A importância da auditoria ambiental

538 visualizações

Publicada em

Apresentam-se considerações a respeito da questão meio ambiente - ambiente natural, e as ações necessárias à sua preservação.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
538
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A importância da auditoria ambiental

  1. 1. 24/7/2011 A importância da Antonio Fernando Navarro Um sistema de gerenciamento ambiental requer um sistema de documentação para coletar, analisar, registrar e recuperar informações. Informação é ferramenta para tomada de decisão. A qualidade da decisão depende da qualidade da informação. Decisões são geralmente relacionadas à solução de problemas. Para solucionar um problema, nós necessitamos de informações para decidir. 1
  2. 2. 24/7/2011 O meio ambiente é um item importante do planejamento estratégico de qualquer organização. Há crescente conscientização da necessidade de proteger o meio ambiente. Consumidores e distribuidores estão tomando decisões baseadas em aspectos ambientais. Gerentes de empresas tem a responsabilidade de demonstrar a capacidade da companhia de atender leis ambientais. Para prover confiança deve-se ter sistemas de auditoria, onde auditores independentes ( internos e externos ) são empregados. Auditar é comparar práticas correntes com procedimentos e normas aprovadas. Para se ter um bom sistema de auditoria é necessária documentação adequada. Há grande similaridade entre auditoria ambiental e auditoria da qualidade (planejamento, seleção de auditores, relatórios, ação corretiva, etc.). 2
  3. 3. 24/7/2011 Informação é ferramenta para tomadas de decisão. A qualidade da decisão depende da qualidade da informação. A qualidade da informação depende da relevância, da precisão e da velocidade da informação. Ela se torna volátil se não for registrada, indexada e atualizada. Executivos que tomam decisões recebem uma quantidade exagerada de dados, mas nem sempre recebem a informação que eles precisam, apresentadas de forma clara e adequada para uso em decisões. Definições Acadêmicas Segundo Webster’s,1976. Segundo Poutrel & Wasserman,1977. 3
  4. 4. 24/7/2011 Webster’s “As condições, influências ou força que envolvem e influenciam ou modificam o contexto de fatores climáticos, edáticos bióticos que atuam sobre um organismo vivo de uma comunidade ecológica e acaba por determinar sua forma e sua sobrevivência; a agregação das condições sociais e culturais (costumes, leis, idioma, religião e organizações política e econômica) que influenciam a vida de um indivíduo ou de uma comunidade”. Poutrel & Wasserman Define meio ambiente como “o conjunto, em um dado momento, dos agentes físicos, químicos, biológicos e dos fatores sociais susceptíveis de terem um efeito direto ou indireto, imediato ou a termo, sobre os seres vivos e as atividades humanas.” 4
  5. 5. 24/7/2011 Definições Legais Lei 6.938, de 31/08/81 - Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil. ISO 14001 Lei 6.938 “Meio ambiente é o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica que permite, abrigar e rege a vida em todas as suas formas.” 5
  6. 6. 24/7/2011 Constituição da República Federativa do Brasil “Todos tem direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público o dever de defendê-lo e à coletividade o de preservá-lo para presentes e futuras gerações” CF Art. 228. ISO 14001 Definido como os arredores no qual uma organização opera, incluindo “ar, água, terra, recursos naturais, flora, fauna, seres humanos e suas interrelações.” 6
  7. 7. 24/7/2011 PREOCUPAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE - 1970 = Iniciou a preocupação com o meio ambiente. - 1987 = Ato Único * Tutela do Meio Ambiente * Proteção da saúde humana * Utilização atenta e racional das reservas naturais. - 1992 = Tratado de Maastricht, formalizou a U. E que integrou o meio ambiente na definição e atuação das políticas econômicas e sociais imposto aos governos. - Setores de maior preocupação: Transporte e Energia - SINIMA = Tem objetivo de sistematizar e apoiar à tomada de decisão na área de Meio Ambiente, para rápida recuperação. Avaliação dos impactos ambientais A exploração dos recursos naturais causa danos ambientais. A avaliação requer do analista conhecimento científico, visão abrangente, objetividade e bom senso. Toda avaliação, em virtude da limitação dos modelos existentes, é uma aproximação pobre da realidade. 7
  8. 8. 24/7/2011 A maior parte da destruição do ambiente natural do globo tem como causa primordial as atividades humanas. Por isso, deve-se fazer uma abordagem sistêmica tanto dos eventos causados pelo desenvolvimento normal das atividades, como daqueles decorrentes de eventos acidentais, para uma adequada avaliação dos impactos. Como estes dois tipos de impactos têm características totalmente diversas, as técnicas, as metodologias e os modelos também são diversos. A partir das noções de eventos normais e acidentais, são desenvolvidos modelos econômicos na literatura internacional. A crença na perfeição do desígnio divino precedeu e sustentou o conceito de cadeia ecológica, o qual teve, inicialmente, forte conotação conservacionista. No século XVIII, a maior parte dos cientistas e teólogos defendia que todas as espécies da criação tinham um papel necessário a desempenhar na economia da natureza (Thomas, 1989). 8
  9. 9. 24/7/2011 O pobre planeta Terra Uma população mundial de mais de seis bilhões de pessoas, em contínuo crescimento, consiste, por sí só, num fator de preocupação. Se considerarmos que cada um dos seis bilhões anseia por melhor qualidade de vida, aquele crescimento potencializa algum tipo de colapso nos sistemas de manutenção da vida que nos fornecem ar, água e solo para sobreviver (Silva, PPL et al, 2002). Avaliação dos Riscos Ambientais refere-se à avaliação das conseqüências dos eventos inesperados, não planejados e indesejáveis, ou seja, os acidentes. É nestes momentos que a população toma consciência dos riscos ambientais impostos pela tecnologia moderna. Esta avaliação pode ser feita através de diferentes Análises de Riscos: Ambiental (danos ao ambiente), Ecológico (danos aos ecossistemas ou às espécies), Humano (riscos à saúde pública ou toxicologia), Tecnológico (danos humanos causados por atividades industriais). 9
  10. 10. 24/7/2011 Problemática ambiental Diante da problemática ambiental vivenciada pelas sociedades pós-industriais modernas, surge a politização das questões incorporadas a partir dos conceitos e representações da ecologia. Dessa forma, o “ecologismo”, visto como movimento político, surgiu, como sugerem Lago & Pádua, da “percepção que a atual crise ecológica não se deve a ‘defeitos setoriais e ocasionais no sistema dominante mas conseqüência direta de um modelo de civilização insustentável do ponto de vista ecológico e socialmente injusto (Lago & Pádua, 1985). O colapso da Terra Quando um estudo patrocinado pelo Clube de Roma (1972) – Relatório Meadows, afirmou que o mundo poderia entrar em colapso por volta de 2020, dadas determinadas premissas, houve uma avalancha de críticas, a grande maioria qualificando aquelas previsões de fantasiosas e alarmistas. Hoje, passados 28 anos depois, a maioria dos pesquisadores concorda que o problema da poluição e degradação ambientais foi subestimado (Cunha & Guerra, 2002). 10
  11. 11. 24/7/2011 Biodiversidade Nunca a biodiversidade foi tão ameaçada como no presente. Cem por cento das planícies selvagens dos Estados Unidos estão hoje perdidas. Noventa por cento também encontram-se perdidas na Nova Zelândia. Oitenta por cento das savanas encontram-se perdidas no Burundi e em Madagascar. Houve um recuo de mais de 50% das zonas úmidas na Alemanha, em sua parte oeste e nos Países Baixos entre 1959 e 1980 (Cunha & Guerra, 2002). Biodiversidade A biodiversidade tem se revelado um elemento estratégico. Além das perdas na vida selvagem há perdas consideráveis entre as variedades vegetais. Das mais de 10.000 subespécies vegetais conhecidas e cultivadas na história hoje plantamse menos do que uma centena. Nos Estados Unidos, 96% das variedades classificadas no início do século não são atualmente encontradas nos supermercados. (Cunha & Guerra, 2002). 11

×