62o. fórum nacional his

857 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
857
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
331
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

62o. fórum nacional his

  1. 1. Teotonio Costa Rezende VIHAB Campinas, 02 JUL 15 62º Fórum Nacional de Habitação Social
  2. 2. 2 CENÁRIOS E PERSPECTIVAS PARA O CRÉDITO IMOBILIÁRIO • crise: um processo natural e recorrente. Como entendê-la? • cenários: - curto prazo pressionado pela dinâmica da economia - solidez nos fundamentos de longo prazo - aumento dos distratos e redução da velocidade de vendas elevaram os estoques - perspectiva para 2015 - posicionamento estratégico para o crédito imobiliário - aperfeiçoamentos - ajustes recentes nas regras
  3. 3. 3 crise: um fenômeno recorrente. Como entendê-la? 3 característicassintomastipos crise evitáveis bolhas dificil detecção preços podem se justificar na inovação tecnológica ou nos diferenciais oferecidosdesequilíbrios previsíveis riscos acumulados irrompem a crise alteraçõesdas crenças (racionalidade não justifica os preços) queda vertiginosa de preços dos ativos
  4. 4. 44 Fonte(s): Banco Central. cenário: fundamentos de longo prazo continuam sólidos déficit habitacional (mil unidades) crédito Imobiliário/PIB Fonte(s): Banco Central, IBGE e CAIXA. Programa MCMV (mil unidades) • Apesar da desaceleração do crescimento do PIB, o crédito imobiliário ainda representa apenas 9% do PIB. • déficit habitacional ainda elevado e concentrado na faixa de até 3 SM do MCMV. • MCMV: ajuste fiscal do Governo (meta de superávit de 1,2% do PIB em 2015) não impactam operações financiadas pelo FGTS 6.102 5.687 6.143 5.889 5.793 11% 10% 10% 10% 9% 2007 2008 2009 2011 2012 Décfit Habitacional - Absoluto Défcit Habitacional - Relativo 400,0 400,0 200,0 2.000,0 1.350,0 400,0 1.600,0 1.000,0 400,0 482,7 375,8 146,6 1.226,6 1.216,3 307,1 6,9 139,1 15,2 410,4 338,9 79,2 332,9 953,7 109,3 - 63,6 0,9 i ii iii i ii iii i ii iii MCMV 1 MCMV 2 MCMV 3 programa MCMV metas contratação entregas principais pontos
  5. 5. 55 Fonte(s): Banco Central. 18,31 30,03 34,02 56,19 79,92 82,76 122,51 133,69 81,01 CAIXA AG. FINANCEIROS TOTAL perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE R$ bi
  6. 6. 66 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações FGTS R$ bi • FGTS e MCMV faixas II e III mantêm a trajetória orçamentária estável principais pontos 7.459,4 11.011,2 18.450,5 32.758,7 39.328,5 42.891,5 49.609,6 51.755,5 51.464,7 - 10 20 30 40 50 60 Milhares FGTS - Caixa e Mercado CAIXA AG. FINANCEIROS TOTAL
  7. 7. 77 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE quantidade 196.353 299.685 302.680 421.049 492.908 453.209 574.512 579.579 348.570 CAIXA AG. FINANCEIROS TOTAL
  8. 8. 88 Fonte(s): Banco Centra Elaboração: Magesty. ajustes recentes nas regras • LTV mantém níveis seguros perfis dos ativos
  9. 9. 99 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE quantidade • demanda por financiamento habitacional principais pontos
  10. 10. 1010 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE quantidade • demanda por financiamento habitacional principais pontos
  11. 11. 1111 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE quantidade • demanda por financiamento habitacional principais pontos
  12. 12. 1212 Fonte(s): Banco Central. perspectivas para 2015 – desempenho das contratações SBPE quantidade • demanda por financiamento habitacional principais pontos
  13. 13. 1313 Fonte(s): Banco Central. ajustes recentes nas regras • Banco Central faz ajuste nas regras do recolhimento compulsório a prazo 52,0% 13,0% 20,0% 10,0% 5,0% 100,0% ajustes nas regras
  14. 14. 1414 Fonte(s): Banco Centra Elaboração: Magesty. ajustes recentes nas regras • Banco Central faz ajuste nas regras do recolhimento compulsório a prazo 52,0% 13,0% 24,5% 5,5% 5,0% 100,0% na CAIXA, a possibilidade de se utilizar até 18% do compulsório implica num acréscimo de ≈ R$ 10 bi de novos recursos, a serem utilizados nos financiamentos de imóveis residenciais a partir de 01 JUN 15. ajustes nas regras
  15. 15. 1515 /1: em fase de regulamentação pelo Ministério da Cidade ou CCFGTS. ajustes recentes nas regras 1. pró-cotista /1 : aporte de R$ 4,9 bilhões no pró-cotista •valor limitado a R$ 400 mil (e não os do limite do SFH, de R$ 650 ou R$ 700 mil) •limite de R$ 400 mil mantém as contratações nos tickets médios do SBPE e nem tanto descoladas do perfil social do FGTS 2. multiplicador do CRI: extinção do multiplicador do 1,2 para os CRI 3. impossibilidade de utilização no direcionamento: •cotas de fundos de investimentos em direitos creditórios, debêntures, carta garantia de CRI •impossibilidade de utilizar CRI que não estejam lastreados em operações de SFH • “fechamento de vazamentos” 4. orçamento FGTS /1 : R$ 1,32 bi para contratação PJ para imóveis com VGV ≤ R$ 300 mil ajustes nas regras
  16. 16. Alteração Remuneração FGTS para 6% a.a. IMPACTO NA PRESTAÇÃO: FGTS - Faixa 1 75.389,36 527,09 726,00 37,74% FGTS - Faixa 2 97.237,16 762,43 1.018,99 33,65% FGTS - Faixa 3 114.479,72 1.010,15 1.312,20 29,90% FGTS - Faixa 4 126.973,40 1.225,17 1.560,19 27,35% MCMV - Faixa 1 81.791,72 571,20 787,01 37,78% MCMV - Faixa 2 102.158,67 798,56 1.068,11 33,75% MCMV - Faixa 3 116.619,24 1.027,13 1.334,84 29,96% PMT Nova PMT Variação PMT Impacto na Prestação Modalidade Valor Médio Financiamento (R$) Elaboração: VIFIC/DEFIN/SUPLA
  17. 17. IMPACTO NO VALOR DE FINANCIAMENTO: FGTS - Faixa 1 527,09 75.389,36 54.733,55 -27,40% FGTS - Faixa 2 762,43 97.237,16 72.754,69 -25,18% FGTS - Faixa 3 1.010,15 114.479,72 88.127,55 -23,02% FGTS - Faixa 4 1.225,17 126.973,40 99.708,15 -21,47% MCMV - Faixa 1 571,20 81.791,72 59.363,20 -27,42% MCMV - Faixa 2 798,56 102.158,67 76.378,00 -25,24% MCMV - Faixa 3 1.027,13 116.619,24 89.736,51 -23,05% Modalidade Variação VF Impacto no Valor de Financiamento PMT VF mantendo PMT vigente Valor Médio Financiamento (R$) Elaboração: VIFIC/DEFIN/SUPLA Alteração Remuneração FGTS para 6% a.a.
  18. 18. IMPACTO NA PRESTAÇÃO – SEM SUBSÍDIO: FGTS - Faixa 1 75.389,36 527,09 877,93 66,56% FGTS - Faixa 2 97.237,16 762,43 1.171,34 53,63% FGTS - Faixa 3 114.479,72 1.010,15 1.312,20 29,90% FGTS - Faixa 4 126.973,40 1.225,17 1.560,19 27,35% MCMV - Faixa 1 81.791,72 571,20 938,73 64,34% MCMV - Faixa 2 102.158,67 798,56 1.219,83 52,75% MCMV - Faixa 3 116.619,24 1.027,13 1.334,84 29,96% Habitação - FGTS e MCMV Modalidade Valor Médio Financiamento (R$) PMT Nova PMT Variação PMT Elaboração: VIFIC/DEFIN/SUPLA Alteração Remuneração FGTS para 6% a.a.
  19. 19. IMPACTO NO VALOR DE FINANCIAMENTO – SEM SUBSÍDIO: FGTS - Faixa 1 527,09 75.389,36 45.261,69 -39,96% FGTS - Faixa 2 762,43 97.237,16 63.291,72 -34,91% FGTS - Faixa 3 1.010,15 114.479,72 88.127,55 -23,02% FGTS - Faixa 4 1.225,17 126.973,40 99.708,15 -21,47% MCMV - Faixa 1 571,20 81.791,72 49.768,73 -39,15% MCMV - Faixa 2 798,56 102.158,67 66.878,27 -34,53% MCMV - Faixa 3 1.027,13 116.619,24 89.736,51 -23,05% Habitação - FGTS e MCMV PMT VF mantendo PMT vigente Valor Médio Financiamento (R$) Modalidade Variação VF Elaboração: VIFIC/DEFIN/SUPLA Alteração Remuneração FGTS para 6% a.a.
  20. 20. 2020 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 1. comodidade ao cliente • habitação na mão do cliente principais pontos
  21. 21. 2121 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 2. registro eletrônico principais pontos
  22. 22. 2222 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 2. registro eletrônico principais pontos
  23. 23. 2323 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 3. laudo eletrônico – plataforma de gestão de garantias principais pontos CETIP CAIXA • fornece plataforma de gestão de garantias, por meio da qual são demandados os serviços à rede credenciada, formalizadas as peças técnicas e elaborados relatórios. • plataforma adaptada de modelo americano, em que são processados mensalmente mais de 100 mil laudos. No Brasil, é utilizada pelo Itaú há seis meses. • treina equipes CAIXA (GIHAB, agências, etc) e credenciados (CCA e avaliadores) • define parâmetros para a plataforma e perfis de acesso. • contrata e administra rede credenciada, inclusive revisionamento • estabelece padrões para a atividade de avaliação
  24. 24. 2424 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 3. laudo eletrônico – plataforma de gestão de garantias principais pontos + - • rapidez na implementação da solução de tecnologia – plataforma está desenvolvida e operacional • Integração de sistemas (SIOPI/SIGDU) • plataforma flexível e adaptável às especificidades da CAIXA • relatórios conjuntos de gestão da rede credenciada e da atividade de avaliação • atendimento da Resolução BACEN 4088 • define parâmetros para a plataforma e perfis de acesso. • contrata e administra rede credenciada, inclusive revisionamento • estabelece padrões para a atividade de avaliação
  25. 25. 2525 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 4. otimização de processos • avaliação de imóveis por macro-modelo principais pontos
  26. 26. 2626 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 5. maior segurança para o cliente • seguros SGPE e RCPM principais pontos garante total compensação para qualquer dano não estrutural (coberto pela apólice) limitado à importância segurada caso o construtor não execute o reparo. SGPE-seguro garantia pós-entrega RCPM – responsabilidade civil profissional e material • seguro contratado pela Construtora que protege o mutuário por um período de até 5 anos, sobre os danos de mau funcionamento e inadequações das construções entregues caso a construtora PJ não atue e repare. • público alvo: Construtores PJ • importância segurada: 2% do Custo total do empreendimento; • segurado: CAIXA • acionado caso o Construtor não efetue os reparos necessários; • não possui FRANQUIA; • seguro contratado pela Construtor que protege o mutuário por um período de até 5 anos, sobre os danos de mau funcionamento e inadequações das construções entregues caso a construtora PJ não atue e repare. • público alvo: Construtores PF e PJ – engenheiros, arquitetos os demais profissionais • importância Segurada: 20% do valor de avaliação da UH • segurado: construtor e responsável técnico • acionado caso o construtor e responsável Técnico não efetue os reparos necessários; • possui franquia de R$ 1000,00 que será paga pelo terceiro
  27. 27. 2727 perspectivas para 2015 – aperfeiçoamentos • 5. maior segurança para o cliente • CGDR - central de gestão de danos e reparos principais pontos
  28. 28. 28

×