nas áreas seguintes?
• Atitude
• Criatividade
• Relacionamento
• Organização
27
Atitude
• Auto-conhecimento / crença / confiança
• Motivação
• Ambição
• Determinação
• Competitividade
Criatividade
• Resolução de problemas
• O pensamento lateral /
geração de ideias
• Criação de oportunidades
• Inovação
Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
Relacionamentos
• Trabalhar com outras pessoas
• Gerir situações difíceis
• Negociação / persuasão /
influência
• Apresentação
• Comunicação
Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
Organização
• Planeamento
• Gerir recursos
• Tomada de decisão
• Investigação / Conhecer o
meio
• Gerir riscos
• Visão / estabelecimento de
metas
Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
20 Características do Empreendedorismo
A
Atitude
C
Criatividade
R
Relacionamento
O
Organização
Competências
Atividades
individuais
Aplicações
Usar competências
num contexto
empreendedor
4 dimensões
Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
Resultados de aprendizagem
• Conhecimento:
– Conhecer a diferença entre investigação
científica, inovação e empreendedorismo
• Competência:
– Ser capaz de utilizar ferramentas como o
mapeamento e o Brain storming
– Ser capaz de aumentar a utilização efetiva das
ideias e criatividade dos alunos e das suas
competências mais relevantes
– Ser capaz de apoiar a Inovação em Educação em
sala de aula
• Capacidade de implementação:
– Ser capaz de apoiar jovens inventores na
participação das Olimpíadas Científicas Nacionais
de Criatividade – Caminho da Inovação
NECESSIDADES
34
NECESSIDADE – SOLUÇÃO - PRODUTO
Criatividade
Criatividade eficaz Impacto
Processo de por as Ideias em Ação
Processo de ideiasProcesso de ideias
Take offTake off
Produção de um plano de negóciosProdução de um plano de negóciosProdutoProdutoSoluçãoSoluçãoNecessidadeNecessidade
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Desenvolvimento de produtoDesenvolvimento de produto
Processo científicoProcesso científico
Flipping the classroom (Troca de sala de aula)
http://www.youtube.com/watch?v=u2BQbe_tLXc
http://pt.wikipedia.org/wiki/Khan_Academy
http://www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/
Análise de necessidades
37
Necessidade:
Areia no meu
sapato
O que é que isto
realmente significa?
Que soluções eu
posso sugerir?
Cada um é ajudado no que ele(a) foi criado para
Criar Criatividade fora da zona de conforto
Zona de
conforto
Preferências
Eu
Linguagem
Capacidade
Atitude
Motivação na Aprendizagem: “Saltar fora da
nossa zona de conforto”
Linguagem
Atitude
ComunicaçãoComunicação FormaçãoFormação
CriatividadeCriatividade
Capacidade de implementaçãoCapacidade de implementação
ConhecimentoConhecimento CompetênciasCompetências
Talento inato
Educação (Conhecimento, Competências e
Capacidades) na prática
Knowledge triangle
InnovaçãoInnovação
InvestigaçãoInvestigaçãoEducaçãoEducação
Criatividade
Criatividade
ComunicaçãoComunicação
Formação
Formação
A Economia baseada no Conhecimento
Indústria/NegócioIndústria/Negócio
AcademiaAcademia
Spin-offsSpin-offs
InvestigaçãoInvestigação
FormaçãoFormação
ComunicaçãoComunicação
CriatividadeCriatividade
InovaçãoInovação
EducaçãoEducação
Rubrica de avaliação para as Olimpíadas
Nacionais – Percurso de Inovação
  Pobre
2
Necessita de
melhorar
4
Suficiente
6
Bom
8
Excelente
10
Novidade Ideia é conhecimento Ideia é o novo design
de um produto já
existente
Ideia é nova mas não
registada como
patente
Ideia registada como
patente
Inovação com patente
registada ou pendente
Originalidade A ideia nãomostra o
uso de discernimento,
definido necessidade
ou problema.
A ideia resolve uma
necessidade definida.
Ideia é perspicaz em
resolver a necessidade
definida.
Ideia é original e
perspicaz para
resolver a necessidade
definida.
A ideia é um produto
original de uma
perspicaz investigação
de uma necessidade
definida.
Conhecimento de
campo
Nenhum conhecimento
das áreas relevantes
de estudo ou recursos
necessários para o
desenvolvimento da
ideia.
Conhecimento limitado
das áreas que estão
relacionadas com a
ideia.
O mentor da ideia
mostra conhecimento
do que a sua ideia
visa.
Conhecimento
alargado das áreas de
estudo em que a ideia
é baseada.
Conhecimento
profundo das áreas de
estudo em que a ideia
é baseada e com
relevantes recursos.
Funcionalidade Nenhum modelo de
ideia nem protótipo.
O modelo de ideia está
pronto, mas limitado.
Nenhum protótipo foi
produzido.
O modelo da ideia está
pronto e possui
estrutura. Protótipo
possui uma
funcionalidade limitada
e enconta-se em
desenvolvimento.
O protótipo está pronto
mas possui um
número limitado de
testes. A
Reestruturação irá
utilizar os resultados
dos testes.
Ideia totalmente
funcional e é um
protótipo do resultado
desenvolvido pelos
testes realizados.
Planos de produção
prontos.
Fatia de mercado Nenhum trabalho foi
feito atendendo ao
potencial de mercado
ou perfil do cliente.
O mercado é
vagamente definido e
nenhum teste foi
realizado.
A ideia tem definida a
quota de mercado e o
perfil do cliente.
A pesquisa de
mercado foi feita e os
resultados foram
utilizados para o
desenvolvimento da
ideia.
Foi analisado o
mercado a nível local,
regional, nacional e
mesmo internacional.
Foram identificados os
principais
concorrentes.
 
Custo Nenhuma tentativa foi
feita para estimativa do
custo de produção.
Tentativa de estimativa
de custo de produção.
Custo de produção em
pequena escala foi
apresentada.
Custo de produção é
apresentado a nível
regional e nacional.
Custo total de
produção é
apresentado num
plano de negócios.
Estratégia Estratégia para a
produção e marketing
não é apresentado.
Tentativas feitas para
apresentar uma
estratégia comercial
que não é totalmente
desenvolvida.
Estratégia de
marketing é
apresentado em
pequena escala.
Estratégia regional e
nacional está
desenvolvida –
incluindo marca e
publicidade.
Estratégia de mercado
é totalmente
apresentado.
45
Desenvolvimento de Ideias para Alunos
46
Empreendedorismo em Portugal
• A importância da promoção
Empreendedorismo em Portugal (Cont.)
- De acordo com Global
Entrepreneurship Monitor 2004
Portugal possui uma baixa taxa de atividade
empreendedora:
- Apenas 4 empreendedores para cada 100 pessoas
(idades 18-64)
- N.º 28 no ranking dos 34 países (GEM 2004)
- N.º 13 nos 16 países da UE (GEM 2004)
47
“Total Atividade Empreendedora”, 2000-2004
CROATIA
HKONG
JAPAN
BELGIUM
CTAIPE
SLOVENI
FRANCE
RUSSIA
NETHERL
SWEDEN
SINGAPO
FINLAND
GERMANY
SPAIN
UK
ISRAEL
SAFRIC
GREECE
DENMARK
POLAND
PORTUGA
SWITZER
ITALY
HUNGARY
NORWAY
IRELAND
CANADA
ICELAND
CHINA
US
AUSTRAL
INDIA
ARGENTI
BRAZIL
NZEALA
KOREA
CHILE
MEXICO
THAILAN
VENEZUE
UGANDA
AllCountries
0,00
5,00
10,00
15,00
20,00
25,00
30,00
35,00
Total Entrepreneurial Activity [TEA] Index Average [1-4 yrs:2000 to 2004]
sub-title
Numberper10018to64yrsold[95%confidenceinterval]
Fonte: Global Entrepreneurship Monitor, 2004
48
Empreendedorismo em Portugal
• Características do Empreendedorismo em
Portugal*:
• Surgem mais empreendedores do que empresários de negócios
• Proximidade no género de empreendedores (48% feminino; 52%
masculino)
• A maioria dos empresários encontram-se focados para o setor do
consumo (71%)
• Empreendedores mais frequentemente motivados pelo desejo de
aproveitar uma oportunidade de negócio em vez de agir em caso de
necessidade, devido à falta de outras oportunidades de trabalho
* Fonte: Global Entrepreneurship Monitor 2004
Observational Research and “Universe” of
Existing Entrepreneurship Infrastructure in Portugal
Quadro teórico – Estudo empírico
49
50
Levantamento da apreciação dos
professores 2005/2006
Portugal atrás no desenvolvimento do ensino de
empreendedorismo no ensino pós-secundário
21 Universidades que possuem cursos de
empreendedorismo 63.2% deram o seu 1.º
curso
em 2002 ou depois
• Indicador de que este fenómeno/tendência
educacional é recente
• Professores auxiliares ensinam cursos (2/3
com PMEs/experiência de trabalho empresarial)
• 90% em Faculdades de Economia e
Gestão
• O ano modal para Portugal foi 2002
• O ano modal para os EUA foi 1982 (Soloman, 2002)
51
Centros de Empreendedorismo
– Em Portugal, 33% das Universidades possuem
Centros de Empreendedorismo ou pequenos
negócios Vs 45% das Universidades dos EUA
(Solomon, 2005)
– Há mais Universidades em Portugal que planeiam o
desenvolvimentos de Centros de Empreendedorismo
(23.8%)
– 90% dos entrevistados acreditam que a função e as
atividades dos Centros de Empreendedorismo não
estão claramente definidos no contexto português
52
Pedagogia Empreendedora - Educação
• Métodos pedagógicos Mais Frequentemente
Usados Durante Cursos de Empreendedorismo
(Portugal) 61%
33%
20%
33%
8%
27%
15%
18%
0%
10%
10%
6%
30%
48%
40%
38%
29%
23%
25%
9%
12%
0%
0%
0%
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70%
Business plan creation
Market feasibility studies
Case studies analysis
Lectures
Debates
Guest Speakers: Entrepreneurs
Research projects
Guest Speakers: Venture Capitalists
Visits to small business/newventure
Computer simulations
Role-playing
Internships
Very Frequently Used Frequently Used
53
Pedagogia Empreendedora - Educação
17%
18%
24%
24%
9%
25%
13%
9%
8%
0%
0%
0%
56%
47%
43%
43%
27%
20%
21%
9%
8%
4%
0%
0%
0% 10% 20% 30% 40% 50% 60%
Internships
Visits with a small business/newventure
Computer simulations
Role-playing
Guest Speakers: Venture Capitalists
Research projects
Debates
Guest Speakers: Entrepreneurs
Case studies analysis
Lectures
Market feasibility studies
Business plan creation
Rarely Used Never Used
Métodos pedagógicos Mais Frequentemente Usados
Durante Cursos de Empreendedorismo (Portugal)
Alunos não Licenciados/Mestres
• Durante 2005/2006 apenas 826, ou 0.2% dos
alunos do ensino superior participaram em aulas
de Empreendedorismo em Portugal
• Apenas 14.8% dos alunos acreditam que o
sistema educacional português desenvolve o
estado de espírito que encoraja a criação de
novas empresas
• 63.7% dos alunos acreditam na possibilidade
de possuírem a sua própria empresa no futuro
• Após a Licenciatura/Mestrado 16.1% querem
criar a sua própria empresa enquanto 81.2%
querem trabalhar para outros 54
55
Visão dos Professores – Futuras Tendências
(Próximos 5 anos)
– A importância da Educação
Empreendedora irá aumentar no futuro
– Os cursos vão ver uma mudança do conteúdo
teórico para uma abordagem mais prática
– O setor privado terá um maior papel na Educação
em Empreendedorismo
– Serviços de apoio aos empresários irão aumentar
– Ofertas educacionais farão melhor uso da
tecnologia
– Cursos de empreendedorismo vão ser ensinados a
todos os alunos universitários, e serão extendidos
aos alunos dos ensino básico e secundário
56
Obstáculos dos Alunos
Começar cedo no ciclo educacional
2007/2008 apenas 0.003% do total dos alunos dos
ensinos básico e secundário participaram em PNEE de
acordo com o Ministério de Educação e Ciência
Assumir Riscos  Necessidade de discussão
sobre Riscos
49.9% dos inquiridos apontam a burocracia das
entidades governamentais e o medo de ir à falência
(58%)
Experiências Práticas em Sala de Aula
Experiências práticas de aprendizagem para realizar
tarefas em sala de aula
Conclusões: Considerações Políticas
Desemprego jovem e Empreendedorismo
Diferenças Regionais e Sócio-Económicas
Consideração do Género em Empreendedorismo
Destaque do setor público na mentalidade de alunos
universitários
Avanço português na Educação em
Empreendedorismo a nível universitário como parte
da Estratégia Europeia (Tratado de Lisboa)
57
58
Conclusões: Política de Desenvolvimento
Aferição e Avaliação
• Sistema educacional e Promoção Empreendedora
 
• Capacitação de Educação para o
Empreededorismo
 
• Ensino básico, secundário e pós-secundário –
Ofertas de Empreendedorismo
 
• Atitudes dos alunos sobre Empreendedorismo
• Atitudes dos alunos relacionados com riscos e
obstáculos
59
Obrigado
António de Oliveira Salazar
Três nomes em sequência regular...
António é António
Oliveira é uma árvore.
Salazar é só apelido.
Até aí está tudo bem.
O que não faz sentido
É o sentido que isso tudo tem.
E a fé dos nossos maiores?
Forma-a, impoluta, o consórcio
Entre os padres e os doutores.
Casados o Erro e a Fraude
Já não pode haver divórcio.
António de Oliveira Salazar
Three names in regular sequence...
António is António
Oliveira is a tree.
Salazar is only his last name.
Until this far everything is okay.
What is senseless
Is the sense that this may have
And faith in our superiors?
Its integrity is formed by a consortium
Between Priest and Doutores
Once the marriage between the
errors and the fraud
It is not possible to divorce the two.
Fernando Pessoa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar miranda
Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar mirandaInovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar miranda
Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar mirandaVitor Gonçalves
 
Empreendedorimo cce 14
Empreendedorimo cce 14Empreendedorimo cce 14
Empreendedorimo cce 14ssuser62f9fe
 
2013: Empreendedorismo: Slides do Curso
2013: Empreendedorismo: Slides do Curso2013: Empreendedorismo: Slides do Curso
2013: Empreendedorismo: Slides do CursoLeandro de Castro
 
Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoNJS Consultoria
 
Aula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismoAula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismoNJS Consultoria
 
Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalOs Desafios do Empreendedor na Era Digital
Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalDiego Brito
 
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi JuniorApostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Juniorivanjacomassi
 
Empreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e InovaçãoEmpreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e InovaçãoInventta
 
Gorete empreendedorismo na universidade
Gorete empreendedorismo na universidadeGorete empreendedorismo na universidade
Gorete empreendedorismo na universidadeGorete Figueiredo
 
Empreendedorismo e Identificação de Oportunidades
Empreendedorismo e Identificação de OportunidadesEmpreendedorismo e Identificação de Oportunidades
Empreendedorismo e Identificação de OportunidadesFelipe Pereira
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
EmpreendedorismoClara Simao
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismocattonia
 
oficina de empreendedorismo
oficina de empreendedorismooficina de empreendedorismo
oficina de empreendedorismoDaniel Costa
 
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalPalestra Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalGrade TI
 

Mais procurados (20)

Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar miranda
Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar mirandaInovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar miranda
Inovação, Empreendedorismo e Competitividade: pensar e projetar miranda
 
Empreendedorimo cce 14
Empreendedorimo cce 14Empreendedorimo cce 14
Empreendedorimo cce 14
 
empreendedorismo
empreendedorismoempreendedorismo
empreendedorismo
 
Aula Empreendedorismo
Aula EmpreendedorismoAula Empreendedorismo
Aula Empreendedorismo
 
2013: Empreendedorismo: Slides do Curso
2013: Empreendedorismo: Slides do Curso2013: Empreendedorismo: Slides do Curso
2013: Empreendedorismo: Slides do Curso
 
Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismo
 
Aula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismoAula 06 empreendedorismo
Aula 06 empreendedorismo
 
Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalOs Desafios do Empreendedor na Era Digital
Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
 
Administracao 4.0 no cenario mundial
Administracao 4.0 no cenario mundialAdministracao 4.0 no cenario mundial
Administracao 4.0 no cenario mundial
 
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi JuniorApostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
 
Empreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e InovaçãoEmpreendedorismo e Inovação
Empreendedorismo e Inovação
 
Gorete empreendedorismo na universidade
Gorete empreendedorismo na universidadeGorete empreendedorismo na universidade
Gorete empreendedorismo na universidade
 
Empreendedorismo e Identificação de Oportunidades
Empreendedorismo e Identificação de OportunidadesEmpreendedorismo e Identificação de Oportunidades
Empreendedorismo e Identificação de Oportunidades
 
Inovação em Foco
Inovação em FocoInovação em Foco
Inovação em Foco
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
 
oficina de empreendedorismo
oficina de empreendedorismooficina de empreendedorismo
oficina de empreendedorismo
 
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era DigitalPalestra Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
Palestra Os Desafios do Empreendedor na Era Digital
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 

Destaque

Encontros culturais
Encontros culturaisEncontros culturais
Encontros culturaiscattonia
 
Palestra empreendedorismo 2016
Palestra empreendedorismo 2016Palestra empreendedorismo 2016
Palestra empreendedorismo 2016Eduardo Maróstica
 
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIIIA RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIIIJosé Alemão
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução CientíficaRui Neto
 

Destaque (6)

Encontros culturais
Encontros culturaisEncontros culturais
Encontros culturais
 
Palestra empreendedorismo 2016
Palestra empreendedorismo 2016Palestra empreendedorismo 2016
Palestra empreendedorismo 2016
 
O impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américaO impacto da conquista da américa
O impacto da conquista da américa
 
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIIIA RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
A RevoluçãO Cientifica na Europa dos Séculos XVII e XVIII
 
A Revolução Científica
A Revolução CientíficaA Revolução Científica
A Revolução Científica
 
Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
 

Semelhante a PPT session 2 16032013

Empreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovaçãoEmpreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovaçãoNelson Brazys
 
Empreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo MotivacaoEmpreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo Motivacaogeceli
 
Pós empreendedorismo
Pós empreendedorismoPós empreendedorismo
Pós empreendedorismossuser62f9fe
 
Palestra Empreendedorismo 2009
Palestra Empreendedorismo 2009Palestra Empreendedorismo 2009
Palestra Empreendedorismo 2009SEBRAE MS
 
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor?
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor? Workshop EAPN: Será que sou empreendedor?
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor? Vitor Gonçalves
 
Universidade anhanguera relatorio parcial i
Universidade anhanguera relatorio parcial iUniversidade anhanguera relatorio parcial i
Universidade anhanguera relatorio parcial iJunior Pereira
 
Palestra Empreendedorismo para Professores
Palestra Empreendedorismo para ProfessoresPalestra Empreendedorismo para Professores
Palestra Empreendedorismo para ProfessoresEder Cachoeira
 
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...Andre Coutinho
 
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVA
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVAJornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVA
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVAWorkalove Edtech
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
CriatividadeRonaldobv
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...tdc-globalcode
 
Alfa Tech (27 06-2013)
Alfa Tech (27 06-2013)Alfa Tech (27 06-2013)
Alfa Tech (27 06-2013)SV_Partners
 
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.Roberto C. S. Pacheco
 
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seci
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seciGestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seci
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seciMario Nascimento
 

Semelhante a PPT session 2 16032013 (20)

Empreendedorismo no Brasil
Empreendedorismo no BrasilEmpreendedorismo no Brasil
Empreendedorismo no Brasil
 
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovaçãoEmpreendedorismo gerando valor com a inovação
Empreendedorismo gerando valor com a inovação
 
Empreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo MotivacaoEmpreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo Motivacao
 
Pós empreendedorismo
Pós empreendedorismoPós empreendedorismo
Pós empreendedorismo
 
PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013PPT session 3 16032013
PPT session 3 16032013
 
Palestra Empreendedorismo 2009
Palestra Empreendedorismo 2009Palestra Empreendedorismo 2009
Palestra Empreendedorismo 2009
 
DO Unidade 2 - Inovação e Intraempreendedorismo
DO Unidade 2 - Inovação e IntraempreendedorismoDO Unidade 2 - Inovação e Intraempreendedorismo
DO Unidade 2 - Inovação e Intraempreendedorismo
 
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor?
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor? Workshop EAPN: Será que sou empreendedor?
Workshop EAPN: Será que sou empreendedor?
 
Universidade anhanguera relatorio parcial i
Universidade anhanguera relatorio parcial iUniversidade anhanguera relatorio parcial i
Universidade anhanguera relatorio parcial i
 
Palestra Empreendedorismo para Professores
Palestra Empreendedorismo para ProfessoresPalestra Empreendedorismo para Professores
Palestra Empreendedorismo para Professores
 
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil   pesquisa symnetics d...
Pesquisa os desafios para gestão da inovação no brasil pesquisa symnetics d...
 
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVA
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVAJornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVA
Jornada da Trabalhabilidade - Dia 02 | UVA
 
Criatividade
CriatividadeCriatividade
Criatividade
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Transformação Digital How we figured out we had ...
 
Alfa Tech (27 06-2013)
Alfa Tech (27 06-2013)Alfa Tech (27 06-2013)
Alfa Tech (27 06-2013)
 
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.
Ecossistemas de inovação: desafios e oportunidades para acelerar inovação.
 
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seci
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seciGestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seci
Gestão do conhecimento, Fatores críticos e modelo seci
 
Manual
ManualManual
Manual
 
1a. aula
1a. aula1a. aula
1a. aula
 
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
 

Mais de Portugal Entrepreneurship Education Platform (PEEP)

Mais de Portugal Entrepreneurship Education Platform (PEEP) (20)

Folheto YSEC versão portuguesa
Folheto YSEC versão portuguesaFolheto YSEC versão portuguesa
Folheto YSEC versão portuguesa
 
Newsletter 2 Youth Start - Entrepreneurial Challenges PT
Newsletter 2 Youth Start - Entrepreneurial Challenges PTNewsletter 2 Youth Start - Entrepreneurial Challenges PT
Newsletter 2 Youth Start - Entrepreneurial Challenges PT
 
Framework for entrepreneurship competences
Framework for entrepreneurship competencesFramework for entrepreneurship competences
Framework for entrepreneurship competences
 
Call for Associate Partners
Call for Associate PartnersCall for Associate Partners
Call for Associate Partners
 
Adeptt training model final version pt
Adeptt training model final version ptAdeptt training model final version pt
Adeptt training model final version pt
 
Guião para preencher o documento de autoavaliação
Guião para preencher o documento de autoavaliaçãoGuião para preencher o documento de autoavaliação
Guião para preencher o documento de autoavaliação
 
Focus Group activity
Focus Group activityFocus Group activity
Focus Group activity
 
Quick user guide for trainee self-evaluation
Quick user guide for trainee self-evaluationQuick user guide for trainee self-evaluation
Quick user guide for trainee self-evaluation
 
The entrepreneurial method
The entrepreneurial methodThe entrepreneurial method
The entrepreneurial method
 
Canvas portuguese model
Canvas portuguese modelCanvas portuguese model
Canvas portuguese model
 
Trainees contacts document
Trainees contacts documentTrainees contacts document
Trainees contacts document
 
Handout page 2
Handout page 2Handout page 2
Handout page 2
 
Handout page 1
Handout page 1Handout page 1
Handout page 1
 
An2B training pt
An2B training ptAn2B training pt
An2B training pt
 
Trainees signatures document
Trainees signatures documentTrainees signatures document
Trainees signatures document
 
Example lesson plan and resources
Example lesson plan and resourcesExample lesson plan and resources
Example lesson plan and resources
 
Activity Entrepreneur who has within himself?
Activity Entrepreneur who has within himself?Activity Entrepreneur who has within himself?
Activity Entrepreneur who has within himself?
 
Activity find some inspiration
Activity find some inspirationActivity find some inspiration
Activity find some inspiration
 
Takeaway learning activity
Takeaway learning activityTakeaway learning activity
Takeaway learning activity
 
Activity reflection "motivation in teaching"
Activity reflection "motivation in teaching"Activity reflection "motivation in teaching"
Activity reflection "motivation in teaching"
 

Último

VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.azulassessoria9
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoJayaneSales1
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 

Último (20)

VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
c) O crime ocorreu na forma simples ou qualificada? Justifique.
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitaçãoSer Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
Ser Mãe Atípica, uma jornada de amor e aceitação
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 

PPT session 2 16032013

  • 1. 1 Sessão 2 16 de março, 2013 Amadora, Portugal Pedagogia empreendedora
  • 2. Dana T. Redford, PhD Presidente da Diretor da Faculdade CEE & Conselho de Administração IES-PSP Professor Auxiliar Convidado Coordenador 4 Projetos e Perito da UE Associado e Consultor Estratégico Diretor de Câmara Comércio Americana Avaliador e Destinatário das Melhores Práticas Educacionais Empreendedor Internacional
  • 3. Sérgio Leal, MsC 3 Sócio-Diretor do Centro de Estudos e Formação EDUCATE Professor de FQ Escola Secundária Padre António Vieira Coordenador de Projetos da ESPAV Formador/Explicador/Comunicador de FQ/TIC/Empreendedorismo Vogal do Conselho Fiscal Colaborador com o IST no projeto e-lab Aluno de Doutoramento
  • 4. Boa Prática da FEG UCP, Porto 4 Uma das oito boas práticas de Educação em Empreendedorismo na OCDE em 2010 Msc – Entrepreneurship, Leadership and Opportunity Recognition
  • 6. Projeto ADEPTT • “Acknowledging and Developing Entrepreneurial Practice in Teacher Training (ADEPTT)” Projeto Leonardo para Transferência de Inovação com a designação 2011-1-ES1-LEO05-36404. Está financiado pela Comissão Europeia, Fundação Calouste Gulbenkian e pela COTEC e Fundação Aga Kahn – K’Cidades. 6
  • 7. 7 O que é que as pessoas pensam sobre os empreendedores O que é que as pessoas pensam sobre os empreendedores Empresas Normas e Comportamentos Empresas Normas e Comportamentos Tradições culturais, preferências, e comportamentos Tradições culturais, preferências, e comportamentos Contexto de Empreendedorismo na Sociedade Portuguesa / Europeia
  • 8. Estados Unidos da América 8 Visão EUA: Nunca se é novo de mais para se começar Como é que consigo convencer os pais a fazer uma empresa? Como é que consigo convencer a minha avó a dar-me a receita secreta de limonada? Que tipo de stand irá atrair os consumidores mais sedentos? Qual o melhor local para montar o stand? Eu preciso de 250€ para um bicicleta nova, quantos copos de limonada terei de vender? AS CRIANÇAS APRENDEM COMO VENDER!
  • 9. Europa 9 Visão EUROPEIA: Muito novo para se começar É permitido aos pais fazer um menor criar uma empresa? Será que a avó possui direitos legais para a sua receita de limonada? Que tipo de regulação da UE existe para que eu me possa queixar de estarem a beber bebidas frescas na rua? Eu preciso de uma autorização do Governo Local para montar um stand? Eu preciso de passar faturas e pagar taxas? PORQUE NÃO POSSO SIMPLESMENTE VENDER?
  • 10. 10
  • 11. 11
  • 12. 3 Aspetos importantes sobre Empregabilidade “Employability is about having the capacity to gain initial employment, maintain employment and obtain new employment if required.” (Hillage & Pollards, 1998) Ideia de Adam-Smith de auto-regulação dos mercados: “Knowledge is the new basis for wealth” (Thurow, 2000) 12
  • 13. Grandes mudanças na Sociedade (Megatendências) Demografia: A Geração madura, pessoas nascidas antes de 1946 Os Baby Boomers, pessoas nascidas entre 1946 - 1964 Geração X, pessoas nascidas entre 1964 - 1979 Geração Y, pessoas nascidas entre 1980 - 2000 Geração Milénio, pessoas nascidas a partir de 2000 
  • 14. Mudanças Demográficas • Como será o Mundo quando for mais velho? E a Europa? E Portugal? • Vídeo 14
  • 15. Macrotendências — Últimos 50 anos Tendências Impacto Baby Boomers Fraldas, rock & roll, televisão, minivans, bens imóveis, grandes moradias Computador pessoal Internet, media-on-demand, publicação eletrónica, folhas de cálculo, comunicação eletrónica Obesidade Drenar no sistema de saúde, crescimento na indústria de dieta, mudanças na indústria alimentar, clubes de sáude, ginásios Renda dupla Famílias Assistência a crianças, serviços domésticos: paisagismo, limpeza da casa, alimentos preparados
  • 16. Macrotendências — Próximos 50 anos Tendências Impacto
  • 17. Macrotendências — Próximos 50 anos Tendências Impacto Economias emergentes Conetividade Internet, media-on-demand, ... Cuidados de saúde, Sociedade envelhecida & Obesidade Organização do trabalho: Renda dupla Famílias
  • 18. Quiz: EUA Mercado de trabalho • Qual é a atual percentagem de desempregados nos EUA? 18
  • 20. O que é o mercado de trabalho nos EUA • Caracterizado por rotatividade • Empreendedor • “At will employments States” = Níveis relativamente baixos de lealdade do empregado e da empresa • Fraca rede de segurança providenciada pelo Governo • A saúde é um problema para os trabalhadores e empresas – Reformas recentes 20
  • 21. População nos Países Desenvolvidos 21
  • 25. Desemprego Jovem a nível Mundial 25
  • 26. O que é empreendedorismo? Quais são os atributos/ competências para se ser empreendedor? 26
  • 27. Nas áreas seguintes? • Atitude • Criatividade • Relacionamento • Organização 27
  • 28. Atitude • Auto-conhecimento / crença / confiança • Motivação • Ambição • Determinação • Competitividade
  • 29. Criatividade • Resolução de problemas • O pensamento lateral / geração de ideias • Criação de oportunidades • Inovação Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
  • 30. Relacionamentos • Trabalhar com outras pessoas • Gerir situações difíceis • Negociação / persuasão / influência • Apresentação • Comunicação Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
  • 31. Organização • Planeamento • Gerir recursos • Tomada de decisão • Investigação / Conhecer o meio • Gerir riscos • Visão / estabelecimento de metas Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
  • 32. 20 Características do Empreendedorismo A Atitude C Criatividade R Relacionamento O Organização Competências Atividades individuais Aplicações Usar competências num contexto empreendedor 4 dimensões Fonte: Dynamo, Welsh Assembly Government
  • 33. Resultados de aprendizagem • Conhecimento: – Conhecer a diferença entre investigação científica, inovação e empreendedorismo • Competência: – Ser capaz de utilizar ferramentas como o mapeamento e o Brain storming – Ser capaz de aumentar a utilização efetiva das ideias e criatividade dos alunos e das suas competências mais relevantes – Ser capaz de apoiar a Inovação em Educação em sala de aula • Capacidade de implementação: – Ser capaz de apoiar jovens inventores na participação das Olimpíadas Científicas Nacionais de Criatividade – Caminho da Inovação
  • 34. NECESSIDADES 34 NECESSIDADE – SOLUÇÃO - PRODUTO Criatividade Criatividade eficaz Impacto
  • 35. Processo de por as Ideias em Ação Processo de ideiasProcesso de ideias Take offTake off Produção de um plano de negóciosProdução de um plano de negóciosProdutoProdutoSoluçãoSoluçãoNecessidadeNecessidade EmpreendedorismoEmpreendedorismo Desenvolvimento de produtoDesenvolvimento de produto Processo científicoProcesso científico
  • 36. Flipping the classroom (Troca de sala de aula) http://www.youtube.com/watch?v=u2BQbe_tLXc http://pt.wikipedia.org/wiki/Khan_Academy http://www.fundacaolemann.org.br/khanportugues/
  • 37. Análise de necessidades 37 Necessidade: Areia no meu sapato O que é que isto realmente significa? Que soluções eu posso sugerir?
  • 38. Cada um é ajudado no que ele(a) foi criado para
  • 39. Criar Criatividade fora da zona de conforto Zona de conforto Preferências
  • 40. Eu Linguagem Capacidade Atitude Motivação na Aprendizagem: “Saltar fora da nossa zona de conforto”
  • 41. Linguagem Atitude ComunicaçãoComunicação FormaçãoFormação CriatividadeCriatividade Capacidade de implementaçãoCapacidade de implementação ConhecimentoConhecimento CompetênciasCompetências Talento inato Educação (Conhecimento, Competências e Capacidades) na prática
  • 43. A Economia baseada no Conhecimento Indústria/NegócioIndústria/Negócio AcademiaAcademia Spin-offsSpin-offs InvestigaçãoInvestigação FormaçãoFormação ComunicaçãoComunicação CriatividadeCriatividade InovaçãoInovação EducaçãoEducação
  • 44. Rubrica de avaliação para as Olimpíadas Nacionais – Percurso de Inovação   Pobre 2 Necessita de melhorar 4 Suficiente 6 Bom 8 Excelente 10 Novidade Ideia é conhecimento Ideia é o novo design de um produto já existente Ideia é nova mas não registada como patente Ideia registada como patente Inovação com patente registada ou pendente Originalidade A ideia nãomostra o uso de discernimento, definido necessidade ou problema. A ideia resolve uma necessidade definida. Ideia é perspicaz em resolver a necessidade definida. Ideia é original e perspicaz para resolver a necessidade definida. A ideia é um produto original de uma perspicaz investigação de uma necessidade definida. Conhecimento de campo Nenhum conhecimento das áreas relevantes de estudo ou recursos necessários para o desenvolvimento da ideia. Conhecimento limitado das áreas que estão relacionadas com a ideia. O mentor da ideia mostra conhecimento do que a sua ideia visa. Conhecimento alargado das áreas de estudo em que a ideia é baseada. Conhecimento profundo das áreas de estudo em que a ideia é baseada e com relevantes recursos. Funcionalidade Nenhum modelo de ideia nem protótipo. O modelo de ideia está pronto, mas limitado. Nenhum protótipo foi produzido. O modelo da ideia está pronto e possui estrutura. Protótipo possui uma funcionalidade limitada e enconta-se em desenvolvimento. O protótipo está pronto mas possui um número limitado de testes. A Reestruturação irá utilizar os resultados dos testes. Ideia totalmente funcional e é um protótipo do resultado desenvolvido pelos testes realizados. Planos de produção prontos. Fatia de mercado Nenhum trabalho foi feito atendendo ao potencial de mercado ou perfil do cliente. O mercado é vagamente definido e nenhum teste foi realizado. A ideia tem definida a quota de mercado e o perfil do cliente. A pesquisa de mercado foi feita e os resultados foram utilizados para o desenvolvimento da ideia. Foi analisado o mercado a nível local, regional, nacional e mesmo internacional. Foram identificados os principais concorrentes.   Custo Nenhuma tentativa foi feita para estimativa do custo de produção. Tentativa de estimativa de custo de produção. Custo de produção em pequena escala foi apresentada. Custo de produção é apresentado a nível regional e nacional. Custo total de produção é apresentado num plano de negócios. Estratégia Estratégia para a produção e marketing não é apresentado. Tentativas feitas para apresentar uma estratégia comercial que não é totalmente desenvolvida. Estratégia de marketing é apresentado em pequena escala. Estratégia regional e nacional está desenvolvida – incluindo marca e publicidade. Estratégia de mercado é totalmente apresentado.
  • 46. 46 Empreendedorismo em Portugal • A importância da promoção Empreendedorismo em Portugal (Cont.) - De acordo com Global Entrepreneurship Monitor 2004 Portugal possui uma baixa taxa de atividade empreendedora: - Apenas 4 empreendedores para cada 100 pessoas (idades 18-64) - N.º 28 no ranking dos 34 países (GEM 2004) - N.º 13 nos 16 países da UE (GEM 2004)
  • 47. 47 “Total Atividade Empreendedora”, 2000-2004 CROATIA HKONG JAPAN BELGIUM CTAIPE SLOVENI FRANCE RUSSIA NETHERL SWEDEN SINGAPO FINLAND GERMANY SPAIN UK ISRAEL SAFRIC GREECE DENMARK POLAND PORTUGA SWITZER ITALY HUNGARY NORWAY IRELAND CANADA ICELAND CHINA US AUSTRAL INDIA ARGENTI BRAZIL NZEALA KOREA CHILE MEXICO THAILAN VENEZUE UGANDA AllCountries 0,00 5,00 10,00 15,00 20,00 25,00 30,00 35,00 Total Entrepreneurial Activity [TEA] Index Average [1-4 yrs:2000 to 2004] sub-title Numberper10018to64yrsold[95%confidenceinterval] Fonte: Global Entrepreneurship Monitor, 2004
  • 48. 48 Empreendedorismo em Portugal • Características do Empreendedorismo em Portugal*: • Surgem mais empreendedores do que empresários de negócios • Proximidade no género de empreendedores (48% feminino; 52% masculino) • A maioria dos empresários encontram-se focados para o setor do consumo (71%) • Empreendedores mais frequentemente motivados pelo desejo de aproveitar uma oportunidade de negócio em vez de agir em caso de necessidade, devido à falta de outras oportunidades de trabalho * Fonte: Global Entrepreneurship Monitor 2004
  • 49. Observational Research and “Universe” of Existing Entrepreneurship Infrastructure in Portugal Quadro teórico – Estudo empírico 49
  • 50. 50 Levantamento da apreciação dos professores 2005/2006 Portugal atrás no desenvolvimento do ensino de empreendedorismo no ensino pós-secundário 21 Universidades que possuem cursos de empreendedorismo 63.2% deram o seu 1.º curso em 2002 ou depois • Indicador de que este fenómeno/tendência educacional é recente • Professores auxiliares ensinam cursos (2/3 com PMEs/experiência de trabalho empresarial) • 90% em Faculdades de Economia e Gestão • O ano modal para Portugal foi 2002 • O ano modal para os EUA foi 1982 (Soloman, 2002)
  • 51. 51 Centros de Empreendedorismo – Em Portugal, 33% das Universidades possuem Centros de Empreendedorismo ou pequenos negócios Vs 45% das Universidades dos EUA (Solomon, 2005) – Há mais Universidades em Portugal que planeiam o desenvolvimentos de Centros de Empreendedorismo (23.8%) – 90% dos entrevistados acreditam que a função e as atividades dos Centros de Empreendedorismo não estão claramente definidos no contexto português
  • 52. 52 Pedagogia Empreendedora - Educação • Métodos pedagógicos Mais Frequentemente Usados Durante Cursos de Empreendedorismo (Portugal) 61% 33% 20% 33% 8% 27% 15% 18% 0% 10% 10% 6% 30% 48% 40% 38% 29% 23% 25% 9% 12% 0% 0% 0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% Business plan creation Market feasibility studies Case studies analysis Lectures Debates Guest Speakers: Entrepreneurs Research projects Guest Speakers: Venture Capitalists Visits to small business/newventure Computer simulations Role-playing Internships Very Frequently Used Frequently Used
  • 53. 53 Pedagogia Empreendedora - Educação 17% 18% 24% 24% 9% 25% 13% 9% 8% 0% 0% 0% 56% 47% 43% 43% 27% 20% 21% 9% 8% 4% 0% 0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% Internships Visits with a small business/newventure Computer simulations Role-playing Guest Speakers: Venture Capitalists Research projects Debates Guest Speakers: Entrepreneurs Case studies analysis Lectures Market feasibility studies Business plan creation Rarely Used Never Used Métodos pedagógicos Mais Frequentemente Usados Durante Cursos de Empreendedorismo (Portugal)
  • 54. Alunos não Licenciados/Mestres • Durante 2005/2006 apenas 826, ou 0.2% dos alunos do ensino superior participaram em aulas de Empreendedorismo em Portugal • Apenas 14.8% dos alunos acreditam que o sistema educacional português desenvolve o estado de espírito que encoraja a criação de novas empresas • 63.7% dos alunos acreditam na possibilidade de possuírem a sua própria empresa no futuro • Após a Licenciatura/Mestrado 16.1% querem criar a sua própria empresa enquanto 81.2% querem trabalhar para outros 54
  • 55. 55 Visão dos Professores – Futuras Tendências (Próximos 5 anos) – A importância da Educação Empreendedora irá aumentar no futuro – Os cursos vão ver uma mudança do conteúdo teórico para uma abordagem mais prática – O setor privado terá um maior papel na Educação em Empreendedorismo – Serviços de apoio aos empresários irão aumentar – Ofertas educacionais farão melhor uso da tecnologia – Cursos de empreendedorismo vão ser ensinados a todos os alunos universitários, e serão extendidos aos alunos dos ensino básico e secundário
  • 56. 56 Obstáculos dos Alunos Começar cedo no ciclo educacional 2007/2008 apenas 0.003% do total dos alunos dos ensinos básico e secundário participaram em PNEE de acordo com o Ministério de Educação e Ciência Assumir Riscos  Necessidade de discussão sobre Riscos 49.9% dos inquiridos apontam a burocracia das entidades governamentais e o medo de ir à falência (58%) Experiências Práticas em Sala de Aula Experiências práticas de aprendizagem para realizar tarefas em sala de aula
  • 57. Conclusões: Considerações Políticas Desemprego jovem e Empreendedorismo Diferenças Regionais e Sócio-Económicas Consideração do Género em Empreendedorismo Destaque do setor público na mentalidade de alunos universitários Avanço português na Educação em Empreendedorismo a nível universitário como parte da Estratégia Europeia (Tratado de Lisboa) 57
  • 58. 58 Conclusões: Política de Desenvolvimento Aferição e Avaliação • Sistema educacional e Promoção Empreendedora   • Capacitação de Educação para o Empreededorismo   • Ensino básico, secundário e pós-secundário – Ofertas de Empreendedorismo   • Atitudes dos alunos sobre Empreendedorismo • Atitudes dos alunos relacionados com riscos e obstáculos
  • 59. 59 Obrigado António de Oliveira Salazar Três nomes em sequência regular... António é António Oliveira é uma árvore. Salazar é só apelido. Até aí está tudo bem. O que não faz sentido É o sentido que isso tudo tem. E a fé dos nossos maiores? Forma-a, impoluta, o consórcio Entre os padres e os doutores. Casados o Erro e a Fraude Já não pode haver divórcio. António de Oliveira Salazar Three names in regular sequence... António is António Oliveira is a tree. Salazar is only his last name. Until this far everything is okay. What is senseless Is the sense that this may have And faith in our superiors? Its integrity is formed by a consortium Between Priest and Doutores Once the marriage between the errors and the fraud It is not possible to divorce the two. Fernando Pessoa