Iconografia da i república

7.670 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Parabéns num excelente trabalho! Vou partilhar com os meus alunos.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.670
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.180
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
238
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Pesquisa de imagens sobre a I república q vamos apresentar. Através delas vamos contar a histór da I Rep. Referindo aspect positivos e tb alguns negativos. O balanço do regime é positivo pq levou à modernização do pais.
  • Os ultimos anos da monarquia, a instabilida q a caracterizou.
  • Acontecimentos importantes que Mostraram a incapacidade da monarquia para resolver problemas nacionais e que contribuiram para aumentar o descredito dos portygyeses face ao rei e a monarquia
  • Rei e acusado de trair a patria cedendo a inglaterra. Foi acusado de ser pouco corajoso e perdeu mais prestigio no pais. Populares com bandeira republicanas e com a marcha da portuguesa
  • Outro acontecimento que enfraquece a monarquia e que mostra que a republica esta proxima. “ensaio da revolução”. Acontece no porto. Os repulcanos ocuparam a camara proclamaram a republica, mas foram feitos prisioneiros pela guarda municipal. O golpe fracassa, mas fica a ameaça
  • As tres forças que fora do sistema monarquico lutam contra a monarquia pela republica. Republicanos – PRP; Maçons – Maçonaria; Carbonarios – Carbonaria.
  • A monarquia não era absoluta mas sim constitucional. Havia eliçoes legislativas e o PRP podia concorrer as eleiçoes. Nas eleiçoes este partido vai aumentando o numero de deputados o que mostra crescimento. Ler os numeros. As imagens mostram os candidatos do PRP nas folhas dos jornais republicanos da epoca. A imprensa era um meio de difusao de ideias republicanas.
  • O simbolo do compasso e do esquadro são simbolos maçonicos relacionados com a origem da maçonaria na epoca medieval. São simbolos dos arquitectos, constructores de igrejas. Os maçons tratavam-se por irmaos
  • Era a versao popular e mais radical da Maçonaria. Tratavam-se por primos. Fabricavam bombas para preparar a revoluçao
  • Homem gordo no chao – D. Carlos
  • Principio do fim da monarquia. O rei cchama joao franco para formar governo e este dissolve o parlamento e governa em ditadura. Elabora um DECRETO que o rei assina em Vila Viçosa que permitia mandar para o degredo, expulsar do pais para africa, todos os que conspirassem contra a monarquia. Foi considerado um decreto de morte que levou ao regicidio
  • Na caricatura vemos a critica a joao franco. No cabelo a liberdade esta deitada com uma faca no peito
  • O rei regressa de vila viçosa. Quando chega ao terreiro do paço estão à sua espera os carbonarios
  • Havia mais regicidas. A romagem aos regicidas teve mais pessoas que a romagem ao rei. Eram vistos como herois do povo, porque deram a vida pela causa republicana. Eram homens instruidos da classe media.
  • Este rei, ao contrario de seu pai, tenta não intervir na governação do país. Abre o parlamento, forma um novo governo, estabelece eleiçoes. Cria o periodo da “Acalmação” em que tenta salvar a monarquia
  • Hesitando muito, entre a via legalista eleitoral ou a via revolucionária, o PRP pressionado pela carbonaria opta pela revoluçao
  • Os revoltosos concentram-se na rotunda e no terreiro do paço (barcos vindos de alcantara onde bombarderam o palacio das necessidades) e os monarquicos no rossio
  • E aqui que a republica e proclamada. Dizer que encontramos diferentes horas para a proclamação da republica (10,11) mas so sabemos que foi da parte da manha. Directyorio do PRP na varanda da camara proclama a republica. A camara de lisboa era republicana, logo era o melhor lugar .
  • Jose relvas fazia parte do directorio do PRP. A republica e proclamada por telegrafo para o resto do pais. Manifestaçoes de entusiasmo por todo o lado, nomeadamente oeiras
  • LER A FRASE
  • Mudança do regime leva a mudança dos seus simbolos que são simultaneamente um elemento de identificação e coesao nacionais
  • Dar exemplos de algumas das propostas
  • Indecisao entre os republicanos quanto as cores da bandeira. Guerra junqueiro dizia que o azul e branco eram as cores não da monarquia mas sim da “alma nacional”
  • Pesquisar – sete castelos refere-se a ? Quinas – se são mesmo cinco reis mouros Pontos brancos – quando d. afonso henriqus foi rei havia um imperador, rei tinha previlegio de cunhar moedas e os pontos brancos eram o prvilegio de d. afonso em poder cunhar moeda, superioridade em relaçao aos outros feudais
  • Não esquecer falar do ultimato, e das alteraçoes. Portuguesa era influenciada na marselhesa mas tambem tinha marcas de fado
  • Ao longo do regime republicano, a republica e enaltecida atraves de cartazes, esculturas, etc. Aparece com a imegem de uma mulher (personificaçao da republica). Inspiraçao francesa.
  • Começar a falar pelo bombardeamento do palacio real. Republicanos historicos, os mais antigos são criadores do PRP
  • A republica e personificada pela imagem de uma mulher. O barrete e inspirado na revolçao francesa. O barrete frigio dos sans-culottes, que eram os revolucionarios franceses. Os reublicanos mais importantes na imagem.
  • Deve-se a este escultor a criaçao do busto da republica, inspirado numa alentejana muito bonita, Ilda pulga
  • Podemos ver duas imagens da republica. A primeira e o convite. Vemos o barrete frigio em ambas e os tambores e as folhas de papel devido a exaltação. Representam a propagação da republica
  • Tambem os objectos do quotidiao foram republicanizados, ou seja apareceram chapeus, relogios, sabonetes, inspirados na republica e nos republicanos. Chapeus antonio jose de almeida e afonso costa (dirigentes republicanos). O sabonete e os relogios com personalidades republicanas
  • POR SIMBOLO DA MAÇONARIA E CARBONARIA E DEPOIS UBSTIITUIR
  • sub
  • POR SIMBOLO DA MAÇONARIA E CARBONARIA E DEPOIS UBSTIITUIR
  • Iconografia da i república

    1. 3. Bandeira da Monarquia portuguesa Rei D. Carlos e Rainha D. Amélia Fonte: http://i40.tinypic.com/qof1uq
    2. 4. Fonte: http://upload.wikipedia.org/wikipedia/commons/d/df/Amélia_de_portugal,_d.carlos_e_luis_filipe http://.tinypic.com/34fz62u D. Carlos, D. Amélia e o seu filho D. Luís Filipe, herdeiro do trono português.
    3. 6. Conferência de Berlim (1884 e 1885) As potências coloniais decidiram que as terras africanas seriam dos países que as ocupassem efectivamente, não interessando quem as tivesse descoberto em primeiro lugar. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano, autores, Porto Editora Portugal apresentou o mapa cor-de-rosa, pretendendo unir Angola e Moçambique, mas a Inglaterra opôs-se a esse projecto e lançou a Portugal um Ultimato que exigia a retirada desses territórios.
    4. 7. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora O rei D. Carlos cede às exigências da Inglaterra,. Grandes manifestações nacionalistas e patrióticas repudiam a capitulação do rei que acusam de cobarde e traidor. Surge « A Portuguesa »: « Contra os bretões, marchar, marchar! »
    5. 8. As tropas fiéis à monarquia atacam os republicanos que tinham ocupado a Câmara Municipal e o golpe fracassa. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora
    6. 10. PARTIDO REPUBLICANO PORTUGUÊS Nas últimas décadas do século XIX surgem centros republicanos, em todo o país. Em 1876 , reúne-se o Congresso da Comissão Organizadora do Partido Republicano. Reinava D. Luís. A partir dessa data, o P.R.P . cresce no país, principalmente nos centros urbanos, com o apoio da classe média e do operariado.
    7. 11. Durante a Monarquia Constitucional , o P.R.P. concorre às eleições. Em 1893, elege 3 deputados Em 1908, elege 7 deputados Em 1910, elege 14 deputados Mas decide-se pela via revolucionária para implantar a República. .
    8. 12. Grande Oriente Lusitano (a mais antiga loja maçónica portuguesa, fundada em 1802. ) A Maçonaria é uma sociedade secreta cujos membros lutam pelos ideais da Liberdade, da Igualdade, da Fraternidade e da Instrução.
    9. 13. Selo da Carbonária “ A verdadeira mãe das revoluções ” Sociedade política secreta que admitia elementos de todas as classes sociais. Radical, defendia a via revolucionária para a implantação da República. Lutava pelos ideais da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade. Pela instrução. Pelos ideais republicanos . Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube Fonte: http://1.bp.blogspot.com/_NfobuzNmJdo/SH-Ax36cyLI/AAAAAAAAAFo/5T1elsRGq8s/s1600/Ma%C3%A7onaria+-+Compasso.jpeg
    10. 14. Alta Venda da Carbonária (o Poder Executivo da Carbonária) Luz de Almeida Machado Santos António Maria da Silva. António, Luz e Machado Credencial Carbonária de Cândido dos Reis
    11. 15. D. Carlos chama João Franco para formar governo. Este governa em ditadura, dissolvendo o Parlamento. Cresce o descontentamento contra o Rei e a Monarquia .
    12. 16. <ul><li>Caricatura de João Franco , </li></ul><ul><li>a “cabeça do governo” </li></ul><ul><li>Caricatura : </li></ul><ul><li>Cabelo : a Liberdade assassinada. </li></ul><ul><li>Testa: Zé Povinho entre republicanos e monárquicos. </li></ul><ul><li>Boca : o Parlamento, que João Franco dissolveu, aprisionado. </li></ul><ul><li>Ouvido esquerdo : a República segreda-lhe… </li></ul><ul><li>Ouvido direito : um moscardo que simboliza a confiança régia. </li></ul>Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube
    13. 17. 1 de Fevereiro de 1908 Regicídio O Rei D. Carlos e o herdeiro do trono, D. Luís Filipe são assassinados, no Terreiro do Paço, em Lisboa por homens da Carbonária. Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube
    14. 18. Manuel Buíça e Alfredo Costa . Em cima vivos, e em baixo mortos pelos guardas monárquicos, depois de assassinarem o rei e o príncipe herdeiro. Os regicidas… Romagem popular ao cemitério do Alto de S. João
    15. 19. D. Manuel II torna-se rei, com apenas 18 anos.
    16. 21. Os “espaços” da Revolução Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora
    17. 22. Marquês de Pombal, uma rotunda, uma praça, um lugar de memórias. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora Combates na Rotunda Dia 4 5h – Concentração dos revoltosos militares e civis na Rotunda onde erguem barricadas, esperando pelo ataque das forças monárquicas, concentradas no Rossio.
    18. 23. <ul><li>Combates de artilharia na Avenida da Liberdade entre a Rotunda e o </li></ul><ul><li>Rossio. </li></ul>Fonte: http://seculoxx.freewebpages.org/rotunda.jpg http://postaisportugal.canalblog.com/albums/portugal____evenements/m-Jun12515.JPG Dia 4 <ul><li>Os navios de guerra « S. Rafael » e « Adamastor » estão com os revoltosos . </li></ul><ul><li>e bombardeiam o Palácio das Necessidades e o Rossio. </li></ul><ul><li>O rei foge para Mafra e dali para a Ericeira. Depois para Gibraltar e Grã- </li></ul><ul><li>Bretanha . </li></ul><ul><li>As forças monárquicas desistem dos combates. </li></ul>
    19. 25. Praça do Município 5 de Outubro de 1910
    20. 26. Fonte: http://www.fundacaomariosoares.pt/iniciativas/ilustra_iniciativas/2005/000500_01.jpg&imgrefurl= Praça do Município, em Lisboa José Relvas proclama a República no dia 5 de Outubro de 1910, num ambiente de grande entusiasmo.
    21. 27. Auto da Proclamação da República Manuscrito em pergaminho redigido na Câmara Municipal de Lisboa. “ Abolida a Monarquia em Portugal e em todos os seus domínios é proclamada a República Portuguesa ”. Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube
    22. 28. O entusiasmo popular Em 5 de Outubro de 1910, população de Lisboa festeja a implantação da República. Fonte: http://www.fmsoares.pt/iniciativas/ilustra_iniciativas/2005/000500_01.jpg
    23. 30. Algumas bandeiras propostas Uma nova BANDEIRA
    24. 31. Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube Guerra Junqueiro Azul Teófilo Braga verde - rubra Tradição Revolução
    25. 32. Fonte: http://fotos.sapo.pt/6ZD1d2s1bthOLMbmGnZj/ <ul><li>A Bandeira Republicana </li></ul><ul><li>Vermelho - a coragem e o sangue dos portugueses mortos em combate. </li></ul><ul><li>Verde - a esperança </li></ul><ul><li>Esfera armilar - o mundo que os navegadores portugueses descobriram e os povos com quem trocaram ideias e fizeram comércio. </li></ul><ul><li>Sete castelos - as fortalezas que D. Afonso Henriques conquistou aos mouros. </li></ul><ul><li>Cinco quinas - os cinco reis mouros derrotados por D. Afonso Henriques na batalha de Ourique. </li></ul><ul><li>Pontos brancos dentro de cada quina - as cinco chagas de Cristo. </li></ul>
    26. 33. Brasão de armas português (selo da República) As fitas por baixo da bandeira, presas à parte de baixo da esfera, simbolizam as cores da bandeira. Registe-se ainda os louros típicos da República a envolver a esfera armilar. Fonte: http://4.bp.blogspot.com/_NZOMrf8Xa78/SE7jbD9_ZXI/AAAAAAAAFpk/R9cyAMM_ljI/s400/503px-Coat_of_arms_of_Portugal_svg.png Novos BRASÕES
    27. 34. Novo HINO NACIONAL Henrique Lopes de Mendonça Alfredo Keil
    28. 35. O Real , moeda oficial da Monarquia foi substituída pelo Escudo , moeda oficial da República Nova MOEDA
    29. 36. Escudo de 1910
    30. 38. Alegoria da Proclamação da República República Civis e militares insurrectos Brasão Nacional O rei parte da Ericeira para o exílio, Bombardeamento do palácio real Expulsão dos Jesuítas Combates na Rotunda Republicanos históricos Câmara Lisboa
    31. 39. Fonte: http://delrei.files.wordpress.com/2009/07/republica.jpg Alegoria da Proclamação da República A República unindo todos os Portugueses
    32. 40. <ul><li>Alegoria à República </li></ul><ul><li>A República instala a justiça, a estabilidade e o equilíbrio através da balança que tem na mão </li></ul><ul><li>A República invoca a coragem, representada pelo leão. </li></ul><ul><li>A bandeira nacional simboliza o nacionalismo e o amor à pátria. </li></ul><ul><li>Os livros simbolizam a luta pela instrução e pelo saber. </li></ul>Fonte: História de Portugal ,Volume X , Edição Ediclube
    33. 41. Fonte: Internet - http://www.gutenberg.org/files/26777/26777-h/images/pag201.jpg Busto da República Portuguesa O busto feminino da República foi inspirado em Ilda Pulga. Simões de Almeida
    34. 42. Fonte: http://farm4.static.flickr.com/3060/2521906379_41593831b4_o.jpg http://www.centenariorepublica.pt/image-galleries/galeria-multimédia
    35. 43. A República anima o comércio…
    36. 45. Contagem de votos para a Assembleia Constituinte Direito de Voto para a Assembleia Constituinte Só podiam votar cidadãos portugueses com mais de 21 anos, que soubessem ler e escrever ou fossem chefes de família há mais de um ano. Os recenseados esperam a abertura da urnas para votar
    37. 46. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano, Porto Editora A Assembleia Nacional Constituinte Constituição de 1911
    38. 47. Assembleia Nacional Constituinte Deputados 229 do P.R.P. 3 Independentes 2 Socialistas Constituição de 1911 Poder Legislativo Congresso da República ( Senado Câmara dos Deputados ) Poder Executivo Presidente da República Ministros Poder Judicial Supremo Tribunal de Justiça Tribunais
    39. 48. Fonte:http://www.parlamento.pt/Parlamento/PublishingImages/constitucionalismo/Imagens_grandes/constituint1911_s_inaug1.jpg Câmara dos Deputados
    40. 50. Teófilo Braga Presidente do Governo Provisório
    41. 51. Presidentes da I República Portuguesa Manuel de Arriaga, Teófilo Braga, Bernardino Machado, Sidónio Pais, João Canto e Castro, António José de Almeida e Manuel Teixeira Gomes.
    42. 52. Fonte: História de Portugal, Volume X – Edição Ediclube Manuel de Arriaga
    43. 53. Teófilo Braga
    44. 54. Bernardino Machado
    45. 55. Sidónio Pais
    46. 56. João de Canto e Castro
    47. 57. António José de Almeida Foi o único Presidente da República a cumprir integralmente o seu mandato de quatro anos.
    48. 58. Manuel Teixeira Gomes
    49. 61. Fonte: http://www.citi.pt/cultura/historia/personalidades/afonso_costa/images/cos_10.jpg Lei da Separação entre o Estado e a Igreja A República queria uma mentalidade crítica, racionalista, sem influência da religião. Queria acabar com um mundo dominado por reis e padres. Queria formar homens emancipados cultural e politicamente.
    50. 62. Fonte: http://img119.imageshack.us Diabo a coroar Afonso Costa Serpente /Papa, representando a fúria da Igreja Expulsão dos Jesuítas Laicismo e Anticlericalismo Conventos encerrados Abolido ensino cristão na primária Divórcio Nacionalização dos bens da Igreja Registos civis : Nascimento Casamento Óbito Expulsão Ordens religiosas
    51. 63. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora Leis de protecção ao trabalhador 1910 – Foi decretado o direito à greve 1911 - Obrigatoriedade de um dia de descanso semanal 1919 – Decretou-se as 8 horas de trabalho diário e 48 horas de trabalho semanal 1919 – Seguro social obrigatório contra acidentes no trabalho
    52. 64. Percentagem de analfabetos de 1900 a 1930 Percentagem de analfabetos 1900 78,6 1910 76,1 1920 70,5 1930 67,8
    53. 65. Aumenta o número de as escolas primárias e de professores Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora Evolução de número de escolas e de professores primário s Para os republicanos, a educação era muito importante. Ela permitiria criar cidadãos instruídos e educados que pudessem participar na vida política do país .
    54. 66. Professora mostra aos seus alunos a nova bandeira nacional Fonte: http://media.photobucket.com/image/1%2525C2%2525AA%20republica/leoqw/img107-2.jpg
    55. 69. O Presidente da República, Bernardino Machado e o Primeiro-Ministro, Afonso Costa, visitam soldados feridos num hospital de campanha, durante a visita à frente de guerra França, Outubro de 1917
    56. 70. <ul><li>Aliados no desfile da vitória em Paris </li></ul><ul><li>Soldados portugueses aproveitam para momentos de convívio com a população </li></ul><ul><li>Paris, Julho de 1919 </li></ul>
    57. 72. A divisão dos Republicanos durante a República 1910 1912 1919 1923 Partido Republicano Português (P.R.P.) Partido Democrático (P.R.P.) Partido Republicano Evolucionista Partido da União Republicana Partido Republicano Liberal (Evolucionistas e Unionistas) Partido Republicano Nacionalista (P. R. L. e Partido Republicano de Reconstituição Nacional)
    58. 73. “ Os Ridículos ” Crítica às desinteligências e divergências dos dirigentes republicanos no Congresso. Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube
    59. 74. Crítica à substituição de governos na República, causa de uma grande instabilidade política. O Zé Povinho suporta um barrete frígio cheio de candidatos republicanos
    60. 75. Crítica à manipulação das eleições pelo Partido Democrático Através do sufrágio (excluía os analfabetos, em geral rurais), do recenseamento e do seu forte aparelho partidário, conseguia nunca ser derrotado nas eleições. Fonte: http://1.bp.blogspot.com/_fCNAShPkCH0/SdYzqGfcZuI/AAAAAAAABM0/_TGpG_e7l6w/s400/CR_Humor_Elei%C3%A7%C3%B5es.jpg
    61. 76. <ul><li>Gráfico da subida dos preços </li></ul><ul><li>entre 1914 e 1921 </li></ul><ul><li>Eléctricos – 4 vezes </li></ul><ul><li>Pão - 9 vezes </li></ul><ul><li>Carvão - 10 vezes </li></ul><ul><li>Açúcar - 12 vezes </li></ul><ul><li>Petróleo – 13 vezes </li></ul><ul><li>Carne – 15 vezes </li></ul><ul><li>Azeite - 20 vezes </li></ul><ul><li>Batatas – 22 vezes </li></ul>J. H. Saraiva, “ Diário da História de Portugal ”
    62. 77. Sopa dos pobres e pedintes em Lisboa O número de pobres aumentou consideravelmente. Em 1918, cerca de 5000 pessoas procuravam nas “ sopas de caridade ” a única refeição diária. Fonte: História e Geografia e de Portugal 6ºano – Porto Editora
    63. 78. A greve da Carris , em 1912 Imagem emblemática da agitação social no regime republicano.
    64. 79. Zé Povinho e a República assistem, impotente, à destruição do regime, ameaçado pelos próprios republicanos e pelos seus opositores . Fonte: História de Portugal – Volume X – Edição Ediclube A República ameaçada … Republicanos Monárquicos Estrangeiros Capitalistas Jesuítas
    65. 81. Golpe militar de 28 de Maio de 1926 Marechal Gomes da Costa, responsável pelo movimento FIM DA I REPÚBLICA DITADURA MILITAR
    66. 82. O Estado Novo (1933 – 1974) Ditadura Militar (1926 – 1933) O país teria que esperar 48 anos para retomar os ideais da I República. Só em 1974 se voltaria a falar de Liberdade.
    67. 83. Ágata Bravo Beatriz Ventura Catarina Freire Elsa Teixeira Inês Almeida João Manso

    ×