SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
1
Ela crescera, tendo o espírito alimentado pelas profecias de Israel.
Desde a meninice, quando acompanhava a mãe à fonte, para apanhar o líquido precioso, ouvia os
comentários. Entre as mulheres, sempre que se falava a respeito, perguntavam-se umas às outras, qual seria o
momento e quem seria a felizarda, a mãe do aguardado Messias.
Nas noites povoadas de sonhos, era visitada por mensageiros que lhe falavam de quefazeres que ela
guardava na intimidade d'alma.
Então, naquela madrugada, quase manhã do princípio da primavera, em Nazaré, uma voz a chamou:
"Miriam". Seu nome egípcio-hebraico, significa "querida de Deus".
Ela despertou. "Que estranha claridade era aquela em seu quarto? Não provinha da porta. Não era o Sol,
ainda envolto, àquela hora, no manto da noite quieta. De quem era aquela silhueta? Que homem era aquele que
ousava adentrar seu quarto?"
"Sou Gabriel", identifica-se, "um dos mensageiros de Yaveh. Venho confirmar-te o que teu coração aguarda,
de há muito. Teu seio abrigará a glória de Israel. Conceberás e darás à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus.
Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo e o seu reino não terá fim."
Maria escuta. As palavras lhe chegam, repassadas de ternura e pela sua mente, transitam os dizeres
proféticos.
Sente-se tão pequena para tão grande mister. Ser a mãe do Senhor. Ela balbucia: "Eis aqui a escrava do
Senhor. Cumpra-se em mim segundo a tua palavra."
2
O mensageiro se vai e ela aguarda. Lucas lhe registraria, anos mais tarde, o cântico de glória, denominado
Magnificat:
“A minha alma glorifica o Senhor!
E o meu espírito exulta[de alegria]
Em Deus, meu Salvador!
Porque, volvendo o olhar à baixeza da terra,
Para a minha baixeza e humildade atentou.
E eis, pois, que, desde agora, e por todos os tempos,
Todas as gerações me chamarão
Bem-aventurada!
Porque me fez grandes coisas o Poderoso
E santo é o seu nome!
E a sua misericórdia [se estende]
De geração em geração,
Sobre os que o temem.
Com seu braço valoroso
Destruiu os soberbos
No pensamento de seus corações.
Depôs dos tronos os poderosos
E elevou os humildes.
Encheu de bens os famintos
E despediu vazios os ricos.
Cumpriu a palavra que deu a Abraão,
Recordando-se da promessa.
Da sua misericórdia!”
(Lucas, I, 46 a 55).
3
Ela gerou um corpo para o ser mais perfeito que a Terra já recebeu. Seus seios se ofereceram úberes para
alimentar-lHe os meses primeiros. Banhou-O, agasalhou-O, segurou-O fortemente contra o peito mais de uma
vez. E mais de uma vez, deverá ter pensado:
"Filho meu, ouve meu coração batendo junto ao teu. Dia chegará em que não te poderei furtar à sanha dos
homens. Por ora, amado meu, deixa-me guardar-te e proteger-te."
Ela lhe acompanhou o crescimento. Viu-O iniciar o seu período de aprendizado com o pai, que lhe ensinou
os versículos iniciais da Torá, conforme as prescrições judaicas, embora guardasse a certeza de que o menino já
sabia de tudo aquilo.
Na sinagoga, O viu destacar-se entre os outros meninos, e assombrar os Doutores. O seu Jesus, seu filho,
seu Senhor. Angustiou-se mais de uma vez, enquanto O contemplava a dormir. Que seria feito Dele?
No célebre episódio em Jerusalém, seu coração se inquietara a cogitar se não seria aquele o momento do
início das grandes dores.
A viuvez lhe chegou e ela viu o primogênito assumir os negócios da carpintaria. Suas mãos, considerava,
tinham habilidade especial e a madeira se lhe submetia de uma forma toda particular.
Aquele era um filho diferente. Um olhar bastava para que se entendessem. Tão diferente dos demais, que
não tinham para com ela a mesma ternura...
4
Chegou o dia em que Ele se foi e ela começou a ter Dele as notícias. A escolha dos primeiros discípulos, o
batismo pelo primo João, no Jordão.
Mantinha contato constante, providenciando quem lhe fizesse chegar a túnica tecida no lar, sem nenhum
costura, sempre alva. Em cada fio, um pouco do seu amor e da sua saudade.
Quando Ele a veio visitar e a acompanhou a Caná, às bodas da sua parenta, ela sabia que Ele a obedeceria,
providenciando o líquido para que os convivas se pudessem deliciar, saindo da embriaguez em que haviam
mergulhado.
Acompanhou-lHe a trajetória de glórias humanas, e as injustas alusões ao Seu messianato, aos Seus dizeres.
Em Nazaré, quando quase O mataram, tomou-se de temores. Contudo, ela sabia que Ele viera para atender
os negócios do Pai. Por vezes, visitava a carpintaria, e parecia vê-lo, ainda uma vez, nos quadros da saudade.
Tanto quanto pôde, acompanhou o seu Jesus e recebeu-lhe o carinho. Ele era tão grande, e, entretanto,
atendia-lhe o coração materno, os pedidos. Quantas vezes ela intercedera por um ou outro?
Porém, era necessário ser forte. Seu filho lecionara as lições mais belas que jamais os ouvidos humanos
haviam escutado. Ele cantara as belezas do Reino dos Céus, no alaúde do lago de Genesaré, e prometera as bem-
aventuranças aos que abraçassem os inovadores ensinos.
Ao pé da cruz, junto ao Apóstolo João, ouviu a expressão do carinho filial se externar, outra vez: "Mulher, eis
aí teu filho". E a confia ao jovem apóstolo.
Pietà - Michelangelo
5
Uma Pietà (italiano para Piedade) é um tema da
arte cristã em que é representada a Virgem Maria
com o corpo morto de Jesus nos braços, após a
crucificação.
A mais famosa pietà é, seguramente, a Pietà do
Vaticano, esculpida em mármore por Michelangelo
em 1499. Atualmente esta obra está localizada no
interior da Basílica de São Pedro, em Roma.
Ela estaria presente, quando das Suas aparições, após a morte. Vê-lO-ia mais de uma vez. E compreenderia:
aquele corpo era diferente. Não era o que fora gerado em seu ventre. Embora se deixasse tocar, para dar-se a
conhecer, era de substância muito diversa aquele corpo. Ela o sabia.
Viu-O desaparecer perante os olhos assombrados dos quinhentos discípulos, na Galiléia, na Sua despedida.
E, amparada por João, seguiu a Éfeso, mais tarde. Ali, numa casinha de onde podia ouvir o mar, balbuciando
cantigas, viveu o Amor que Ele ensinara. Tornou-se a mãe dos desvalidos e logo sua casa se enchia de estranhos
viandantes, necessitados e enfermos que desejavam receber os cuidados de suas mãos e ouvir as delícias das
recordações daquele que era o Caminho, a Verdade e a Vida.
Numa tarde serena, ela atendeu um homem. Serviu-lhe o alimento e seu coração extravasou saudade.
Quanta a tinha do filho amado.
Então, o viajor se deu a conhecer:
"...minha mãe, sou eu!... Venho buscar-te, pois meu Pai quer que sejas no meu reino a Rainha dos Anjos." 2
João, chamado às pressas, ainda lhe pôde assistir o derradeiro suspiro e o espírito liberto adentrou a
Espiritualidade.
Ainda e sempre amorosa, seu primeiro pensamento foi visitar os cristãos que estavam em Roma, sofrendo
o martírio e os foi animar a cantar, enquanto conduzidos ao suplício, na arena circense.
Mais tarde, notícias nos chegariam de que a suave mãe de Jesus, Maria, foi por Ele incumbida de assistir os
foragidos da vida, os infelizes suicidas; detalhes do Hospital Maria de Nazaré nas zonas espirituais; do seu desvelo
maternal para com tais criaturas.
Maria, espírito excelso, exemplo de mulher, esposa, mãe.
Bibliografia:
1.PEREIRA, Yvonne A. No hospital "Maria de Nazaré". In: Memórias de
um suicida. 5. ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 1975. pt. I, cap. III.
2.XAVIER, Francisco Cândido. Maria. In: Boa nova. Pelo espírito Irmão X.
8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1963. cap. 30.
Matéria publicada no Jornal Mundo Espírita.
6
“O papel da mulher é imenso na vida dos povos. Irmã, esposa ou mãe, é a grande consoladora
e a carinhosa conselheira. Pelo filho é seu o porvir e prepara o homem futuro. Por isso, as
sociedades que a deprimem, deprimem-se a si mesmas. A mulher respeitada, honrada, de
entendimento esclarecido é que faz a família forte e a sociedade grande, moral, unida!
León Denis (O Problema do Ser, do Destino e da Dor).
(XAVIER,FranciscoCândido.ParanasodeAlém-Túmulo.AmaralOrnellas,.Pag.31).
7
Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!
Cheia de graça e bondade,
É por vós que conhecemos
A eterna revelação
Da vida em seus dons supremos.
O Senhor sempre é convosco,
Mensageira da ternura,
Providência dos que choram
Nas sombras da desventura.
Bendita sois vós, Rainha!
Estrela da Humanidade,
Rosa mística da fé,
Lírio puro da humildade!
Entre as mulheres sois vós
A Mãe das mães desvalidas,
Nossa porta de esperança,
E Anjo de nossas vidas!
Bendito o fruto imortal
Da vossa missão de luz,
Desde a paz da Manjedoura,
As dores, além da Cruz.
Assim seja para sempre,
Oh! Divina Soberana,
Refúgio dos que padecem
Nas dores da luta humana.
Ave Maria! Senhora
Do Amor que ampara e redime,
Ai do mundo se não fora
A vossa missão sublime!
8

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispiritoduadv
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioGraça Maciel
 
Parabola do festim das bodas
Parabola do festim das bodasParabola do festim das bodas
Parabola do festim das bodasHenrique Vieira
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)Jorge Luiz dos Santos
 
Missão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espíritaMissão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espíritaLarissa Martins
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espíritaJerri Almeida
 
As leis moraes rodolfo calligaris - pdf
As leis moraes   rodolfo calligaris - pdfAs leis moraes   rodolfo calligaris - pdf
As leis moraes rodolfo calligaris - pdfHelio Cruz
 
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 histórias
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 históriasMulher adúltera - 3 momentos, 6 histórias
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 históriasPonte de Luz ASEC
 
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCA
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCAEAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCA
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCALuiz Henrique Faleiros
 
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722Daniel de Melo
 

Mais procurados (20)

Bezerra de-menezes
Bezerra de-menezesBezerra de-menezes
Bezerra de-menezes
 
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIAUM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
UM DESAFIO CHAMADO FAMIÍLIA
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
O homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafioO homem de bem, grande desafio
O homem de bem, grande desafio
 
Parabola do festim das bodas
Parabola do festim das bodasParabola do festim das bodas
Parabola do festim das bodas
 
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
DOLOROSO REMÉDIO (O MAL E O REMÉDIO)
 
Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador Jesus Cristo Consolador
Jesus Cristo Consolador
 
CARNAVAL NA VISÃO ESPÍRITA
CARNAVAL NA VISÃO ESPÍRITACARNAVAL NA VISÃO ESPÍRITA
CARNAVAL NA VISÃO ESPÍRITA
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
Missão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espíritaMissão de Jesus - Evangelização espírita
Missão de Jesus - Evangelização espírita
 
Joana de Cusa
Joana de CusaJoana de Cusa
Joana de Cusa
 
A família na visão espírita
A família na visão espíritaA família na visão espírita
A família na visão espírita
 
As leis moraes rodolfo calligaris - pdf
As leis moraes   rodolfo calligaris - pdfAs leis moraes   rodolfo calligaris - pdf
As leis moraes rodolfo calligaris - pdf
 
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 histórias
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 históriasMulher adúltera - 3 momentos, 6 histórias
Mulher adúltera - 3 momentos, 6 histórias
 
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCA
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCAEAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCA
EAE - AULA 18 - AS SEITAS NACIONAIS E OS COSTUMES DA ÉPOCA
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
09 vida de maria de nazaré
09 vida de maria de nazaré09 vida de maria de nazaré
09 vida de maria de nazaré
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
Casamento & Divórcio na Visão Espírita
Casamento & Divórcio na Visão EspíritaCasamento & Divórcio na Visão Espírita
Casamento & Divórcio na Visão Espírita
 
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722
AULA 17 CBE DM - A VIDA MORAL COM BASE NO EVANGELHO DE JESUS - 20180722
 

Destaque

MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"
MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"
MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"Rodrigo Leite
 
Maria - A história de uma jovem como você.
Maria - A história de uma jovem como você.Maria - A história de uma jovem como você.
Maria - A história de uma jovem como você.Francisco A Salerno Neto
 
Ano Mariano Apresentação
Ano Mariano ApresentaçãoAno Mariano Apresentação
Ano Mariano Apresentaçãoumbrasil
 
Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)Afonso Murad (FAJE)
 
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeMaria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeAfonso Murad (FAJE)
 
Dogmas marianos- documento
Dogmas marianos- documentoDogmas marianos- documento
Dogmas marianos- documentoCamila Pascoal
 
Nsps 3 espiritualidade mariana cssr
Nsps 3 espiritualidade mariana cssrNsps 3 espiritualidade mariana cssr
Nsps 3 espiritualidade mariana cssrPe. José Grzywacz
 
O jovem cristão e a globalização
O jovem cristão e a globalizaçãoO jovem cristão e a globalização
O jovem cristão e a globalizaçãoTeo Silva
 
Maria, discípula e missionária
Maria, discípula e missionáriaMaria, discípula e missionária
Maria, discípula e missionáriaribamar123
 
Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1Patricio Darvisson
 
Maria na devoção e na liturgia
Maria na devoção e na liturgiaMaria na devoção e na liturgia
Maria na devoção e na liturgiaAfonso Murad (FAJE)
 
Maria no evangelho de lucas (2012)
Maria no evangelho de lucas (2012)Maria no evangelho de lucas (2012)
Maria no evangelho de lucas (2012)Afonso Murad (FAJE)
 

Destaque (20)

Virgem Maria Slide
Virgem Maria SlideVirgem Maria Slide
Virgem Maria Slide
 
MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"
MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"
MARIA - MÃE DE JESUS - "MÃE DAS MÃES"
 
Estudo sobre Maria
Estudo sobre MariaEstudo sobre Maria
Estudo sobre Maria
 
Maria - A história de uma jovem como você.
Maria - A história de uma jovem como você.Maria - A história de uma jovem como você.
Maria - A história de uma jovem como você.
 
Ano Mariano Apresentação
Ano Mariano ApresentaçãoAno Mariano Apresentação
Ano Mariano Apresentação
 
Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)
 
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindadeMaria nos dogmas: Maternidade e virgindade
Maria nos dogmas: Maternidade e virgindade
 
Dogmas marianos- documento
Dogmas marianos- documentoDogmas marianos- documento
Dogmas marianos- documento
 
Nsps 3 espiritualidade mariana cssr
Nsps 3 espiritualidade mariana cssrNsps 3 espiritualidade mariana cssr
Nsps 3 espiritualidade mariana cssr
 
Maria
MariaMaria
Maria
 
Mariologia - Dogmas
Mariologia - DogmasMariologia - Dogmas
Mariologia - Dogmas
 
O jovem cristão e a globalização
O jovem cristão e a globalizaçãoO jovem cristão e a globalização
O jovem cristão e a globalização
 
O jovem cristão na contramão do mundo
O jovem cristão na contramão do mundoO jovem cristão na contramão do mundo
O jovem cristão na contramão do mundo
 
Ser jovem ser cristão
Ser jovem ser cristãoSer jovem ser cristão
Ser jovem ser cristão
 
Maria, discípula e missionária
Maria, discípula e missionáriaMaria, discípula e missionária
Maria, discípula e missionária
 
Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1
 
Maria na devoção e na liturgia
Maria na devoção e na liturgiaMaria na devoção e na liturgia
Maria na devoção e na liturgia
 
Um novo começo com maria
Um novo começo com mariaUm novo começo com maria
Um novo começo com maria
 
Maria no evangelho de lucas (2012)
Maria no evangelho de lucas (2012)Maria no evangelho de lucas (2012)
Maria no evangelho de lucas (2012)
 
Palestra 25 grandes vultos feminino no espiritismo
Palestra 25 grandes vultos feminino no  espiritismoPalestra 25 grandes vultos feminino no  espiritismo
Palestra 25 grandes vultos feminino no espiritismo
 

Semelhante a Maria, a Mãe de Jesus

Evangeliza - Maria de Nazaré, Mãe de Jesus
Evangeliza - Maria de Nazaré,  Mãe de JesusEvangeliza - Maria de Nazaré,  Mãe de Jesus
Evangeliza - Maria de Nazaré, Mãe de JesusAntonino Silva
 
Novena à santa clara
Novena à santa claraNovena à santa clara
Novena à santa claraSMS Maceió
 
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comum
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comumDe Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comum
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comumAnderson Santos
 
Boa nova - Maria de Magdala
Boa nova - Maria de MagdalaBoa nova - Maria de Magdala
Boa nova - Maria de MagdalaAssEspFeCaridade
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No Paraíso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No ParaísoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No Paraíso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No ParaísoRicardo Azevedo
 
Jesus - Amanhecer da Ressurreição
Jesus - Amanhecer da RessurreiçãoJesus - Amanhecer da Ressurreição
Jesus - Amanhecer da RessurreiçãoAntonino Silva
 
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Patricia Farias
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assisPAFB
 
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de JesusPalestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de JesusMensageiros De Luz
 
Eae 38 Atos finais na Galiléia.
Eae 38 Atos finais na Galiléia.Eae 38 Atos finais na Galiléia.
Eae 38 Atos finais na Galiléia.PatiSousa1
 

Semelhante a Maria, a Mãe de Jesus (20)

Evangeliza - Maria de Nazaré, Mãe de Jesus
Evangeliza - Maria de Nazaré,  Mãe de JesusEvangeliza - Maria de Nazaré,  Mãe de Jesus
Evangeliza - Maria de Nazaré, Mãe de Jesus
 
Novena à santa clara
Novena à santa claraNovena à santa clara
Novena à santa clara
 
3 vidas
3 vidas3 vidas
3 vidas
 
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comum
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comumDe Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comum
De Francisco de Assis para Você- Vamos cuidar da casa comum
 
Huberto Rohden - Irene
Huberto Rohden - IreneHuberto Rohden - Irene
Huberto Rohden - Irene
 
Maria
MariaMaria
Maria
 
Jesus e o precursor
Jesus e o precursorJesus e o precursor
Jesus e o precursor
 
Boa nova - Maria de Magdala
Boa nova - Maria de MagdalaBoa nova - Maria de Magdala
Boa nova - Maria de Magdala
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No Paraíso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No ParaísoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No Paraíso
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 81 - No Paraíso
 
Jesus - Amanhecer da Ressurreição
Jesus - Amanhecer da RessurreiçãoJesus - Amanhecer da Ressurreição
Jesus - Amanhecer da Ressurreição
 
Antologia poética
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
 
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
 
Edição n. 47 do CH Noticias - Maio/2019
Edição n. 47 do CH Noticias - Maio/2019Edição n. 47 do CH Noticias - Maio/2019
Edição n. 47 do CH Noticias - Maio/2019
 
Contos sertanejos
Contos sertanejosContos sertanejos
Contos sertanejos
 
Conego machado
Conego machadoConego machado
Conego machado
 
S.francisco de assis
S.francisco de assisS.francisco de assis
S.francisco de assis
 
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de JesusPalestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
 
Edição n. 30 do CH Noticias - Dezembro/2017
Edição n. 30 do CH Noticias - Dezembro/2017Edição n. 30 do CH Noticias - Dezembro/2017
Edição n. 30 do CH Noticias - Dezembro/2017
 
Eae 38 Atos finais na Galiléia.
Eae 38 Atos finais na Galiléia.Eae 38 Atos finais na Galiléia.
Eae 38 Atos finais na Galiléia.
 
Franciscode assis
Franciscode assisFranciscode assis
Franciscode assis
 

Mais de Antonino Silva

Evangeliza - Religião dos Espíritos - O Teste
Evangeliza - Religião dos Espíritos - O TesteEvangeliza - Religião dos Espíritos - O Teste
Evangeliza - Religião dos Espíritos - O TesteAntonino Silva
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresAntonino Silva
 
Evangeliza - Reconciliação
Evangeliza - ReconciliaçãoEvangeliza - Reconciliação
Evangeliza - ReconciliaçãoAntonino Silva
 
Evangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do SerEvangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do SerAntonino Silva
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos EspíritasAntonino Silva
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosAntonino Silva
 
Evangeliza - A Páscoa
Evangeliza - A PáscoaEvangeliza - A Páscoa
Evangeliza - A PáscoaAntonino Silva
 
Evangeliza - Quatro Forças do Dinheiro
Evangeliza - Quatro Forças do DinheiroEvangeliza - Quatro Forças do Dinheiro
Evangeliza - Quatro Forças do DinheiroAntonino Silva
 
Evangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça RealEvangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça RealAntonino Silva
 
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de JesusEvangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de JesusAntonino Silva
 
Evangeliza - A Lei de Amor
Evangeliza - A Lei de AmorEvangeliza - A Lei de Amor
Evangeliza - A Lei de AmorAntonino Silva
 
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráterEvangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráterAntonino Silva
 
Evangeliza - Mediunidade nos animais
Evangeliza - Mediunidade nos animaisEvangeliza - Mediunidade nos animais
Evangeliza - Mediunidade nos animaisAntonino Silva
 
Evangeliza - As 5 Linguagens do Amor
Evangeliza - As 5 Linguagens do AmorEvangeliza - As 5 Linguagens do Amor
Evangeliza - As 5 Linguagens do AmorAntonino Silva
 
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueireEvangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueireAntonino Silva
 

Mais de Antonino Silva (20)

Evangeliza - Religião dos Espíritos - O Teste
Evangeliza - Religião dos Espíritos - O TesteEvangeliza - Religião dos Espíritos - O Teste
Evangeliza - Religião dos Espíritos - O Teste
 
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns EsclarecedoresEvangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
Evangeliza - Diálogo com os Espíritos - Médiuns Esclarecedores
 
Evangeliza - Reconciliação
Evangeliza - ReconciliaçãoEvangeliza - Reconciliação
Evangeliza - Reconciliação
 
Evangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do SerEvangeliza - Problema do Ser
Evangeliza - Problema do Ser
 
Missão dos Espíritas
Missão dos EspíritasMissão dos Espíritas
Missão dos Espíritas
 
Autoconhecimento
AutoconhecimentoAutoconhecimento
Autoconhecimento
 
Tecnologia 5G
Tecnologia 5GTecnologia 5G
Tecnologia 5G
 
O Método Stutz
O Método StutzO Método Stutz
O Método Stutz
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
 
Evangeliza - A Páscoa
Evangeliza - A PáscoaEvangeliza - A Páscoa
Evangeliza - A Páscoa
 
Evangeliza - Quatro Forças do Dinheiro
Evangeliza - Quatro Forças do DinheiroEvangeliza - Quatro Forças do Dinheiro
Evangeliza - Quatro Forças do Dinheiro
 
Evangeliza - A Busca
Evangeliza - A BuscaEvangeliza - A Busca
Evangeliza - A Busca
 
Evangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça RealEvangeliza - Desgraça Real
Evangeliza - Desgraça Real
 
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de JesusEvangeliza - O Evangelho de Jesus
Evangeliza - O Evangelho de Jesus
 
Evangeliza - A Lei de Amor
Evangeliza - A Lei de AmorEvangeliza - A Lei de Amor
Evangeliza - A Lei de Amor
 
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráterEvangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
Evangeliza - A disciplina do pensamento e a reforma do caráter
 
Evangeliza - Mediunidade nos animais
Evangeliza - Mediunidade nos animaisEvangeliza - Mediunidade nos animais
Evangeliza - Mediunidade nos animais
 
Evangeliza - As 5 Linguagens do Amor
Evangeliza - As 5 Linguagens do AmorEvangeliza - As 5 Linguagens do Amor
Evangeliza - As 5 Linguagens do Amor
 
Evangeliza - Mandalas
Evangeliza - MandalasEvangeliza - Mandalas
Evangeliza - Mandalas
 
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueireEvangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
Evangeliza - Não coloqueis a candeia debaixo do alqueire
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 

Último (10)

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

Maria, a Mãe de Jesus

  • 1. 1
  • 2. Ela crescera, tendo o espírito alimentado pelas profecias de Israel. Desde a meninice, quando acompanhava a mãe à fonte, para apanhar o líquido precioso, ouvia os comentários. Entre as mulheres, sempre que se falava a respeito, perguntavam-se umas às outras, qual seria o momento e quem seria a felizarda, a mãe do aguardado Messias. Nas noites povoadas de sonhos, era visitada por mensageiros que lhe falavam de quefazeres que ela guardava na intimidade d'alma. Então, naquela madrugada, quase manhã do princípio da primavera, em Nazaré, uma voz a chamou: "Miriam". Seu nome egípcio-hebraico, significa "querida de Deus". Ela despertou. "Que estranha claridade era aquela em seu quarto? Não provinha da porta. Não era o Sol, ainda envolto, àquela hora, no manto da noite quieta. De quem era aquela silhueta? Que homem era aquele que ousava adentrar seu quarto?" "Sou Gabriel", identifica-se, "um dos mensageiros de Yaveh. Venho confirmar-te o que teu coração aguarda, de há muito. Teu seio abrigará a glória de Israel. Conceberás e darás à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo e o seu reino não terá fim." Maria escuta. As palavras lhe chegam, repassadas de ternura e pela sua mente, transitam os dizeres proféticos. Sente-se tão pequena para tão grande mister. Ser a mãe do Senhor. Ela balbucia: "Eis aqui a escrava do Senhor. Cumpra-se em mim segundo a tua palavra." 2
  • 3. O mensageiro se vai e ela aguarda. Lucas lhe registraria, anos mais tarde, o cântico de glória, denominado Magnificat: “A minha alma glorifica o Senhor! E o meu espírito exulta[de alegria] Em Deus, meu Salvador! Porque, volvendo o olhar à baixeza da terra, Para a minha baixeza e humildade atentou. E eis, pois, que, desde agora, e por todos os tempos, Todas as gerações me chamarão Bem-aventurada! Porque me fez grandes coisas o Poderoso E santo é o seu nome! E a sua misericórdia [se estende] De geração em geração, Sobre os que o temem. Com seu braço valoroso Destruiu os soberbos No pensamento de seus corações. Depôs dos tronos os poderosos E elevou os humildes. Encheu de bens os famintos E despediu vazios os ricos. Cumpriu a palavra que deu a Abraão, Recordando-se da promessa. Da sua misericórdia!” (Lucas, I, 46 a 55). 3
  • 4. Ela gerou um corpo para o ser mais perfeito que a Terra já recebeu. Seus seios se ofereceram úberes para alimentar-lHe os meses primeiros. Banhou-O, agasalhou-O, segurou-O fortemente contra o peito mais de uma vez. E mais de uma vez, deverá ter pensado: "Filho meu, ouve meu coração batendo junto ao teu. Dia chegará em que não te poderei furtar à sanha dos homens. Por ora, amado meu, deixa-me guardar-te e proteger-te." Ela lhe acompanhou o crescimento. Viu-O iniciar o seu período de aprendizado com o pai, que lhe ensinou os versículos iniciais da Torá, conforme as prescrições judaicas, embora guardasse a certeza de que o menino já sabia de tudo aquilo. Na sinagoga, O viu destacar-se entre os outros meninos, e assombrar os Doutores. O seu Jesus, seu filho, seu Senhor. Angustiou-se mais de uma vez, enquanto O contemplava a dormir. Que seria feito Dele? No célebre episódio em Jerusalém, seu coração se inquietara a cogitar se não seria aquele o momento do início das grandes dores. A viuvez lhe chegou e ela viu o primogênito assumir os negócios da carpintaria. Suas mãos, considerava, tinham habilidade especial e a madeira se lhe submetia de uma forma toda particular. Aquele era um filho diferente. Um olhar bastava para que se entendessem. Tão diferente dos demais, que não tinham para com ela a mesma ternura... 4
  • 5. Chegou o dia em que Ele se foi e ela começou a ter Dele as notícias. A escolha dos primeiros discípulos, o batismo pelo primo João, no Jordão. Mantinha contato constante, providenciando quem lhe fizesse chegar a túnica tecida no lar, sem nenhum costura, sempre alva. Em cada fio, um pouco do seu amor e da sua saudade. Quando Ele a veio visitar e a acompanhou a Caná, às bodas da sua parenta, ela sabia que Ele a obedeceria, providenciando o líquido para que os convivas se pudessem deliciar, saindo da embriaguez em que haviam mergulhado. Acompanhou-lHe a trajetória de glórias humanas, e as injustas alusões ao Seu messianato, aos Seus dizeres. Em Nazaré, quando quase O mataram, tomou-se de temores. Contudo, ela sabia que Ele viera para atender os negócios do Pai. Por vezes, visitava a carpintaria, e parecia vê-lo, ainda uma vez, nos quadros da saudade. Tanto quanto pôde, acompanhou o seu Jesus e recebeu-lhe o carinho. Ele era tão grande, e, entretanto, atendia-lhe o coração materno, os pedidos. Quantas vezes ela intercedera por um ou outro? Porém, era necessário ser forte. Seu filho lecionara as lições mais belas que jamais os ouvidos humanos haviam escutado. Ele cantara as belezas do Reino dos Céus, no alaúde do lago de Genesaré, e prometera as bem- aventuranças aos que abraçassem os inovadores ensinos. Ao pé da cruz, junto ao Apóstolo João, ouviu a expressão do carinho filial se externar, outra vez: "Mulher, eis aí teu filho". E a confia ao jovem apóstolo. Pietà - Michelangelo 5 Uma Pietà (italiano para Piedade) é um tema da arte cristã em que é representada a Virgem Maria com o corpo morto de Jesus nos braços, após a crucificação. A mais famosa pietà é, seguramente, a Pietà do Vaticano, esculpida em mármore por Michelangelo em 1499. Atualmente esta obra está localizada no interior da Basílica de São Pedro, em Roma.
  • 6. Ela estaria presente, quando das Suas aparições, após a morte. Vê-lO-ia mais de uma vez. E compreenderia: aquele corpo era diferente. Não era o que fora gerado em seu ventre. Embora se deixasse tocar, para dar-se a conhecer, era de substância muito diversa aquele corpo. Ela o sabia. Viu-O desaparecer perante os olhos assombrados dos quinhentos discípulos, na Galiléia, na Sua despedida. E, amparada por João, seguiu a Éfeso, mais tarde. Ali, numa casinha de onde podia ouvir o mar, balbuciando cantigas, viveu o Amor que Ele ensinara. Tornou-se a mãe dos desvalidos e logo sua casa se enchia de estranhos viandantes, necessitados e enfermos que desejavam receber os cuidados de suas mãos e ouvir as delícias das recordações daquele que era o Caminho, a Verdade e a Vida. Numa tarde serena, ela atendeu um homem. Serviu-lhe o alimento e seu coração extravasou saudade. Quanta a tinha do filho amado. Então, o viajor se deu a conhecer: "...minha mãe, sou eu!... Venho buscar-te, pois meu Pai quer que sejas no meu reino a Rainha dos Anjos." 2 João, chamado às pressas, ainda lhe pôde assistir o derradeiro suspiro e o espírito liberto adentrou a Espiritualidade. Ainda e sempre amorosa, seu primeiro pensamento foi visitar os cristãos que estavam em Roma, sofrendo o martírio e os foi animar a cantar, enquanto conduzidos ao suplício, na arena circense. Mais tarde, notícias nos chegariam de que a suave mãe de Jesus, Maria, foi por Ele incumbida de assistir os foragidos da vida, os infelizes suicidas; detalhes do Hospital Maria de Nazaré nas zonas espirituais; do seu desvelo maternal para com tais criaturas. Maria, espírito excelso, exemplo de mulher, esposa, mãe. Bibliografia: 1.PEREIRA, Yvonne A. No hospital "Maria de Nazaré". In: Memórias de um suicida. 5. ed. Rio [de Janeiro]: FEB, 1975. pt. I, cap. III. 2.XAVIER, Francisco Cândido. Maria. In: Boa nova. Pelo espírito Irmão X. 8. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1963. cap. 30. Matéria publicada no Jornal Mundo Espírita. 6 “O papel da mulher é imenso na vida dos povos. Irmã, esposa ou mãe, é a grande consoladora e a carinhosa conselheira. Pelo filho é seu o porvir e prepara o homem futuro. Por isso, as sociedades que a deprimem, deprimem-se a si mesmas. A mulher respeitada, honrada, de entendimento esclarecido é que faz a família forte e a sociedade grande, moral, unida! León Denis (O Problema do Ser, do Destino e da Dor).
  • 7. (XAVIER,FranciscoCândido.ParanasodeAlém-Túmulo.AmaralOrnellas,.Pag.31). 7 Ave Maria! Senhora Do Amor que ampara e redime, Ai do mundo se não fora A vossa missão sublime! Cheia de graça e bondade, É por vós que conhecemos A eterna revelação Da vida em seus dons supremos. O Senhor sempre é convosco, Mensageira da ternura, Providência dos que choram Nas sombras da desventura. Bendita sois vós, Rainha! Estrela da Humanidade, Rosa mística da fé, Lírio puro da humildade! Entre as mulheres sois vós A Mãe das mães desvalidas, Nossa porta de esperança, E Anjo de nossas vidas! Bendito o fruto imortal Da vossa missão de luz, Desde a paz da Manjedoura, As dores, além da Cruz. Assim seja para sempre, Oh! Divina Soberana, Refúgio dos que padecem Nas dores da luta humana. Ave Maria! Senhora Do Amor que ampara e redime, Ai do mundo se não fora A vossa missão sublime!
  • 8. 8