2010
Mobilização Para o Futuro
Senhores associados,
A ABEMI foi fundada por 12 empresas há 47 anos, e hoje já conta com 136 Ass...
Os fundamentos da economia brasileira nos permitem acreditar em perspectivas
futuras positivas, com possibilidades de alta...
6
Código de Ética da Abemi
6		 Princípios	
7		 Missão
7		 Visão		
Organograma da Diretoria
		 e dos Conselhos de
		Adminis...
7
Comissões Permanentes
27		 Comissão de Assuntos Jurídicos
27		 Nova Coordenação
27		 Mandado de Segurança Coletivo - Fap...
8
O presente Código de Ética reitera aos membros do Conselho de
Administração, da Diretoria, aos Colaboradores e aos repre...
9
MISSÃO
Congregar e representar empresas cujas atividades se relacionam
com a implantação de empreendimentos públicos ou ...
10
Márcio Alberto
Cancellara
Projectus
Consultoria Ltda.
DIRETORIA NOMEADA
Diretor Vice-Presidente
Diretor Executivo
Diret...
11
DIRETORIAS DE SERVIÇOS
CONSELHEIROS E SUPLENTES
DAS DIRETORIAS DE SERVIÇOS
Cristian Jaty Silva
Jaraguá Equipamentos
Ind...
DESTAQUES DA GESTÃO 2009-2010
13
Homenagem na feira Rio Oil & Gas às Associadas Andrade Gutierrez,
Azevedo & Travassos, Camargo Corrêa, Construcap, EBE ...
14
Estrutura de comunicação
Desde agosto de 2010, estamos consolidando a estrutura de comunicação da
ABEMI, a fim de torna...
15
Homenagem às Associadas
Também nesta edição da Rio Oil & Gas, a ABEMI prestou homenagem às Associadas
com mais de 60 an...
16
Encontro “Mario Aurélio da Cunha Pinto”
No início de dezembro, mais de 80 pessoas participaram do
encontro de competiti...
17
Os grupos de trabalho definiram 4 temas estratégicos:
OPERACIONAIS Coordenação
I A Competitividade na Engenharia de
Pro...
Responsáveis pela coordenação entre Associadas, clientes e terceiros, na busca da melhoria
das relações comerciais, dos in...
19
PETRÓLEO E GÁS
A ABIMAQ promoveu uma reunião para discutir os impactos negativos da MP
472/09, que, entre outras coisas...
20
1.6 SGT Hold Point
O SGT foi criado com o objetivo de reduzir os problemas encontrados nos
processos de inspeção na fab...
21
Almoço anual de Confraternização do GT PETROBRAS/ENGENHARIA-ABEMI-ABCE em homenagem
aos engenheiros Fernando Almeida Bi...
22
MINERAÇÃO E SIDERURGIA
GT ABEMI-VALE
As conversações com a Vale foram mantidas através dos interlocutores Rogério
Scato...
23
Contatos com a Eletrobrás demonstraram o desejo de que as grandes empresas
nacionais participem e dela se aproximem cad...
DIRETORIAS DE
SERVIÇOS
Responsáveis pela coordenação entre Associadas, clientes e terceiros, buscando a
evolução das ativi...
25
Gerson Ricardi (Diretor ABEMI)
Pedro C. Ribeiro (Stratech/ProjectOffice)
SISTEMA DE GESTÃO
O trabalho desta diretoria e...
26
André Glogowsky (Conselheiro ABEMI)
FABRICAÇÃO
Palestras
Desafios da Indústria Brasileira de Vasos de Pressão,
por Cris...
27
MONTAGEM
GT PRODUTIVIDADE EM TUBULAÇÃO
Após 47 reuniões, o grupo de Produtividade em Tubulação convidou 18 profissionai...
COMISSÕES PERMANENTES
29
Nova Coordenação
Na primeira reunião da Comissão de Assuntos Jurídicos em 2010, foram eleitos o novo
coordenador, Danie...
30
Comissão de Recursos Humanos
Subcomissões criadas:
•	Recrutamento e Seleção;
•	Sistemas de Remuneração
Pesquisa Salaria...
31
1.1.2 Manuseio e Utilização de Ferramentas - Por solicitação do gerente executivo
da Engenharia da Petrobras à ABEMI, f...
32
2 MEIO AMBIENTE
Segregação e Descarte de Resíduos – Não houve novas soluções para a segregação
e o descarte de resíduos...
33
4.2 Seminário Anual da CESMT
A CESMT realizou o Seminário ABEMI de Segurança, Saúde e
Meio Ambiente e Responsabilidade ...
ABEMI E OUTRAS ENTIDADES
35
O 7º Encontro foi realizado em Porto Alegre - RS, nos dias 17, 18 e 19 de novembro
de 2010.
Representaram a ABEMI:
Dire...
36
A Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo criou a Comissão Especial
de Petróleo e Gás Natural – CESPEG, co...
37
O CE-EPC integra empresas Operadoras de Petróleo, Fornecedores da Cadeia de
EPC e Universidades, congregando esforços n...
OUTRAS AÇÕES
39
MRE – comissão mista brasil-alemanha
O vice-presidente Márcio Cancellara representou a ABEMI na 39ª edição dos
“500 Gra...
40
Víctor Aldrhing Guevara Chávez (Presidente Colégio de Ingenieros del Peru)
Roberto Kochen (Diretor ABEMI)
Aurélio Escud...
41
REPRESENTAÇÕES DA ABEMI
ABDIB Infraestrutura – presidente Carlos Maurício Lima de
Paula Barros
ABIMAQ Fabricação – dire...
42
O documento “Orientação Estratégica 2010-2012” foi aprovado
pelos diretores e conselheiros após apresentação feita pelo...
43
Desde Abril de 1978, na gestão do então presidente Derek Herbert Lovell-Parker,
o economista Antonio Carlos Martins Bas...
44
1.	 ABB LUMMUS GLOBAL LTDA.
2.	 ADLER ANDAIMES LTDA.
3.	 AEM SERVIÇOS DE ENGENHARIA S/C LTDA.
4.	 AIR CONDITIONING TOTA...
45
25.	 CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A.
26.	 CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S.A.- CNO
27.	 CONSTRUTORA OAS LTDA.
28.	 C...
46
DADOS ESTATÍSTICOS
Proporção da Receita Bruta por Setor em 2009
CONSTRUÇÃO
ENGENHARIA
FABRICAÇÃO
MONTAGEM
1972
1973
197...
47
0.50
0.45
0.32
0.13
0.34
0.43
0.32
0.11
0.23
0.36
0.40
0.36
0.52
0.64
0.69
0.72
1.32
1.19
0.00
0.20
0.40
0.60
0.80
1.00...
48
EmUS$ePorcentagemdeCrescimento
5.220.696
6.587.898
10.936.689
13.715.366
21.784.900
0
5.000.000
10.000.000
15.000.000
2...
49
3,5 8,8 6,9 7,8 8,3 14,05,8 7,9 7,4 7,9 8,5
16,5
47,4 42,4
76,2 83,5
99,0
189,9
56,7 59,1
90,5
99,2
115,8
220,4
0,0
50,...
PRINCIPAIS ATIVIDADES DAS ASSOCIADAS
ABB LUMMUS l l l l l l l l l l l l l l l l
ADLER l
AEM l
ALUSA l l l l l l l l l l l
...
ISOTEC l l l l l l l l l l l l l l l l
JARAGUÁ l l l l l l l l l l
JMA l
JPNOR l l l l l l
KTY l l l l l l l l l l l
LIMA ...
52
Pessoal e Terceiros
Funcionários
Diretor Executivo – Aurélio Escudero
Secretária – Francizanna dos Santos Mesquita
Asse...
53
54
Relatório Anual da Diretoria ABEMI 2010  #Lavajato Ricardo Pessoa
Relatório Anual da Diretoria ABEMI 2010  #Lavajato Ricardo Pessoa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório Anual da Diretoria ABEMI 2010 #Lavajato Ricardo Pessoa

651 visualizações

Publicada em

Relatório Anual da Diretoria ABEMI
Ricardo Pessoa - UTC - Constran - Lava Jato - Petrobras

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
651
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório Anual da Diretoria ABEMI 2010 #Lavajato Ricardo Pessoa

  1. 1. 2010
  2. 2. Mobilização Para o Futuro Senhores associados, A ABEMI foi fundada por 12 empresas há 47 anos, e hoje já conta com 136 Associadas de grande expressão, que atuam em todos os segmentos econômicos e em todas as especializações da engenharia. No ano que passou, o país pôde superar os efeitos negativos da crise mundial de setembro de 2008, e apresentar crescimento expressivo. Podemos afirmar que todos os mais importantes projetos da engenharia industrial brasileira neste período foram executados por nossas empresas associadas. Às vezes não nos damos conta, mas fomos capazes de realizar, nestes últimos 5 anos, mais do que nos 20 anteriores, com progressivo aumento dos índices de nacionalização, o que atesta o também progressivo aumento de nossa competitividade. A determinação explícita do governo em priorizar as coisas feitas no Brasil nos deu confiança para realizar investimentos em equipamentos, sistemas, processos e, principalmente, na formação de nosso pessoal, proporcionando a revitalização do nosso setor. Apresentação
  3. 3. Os fundamentos da economia brasileira nos permitem acreditar em perspectivas futuras positivas, com possibilidades de alta atratividade e importância para a nossa sociedade. O PAC e o aumento continuado dos investimentos da Petrobras, somados aos eventos esportivos da Copa e das Olimpíadas, constituem a transição para a retomada dos demais segmentos econômicos, que já se inicia. Em dezembro passado, reunimos as Associadas, desta vez na Argentina, para o “Encontro de Competitividade”, que levou o nome de Mario Aurélio da Cunha Pinto, em homenagem ao nosso amigo da MPE Montagens, que nos deixou. Na ocasião, elegemos alguns projetos prioritários a serem desenvolvidos, relacionados à formação de pessoal e à capacitação técnica, que permitem um salto representativo de qualidade, produtividade e diminuição de custos. Apresentando resultados palpáveis e expressivos de curto prazo, conseguiremos mobilizar nossas empresas, nossos clientes e fornecedores, e, sobretudo, os órgãos do governo de fomento e ensino, em prol de uma causa de interesse nosso e do país. Com a descoberta do pré-sal, a engenharia brasileira se consolidou como ativo estratégico de soberania nacional. A sustentabilidade da engenharia de um país vem da sua capacidade de competir com países desenvolvidos no cenário internacional. Estamos com boa saúde financeira, em processo de atualização tecnológica, e com jovens em formação para ocupar as posições de mando. Precisamos aproveitar este momento para nos fortalecer e nos preparar para competir internacionalmente. A nossa ABEMI tem a responsabilidade de exercer o papel catalisador, de convergência de ideias e, principalmente, de desenvolver esforços conjuntos e dirigidos em prol da competitividade. Estaremos engajados em movimentos que busquem solução para impostos, encargos, juros e câmbio, os quais têm relevância na formação de preços, porém ficam fora do nosso poder de controle e decisão. Em contrapartida, o desenvolvimento de sistemas, de processos e de capacitação gerencial, a formação e o treinamento de pessoal, de igual ou maior importância, dependem de nós mesmos e, fundamentalmente, de nossa vontade. Temos uma grande causa e um enorme desafio. Vamos fazer a nossa parte! Carlos Maurício Lima de Paula Barros Diretor Presidente
  4. 4. 6 Código de Ética da Abemi 6 Princípios 7 Missão 7 Visão Organograma da Diretoria e dos Conselhos de Administração e Vitalício Destaques da Gestão 2009-2010 Vice-Presidência 12 Estrutura de Comunicação 12 Atividades da Assessoria de Comunicação em 2010 Diretorias de Segmentos Econômicos 17 Petróleo e Gás 17 Gt Petrobras/Engenharia-Abemi-Abce — Adequação das Condições Contratuais Mp 472/09 17 Sgt Projetos 17 Sgt Jurídico 18 Sgt Experiência Mínima Profissional 18 Sgt Padronização de Procedimentos 18 Sgt Produtividade em Elétrica e Instrumentação 18 Sgt Hold Point 19 Palestras 19 GT Produtividade em Tubulação Industrial 20 Química e Petroquímica 20 Contratação de Mão de Obra por Consórcios 20 Mineração e Siderurgia 20 Gt Abemi-Vale 21 Energia 21 Palestras 21 Papel e Celulose Diretorias de Serviços 23 Sistema de Gestão 23 Palestra 23 Engenharia 23 Gt Competitividade na Engenharia 24 Fabricação 24 Palestras 24 Construção Civil 24 Sustentabilidade 25 Montagem 25 Gt Produtividade em Tubulação 25 Gt de Competitividade ÍNDICE
  5. 5. 7 Comissões Permanentes 27 Comissão de Assuntos Jurídicos 27 Nova Coordenação 27 Mandado de Segurança Coletivo - Fap 27 Exigências do Confea 27 MP nº 510/2010, In. nº 1080/2010 Rfb e a Tributação dos Consórcios 27 Palestras 28 Comissão de Recursos Humanos 28 Nova Coordenação 28 Subcomissões Criadas 28 Comissão de Engenharia de Segurança, Saúde e Meio Ambiente - Cesmt 28 Segurança e Saúde 30 Meio Ambiente 30 Qualidade 30 Geral 31 Palestras Abemi e Outras Entidades 33 7º Encontro Nacional do Prominp 33 Onip 33 Agenda de Competitividade da Cadeia Produtiva de Óleo e Gás Off-shore 34 Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural/Sp – CESPEG 34 Abimaq 34 Plano Estratégico de Desenvolvimento das Entidades 35 Centro de Excelência Ce–Epc Outras Ações 37 Mre – Comissão Mista Brasil/Alemanha 37 500 Grandes da Construção 2010 37 Almoço com o Presidente da República 38 Secretaria da Indústria Naval e Portuária da Bahia 38 Visitas 38 Samsung Construction 38 Delegação Finlandesa 38 Missão Técnica Colegio de Ingenieros Del Peru Representações da Abemi Assuntos Internos 40 Orientação Estratégica 2010/2012 40 Espaço das Empresas Associadas 40 Assembleia Geral Ordinária 41 Jantar de Confraternização 41 Diretor Reassume Cargo 41 Antônio Carlos Martins Bastos Quadro Social 42 Novas Associadas de 2010 42 Relação de Empresas Associadas Dados Estatísticos 44 Receita Operacional Bruta 46 Faturamento 46 Nível de Emprego Principais Atividades das Associadas Administração
  6. 6. 8 O presente Código de Ética reitera aos membros do Conselho de Administração, da Diretoria, aos Colaboradores e aos representantes das Associadas, o compromisso de respeitar os princípios da ABEMI em todas as atividades exercidas na Associação, em suas empresas. • Conduzir as atividades da ABEMI com transparência e integridade, cultivando credibilidade junto às Associadas, aos clientes e à sociedade brasileira. • Esforçar-se no sentido da elevação social da ABEMI, realizando dignamente sua propaganda. • Não criticar ou injuriar, de maneira desleal ou desabonadora, a atuação de uma Associada, bem como de outras entidades de classe. • Eximir-se de praticar atos que possam, direta ou indiretamente, prejudicar os interesses das Associadas, como aproveitar-se, sem citação ou autorização, de ideias, planos ou projetos de terceiros. PRINCÍPIOS • Não agir em nome da ABEMI para obter vantagens individuais ou para a empresa que representa. • Considerar como confidencial toda e qualquer informação que obtenha da ABEMI, quando esta assim o solicitar. • Informar imediatamente às Associadas de qualquer impedimento que julgue relacionado com seus projetos ou serviços. • Cumprir e fazer cumprir o disposto no Estatuto da ABEMI. • Incentivar as Associadas a disseminar os princípios éticos e compromissos de conduta aqui expressos. CÓDIGO DE ÉTICA DA ABEMI
  7. 7. 9 MISSÃO Congregar e representar empresas cujas atividades se relacionam com a implantação de empreendimentos públicos ou privados nos setores industrial e de infraestrutura, exercendo a defesa dos interesses das Associadas, protegendo a livre concorrência, reunindo conhecimentos na busca da competitividade coletiva e contribuindo para o desenvolvimento econômico e social do país. VISÃO Ser reconhecida como instituição com prestígio e representatividade nacional na defesa dos interesses de suas Associadas e da engenharia brasileira.
  8. 8. 10 Márcio Alberto Cancellara Projectus Consultoria Ltda. DIRETORIA NOMEADA Diretor Vice-Presidente Diretor Executivo Diretor Antonio E. F. Müller AEM Serviços de Engenharia S/C Ltda. Diretor Marcelo F. C. A. Corrêa REMAC Engenheiros e Consultores Ltda. Aurélio Escudero DIRETORIAS DE SEGMENTOS ECONÔMICOS Guilherme Pires de Mello Techint Engenharia e Construção S.A. Petróleo e Gás Energia Tadeu Rodrigues Maia MPE – Montagens & Projetos Especiais S.A. Mineração e Siderurgia Gabriel Aidar Abouchar Enconsult Engenharia e Consultoria Ltda. Química e Petroquímica José Octávio L. de Alvarenga Promon Engenharia Ltda. Papel e Celulose Oscar Simonsen Montcalm Montagens Industriais S.A. Indústrias em Geral Dalton Avancini Construções e Com. Camargo Corrêa S.A. CONSELHO VITALÍCIO Ricardo Ribeiro Pessôa Roberto Mendonça Fernando Couto Marques Lisbôa Aylton Antoniazzi Manuel Antonio Lopes José Luiz do Lago Cristiano Kok David Fischel Carlos Maurício Lima de Paula Barros Empresa Brasileira de Engenharia S.A. - EBE EBSE - Engenharia de Soluções ORGANOGRAMA DA DIRETORIA E DOS CONSELHOS DE ADMINISTRAÇÃO E VITALÍCIO GESTÃO 2009 / 2010 Diretor Joaquim Passos Maia Diretor Presidente
  9. 9. 11 DIRETORIAS DE SERVIÇOS CONSELHEIROS E SUPLENTES DAS DIRETORIAS DE SERVIÇOS Cristian Jaty Silva Jaraguá Equipamentos Industriais Ltda. Conselheiro Luiz Antonio Biagi Enfil S.A. Controle Ambiental Conselheiro Suplente Renato Teixeira de Freitas Pontec Engenharia e Comércio Ltda. Roberto Kochen Geocompany - Tecnologia, Engenharia e Meio Ambiente Ltda. Conselheiro Gerson de Mello Almada Engevix Engenharia S.A. Conselheiro Suplente João Antônio Del Nero Figueiredo Ferraz Consultoria e Engenharia de Projeto Ltda. Gerson Ricardi Construtora Norberto Odebrecht S.A. - CNO Othon Zanoide de Moraes Filho Construtora Queiróz Galvão S.A. Conselheiro André Glogowsky Hochtief do Brasil S.A. Conselheiro Suplente Roberto Ribeiro Capobianco Construcap CCPS Engenharia e Comércio S.A. Francisco Assis de Oliveira Rocha UTC Engenharia S.A. Conselheiro José Lima Oliver Júnior Potencial Engenharia S.A. Conselheiro Suplente Alberto Elísio Vilaça Gomes Mendes Júnior Trading e Engenharia S.A. Valdir Lima Carreiro IESA Óleo e Gás S.A. Conselheiro Afonso Henrique Hargreaves Ribeiro Multitek Engenharia Ltda. Conselheiro Suplente Samuel F. S. Miranda TKK Engenharia Ltda. Conselheiro Elton Negrão de Azevedo Construtora Andrade Gutierrez S.A. Conselheiro Suplente Maurício Mendonça Godoy SOG – Sistemas em Óleo e Gás S.A. Sistema de Gestão Engenharia Fabricação Construção Civil Montagem Manutenção Conselho de Administração fundo azul Diretoria fundo verde Legenda Legenda
  10. 10. DESTAQUES DA GESTÃO 2009-2010
  11. 11. 13 Homenagem na feira Rio Oil & Gas às Associadas Andrade Gutierrez, Azevedo & Travassos, Camargo Corrêa, Construcap, EBE e Odebrecht, todas com mais de 60 anos; Criação do Grupo de Trabalho de Sustentabilidade; Criação do Grupo de Trabalho de Competitividade; Emissão de 45 procedimentos de Construção e Montagem pelo Grupo de Trabalho Petrobras-ABEMI; Eleição do nosso diretor Antônio Müller como Presidente do Centro de Excelência em EPC; Realização de 26 apresentações na ABEMI; Participação da ABEMI na definição dos índices de Conteúdo Local no Ministério de Minas e Energia; Patrocínio na confecção da “Agenda da Competitividade da Cadeia Produtiva de Óleo e Gás Offshore”, da ONIP; Realização do Encontro “Mario Aurélio da Cunha Pinto”, em Buenos Aires, com 90 participantes; Mais de 300 destaques da ABEMI na mídia.
  12. 12. 14 Estrutura de comunicação Desde agosto de 2010, estamos consolidando a estrutura de comunicação da ABEMI, a fim de tornar a entidade mais conhecida e estabelecer um relacionamento próximo com as Associadas. Atribuições da Assessoria de Comunicação: • Organização de eventos e feiras; • Desenvolvimento de material promocional; • Estruturação do site e divulgações das realizações e parcerias da ABEMI; • Produção de materiais em português e inglês, como o folheto para a feira Rio Oil & Gas e as apresentações institucionais. Atividades da Assessoria de Comunicação em 2010 Rio Oil & Gas 2010 A ABEMI participou da feira, realizada em setembro, com um estande no Espaço das Entidades, a convite do IBP. O presidente Carlos Maurício fez parte da mesa de abertura junto a autoridades do governo, direção do IBP, diretores da Petrobras e representantes de mais 3 associações. As 40 Associadas participantes receberam em seus estandes um selo “Associada ABEMI”, marcando a nossa presença. CE-EPC – Fórum de Competitividade A ABEMI também foi convidada a compor a mesa da solenidade de abertura do Fórum de Competitividade promovido pelo Centro de Excelência em EPC. O presidente Carlos Maurício participou como debatedor. VICE-PRESIDÊNCIA
  13. 13. 15 Homenagem às Associadas Também nesta edição da Rio Oil & Gas, a ABEMI prestou homenagem às Associadas com mais de 60 anos. São elas: • Andrade Gutierrez; • Azevedo & Travassos; • Camargo Corrêa; • Construcap; • EBE; • Odebrecht. Pela Petrobras, falou o gerente geral da implantação da RNEST, Glauco Colepicolo Legatti; e, agradecendo em nome das empresas homenageadas, o presidente da EBE e ex-presidente da ABEMI, David Fischel. OTC – Offshore Technology Conference - Houston 2011 Foi estabelecida a participação da ABEMI no Pavilhão Brasileiro da maior feira mundial de Offshore, em Houston, Texas, nos Estados Unidos. O objetivo é apresentar a ABEMI como porta de entrada para investimentos estrangeiros, por ser a instituição que congrega as maiores empresas brasileiras que atuam no setor. Glauco Colepicolo Legatti (Petrobras/Engenharia/Rnest) Renato de Almeida Pimentel Mendes (Azevedo & Travassos) Dalton Avancini (Camargo Corrêa) Carlos Maurício Lima de Paula Barros (Presidente ABEMI) Roberto Ribeiro Capobianco (Construcap) David Fischel (EBE) Márcio Faria da Silva (Odebrecht) Carlos Maurício Lima de Paula Barros (Presidente ABEMI) Aurélio Escudero (ABEMI) Roberto Ribeiro Capobianco (Construcap) Glauco Colepicolo Legatti (Petrobras/Engenharia/Rnest) Aurélio Escudero (ABEMI) Sávio Rolemberg A. de Aguiar (Queiroz Galvão) Gerson Ricardi (Odebrecht) Renato de Almeida Pimentel Mendes (Azevedo & Travassos) Aurélio Escudero (ABEMI) Aluízio Guimarães Cupertino (Azevedo & Travassos) Gerson Ricardi (Odebrecht) Sávio Rolemberg A. de Aguiar (Queiroz Galvão)
  14. 14. 16 Encontro “Mario Aurélio da Cunha Pinto” No início de dezembro, mais de 80 pessoas participaram do encontro de competitividade promovido em Buenos Aires, na Argentina. A escolha do local foi de grande importância para o engajamento e a motivação dos inscritos. Eram 35 empresas associadas, além de representantes do Centro de Excelência em EPC, SENAI e Booz & Co, que, ao longo de dois dias, discutiram sobre produtividade, bem como qualificação gerencial e profissional. Foram formados grupos de trabalho, com direito a exposição das considerações em uma plenária. O relatório final com as principais conclusões do encontro foi programado para o início de 2011. Mario Aurélio da Cunha Pinto, presidente da MPE Montagens e Projetos Especiais, faleceu em dezembro passado. Querido por todos, deu nome ao encontro de competitividade em homenagem póstuma dos seus amigos da ABEMI.
  15. 15. 17 Os grupos de trabalho definiram 4 temas estratégicos: OPERACIONAIS Coordenação I A Competitividade na Engenharia de Projetos Márcio A. Cancellara GT Procedimentos da Engenharia Lillian Torrezan GT Gestão e Liderança na Engenharia de Projetos Elon Guimarães II A Produtividade em Construção e Montagem Francisco Rocha GT Procedimentos e Produtividade Francisco Rocha GT Gestão e Liderança F. Codina SUPORTE / ACOMPANHAMENTO Coordenação III Categorias Multifunção Joaquim Maia IV Índices de Produtividade / Métricas Em conjunto com CE-EPC Walter Dias Laerte Galhardo Laerte dos Santos Galhardo (CE-EPC) Paulo Rech (Senai) Jorge Hori (Consultor) Márcio Alberto Cancellara (Vice-Presidente ABEMI) Agustín Castaño (Booz & Co.) Carlos Maurício Lima de Paula Barros (Presidente ABEMI) Antonio E. F. Müller (Diretor ABEMI) Francisco Assis de Oliveira Rocha (Diretor ABEMI)
  16. 16. Responsáveis pela coordenação entre Associadas, clientes e terceiros, na busca da melhoria das relações comerciais, dos instrumentos contratuais e da disseminação das oportunidades. Cada diretor é responsável pelo relacionamento institucional com as empresas do seu respectivo segmento – Petróleo e Gás; Química e Petroquímica; Mineração e Siderurgia; Energia; Papel e Celulose; e Indústrias em Geral – para assuntos de interesse coletivo, seja de natureza comercial, contratual ou técnica, coordenando as Associadas e interagindo com as demais diretorias em busca de melhorias. DIRETORIAS DE SEGMENTOS ECONÔMICOS
  17. 17. 19 PETRÓLEO E GÁS A ABIMAQ promoveu uma reunião para discutir os impactos negativos da MP 472/09, que, entre outras coisas, institui a isenção de alguns impostos na venda ou na importação de máquinas, aparelhos, instrumentos e equipamentos no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento de Infraestrutura da Indústria Petrolífera nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Representaram a ABEMI: Vice-Presidente Márcio Cancellara; Conselheiro Ricardo Pessôa. A convite do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a ABEMI participou da 2ª Oficina de Trabalho, realizada em abril, no Rio de Janeiro, com o objetivo de criar uma rede de fornecedores da Petrobras até 2020. Foram definidos 8 temas com 14 projetos estratégicos. A ABEMI participará de quatro: • Desoneração da Cadeia e Apoio ao Conteúdo Nacional; • Desenvolvimento da Engenharia Consultiva Nacional; • Desenvolvimento Tecnológico; • Capacitação e Certificação de Profissionais e Atores Locais. 1.1 SGT Projetos Workshop Projetos PETROBRAS-ABEMI-ABCE O evento realizado em outubro, na Petrobras, teve o objetivo de estabelecer um plano de ações das entidades e das empresas, resultando em 5 grupos: • Qualificação; • Padronização; • Projetos e Sistemas de Automação; • Integração; • Métrica. Representaram a ABEMI: Presidente Carlos Maurício Lima de Paula Barros Vice-Presidente Márcio Cancellara; 1.2 SGT Jurídico As reivindicações decorrentes das reuniões do GT envolvendo questões tributárias são discutidas em reuniões específicas com a participação do JURÍDICO/JFT e do TRIBUTÁRIO da Petrobras, e de representantes da ABEMI-ABCE, agendadas de acordo com a demanda. As principais questões discutidas pelo SGT em 2010 foram a Retenção de Impostos e PIS/Cofins. MP 472/09 – REPENEC 1 GT PETROBRAS/ENGENHARIA-ABEMI-ABCE — Adequação das Condições Contratuais Desenvolvimento da Cadeia Nacional de Fornecedores de Bens e Serviços
  18. 18. 20 1.6 SGT Hold Point O SGT foi criado com o objetivo de reduzir os problemas encontrados nos processos de inspeção na fabricação de equipamentos, realizados pela Petrobras ou por EPCistas, denominados hold points. Após o estabelecimento de diversas frentes de trabalho que pudessem trazer contribuições aos processos de inspeção, consolidou-se como prioridade a elaboração da Cartilha, aprovada no final de 2010 e cujo programa de divulgação ficou agendado para o início de 2011. A Cartilha visa dar dinâmica aos processos de inspeção na fabricação de equipamentos nos contratos EPC com a Petrobras. O que se buscou foi esclarecer os diferentes processos de inspeção de utilização rápida e prática, a fim de reduzir os problemas frequentes e recorrentes nos fornecimentos. Sua aplicação se dará, conforme diz o comunicado em todos os contratos firmados direta ou indiretamente pela Petrobras, com aquisição de equipamentos, incluindo os contratantes EPCistas, os fabricantes e os inspetores de fabricação. 1.3 SGT Experiência Mínima Profissional O SGT foi criado com o objetivo de reduzir as exigências de escolaridade e de experiência nos contratos da Petrobras. Ele analisou e aprovou a relação de exigências para a contratação de profissionais pelas empresas prestadoras de serviços de engenharia, construção e montagem, nos empreendimentos gerenciados pela Engenharia da Petrobras. A publicação do comunicado para divulgação foi programada para início de 2011. 1.4 SGT Padronização de Procedimentos O SGT criou em 2010 mais 2 novos grupos: • Grupo 9 – Ferramentas, que cuidará dos aspectos de utilização e manuseio de ferramentas, com quatro procedimentos prioritários; • Grupo 10 – Dutos, com sete procedimentos a desenvolver. Com boa participação de representantes das empresas associadas da ABEMI e dos GTT’s da Petrobras, o SGT já publicou 45 procedimentos no SIGEM da Petrobras, e tem previsão de publicar mais 49. 1.5 SGT Produtividade em Elétrica e Instrumentação O SGT foi criado no 2º semestre de 2010 com o objetivo de desenvolver levantamentos nos canteiros de obras para aumentar a produtividade em Elétrica e Instrumentação.
  19. 19. 21 Almoço anual de Confraternização do GT PETROBRAS/ENGENHARIA-ABEMI-ABCE em homenagem aos engenheiros Fernando Almeida Biato e Antonio Carlos Alvarez Justi, que se aposentaram no final de 2010. Carlos Maurício Lima de Paula Barros (Presidente ABEMI) Fernando Almeida Biato (Petrobras) Márcio Alberto Cancellara (Vice-Presidente ABEMI) Carlos Maurício Lima de Paula Barros (Presidente ABEMI) 1.7 Palestra Modelo de Contratação das Novas Carteiras de Diesel, por Fernando Almeida Biato – Gerente Geral do IEABAST da Petrobras. A palestra contou com 170 participantes. 2 GT Produtividade em Tubulação Industrial No dia 22 de outubro, foi realizado um workshop de avaliação dos trabalhos desenvolvidos pelo GT, em suas 47 reuniões, com participação de profissionais de obras, entre engenheiros de suprimentos e encarregados. Foram constatados problemas nas áreas de Fabricação e Montagem, para os quais, após a filtragem dos dados, serão elaboradas soluções.
  20. 20. 22 MINERAÇÃO E SIDERURGIA GT ABEMI-VALE As conversações com a Vale foram mantidas através dos interlocutores Rogério Scatolini, Kleger Duque e Eduardo Kroitor, gerente de inteligência de suprimentos e implantação de projetos. O diretor Gabriel Aidar Abouchar enviou à Vale um estudo preliminar de viabilidade de implantação de um programa piloto no Pará, elaborado pelo diretor Joaquim Maia, visando a qualificação de 60 mil profissionais para as seguintes categorias profissionais de construção e montagem: Nível Básico Armador Carpinteiro Encanador Industrial Soldador de Estrutura/Pipeline Mecânico-Montador Operador de Equipamentos Nível Médio Eletricista Instrumentista Montador QUÍMICA E PETROQUÍMICA CONTRATAÇÃO DE MÃO DE OBRA POR CONSÓRCIOS Incumbido de retomar as conversações com a Receita Federal do Brasil acerca da contratação de mão de obra por consórcios, o diretor José Octávio Alvarenga teve uma reunião com o Secretário da Receita, no dia 25 de maio, em Brasília. A Secretaria analisou as sugestões da ABEMI e, em 28 de outubro, foi publicada a Medida Provisória nº 510, que regula a situação dos consórcios.
  21. 21. 23 Contatos com a Eletrobrás demonstraram o desejo de que as grandes empresas nacionais participem e dela se aproximem cada vez mais, em vista dos investimentos previstos. O diretor de Energia ressaltou as oportunidades de que as empresas da Eletrobrás se apresentem às Associadas da ABEMI, assim como o plano decenal dos empreendimentos da Eletrobrás nos próximos 5 anos. PAPEL E CELULOSE A Diretoria de Papel e Celulose desenvolveu contatos com a Diretoria da Bracelpa, com o objetivo de levar informações sobre as empresas associadas da ABEMI e de convidar a Bracelpa a proferir palestra na ABEMI sobre os investimentos no setor de Papel e Celulose. No dia 27 de agosto, a Diretoria de Energia da ABEMI promoveu as palestras da Eletrobrás às nossas Associadas. Elas foram ministradas por José Carlos Miranda de Farias, DEE - Diretor de Estudos de Energia Elétrica, da EPE – Empresa de Pesquisa Energética; e Sinval Zaidan Gama, Diretor Superintendente de Operações no Exterior da Eletrobrás. Palestras José Carlos Miranda de Farias (EPE) Sinval Zaidan Gama (Eletrobrás) ENERGIA
  22. 22. DIRETORIAS DE SERVIÇOS Responsáveis pela coordenação entre Associadas, clientes e terceiros, buscando a evolução das atividades de seu respectivo setor – Sistema de Gestão; Engenharia; Fabricação; Construção Civil; Montagem; e Manutenção –, incluindo a melhoria dos sistemas de execução e controle, dos métodos e processos construtivos, bem como da formação de pessoal técnico e gerencial, sempre com o objetivo de manter um nível internacional de competitividade.
  23. 23. 25 Gerson Ricardi (Diretor ABEMI) Pedro C. Ribeiro (Stratech/ProjectOffice) SISTEMA DE GESTÃO O trabalho desta diretoria em 2010 foi: • nivelar o conhecimento sobre sistema de gestão; • divulgar as melhores ferramentas e práticas; • discutir com os principais clientes; • levantar o que há no mercado; • treinar os profissionais das Associadas nas ferramentas de gestão. O plano previu: • apresentação conceitual; • pesquisa das melhores ferramentas; • divulgação e treinamento. Palestra Lições para Gestão de Riscos e Prevenção de Crises, por Pedro C. Ribeiro, Stratech/Project Office. ENGENHARIA 2.1 GT COMPETITIVIDADE NA ENGENHARIA A importação da engenharia faz com que os empreendimentos se tornem dependentes de equipamentos, tecnologia e materiais estrangeiros, reduzindo a competitividade. O Brasil é forte em construção e montagem, mas falta a engenharia básica. Preencher tal lacuna é o foco desta diretoria. Os temas prioritários são: • padronização dos contratos; • qualificação dos profissionais e valorização da engenharia; • alocação do projeto básico nas empresas de engenharia básica e organização do mercado; • fortalecimento da engenharia básica e conceitual. Como principais clientes, foram citados: • Petrobras; • Vale; • Braskem.
  24. 24. 26 André Glogowsky (Conselheiro ABEMI) FABRICAÇÃO Palestras Desafios da Indústria Brasileira de Vasos de Pressão, por Cristian Jaty Silva, da ABEMI. Representando a ABEMI, o diretor de Serviço de Fabricação, Cristian Jaty Silva, participou do Fórum do IBP, realizado em 23 de agosto, com apresentações do IBP, da ABIMAQ e do CENPES. Com foco em competitividade, os debates foram liderados por Marcelino Guedes Ferreira Mosqueira Gomes, Diretor Presidente da Refinaria Abreu e Lima - RENEST. Um dos objetivos era atrair empresas para Pernambuco, expondo as facilidades que o estado oferece. Sustentabilidade Este grupo de trabalho foi criado pela Diretoria, que indicou o Conselheiro de Serviços de Construção Civil, André Glogowsky, para coordenar os trabalhos. Fazem parte do GT as seguintes empresas: • Hochtief; • CNO; • Camargo Corrêa; • Andrade Gutierrez; • Figueiredo Ferraz; • IESA. Glogowsky apresentou uma proposta de Planejamento Estratégico 2010/2012 – Plano de Ação de Sustentabilidade, com o objetivo de tornar a ABEMI uma entidade incentivadora, catalisadora e difusora do desenvolvimento sustentável entre suas Associadas. CONSTRUÇÃO CIVIL Metas do plano 1 Promover a troca de informações e experiências sustentáveis entre as Associadas; 2 Aumentar a visibilidade e a divulgação do tema sustentabilidade no site da ABEMI; 3 Incentivar as Associadas a desenvolver e adotar ações sustentáveis; 4 Lançar o Prêmio ABEMI de Sustentabilidade.
  25. 25. 27 MONTAGEM GT PRODUTIVIDADE EM TUBULAÇÃO Após 47 reuniões, o grupo de Produtividade em Tubulação convidou 18 profissionais de obras, incluindo engenheiros de suprimentos, engenheiros de tubulação, encarregados e supervisores, para avaliar e validar o trabalho realizado ao longo de um ano e meio, e já em fase final. As soluções para os problemas constatados foram analisadas e incorporadas às nossas atividades. GT DE COMPETITIVIDADE Definição de competitividade: é a capacidade de uma empresa de colocar seus produtos no mercado de forma sustentável, com lucro que assegure o retorno do investimento. Primeira etapa Aproveitar a demanda gerada para a próxima década, com manutenção e ampliação do conteúdo local. Segunda etapa Atingir os níveis dos resultados obtidos na Noruega e preparar empresas para eventuais flutuações do mercado. Objetivos do GT • Inovação tecnológica; • Melhoria dos processos e da metodologia; • Padronização, formação e qualificação da mão de obra; • Visão sobre os obstáculos à competitividade; • Realização de palestras e relatórios de sugestões de medidas, em prol da competitividade das empresas associadas à ABEMI.
  26. 26. COMISSÕES PERMANENTES
  27. 27. 29 Nova Coordenação Na primeira reunião da Comissão de Assuntos Jurídicos em 2010, foram eleitos o novo coordenador, Daniel Santa Bárbara Esteves (Skanska), e o novo vice-coordenador, Rodrigo Françoso Martini (Techint), e assinalado o reconhecimento da associação pela valiosa e relevante contribuição de Marlene Ferrari Santos, que coordenou os trabalhos da Comissão no período de 2004 a 2009. Mandado de Segurança Coletivo - FAP A comissão abordou o ônus adicional gerado pelo FAP – Fator Acidentário de Prevenção para as empresas e possíveis medidas judiciais e administrativas, dado ser o FAP uma penalidade (no caso de aumento do percentual do SAT) imposta à empresa, em decorrência de seu desempenho na gestão de Saúde e Segurança do trabalhador. Várias empresas ganharam a causa do FAP na Justiça, inclusive sem o depósito em juízo dos novos valores do FAP. Exigências do CONFEA A nova Resolução nº 1025/2009 do CONFEA para emissão de ART e acervo técnico profissional trouxe novas exigências. Com essas alterações, não será mais possível retificar os atestados antigos que não estejam em conformidade com a Resolução depois do prazo concedido até o final de 2010 para regularização. A ABEMI enviou ofício ao CONFEA expondo os inconvenientes da nova Resolução e solicitando o adiamento da entrada em vigor das novas exigências e a sua aplicação somente em relação às obras e aos serviços iniciados posteriormente à publicação da Resolução. MP Nº 510/2010, IN. Nº 1080/2010 RFB e a Tributação dos Consórcios O trabalho da subcomissão criada para estudar este tema culminou com a proposição feita pela ABEMI à Receita Federal de alterações nos dispositivos da Instrução Normativa nº 971 que traziam insegurança jurídica ao setor, principalmente na contratação de mão de obra. Comissão de Assuntos Jurídicos Palestras • Estruturação de Departamentos Jurídicos, por José Nilton Alcântara, FDJUR. • Cadastro Técnico Federal das Atividades Potencialmente Poluidoras e Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental, por Giselle de Campos Dalan, Niplan. • Autuações Previdenciárias sobre PLR, por Anna Lee Carr De Muzio Meir, Porto Advogados. • Nexo Técnico Previdenciário, por Anna Lee Carr De Muzio Meira, Porto Advogados.
  28. 28. 30 Comissão de Recursos Humanos Subcomissões criadas: • Recrutamento e Seleção; • Sistemas de Remuneração Pesquisa Salarial Realizada em setembro de 2010 pela Mercer Consultoria, com um grupo de 35 empresas associadas à ABEMI; • Responsabilidade Social; • Treinamento e Desenvolvimento; • Tecnologias e Indicadores de RH; • Benchmarking e Conhecimento; • Sistemas de Contratação. Nova Coordenação Na primeira reunião da Comissão de 2010, foram eleitas a nova coordenadora, Mary Cristina Pereira (Mana Engenharia), e a nova vice-coordenadora, Cristina Rocha (Teckma). Ao passar a coordenação aos eleitos, o vice-coordenador Frederico Machado (MCE), em nome do coordenador João Alexandre Vidal (Techint), da gestão de 2009, agradeceu o apoio de todos no decorrer do ano, bem como a presença massiva e a participação efetiva nos trabalhos da comissão; e frisou o papel importante da equipe de apoio da executiva da ABEMI através de Aurélio Escudero e Francis Mesquita. Papel estratégico A atenção especial em 2010 foi para a carência de mão de obra qualificada, que impactará diretamente os negócios, a competitividade e o crescimento das empresas associadas. A nova coordenação eleita para 2010 é composta por: Coordenador: Eduardo Brito – Contreras; Vice-coordenadora: Lucy Tavares Bahia – Fidens; Redatoras: Viviane Amaral – Progen; e Graciela A. D. Maranho – Brasfond. 1 SEGURANÇA E SAÚDE 1.1 Procedimentos Padrão de Execução ABEMI-PETROBRAS 1.1.1 Requisitos Padrão de SMS - A lista dos requisitos padrão de SMS foi elaborada pelos membros da CESMT/ABEMI e já constam dos Procedimentos do SGT PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS do GT PETROBRAS/ENGENHARIA-ABEMI-ABCE. Comissão de Engenharia de Segurança, Saúde e Meio Ambiente – CESMT
  29. 29. 31 1.1.2 Manuseio e Utilização de Ferramentas - Por solicitação do gerente executivo da Engenharia da Petrobras à ABEMI, foi criado o Grupo 9 - Manuseio e Utilização de Ferramentas, formado pelas empresas Contreras, Camargo Corrêa, WTorre, Santa Barbara e GDK, coordenado por Eduardo Brito (Contreras), que está desenvolvendo os seguintes procedimentos: • Ferramentas de Manuais – já aprovado pela Petrobras; • Ferramentas Elétricas; • Ferramentas Rotativas; • Ferramentas de Percussão; • Ferramentas Pneumáticas; • Espaço Confinado. 1.1.3 Dutos - Também foi criado o Grupo 10 – Dutos, formado pelas empresas Techint, Azevedo Travassos, Carioca Engenharia, Contreras, GDK e Geocompany, coordenado por Marcelo Andrés Montero (Techint), que está desenvolvendo os seguintes procedimentos: • Pista; • Solda; • Revestimento; • Abaixamento; • Obras Especiais e Tie-in; • Limpeza + Teste + Condicionamento; • Recomposição; • Ancoragem de Máquinas; • Desfile de Tubos; • Curvamento a Frio de Tubos; • Desmatamento (Supressão Vegetal); • Topografia para Dutos. 1.2 Segurança e Saúde no Trabalho em Estabelecimentos de Saúde Debatidos os temas da NR 32: • Ambulatório Patronal - como determinar sua aplicação em obras em geral; • Relação entre os Conselhos de Medicina Estaduais e a ANVISA - no aspecto de licenças em geral; • Valores de Taxas cobradas pelos Conselhos para regularizar a Responsabilidade de Médicos sobre uma obra em geral - que não seja na aplicação direta da NR 32; • Relação entre a RD 50 da ANVISA - projetos de ambulatórios, plantas e sua aplicação em obras em geral. 1.3 Programas para Pessoas Jurídicas Após exposições de casos, ficou claro que a inserção de PJ no plano do empreendimento como se fossem celetistas, utilizando programas legais – como o PCMSO, PPRA e outros – seria a solução viável, já que estão expostos aos mesmos riscos. Esses novos Grupos fazem parte do SGT Padronização de Procedimentos do GT PETROBRAS/ENGENHARIA-ABEMI-ABCE.
  30. 30. 32 2 MEIO AMBIENTE Segregação e Descarte de Resíduos – Não houve novas soluções para a segregação e o descarte de resíduos de caixas separadoras - classe 1 - em áreas de difícil acesso. Apenas as convencionais. 3 QUALIDADE A coordenação eleita para 2010 é composta por: Coordenadora: Lucy Tavares Bahia – Fidens; Vice-Coordenador: Fernando Medeiros – GDK. 3.1 Criada a Subcomissão de Qualidade - A partir de abril, foram realizadas as reuniões da Subcomissão de Qualidade, com a ampliação da abrangência, considerando a Qualidade Sistêmica e a Qualidade do Produto. 3.2 Palestras • Phased Array (TOFD), apresentada na subcomissão de qualidade pela WDT por Marcos A. da Silva Figueiredo; • Apresentação Testes de PMI, por Wilson Fernandes, Anacom Científica; • Implantação e Certificação da ISSO/TS 29001:2008, por Roberto Potenza, Camargo Corrêa. 4. GERAL 4.1 Estatísticas de Acidentes de 2009 Foi elaborada a Estatística de Acidentes de 2009 das empresas associadas, dividida em: a Estatística de Acidentes, considerando todas as obras das empresas; b Estatística de Acidentes, considerando apenas as obras da Petrobras. Os resumos dos levantamentos realizados em 2009 junto às empresas associadas se encontram nos quadros abaixo: Resumo – Estatísticas de Acidentes 2009 DISCRIMINAÇÃO Horas Homens Trabalhadas (HHT) Número de Acidentes com Afastamento Número de Acidentes sem Afastamento Número de Acidentes Fatais Número de Dias Perdidos + Transportados + Debitados Taxa de Frequência (com afastamento) Taxa de Frequência (sem afastamento) Taxa de Gravidade Número de Casos Registrados de Doenças Ocupacionais Todas as Obras TOTAL GERAL 836.828.320 2.453 4.234 29 258.290 2,93 5,06 309 8,8 OBRAS PETROBRAS TOTAL GERAL 172.094.166 104 893 1 12.039 0,60 5,19 70 1
  31. 31. 33 4.2 Seminário Anual da CESMT A CESMT realizou o Seminário ABEMI de Segurança, Saúde e Meio Ambiente e Responsabilidade Social, no dia 17 de junho, com a participação de 85 pessoas. 4.3 INSPETORES Constatou-se a existência de inspetores trabalhando com o Certificado de Qualificação vencido. Foi encaminhado pleito à ABENDI sugerindo a emissão de carta de validação do certificado vencido, até que seja equacionada a questão das provas de qualificação. 5 PALESTRA • Organização do PROGEFE - Vantagens de se ter um Departamento Específico, por engº Rodrigo Vidal - Contreras. • PMP (PMI) – Uma Ferramenta de Trabalho, por engº Giulliano Polito – Paranasa. Palestras • Green Building no Brasil, por James Edward Davis e Marcia Piccarelli, Novva Solutions. • Projeto de Neutralização de Carbono na Obra GASDUC III/RJ”, por Ricardo Dinato, Iniciativa Verde. • Reabilitação Profissional Ferramenta de Inclusão Social, por Dra. Maria Cristina R. Menezes, Engevix. • Rumos a tomar nas Qualificações de Inspetores, por João Rufino Teles Filho, ABENDI. • ISO 26000, por Waterson Salles, BSI Brasil. • Elaboração pela ABEMI de Procedimentos de Execução para os Empreendimentos Gerenciados pela Engenharia da Petrobras, por Nazario González, Engevix. Eduardo Brito (Coordenador da CESMT – Contreras) Marcelo Corrêa (Diretor ABEMI) Deodato M. Santos (Skanska) Giulliano Polito (Paranasa)
  32. 32. ABEMI E OUTRAS ENTIDADES
  33. 33. 35 O 7º Encontro foi realizado em Porto Alegre - RS, nos dias 17, 18 e 19 de novembro de 2010. Representaram a ABEMI: Diretor Antonio Müller; Diretor Executivo Aurélio Escudero; Consultor Eduardo Antunes. Os trabalhos se desenvolveram em 4 grupos: A ABEMI foi uma das quatro patrocinadoras do estudo elaborado pela Booz & Co. sobre a Agenda de Competitividade da Cadeia Produtiva de Óleo e Gás Offshore no Brasil. No trabalho, foram avaliadas as lacunas de competitividade da indústria, com identificação e comparação a referências internacionais, além de proposição de ações para o desenvolvimento da cadeia de óleo e gás. O trabalho foi divulgado: • Para o Conselho Deliberativo da ONIP e a Diretoria da Petrobras: presidente José Sérgio Gabrielli, diretor Renato Duque e gerente executivo Marco Aurélio Ramos; • Para o BNDES, em reunião com o presidente Luciano Coutinho e diretores, realizada na FIRJAN; • Para as nossas Associadas, pelo diretor geral da ONIP, Eloi Fernández y Fernández, e os superintendentes Bruno Musso e Carlos Camerini, na ABEMI. Grupo I Qualificação e Empregabilidade Grupo II Fatores Exógenos da Competitividade da Cadeira de Suprimentos de Bens e Serviços Grupo III Adequação do Parque Supridor Nacional – Tecnologia e Infraestrutura Fabril Grupo IV Meio Ambiente O principal produto deste encontro é a definição das diretrizes que vão orientar as iniciativas do Prominp no ano seguinte. 7º ENCONTRO NACIONAL DO PROMINP porto alegre ONIP – organização nacional da indústria do petróleo Agenda de Competitividade da Cadeia Produtiva de Óleo e Gás Offshore Bruno Musso (ONIP)
  34. 34. 36 A Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo criou a Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural – CESPEG, coordenada por Roberto Santos, para defender o interesse das empresas dos vários setores de São Paulo no pré-sal. Os trabalhos da Comissão foram iniciados em 2008 por Alberto Goldman e retomados em junho de 2009 por Geraldo Alckmin, frente à Secretaria de Desenvolvimento do Governo do Estado de São Paulo. Foram instituídos 6 GTs, cabendo à ABEMI a coordenação de três: • GT 2 Mão de Obra, por Joaquim Maia; • GT 4 Infraestrutura, Escoamento e Logística, por Marcelo Corrêa; • GT 6 Construção Naval, Estaleiro, por Gerson Ricardi. A Comissão apresentou seus trabalhos na Fiesp, no dia 6 de agosto. ABIMAQ Em busca de uma forma de unir forças em defesa da indústria como um todo, o presidente da ABEMI e o diretor geral da ONIP participaram de um almoço na ABIMAQ, entidade que congrega empresas fabricantes de bens de capital. Foi criado um grupo de competitividade para discutir em reuniões pontos comuns e relevantes, a fim de que as entidades participem de ações conjuntas com governos, congresso nacional e órgãos de fomento. Plano Estratégico de Desenvolvimento das Entidades Em parceria com ABIMAQ, ABINEE, ABCE e ABIFA, a ABEMI elaborou um documento denominado Plano Estratégico de Desenvolvimento das Entidades, entregue aos candidatos à Presidência da República, no intuito de indicar os pontos fortes e fracos do setor industrial e de serviços de engenharia. Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural/SP – CESPEG
  35. 35. 37 O CE-EPC integra empresas Operadoras de Petróleo, Fornecedores da Cadeia de EPC e Universidades, congregando esforços na busca da melhoria de produtividade, competitividade e sustentabilidade da indústria brasileira. A ABEMI tem presença no Conselho Consultivo, com Ricardo Ribeiro Pessôa como titular e Daniel Maurice André Peres como suplente; e no Conselho Fiscal, com os diretores Joaquim Maia e Aurélio Escudero. Em Assembleia realizada em dezembro de 2010, foram eleitos Antonio Müller como presidente, e José Octavio Alvarenga e Gerson Ricardi como diretores representantes das empresas EPCistas – sendo todos eles também diretores da ABEMI. Principais projetos desenvolvidos pelo Centro de Excelência em 2010: • Principais fatores que impactam no custo e no prazo dos empreendimentos; • Engenharia Consultiva: aprimoramento dos processos que representam entrave nas relações entre os integrantes da Cadeia de EPC; • Evolução nos modelos de contrato associados às relações EPCistas-Operadoras; • Comissionamento: melhores práticas; • Gestão Integrada da Cadeia EPC; • Ambientes de Engenharia; • Desenvolvimento e Fortalecimento da Engenharia no País; • Banco de Métricas de Soldagem: pesquisa e construção de um Banco de Métricas de Soldagem, que permita simplificar as demandas associadas; • EPC em Prática; • Cursos Presenciais; • Implementação do Comitê de Benchmarking e Métricas do CE-EPC; • Divulgação da Base de Conhecimentos do CII no Brasil. CENTRO DE EXCELÊNCIA CE – EPC
  36. 36. OUTRAS AÇÕES
  37. 37. 39 MRE – comissão mista brasil-alemanha O vice-presidente Márcio Cancellara representou a ABEMI na 39ª edição dos “500 Grandes da Construção”. No evento de premiação promovido pela Revista “O Empreiteiro”, verificou-se que as 10 maiores empresas de construção são Associadas ABEMI e, das 25 maiores, 22 fazem parte de nossa Associação. No final do mês de agosto, a ABDIB e a CNI promoveram um encontro de homenagem ao Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. O empresariado estava presente, e o presidente, acompanhado por oito ministros, ainda convidou os presidentes das associações, incluindo a ABEMI, para uma conversa privativa sobre o futuro do setor. Única associação que congrega engenharia e indústria, a ABEMI foi convidada a integrar a Comissão Mista Brasil-Alemanha. Representaram a ABEMI: • no encontro preparatório, realizado em maio de 2010, em Brasília: Presidente Carlos Maurício; Diretores Gerson Ricardi e Cristian Jaty; • na Alemanha: Conselheiro André Glogowsky. 500 Grandes da Construção 2010 Almoço com o Presidente da República
  38. 38. 40 Víctor Aldrhing Guevara Chávez (Presidente Colégio de Ingenieros del Peru) Roberto Kochen (Diretor ABEMI) Aurélio Escudero (Diretor ABEMI) Eduardo Sérgio Porto Antunes (Consultor ABEMI) A convite do Secretário Extraordinário da Indústria Naval e Portuária da Bahia, Roberto Benjamin, o presidente Carlos Maurício e o diretor Francisco Rocha apresentaram a visão da ABEMI sobre o Cenário Brasileiro do Petróleo. Equivalente ao CREA no Brasil, o Conselho Departamental de Lima veio à ABEMI apresentar as oportunidades de investimento no Peru, que há mais de 10 anos cresce de 7% a 8% ao ano. O interesse está direcionado para mineração, infraestrutura, hidrovias, rodovias e ferrovias. Secretaria da Indústria Naval e Portuária da Bahia Visitas 5.1 Samsung Construction Pela segunda vez, a ABEMI recebeu engenheiros de custos da empresa coreana, interessados em informações sobre investimentos brasileiros nas áreas de petróleo, mineração, siderurgia, e na questão do conteúdo nacional. 5.2 Delegação Finlandesa Por indicação da Petrobras, a delegação nos visitou, interessada em projetos de navios e plataformas que envolvam as empresas associadas ABEMI, para o estabelecimento de eventuais parcerias. 5.3 Missão Técnica Colegio de Ingenieros Del Peru
  39. 39. 41 REPRESENTAÇÕES DA ABEMI ABDIB Infraestrutura – presidente Carlos Maurício Lima de Paula Barros ABIMAQ Fabricação – diretor Cristian Jaty Silva ABIQUIM Química e Petroquímica – diretor José Octavio de Alvarenga ABRAMAN Manutenção – diretor Valdir Lima Carreiro BRACELPA Papel e Celulose – diretor Oscar Simonsen CENTRO DE EXCELÊNCIA – EPC Conselho Fiscal – diretores Joaquim Maia e Aurélio Escudero; Conselho Consultivo – conselheiro Ricardo R. Pessôa e Daniel M. A. Peres FBTS Conselho de Administração – conselheiros Carlos Maurício e, de Fabricação, Renato Teixeira de Freitas FIEMG – SINDUSCON-MG Diretor Francisco Rocha GT PETROBRAS/ENGENHARIA – ABEMI – ABCE • SGT Engenharia – diretor vice-presidente Márcio A. Cancellara. • SGT Padronização de Procedimentos - diretor de Montagem, Francisco Rocha. • SGT Master Vendor List – Luiz Alfredo Sapucaia (Camargo Corrêa). • SGT EAP – Luiz Alfredo Sapucaia (Camargo Corrêa). • SGT Redução de Custos e Prazos – diretores de Sistemas de Gestão, Gerson Ricardi; e de Química e Petroquímica, José Octávio Alvarenga. • SGT Jurídico – Heitor Takaki (Techint). • SGT Hold Points de Equipamentos – diretor de fabricação, Cristian Jaty Silva. Diretor Guilherme Pires de Mello GT Reajustes de preços Diretor de Química e Petroquímica José Octávio Alvarenga GT VALE - ABEMI Diretor de Mineração e Siderurgia Gabriel Aidar Abouchar IBQN Conselho de Administração - presidente Carlos Maurício; suplente, diretor de Manutenção, Valdir Lima Carreiro IBRAM, IBS Siderurgia e Mineração – diretor Gabriel Aidar Abouchar SINAENCO, ABCE Instituto de Engenharia – SP – diretor Roberto Kochen ONIP Conselho Deliberativo – como titular o presidente Carlos Maurício Lima de Paula Barros e como suplente, o conselheiro Ricardo R. Pessôa Conselho Consultivo – como titular, o diretor Marcelo F. C. A. Corrêa e, como suplente, Antônio E. F. Müller.
  40. 40. 42 O documento “Orientação Estratégica 2010-2012” foi aprovado pelos diretores e conselheiros após apresentação feita pelo presidente Carlos Maurício. A metodologia de trabalho da ABEMI passa por essa orientação estratégica sobre a qual cada diretor de serviços e de segmentos econômicos prepara seus planos de ação. O espaço aberto para apresentação institucional das empresas associadas aos diretores e conselheiros, após as reuniões de Diretoria e Conselho de Administração, vem sendo utilizado conforme agendamento possível. Em 2010, apresentaram-se as empresas Pöyry Tecnologia Ltda., MIP Engenharia S.A., Tecna Brasil Ltda. e Azevedo & Travassos S.A. A Assembleia Geral Ordinária, realizada em 30 de março, elegeu a nova Diretoria e o Conselho de Administração para a gestão 2010-2012. A chapa única foi reeleita por unanimidade dos votos. Os eleitos constam no Organograma da Diretoria, neste Relatório. Na ocasião, algumas metas para essa gestão foram apresentadas, sendo o tema Competitividade o de maior relevância. A tarefa das Diretorias de Serviço será buscar melhorias e propagá-las a todas as Associadas, buscando diminuir a grande defasagem de produtividade no Brasil, quando comparado às empresas de países mais desenvolvidos. Esses planos dos diretores têm alguns pontos comuns: • Valorização da imagem; • Defesa dos interesses coletivos; • Busca de novos associados; • Outras ações de aproximação com clientes e trabalhos internos, visando o desenvolvimento das empresas para que, em conjunto, promovam a melhoria do setor. ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA 2010/2012 Espaço das Empresas Associadas Assembleia Geral Ordinária ASSUNTOS INTERNOS
  41. 41. 43 Desde Abril de 1978, na gestão do então presidente Derek Herbert Lovell-Parker, o economista Antonio Carlos Martins Bastos empenhou-se em divulgar a ABEMI, a dar suporte a diretores e associados no Rio de Janeiro. Chefiou o escritório da ABEMI no Rio de Janeiro e representou a Associação junto a empresas, entidades e órgãos governamentais, no Estado. Foram 32 anos de dedicação e empenho pela entidade no Rio de Janeiro. Seu falecimento ocorreu em 21 de Março de 2010. As Comissões Permanentes continuam com papel de alta relevância. O Conteúdo Nacional continuará sendo uma das principais bandeiras da ABEMI, que planeja uma ação conjunta e coordenada com outras entidades de classe. Jantar de Confraternização Após a Assembleia, a Diretoria e o Conselho se reuniram na casa do diretor Gabriel Aidar Abouchar para um Jantar de Confraternização. Diretor reassume cargo Em vista da conclusão do convênio ABEMI-PETROBRAS – Prominp/PNQP, em 31 de maio de 2010, para execução do Plano Nacional de Qualificação Profissional, que qualificou 80 mil profissionais, e para o qual foi licenciado para assumir a Diretoria Executiva, Joaquim Passos Maia reassumiu seu cargo na Diretoria da ABEMI, a convite do presidente Carlos Maurício. Antônio Carlos Martins Bastos
  42. 42. 44 1. ABB LUMMUS GLOBAL LTDA. 2. ADLER ANDAIMES LTDA. 3. AEM SERVIÇOS DE ENGENHARIA S/C LTDA. 4. AIR CONDITIONING TOTAL SERVICE LTDA. 5. ALUSA ENGENHARIA LTDA. 6. AP CONSULTORIA E PROJETOS LTDA. 7. AZEVEDO E TRAVASSOS S.A. 8. BAREFAME INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS LTDA. 9. BELLELLI & ZUBARAN PLANEJ. E CONTROLE LTDA. 10. BRASFOND FUNDAÇÕES ESPECIAIS S.A. 11. BSM ENGENHARIA S.A. 12. CALORISOL ENGENHARIA LTDA. QUADRO SOCIAL NOVAS ASSOCIADAS DE 2010 ADLER ANDAIMES LTDA. AZEVEDO & TRAVASSOS S.A. ENGEFORM S.A. CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO HATCH ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. HELENO & FONSECA CONSTRUTÉCNICA S.A. MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S.A. CONSTRUÇÕES PLANOVA PLANEJAMENTO E CONSTRUÇÕES S.A. SCET – SOLUÇÕES DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA LTDA. SOG – SISTEMAS EM ÓLEO E GÁS S.A. TECNA BRASIL LTDA. WTORRE ZETER TERRAPLENAGEM LTDA. RELAÇÃO DE EMPRESAS ASSOCIADAS 13. CARIOCA CHRISTIANI-NIELSEN ENGENHARIA S.A. 14. CEGELEC LTDA. 15. CENTROPROJEKT DO BRASIL S.A. 16. CH2M HILL DO BRASIL ENGENHARIA LTDA. 17. CMI CONSTRUÇÕES LTDA. 18. CNEC PROJETOS DE ENGENHARIA S.A. 19. CONDUTO CIA. NACIONAL DE DUTOS 20. CONSTRAN S.A. CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO 21. CONSTRUBASE ENGENHARIA LTDA. 22. CONSTRUCAP CCPS ENGª E COMÉRCIO S.A. 23. CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO CAMARGO CORRÊA S.A. 24. CONSTRUTECKMA ENGENHARIA LTDA.
  43. 43. 45 25. CONSTRUTORA ANDRADE GUTIERREZ S.A. 26. CONSTRUTORA NORBERTO ODEBRECHT S.A.- CNO 27. CONSTRUTORA OAS LTDA. 28. CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO S.A. 29. CONTEMAT ENGENHARIA E GEOTECNIA S.A. 30. CONTRERAS ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA. 31. DEDINI SERVICE PROJETOS, CONSTRUÇÕES E MONTAGENS LTDA. 32. DELTA ENGENHARIA E MONTAGEM INDUSTRIAL LTDA. 33. EBSE - ENGENHARIA DE SOLUÇÕES 34. ECMAN ENGENHARIA S.A. 35. EGESA ENGENHARIA S.A. 36. EIT EMPRESA INDUSTRIAL TÉCNICA S.A. 37. ELETRODATA CONST. E MONTAGENS INDUSTRIAIS LTDA. 38. EMPRESA BRASILEIRA DE ENGENHARIA S.A. - EBE 39. ENCONSULT ENGENHARIA E CONSULTORIA LTDA. 40. ENESA ENGENHARIA S.A. 41. ENFIL S.A. CONTROLE AMBIENTAL 42. ENGECAMPO ENGENHARIA LTDA. 43. ENGEFORM CONSTRUÇÕES E COMÉRCIO LTDA. 44. ENGEVIX ENGENHARIA S.A. 45. ESTALEIRO ATLÂNTICO SUL S.A. 46. EUROBRAS CONSTR. METÁLICAS MODULADAS LTDA. 47. FAST ENGENHARIA E MONTAGENS S.A. 48. FIDENS ENGENHARIA S.A. 49. FIGUEIREDO FERRAZ CONSULT. E ENG. DE PROJETO LTDA. 50. FLUXO SOLUÇÕES INTEGRADAS LTDA. 51. GALVÃO ENGENHARIA S.A. 52. GDK S.A. 53. GEMON GERAL DE ENGENHARIA E MONTAGENS S.A. 54. GENPRO ENGENHARIA LTDA. 55. GEOCOMPANY-TECNOLOGIA, ENG. & MEIO AMBIENTE LTDA. 56. GEOFIX ENG. FUNDAÇÕES E ESTAQUEAMENTO S/C LTDA. 57. GLOBAL PARTICIPAÇÕES EM ENERGIA S.A. 58. HATCH CONSULTORIA E GERENCIAMENTO DE EMPREENDIMENTOS LTDA. 59. HEATING & COOLING TECNOLOGIA TÉRMICA LTDA. 60. Heleno & Fonseca Construtécnica S.A. 61. HOCHTIEF DO BRASIL S.A. 62. HYUNDAI CONSTRUCTION DO BRASIL LTDA. 63. IESA ÓLEO E GÁS S.A. 64. IMC SASTE CONSTR., SERVIÇOS E COMÉRCIO LTDA. 65. INTECH ENGENHARIA LTDA. 66. IOAL ENGENHARIA LTDA. 67. IRGA LUPERCIO TORRES S.A. 68. ISOTEC ENGENHARIA LTDA. 69. JARAGUÁ EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS LTDA. 70. JMA ASS. COML. MARKETING E REPRESENTAÇÕES LTDA. 71. JPNOR ENGENHARIA LTDA. 72. KTY ENGENHARIA LTDA. 73. LIMA NETO ENGENHARIA E REPRESENTAÇÃO LTDA. 74. MANA ENGENHARIA E CONSULTORIA S.A. 75. MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S.A. CONSTRUÇÕES 76. MAUBERTEC ENGENHARIA E PROJETOS LTDA. 77. MCE ENGENHARIA LTDA. 78. MENDES JÚNIOR TRADING E ENGENHARIA S.A. 79. MERCOTUBOS INDÚSTRIA DE EQUIPTOS. E PEÇAS LTDA. 80. METASA S.A INDÚSTRIA METALÚRGICA 81. MILLS ESTRUTURAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A 82. MIP ENGENHARIA S.A. 83. MONTCALM MONTAGENS INDUSTRIAIS S.A. 84. MPE MONTAGENS E PROJETOS ESPECIAIS S.A. 85. MULTITEK ENGENHARIA LTDA. 86. NATIVA ENERGIA S.A. 87. NETWORKER TELECOM INDÚSTRIA, COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA. 88. NIPLAN ENGENHARIA LTDA. 89. NM ENGENHARIA E ANTICORROSÃO LTDA. 90. OMC ENGENHEIROS ASSOCIADOS LTDA. 91. ORTENG SPE PROJETOS E MONTAGENS LTDA. 92. PAMPA MONTAGENS E MANUTENÇÃO LTDA. 93. PARANASA ENGENHARIA E COMÉRCIO S.A. 94. PCP ENGENHARIA E MONTAGENS INDUSTRIAIS LTDA. 95. PETROBRAS - PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. 96. PIPECONSULT ENGENHARIA E REPRESENTAÇÕES LTDA. 97. PLANEJAMENTO E MONTAGENS SVM LTDA. 98. PLANOVA PLANEJAMENTO E CONSTRUÇÕES S.A. 99. PONTEC ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA. 100. POTENCIAL ENGENHARIA S.A. 101. POYRY TECNOLOGIA LTDA. 102. PRODUMAN ENGENHARIA LTDA. 103. PROGEN - PROJETOS, GERENCIAMENTO E ENG. LTDA. 104. PROJECTUS CONSULTORIA LTDA. 105. PROMON ENGENHARIA LTDA. 106. QUALIMAN MONTAGENS INDUSTRIAIS LTDA. 107. REMAC ENGENHEIROS E CONSULTORES LTDA. 108. ROHR S.A. ESTRUTURAS TUBULARES 109. SANTA BÁRBARA ENGENHARIA S.A. 110. SANTOS BARBOSA TÉCNICA COM. E SERVIÇOS LTDA. 111. SCET SOLUÇÕES DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA LTDA. 112. SCHAHIN ENGENHARIA S.A. 113. SEEBLA SERVIÇOS DE ENGª EMÍLIO BAUMGART LTDA. 114. SERVTEC INSTALAÇÕES E MANUTENÇÃO LTDA. 115. SETEC TECNOLOGIA S.A. 116. SIMA ENGENHARIA LTDA. 117. SKANSKA BRASIL LTDA. 118. SODECOIN – SOCIEDADE DE DESENVOLVIMENTO DE CONCRETO INDUSTRIALIZADO LTDA. 119. SOG - SISTEMAS EM ÓLEO E GÁS S.A. 120. SPÁRTACUS COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA. 121. TECHINT ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO S.A. 122. TECHNIP BRASIL - ENGª, INSTALAÇÕES E APOIO MARÍTIMO S.A. 123. TECNA BRASIL LTDA. 124. T E C N I M O N T D O B R A S I L C O N S T R U Ç Ã O E ADMINISTRAÇÃO DE PROJETOS LTDA. 125. TELSAN ENGENHARIA E SERVIÇOS LTDA. 126. TKK ENGENHARIA LTDA. 127. TOMÉ ENGENHARIA S.A. 128. TOYO DO BRASIL CONSULTORIA E CONST. INDUSTRIAIS LTDA. 129. UNICONTROL INTERNATIONAL LTDA. 130. USIMINAS MECÂNICA S.A. 131. UTC ENGENHARIA S.A. 132. VWS BRASIL LTDA. 133. WBS GERENCIAMENTO E EMPREENDIMENTOS LTDA. 134. WTORRE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO S.A. 135. WTORRE ZETER TERRAPLENAGEM LTDA. 136. ZOPONE ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA.
  44. 44. 46 DADOS ESTATÍSTICOS Proporção da Receita Bruta por Setor em 2009 CONSTRUÇÃO ENGENHARIA FABRICAÇÃO MONTAGEM 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões CONSOLIDADO ABEMI 2.66 2.56 4.81 6.67 10.48 9.73 13.25 14.50 10.91 5.80 8.13 8.07 9.37 12.56 17.02 12.54 12.92 15.17 17.70 20.66 23.75 31.15 0.00 5.00 10.00 15.00 20.00 25.00 30.00 35.00 40.00 CONSTRUÇÃO CIVIL ENGENHARIA FABRICAÇÃO MONTAGEM 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões CONSOLIDADO ABEMI 2.66 2.56 4.81 6.67 10.48 9.73 13.25 14.50 10.91 5.80 8.13 8.07 9.37 12.56 17.02 12.54 12.92 15.17 17.70 20.66 23.75 31.15 0.00 5.00 10.00 15.00 20.00 25.00 30.00 35.00 40.00 60% 6% 4% 30% RECEITA BRUTA
  45. 45. 47 0.50 0.45 0.32 0.13 0.34 0.43 0.32 0.11 0.23 0.36 0.40 0.36 0.52 0.64 0.69 0.72 1.32 1.19 0.00 0.20 0.40 0.60 0.80 1.00 1.20 1.40 1.60 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões FABRICAÇÃO 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões ENGENHARIA 0.11 0.22 0.58 0.65 0.74 0.43 0.55 0.34 0.32 0.30 0.32 0.30 0.26 0.43 0.71 0.59 0.73 0.83 1.15 1.60 2.24 1.92 0.00 0.50 1.00 1.50 2.00 2.50 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões MONTAGEM 0.45 0.44 1.02 1.17 1.22 0.80 1.04 1.07 1.10 0.78 1.85 1.95 1.83 3.53 5.02 3.10 3.58 3.75 4.54 5.47 7.47 9.29 0.00 2.00 4.00 6.00 8.00 10.00 12.00 1972 1973 1976 1979 1982 1985 1988 1991 1994 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 EmUS$bilhões CONSTRUÇÃO CIVIL 2.09 1.89 3.21 4.85 8.02 8.05 11.34 12.96 9.47 3.96 5.64 5.71 7.04 8.23 10.89 8.49 8.09 9.95 11.32 12.87 12.71 18.75 0.00 5.00 10.00 15.00 20.00
  46. 46. 48 EmUS$ePorcentagemdeCrescimento 5.220.696 6.587.898 10.936.689 13.715.366 21.784.900 0 5.000.000 10.000.000 15.000.000 20.000.000 25.000.000 2005 2006 2007 2008 2009 EVOLUÇÃO FATURAMENTO – ÚLTIMOS 5 ANOS 26,19% 109,49% 162,71% 317,28% TÉCNICO SUPERIOR Evolução do Número de Empregados – Consolidado ABEMI 12,2 12,1 11,9 16,1 9,1 8,5 7,7 12,8 12,9 11,4 14,1 17,2 15,0 17,4 19,9 29,133,6 30,0 25,3 29,9 13,6 11,5 9,0 18,0 12,6 16,1 18,3 17,4 20,4 21,0 24,5 32,0 241,0 217,0 179,0 223,0 111,0 92,0 56,0 112,5 90,1 97,9 92,1 92,5 145,2 151,6 177,3 290,2 286,8 259,1 216,2 269,0 133,7 112,0 72,7 143,3 115,6 125,4 124,5 127,1 180,6 190,0 221,7 351,3 50,0 100,0 150,0 200,0 250,0 300,0 350,0 400,0 1981 1982 1985 1988 1991 1994 1997 2001 2002 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 EmMil TOTAL OUTROS TÉCNICO SUPERIOR Evolução do Número de Empregados – Consolidado ABEMI 12,2 12,1 11,9 16,1 9,1 8,5 7,7 12,8 12,9 11,4 14,1 17,2 15,0 17,4 19,9 29,133,6 30,0 25,3 29,9 13,6 11,5 9,0 18,0 12,6 16,1 18,3 17,4 20,4 21,0 24,5 32,0 241,0 217,0 179,0 223,0 111,0 92,0 56,0 112,5 90,1 97,9 92,1 92,5 145,2 151,6 177,3 290,2 286,8 259,1 216,2 269,0 133,7 112,0 72,7 143,3 115,6 125,4 124,5 127,1 180,6 190,0 221,7 35 50,0 100,0 150,0 200,0 250,0 300,0 350,0 400,0 1981 1982 1985 1988 1991 1994 1997 2001 2002 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 EmMilEvolução do Faturamento das 20 maiores empresas associadas, nos últimos 5 anos. Fontes: Revista Exame, Revista O Empreiteiro e ABEMI. FATURAMENTO NÍVEL DE EMPREGO
  47. 47. 49 3,5 8,8 6,9 7,8 8,3 14,05,8 7,9 7,4 7,9 8,5 16,5 47,4 42,4 76,2 83,5 99,0 189,9 56,7 59,1 90,5 99,2 115,8 220,4 0,0 50,0 100,0 150,0 200,0 250,0 20062005 2007 2008 2009 2010 EmMil Nível de Emprego - CONSTRUÇÃO CIVIL 20062005 2007 2008 2009 2010 EmMil Nível de Emprego - ENGENHARIA 1,8 2,0 3,0 3,9 4,8 5,6 1,9 1,6 2,3 2,9 3,3 2,6 1,3 0,9 3,6 4,6 4,9 6,8 5,0 4,6 8,9 11,4 13,1 15,0 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 14,0 16,0 20062005 2007 2008 2009 2010 EmMil Nível de Emprego - MONTAGEM 3,1 2,9 4,5 5,3 6,0 8,88,4 6,3 9,6 9,8 12,0 12,6 32,7 42,8 59,0 60,0 60,4 81,0 44,2 52,0 73,1 75,1 78,4 102,4 0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120,0 20062005 2007 2008 2009 2010 EmMil Nível de Emprego - FABRICAÇÃO 5,7 3,5 0,5 0,4 0,8 0,7 2,2 1,6 1,1 0,4 0,7 0,3 10,7 6,4 6,4 3,5 13,0 12,5 18,6 11,5 7,9 4,3 14,5 13,5 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 14,0 16,0 18,0 20,0
  48. 48. PRINCIPAIS ATIVIDADES DAS ASSOCIADAS ABB LUMMUS l l l l l l l l l l l l l l l l ADLER l AEM l ALUSA l l l l l l l l l l l AP CONSULTORIA l l l AIR CONDITIONING l l l l l l AZEVEDO & TRAVASSOS l l l l l l l l l BAREFAME l l l l l l l l l l l BELLELLI l l l BRASFOND l l l l B.S.M. l l CALORISOL l l l l l CAMARGO CORRÊA l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l CARIOCA CHRISTIANI NIELSEN l l l l l l l l l l l l l l l CEGELEC l l l l l l l l l l l CENTROPROJEKT l l l l l l l l l l l l l l l CH2M HILL l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l CMI l l l l l l l l CNEC l l l l l l l CONDUTO l l l l l l l l l l l l CONSTRAN l l l CONSTRUBASE l l l l l l l l CONSTRUCAP l l CONST. ANDRADE GUTIERREZ l l l l l l CONST. NORB. ODEBRECHT l l l l l l l l l l l l l l l l l CONSTRUTORA OAS l l l l l l l l l l CONST. QUEIROZ GALVÃO l l l l l l l l l l l l l l l l CONTEMAT l l CONTRERAS l l l l l l l l l l l l l l l l DEDINI SERVICE l l l l l l l l l l DELTA l l l l l l l l l l l l l l l l l EBE l l l l l l l l l EBSE l l l l l l l l Projeto Industrial Montagem Industrial Serviços de Obras Especiais Fabricação Outros ATIVIDADES CONCEPÇÃOBÁSICA ESTUDODEVIABILIDADE PROJETOBÁSICO PROJETOEXECUTIVO CONSULTORIA SUPRIMENTOS/COMPRAS CONSTRUÇÃOCIVILINDUSTRIAL CONSTRUÇÃOCIVILPESADA GERENCIAMENTO MECÂNICA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ISOLAMENTOEREFRATÁRIO REVESTIMENTOEPINTURA DIVERSAS TESTES/PRÉ-OPERAÇÕES GEOFÍSICA CONTROLEDEQUALIDADE INSPEÇÃODECAMPO LEVANTAMENTOSTOPOGRÁFICOS DUTOS/ADUTORAS LINHAS/SUBESTAÇÕES OUTROS MANUTENÇÃOINDUSTRIAL ESTRUTURASMETÁLICAS VASOS/TANQUES OUTROSEQUIP./TRANSPORTES CONTRATOSE.P.C. PRODUÇÃOPETRÓLEO/GÁS REDESDEÁGUA/ESGOTOS ANDAIMES Projeto Industrial Montagem Industrial Serviços de Obras Especiais Fabricação Outros ECMAN l l l l l l l l l EGESA l l l l EIT l l l l l l l l l l l l l l l l l ELETRODATA l l l ENCONSULT l ENESA l l l l l l l l l l l l l l l ENFIL l l l l l l l l l l l l l l l ENGECAMPO l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l ENGEFORM l l l l l l l l l ENGEVIX l l l l l l l l ESTALEIRO ATLANTICO SUL l l EUROBRAS l l l FAST l FIDENS l l l l l l FIGUEIREDO FERRAZ l l l l l l l FLUXO l l l l l GALVÃO ENGª l l l l l l GDK l l l l l GEMON l l l l l GENPRO l l l l l l GEOCOMPANY l l l l l l l l GEOFIX l l GLOBAL l l l l l l l l l l HATCH l l l l l l l l l l l l l HEATING & COOLING l l l l l l HELENO & FONSECA l l l l l l l l l HOCHTIEF l l l l l l l HYUNDAI l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l IESA l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l IMC SASTE l l l INTECH l IOAL l l l l l l l l l l l l l l l l l IRGA l l PRINCIPAIS ATIVIDADES DAS ASSOCIADAS
  49. 49. ISOTEC l l l l l l l l l l l l l l l l JARAGUÁ l l l l l l l l l l JMA l JPNOR l l l l l l KTY l l l l l l l l l l l LIMA NETO l MANA l l l l l l MASCARENHAS BARBOSA l l MAUBERTEC l l l l l l MCE l l l l l l l l l MENDES JÚNIOR l l l l l l l l MERCOTUBOS l l l l METASA l l MILLS l l l l MIP l l l l l l l l l l l l MONTCALM l l l l l l l l l l l MPE l l l l l l l l l l l l MULTITEK l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l NATIVA ENERGIA l l l l l NETWORKER l l l l l l l l l l l l l NIPLAN l l l l l l NM ENG. ANTICORR. l l l l l l OMC l ORTENG l l l l l l l l l l l l PAMPA l l l l PARANASA l l l l l l l l l PCP l l l l l l l l PETROBRAS l l l l l l l l l l PLANOVA l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l PIPECONSULT l PONTEC l l l l l l l l POTENCIAL l l l l l l l l l POYRY TECNOLOGIA l l l l l PRODUMAN l l l l l l l l l l l l l l l l l l l PROGEN l l l l l l l l l l l l PROJECTUS l l l l l l l l l l l PROMON l l l l l l l l Projeto Industrial Montagem Industrial Serviços de Obras Especiais Fabricação Outros ATIVIDADES CONCEPÇÃOBÁSICA ESTUDODEVIABILIDADE PROJETOBÁSICO PROJETOEXECUTIVO CONSULTORIA SUPRIMENTOS/COMPRAS CONSTRUÇÃOCIVILINDUSTRIAL CONSTRUÇÃOCIVILPESADA GERENCIAMENTO MECÂNICA ELÉTRICA INSTRUMENTAÇÃO ISOLAMENTOEREFRATÁRIO REVESTIMENTOEPINTURA DIVERSAS TESTES/PRÉ-OPERAÇÕES GEOFÍSICA CONTROLEDEQUALIDADE INSPEÇÃODECAMPO LEVANTAMENTOSTOPOGRÁFICOS DUTOS/ADUTORAS LINHAS/SUBESTAÇÕES OUTROS MANUTENÇÃOINDUSTRIAL ESTRUTURASMETÁLICAS VASOS/TANQUES OUTROSEQUIP./TRANSPORTES CONTRATOSE.P.C. PRODUÇÃOPETRÓLEO/GÁS REDESDEÁGUA/ESGOTOS ANDAIMES Projeto Industrial Montagem Industrial Serviços de Obras Especiais Fabricação Outros QUALIMAN l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l REMAC l ROHR l l l l l l l l l l SANTA BÁRBARA l l l l l l SANTOS BARBOSA l l l l l l l l l l l l l l l SCET l l l l l l l l l l l SCHAHIN l l l l l l l l l l l l l SEEBLA l l l l l SERVTEC l l l l l l SETEC TECNOLOGIA l l l l l l l l l l l l l l l l l l SIMA l l l l l l l l l l l SKANSKA BRASIL l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l SODECOIN l l l l l l l SOG l l l l l l l l l l l l l l l l l SPÁRTACUS l l l l l l l l l l l l l l l l l SVM l l l l l l l TECHINT l l l l l l l l l l l l l l l l l l TECHNIP l l l l l l l l l l l l l TECKMA l l l l TECNA BRASIL l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l l TECNIMONT DO BRASIL l l l l l l l l l l TELSAN l l l l l l l l l l TKK l l l l l l l l l l TOMÉ ENGª l l l l l l l l l l TOYO DO BRASIL l l l l l l l UNICONTROL l l l l l l l l l l l l USIMINAS MECÂNICA l l l l l l l l l l l l l l l l l UTC ENGENHARIA l l l l l l l l l l l l l l l l l l VWS BRASIL l l l l l l l l l WBS l l l l l l l l l l l l l l l l WTORRE l l l WTORRE ZETER l l l l l ZOPONE l l l l l l l l
  50. 50. 52 Pessoal e Terceiros Funcionários Diretor Executivo – Aurélio Escudero Secretária – Francizanna dos Santos Mesquita Assessora de Comunicação – Flávia Silva Assistente Contábil – Hermes Sala Auxiliar de Escritório – Reinaldo Oliveira Auxiliar Administrativa – Andrezza Cristina dos Santos Rodrigues Assessorias Jurídica – Porto Advogados Associados S.C. Comunicações – JOYMA – Informações e Dados S.C. Ltda. – ME Técnica – CEA Arquitetura S.C. Ltda. Imprensa – Mandarim Comunicação Ltda. Projeto Gráfico – Mary Dutra Design Revisão – Felipe Moura Brasil Fotos – Arquivo ABEMI Impressão – Stilgraf ADMINISTRAÇÃO
  51. 51. 53
  52. 52. 54

×