Sistemas 3 g

183 visualizações

Publicada em

Sistemas 3G

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
183
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistemas 3 g

  1. 1. Sistemas 3G
  2. 2. Sumário Introdução Visão geral 3G Principais padrões 3G no Brasil Evolução Conclusão
  3. 3. Desenvolvimento UIT União Internacional de Telecomunicações FPLMTS Future Public Land Mobile Telecommunications Systems IMT-2000 Internacional de Telecomunicações Móveis
  4. 4. Requisitos primários para o sistema 3G:  Altas taxas de dados: 144 kbit/s em todos os ambientes e 2 Mbit/s em ambientes "indoor" e de baixa mobilidade.  Transmissão de dados simétrica e assimétrica.  Serviços baseados em comutação de circuitos e comutação de pacote  Vários serviços simultâneos para usuários finais, para serviços multimídia.  Compatibilidade com as redes preexistentes e flexibilidade de implantação de novos serviços e tecnologias.  Capacidade de roaming global (Multioperadora).  Arquitetura aberta para acomodar os avanços tecnológicos e diferentes aplicações.
  5. 5. PROPOSTA TECNOLOGIA ORIGEM DECT Multicarrier TDMA-(TDD) Europa ETSI-DECT UWC-136 TDMA (FDD/TDD) USA TIA-TR45.3 TD-SCDMA Hybrid (TDMA/CDMA/SDMA) China CATT WIMS-WCDMA Wideband CDMA –(FDD) USA TIA – TR46.1 WCDMA Wideband DS-CDMA Japão ARIB CDMA I Multiband CDMA Coréia do Sul TTA CDMA II DS-CDMA (FDD) Coréia do Sul TTA CDMA-2000 DS-CDMA (FDD/TDD) USA TIA-TR45.5 NA-WACDMA Wideband CDMA –(FDD) USA T1 P1-ATIS UTRA Wideband DS-CDMA (FDD/TDD) Europa ETSI – SMG2 PROPOSTA TECNOLOGIA ORIGEM SW-CDMA Wideband DS-CDMA (FDD) ESA SW-TD-CDMA Hybrid TDMA/CDMA (FDD) ESA SAT-CDMA Wideband DS-CDMA Coréia do Sul – TTA HORIZONS TDMA (FDD) INMARSAT ICO FDMA/TDMA ICO Global Comm Tabela 1 Proposta de RTT terrestre Tabela 2 Proposta de RTT satélite
  6. 6. Harmonização dos padrões terrestre 3G 3GPP 3GPP2 G3G Europa (ETSI) Japão (ARIB eTTC) EUA(T1P1) Coréia do sul (TTA) China (CWTS) EUA (TIA) Japão (ARIB) Japão (TTC) Coréia do Sul (TAA) China (CWTS)
  7. 7. 3G no Brasil Leilão de frequência arrecadou R$ 5,34 bilhões
  8. 8. Velocidade das redes 3 no mundo (usuário final) 7.1 9.6 14 16.4 17.3 18.1 19.1 19.6 22.1 0 5 10 15 20 25 Japão EUA Alemanha Coréia do Sul Austrália Canada Dinamarca China Suécia Mpbs
  9. 9. O 3G fora-da-lei  Todas as companhias brasileiras têm problemas sérios com a conexão 3G.
  10. 10. Situação do sinal 3G na Região Sul Sinal 3G em Belo Horizonte e Rio de Janeiro Situação do sinal 3G em São Paulo Situação do sinal 3G no Nordeste
  11. 11. O gargalo Infraestrutura 64 mil ERBs Burocracia verde amarela Cada município possa criar sua própria legislação +250 leis
  12. 12. Solução possíveis 1. Implantação de uma tecnologia de maio capacidade 2. Células menores
  13. 13. Conclusão  As tecnologias 3G permitem às operadoras da rede oferecerem a seus usuários uma ampla gama dos mais avançados serviços, permitindo conecta-se em qualquer lugar, a qualquer momento, em qualquer hora.  Porém, no Brasil as companhias têm problemas sérios, se não forem resolvidos, não é 4G que vai mudar esse cenário, afinal a tecnologia 4G só altera a capacidade entre o smartphone e a estação rádio base. Só resta torcer que a burocracia facilite o lado das operadoras e elas façam o seu papel, quem sabe assim a gente tenha um 4G um pouco mais competente do que o legado que o 3G deixou para os brasileiros.

×