A arte de falar em público

425 visualizações

Publicada em

A arte de falar em público

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A arte de falar em público

  1. 1. A ARTE DE FALAR EM PÚBLICOA VOZ humana: Um elemento de grande valor nas relações interpessoais, porque ela declara, revela, anuncia o que a própria pessoa é, suas potencialidades, suas deficiências; reflete a personalidade, e isto tem enorme influência no aprendizado do outro.
  2. 2. • A rigor, quando estamos falando, o receptor está a nossa disposição, sob o nosso controle. O som vocal tem poderes inimagináveis: pode aproximar, mas também afastar; pode alegrar, mas também entristecer; pode afagar, mas também agredir...• Enfim, são tantas as possibilidades, que a voz humana, bem utilizada, torna as questões relacionadas à comunicação, à lição, à aprendizagem mais eficiente, mais positivo.
  3. 3. A ORATÓRIA• A ORATÓRIA é a arte de proferir discursos. Parece simples, mas não é. As atividades humanas, as ciências e as artes mantêm relações recíprocas. Assim, a oratórias tem como auxiliares: a Filosofia, a Ética, a Psicologia, a História, a Antropologia, a Sociologia, a Fisiologia, a Linguística, a Fonética e o bom senso.
  4. 4. • E por que as pessoas falam em público discursando tão mal? Por que, tendo tudo para agradar, terminam por afastar as pessoas da idéia central? Por que para uns falar apresentam um problema e para outros uma satisfação? A oratória está em desuso?• A oratória não está em desuso, o problema é questão técnica.• Princípios técnicos: prepara a estrutura intelectual do discurso; arquitetar a forma de falar e conhecer as características de cada auditório.
  5. 5. A Filosofia auxilia a oratória na procura denobres objetivos e nos argumentos; a Éticademonstra qual a conduta moral a ser adotada;a Sociologia ajuda a compreender asdiferentes comunidades e a procurar umalinguagem adequada às suas necessidades; aPsicologia auxilia na observação doscomportamentos; a História conta as tragédiasdo ser humano e suas conquistas; a Fisiologiaajuda a entender os mecanismos queconstituem e fazem funcionar o “aparelhofonador”; a Linguística e a Fonética estudam aestrutura e os sons de cada palavra.
  6. 6. ORADOR REAL X ORADOR IDEAL 3.1- CARACTERÍSTICA DO ORADOR REAL• Dono da verdade: fala como se detivesse o controle das situações. A história e o tempo são muito generosos, fornecendo elementos apenas para ele. Os demais nada entendem. Por isso fala... fala... e não agrada ninguém.• Arrogante: Impõe-se com soberba e insolência, como quem se presume o mais hábil, intelectual informado, elegante e controlador.
  7. 7. • Complicador: Sobrecarrega seu discurso com excesso de assuntos sem levar em consideração se o público vai ou não receber bem suas informações. Para ele tanto faz, o que importa é emitir suas idéias...*Não planificador: Aquele tipo que fala “inspirado”. As idéias surgem “na hora”, perde a forma e se afasta do essencial.*Gritador: O tom da voz é sempre agudo, intenso, rápido, desrespeitando as mais elementares regras de comunicação. Sua voz não é nada gentil, cortês e dotada de ausência de entonações/ ênfases para cada situação.
  8. 8. *Desatualizado: Está sempre fazendo referências ao passado; nutre-se de informações tendenciosas, preconceituosas, de gosto duvidoso. Sua biblioteca não é variada e nem atualizada. Vive do passado, alheio ao presente e negando o futuro.*Assim, são os oradores reais. Pode não parecer, mas vivemos entre eles. O que mais causa surpresa e pesar é a resistência para mudar, atualizar e contextualizar. Por isso, estão e continuarão limitados e empobrecidos da graça do saber.
  9. 9. CARACTERÍSTICAS DO ORADOR IDEALInveste em si mesmo: Procura resolver seus problemas, para isso, consulta especialistas, lê bons livros, faz bons cursos, é um bom ouvinte. Está com os pés no presente e os olhos no futuro.Tem cuidado com a sua voz: Como elemento da comunicação, a voz merece tratamento especial. Treina, atualiza-se, muda os tons e intensidade, o ritmo. Tem domínio sobre a voz. Dificilmente tem problemas vocais, além de estar sempre bem disposto.
  10. 10. *Pesquisador: entende que seus ouvintes merecem respeito. Sabe que entre eles estão intelectuais e iletrados; adultos e crianças. Sabe suprir todos com informações seguras e contextualizadas. Lê sobre tudo e retém o melhor para que seus liderados sejam privilegiados.*Informador: sua necessidade de atualização é em face das correntes. Reúne seus liderados, com freqüência, para ouvir, analisar e informar. Sabe trabalhar em equipe. Entende que sozinho não pode fazer nada. Mantém um fluxo de informações.
  11. 11. Assim são o orador real e o ideal. Seriainteressante fazer uma auto-avaliaçãosobre o comportamento em oratória, aarte de falar em público. Estamos na erada Informática, da comunicação digital,dos crescimentos pessoal einterpessoal. É salutar cada mudançaque gera maturidade e eficácia. OApóstolo Paulo recomenda-nos: “(...)antes (...) cresçamos em tudo” (Ef. 4,15). Agora responda: você é um oradorreal ou ideal?
  12. 12. FALAR VOCÊ FALA, MAS CONVENCE?Convencer. Esta é a grande vitória,mas também o grande desafio dequem fala em público. Não basta ir àfrente ou discursar. É precisoconvencer e para isso é necessárioter associado argumentos, astúcia,criatividade, voz definida e bemflexionada, postura, indução, ritmode idéias e coerência na temáticadesenvolvida.
  13. 13. É lamentável que muita gente boa(professores, agentes de pastoral,padres, bispos, religiosos/as),mesmo dominando tão bem umdeterminado conteúdo nãoconsegue convencer ninguém. Éfalta de carisma? De inspiração?Falta de dons ou talentos? Não!Apenas falta de técnica.
  14. 14. 4.1- FATORES QUE LEVAM UM ORADOR A NÃO CONVENCER• ANTIPATIA: Há um sentimento de repulsa espontânea quando um orador se apresenta rígido, formal e extremamente sério. A ausência de um sorriso sincero estabelece a ruptura entre o orador e público.• DEFEITOS NA EMISSÃO DA VOZ: Voz estridente; voz fanhosa; voz monótona.
  15. 15. • USO IMODERADO DE CLICHÊS: Clichês são palavras ou grupos de palavras muito desgastadas pelo uso (Ex.“entusiasmo incrível”, “lauto banquete”, “odor inebriante”, “notável jovem”, “distinta platéia”, “mar de rosas”, “louco de alegria” etc.).• FRACA IMAGEM PRÓPRIA: Antes de um orador começar a falar a primeira observação é com a sua imagem (postura, roupa, aparência, fisionomia, forma de olhar).• INADEQUAÇÃO TEMÁTICA: (tomar tempo para falar de um tema que não domina, desviar do tema em foco...).
  16. 16. 4.2- É POSSÍVEL MELHORAR A SUA FALA E CONVENCER O PÚBLICO• MELHORAR O SOM DA VOZ: Pronuncie corretamente as palavras, evite falar com a boca fechada, fale no tom adequado ao recinto, às pessoas e ao tema.• ANTES DE FALAR, OLHAR: Cumprimente silenciosamente as pessoas com um sorriso nos olhos, procurando identificar cada uma, em lances rápidos de olhar.
  17. 17. DESCONTRAIR É ATRAIR: Em vez de tratar o assunto diretamente, conte uma pequena história, descreva o que vê, relate o seu trajeto até o local. Fale de uma situação alegre. Lembre-se: até os grandes oradores tremem em uma tribuna. O temor e tremor são naturais. Encare isso com tranqüilidade. É uma questão de tempo.ATUALIZE-SE: Investir em livros pode dar um bom lucro. Quem lê mais , sabe mais. É prudente ouvir noticiários e está em dia com os jornais. Assim ninguém vai pegar você de surpresa!
  18. 18. PARA SE FALAR BEM É NECESSÁRIO SABER ESCUTAR COM SABEDORIA O OUTRO NOVE RAZÕES PARA ESCUTAR O PRÓXIMO: 1-Saber escutar consiste em saber falarmenos e prestar mais atenção. 2-Escutar com sabedoria é aceitar ooutro com suas virtudes e defeitos; seusproblemas, sonhos e esperanças. 3-Saber escutar é pôr em marcha osouvidos do coração, a sensibilidade interiorque todos possuem.
  19. 19. 4-Escutar com sabedoria consiste emresponder a um pedido de afeto, de ternura ede amizade de quem estiver triste enecessitado de calor humano e não o recebede ninguém. 5-Saber escutar é ir construindo a “a novacidade”, onde todas as pessoas aprendem aescutar-se respeitar-se mais mutuamente. 6-Escutar com sabedoria é construir pontesde humanidade para quem sofre doisolamento, abandono e solidão.
  20. 20. 7-Saber escutar “pacientemente” podesignificar uma obra de misericórdia, decaridade. Tornará melhor as pessoas,mais humanas, mais cristãs, aproxima-asmais da Verdade. 8-Escutar com sabedoria poderepresentar o primeiro passo pararepresentar o “Cirineu” e prestar ajuda aquem sofre e carrega uma cruz. •9-Saber escutar é uma maneirahumilde e simples de AMAR.
  21. 21. REFERÊNCIA E AGRADECIMENTO• DUARTE, Noélio. Você Pode falar Melhor. São Paulo: Exodus, 1997, pg. 17.• Comunicar bem é comunicar- se! Obrigado pela sua atenção, isso também é comunicação. (Pe. Joãozinho).

×