Aplicabilidade da Norma de Desempenho 15.575 - Professor Orestes Gonçalves

1.161 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.161
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
324
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aplicabilidade da Norma de Desempenho 15.575 - Professor Orestes Gonçalves

  1. 1. Especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 62º Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social Campinas, 01 julho 2015
  2. 2. Motivações: Publicação da ABNT NBR 15575 em 2013. Desenvolvimento das especificações de desempenho dos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575. Aplicação dos requisitos e critérios de desempenho da NBR 15575 com a indução do poder de fomento e de compra.
  3. 3. Comitê Técnico CT Grupo Gestor GG Equipe de Especialistas Requisitos de desempenho Subsistemas do edifício GT Aperfeiçoamento do SiAC GT Caracterização de Subsistemas GT Formação de Multiplicadores GT Modelos de Código de Obra Vedação Vertical Pisos Coberturas Estrutura do Projeto Desempenho nos HIS MCidades - Secretaria Nacional da Habitação CTECH Comitê Nacional de Desenvolvimento Tecnológico da Habitação
  4. 4. d Especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Especificações de desempenho de empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao proponente para aplicação das especificações de desempenho em empreendimentos de HIS Orientações ao agente financeiro para recebimento e análise dos projetos Anexo 2 Condições gerais de projeto e execução Anexo 1 Especificações complementares empreendimentos do PMCMV Faixa 1 Documentos de apoio e de caráter evolutivo Catálogo dos subsistemas Doc 1 Doc 2 Doc 3 Doc 4
  5. 5. Especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 – Edificações Habitacionais – Desempenho Documento 1
  6. 6. Documentação de especificações de desempenho para empreendimentos de HIS Estabelece especificações de desempenho compatíveis com a NBR 15575 Partes 1 a 6 , publicada em 19 de fevereiro de 2013, em vigor a partir de 19 de julho de 2013, para os empreendimentos que se enquadrem nos programas de HIS. O documento se reporta às normas de projeto, produtos e serviços já existentes que são indissociáveis dos procedimentos de especificações de desempenho segundo a NBR 15575
  7. 7. 1. Introdução 2. Especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS 2.1 Diretrizes gerais de projeto para atender aos requisitos de desempenho 2.1.1 Segurança no uso e operação 2.1.2 Segurança contra incêndio 2.1.3 Estanqueidade 2.1.4 Desempenho lumínico Conteúdo
  8. 8. Conteúdo 2.2 Características arquitetônicas do empreendimento 2.2.1 Áreas e pé-direito dos ambientes e unidades privativas 2.2.2 Segurança no uso e operação/acessibilidade - Áreas de lazer, áreas comuns externas e “playgrounds” 2.2.3 Garagens - Segurança no uso e operação/Saúde, higiene qualidade do ar 2.2.4 Acessibilidade nas unidades 2.2.5 Escadas de emergência e rotas de fuga em situação de incêndio 2.3 Subsistemas e componentes construtivos 2.3.1 Fundações e Contenções 2.3.2 Estrutura 2.3.3 Fachadas 2.3.4 Paredes Internas 2.3.5 Pisos 2.3.6 Coberturas e Forros
  9. 9. 3 Manual de uso, operação e manutenção ANEXO 1 Especificações complementares dos empreendimentos de HIS, aplicáveis para os empreendimentos enquadrados como Faixa 1 do PMCMV ANEXO 2 Condições gerais de projeto e execução da obra e de demonstração de conformidade Conteúdo
  10. 10. Orientações ao proponente para aplicação das especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Documento 2 Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575
  11. 11. Objetivo Orientar e dar subsidios de caráter processual e técnico aos proponentes de projetos de empreendimentos de HIS, no que diz respeito ao cumprimento das especificações previstas no Documento Base, baseadas na NBR 15575.
  12. 12. Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao proponente para aplicação das especificações de desempenho 1. Apresentação 2. Parte 1: Documentos Técnicos do Empreendimento 2.1 Projeto 2.2 Supervisão e Controle Tecnológico 2.3 Roteiro para o Manual de uso, operação e manutenção com foco no desempenho ao longo da vida útil 3 Parte 2: Orientações Técnicas Específicas 3.1 Como caracterizar os riscos previsíveis e estudos técnicos necessários 3.2 Como caracterizar as condições de exposição requeridas pela NBR 15575 3.3 Roteiro para enquadramento do empreendimento na classe de ruído externo visando determinar o critério de isolamento acústico de fachada de dormitório a ser adotado 3.4 Estimativa do isolamento acústico de esquadrias de dormitórios necessário para atender ao requisito de desempenho acústico da parede de fachada 3.5 Estimativa do isolamento acústico de portas de entrada em função da parede entre apartamentos 3.6 Como calcular a transmitância e capacidade térmica de paredes e coberturas. 3.7 Diretrizes recomendadas para projeto de estruturas de alvenaria em situação de incêndio
  13. 13. ANEXOS Anexo 1 - Ficha Técnica do Empreendimento Anexo 2 - Relação de cidades brasileiras e suas respectivas zonas bioclimáticas segundo a NBR 15220-3:2005 Desempenho Térmico de Edificações-Parte 3 Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social Anexo 3 - Planilha de cálculo do isolamento requerido da esquadria para atender ao requisito de desempenho acústico de fachada de dormitorio Anexo 4 - Relação de normas técnicas brasileiras incidentes sobre o projeto segundo a especialidade Anexo 5 - Relação de normas técnicas brasileiras de especificação de materiais, componentes e subsistemas Anexo 6 - Relação de normas técnicas brasileiras de execução de serviços e controle tecnológico Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao proponente para aplicação das especificações de desempenho
  14. 14. Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao Agente Financeiro para Recebimento e Análise dos Projetos Documento 3
  15. 15. 1. Introdução 2. Proposta de Solicitação de Financiamento 2.1 Verificação da documentação legal 2.2 Verificação de Itens Declaratórios 2.3 Verificação do Projeto Anexo 1 – Relação de itens a serem verificados na análise de propostas Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao Agente Financeiro para Recebimento e Análise dos Projetos
  16. 16. Anexo • Relação de itens a serem verificados na análise de propostas Verificação da Documentação Legal • Relação de itens a serem verificados na análise de propostas Verificação do Projeto: Memorial Descritivo • Relação de itens a serem verificados na análise de propostas Verificação do Projeto: plantas, cortes, esquemas, detalhes Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Orientações ao Agente Financeiro para Recebimento e Análise dos Projetos
  17. 17. Desempenho de Subsistemas Tradicionais Especificações de desempenho nos empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogo de desempenho de Subsistemas Documento 4
  18. 18. 1. Introdução 2. Recomendações de utilização dos dados de desempenho do Catálogo 3. Fichas com os dados de desempenho dos subsistemas • Sistemas de Vedação Vertical • Esquadrias • Pisos • Coberturas 4. Recomendações e condições de execução dos subsistemas Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos
  19. 19. Subsistema: Vedações verticais Exemplo Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos
  20. 20. Segurança Desempenho estrutural Segurança contra incêndio Segurança no uso e operação (guarda-corpos) Habitabilidade Estanqueidade Desempenho Térmico Desempenho Acústico Desempenho Lumínico Saúde e higiene Funcionalidade e acessibilidade Conforto tátil Qualidade do ar Sustentabilidade Durabilidade Manutenabilidade Adequação Ambiental Requisitos que incidem sobre os sistemas de vedações verticais internas e externas
  21. 21. Características da parede ensaiada Resultados dos ensaios x critérios exigidos pela NBR 15575 Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos Fichas com os dados de desempenho dos subsistemas
  22. 22. 1. Alvenaria de vedação de bloco cerâmico ou concreto Características da parede ensaiada 1- Argamassa interna 1,5cm 2- Argamassa de assentamento 1,5cm 3- Bloco cerâmico ou concreto 4- Argamassa externa 2,5cm 5- Pintura externa de cor xxxx Resultados dos ensaios x critérios exigidos pela NBR 15575 Desempenho estrutural: impacto de corpo mole:  impacto de corpo duro: cargas suspensas,: dh≤h/500 solicitações transmitidas por portas: Segurança contra incêndio Tempo Requerido de Resistência ao Fogo (TRRF): Índice de propagação de chamas do revestimento: Densidade ótica de fumaça do revestimento: Desempenho acústico Rw (índice de redução sonora ponderado – ensaios de laboratório): DnTw (diferença padronizada de nível ponderada – ensaio de campo): Desempenho térmico α do revestimento externo de cor... Transmitância térmica Capacidade térmica Estanqueidade Estanqueidade em fachadas Permeabilidade de áreas molhadas
  23. 23. 2. Drywall Desempenho estrutural: impacto de corpo mole:  impacto de corpo duro: cargas suspensas,: dh≤h/500 solicitações transmitidas por portas: Segurança contra incêndio Tempo Requerido de Resistência ao Fogo (TRRF): Índice de propagação de chamas do revestimento: Densidade ótica de fumaça do revestimento: Desempenho acústico Rw (índice de redução sonora ponderado – ensaios de laboratório): DnTw (diferença padronizada de nível ponderada – ensaio de campo): Estanqueidade Permeabilidade: Foto apenas ilustrativa
  24. 24. PlanilhadeDesempenhoporSistemaConstrutivo
  25. 25. Recomendações e condições de execução dos subsistemas vertical vedação em alvenaria de blocos cerâmicos ou de blocos de concreto 1. Os blocos de concreto devem ser conformes à NBR 6136 - Blocos vazados de concreto simples para alvenaria — Requisitos, com demonstração pelo fabricante de acordo com o documento Especificações de desempenho para empreendimentos de HIS , conforme o respectivo PSQ, e no caso dos blocos cerâmicos analogamente devem ser conformes à NBR 15270 - Componentes cerâmicos - Parte 1: Blocos cerâmicos para alvenaria de vedação - Terminologia e requisitos. 2. Deve-se verificar se os blocos a serem utilizados tem as mesmas características dos blocos das paredes usadas como referência de desempenho. 3. A argamassa de assentamento deve ser conforme à NBR 13281 -Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos – Requisitos. Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos
  26. 26. 3. O assentamento do bloco deve ser feito no mesmo sentido dos furos que foi utilizado na parede que foi ensaiada e está sendo a referência de desempenho, o que deve ser verificado pela espessura final em relação ao tipo de bloco utilizado. 4. As juntas verticais e horizontais devem ser bem preenchidas com argamassa, evitando-se vazios que transpassem a parede deixando vazios por onde pode passar som ou que possam comprometer o desempenho estrutural, estanqueidade, permeabilidade ou o TRRF; 5. A fixação superior na junção alvenaria viga ou alvenaria laje e a fixação lateral entre alvenaria e pilar por exemplo deve ser perfeitamente vedada. Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos
  27. 27. 7. As paredes que são solicitadas em requisitos de desempenho acústico devem ter uma premissa de projeto de evitar ou minimizar a passagem de tubulações e instalação de caixas ou quadros de instalações elétricas, pois são pontos pelos quais pode haver passagem de som. 8. As caixas e quadros de instalações elétricas que sejam inevitáveis não podem estar colocadas em posição fundo a fundo dos dois lados da parede. 9. As caixas e quadros ao serem instalados precisam ser perfeitamente preenchidos em sua volta, de modo a não terem frestas pelas quais possa passar som. Especificações de Desempenho nos Empreendimentos de HIS baseadas na NBR 15575 Catálogos de desempenho de sistemas, subsistemas e componentes construtivos
  28. 28. Instalações elétricas de som e telefonia Exemplos: Fita de isolamento (banda acústica) Isolamento
  29. 29. Orestes M. Gonçalves orestes.goncalves@usp.br
  30. 30. Todos os produtos ou sistemas especificados em projeto e empregados em obra devem atender suas normas técnicas correspondentes, ou no caso de inovadores, ao DATec avaliado em instituição técnica avaliadora credenciada no SINAT do PBQP-H – Sistema Nacional de Avaliações Técnica de Produtos Inovadores. Os materiais e componentes a serem especificados e utilizados devem ser de empresas qualificadas nos Programas Setoriais da Qualidade do SiMaC do PBQP-H, para produtos-alvo dos PSQs. É vedado à empresa construtora a aquisição de produtos de fornecedores de materiais e componentes considerados não-conformes nos Programas Setoriais da Qualidade do SiMaC do PBQP-H listados no portal do MCidades. No caso de não existir PSQ do produto-alvo podem ser utilizados produtos certificados no âmbito do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade (SBAC), por Organismo de Certificação de Produto (OCP) acreditado pelo INMETRO, ou produtos avaliados por ensaios de lote, conforme a norma de especificação ou conforme a NBR 15575. http://pbqp-h.cidades.gov.br/projetos_simac_psqs.php Conformidade de materiais, componentes e subsistemas
  31. 31. Rede Sibratec de Desempenho Habitacional Finep Ministério das Cidades Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
  32. 32. SIBRATEC- Sistema Brasileiro de Tecnologia instituído por meio do Decreto 6.259/07com a finalidade de apoiar o desenvolvimento. O SIBRATEC apoia atividades de P&D voltadas para a inovação em produtos e processos, em consonância com as prioridades das políticas industrial, tecnológica e de comércio exterior. O objetivo final do SIBRATEC é aumentar a competitividade das empresas brasileiras. As entidades integrantes do SIBRATEC estão organizadas em três redes: Redes de Centros de Inovação Redes de Serviços Tecnológicos Redes de Extensão Tecnológica
  33. 33. Rede Sibratec de Desempenho Habitacional Foi lançada, no dia 13 de outubro de 2014 a chamada pública para selecionar Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs). A Rede dará suporte financeiro a projetos voltados ao fortalecimento da infraestrutura de laboratórios na área da construção civil, para apoiar as empresas do setor na adequação da Norma de Desempenho ABNT NBR 15.575/13. ICTs de todo o Brasil (públicas ou privadas sem fins lucrativos), por meio de seus laboratórios, com experiência na realização de ensaios e análises nos seguintes temas de desempenho na construção civil: •segurança estrutural, •segurança contra incêndio. •desempenho acústico e •durabilidade Número de ICTs inscritas = 26 Número de ICTs habilitadas para a segunda fase = 10

×