Protecção e conservação da natureza (1)

25.830 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
25.830
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
195
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Protecção e conservação da natureza (1)

  1. 1. ECOSSISTEMAProtecção e Conservação da Natureza<br />Trabalho realizado por: <br /> Catarina Coelho Nº 228<br />Inês Maló Nº 236<br />Marta Cruz Nº242 <br />
  2. 2. introdução<br />Neste trabalho vamos aprender o que são os resíduos e perceber a importância da gestão destes. Vamos também entender como a conservação e a protecção da Natureza são essenciais para o bem-estar das populações. Vamos falar sobre os riscos e benefícios que as tecnologias e a energia nuclear provocam no planeta. <br />
  3. 3. O que são resíduos?<br />Resíduos são os materiais que, desde a produção ao consumo dos mesmos, não são aproveitados das actividades humanas (do nosso dia-a-dia) sendo deitados fora, por não terem utilidade aparente. <br />
  4. 4. Tipos de resíduos<br />Resíduos sólidos Urbanos (RSU) - É o lixo doméstico, de restaurantes, cafés e outras zonas comerciais. Os RSU são os materiais que não podem ser reutilizados e/ou reciclados. Como exemplos são os restos de alimentos, pilhas, plástico, cartão, vidro, entre outras.<br />Resíduos Industriais – São gerados em actividades produtivas industriais. Estes resultam da manufacturação, da exploração e da utilização dos recursos naturais. Pneus, sucatas, baterias, tintas, vidros e cartão são alguns dos exemplos de resíduos industriais.<br />
  5. 5. Resíduos hospitalares – São produzidos nas unidades hospitalares como centros de saúde, hospitais, clínicas veterinárias, laboratórios de análises e centos de investigação científica. Como exemplos temos seringas, compressas, agulhas, luvas e cateteres.<br />Resíduos Perigosos – São aqueles que contêm substancias perigosas para a saúde das populações e um nível de risco para os ecossistemas. Alguns tipos de resíduos, incluem uma classe de materiais que são perigosos. Os resíduos perigosos podem ser corrosivos, tóxicos, inflamáveis e/ou nocivos. Pilhas, resíduos de explosivos, óleos alimentares e pesticidas são exemplos de resíduos perigosos.<br />
  6. 6. A Importancia da gestão dos RSU<br />A multiplicação de resíduos constitui um grave problema para a sociedade consumista actual. Para diminuir o número de resíduos é importante recorrer à recolha e ao tratamento para garantir melhor qualidade de vida dos cidadãos. A gestão dos RSU baseia-se no conjunto de operações de recolha, transporte, armazenagem, tratamento, valorização e eliminação dos resíduos. Colaborar na gestão dos RSU é um dever de cada cidadão e contribui para a sustentabilidade do Planeta.<br />
  7. 7. Plano estratégico para a gestão dos resíduos sólidos urbanos (PERSU)<br />É um documento no qual se define uma estratégia e metas, no âmbito de uma gestão integrada dos RSU. A primeira versão foi publicada em 1997, o PERSU I, com uma meta de 10 anos, e tendo como objectivo o fim dos lixos sanitários não controlados, assim como a introdução de um novo rumo nos métodos como era gerido o ciclo dos resíduos. Ao fim de dez anos, apareceu o PERSU II, aprovado em 2007, apresentando metas ainda mais ambiciosas para o decénio de 2007 a 2017.<br />
  8. 8. Prevenção do excesso de produção de RSU- Valorização e tratamento de RSU<br />Para prevenir o excesso de RSU deve-se: <br /><ul><li>Reduzir – comprar apenas o que é necessário para evitar o desperdício;
  9. 9. Reutilizar – utilizar um produto mais que uma vez ou para outros fins;
  10. 10. Separação selectiva dos RSU – separar o lixo comum das embalagens usadas: Papel, plástico, pilhas, metal e vidro. Estes materiais devem-se colocar no Ecoponto ou no Ecocentro.
  11. 11. Reciclar – a transformação nas unidades de triagem de objectos usados em novos objectos úteis, como o papel reciclado.</li></ul> <br />O processo de valorização e o tratamento dos RSU segue a seguinte hierarquia: Prevenção, reciclagem e valorização.<br />
  12. 12. A prevenção é da responsabilidade do consumidor, ou seja, reduzir, reutilizar, separar e colocar os RSU no respectivo Ecoponto. <br />Os RSU da recolha selectiva destinam-se assim à reciclagem. A reciclagem tem por objectivo diminuir a deposição em aterro.<br />A valorização consiste no reaproveitamento dos RSU e faz-se em unidades industriais de tratamento e de valorização de resíduos.<br />
  13. 13. Jogo<br />Resíduos Industriais<br />Resíduos Hospitalares<br />RSU<br />Resíduos Perigosos<br />Vidro<br />Óleos Alimentares<br />Restos Alimentares <br />Pilhas<br />Luvas<br />Cateteres<br />Compressas<br />Pneus<br />Baterias<br />Sucatas<br />Papéis<br />Seringas<br />
  14. 14. Conservação da natureza no mundo<br />A consciência da população em relação á conservação da natureza mudou bastante nos últimos anos. Enquanto algumas pessoas ainda não aderiram á preservação do planeta, desenvolveu-se noutros uma ideia activista na mente. Aumentou a consciência e a responsabilidade sobre a importância da conservação do património nacional. A localização e as características geofísicas e climáticas do nosso território, deram origem a uma grande variedade de ecossistemas e paisagens, que propiciam um elevado número de habitats e albergam uma grande variedade de espécies de animais e plantas. A singularidade das paisagens, bem como a sua representatividade e o estado de conservação das espécies e habitats que temos entre nós, é uma mais-valia nacional.<br />
  15. 15. Áreas protegidas – Conservação e Ameaças<br />Áreas protegidas são áreas destinadas á conservação dos principais ecossistemas e das espécies animais e vegetais em risco. A conservação da natureza é fundamental para o desenvolvimento e para a articulação dos diferentes aspectos naturais, que compõem a paisagem e o território sempre em alteração. Para que os objectivos da conservação sejam alcançados, a escolha das áreas para a conservação da natureza tem que ser realizada tendo em conta um conjunto diversificado de factores, os mais importantes são aspectos biológicos e ecológicos.<br />Os problemas que afectam a biodiversidade (variedade total de vida na terra) dependem em particular da destruição de habitats, a sua degradação e fragmentação, resultam em muitos casos da falta de conciliação entre as várias actividades que se cruzam num determinado território. Assim, é importante criar uma interligação entre as diferentes áreas de conservação através de corredores ecológicos. <br />
  16. 16. As Áreas Protegidas, em Portugal continental, são vinte e cinco: Um Parque Nacional, treze Parques Naturais, treze Reservas Naturais e duas Paisagens Protegidas. A estas juntam-se quatro áreas de âmbito regional (Corno do Bico, Bertiandos, Azibo e Montejunto) e uma vasta área classificada integrada na Lista Nacional de Sítios da Rede Natural.<br />
  17. 17. Parque Nacional – Parques Naturais – Reservas naturais – Paisagens protegidas<br />Parque Nacional – É uma área existente sem intervenção do homem, ou, com poucas alterações deste. Como por exemplo o Parque Nacional da Peneda do Gerês.<br />Parque Natural – É uma área que contém paisagens naturais, porem seminaturais e já modificadas pelo homem. São áreas de interesse nacional com uma integração da actividade humana e da natureza. A Serra da Estrela, Parque Natural Sintra-Cascais e Parque da Arrábida são alguns exemplos.<br />Reserva Natural – É uma área destinada à protecção de habitats da flora e da fauna. Como exemplo é a Reserva Natural das Berlengas e o Estuário do Tejo.<br />
  18. 18. Paisagens Protegidas – São áreas com paisagens naturais, seminaturais e humanizadas. São de interesse local ou regional, resultantes da interacção harmoniosa do ser humano e da natureza, que mostram grande valor estético e/ou natural. Serra do Açor é uma das paisagens protegidas.<br />
  19. 19. Importância da conservação de geomonumentos<br />Os geomonumentos são acontecimentos geológicos com elevada importância e pelo facto de reconstituírem recursos valiosos não renováveis, devem ser respeitados e preservados. Em Portugal existem cinco geomonumentos classificados como monumentos naturais. Como exemplo o Monumento Natural das Pegadas de Dinossáuro de Ourém em Torres Novas e Monumento Natural da Pedra da Mua.<br />
  20. 20. Associações ambientalistas em Portugal<br />Associações ambientalistas – São organizações não governamentais sem fins lucrativos, em que o objectivo é reunir esforços para proteger o ambiente. Os sócios contribuem activamente na resolução de problemas ambientais (ajudam na limpeza das praias, das matas…; fazem campanhas de sensibilização; alguns fazem donativos…) para a construção de um futuro sustentável e para uma melhor qualidade de vida.<br />
  21. 21. Riscos das inovações cientificas e tecnológicas para o individuo, a sociedade e o ambiente<br />Nos últimos anos, os seres humanos têm assistido a grandes avanços científicos e tecnológicos. Estes nem sempre são feitos em benefício do ser humano por isso, algumas vezes estas inovações põem em risco as populações e a sua qualidade de vida. <br />Riscos e benefícios da energia nuclear<br />Energia Nuclear - A energia nuclear é proveniente da fissão nuclear de um átomo instável como o àtomo de hidrogénio. <br />
  22. 22. Riscos da energia nuclear:<br />->Acidentes nucleares<br />->Contaminação do ambiente<br />-> O efeito devastador das bombas atômicas<br />-> Destino indevido do lixo atômico<br />->Usada para fins militares<br />-> É mais cara quando comparada às demais fontes de energia<br />-> As resíduos produzidos emitem radioactividade durante muitos anos<br /> <br />Beneficios da energia nuclear:<br /> <br />-> Usada para a electricidade<br />->Utilização das radiações em múltiplas aplicações da medicina, agropecuária, indústria e meio ambiente.<br />-> Não contribui para o efeito de estufa.<br />-> Não polui o ar com gases de enxofre, nitrogénio, particulados, etc.<br />-> Não utiliza grandes áreas de terreno: a central requer pequenos espaços para sua instalação<br />-> Não necessita de armazenamento da energia produzida em baterias<br />-> O risco de transporte do combustível é significativamente menor comparado com o gás. <br />
  23. 23. Riscos e benefício dos equipamentos tecnológicos<br />Para produzir bens materiais para a sociedade é necessário que a ciência faça investigações. Como exemplo temos os leitores MP3, os televisores, as máquinas fotográficas e as consolas (Play station, X-Box, Wi). Estes equipamentos, á medida que a ciência e a tecnologia evoluem, vão caindo em desuso, acabando por ser substituídos por outros mais modernos. O e-lixo ou lixo electrónico são os equipamentos rejeitados pela sociedade ao longo do tempo e a quantidade destes equipamentos rejeitados é tão grande como a de plástico. <br />
  24. 24. Riscos dos equipamentos tecnológicos:<br /> <br />-> O e-lixo é muito perigoso e venenoso para o ambiente.<br />->O mercúrio utilizado nos ecrãs dos computadores e dos telemóveis é um veneno que destrói o sistema nervoso das crianças.<br />->A deposição em aterro do e-lixo provoca a contaminação das águas subterrâneas e superficiais destruindo os ecossistemas aquáticos. <br />
  25. 25. Curiosidades<br /><ul><li>Tempo de degradação:
  26. 26. Pilhas – mais de 500 anos
  27. 27. Pastilha elástica – 5 anos
  28. 28. Lata de alumínio – 100 anos
  29. 29. Sacos de plástico – 200 anos
  30. 30. Garrafas de plástico – mais de 500 anos
  31. 31. Guardanapo – 3 meses
  32. 32. Jornal – 1/ 2 meses </li></li></ul><li>FIM<br />

×