Aprendizagem Social Bandura

131.554 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre a teoria de aprendizagem social

Aprendizagem Social Bandura

  1. 1. Aprendizagem social Modelo de aprendizagem de Bandura
  2. 2. Aprendizagem social <ul><li>A aprendizagem social por observação. </li></ul><ul><li>Ou aprendizagem por modelação. </li></ul><ul><li>Foi desenvolvida por Albert Bandura . </li></ul><ul><ul><li>Desenvolveu um conjunto de experiências para fundamentar a sua teoria. </li></ul></ul>
  3. 3. Aprendizagem social <ul><li>Algumas ideias sobre este modelo de aprendizagem: </li></ul><ul><ul><li>Descobriu que a experiência dos outros pode conduzir à aquisição de novos comportamentos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Assim, um indivíduo pode adquirir um novo comportamento a partir da observação de um modelo . </li></ul></ul><ul><ul><li>Seria através de um processo - que o psicólogo designa por modelação - que envolve a observação , a imitação e a integração . </li></ul></ul><ul><ul><li>Em que a pessoa aprende um comportamento que passa a integrar o seu quadro de respostas . </li></ul></ul><ul><ul><li>A aprendizagem social processa-se através da socialização, que decorre desde o nascimento até à morte do indivíduo. </li></ul></ul>
  4. 4. Aprendizagem social <ul><li>Quando, por exemplo , </li></ul><ul><ul><li>a criança começa a aprender a escrever ou a falar, fá-lo por observação directa dos comportamentos dos modelos : país, professores e outras pessoas que com ela convivem. </li></ul></ul>
  5. 5. Aprendizagem social <ul><ul><li>Um comportamento pode também ser adquirido através de um conjunto de instruções fornecidas ao sujeito : podes aprender a utilizar um programa de computador através da descrição dos procedimentos que deves seguir (que podem estar registados num manual ou ser transmitidos por uma pessoa). </li></ul></ul>
  6. 6. Aprendizagem social <ul><ul><li>Bandura sublinha a importância do reforço neste tipo de aprendizagem, distinguindo reforço directo de reforço vicariante : </li></ul></ul>
  7. 7. Aprendizagem social <ul><ul><li>reforço directo - a seguir ao comportamento desejado o sujeito é reforçado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: a criança que segura bem o lápis quando começa a escrever ouve um elogio, é reforçada. </li></ul></ul><ul><ul><li>o reforço vicariante - o reforço é recebido pelo modelo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: a criança observa que uma pessoa, por ter determinado comportamento, é recompensada. Este facto estimula-a a imitar esse comportamento. </li></ul></ul>
  8. 8. Aprendizagem social <ul><li>Os factores que favorecem a aprendizagem social: </li></ul><ul><ul><li>particularmente o tipo de pessoas que são mais susceptíveis de se tornarem modelos . </li></ul></ul><ul><li>Referimo-nos a algumas das suas características: </li></ul><ul><ul><li>A proximidade afectiva do modelo; </li></ul></ul><ul><ul><li>A idade do modelo; </li></ul></ul><ul><ul><li>O género do modelo; </li></ul></ul><ul><ul><li>E o estatuto do modelo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Todas têm influência no processo de aprendizagem social. </li></ul></ul>
  9. 9. Aprendizagem social <ul><li>Os factores que favorecem a aprendizagem social: </li></ul><ul><ul><li>Para além das características do modelo , a aprendizagem social depende destas características pessoais de quem aprende: </li></ul></ul><ul><ul><li>A atenção; </li></ul></ul><ul><ul><li>A motivação; </li></ul></ul><ul><ul><li>As expectativas; </li></ul></ul><ul><ul><li>A própria noção de eficácia ou competência . </li></ul></ul>
  10. 10. Aprendizagem social Factores que influenciam a aprendizagem social Características do modelo Características pessoais de quem aprende Proximidade afectiva Género, idade, estatuto Atenção Motivação Expectativas Noção de eficácia
  11. 11. Aprendizagem social http://br.youtube.com/watch?v=quqkR_LlQ5U
  12. 12. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>sobre a aprendizagem observacional do comportamento agressivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Bandura mostrou a crianças com 4 anos de idade um filme em que um adulto esmurrava e pontapeava um boneco insuflável. </li></ul></ul><ul><ul><li>Bandura dividiu o grupo de 66 crianças em idade pré-escolar em três grupos de 22 elementos cada . </li></ul></ul>
  13. 13. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>No filme um modelo adulto encaminhava-se na direcção do boneco insuflável (de dimensão apreciável) e ordenava-lhe que saísse da sua frente. </li></ul></ul><ul><ul><li>Como facilmente se compreende o boneco não «obedecia» e era vítima de uma série de actos agressivos . </li></ul></ul>
  14. 14. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>Todas as crianças assistiram ao filme, mas este tinha um final diferente por cada grupo de crianças, ou seja, três versões diferentes das consequências do comportamento do adulto eram exibidas . </li></ul></ul>
  15. 15. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>Assim, um primeiro grupo de crianças viu que o adulto agressivo era recompensado por um outro adulto que o elogiava chamando-lhe «campeão» e lhe dava uma grande quantidade de doces e de refrigerantes - grupo do modelo recompensado . </li></ul></ul>
  16. 16. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>O segundo grupo de crianças, que estava a ver o filme numa sala diferente, assistiu a uma versão final onde o adulto agressivo foi asperamente censurado por um outro adulto que lhe chamou «má pessoa» - grupo do modelo punido . </li></ul></ul>
  17. 17. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>Quanto ao terceiro grupo , assistiu aos comportamentos agressivos mas não lhe foi exibido nenhum final mostrando se as consequências de tais comportamentos eram positivas ou negativas - grupo de condição neutral . </li></ul></ul>
  18. 18. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>Depois da exibição das diferentes versões do filme foi permitido às crianças dos vários grupos brincarem com o boneco insuflável e outros brinquedos. </li></ul></ul>
  19. 19. Aprendizagem social <ul><li>A experimentação de Bandura </li></ul><ul><ul><li>As crianças do grupo que vira o adulto ser recompensado pelo seu comportamento agressivo mostraram maior índice de agressividade do que as outras, imitando os actos do adulto. </li></ul></ul>
  20. 20. Aprendizagem social <ul><li>Conclusões de Bandura </li></ul><ul><ul><li>As crianças de todos os grupos tinham aprendido de igual modo a reproduzir mentalmente os diversos comportamentos agressivos observados. </li></ul></ul><ul><ul><li>Isto é, estavam em condições de desempenhar o comportamento do modelo igualmente bem e de forma precisa. </li></ul></ul>
  21. 21. Aprendizagem social <ul><li>Conclusões de Bandura </li></ul><ul><ul><li>O que quer isto dizer? </li></ul></ul><ul><ul><li>Simplesmente que as crianças participantes na experimentação aprenderam comportamentos agressivos sem receberem qualquer reforço . </li></ul></ul><ul><ul><li>Mais: aprenderam-nos (embora só os do grupo referido os desempenhassem espontaneamente) mesmo quando o modelo não era nem reforçado nem punido por se comportar agressivamente. </li></ul></ul>
  22. 22. Aprendizagem social <ul><li>Resumindo em duas posições: </li></ul><ul><ul><li>Primeiro , bem mais do que o reforço directo , o que condiciona a «performance» do que foi aprendido é a expectativa do reforço , ou reforço vicariante . </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Há muito mais probabilidade de que um indivíduo imite um comportamento se houver da sua parte a expectativa de que tal produzirá reforço ou recompensa . </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Segundo , o factor motivação é crucial para a «performance» ou desempenho efectivo do que foi aprendido. </li></ul></ul>
  23. 23. Aprendizagem social <ul><li>Retomando os factores que influenciam a aprendizagem social: </li></ul><ul><ul><li>A observação do comportamento de outros não implica necessariamente a sua imitação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>podemos aprender observando o comportamento de um modelo, mas não haver nenhuma razão pessoal para converter o que aprendemos em comportamento observável, isto é, em desempenho ou performance ; </li></ul></ul></ul>
  24. 24. Aprendizagem social <ul><ul><li>A tendência para imitar um modelo depende: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>do próprio observador (da sua motivação, atenção e características pessoais); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>da influência do modelo (tende-se para imitar pessoas consideradas com estatuto ou prestígio elevado) </li></ul></ul></ul>
  25. 25. Aprendizagem social <ul><ul><li>A tendência para imitar um modelo depende: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>das expectativas de consequências agradáveis do comportamento observado (tende-se a imitar um comportamento que se julga que irá ser recompensado); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>da própria noção de eficácia e competência (tende-se a imitar o comportamento que se julga capaz de desempenhar) </li></ul></ul></ul>
  26. 26. Aprendizagem social <ul><li>FIM </li></ul><ul><li>Baseado e adaptado: </li></ul><ul><li>Luís Rodrigues, Psicologia 12.º ano, Plátano Editora, Lx, 2005 </li></ul><ul><li>Manuela Matos Monteiro / Noémia Pereira, Psicologia, Acesso ao Ensino Superior 2005, Porto Editora </li></ul>

×