Segunda chance

1.074 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.074
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Segunda chance

  1. 1. Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha1ª Edição: abril/2011Transcrição: Vanessa CoelhoCopidesque: Nicibel SilvaRevisão: Adriana SantosCapa e Diagramação: Matheus Freitas
  2. 2. Introdução Normalmente, as pessoas buscam por algo novona vida; no coração do ser humano há esse desejo dese realizar, mesmo diante das frustrações e fracassos,muitos querem e buscam uma nova oportunidadena vida. Diante das aflições, da agonia, muitos pen-samentos vêm à mente e um deles é: “Ah, como seriamaravilhoso se eu pudesse ter uma nova chance, umanova oportunidade, para fazer tudo diferente”. Querido,a nossa vida é marcada pelos recomeços. Não deixeque a dúvida ou a incredulidade encha o seu coração,pois o nosso Deus é o Deus da segunda chance. Eleé misericordioso, gracioso, e nos oferece uma nova 5
  3. 3. oportunidade. A cada manhã as misericórdias do Se-nhor se renovam. Deus é um Deus longânimo, quenos proporciona a graça do recomeço a cada dia. Existem pessoas que começam a vida de uma for-ma tão linda, buscando ao Senhor, se rendendo dian-te dele, pessoas que têm o pecado como um acidente,mas que, de repente, deixam de depender de Deusdesviando-se dos caminhos que o Senhor traçou paraelas. Ao fazer escolhas erradas, não se arrependendodiante do Senhor, acabam terminando a vida de umaforma tão triste e dolorosa. Entretanto, há pessoas quevivem uma vida inteira no erro, nunca reconhecemque precisam de Deus, e terminam a vida mal, comoconsequência dos próprios atos. E por fim, há outrosque começam bem e depois se desviam por um cami-nho mal, mas seus olhos são abertos e se rendem aospés do Senhor; arrependidos clamam por uma novachance, alcançam a misericórdia de Deus e acabammuito bem. Na vida, é como termina é que conta. O Deus que nos dá uma nova oportunidade, quenos dá uma segunda chance não é um Deus rígido,inflexível. Ele está sempre disposto a nos concederuma segunda chance. Deus nunca desiste de nós.Ele está sempre disposto a nos ouvir, nos guiar por 6
  4. 4. um caminho diferente daquele que muitas vezesescolhemos, ou seja, o caminho do erro, do peca-do, das frustrações. Ele nos guia por um caminhomelhor, para o propósito que Ele mesmo tem paracada um de nós. O Pai celestial é bom, é amável, ébondoso, paciente. E Ele sempre escreve uma novahistória para mim e para você. Quando clamamospor uma segunda chance, o Senhor tem prazer emtransformar nossa vida, em escrever uma nova histó-ria de vida. Sansão experimentou muito da bondadee longanimidade de Deus. Entre os contemporâneosde Sansão, não houve um homem que tivesse expe-rimentado tanto da longanimidade de Deus comoSansão. Ele teve muito mais que uma segunda chan-ce. Sansão teve um início cheio da graça de Deus, elefoi escolhido desde o ventre da sua mãe para livrarIsrael do poder dos filisteus (Juízes 13.5). Mas nomeio do caminho, como todo ser humano sujeito aerros, ele tropeçou, escolheu andar por um caminhode pecado, cedendo à tentação, caminhando por lu-gares onde um homem consagrado ao Senhor nãopoderia estar (veja Juízes 14 e 16). Mas Deus o aben-çoava, e por misericórdia e graça, lhe dava novasoportunidades. Talvez você tenha caído, tropeçado, 7
  5. 5. e quem sabe hoje esteja gritando por uma segundachance, por uma nova oportunidade. Se sua vidatem sido marcada por erros, quedas, fracassos, nãodesista, querido, não coloque um ponto final na suavida, porque Deus está sempre disposto a lhe daruma nova oportunidade. Nesta mensagem mostra-rei através da história de vida de Sansão, que Deus éo Deus da segunda chance. Este homem clamou poruma segunda chance, uma nova oportunidade paramudar sua história de vida. Na vida, como termina éque conta. E Sansão queria que sua vida terminassede forma diferente. “Senhor, a tua Palavra é a verdade, e que esta verda-de venha a encher o coração de cada leitor agora. Queeles possam reconhecer a sua bondade e misericórdia.Tu és o Deus que nos concede a cada manhã uma novachance, uma nova oportunidade para sermos novacriatura. E que esta Palavra venha a florescer no nossocoração, trazendo mudança, quebrantamento e con-sagração. Deus, tu és Senhor da nossa vida, tua és aforça, tudo vem de ti, reconhecemos nesta hora a tuagrandeza e o teu poder, na tua força é que somos fortes,pois o seu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Seja feita atua vontade Senhor; em nome de Jesus! Amém!” 8
  6. 6. Consagração “Tendo os filhos de Israel tornado a fazer o que eramau perante o Senhor, este os entregou nas mãos dosfilisteus por quarenta anos. Havia um homem de Zorá,da linhagem de Dã, chamado Manoá, cuja mulher eraestéril e não tinha filhos. Apareceu o Anjo do Senhor aesta mulher e lhe disse: Eis que és estéril e nunca tivestefilho; porém conceberás e darás à luz um filho. Agora,pois, guarda-te, não bebas vinho ou bebida forte, nemcomas coisa imunda; porque eis que tu conceberás edarás à luz um filho sobre cuja cabeça não passará na-valha; por quanto o menino será nazireu consagrado 9
  7. 7. a Deus desde o ventre de sua mãe; e ele começará alivrar a Israel do poder dos filisteus”. (Juízes 13, versosde 1 a 5.) Neste texto, lemos que Sansão foi escolhidodesde o ventre materno. Um anjo apareceu a seuspais dizendo-lhes que teriam um filho, e esse filhoseria consagrado a Deus desde o ventre. Deus nãofaz acepção de pessoas, Ele não escolhe uns paraabençoar e outros para amaldiçoar. O Senhor nãoescolhe uns para viver uma vida plena e outros paraviver uma vida de privações. Não mesmo. O Senhornos viu quando éramos uma substância ainda infor-me e determinou os nossos dias, quando nenhumdeles existia, conforme nos mostra o Salmo 139,verso 16: “Os teus olhos me viram a substância aindainforme, e no teu livro foram escritos todos os meusdias, cada um deles escrito e determinado, quandonem um deles havia ainda”. O nosso Deus é o alfae ômega, princípio e o fim (Apocalipse 1.8). Ele nosconhece desde o princípio até o nosso fim. Ele nosconheceu quando éramos ainda sem forma, ape-nas um projeto, e da mesma forma Deus conheceuSansão, um nazireu, consagrado ao Senhor. E paraque você entenda um pouco mais sobre o nazireu, 10
  8. 8. vamos ao texto sagrado de Números, capítulo 6,versos de 1 a 7. Nele, encontramos três proibiçõesàquele, na época, que era nazireu, ou seja, consa-grado ao Senhor. Vejamos: “Disse o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel edize-lhes: Quando alguém, seja homem seja mulher,fizer voto especial, o voto de nazireu, a fim de consa-grar-se para o Senhor, abster-se-á de vinho e de bebi-da forte; não beberá vinagre de vinho, nem vinagre debebida forte, nem tomará beberagens de uvas, nemcomerá uvas frescas nem secas. Todos os dias do seunazireado não comerá de coisa alguma que se faz davinha, desde as sementes até às cascas. Todos os diasdo seu voto de nazireado não passará navalha pelacabeça; até que se cumpram os dias para os quais seconsagrou ao Senhor, santo será, deixando crescer li-vremente a cabeleira. Todos os dias da sua consagra-ção para o Senhor, não se aproximará de um cadáver.Por seu pai, ou por sua mãe, ou por seu irmão, ou porsua irmã, por eles se não contaminará, quando mor-rerem; porquanto o nazireado do seu Deus está sobrea sua cabeça”. Aos nazireus era proibido comer ou beber qual-quer produto proveniente da uva, cortar os cabelos 11
  9. 9. e tocar em cadáveres. Antes mesmo do nascimentode Sansão, seus pais receberam uma revelação doanjo do Senhor de que ele seria nazireu. E a primei-ra proibição na vida de um nazireu era o vinho. Ouseja, ao nazireu não era permitido beber vinho, poisse bebesse de algum produto procedente da uvaseria contaminado. Mas o vinho na Bíblia simboli-za alegria, prazer. O primeiro milagre de Jesus foitransformar a água em vinho, para mostrar que opropósito principal da sua obra seria transformar avida natural do homem, de água insípida, inodora,incolor, numa vida plena e abundante. Em Efésios capítulo 5, verso 18, o apóstolo Paulocompara o enchimento do Espírito Santo à embria-guês do vinho: “E não vos embriagueis com vinho,no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”.Esta era a razão pela qual Deus determinou que onazireu não pudesse beber vinho, ou seja, era paramostrar que o prazer maior do nazireu, seu maiordeleite, seria a pessoa do Senhor. O nazireu renun-ciaria todo prazer, todo deleite carnal, a fim de con-sagrar-se inteiramente ao Senhor. Da mesma formaque a nossa consagração perde sentido se não es-tivermos no amor do Senhor, o prazer de andar na 12
  10. 10. sua presença sem esta consagração vai se tornarsimplesmente um ato religioso, legalista. A nossa féao Senhor será simplesmente um ato de religiosida-de, sem ter verdadeiramente intimidade com Deus,sem estar totalmente em comunhão com Ele, poiso nosso amor estará nas coisas, nas convençõesditadas pelo homem, no amor às regras humanas.Então, tudo isso explica, em parte, o motivo da proi-bição do vinho ao nazireu, ele precisava entenderque a fonte do seu prazer não poderia ser as coisas,mas o Senhor. Deus é a fonte de prazer. A segunda proibição na vida do nazireu era queele não podia cortar o cabelo. O cabelo do nazireuera o sinal notório de seu chamado. Paulo se refereao cabelo em 1 Coríntios capítulo 11, versos 10 a 15,da seguinte maneira: “Portanto, deve a mulher, por causa dos anjos, tra-zer véu na cabeça, como sinal de autoridade. No Senhor,todavia, nem a mulher é independente do homem,nem o homem, independente da mulher. Porque, comoprovém a mulher do homem, assim também o homemé nascido da mulher; e tudo vem de Deus. Julgai entrevós mesmos: é próprio que a mulher ore a Deus semtrazer o véu? Ou não vos ensina a própria natureza ser 13
  11. 11. desonroso para o homem usar cabelo comprido? E que,tratando-se da mulher, é para ela uma glória? Pois o ca-belo lhe foi dado em lugar de mantilha”. A Palavra de Deus diz que para o homem é vergo-nhoso usar o cabelo comprido. Mas para a mulher ésinal de submissão. De um lado temos a consagraçãoao Senhor, entretanto, essa entrega ao Senhor, estaconsagração absoluta a Deus pode se tornar motivode vergonha e zombaria por parte de algumas pes-soas. Naquela época, o cabelo comprido de Sansãoera motivo de zombaria, de escárnio, talvez ele fosseo único que mantinha os cabelos compridos, e, porisso, fosse criticado pelos colegas de infância. Talvezhoje, o motivo de zombaria não seja o cabelo com-prido, mas uma vida santa, uma vida irrepreensível, éa moça solteira que se guarda para o futuro marido,o homem puro, íntegro; tudo isso pode ser motivode deboche, de risadas. Exatamente pela nossa con-sagração podemos ser humilhados através de excla-mações cheias de escárnio, de zombaria, podemosdizer que ela sempre envolverá a disposição para osofrimento e aflições. Contudo, a consagração, aosolhos do Pai, expressa submissão e reconhecimen-to ao Senhorio do Senhor Jesus Cristo sobre nós. E é 14
  12. 12. isso que verdadeiramente tem valor. Então, o cabelocomprido do nazireu era o sinal mais evidente da suaconsagração, ele simbolizava submissão e obediên-cia ao Senhor. A terceira proibição na vida de um nazireu eraque ele não podia tocar em cadáver. Quando umapessoa é consagrada ao Senhor, ela não pode darlugar ao pecado. Ser consagrado ao Senhor signifi-ca rejeitar tudo que estiver impregnado de morte,significa não tocar em nada que cheira morte, porisso o nazireu não podia tocar em cadáver algum. Jesus é o nosso exemplo de consagração, e Elenão pecou em nenhum momento de sua vida. Mes-mo diante das tentações Ele resistiu ao diabo. EmMateus capítulo 4, versos 1 a 11, encontramos odiabo tentando Jesus, mas vemos Jesus resistindoao diabo com a própria Palavra de Deus. EnquantoJesus se consagrava ao Senhor, no deserto, o diabotentava contra Ele. Vejamos o texto: “A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto,para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar qua-renta dias e quarenta noites, teve fome. Então, o ten-tador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus,manda que estas pedras se transformem em pães. 15
  13. 13. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pãoviverá o homem, mas de toda palavra que procede daboca de Deus. Então, o diabo o levou à Cidade Santa,colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se ésFilho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aosseus anjos ordenará a teu respeito que te guardem;Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçaresnalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também estáescrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Levou-o ain-da o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todosos reinos do mundo e a glória deles. E lhe disse: Tudoisto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesuslhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito:Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e oserviram”. Na nossa vida, também somos tentados. O diabodeseja destruir a nossa consagração. Por meio dele,da carne e do mundo podemos ser destruídos. Vejao que texto em Gálatas, capítulo 5, verso 17, nos re-vela acerca da carne: “Porque a carne milita contra oEspírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostosentre si; para que não façais o que, porventura, seja dovosso querer”. Em todas as coisas somos tentados. O 16
  14. 14. diabo, a carne e o mundo lançam tentações em nossamente, contra nosso espírito em todo o tempo. Mas aPalavra de Deus diz: “Não vos sobreveio tentação quenão fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá quesejais tentados além das vossas forças; pelo contrário,juntamente com a tentação, vos proverá livramento, desorte que a possais suportar”. (1 Coríntios 10.13.) Sobre o mundo, a Palavra de Deus nos ensinaa não amá-lo e nem as coisas que há nele. Ela dizque “se alguém amar o mundo, o amor do Pai nãoestá nele”. (1 João 2.15.) Amado, quando temos essacompreensão de que o mundo e tudo o que nelehá é morte, entendemos que não podemos amar omundo, pois se o amarmos mais do que a Deus, oSenhor não estará em nós. O príncipe deste mun-do veio para matar, roubar e destruir. A nossa carnenos leva à morte, e, por isso, o nazireu não podia to-car em nada que estivesse morto, ele não podia tercontato com cadáveres. O pior inimigo de Deus é amorte. Não a morte física, mas a morte espiritual.Quando você não consegue mais sentir Deus, nãoconsegue mais discernir as coisas de Deus para suavida. A Bíblia diz que há caminhos que aos olhos dohomem parece reto, mas ao cabo dá em caminhos 17
  15. 15. de morte (Provérbios 14.12). Cuidado, não escolhacaminhos de morte, escolha o caminho de Jesus.Escolha se consagrar diante do Senhor a cada novodia. Entregue a Ele toda a sua vida e creia que Eletem propósitos lindos para sua vida. Não se entre-gue a morte, ao pecado, fique longe de tudo aquiloque possa matá-lo espiritualmente. Tantas coisaspodem nos afastar de Deus. O mundo nos oferecetantos banquetes contaminados, e estes podem seraquele filme inconveniente que você vê na televi-são, ou aquele site impróprio que você acessa. Issoé tocar na morte, é desagradar o coração do Senhor,é entristecer o Espírito Santo. Precisamos seguir oexemplo de Jesus Cristo, porque Jesus era puro decoração e de alma. Ele era um Cordeiro irrepreen-sível. Vigie sempre, não deixe que o diabo roube asua fé, a sua atitude de cordeiro, seja como Jesus.Para vencer o diabo basta repreendê-lo e resisti-lopela fé. Para vencer o pecado, basta confessá-lo ecrer no poder do sangue do Cordeiro que é Jesus. Ea morte, no entanto, precisa ser vencida através dacomunhão, do amor do Pai. 18
  16. 16. A consagração traz força Assim como Sansão, nós somos nazireus consa-grados ao Senhor. E por causa dessa consagraçãoprecisamos rejeitar tudo aquilo que possa nos levarao pecado. Mas isso não significa que vamos exibirum selo de consagração, seja por meio do compri-mento do cabelo ou de qualquer outra coisa. A nos-sa consagração estar em ter uma vida reta diante 19
  17. 17. de Deus, em andarmos sempre guiados por Ele, emcomunhão e demonstrando isso no nosso modo devida. Em Juízes capítulo 13, versos 24 a 25, está escri-to: “Depois, deu a mulher à luz um filho e lhe chamouSansão; o menino cresceu, e o Senhor o abençoou. E oEspírito do Senhor passou a incitá-lo em Maané-Dã,entre Zorá e Estaol”. Ou seja, a marca da consagraçãotraz a direção do Espírito. Muitas pessoas desejamser orientadas pelo Senhor, ser guiadas pelo o Es-pírito Santo, mas para que isso aconteça é precisoter a marca da consagração, é preciso que tenha-mos uma vida diante de Deus. Uma vida agradávelao Espírito Santo de Deus. Muitos irmãos não sãocheios do Espírito, simplesmente porque não têm ocoração consagrado a Deus. A consagração é umadas condições para sermos usados por Deus. Eu nãome refiro a uma consagração legalista, religiosa,mas um coração que realmente deseja a presençade Deus; porque a verdadeira consagração traz aunção, e a unção do Senhor vem com a comunhão,intimidade com Deus. A unção do Senhor vem comuma vida quebrantada pelo Espírito Santo, a con-sagração traz força. E na vida de Sansão podemos 20
  18. 18. constatar isso, pois ele possuía uma força que nãovinha dele próprio, mas do próprio Deus. Para mim,Sansão não era um homem forte fisicamente, masum homem comum, ou até mesmo franzino, quecausava admiração às pessoas por conta do físicoe da força que ele tinha. Talvez até se perguntavam:“De onde vem a força desse homem? De onde vem opoder dele”? Sansão dizimava um exército de ini-migos sem nada nas mãos. Ele rasgou um leão aomeio, arrancou a porta da cidade de Gaza e a carre-gou em seus ombros (Juízes 16.1-3). A consagração traz unção e a unção traz poder.Existem pessoas que querem o poder, mas o podersem a unção, sem a consagração é um desastre. Écomo o carisma sem caráter. O poder tem que serresultado da unção, mas a unção é resultado daconsagração. Para Sansão nazireu, a consagraçãotrazia unção. E com a unção resultante da consagra-ção tinha a força necessária para vencer os inimigos. 21
  19. 19. 22
  20. 20. Quando aconsagração é quebrada O inimigo quer destruir a nossa consagração, anossa fonte de força espiritual, a unção do Espírito.O diabo sabe que sem a unção não temos poder.Então, ele procura nos seduzir com o intuito dequebrar nossa consagração espiritual. Em Juízes,capítulo 14, versos de 1 a 9, temos o relato do queaconteceu com Sansão: 23
  21. 21. “Desceu Sansão a Timma; vendo em Timma uma dasfilhas dos filisteus, subiu, e declarou-o a seu pai e a suamãe, e disse: Vi uma mulher em Timma, das filhas dos filis-teus; tomai-ma, pois, por esposa. Porém seu pai e sua mãelhe disseram: Não há, porventura, mulher entre as filhasde teus irmãos ou entre todo o meu povo, para que vástomar esposa dos filisteus, daqueles incircuncisos? Dis-se Sansão a seu pai: Toma-me esta, porque só desta meagrado. Mas seu pai e sua mãe não sabiam que isto vinhado Senhor, pois este procurava ocasião contra os filisteus;porquanto, naquele tempo, os filisteus dominavam sobreIsrael. Desceu, pois, com seu pai e sua mãe a Timna; e,chegando às vinhas de Timna, eis que um leão novo, bra-mando, lhe saiu ao encontro. Então, o Espírito do Senhorde tal maneira se apossou dele, que ele o rasgou comoquem rasga um cabrito, sem nada ter na mão; todavia,nem a seu pai nem a sua mãe deu a saber o que fizera.Desceu, e falou àquela mulher, e dela se agradou. Depoisde alguns dias, voltou ele para a tomar; e, apartando-sedo caminho para ver o corpo do leão morto, eis que, neste,havia um enxame de abelhas com mel. Tomou o favo nasmãos e se foi andando e comendo dele; e chegando a seupai e a sua mãe, deu-lhes do mel, e comeram; porém nãolhes deu a saber que do corpo do leão é que o tomara”. 24
  22. 22. Sansão gostava de ir a lugares em que não de-veria estar. Mesmo sabendo que não poderia bebervinho, Sansão passeava pelas vinhas de Timna. Elenão podia beber do vinho, não podia comer do fru-to da videira, mas gostava de se deliciar nas som-bras das parreiras. Sansão não se contentava emficar de longe, sempre arrumava uma maneira depassar perto das parreiras. Talvez você esteja viven-do algo parecido, tendo atitudes como as de San-são. Você sabe que não pode, mas fica passeandopor lugares, por situações onde não deveria estar.É como brincar à beira do abismo, achar que não éperigoso, que pode controlar, que não vai cair, mas,de repente, a queda. Não ande por lugares que po-dem tirá-lo da consagração. Você pode achar queé forte, que não vai ceder, não vai se entregar, masexiste um ditado popular que diz: “Quem brinca comfogo, acaba se queimando”. A Bíblia diz: “Todas ascoisas são lícitas, mas nem todas convêm; todas sãolícitas, mas nem todas edificam”. (1 Coríntios 10.23.) O diabo é muito astuto, ele não nos conduz dire-tamente ao pecado, primeiramente ele nos conven-ce de que não há nada de errado em passear entreas parreiras, em sentir o cheiro das uvas. Ele nos 25
  23. 23. induz através do espírito de engano, de que nãoprecisamos comer do fruto, mas podemos fazer dalinosso lugar de caminhada. Nada vai acontecer, masisso é mentira dele. Acredite que não é seguro an-darmos por lugares onde sabemos que poderemosceder à tentação. Em Juízes 14, versos 8 e 9 diz que depois de al-guns dias Sansão voltou para a tomar a mulher e“apartando-se do caminho para ver o corpo do leãomorto, eis que, neste, havia um enxame de abelhascom mel. Tomou o favo nas mãos e se foi andando ecomendo dele; e chegando a seu pai e a sua mãe, deu-lhes do mel, e comeram; porém não lhes deu a saberque do corpo do leão é que o tomara” O verso 6 diz: “Então, o Espírito do Senhor de talmaneira se apossou dele, que ele o rasgou como quemrasga um cabrito, sem nada ter na mão; todavia, nema seu pai nem a sua mãe deu a saber o que fizera”. Elematou o leão e depois voltou para vê-lo, ao encon-trar a carcaça do leão, viu que havia ali um enxamede abelhas com mel. Sansão era nazireu, ele não po-dia tocar em cadáver, mas ele pegou um favo de mel,o comeu e ainda deu a seus pais, que também co-meram, porém não sabiam de onde vinha. O diabo 26
  24. 24. sempre vai colocar mel no que é proibido. Ele colocamel nas coisas do mundo para atrair você, para queveja os programas de televisão, os mais perversos,acreditando não estar fazendo nada demais. Cuida-do com o mel que ele coloca, pois ele quer roubar asua consagração. Há uma frase muito comum dita em nossomeio: “Fulano caiu em adultério”, mas na verdade,uma pessoa cheia do Espírito Santo não pode cairem pecado. Isso é um processo, tal como aconte-ceu com Sansão, ele, progressivamente, deu lugarao diabo, tocando nas coisas que não deveria tocar,quebrando a consagração, e isso pode acontecercom aquele que brinca com o inimigo. Como já vi-mos, o nazireu não podia tocar em cadáver, e sabe-dor disso, satanás colocou mel no leão morto parailudir Sansão. Ele deveria estar atento quanto a isso,quanto às escolhas que tinha que fazer, pois todaescolha gera uma consequência, e quando quebra-mos a consagração sofremos as consequências des-te rompimento. Muitos são aqueles que vivem uma vida vazia,cheia de destruição, porque romperam a consagra-ção. São tantas as situações que o diabo utiliza o mel 27
  25. 25. para atrair as pessoas ao pecado, para que elas que-brem a consagração. Tudo isso é muito sutil, pode virpor meio daquela novela que exibe cenas de adulté-rio, cheia de pornografia, da internet, de uma revista,de uma conversa, enfim, as estratégias de satanáspodem parecer comuns, mas elas são destruidoras,minam a nossa comunhão com o Pai. Alguns acre-ditam que com eles nada irá acontecer: “Ah, não fazmal, olhar, não vai fazer nenhum mal se eu só olhar”.Fuja do engano. Fique alerta. Vigie em todo tempo! As táticas que o diabo usou na vida de Sansão oseduziram, mas não o derrotaram. Primeiro, ele foicaminhar entre as vinhas, depois tocou no mel docorpo do leão morto, mas nada disso foi suficientepara tirar a unção de Sansão, por isso o diabo usouuma mulher para enganá-lo, cortando os cabelosdele, tirando, assim, toda a força que ele tinha. San-são foi entregue a Dalila, aos filisteus e levado para ocárcere. Ali ele teve seus olhos furados e o obrigarama trabalhar girando um moinho, conforme relato bí-blico. Em Juízes, capítulo 16, versos 19 a 22, está escrito: “Então, Dalila fez dormir Sansão nos joelhos dela e,tendo chamado um homem, mandou rapar-lhe as sete 28
  26. 26. tranças da cabeça; passou ela a subjugá-lo; e retirou-se dele a sua força. E disse ela: Os filisteus vêm sobre ti,Sansão! Tendo ele despertado do seu sono, disse con-sigo mesmo: Sairei ainda esta vez como dantes e melivrarei; porque ele não sabia ainda que já o Senhor setinha retirado dele. Então, os filisteus pegaram nele, elhe vazaram os olhos, e o fizeram descer a Gaza; amar-raram-no com duas cadeias de bronze, e virava ummoinho no cárcere. E o cabelo da sua cabeça, logo apósser rapado, começou a crescer de novo”. 29
  27. 27. 30
  28. 28. A segunda chance Quando vivenciamos a quebra da consagração,experimentamos a realidade das consequênciasimediatas desta quebra: a primeira consequência éa perda do poder de vencer o pecado para subjugaro inimigo. Antes vimos Sansão subjugando o ini-migo, sempre vitorioso, mas quando seu cabelo foicortado, houve a quebra da consagração e ele per-deu toda a sua força, o poder para vencer o pecadoe o poder de subjugar o inimigo. A segunda conse-quência é que perdemos a liberdade conquistada 31
  29. 29. em Cristo Jesus. Existem pessoas que foram libertaspelo Senhor, mas que hoje estão vivendo debaixodas cadeias do diabo, assim como Sansão que seencontrava no fundo do cárcere acorrentado, fa-zendo um trabalho iníquo. A terceira consequênciaé a perda da visão, do discernimento, da sensibilida-de espiritual. Sansão perdeu a visão, teve seus olhosfurados. E por fim, a perda da direção espiritual, porcausa das cadeias espirituais que nos prendem. Apessoa, então, passa a andar em círculos, e aqueleque fica andando em círculos não sai do lugar. San-são estava no cárcere, amarrado com duas cadeiasde bronze, girando um moinho, fazendo o trabalhode um animal. Deus tem algo diferente para nós. OSenhor quer nos encher com a sua unção, Ele de-seja que sejamos cheios do Espírito Santo. A con-sagração é sempre seguida pela unção, e todas asvezes que o óleo desce sobre nós, a luz do Senhorilumina o nosso interior. Dessa forma, sabemos paraonde ir, e aonde devemos chegar. Quando não háconsagração, muitas vezes, gastamos tanta energiae não produzimos praticamente nada em virtudedas cadeias espirituais que estão nos prendendo,nos subjugando. Mas se a unção estiver sobre nós, 32
  30. 30. o Senhor nos capacita a ver o que os outros nãoveem, e a fazer o que outros não conseguem fazer.Deus não tem para seus filhos uma vida de derrota,de fracassos. O nosso Deus é longânimo, é o Deusda segunda chance, a cada manhã as suas miseri-córdias se renovam. E foi exatamente isso que Deusfez a Sansão. Em Juízes 12, verso 22 diz: “E o cabelo da suacabeça, logo após ser rapado, começou a crescer denovo”. Instantaneamente o cabelo de Sansão cres-ceu. O nosso Deus é um Deus de milagre, o poderde Deus na vida de Sansão começou a ser restau-rado. Sansão teve uma vida desregrada, quebrou aconsagração, mas Deus é um Deus de restauração.Ele não desiste de nós, não desiste de você, queridoleitor! Deus deu a Sansão uma nova oportunidade, diza Palavra que ele clamou ao Senhor e disse: “SenhorDeus, peço-te que te lembres de mim, e dá-me forçasó esta vez, ó Deus, para que me vingue dos filisteus,ao menos por um dos meus olhos”. (Juízes 16.28.)Sansão teve uma nova chance. Quando ele clamoupelo Senhor, sua força foi restaurada, Deus restau-rou-lhe a consagração quando ele reconheceu que 33
  31. 31. Deus era o Senhor, e que a força que ele precisavavinha de Deus. Sendo assim, Sansão pôde extermi-nar os inimigos que o aprisionavam. A Palavra dizque Sansão abraçou as duas colunas que sustenta-vam a casa onde todos os filisteus estavam, fazendoforça sobre elas, e aquela casa caiu sobre ele e sobreos filisteus, matando-os. E maior foi o número demortos por Sansão na sua morte do que os que elematou em vida (Juízes 16.29-30). Jamais podemosnos esquecer do poder de Deus que se manifesta nanossa fraqueza (2 Coríntios 12.9). Hoje, Deus quer te dar uma segunda chance, nãoimporta o que você tenha feito, onde você caiu, Eleestende as mãos para que você possa se levantar. ODeus que deu o seu filho unigênito para morrer ali nacruz, Ele é o mesmo, Ele conhece o seu coração, sabede tudo o que você tem vivido, e está de braços aber-tos para recebê-lo, basta que você abra o seu coraçãoe deixe que Ele entre. “Eis que estou à porta e bato; sealguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei emsua casa e cearei com ele, e ele, comigo”. (Apocalipse3.20.) Ele ouve o clamor dos seus lábios, clame a Elenesta hora, assim como Ele restaurou a força de San-são, sendo ele vitorioso até mesmo na sua morte, 34
  32. 32. assim Ele é com você. Ele tem uma segunda chancepara lhe dar. Ele quer curá-lo, restaurá-lo, transformá-lo numa nova criatura. O nosso Deus é bondoso, asua longanimidade dura para sempre. Ele levou so-bre si todas as nossas dores, os nossos pecados, paraque tivéssemos uma nova vida, uma nova oportuni-dade. Abra os olhos do seu coração e contemple essarealidade. Deus abençoe! Márcio Valadão 35
  33. 33. 36
  34. 34. JESUS TE AMA E QUER VOCÊ! 1º PASSO: Deus o ama e tem um planomaravilhoso para sua vida. “Porque Deus amouo mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigê-nito, para que todo o que nele crê não pereça, mastenha a vida eterna.“ (Jo 3.16.) 37
  35. 35. 2º PASSO: O Homem é pecador e estáseparado de Deus. “Pois todos pecaram e ca-recem da glória de Deus.“ (Rm 3.23b.) 3º PASSO: Jesus é a resposta de Deus,para o conflito do homem. “Respondeu-lheJesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida;ninguém vem ao Pai senão por mim.“ (Jo 14.6.) 4º PASSO: É preciso receber a Jesus emnosso coração. “Mas, a todos quantos o rece-beram, deu-lhes o poder de serem feitos filhosde Deus, a saber, aos que crêem no seu nome.“(Jo 1.12a.) “Se, com tua boca, confessares Je-sus como Senhor e, em teu coração, creres queDeus o ressuscitou dentre os mortos, será sal-vo. Porque com o coração se crê para justiçae com a boca se confessa a respeito da salva-ção.” (Rm 10.9-10.) 5º PASSO: Você gostaria de receber aCristo em seu coração? Faça essa oração 38
  36. 36. de decisão em voz alta: “Senhor Jesus eu pre-ciso de Ti, confesso-te o meu pecado de estarlonge dos teus caminhos. Abro a porta do meucoração e te recebo como meu único Salvadore Senhor. Te agradeço porque me aceita assimcomo eu sou e perdoa o meu pecado. Eu desejoestar sempre dentro dos teus planos para mi-nha vida, amém”. 6º PASSO: Procure uma igreja evangé-lica próxima à sua casa. Nós estamos reunidos na Igreja Batista daLagoinha, à rua Manoel Macedo, 360, bairroSão Cristóvão, Belo Horizonte, MG. Nossa igreja está pronta para lhe acom-panhar neste momento tão importante dasua vida. Nossos principais cultos são realizadosaos domingos, nos horários de 10h, 15h e18h horas. Ficaremos felizes com sua visita! 39
  37. 37. Uma publicação da Igreja Batista da Lagoinha Gerência de Comunicação Rua Manoel Macedo, 360 - São Cristóvão CEP: 31110-440 - Belo Horizonte - MG www.lagoinha.com Twitter: @Lagoinha_com 40

×