SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
APROVA SAÚDE 
PROF LEONARDO SOUSA 
aprovasaude.com.br www.facebook.com/pages/Aprova-Saúde
Tipos de sujeito 
01) Sujeito Simples 
É aquele que possui apenas um núcleo. O núcleo do sujeito será representado 
por um substantivo, por um pronome substantivo ou por qualquer palavra 
substantivada. Núcleo é a palavra que, dentre todas as que surgem na função 
sintática, realmente exerce a função. 
Exemplo: Os homens destroem a natureza. 
02) Sujeito Composto 
É aquele que possui dois ou mais núcleos. Os núcleos do sujeito composto 
são, quase sempre, ligados pela conjunção e, pela conjunção ou, pela 
preposição com ou pelos conectivos correlatos assim ... como, não só ... 
mas também, tanto ... como, tanto ... quanto, nem ... nem. 
Exemplo: Tanto os cientistas quanto os religiosos estão temerosos.
03) Sujeito Oculto 
Teremos sujeito oculto, em três circunstâncias: 
A) Quando perguntarmos ao verbo quem é o sujeito e obtivermos como 
resposta os pronomes eu, tu, ele, ela, você, nós ou vós, sem surgirem 
escritos na oração. O sujeito oculto também pode ser chamado de sujeito 
elíptico, sujeito desinencial ou sujeito subentendido. 
Exemplo: Estudaremos a matéria toda. 
B) Quando o verbo estiver no Imperativo, ou seja, quando o verbo indicar 
ordem, pedido ou conselho,com exceção de Chega de e Basta de. Esses dois 
verbos participam de orações sem sujeito. 
Exemplo: Estudem, meninos! 
O verbo está no Imperativo, pois indica conselho. Portanto o sujeito é oculto. 
C) Quando não surgir o sujeito escrito na oração, porém estiver claro em 
orações anteriores. 
Exemplo: Os governadores chegaram a Brasília ontem à noite. Terão um 
encontro com o presidente.
04) Sujeito Indeterminado 
Teremos sujeito indeterminado, quando perguntarmos ao verbo quem é o 
sujeito e obtivermos como resposta os pronomes eles, sem surgir escrito na 
oração, nem aparecer claramente quem são eles anteriormente. 
Exemplo: Deixaram um bomba na casa do deputado. 
05) Orações sem sujeito 
Haverá oração sem sujeito, ou seja, o verbo será impessoal nos seguintes 
casos: 
Obs.: Os verbos impessoais ficam, obrigatoriamente, na terceira pessoa do 
singular, com exceção do verbo ser. 
a) Verbos que indiquem fenômeno da natureza: 
Exemplo: Choveu ontem. 
Ventou demasiadamente. 
Quando surgir o fenômeno da natureza escrito na oração ou quando a frase 
possuir sentido figurado, haverá sujeito: 
Exemplo: Choveram pedras sobre Londrina. 
Choveram papeizinhos coloridos sobre os soldados que desfilavam.
b) Ser, estar, parecer, ficar, indicando fenômeno da natureza. 
Exemplo: É primavera, mas parece verão. 
Está frio hoje. 
c) Fazer, indicando fenômeno da natureza ou tempo decorrido. 
Exemplo: Faz dias friíssimos no inverno. 
Faz três dias que aqui cheguei. 
d) Haver, significando existir ou acontecer, ou indicando tempo decorrido. 
Exemplo: Houve muitos problemas naquela noite. 
Haverá várias festas em Curitiba. 
Há dois anos ele esteve aqui em casa. 
e) Passar de, indicando horas. 
Exemplo: Já passa das 15h. 
f) Chegar de e bastar de, no imperativo. 
Exemplo: Chega de matéria.
g) Ser, indicando horas, datas e distância. 
O verbo ser é o único verbo impessoal que não fica obrigatoriamente na 
terceira pessoa do singular. 
Horas: O verbo ser, ao indicar horas, concorda com o numeral a que se refere. 
Exemplo: É uma hora. 
São duas horas. 
Distância: O verbo ser, ao indicar distância, concorda com o numeral a que se 
refere. 
Exemplo: É um quilômetro daqui até lá. 
São dois quilômetros daqui até lá. 
Datas: O verbo ser, ao indicar datas, tanto poderá ficar no singular quanto no 
plural. 
Exemplo: É dois de maio = É dia dois de maio. 
São dois de maio = São dois dias de maio.
Tipos de predicado 
•PREDICADO VERBAL 
O predicado verbal constitui-se de um verbo ou locução verbal que expressa a idéia de 
ação. Este verbo pode ser transitivo ou intransitivo. O núcleo do predicado verbal é o 
verbo (que é chamado de significativo) pois traz em si a idéia de ação. 
Ex. Aquele menino brincava com uma pipa. 
•PREDICADO NOMINAL 
É formado por um verbo de ligação e um predicativo do sujeito. O pred. nominal nos 
informa algo a respeito do sujeito.Indica um estado ou uma qualidade do sujeito. O 
núcleo do pred. nominal é o predicativo do sujeito. 
Ex. A prova era difícil. 
•PREDICADO VERBO-NOMINAL 
É formado por um verbo significativo (ação) mais o predicativo do sujeito. O pred. verbo-nominal 
nos dá 2 informações: ação e estado. O núcleo do PVN é o verbo e o 
predicativo (nome). 
OBS: como aqui o verbo é de ação, logo o PVN não possui verbo de ligação. 
Ex.: A criança brincava distraída.
Complementos Verbais 
Basicamente, são dois os complementos verbais: o objeto direto e o objeto indireto: 
01) Objeto Direto 
Complementa um verbo transitivo direto, sem auxílio da preposição. 
Ex. 
As professoras ajeitaram as crianças carinhosamente. 
O diretor demitiu os funcionários corruptos. 
Leio, em média, quarenta livros por ano. 
02) Pronomes Oblíquos Átonos 
Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto direto são ME, TE, O, A, SE, 
NOS, VOS, OS, AS. 
Ex. 
Encontrei-os ontem à noite. 
Meu irmão quer levar-me à sua cidade. 
As provas, revisei-as há pouco.
03) Objeto Indireto 
Complementa um verbo transitivo indireto, por meio de uma preposição. 
Ex. 
Assisto a todos os filmes de Almodovar. 
Creia em mim, pois sou fiel. 
Obedeça aos regulamentos da empresa. 
04) Pronomes Oblíquos Átonos 
Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto indireto são ME, TE, LHE, 
SE, NOS, VOS, LHES. 
Ex. 
Não lhe paguei a dívida, por falta de dinheiro. 
Eles não me obedecem. 
Falta-me seu carinho.
05) Objetos Pleonásticos 
Haverá objeto pleonástico, quando houver duas palavras funcionando como objeto 
direto, ou como objeto indireto, representando um elemento só. 
Ex. 
Minhas metas, respeito-as sempre. 
Aos amigos, quero dedicar-lhes esta canção. 
Qualquer dos dois pode ser chamado de objeto pleonástico. O importante é saber 
quando ocorre o pleonasmo. 
Aposto e Vocativo 
Aposto 
É o termo que explica, desenvolve, identifica ou resume um outro termo da oração, 
independente da função sintática que este exerça. Há quatro tipos de aposto: 
Aposto Explicativo 
O aposto explicativo identifica ou explica o termo anterior; é separado do termo que 
identifica por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões. 
Ex. 
Terra Vermelha, romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de 
Londrina.
Aposto Especificador 
O aposto especificador Individualiza ou especifica um substantivo de sentido genérico, 
sem pausa. Geralmente é um substantivo próprio que individualiza um substantivo 
comum. 
Ex. 
O professor José mora na rua Santarém, na cidade de Londrina. 
Aposto Enumerador 
O aposto enumerador é uma seqüência de elementos usada para desenvolver uma idéia 
anterior. 
Ex. 
O pai sempre lhe dava três conselhos: nunca empreste dinheiro a ninguém, nunca peça 
dinheiro emprestado a ninguém e nunca fique devendo dinheiro a ninguém. 
Aposto Resumidor 
O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores. É representado, 
geralmente, por um pronome indefinido. 
Ex. 
Alunos, professores, funcionários, ninguém deixou de lhe dar os parabéns.
Vocativo 
O vocativo é um termo independente que serve para chamar por alguém, para interpelar 
ou para invocar um ouvinte real ou imaginário. 
Ex. 
Teté, dê-me um beijo! 
Adjunto Adverbial 
Classificação dos Adjuntos Adverbiais 
01) Adjunto Adverbial de Tempo 
Ex. 
O avião chegará a qualquer momento. 
De vez em quando, vou ao cinema. 
Ninguém confia nos políticos hoje em dia, no Brasil. 
02) Adjunto Adverbial de Lugar 
Ex. 
O policial observava o bandido a distância. 
O documento está em cima da escrivaninha. 
De vez em quando, vou ao cinema.
03) Adjunto Adverbial de Modo 
Ex. 
Os namorados caminhavam lado a lado. 
Caminhei à toa pela cidade. 
O acontecimento espalhou-se boca a boca. 
04) Adjunto Adverbial de Negação 
Ex. 
Não o procurarei mais. 
De modo algum, você usará esse objeto. 
05) Adjunto Adverbial de Intensidade 
Ex. 
Ele bebeu em excesso. 
Ela estava meio nervosa. 
06) Adjunto Adverbial de Meio 
Ex. 
Gosto de viajar de avião. 
Fiz o trabalho a máquina.
07) Adjunto Adverbial de Causa 
Ex. 
Frank Zappa morreu devido a um câncer na próstata. 
O poço secou com o calor. 
08) Adjunto Adverbial de Companhia 
Ex. 
Passeei a tarde toda com Ester. 
Andarei junto de você. 
09) Adjunto Adverbial de Finalidade 
Ex. 
Eles vieram aqui para um estudo aprofundado de Português. 
Convidei meus amigos para um passeio.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios portuguêsJosé M Lourenço
 
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivosAngélica Manenti
 
(Resumo)comunicação e expressão
(Resumo)comunicação e expressão(Resumo)comunicação e expressão
(Resumo)comunicação e expressãoDaniCustodio
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º anoLuis Antonio
 
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simplesfelipe789
 
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
Aula 03   predicação verbal e complementos verbaisAula 03   predicação verbal e complementos verbais
Aula 03 predicação verbal e complementos verbaisJonatas Carlos
 
Concrdância verbal
Concrdância verbalConcrdância verbal
Concrdância verbalJomari
 
22195856 figuras-de-linguagem
22195856 figuras-de-linguagem22195856 figuras-de-linguagem
22195856 figuras-de-linguagemcaio_phb
 
Cefet/Coltec Aula 10 Termos da Oração
Cefet/Coltec Aula 10  Termos da OraçãoCefet/Coltec Aula 10  Termos da Oração
Cefet/Coltec Aula 10 Termos da OraçãoProfFernandaBraga
 
Morfologia. Palavras Variáveis e Invariáveis
Morfologia. Palavras Variáveis e InvariáveisMorfologia. Palavras Variáveis e Invariáveis
Morfologia. Palavras Variáveis e InvariáveisRosalina Simão Nunes
 

Mais procurados (19)

14ª lista de exercícios português
14ª lista de exercícios   português14ª lista de exercícios   português
14ª lista de exercícios português
 
Sintaxe sintaxe
Sintaxe   sintaxeSintaxe   sintaxe
Sintaxe sintaxe
 
Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.Revisão inicial 9º ano.
Revisão inicial 9º ano.
 
Slide de Português sobre Pronomes
Slide de Português sobre Pronomes Slide de Português sobre Pronomes
Slide de Português sobre Pronomes
 
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos
2ª série E. M. - Pronomes: elementos coesivos
 
(Resumo)comunicação e expressão
(Resumo)comunicação e expressão(Resumo)comunicação e expressão
(Resumo)comunicação e expressão
 
Sintaxe do periodo simples
Sintaxe do periodo simplesSintaxe do periodo simples
Sintaxe do periodo simples
 
Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
 
Portugues 2015
Portugues 2015Portugues 2015
Portugues 2015
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples
58119906 slide-sintaxe-da-oracao-periodo-simples
 
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
Aula 03   predicação verbal e complementos verbaisAula 03   predicação verbal e complementos verbais
Aula 03 predicação verbal e complementos verbais
 
Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.Revisão inicial 8º ano.
Revisão inicial 8º ano.
 
Concrdância verbal
Concrdância verbalConcrdância verbal
Concrdância verbal
 
22195856 figuras-de-linguagem
22195856 figuras-de-linguagem22195856 figuras-de-linguagem
22195856 figuras-de-linguagem
 
Concordância
ConcordânciaConcordância
Concordância
 
Cefet/Coltec Aula 10 Termos da Oração
Cefet/Coltec Aula 10  Termos da OraçãoCefet/Coltec Aula 10  Termos da Oração
Cefet/Coltec Aula 10 Termos da Oração
 
Morfologia. Palavras Variáveis e Invariáveis
Morfologia. Palavras Variáveis e InvariáveisMorfologia. Palavras Variáveis e Invariáveis
Morfologia. Palavras Variáveis e Invariáveis
 
Concordancia verbal[1]
Concordancia verbal[1]Concordancia verbal[1]
Concordancia verbal[1]
 

Semelhante a Sintaxe do períododo simples

Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisCarson Souza
 
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdf
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdfverbos_formas verbais_vozes verbais2.pdf
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdfJULIANEDANCZUK
 
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbalCefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbalProfFernandaBraga
 
Aula 18 concordância verbal
Aula 18   concordância verbalAula 18   concordância verbal
Aula 18 concordância verbalProfFernandaBraga
 
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância VerbalCefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância VerbalProfFernandaBraga
 
Concrdância Verbal
Concrdância VerbalConcrdância Verbal
Concrdância VerbalJomari
 
Português-Pronome
Português-PronomePortuguês-Pronome
Português-PronomeJaicinha
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaLucilene Barcelos
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)Marcos Emídio
 

Semelhante a Sintaxe do períododo simples (20)

Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos VerbaisGramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
Gramática - Predicação Verbal e Complementos Verbais
 
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdf
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdfverbos_formas verbais_vozes verbais2.pdf
verbos_formas verbais_vozes verbais2.pdf
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Tipos de Sujeito
Tipos de SujeitoTipos de Sujeito
Tipos de Sujeito
 
Aula 3 lp em
Aula 3   lp emAula 3   lp em
Aula 3 lp em
 
Período simples.pptx
Período simples.pptxPeríodo simples.pptx
Período simples.pptx
 
PORTUGUES
PORTUGUESPORTUGUES
PORTUGUES
 
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbalCefet/Coltec Aula 18 -  concordância verbal
Cefet/Coltec Aula 18 - concordância verbal
 
Aula 18 concordância verbal
Aula 18   concordância verbalAula 18   concordância verbal
Aula 18 concordância verbal
 
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância VerbalCefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
Cefet/Coltec Intensivo Aula 15 - Concordância Verbal
 
4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico4 apostila analise sintatico
4 apostila analise sintatico
 
Concrdância Verbal
Concrdância VerbalConcrdância Verbal
Concrdância Verbal
 
Predicado
PredicadoPredicado
Predicado
 
Português-Pronome
Português-PronomePortuguês-Pronome
Português-Pronome
 
Concordância verbal
Concordância verbalConcordância verbal
Concordância verbal
 
7.4 pronomes
7.4   pronomes7.4   pronomes
7.4 pronomes
 
7 161029234052
7 1610292340527 161029234052
7 161029234052
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Sujeito
SujeitoSujeito
Sujeito
 
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
8ª Série - ConcordâNcia Verbal (Material Complementar)
 

Mais de Aprova Saúde

Humaniza sus prof. Carlos
Humaniza sus   prof. CarlosHumaniza sus   prof. Carlos
Humaniza sus prof. CarlosAprova Saúde
 
Lei 8142 e controle social
Lei 8142 e controle socialLei 8142 e controle social
Lei 8142 e controle socialAprova Saúde
 
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4Aprova Saúde
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasAprova Saúde
 
Compreensão Textual
Compreensão TextualCompreensão Textual
Compreensão TextualAprova Saúde
 
Tutorial para acessar o curso aprova saúde
Tutorial para acessar o curso aprova saúdeTutorial para acessar o curso aprova saúde
Tutorial para acessar o curso aprova saúdeAprova Saúde
 

Mais de Aprova Saúde (8)

Humaniza sus prof. Carlos
Humaniza sus   prof. CarlosHumaniza sus   prof. Carlos
Humaniza sus prof. Carlos
 
Aula de dst
Aula de dst Aula de dst
Aula de dst
 
Lei 8142 e controle social
Lei 8142 e controle socialLei 8142 e controle social
Lei 8142 e controle social
 
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4
Teorias de enfermagem e sae atualizado - aula 4
 
Estrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavrasEstrutura e formação de palavras
Estrutura e formação de palavras
 
Compreensão Textual
Compreensão TextualCompreensão Textual
Compreensão Textual
 
Aula de sus 01
Aula de sus 01Aula de sus 01
Aula de sus 01
 
Tutorial para acessar o curso aprova saúde
Tutorial para acessar o curso aprova saúdeTutorial para acessar o curso aprova saúde
Tutorial para acessar o curso aprova saúde
 

Sintaxe do períododo simples

  • 1. APROVA SAÚDE PROF LEONARDO SOUSA aprovasaude.com.br www.facebook.com/pages/Aprova-Saúde
  • 2. Tipos de sujeito 01) Sujeito Simples É aquele que possui apenas um núcleo. O núcleo do sujeito será representado por um substantivo, por um pronome substantivo ou por qualquer palavra substantivada. Núcleo é a palavra que, dentre todas as que surgem na função sintática, realmente exerce a função. Exemplo: Os homens destroem a natureza. 02) Sujeito Composto É aquele que possui dois ou mais núcleos. Os núcleos do sujeito composto são, quase sempre, ligados pela conjunção e, pela conjunção ou, pela preposição com ou pelos conectivos correlatos assim ... como, não só ... mas também, tanto ... como, tanto ... quanto, nem ... nem. Exemplo: Tanto os cientistas quanto os religiosos estão temerosos.
  • 3. 03) Sujeito Oculto Teremos sujeito oculto, em três circunstâncias: A) Quando perguntarmos ao verbo quem é o sujeito e obtivermos como resposta os pronomes eu, tu, ele, ela, você, nós ou vós, sem surgirem escritos na oração. O sujeito oculto também pode ser chamado de sujeito elíptico, sujeito desinencial ou sujeito subentendido. Exemplo: Estudaremos a matéria toda. B) Quando o verbo estiver no Imperativo, ou seja, quando o verbo indicar ordem, pedido ou conselho,com exceção de Chega de e Basta de. Esses dois verbos participam de orações sem sujeito. Exemplo: Estudem, meninos! O verbo está no Imperativo, pois indica conselho. Portanto o sujeito é oculto. C) Quando não surgir o sujeito escrito na oração, porém estiver claro em orações anteriores. Exemplo: Os governadores chegaram a Brasília ontem à noite. Terão um encontro com o presidente.
  • 4. 04) Sujeito Indeterminado Teremos sujeito indeterminado, quando perguntarmos ao verbo quem é o sujeito e obtivermos como resposta os pronomes eles, sem surgir escrito na oração, nem aparecer claramente quem são eles anteriormente. Exemplo: Deixaram um bomba na casa do deputado. 05) Orações sem sujeito Haverá oração sem sujeito, ou seja, o verbo será impessoal nos seguintes casos: Obs.: Os verbos impessoais ficam, obrigatoriamente, na terceira pessoa do singular, com exceção do verbo ser. a) Verbos que indiquem fenômeno da natureza: Exemplo: Choveu ontem. Ventou demasiadamente. Quando surgir o fenômeno da natureza escrito na oração ou quando a frase possuir sentido figurado, haverá sujeito: Exemplo: Choveram pedras sobre Londrina. Choveram papeizinhos coloridos sobre os soldados que desfilavam.
  • 5. b) Ser, estar, parecer, ficar, indicando fenômeno da natureza. Exemplo: É primavera, mas parece verão. Está frio hoje. c) Fazer, indicando fenômeno da natureza ou tempo decorrido. Exemplo: Faz dias friíssimos no inverno. Faz três dias que aqui cheguei. d) Haver, significando existir ou acontecer, ou indicando tempo decorrido. Exemplo: Houve muitos problemas naquela noite. Haverá várias festas em Curitiba. Há dois anos ele esteve aqui em casa. e) Passar de, indicando horas. Exemplo: Já passa das 15h. f) Chegar de e bastar de, no imperativo. Exemplo: Chega de matéria.
  • 6. g) Ser, indicando horas, datas e distância. O verbo ser é o único verbo impessoal que não fica obrigatoriamente na terceira pessoa do singular. Horas: O verbo ser, ao indicar horas, concorda com o numeral a que se refere. Exemplo: É uma hora. São duas horas. Distância: O verbo ser, ao indicar distância, concorda com o numeral a que se refere. Exemplo: É um quilômetro daqui até lá. São dois quilômetros daqui até lá. Datas: O verbo ser, ao indicar datas, tanto poderá ficar no singular quanto no plural. Exemplo: É dois de maio = É dia dois de maio. São dois de maio = São dois dias de maio.
  • 7. Tipos de predicado •PREDICADO VERBAL O predicado verbal constitui-se de um verbo ou locução verbal que expressa a idéia de ação. Este verbo pode ser transitivo ou intransitivo. O núcleo do predicado verbal é o verbo (que é chamado de significativo) pois traz em si a idéia de ação. Ex. Aquele menino brincava com uma pipa. •PREDICADO NOMINAL É formado por um verbo de ligação e um predicativo do sujeito. O pred. nominal nos informa algo a respeito do sujeito.Indica um estado ou uma qualidade do sujeito. O núcleo do pred. nominal é o predicativo do sujeito. Ex. A prova era difícil. •PREDICADO VERBO-NOMINAL É formado por um verbo significativo (ação) mais o predicativo do sujeito. O pred. verbo-nominal nos dá 2 informações: ação e estado. O núcleo do PVN é o verbo e o predicativo (nome). OBS: como aqui o verbo é de ação, logo o PVN não possui verbo de ligação. Ex.: A criança brincava distraída.
  • 8. Complementos Verbais Basicamente, são dois os complementos verbais: o objeto direto e o objeto indireto: 01) Objeto Direto Complementa um verbo transitivo direto, sem auxílio da preposição. Ex. As professoras ajeitaram as crianças carinhosamente. O diretor demitiu os funcionários corruptos. Leio, em média, quarenta livros por ano. 02) Pronomes Oblíquos Átonos Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto direto são ME, TE, O, A, SE, NOS, VOS, OS, AS. Ex. Encontrei-os ontem à noite. Meu irmão quer levar-me à sua cidade. As provas, revisei-as há pouco.
  • 9. 03) Objeto Indireto Complementa um verbo transitivo indireto, por meio de uma preposição. Ex. Assisto a todos os filmes de Almodovar. Creia em mim, pois sou fiel. Obedeça aos regulamentos da empresa. 04) Pronomes Oblíquos Átonos Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto indireto são ME, TE, LHE, SE, NOS, VOS, LHES. Ex. Não lhe paguei a dívida, por falta de dinheiro. Eles não me obedecem. Falta-me seu carinho.
  • 10. 05) Objetos Pleonásticos Haverá objeto pleonástico, quando houver duas palavras funcionando como objeto direto, ou como objeto indireto, representando um elemento só. Ex. Minhas metas, respeito-as sempre. Aos amigos, quero dedicar-lhes esta canção. Qualquer dos dois pode ser chamado de objeto pleonástico. O importante é saber quando ocorre o pleonasmo. Aposto e Vocativo Aposto É o termo que explica, desenvolve, identifica ou resume um outro termo da oração, independente da função sintática que este exerça. Há quatro tipos de aposto: Aposto Explicativo O aposto explicativo identifica ou explica o termo anterior; é separado do termo que identifica por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões. Ex. Terra Vermelha, romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de Londrina.
  • 11. Aposto Especificador O aposto especificador Individualiza ou especifica um substantivo de sentido genérico, sem pausa. Geralmente é um substantivo próprio que individualiza um substantivo comum. Ex. O professor José mora na rua Santarém, na cidade de Londrina. Aposto Enumerador O aposto enumerador é uma seqüência de elementos usada para desenvolver uma idéia anterior. Ex. O pai sempre lhe dava três conselhos: nunca empreste dinheiro a ninguém, nunca peça dinheiro emprestado a ninguém e nunca fique devendo dinheiro a ninguém. Aposto Resumidor O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores. É representado, geralmente, por um pronome indefinido. Ex. Alunos, professores, funcionários, ninguém deixou de lhe dar os parabéns.
  • 12. Vocativo O vocativo é um termo independente que serve para chamar por alguém, para interpelar ou para invocar um ouvinte real ou imaginário. Ex. Teté, dê-me um beijo! Adjunto Adverbial Classificação dos Adjuntos Adverbiais 01) Adjunto Adverbial de Tempo Ex. O avião chegará a qualquer momento. De vez em quando, vou ao cinema. Ninguém confia nos políticos hoje em dia, no Brasil. 02) Adjunto Adverbial de Lugar Ex. O policial observava o bandido a distância. O documento está em cima da escrivaninha. De vez em quando, vou ao cinema.
  • 13. 03) Adjunto Adverbial de Modo Ex. Os namorados caminhavam lado a lado. Caminhei à toa pela cidade. O acontecimento espalhou-se boca a boca. 04) Adjunto Adverbial de Negação Ex. Não o procurarei mais. De modo algum, você usará esse objeto. 05) Adjunto Adverbial de Intensidade Ex. Ele bebeu em excesso. Ela estava meio nervosa. 06) Adjunto Adverbial de Meio Ex. Gosto de viajar de avião. Fiz o trabalho a máquina.
  • 14. 07) Adjunto Adverbial de Causa Ex. Frank Zappa morreu devido a um câncer na próstata. O poço secou com o calor. 08) Adjunto Adverbial de Companhia Ex. Passeei a tarde toda com Ester. Andarei junto de você. 09) Adjunto Adverbial de Finalidade Ex. Eles vieram aqui para um estudo aprofundado de Português. Convidei meus amigos para um passeio.

Notas do Editor

  1. www.facebook.com/pages/Aprova-Saúde