Anatomia corpo humano parte 2

1.272 visualizações

Publicada em

anatomia 2

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Anatomia corpo humano parte 2

  1. 1. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA PROFESSOR ALEXANDRE
  2. 2. SISTEMA MUSCULAR PROFESSOR ALEXANDRE MIOLOGIA PROMOVER EQUILÍBRIO CORPORAL ( PRODUZ CALOR) 85% PROPORCIONAR MOVIMENTO DOS OSSOS, EM SUAS ARTICULAÇÕES IMPULSIONAR O SANGUE PROMOVER MOVIMENTOS ESFINCTERIANOS NOS ÓRGÃOS
  3. 3. SISTEMA MUSCULAR PROFESSOR ALEXANDRE CURIOSIDADES 40% DO PESO CORPORAL MAIS DE 630 MÚSCULOS FUNCIONAM AOS PARES PISCAMOS 100.000 VEZES POR DIA
  4. 4. CONSTITUIÇÃO DAS FIBRAS MUSCULARES PROFESSOR ALEXANDRE  75% COMPOSTO POR ÁGUA  PROTEÍNAS - ACTINA E MIOSINA – CONTRAÇÃO MUSCULAR  LIPÍDIOS – RESERVAS DE ENERGIA MUSCULAR  SAIS DE FÓSFORO, CÁLCIO, SÓDIO, POTÁSSIO E GLICOGÊNIO, NAS CÉLULAS MUSCULARES DO FÍGADO TRASFORMAM-SE EM GLICOSE PARA AS CÉLULAS.
  5. 5. TIPOS DE MÚSCULOS PROFESSOR ALEXANDRE MÚSCULO ESTRIADO ESQUELÉTICO CONTRAÇÃO VOLUNTÁRIA APONEUSOSE Fáscia Separa da pele
  6. 6. TIPOS DE MÚSCULOS PROFESSOR ALEXANDRE MÚSCULO LISO CONTRAÇÃO INVOLUNTÁRIA O músculo liso se encontra nas paredes de órgãos ocos, tais como os vasos sanguíneos, na bexiga, no útero e no trato gastrointestinal. O músculo liso está presente nestes órgãos pois, por contrações peristálticas controladas automaticamente pelo Sistema Nervoso Autônomo, tem o papel preponderante de impulsionar sangue, urina, esperma, bile.
  7. 7. PROFESSOR ALEXANDRE TIPOS DE MÚSCULOS MÚSCULO ESTRIADO CARDÍACO CONTRAÇÃO INVOLUNTÁRIA Ação miogênica - células cardiomiócitos. Entrelaçamento das fibras Discos intercalares – interligar movimentos simultâneos
  8. 8. COMPARATIVO PROFESSOR ALEXANDRE
  9. 9. FISIOLOGIA MUSCULAR PROFESSOR ALEXANDRE Extensibilidade e Elasticidade- aumento e diminuição do músculo dependendo da excitação que ele recebe. Sarcômeros – Filamentos de miosina e actina.
  10. 10. FISIOLOGIA MUSCULAR PROFESSOR ALEXANDRE 1 - O impulso nervoso alcança a célula muscular por meio de uma sinapse especial, chamada sinapse neuro-muscular ou placa motora. O mediador químico é a acetilcolina.
  11. 11. PROFESSOR ALEXANDRE 2 -O mediador químico atinge a membrana plasmática da célula muscular, que recebe o nome especial de sarcolema. Uma vez a célula muscular tendo sido excitada, um potencial de ação é desencadeado na célula muscular. FISIOLOGIA MUSCULAR
  12. 12. FISIOLOGIA MUSCULAR 3 -Esse potencial de ação propaga-se por todo o sarcolema e também pelo retículo sarcoplasmático (RS), nome que recebe o retículo endoplasmático dessas células. Com o estímulo, as membranas do RS tornam-se permeáveis aos íons cálcio. Anteriormente armazenados nas cisternas do RS, os íons cálcio penetram nos sarcômeros e colocam-se em contato com as moléculas de actina e de miosina.
  13. 13. PROFESSOR ALEXANDRE 4) Na presença de cálcio, as moléculas de miosina adquirem atividade catalítica (atividade ATPásica) e começam a degradar moléculas de ATP(Energia), convertendo-as em ADP. miosina ATP _______ ADP + FOSFATO + ENERGIA cálcio FISIOLOGIA MUSCULAR Adenosina Trifostato adenosina difosfato
  14. 14. PROFESSOR ALEXANDRE 5) Com a energia liberada pela hidrólise do ATP, as moléculas de miosina deslizam-se sobre as de actina, encurtando os sarcômeros. Com o encurtamento dos sarcômeros, as miofibrilas como um todo encurtam, diminuindo o comprimento da célula inteira
  15. 15. A Energética da Contração PROFESSOR ALEXANDRE No processo da respiração celular, as células musculares originam moléculas de ATP, a partir da oxidação da glicose. Durante o repouso, pequena quantidade desse ATP é consumida. + repouso + fosfocreatinina no citoplasma das células musculares +Contração + consumo fosfocreatina acumulada repouso. + Atividade intensa, e apenas a respiração celular aeróbica não é suficiente para suprir todo o ATP consumido na contração, as células musculares passam a executar, além da respiração aeróbica, a fermentação láctica. mialgia, fadiga (incapacidade de responder adequadamente aos estímulos ) e cãibras.
  16. 16. CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PROFESSOR ALEXANDRE MÚSCULOS AGONISTAS – ANTAGONISTAS - SINERGISTAS agonista antagonista Músculo caracobraquial
  17. 17. MÚSCULOS DA FACE PROFESSOR ALEXANDRE
  18. 18. MÚSCULOS DO PESCOÇO PROFESSOR ALEXANDRE ESTERNOCLIDOMASTÓIDEO
  19. 19. MÚSCULOS DO TÓRAX E ABDOME PROFESSOR ALEXANDRE
  20. 20. MÚSCULOS DO TÓRAX E ABDÔMEM PROFESSOR ALEXANDRE
  21. 21. MÚSCULOS DO TÓRAX FACE POSTERIOR PROFESSOR ALEXANDRE
  22. 22. MÚSCULOS ANTERIORES DO BRAÇO PROFESSOR ALEXANDRE
  23. 23. MÚSCULOS POSTERIOR DO BRAÇO PROFESSOR ALEXANDRE TRÍCEPS BRAQUIAL
  24. 24. MÚSCULOS POSTERIOR COXA PROFESSOR ALEXANDRE
  25. 25. MÚSCULOS ANTERIOR COXA PROFESSOR ALEXANDRE
  26. 26. Doenças comuns Fibromialgia – grupo de doenças reumáticas comuns, não articulares que provocão sensibilidade, rigidez dos músculos e tendões. Distrofias musculares – atrofia degenerativa dos músculo esquelético. Miastenia Grave – enfraquecimento dos músculos por anormalidade na junção neuromuscular.
  27. 27. Doenças comuns Contrações anormais – Espasmo – contração involuntária de grande músculo . Tremor – contração rítmica, involuntária de músculos antagônicos- Tique – Contração espasmódica involuntária de músculos que são voluntários.

×