Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T

4.319 visualizações

Publicada em

Dr. Tsutomu Higashi conferencista do I CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEDICINA AMBIENTAL - Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T

  1. 1. Dr. Tsutomu Higashi <br />I CONGRESSO INTERNACIONAL DE MEDICINA AMBIENTAL<br />Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T<br />Dr.Tsutomu Higashi<br />Nutrólogo, patologista e pesquisador, ortomolecular<br />www.ortomoleculardrhigashi.med.br<br />Manaus – Amazonas<br />
  2. 2. Dr. Tsutomu Higashi <br />BDORT = BI DIGITAL O RING TEST<br />BDORT – É uma propedêutica médica não “invasiva” - Descoberta cujo nome e método patenteado por Prof. Dr. Y. Omura que tem como base a alteração da força muscular pela Ressonância entre duas substâncias análogas, cujo teste utilizando musculatura digital em forma de Anel.”<br />
  3. 3. Professor YOSHIAKI OMURA<br />Dr. Tsutomu Higashi <br />Formação:<br /><ul><li> Graduado em Engenharia e Medicina no Japão
  4. 4. Pós-Graduação em Física Aplicada
  5. 5. Doutor em Ciências em Cirurgia e Farmacologia – Univ. de Columbia, NY, EUA </li></ul>Principais Cargos atuais:<br /><ul><li> Diretor da Fundação de Pesquisas de Doenças Cardíacas de Nova Iorque
  6. 6. Editor da Revista Acupuncture & Electro -Therapeutics </li></ul> Research, The International Journal<br /><ul><li> Diretor da Escola Internacional de Acupuntura e </li></ul> Eletroterapia do Estado de Nova Iorque<br />
  7. 7. Dr. Tsutomu Higashi <br />Prefácio da Edição Brasileira<br />_ Antônio Carlos Lopes _Professor Titular e Chefe da Disciplina de Clínica Médica da UNIFESP/EPM<br />
  8. 8. Dr. Tsutomu Higashi <br />Estatística do Método BDORT<br />Google <br /><ul><li>40.000 citações</li></ul>Google acadêmico<br /><ul><li>80 citações</li></ul>Pubmed<br /><ul><li>11 citações</li></li></ul><li>Dr. Tsutomu Higashi <br />PRINCÍPIO DO MÉTODO BDORTBi Digital O-Ring Test<br />
  9. 9. Dr. Tsutomu Higashi <br />Movimento cortical <br />voluntário consciente<br />Anel Fechado<br />
  10. 10. Dr. Tsutomu Higashi <br />Duas substâncias análogas provocam <br />fenômeno de biorressônancia que <br />bloqueia movimento voluntário consciente <br />através do nervo alfa- motor<br />x<br />Câncer no Estômago<br />Lâmina de<br />Carcinoma de Estômago<br />Anel Aberto<br />
  11. 11. Dr. Tsutomu Higashi <br />Xenobióticos<br />Corantes<br />Metais Pesados<br />Marcadores Biológicos<br />Radicais Livres<br />Neurotransmissores<br />Agrotóxicos e etc<br />x<br />Anel Aberto<br />
  12. 12. Dr. Tsutomu Higashi <br />MÉTODO DE TESTE DE COMPATIBILIDADE DE BEBIDAS. INFLUÊNCIA DO CAFÉ SOBRE TODO O CORPO<br />
  13. 13. Dr. Tsutomu Higashi <br />LOCALIZAÇÃO E CONDIÇÕES IDEIAIS PARA TESTE.<br /><ul><li>CRIAR CONDIÇÕES QUE AS INTERFERÊNCIAS EXÓGENAS NÃO PROVOQUEM ALTERAÇÕES NA REPRODUTIBILIDADE.</li></ul>CONDIÇÕES IDEAIS DO OPERADOR-(TREINAMENTO)<br />
  14. 14. Dr. Tsutomu Higashi <br />Amostra: 93 pacientes de Clínica privada participaram do programa Anti-Envelhecimento 2008-2009:<br />Alumínio <br />Chumbo<br />Mercúrio<br />Metoxicloro<br />Fenoxiacéticos<br />Atrazina<br />Sulfitos<br />Asbestos<br />
  15. 15. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  16. 16. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  17. 17. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  18. 18. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  19. 19. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  20. 20. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  21. 21. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  22. 22. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  23. 23. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  24. 24. Dr. Tsutomu Higashi <br />
  25. 25.
  26. 26. Dr. Tsutomu Higashi <br />Distribuição de Asbestos<br />Pineal: 13,95%<br />Olho esquerdo: 12,79%<br />Olho direito: 12,79%<br />Narina : 12,79%<br />Mento: 11,63%<br />Fúrcula: 12,79%<br />Umbigo: 15,12 %<br />Sensibilidade<br />1<br />2<br />3<br />4<br />5<br />6<br />7<br />alta<br />média <br />baixa<br />
  27. 27. Como eu uso BDORT da prática diária<br />Dr Tsutomu Higashi<br />Pesquisador em Ortomolecular e Anti aging<br />Organizado pela Associação<br /> Médica Brasileira de BDORT<br />
  28. 28. Introdução<br />Ortomolecular – Radical livre e oxidação<br />Detoxificação – toxinas<br />Medicina chinesa – harmonização energética<br />Disrupção hormonal – desequilíbrio hormonal<br />
  29. 29. 1 - Ortomolecular - Radical livre e oxidação<br /><ul><li>Radical OH : uso padrão de DMSO
  30. 30. 8OHdG: oxidação de Guanosina do núcleo da célula
  31. 31. Hipoclorito: originado do peróxido de hidrogênio (H2O2) pela ação de Mieloperoxidase</li></ul>dos neutrofilos quando invadido pelo micro organismo.<br />
  32. 32. Gênese dos Radical Livre: exposições tóxicas <br />(exógenas e endógenas)<br />XENOBIÓTICOS<br /><ul><li>PRODUTOS INDUSTRIAIS
  33. 33. (ADITIVOS E RESÍDUOS
  34. 34. QUÍMICOS), PESTICIDAS,
  35. 35. VOCS, CIGARROS,
  36. 36. POLUENTES
  37. 37. AMBIENTAIS, ÁGUAS, AR E COMIDAS </li></ul>CONTAMINADAS <br />INFECÇÃO<br /><ul><li>VIRUS -BACTERIAS
  38. 38. MICROORGANISMOS
  39. 39. FUNGOS
  40. 40. PARASITAS
  41. 41. EXOTOXINAS
  42. 42. ENDOTOXINAS</li></ul>NUTRICIONAL<br /><ul><li>ÁLCOOL,
  43. 43. ÁCIDOS GRAXOS ESSENCIAIS
  44. 44. TRANS ALIMENTOS COM TEOR DE ANTIOXIDANTE.
  45. 45. ALTO ÍNDICE GLICÊMICO</li></ul>FÍSICO<br /><ul><li>HIPOXIA
  46. 46. ATIVIDADE MUSCULAR
  47. 47. INFLAMAÇÃO – LESÃO
  48. 48. CIRURGIA - TRAUMA </li></li></ul><li>Destruição da membrana celular sob efeito dos ( ). <br />Radical Livre<br />RADICAIS LIVRES DESORGANIZANDO <br />A ARQUITETURA DA MEMBRANA.<br />FOSFOLIPEDES<br />DE <br />MEMBRANA<br />PROTEÍNAS INTRA<br />MEMBRANAS<br />
  49. 49. Base Terapéutica: Sinergismo antioxidante<br />Iniciador de Radical Livre<br />(Radiação, Drogas e Alteração<br />da atividade enzimática orgânica)<br />Capturado por<br />Capturação <br />Direta <br />Radical Ascorbil<br />Ascorbato Vitamina C<br />Quercetina<br />Rutina <br />Hesperidina<br />Ginko Biloba<br />Picnogenol<br />Bioflavanóide <br /> <br />Enzimas Antioxidantes<br />(Superoxido Dismutase requer <br />Zinco, Cobre e Manganês)<br />Radical Tocoferol<br />Tocoferol Vitamina E<br />Carotenóides <br />Selênio<br />Glutation Peroxidase <br />2O*2+2H H2O2 + O2<br />H2O2+2GSH 2H2O+GSSG<br />Cisteína <br />Glutation (GSH) Glutation Disulfito (GSSG)<br />Vitamina B2<br />Glutation Redutase <br />
  50. 50. Antioxidante endovenoso<br />Ácido lipóico<br />Quelante<br />DMSO<br />Obs: DMSO tem o poder de neutralizar substâncias P e elimina radical hidroxila.<br />
  51. 51. Isquemia de Reperfusão – Radicais livres<br />Situações Clínicas<br /><ul><li> Coronáriopatias
  52. 52. Acidente vascular isquêmico
  53. 53. Artrose
  54. 54. Insuficiência vascular periférico
  55. 55. etc.</li></ul>PROGRESSÃO DE ATEROSCLEROSE<br />INICIAL - JOVEM<br />TROMBO <br />+ <br />INFLAMAÇÃO<br />PCR-U<br />PAI<br />Integrina<br />Colesterol Normal 60% dos casos<br />
  56. 56. 2 - Detoxificação– toxinas<br />
  57. 57. Toxinas Biológicas<br />Microorganismos <br />Bactérias <br />Vírus <br />Toxinas Biológicas<br />Fungos <br />Parasitas <br />Protozoários<br />
  58. 58. FIBROMIALGIA<br />Quando BDORT negativo na coluna vertebral deve pesquisar hipoclorito, quando positivo deve pesquisar microrganismos. <br />Fibromialgia nada mais é que a presença de microrganismos no segmento vertebral.<br />OBS: importante essa descoberta porque a incidência de fibromialgia na população é significativa e em muitos casos sem solução.<br />
  59. 59. Dessensibilização do<br />Espaço paraespinhoso<br />Canal <br />Paravertebral<br />Bloqueio <br />Interespinhoso<br />Dermátomo<br />correspondente<br />TRATAMENTO DE FIBROMIALGIA APLICAÇÃO DE O3 NO CANAL ESPAÇO PARAVERTEBRAL<br />
  60. 60. Toxinas Químicas<br />Agrotóxicos<br />Conservantes/<br />Corantes <br />Atrazina <br />24D<br />Bifenil Clorado<br />Paraquat<br />Dioxinas<br />Sulfitos<br />Tartrazina Yellow<br />Bisfenol<br />(PVC)<br />Metais Tóxicos <br />Xenobióticos + Freqüentes<br />+ químicas <br />Alumínio<br />Chumbo<br />Mercúrio<br />Cadmio<br />Poeiras (urbana) <br />Cotinina<br />Tetrahidrocarbinol <br />(maconha)<br />Benzolegnine <br />(cocaína)<br />Asbestos <br />Hábitos <br />
  61. 61. Sistema de Detoxificação Humana<br />Aparelho Digestivo <br />Fígado <br />Detoxificação<br />= <br />Eliminação <br />Pele <br />Rim <br />Pulmão <br />
  62. 62. 3 -Medicina chinesa harmonização energética dos sistemas e orgãos<br />
  63. 63. TESTE DE WUJI-SAN<br />Wuji-san é uma fitoterapia majistral chinesa que tem propriedades de desestagnar xue, ki, ying e yang.<br />Apontando wuji-san em qualquer parte do corpo se está estagnado (BDORT negativo) e se estiver normal (BDORT positivo).<br />Tratamento com agulhas escalpe acupuntura de Yamamoto e fitoterapia chinesa.<br />
  64. 64. 4 - Disrupção hormonaldesequilíbrio hormonal em envelhecimento humano.<br />
  65. 65.
  66. 66. PRINCIPAIS PAUSAS<br /> Adrenopausa<br /> Andropausa<br />Eletropausa<br /> Menopausa<br /> Tireopausa<br /> Melatopausa<br /> Somatopausa<br />
  67. 67. SERUM DHEA-SULFATELEVELS WITH AGING<br />DHEA oral<br /><ul><li>P1 = 0,5 mg
  68. 68. P2 = 1 mg
  69. 69. P3 = 2 mg
  70. 70. P4 = 4 mg</li></ul>OBS: teste de aceitação. Receito 10 mg, 25 mg, 50 mg.<br />CUIDADOS: hormônio anabólico na mulher porém androgênico.<br />Harvard, School Med.2000<br />
  71. 71.
  72. 72. ADRENOPAUSA – FADIGA ADRENAL<br />Concentração de hidrocordisona (básica)<br />P1 = 5 mg<br />P2 = 10 mg<br />P3 = 20 mg<br />OBS: esses níveis de hidrocortisona são receitados rotineiramente em duas doses de manhã e antes do almoço.<br />
  73. 73. Harvard, School Med.2000<br />BIOAVALIABLE TESTOSTERON IN MEN WITH AGING<br />Testosterona básica (homem)<br /><ul><li>P1 = 10 mg
  74. 74. P2 = 20 mg
  75. 75. P3 = 30 mg
  76. 76. P4 = 40 mg</li></ul>Testosterona básica (mulher)<br /><ul><li>P1= 2 mg
  77. 77. P2 = 4 mg
  78. 78. P3 = 8 mg
  79. 79. P4 = 15 mg</li></ul>OBS: uso como teste de aceitação:<br />Receita (homem) - 5%, 10%, 15% por dia (1 ml = 1 dose)<br />Receita (mulher) – máximo 0,5% na forma de geltransdérmico (1 ml = 1 dose)<br />
  80. 80. SERUM PREGNENOLONE-SULFATE LEVELS WITH AGING<br />Pregnanolone via oral:<br /><ul><li>P1 = 10 mg
  81. 81. P2 = 20 mg
  82. 82. P3 = 30 mg
  83. 83. P4 = 40 mg</li></ul>Teste de aceitação:<br />Dose usual tanto no homem como na mulher 25 mg, 50 mg, 100 mg, 150 mg, 300 mg diária.<br />OBS: variável de acordo com dados clínicos.<br />Harvard, School Med.2000<br />
  84. 84. LEVELS OF ESTRADIOL IN BLOOD OF WOMEN<br />Estradiol transdermica <br /><ul><li>P1 = 0,1 %
  85. 85. P2 = 0,2 %
  86. 86. P3 = 0,3 %
  87. 87. P4 = 0,5 %</li></ul>Progesterona micronizada<br />P1 = 10 mg<br />P2 = 20 mg<br />P3 = 50 mg<br />P4 = 60 mg<br />OBS: estradiol transdêrmica receita-se 0,1 % a 0,3 % via transdêrmica e progesterona 10% a 20% via transdêrmica.<br />
  88. 88. SERUM T3 LEVELS WITH AGING<br />T3 via oral<br /><ul><li>P1 = 1 mcg
  89. 89. P2 = 2 mcg
  90. 90. P3 = 4 mcg
  91. 91. P4 = 6 mcg</li></ul>Teste de aceitação<br />Rotina: usa-se 6 mcg a 25 mcg de manhã.<br />T4 via oral (levoid)<br /><ul><li>P1 = 12,5 mcg
  92. 92. P2 = 25 mcg
  93. 93. P3 = 38,5 mcg
  94. 94. P4 = 75 mcg</li></ul>Estes níveis são a concentração rotineiramente usada.<br />Harvard, School Med.2000<br />
  95. 95. Melatonin Levels With Aging<br />Melatonina Sublingual <br /><ul><li>P1 = 0,1 mg
  96. 96. P2 = 0,2 mg
  97. 97. P3 = 0,4 mg
  98. 98. P4 = 0,8 mg</li></ul>OBS: essas concentrações são rotineiramente utilizadas para sono.<br />Harvard, School Med.2000<br />
  99. 99. 24 – h Cycle of Melatonin Production<br />
  100. 100. DAILY GROWTH HORMONE SECRETION<br />Hormônio do crescimento (Hormotrop)<br /><ul><li>P1 = 0,13 mg - 5 unidades de insulina
  101. 101. P2 = 0,26 mg – 10 unidades de insulina</li></ul>Harvard, School Med.2000<br />
  102. 102. Toxidade<br /> Erro alimentar<br /> Inflamação <br /> Stress<br /> Sedentarismo<br />
  103. 103.
  104. 104.
  105. 105. Obrigado !<br />www.ortomoleculardrhigashi.med.br<br />

×