O slideshow foi denunciado.

Trabalho Infantil

10.685 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

Trabalho Infantil

  1. 1. Trabalho Infantil
  2. 2. Conceito <ul><li>Condição de escolaridade </li></ul><ul><li>( 9º ano de escolaridade) </li></ul><ul><li>Condição etária </li></ul><ul><li>( idade inferior a 15anos) </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Trabalho doméstico: </li></ul><ul><li>Tarefas e responsabilidades relacionadas com o dia-a-dia da casa , </li></ul><ul><li>Manutenção quotidiana dos indivíduos que ai moram </li></ul><ul><li> Trabalho Agrícola : </li></ul><ul><li>Conjunto de actividades relacionadas com a produção agrícola e a produção animal, </li></ul><ul><li>Actividades realizadas no interior da exploração familiar. </li></ul>
  4. 4. Trabalho Infantil <ul><li>De acordo com a Lei de Bases do Sistema Educativo : </li></ul><ul><li>* escolaridade obrigatória 9º ano </li></ul><ul><li>* frequência obrigatória até completar os 15 anos de idade. </li></ul><ul><li>De acordo com a Lei do Trabalho </li></ul><ul><li>* só poderão ter acesso ao mercado de trabalho, aqueles que possuírem a escolaridade obrigatória . </li></ul><ul><li>Amostra: grupo de indivíduos entre os 6 e os 14 anos de idade,10% da mão de obra agrícola. </li></ul><ul><li>( todas as actividades realizadas pelas crianças, excluindo apenas as actividades escolares, religiosas e as que as crianças consideram como lúdicas) </li></ul>
  5. 5. Trabalho Infantil O conceito de trabalho no que diz respeito às crianças rurais é entendido como componente do processo de integração no grupo social, sendo esta a forma das crianças adquirirem conhecimentos e comportamentos para os papeis adultos. A socialização dos filhos dos agricultores passa pela aprendizagem e pela prática de tarefas da família, aprendem a fazer fazendo elas mesmas, trabalhando. Tendo uma participação activa nas actividades laborais. Esta prática é encarada não como trabalho infantil mas como meio de socialização. O que contribui para a invisibilidade do trabalho desempenhados por crianças dos meios rurais.
  6. 6. Trabalho Infantil <ul><li>Este tipo de trabalho segundo a Inspecção-Geral do Trabalho não é considerado trabalho infantil, ficando fora das estatísticas das crianças trabalhadoras. </li></ul><ul><li>Contam apenas as crianças que desempenham funções em indústrias e nos serviços das áreas urbanas. </li></ul>
  7. 7. Trabalho Infantil <ul><li>A agricultura camponesa é aquela cuja produção é assegurada pela mão-de-obra familiar. </li></ul>Unidade familiar - grupo composto pelos pais, casados, os filhos ainda solteiros e em certos casos aos avós, ligados entre si por relações de residência, de produção, de consumo e de solidariedade. Sistema família – exploração: conjunto constituído pela exploração, o agricultor e a sua família, no qual existem relações de interdependência que se estabelecem entre os recursos naturais, as tecnologias e os aspectos económicos e sócias
  8. 8. Trabalho Infantil <ul><li>Insucesso escolar dos alunos de meios rurais processo de exclusão social. </li></ul><ul><li>Os obstáculos ao sucesso destes alunos são: </li></ul><ul><li>* a ruptura cultural entre a escola e a família </li></ul><ul><li>* a ocupação do tempo não escolar com actividades laborais. </li></ul><ul><li>O insucesso escolar destas crianças esta associado às descontinuidades/ conflitualidades entre os saberes, códigos linguísticos, aptidões e conhecimentos adquiridos no meio familiar e os saberes e procedimentos transmitidos na escola e os códigos linguísticos por ela valorizados. </li></ul>
  9. 9. Trabalho Infantil <ul><li>Confronto entre cultura letrada da escola, dominada pela escrita e a cultura das famílias, predominantemente oral. </li></ul><ul><li>Este não é o único obstáculo ao sucesso, pois o facto das crianças terem de executar tarefas laborais após os horários escolares, vão prejudicar o seu rendimento escolar, uma vez que as práticas de trabalho se sobrepõem as práticas escolares. </li></ul>
  10. 10. Trabalho Infantil <ul><li>Existe uma grande diferenciação no modo como o trabalho das crianças camponesas é utilizado pelas respectivas unidades familiares . </li></ul><ul><li>Existe uma integração das crianças na força de trabalho familiar é um fenómeno transversal a todas as unidades familiares de todos os estratos sociais. </li></ul><ul><li>Há que ter em conta a diversidade de recursos, práticas, interesses e expectativas das unidades familiares. </li></ul>
  11. 11. Trabalho Infantil <ul><li>Caracterizado por uma extrema flexibilidade e abrangência, o trabalho infantil é indispensável ao normal funcionamento da maioria das explorações agrícolas familiares. </li></ul><ul><li>Optimizar os recursos laborais infantis, tirando partido da sua flexibilidade ocupacional: </li></ul><ul><li>* desempenham tarefas ligeiras, libertando os adultos para outras tarefas; </li></ul><ul><li>* trabalham lado a lado com os mais velhos. </li></ul><ul><li>Tarefas: tratam da casa ; </li></ul><ul><li>cegam, cavam, roçam, semeiam, apanham batatas, carregam carros de lenha e de mato, pastoreiam o </li></ul><ul><li>gado, tiram o leite as vacas, conduzem tractores…. </li></ul><ul><li>Substituição e/ou complementaridade do trabalho dos adultos. </li></ul>
  12. 12. Trabalho Infantil <ul><li>As famílias necessitam do trabalho das crianças para assegurar a sua actividade económica e a continuidade do grupo social. </li></ul><ul><li>Não é um objectivo realizável, abolir o trabalho das crianças camponesas. </li></ul><ul><li>Mesmo assim é necessário reunir esforços no sentido de aliviar a carga laboral a que muitas estão sujeitas. </li></ul><ul><li>O trabalho infantil nas áreas rurais constitui uma questão inseparável do desenvolvimento em geral. </li></ul>
  13. 13. Trabalho Infantil <ul><li>A aprendizagem e a socialização das crianças camponesas são indissociáveis da sua participação activa no processo produtivo. </li></ul><ul><li>Aprendem desde muito novas a lidar com os ciclos dos animais e das plantas, com os solos e o clima, com a terra e as alfaias agrícolas, com a gestão e a organização dos recursos produtivos e com as normas e as regras das conduta social. </li></ul><ul><li>O trabalho constitui o mais significativo meio de socialização das crianças camponesas. </li></ul><ul><li>Saber essencialmente oral, através da observação e pela repetição de práticas sociais. </li></ul><ul><li>Estes conhecimentos e conceitos deveriam ser considerados pela escola, para que as crianças pudessem aceder com êxito à cultura escolar e assim esbater as desigualdades socioescolares. </li></ul>
  14. 14. Trabalho Infantil <ul><li>Muitos dos trabalhos que as crianças camponesas se vêem envolvidas saem, manifestamente, do quadro normal do desenvolvimento e da aprendizagem infantis. </li></ul><ul><li>Positivo : descoberta de novas relações, que as estimulam a seleccionar novos dados e a estabelecer novas hipóteses. Aprendem a observar, a ponderar e a intervir. Desenvolvimento de espírito de entreajuda e sentido de responsabilidade, importantes para a vida adulta. </li></ul><ul><li>Negativo: as crianças não são poupadas, algumas trabalham durante longas horas consecutivas, ao frio e ao calor, transportam cargas pesadas, operam máquinas perigosas, manuseiam produtos químicos,… </li></ul>
  15. 15. Trabalho Infantil <ul><li>As condições laborais a que as crianças camponesas estão sujeitas concorrem, directa ou indirectamente, com as suas obrigações escolares. </li></ul><ul><li>O trabalho obriga as crianças a faltar à escola; </li></ul><ul><li>Muitas são obrigadas pelas pressões laborais, a abandonar precocemente os estudos; </li></ul><ul><li>Cansadas do trabalho, estas crianças, encaram a escola muitas vezes mais como um lugar onde podem descansar e brincar do que um espaço onde é necessário trabalho e esforço. </li></ul><ul><li>Sem tempo para fazer os trabalhos de casa. </li></ul>
  16. 16. Trabalho Infantil <ul><li>O trabalho, a escola e a brincadeira: uma rede de tensões, às vezes difícil de gerir. </li></ul><ul><li>Se por um lado há a noção do dever de prestar auxílio à família, por outro há a tentação da brincadeira. </li></ul><ul><li>Muitas aproveitam-se da dificuldade das famílias relativamente a assuntos da escola para gerirem elas próprias o tempo que dedicam ao trabalho, ao estudo e ao jogo. </li></ul><ul><li>Fintam a autoridade dos pais, desenvolvem uma certa rebeldia em relação à cultura e aos valores dos adultos. </li></ul>
  17. 17. Trabalho Infantil <ul><li>É importante que a escola e os pais prestem atenção à forma como as crianças gerem o tempo de estudo, de brincadeira e de lazer. </li></ul><ul><li>Os pais, muitos pouco ou nada escolarizados, necessitam de ajuda para apoiar os filhos. </li></ul><ul><li>Era importante para esta relação escola/família, que a escola mostrasse mais apreço pelo trabalho das crianças, valorizando os seus conhecimentos e saberes. </li></ul>
  18. 18. Trabalho Infantil <ul><li>Apesar de lhes ser solicitada uma intensa participação nas tarefas da exploração agrícola familiar, as crianças são fortemente estimuladas no sentido de aspirarem a um futuro profissional fora da agricultura </li></ul><ul><li>Os pais estão dispostos a mobilizar todos os meios ao seu alcance para que os filhos mudem de actividade e se possível do meio rural. </li></ul><ul><li>Expectativas de abandonar a agricultura ( encarada como última alternativa). </li></ul><ul><li>O trabalho dos filhos é encarado como um recurso que preenche uma necessidade laboral e não como uma fonte de aquisição de qualificações para futuro profissional. </li></ul>
  19. 19. Trabalho Infantil <ul><li>A escola constitui um meio privilegiado para se libertarem da amargura e da incerteza da actividade agrícola. </li></ul><ul><li>As aprendizagem laborais são vistas como indispensáveis apenas enquanto se reúnem os meios e as condições para que eles possam deixar a agricultura. </li></ul><ul><li>O trabalho das crianças é de vital importância para se criarem os recursos que deverão suportar a sua própria formação escolar. </li></ul><ul><li>De forma a compensar o insucesso na escola, muitas crianças tendem a identificar-se com a vida do campo. </li></ul>
  20. 20. Trabalho Infantil <ul><li>Estas populações têm um imagem social negativa que os motiva a “expulsar” os filhos da actividade agrícola e do meio rural. </li></ul><ul><li>Para evitar este sentimento é necessário que as populações rurais se reconheçam numa identidade cultural que as valorize e as dignifique. </li></ul><ul><li>É imprescindível que haja um reconhecimento económico e uma melhoria da sua qualidade de vida. </li></ul><ul><li>O investimento na educação dos adultos terá repercusões na educação das crianças. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Escola Superior de Educação do Porto </li></ul><ul><li>Educação Social 1ª ano </li></ul><ul><li>Sociologia da educação </li></ul><ul><li>“ O TRABALHO DAS CRIANÇAS” </li></ul><ul><li>de pequenino se torce o pepino </li></ul><ul><li> Autora: Graça Alves Pinto </li></ul><ul><li>Docente: Márcia Cardoso </li></ul><ul><li>Discente: Arlete Isilda </li></ul>

×