sR/ oPF/ PR
FI: 
Fiub: 

 

 

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL
MJ - DEPARTAMENTO DE POLICIA FEDERAL
SUPERINTENDENCIA REGIONAL NO P...
SR/ DPF/ PR

FI: 
Fiub: 

Conhece o doleiro ALBERTO YOUSSEF?  "Não". 

Mantinha contatos com ele?  Prejudicado. 
Quais ass...
SH/ DPF/ PR
FI: 
Flub: 

 

 

Em acordo de delação premiada,  o empresário AUGUSTO mencionou a existência de um

"CLUBE",...
asia/ pisar. 
Fl: 
Hub: 

 

distribuídos". 

O Sr.  participava de reuniões com os empresários das empresas OAS,  UTC,  M...
SR/ DPF/ PR
Fl: 
Flub: 

CERVERÓ e COSENZA e para agentes políticos.  O Sr.  confirma essa informação?  "Não". 

Qual a di...
sH/ oeiãõn
Fl: 
Ru

       

b: 

       

empresas M. O. CONSULTORIA,  EMPREITEIRA RIGIDEZ,  GFD INVESTIMENTOS e RCI SOFT...
SFI/ DPF/ PFI
Fl: 
Rub: 

 

Refere-se a Relatório de Medição?  Prejudicado. 
O interrogado sabe mais detalhes do contrato...
SFi/ DFIE/ PR

Fl'.  f
Flub: 

 

Qual o vínculo com ele?  "Conheço o OTHON faz 30 anos,  ele foi meu estagiário e está co...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Depoimento ildefonso Colares Filho - Queiroz Galvao - Lavajato

1.029 visualizações

Publicada em

Depoimento ildefonso Colares Filho - Lavajato

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.029
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Depoimento ildefonso Colares Filho - Queiroz Galvao - Lavajato

  1. 1. sR/ oPF/ PR FI: Fiub: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MJ - DEPARTAMENTO DE POLICIA FEDERAL SUPERINTENDENCIA REGIONAL NO PARANA TERMO DE OEcLARAçóEs que presta ILDEFONSO COLARES FILHO A055) 16 día(s) do mês de novembro de 2014, nesta Superintendência Regional do Departamento de Polícia Federal, em Curitiba/ PR, perante AGNALDO MENDONÇA ALVES, Delegado de Polícia Federal, matrícula n? 15.313, comigo, Escrivãolã) de Polícia Federal, ao final assinado e declarado, presente ILDEFONSO COLARES FILHO, sexo masculino, nacionalidade brasileiro, divorciado, filho de Ildefonso Colares e Eulália de Goes Colares, nascido aos 01/08/1948, natural de Fortaleza/ CE, instrução terceiro grau completo, profissão Engenheiro Civil, documento de identidade n” CE2565D/ CREA/ CE, CPF 016.554.933-53, residente na Av. Fernambetiba, 5.000, bloco 1, 101, bairro Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/ RJ, fone (21)34741133, celular (21) 981817343, endereço comercial na Rua da Ajuda, 35, 149 andar, Rio de Janeiro/ RJ. Informado sobre seus direitos constitucionais, entre eles o de permanecer calado, disse que iria responder às perguntas da autoridade policial. lnquirido sobre os fatos em apuração pela Autoridade Policial, na presença de seus advogados AMILCAR BASTOS FALCÃO, inscrito na OAB/ PE sob n° 10128, MARCO AURÉLIO NUNES DA SILVEIRA, OAB/ SP 39.392/SP, e MAURICIO ZANOIDE DE MORAES, inscrito na OAB/ SP sob n° 107425, RESPONDEU: Qual a formação profissional do interrogado? Engenheiro Civil. Há quanto tempo o interrogado está no GRUPO QUEIROZ GALVÃO? "Trabalhei na CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO, por volta de 40 anos. Sai de lá em dezembro de 2012, a CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO pertence ao GRUPO QUEIROZ GALVÃO. Qual atividade desempenhou na empresa? "Começou como estagiário e cheguei até a presidência. Saí da presidência em dezembro de 2012. Ai eu fiquei de janeiro de 2013 a setembro de 2014 como conselheiro da parte off-shore e naval". Qual a sua remuneração? "Não sei direito quanto ganhava em dezembro de 2012 como diretor da empresa. Sei em ordem de grandeza, varia muito, dependendo do resultado de cada ano. Pode ser três milhões de reais ao ano". Conhece PAULO ROBERTO COSTA, Ex-Díretor de Abastecimento da PETROBRAS? "Conheço". Mantinha contatos com ele? "Mantinha contato profissional". Quais assuntos eram tratados? "Eram sempre quanto aos contratos nossos em andamento, falava em tecnologia e cronologia. Como O da RNEST, DUC, COMPE ". % JA fs. 1 / , ,r/ W"
  2. 2. SR/ DPF/ PR FI: Fiub: Conhece o doleiro ALBERTO YOUSSEF? "Não". Mantinha contatos com ele? Prejudicado. Quais assuntos eram tratados? Prejudicado. Tem conhecimento do teor do interrogatório de PAULO ROBERTO COSTA e ALBERTO YOUSSEF na ação penal 5026212-82.2014.404.7000, em que corre na 13ê Vara de Curitiba? "Só o que saiu na imprensa, como Veja e Isto É, jornais, etc". No interrogatório colhido, PAULO ROBERTO COSTA afirmou que nas Obras da PETROBRAS as empresas acresciam 3% ao valor do BDl, que girava em torno de 15% a 20%, para sustentar Os valores desviados. Tem conhecimento disso? "Não. Sei só que ele declarou isso, mas não sei se isso era praticado pelas empresas. No nosso caso não era, nas outras não sei". Qual a destinação dos valores referentes a esse percentual de 3%? Prejudicado. Nesse interrogatório, ambos mencionaram a existência de um cartel atuando nos contratos da PETROBRAS. Confirma a existência do cartel? "Posso informar que não existe". Confirma a participação da QUEIROZ GALVÃO no cartel? "Eu não conheço se existia, e se existia ela não participava". Caso positivo, como funcionava o cartel? Prejudicado. Quem coordenava as ações do grupo? Prejudicado. Como e quando e Onde ocorriam reuniões? Prejudicado. Que outras empresas tem conhecimento de que participavam no cartel? Prejudicado. O interrogado conhece o empresário AUGUSTO RIBEIRO DE MENDONÇA NETO? "Conheço, o AUGUSTO é sócio da SETAL, uma concorrente. O AUGUSTO também é presidente da ABENAV - Associação Brasileira de Engenharia Naval. Nós tinhamos contato na época em que eu era conselheiro da parte naval". Qual a relação com ele? "Profissional e até social". Mantinha encontros com ele? "Tinha encontros na Associa " para discutir problem do mercado". /? I l Ts.
  3. 3. SH/ DPF/ PR FI: Flub: Em acordo de delação premiada, o empresário AUGUSTO mencionou a existência de um "CLUBE", que seria formado pelas grandes empreiteiras interessadas nos contratos da PETROBRAS, e que estabeleceu uma relação com RENATO DUQUE, na época Diretor de Engenharia, para que as empresas convidadas para cada certame fossem as indicadas pelo "CLUBE. O interrogado tem algo a dizer sobre isto? "Conheço o RENATO DUQUE da PETROBRAS. Tinha com ele relacionamento apenas profissional. Eu não conheço o 'CLUBE'. Para participação nas licitações da PETROBRAS existe um cadastro da própria PETROBRAS, tem mais de 10.000 empresas cadastradas lá e ela convida de acordo com a capacidade técnica, financeira, de equipamentos, pessoal e da política de QSMS - qualidade, segurança, meio-ambiente e saúde - etc". Quantas e quais empresas formavam esse "CLUBE"? Prejudicado. AUGUSTO também afirmou que o "CLUBE" tinha um articulador e coordenador que Organizava reuniões e fazia contato com RENATO DUQUE, na época Diretor de Engenharia para estabelecer quem seriam os convidados para cada licitação. O interrogado confirma esta informação? "Não, eu acho que os convites eram feitos pela forma que eu estou falando e as empresas eram pré-selecionadas pela PETROBRAS. Antes do convite existe uma seleção e eles mandam para quem eles acham que tem capacidade de fazer". Quem era o líder do CLUBE? "Desconheço o CLUBE". O interrogado tem conhecimento de que dentro do CLUBE atuava um CLUBE VIP que tomava as principais decisões em razão do seu poderio econômico? QUE desconhece o CLUBE e desconhece o CLUBE VIP. O Sr. tem conhecimento de que a REFINARIA ABREU E LIMA - RENEST - teve influência do CLUBE VIP em sua criação? "O CLUBE desconheço. Pelo que eu sei a REFINARIA foi uma decisão estratégica da PETROBRAS e da PDV S/ A da Venezuela (PDV é o grupo PETROBRAS da VenezUeIaI". O Sr. participava com frequência de reuniões com empresários no sindicato que representa a construção civil? "Nas reuniões organizadas pelo sindicado, a empresa QUEIROZ GALVÃO designava um representante, previamente cadastrado, não me recordo o nome dessa pessoa. Não tenho certeza, pode ser o EMÍLIO o representante na ABMI. Muito raramente eu participava dessas reuniões no sindicato, se foi uma vez na vida é muito, concorrentes não se reúnem". Quem frequentava essas reuniões? "Normalmente os diretores, os representantes comer iais das empresas". Como tomava conhecimento dessas reuniões? "Eram public as em jornal interno, fol 5
  4. 4. asia/ pisar. Fl: Hub: distribuídos". O Sr. participava de reuniões com os empresários das empresas OAS, UTC, MENDES JUNIOR, ODEBRECHT, IESA, CONSTRUCAP e GDK? "Não". 0 EMÍLIO que o Sr. citou acima é o EMILIO BRUNORO JUNIOR? "Não. o EMÍLIO citado por mim é o EMILIO que fo¡ da QUEIROZ GALVÃO, não conheço EMILIO BRUNORO JUNIOR". Como as empresas que não pertenciam ao "CLUBE" conseguiram se impor e participar das obras da RNEST? "Não, não sei sobre existência desse clube". Os preços praticados nos contratos da RNEST estavam acima dos do mercado? "Não, o nosso preço era o de concorrência do mercado". O preço que a QUEIROZ GALVÃO ou consórcio que ela participava estava dentro do preço orçado pela PETROBRAS? "A PETROBRAS tem um orçamento que é sigiloso dela, e eu não sei de ninguém que tenha acesso a esse orçamento. Ela contrata dentro da tolerência dela. A PETROBRAS quando lícita ela orça a obra e esse preço é sigiloso". Com relação ao COMPERJ, o empresário AUGUSTO afirmou que o CLUBE dividiu e estabeleceu "pacotes" para cada componente, inclusive por conta de compensação da própria RNEST, que os primeiros "pacotes" contratados no COMPERJ foram das empresas do CLUBE VIP. Confirma esta informação? "Não. Eu desconheço o CLUBE, desconheço acordo, isso não existe". O interrogado tem conhecimento de que o "CLUBE" continua atuando na PETROBRAS ou encerrou suas atividades? "Não. Eu desconheço o CLUBE, isso não existe". Conhece NESTOR CUNAT CERVERÓ, Ex-Diretor da Área Internacional da PETROBRAS? "Não, o NESTOR eu não conheci não". Qual o relacionamento com ele? Prejudicado. Conhece JOSÉ CARLOS COSENZA, que substituiu PAULO ROBERTO na Diretoria de Abastecimento da PETROBRAS? "Conheço muito pouco. Nós só tivemos uma reunião na PETROBRAS, se não me falha a memória. Essa reunião foi depois que o PAULO saiu, quando o JOSÉ CARLOS COSENZA assumiu a diretoria, para tratar de assuntos referentes aos contratos nossos em andamento". Algum diretor da PETROBRAS exigiu propina do interrogado? "Não, nunca". PAULO ROBERTO e ALBERTO YOUSSEF mencionaram o pagamento de comissões pe empreiteiras que mantinham contratos com a PETRyAS para si, para os diretores DUQ , a à# ÍjV/ ;Í/ B v¡
  5. 5. SR/ DPF/ PR Fl: Flub: CERVERÓ e COSENZA e para agentes políticos. O Sr. confirma essa informação? "Não". Qual a dinâmica dos pagamentos dessas comissões? Prejudicado. Qual a forma de pagamento? Prejudicado. Onde e como eram feitos? Prejudicado. Tem conhecimento de repasses de valores de comissões para contas no exterior? Prejudicado. Caso positivo, quem operava essas contas? Prejudicado. Tem conhecimento de que empresas do GRUPO QUEIROZ GALVÃO fizeram doações para campanhas de partidos politicos? "Na época em que eu estava na CONSTRUTORA a gente fazia contribuições dentro dos parâmetros da lei. Como nós trabalhamos em várias regiões do pais, as regiões demandam pedidos regionais. Eu reunia a diretoria para análise desses pedidos para análise e decisão dos pedidos de quanto e a que partido contribuir". Quem autorizava estas doações? "A diretoria, eu como presidente e os demais diretores, entre eles OTHON, RUI, CARLOS ALBERTO, CHERULI, ANDRÉ, GUSTAVO e outros diretores. Esclarecendo, quem mandava era eu, após o consenso da diretoria". Quais os critérios? "O primeiro critério era o limite, sempre aquém do permitido. A gente dava para aqueles partidos que mais se caracterizam com as características da empresa, ligados ao crescimento da infraestrutura. Me recordo de doações para o PT, PMDB, PP e mais alguns". Conhece tesoureiros ou arrecadadores de algum partido político? "Conheço o JOÃO VACARI do PT, na época o JOSÉ JANENE, quando estava vivo. Na época em que eu estava na empresa". Fez ou orientou alguém a fazer repasses de recursos para algum deles? "Não. Fiz e oriente¡ as doações para os partidos que eles representavam". O interrogado conhece o engenheiro PEDRO BARUSCO? "Conheço, ele era gerente executivo de engenharia, auxiliar direto do RENATO DUQUE". Qual o vínculo com ele? "Profissional". Tratou sobre propina com ele? "Não. Eu nunca tratei com ninguém da PETROBRAS sobre propina". Tem conhecimento de contratos de cons mados entre a QUEIROZ GALVÃO e r/ _ l . l / 8 M”
  6. 6. sH/ oeiãõn Fl: Ru b: empresas M. O. CONSULTORIA, EMPREITEIRA RIGIDEZ, GFD INVESTIMENTOS e RCI SOFTWARE E HERDWARE? "Não, não conheço os contratos nem as empresas citadas acima". Tem conhecimento de contratos de consultoria firmados entre os consórcios dos quais a QUEIROZ GALVÃO fez parte e as empresas M. O. CONSULTORIA, EMPREITEIRA RIGIDEZ, GFD INVESTIMENTOS e RCI SOFTWARE E HERDWARE? "Não, não tenho conhecimento". Quem foram os responsáveis pela assinatura desses contratos? Prejudicado. Qual era o objeto dos contratos? Prejudicado. O interrogado tem conhecimento de que as empresas citadas são de fachada? "Pela imprensa. Sei que a M. O. e a GFD eram de fachada, conforme o que foi divulgado pela imprensa". Quem autorizava os pagamentos? Prejudicado. O interrogado conhece CARLOS ALBERTO PEREIRA DA COSTA? "Não". Qual o vinculo com ele? Prejudicado. O interrogado conhece WALDOMIRO DE OLIVEIRA? "Também não". Qual o vinculo com ele? Prejudicado. O interrogado conhece MARCELO MAGNANINI? "Não". Questionado sobre uma visita realizada por MARCELO MAGNANINI no escritório da empresa GFD INVESTIMENTOS, onde MARCELO se identificou como funcionário da QUEIROZ GALVÃO, respondeu QUE "a QUEIROZ GALVÃO possuia na época em que estava lá em torno de quinhentos engenheiros e de trinta a cinquenta mil empregados. A quantidade de funcionários cresce ou diminui de acordo com as obras que estão sendo realizadas". Qual o vínculo com ele? Prejudicado. Durante busca no escritório da empresa ARBOR CONTÁBIL, que fazia a contabilidade da GFD INVESTIMENTOS, foi encontrada nota fiscal referente a serviço de consultoria prestado pela / M. O. CONSULTORIA para o CONSÓRCIO Cll - IPOJUCA INTERLIGAÇÕES, do qual a QUEIRO GALVÃO fez parte. Esta nota fazia referência ao contrato RM n? 11, que não foi local a o entre os materiais apreendidos. O interrogado tem conhecimento disto? "Não". O que significa para o interrogado a inscrição RM n9 1 ei o significado". H / ( lj; .6/8 47"”
  7. 7. SFI/ DPF/ PFI Fl: Rub: Refere-se a Relatório de Medição? Prejudicado. O interrogado sabe mais detalhes do contrato referente a nota fiscal em tela? "Não". O Sr. tem conhecimento do CONSÓRCIO Cll - IPOJUCA INTERLIGAÇÕES? "O consórcio foi criado para a obra de interligações da RNEST". Questionado sobre a existência de Nota Fiscal no valor de R$ 386.000,00 (trezentos e oitenta e seis mil reais), referente a uma de quinze parcelas do contrato de n? CEE 040/09, firmado entre o CONSÓRCIO CII - IPOJUCA INTERLIGAÇÕES e a MO CONSULTORIA, respondeu QUE "não conheço o contrato e nem a nota". Conhece LUIZ ROBERTO PEREIRA? "Não". Qual o vínculo com ele? Prejudicado. O interrogado conhece Emilio Brunoro Junior (Gerente Geral da Obra) e Jacson Carlos da Silveira (Gerente de Medição e Controle)? "Não. Não conheço, não me recordo do nome dessas pessoas". Qual o vínculo com ambos? "Não conheço, não sei se são funcionários da empresa". Qual a função deles no Consórcio? Prejudicado. No material apreendidos na ARBOR CONTÁBIL foram encontrados contratos milionários e notas fiscais referentes a serviços de consultoria prestados pela empresa M. O. CONSULTORIA para a GALVÃO ENGENHARIA. Os serviços foram de fato prestados e pagos? "A GALVÃO ENGENHARIA não tem nada a ver com o GRUPO QUEIROZ GALVÃO". Quem autorizou as contratações e os pagamentos? Prejudicado. Nas buscas da Operação Lava lato nos endereços vinculados a PAULO ROBERTO COSTA foi apreendida uma mídia que contém um contrato e notas fiscais referentes à prestação de serviços de consultoria pela COSTA GLOBAL para a QUEIROZ GALVÃO. O interrogado tem conhecimento destes documentos? "Não conheço o contrato". Os serviços foram de fato prestados? Prejudicado. Quem no GRUPO QUEIROZ GALVÃO autorizou as contratações e os pagamentos? Prejudic o. O interrogado conhece OTHON ZANOIDE DE MORAES F ly? "Sim, conheço". / ,
  8. 8. SFi/ DFIE/ PR Fl'. f Flub: Qual o vínculo com ele? "Conheço o OTHON faz 30 anos, ele foi meu estagiário e está como diretor". O interrogado conhece ERTON MEDEIROS FONSECA? "Sim, conheço", Qual o vínculo com ele? "Profissional, ele foi da CARMARGO e hoje está na GALVÃO ENGENHARIA". Dada a oportunidade ao Advogado MAURICIO ZANOIDE DE MORAES, inscrito na OAB/ SP sob n° 107425, formulou as seguintes perguntas: Onde o declarante estava na manhã de 14/11/2014? "Eu estava dormindo na casa de uma amiga, uma conhecida". Qual foi o seu comportamento após tomar conhecimento que a Policia Federal estava em sua casa cumprindo um mandado de busca? "Meu empregado me ligou e fiquei surpreso com a notícia e liguei para o AMÍLCAR que é advogado nosso, e que se dispõs a ir ao local ver o que estava havendo. Tentei ligar algumas vezes e fiquei esperando notícias, depois ele me informou que havia um mandado de prisão contra mim e me aconselhou a me apresentar. Após, me reuni com o advogado e este me apresentou ao Delegado da Policia Federal no Rio de Janeiro. Nada m 's havendo a ser consignado, determinou a Autoridade que fosse encerrado o prese e ter_mo que, lido e achado conforme vai por todos assinado, inclusive por mim, Rogério Socca Cesar, Escrivão de Policia Federal, Classe Especial, matrícula ue o lavrei. fls. 8/8

×