Escravidão

4.350 visualizações

Publicada em

Escravidão

  1. 1. Professor Rodrigo Alcantara Gaspar
  2. 2. Capítulo 1: A Travessia 
  3. 3. A Travessia   As viagens entre a costa da África e o Brasil duravam de 30 a 45 dias em condições precárias.  Os escravizados eram transportados para o Brasil nos Navios Negreiros.
  4. 4. A Travessia   Detalhe do local onde os negros ficavam.  Os Navios Negreiros também eram conhecidos como Navios Tumbeiros, devido ao grande número de morte que aconteciam durante as viagens.
  5. 5. Capítulo 2: A Venda 
  6. 6. A Venda   Assim que chegavam muitos escravos eram leiloados ainda nos portos.  Os escravos eram tratados como mercadoria, desta forma eram vendidos e comprados.
  7. 7. A Venda   O comércio de escravos logo se mostrou altamente lucrativo.  O comércio de escravo não acontecia exclusivamente no Brasil, podemos perceber sua presença em todo o continente americano.
  8. 8. A Venda 
  9. 9. Capítulo 3: O Trabalho 
  10. 10. O Trabalho   "Os escravos são as mãos e os pés do senhor de engenho, porque sem eles no Brasil não é possível fazer, conservar e aumentar fazenda.“ Antonil, Cultura e Opulência do Brasil, 1711, Livro I, Capítulo, IX
  11. 11. O Trabalho   Os escravos plantavam, colhiam, cozinhavam, construíam, produziam açúcar, trabalhavam nas minas, nas fazenda de café, ou seja, faziam TODO e QUALQUER tipo de trabalho.
  12. 12. O Trabalho 
  13. 13. O Trabalho  Nas Minas de Ouro Nas Fazendas de café
  14. 14. O Trabalho   Algumas vezes, até mesmo AMAMENTAR o filho do Senhor de era obrigação das escravas.
  15. 15. Capítulo 4: Senzala 
  16. 16. Senzala   As Senzalas eram onde os escravos ficaram.  Hoje são grandes atrações turísticas, entretanto no período da escravidão era palco de grande tristeza.
  17. 17. A Senzala   Para evitar fugas durante a calada da noite, os escravos dormiam presos.
  18. 18. Senzala  Senzala Uruaé Casarão nº 6 - porão-senzala
  19. 19. Capítulo 5: Castigos 
  20. 20. Castigos   Tantos os motivos quanto as formas dos castigos eram diversas  A mais comum eram as chicotadas. Ao lado as marcas do sofrimento.
  21. 21. Castigos   O Pelourinho era uma coluna feita de madeira ou pedra localizada em praças movimentadas onde os escravos e infratores eram punidos.
  22. 22. Castigos   Instrumentos de ferro utilizados para maltratar os escravos.
  23. 23. Castigos   Máscara de Flandres: utilizada como forma de punição aos escravos que furtavam alimentos ou ingeriam terra.  A máscara poderia cobrir todo o rosto ou só a boca.
  24. 24. Capítulo 6: Resistência 
  25. 25. Resistência   Era comum os escravos fugirem das fazendas onde trabalhavam.  O Capitão do Mato era o responsável por recapturar os fugitivos.  Havia muitos anúncios nos jornais da época com recompensas generosas para quem captura-se ou desse notícias sobre o paradeiro do foragido.
  26. 26. Resistência   Os Quilombos são locais de refúgios dos africanos e afrodescendentes no Brasil.  Abrigava também minorias indígenas e branca.
  27. 27. Resistência   Visite o mapa em: http://1.bp.blogspot.com /_zMzKDp_TpFw/S_G5_ wLeQpI/AAAAAAAAA Ns/Qnrvvdfools/s1600/ MAPA+QUILOMBOS.jpg Acessado em: 24/10/2013 ás 21h:20min.
  28. 28. Resistência   O quilombo mais conhecido, sem dúvida é o de Palmares. Este se localizava na Capitânia de Pernambuco, atual Estado de Alagoas.  Entretanto existiram várias outros quilombos.
  29. 29. Resistência 
  30. 30. Resistência   A Capoeira é um misto de Dança, arte-marcial, esporte e cultura.  A prática desse esporte tinha como finalidade ter mais agilidade nas fugas.  Por muitos anos foi proibia de ser praticada.
  31. 31. Resistência  Ouça: História de Preto Velho
  32. 32. Resistência   Os escravos utilizavam do Cristianismosincrético, desta forma conseguiram manter sua religiosidade sem levantar suspeitas.  Exemplo de sincretismo Ogum = São Jorge Oxum = N.S. Aparecida
  33. 33. Resistência   São muitas as palavras de origem africana que foram incorporadas na língua portuguesa.  Outros exemplos: FUBÁ, QUIABO, BANZO, TANGA, MOCAMBO entre outras.
  34. 34. Capítulo 7: Abolição 
  35. 35. Abolição   Sob forte pressão dos ingleses a Lei Eusébio de Queirós entra em vigor, em 1850.  Esta lei proibia a entrada de escravizados no Brasil.
  36. 36. Abolição   A Lei do Ventre livre estabelecia que todos os filhos de mulheres escravas nascidos a partir de 28 de setembro de 1871 seriam considerado livres.  Entretanto, até os 8 anos ficavam sob a autoridade do senhor; depois, ele poderia escolher ou recebia uma quantia de 600 mil réis do governo e lhe entregava o menor ou utilizava seus serviços até os 21 anos.
  37. 37. Abolição   A Lei dos Sexagenários declarava livre os escravos com mais de 60 anos, mas como forma de indenização era preciso trabalhar mais três anos gratuitamente.  Vale lembra que o fato de um escravo chegar aos 60 anos era RARO.
  38. 38. Abolição   O Movimento Abolicionista agitou a sociedade brasileira no final do Segundo Reinado.  Os Abolicionistas foram ganhando força ao longo desse período.
  39. 39. Abolição   “Somente no ano de 1888, quando a princesa Isabel assumiu o trono na condição de regente, os abolicionistas conseguiram aprovar o decreto que dava fim à escravidão no Brasil. Apesar de conceder a liberdade para milhares, a chamada “Lei Áurea” não tratou de pensar ou garantir a inserção dos negros libertos na sociedade brasileira. Deste modo, a abolição não trouxe transformações significativas na vida dessa parcela da população”. Rainer Sousa
  40. 40. Abolição   Os libertos não receberam nenhum tipo de ajuda por parte do governo.  A Liberdade foi a única coisa que ganharam.
  41. 41. Capítulo 8: Discriminação 
  42. 42. Discriminação   Muitos libertos negociaram sua permanência nas fazendas em troca de um modesto salário ou por parte da colheita.  Outros foram para as cidades em busca de uma nova vida. Mas não conseguiam encontrar empregos, pois os empresários preferiam os imigrantes europeus.
  43. 43. Discriminação   Os recém libertos sofriam com o racismo silencioso.  O MITO DA DEMOCRACIA RACIAL, ou seja, as pessoas afirmam que não há PRECONCEITO/ RACISMO no Brasil.
  44. 44. Discriminação   O Dia da Consciência Negra significa que todos somos iguais.  Significa que nenhuma raça é melhor ou pior do que a outra.
  45. 45. ESCRAVIDÃO   Curso Básico sobre Escravidão no Brasil.  Professor Rodrigo Alcantara Gaspar  Para saber mais entre no meu site: roagaspar.weebly.com Obrigado!

×