SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 95
MEDICINA ORTOMOLECULAR: O USO DE
VITAMINAS, MINERAIS E DESINTOXICANTES
PARA OTIMIZAR A SAÚDE COMO UM TODO

Dr. Tsutomu Higashi – médico patologista, nutrólogo e
pesquisador da medicina ortomolecular

www.ortomoleculardrhigashi.med.br
Demonstração Esquemática dos Benefícios da Vitamina E
                    (Tocofecol)
                           Publicado no Fórum IFM – 2002

               Aumenta mediador da imunidade celular
   Aumenta oxido nítrico endotelial                                Diminuição de agregação plaquetária

Diminui alta sensibilidade de PCR                                    Aumenta atividade fibrinolítica
                                                                     Diminui PAI 1 e P selectina)
Diminui NF Kappa Beta
                                                                  Diminuição de citocinas proinflamatório
Diminui oxidação in vivo Coe Q10         VITAMINA E               e Proaterogenico (IL 1B, TN Alfa e IL 6)
                                      100 ui – 400 ui – 600 ui-
Diminui F2 isoprostanos                   800 ui – 1200 ui
                                                                     Diminui proliferação celular da
(marcadores de peroxidação lipídica)                                 musculatura lisa
                                                                  Diminui LDL oxidada em “vitro”
Melhora disfunção Endotelial
                                                             Diminui produção de tromboxane
  Diminui hemoglobina A1C
  Em diabete tipo I                                 Diminui adesão monocitaria em endotélio vascular
                                                    (ICMA – Intra Celular Molecular Adesão
                                                    VCMA – Vascular Celular Molecular Adesão
Toxidade
Erro alimentar
Inflamação
Stress
Sedentarismo




                 Dr. Tsutomu Higashi
AM.J. OF CARDIOLOGY 1992



 Increase of cardiovascular diseases
 incidence in patients with slight high
 leves of free plasmatic iron.
J. OF GERONT. 1970




decrease incidence of
 cardiovascular diseases in
 blood donors.

Iron??
Iron chelation improves endothelial
    function in patients with coronary diseases.

   Iron chelators improved nitric-oxide mediated
    endothelium dependent vasodilatation in
    patients with coronary artery diseases, these
    results suggest that iron availability contributes
    to impared nitric oxide action in
    atherosclerosis.
   Circulation. 2001, 103;2788-2804
   Duffy and col. Evans dpt of med. And whitaker
    card. Inst.Boston univ. Scholl of med.
NEUROLOGY 2000-MASAKIET AL

 Estudo   Haas

 Demonstro que a combinacao de
 vitaminas C, e da vitamina E, se
 associa a uma reducao de 88% na
 frequencia de demencia de origem
 vascular
LANCET 1996-ESTUDO CAOS

   Vitamina E-1.5 anos de follow up-400-
    800UI

 77% de reducao do infarto de miocardio
  nao fatal,
 e de 47% dos eventos cardiovasculares
  combinados
 Efeito obtido apos 200 dias de tratamento
VITAMIN E HUMAN STUDIES

   Health Professional’s Follow-up to the
    Physician’s Health Study
     39,910  men, ages 40-70
     subjects with the highest vitamin E intake (>
      60 IU / day) had a 36% lower risk of coronary
      disease after 4 years




                 NEJM 1993;328(20):1450-1466
CIRCULATION 1999


 VITAMIN E and
 VITAMIN C



 reduce endotelial injury
 nitric oxide protection
VITAMIN E HUMAN STUDIES


 Nurse’s Health Study
  87,245 women, ages 34-59, with no
   prior heart disease
  those taking  100 IU/d of vitamin E
   for
     2 years, had 40% lower risk of
   developing CAD after 8 years
             NEJM 1993;328(20):1444-1449
Argini
na No Sintetasa
       +O
  NO- 2 Peroxido Nitroso


 Fator de       Fator de
 relajamento    constricción
 endoterial.    Vascular
ATEROSCLEROSIS
APO.A APO.B
Colesterol
             LpA
HDL
             Homocisteina
LDL
             Fibrinogenio
VLDL
             PCR
APO-B         LDL Ox
   L             Fator Herdado
   p             IAM paciente jovem
   A             Atividade Plasminogeno



           LDL

   sh
           D
LDL Ox ~
Endotelio

               Cérebro

Homocisteina   Teratogenesis

                Câncer




Metionina
RL




                 Monomeros
Fibrinogenios    Fibrina
                               Soluble



                             Insoluble


   Coagulación
H. Pilory

  PRC
               Clamidia


              Herpes



                          Macrofagos
Inflamación
                          (leucotrienos)
ENSTROM. UNIV. CALIF. LOS ANGELES
   11 pacientes americanos
   Utilizando um grupo com 300 mgs de
    suplementção de vitamina C, contra grupo placebo
    usando 50 mg de vitamina C.
   Os autores concluem que a vitamina C reduz em
    50 % a incidencia de infarto de miocardio em
    homens e 40% em mulheres.
   Segundo os autores o consumo de vitamina C
    associa-se a um aumento de sobrevida de 6 anos.
   Epidemiology 1992
WILLIS. CANAD. J. MED. ASSOC. 1954
   Identificou o deposito de placas ateroscleroticas
    com contraste e RX, metade dos pacientes
    receberom 1.5 gr de vitamina C por dia, a outra
    metade não recebeu a suplementação.
   Os pacientes com Vitamina C, reduziram em 30%
    o tamanho das placas após 10-12 meses de
    estudo, o grupo controle não moficou, pelo
    contrario em alguns casos ate aumento.
   Estudo feito há 40 anos, e nunca repetido
NEWMNA AND HULLEY. JAMA 1996
   Carcinogenecity of lowering drug cholesterol: incluindo
    vastatinas e fibratos.

   Provocando cancer em animais de laboratorio. A pergunta
    dos autores: Como a FDA liberou estas drogas para venda
    para milhões de pacientes com aterosclerose.
   A resposta: as companias farmaceuticas produtoras destos
    produtos, menosprezam a importancia destos efeitos
    colaterais removendo assim os obstaculos para sua
    aprovação
FOLKERS K. UNIV. DE TEXAS.



 O uso de vastatinas associa-se a uma
  diminuição de ubiquinona, podendo ser a
  causa de lesão muscular.
 Proc. Of de Nat. Acad. Of Scienc. 1990
NEWMAN. NEJM.20001

   Os resultado confirmam a alta prevalencia e
    persistencia do declinio cognitivo apos
    cirurugia de revascularizacao miocardica,
    sugirindo um padrao de rapida recuperacao
    seguida por um declinio posterior que pode
    ser anticipado por um declinio cognitiva na
    fase temprana pos-operatoria
FREE RADICAL
THEORY OF AGING
DENHAM HARMAN,
M.D. ,PH.D. (1954)


   Aging occurs as cells
     are permanently
        damaged by
     continual attacks
       from chemical
     particles known as
        free radicals.
“75 percent of an individual’s health after age 40 is
     dependent upon what the person has done to his or
          her genes, not to the genes themselves.”
     Jeffrey S. Bland, Ph.D. Genetic Nutritioneering, 1999 p. 65


                                                 75%
25%


Murray, CJL, Lopez AD. Alternative
 projections of mortality by cause
1990-2020: global burden of disease.
   Lancet. 1997; 349:1498-1504.
ATP
                    95-98%




         O
          2

                        Citrocomo            RL (3-5%)
                                 Oxidasa

                                (Zn-Mg)



R: Molécula com electron no pareado

en la orbita externa.
ATOMO NORMAL
RADICAL LIVRE
Enzima
 Moléculas    Química     Antioxid

                O-
 Superoxido      2        SOD-MN


                 O-     SOD    CO
Superoxido
                  2            ZN

Peroxido de              Catalasa
              H O
hidrogênio               GL PX
               2 2

 Peroxido      -
 Lipidico      COOH           GL PX

                   -
 Radical
                   OH
 Hidroxilo
Enzima
                    Química    Antioxid
    Molécula


     Oxigênio          O 1
     Singlet            2



      Oxido                -
      Nítrico             NO



                  Burst
  Inflamación   Respiratório



Isquemia e
reperfusion
COMO USAR
                                   5 HIDROXITRIPTOFANO
                                   PARA DEPRESSIVOS?
1.º Soro
  EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g
  SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g
  VITAMINA C 5ML – 1g
  COMPLEXO B 1 A - 2 ML
  SORO FISIOLÓGICO -100 ML
Endovenoso administrado de 15 A 20 minutos 1 À 2 vezes por Semana.
2.º Soro
  SORO FISIOLÓFICO - 100 ML
(P1= 0,5ml / P2= 0,75ml / P3= 1ml / P4= 1,25 ml )*
* 5 Hidroxtriptofano tem 2 apresentações de 1 A = 5ml/ 20mg ou 1 A = 2ml /4mg
OBS: 5 Hidroxtriptofano pode ter efeito gástrico quando aplicado em excesso.
Endovenoso administrado em 30 minutos (quando depressão é grave pode fazer
diariamente até melhorar).
ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
                                                                             33
BDORT E ORTOMOLECULAR                                       Dr. Tsutomu Higashi
COMO ACRESCENTAR RIBOFLAVINA
                          EM DOENÇAS NEURODEGENERATIVA QUE
                          REQUER GLUTATION REDUTASE
                          EX: PARKINSOM, AVCI.

1.º Soro
  EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g
  SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g
  VITAMINA C 5ML – 1g
  COMPLEXO B 1 A - 2 ML
  SORO FISIOLÓGICO -100 ML
Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana.
Não é necessário acrescentar 2.º Soro, podendo ser utilizando com
quelante.
RIBOFLAVINA 1 A = 50MG/5 ML
(Pode acrescentar um ampola ou até 2 ampola).


ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
                                                                   34
COMO ACRESCENTAR ACIDO LIPÓICO
                         INDICAÇÃO QUANDO TEM OXIDAÇÃO VASCULAR
                         E SISTEMA NERVOSO INTENSO
                         EX: NEUROPATIA DIABÉTICA, STRESS OXIDATIVO
                         HEPÁTICA (GAMA GT ELEVADO)


1.º Soro
  EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g
  SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g
  VITAMINA C 5ML – 1g
  COMPLEXO B 1 A - 2 ML
  SORO FISIOLÓGICO -100 ML
Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana.
2.º Soro
SORO SOROLÓGICO – 100 ML
ACIDO LIPÓICO - 600 mg/24 ML
(P1= 12 ml/ P2 = 24ml )
                                                               11

ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
                                                                    35
COMO ACRESCENTAR MSM (METILSULFONILMETANO)
                        PODE SUBISTITUIR DMSO QUANDO O PACIENTE
                        NÃO SUPORTA O ODOR.
                        EX: ARTRITE, ARTROSE, FIBROMIALGIA E DORES
                        MIOFASCIAIS.


 1.º Soro
   EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g
   SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g
   VITAMINA C 5ML – 1g
   COMPLEXO B 1 A - 2 ML
   SORO FISIOLÓGICO -100 ML
 Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana.
 Não é necessário acrescentar 2.º Soro, podendo ser utilizando com
 quelante.
 MSM 15% 1 A = 10 ml
 (P1= 12 ml/ P2 = 24ml )



                                                                   36
ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
COMO USAR
                                   5 HIDROXITRIPTOFANO
                                   PARA DEPRESSIVOS?
1.º Soro
  EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g
  SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g
  VITAMINA C 5ML – 1g
  COMPLEXO B 1 A - 2 ML
  SORO FISIOLÓGICO -100 ML
Endovenoso administrado de 15 A 20 minutos 1 À 2 vezes por Semana.
2.º Soro
  SORO FISIOLÓFICO - 100 ML
(P1= 0,5ml / P2= 0,75ml / P3= 1ml / P4= 1,25 ml )*
* 5 Hidroxtriptofano tem 2 apresentações de 1 A = 5ml/ 20mg ou 1 A = 2ml /4mg
OBS: 5 Hidroxtriptofano pode ter efeito gástrico quando aplicado em excesso.
Endovenoso administrado em 30 minutos (quando depressão é grave pode fazer
diariamente até melhorar).
ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
                                                                             37
BDORT E ORTOMOLECULAR                                       Dr. Tsutomu Higashi
DMSO TRANSDÉRMICA (DORES E INFLAMAÇÃO)

    DMSO - 60 %
    Diclofenac de K -2%
    Arnica TM – 20 %
    Carbopol q.s.p. – 100 g

 Manipulado em farmácia de manipulação que atende Ortomolecular.
 Aplicar 3 x ao dia no local lesado ou dores
DMSO TRANSDÉRMICA (HEMATOMA E TRAUMÁTICA)
                           DMSO - 30 %
                           JAN GU TZ JIN TANG
                           ALCOOLICA 10% - 20%
                           Carbopol q.s.p. – 50 g
 INDICAÇÃO:
    HEMATOMAS
    ISQUEMIA
    TRAUMA POS CIRURGIA (ONDE TEM SANGUE COAGULADO)
JAN GU TZ JIN TANG é a fórmula da fitoterapia de Medicina Tradicional Chinesa
que tem propriedade de promover neovascularização, ativa circulação, elimina
estase, dor acelera processo de cicatrização e calcificação óssea. Retira estagnação
de sangue causada por trauma no sistema dermato ósteo muscular                         38
D)

     Terapias Endovenosa
   •DMSO: ANTIOXIDANTE
   •H2O2: OXIDANTE
   •EDTA DE CÁLCIO
   •5 HIDROXI TRIPTOFANO
   •TAURINA
   •ÁCIDO LIPÓICO
   •MSM – METILSULFONILMETANO
   •RIBOFLAVINA
   •DOLAMIM = NOME COMERCIAL

BDORT E ORTOMOLECULAR
                            Dr. Tsutomu Higashi
                                             39
GABA PREDOMINA LÓBULO TEMPORAL
PERSONALIDADE – TRADICIONAL – MÍSTICA- ESOTÉRICA
                                         Substância negra
                        Giro cingulado

       Córtex frontal




           Estriado




                                               Área tegmental ventral
      Núcleo accumbens
                      Hipófise
                          Hipotálamo        Hipocampo

  BDORT E ORTOMOLECULAR                             Dr. Tsutomu Higashi
                                                                     40
PREDOMINÂNCIA DA SEROTONINA NO CÉREBRO
 LÓBULO OCCIPITAL)
 - VOCAÇÃO DE ARTESÃO – HABILIDADE GERAL -
                              Tálamo
          Neo-Córtex
                                          Núcleo dorsal da rafe

  Hipocampo




                                              Cerebelo


              Protuberância
              Núcleo magno da rafe     Medula Espinhal

 BDORT E ORTOMOLECULAR                          Dr. Tsutomu Higashi
                                                                 41
DOPAMINA PREDOMINA NA REGIÃO
   FRONTAL DO CÉREBRO- PERSONALIDADE
   ESTRATEGISTA
                                  Substância negra
                 Giro cingulado

Córtex frontal




    Estriado



                                               Área tegmental ventral

Núcleo accumbens
                Hipófise
                    Hipotálamo       Hipocampo

 BDORT E ORTOMOLECULAR                               Dr. Tsutomu Higashi
                                                                      42
NOÁCIDOS PRECURSORES DE
ROTRANSMISSORES E NEUROMODULADORES
                              Acetil Colina
           Ácido                                   Oxido Nítrico
          Aspartico




                                 Colina
       Gaba
              Ac. Glutâmico                   Histidina *   Histamina
                  Glutamina Aminoácidos Metionina *         Taurina
 Ac.Glutâmico
                                        Cisteína
                                Tirosina



              Serotonina                              Tirosina
              Melatonina                              Dopamina
                               Dopamina
                                                      Nor Epinefrina
                               Nor Epinefrina
 *AA- ESSÊNCIAS (ORGANISMO NÃO SINTETIZA)
 BDORT E ORTOMOLECULAR                                      Dr. Tsutomu Higashi
                                                                             43
PRECURSORES DE
          NEUROTRANSMISSORES
                                         H        O

1) AMINOÁCIDOS SIMPLES: NH2              C    C

                                        R=H         OH


2) NEUROPEPTÍDEOS : 2 OU MAIS AMINOÁCIDOS

                        CATECOLAMINAS: DOPAMINAS E
3) MONO AMINAS          NOR EPINEFRINAS
                        INDOLAMINA: SEROTONINA E MELATONINA



BDORT E ORTOMOLECULAR
                                              Dr. Tsutomu Higashi
                                                               44
CONEXÃO STRESS E IMUNIDADE:
 DISFUNÇÃO DO EIXO HIPOTALAMO – HIPOFISE -ADRENAL




                                                           34
                                      Dr. Tsutomu Higashi 45
BDORT E ORTOMOLECULAR
Fator reumatóide e                                                     Th2
  outros anticorpos       Interleucina – 4
                          Interleucina- 6
                                                                              Macrófago-TH1
                          Interleucina -10
   Células
                                                        Th0
plasmáticas
                                                              Interferon -γ
                                     Interferon – γ
                                     Interleucina -12
                                                                     CD4+ T

                                                                                      TNF-α
                         B Célula                                        CD 11
                                                                                  Interleucina -1
                                                                   CD 69         e interleucina -6
                                       OPGL               CD 11
      Sinovia                                     CD 69


                                                                      Condrocitos
                     Osteoclasto
                                                  Fibroblasto
              Produção de metaloproteínases                                             Pituitário
              Outros efeitos moleculares (ICAM-1)                                   Corticotropin

              Migração de células polimorfonucleares                               Adrenal córtex
                   Erosão de osso e cartilagem                           36                   46
                                                                                 Inibe inflamação
LINFÓCITOS MACRÓFAGOS (THO)

    TH1 PROINFLAMATÓRIA                               TH2 ANTIINFLAMATÓRIA
 TNF ADESÃO DAS MOLÉCULAS                             IL4
 IL1 PG2 – ARTICULAÇÃO – ENDOTÉLIO                    IL6
 IL2                                                  IL10
 IL3                                                  IL5
 IL6
 INTERFERON                                          AUTOIMUNE SISTÉMICO:
 PGF2                                                 LUPUS SISTÉMICO
 ÓRGÃO ESPECÍFICO:                                    S.S JOGREN E ETC.
   ESCLEROSE MÚLTIPLA                                  FADIGA CRÔNICA
   DOENÇA INFLAMATÓRIA                                 HIV
 INTESTINAL E ETC.                                     LEPRA
                                                       LESHIMANIA
                                                       ESQUISTOSSOMOSE

           MAIOR COMPLEXO HISTOCOMPATIBILIDADE (GENE)
     TH1                                                           TH2
                                                                                    35
Dependem de nutrientes, vitaminas, sais minerais e meio ambiente.
                                                                 Dr. Tsutomu Higashi 47
BDORT E ORTOMOLECULAR
Inibidores de Cascata de Ácido Araquidônico
                  (Moduladores de Inflamação)
                                                                   Vit E *
          Membrana celular-fosfolipideos                           Quercetina    *
                               Fosfolipase A2        Fitoterapia          Glicyrrhiza *
                                                                         (Licoricorce)
                        Acido Araquidônico                               Curcumina *

                        5- Lipoxigenase                                  Corticóide

                                         Ciclooxigenase-1                E.P.A.
Quercetina *                                                             EPA/DNA *
     Vit E *
                                                           Fitoterapia    Zingiber Off
       EPA
Curcumina *
                                                                          Curcumina      *
                                                                          Salix Nigra
Allium cepa
Allium Sativa                                                            Indometacina
Boswellia                   12- Lipoxigenase
                                                                         Aspirina
Serrata *                                       Ciclooxigenase-2
                                                                         Ibuprofeno
Sulfasalazine                                                            Sulfasalazine
                    Série 4                                              Acetoaminofen (fraca)
                  Leucotrienos           Protaglandina Serie 2
                                         Tromboxane A2 B2                   Dr. Tsutomu Higashi 48
 *   Utilizado na clínica
Câncer de Próstata
                           5  Reductase
                                                 5 Hidroxi testosterona
                   Testosterona                         (cancerígeno)

                           Aromatase        Moduladores
                                         VIT E
  Estrógenos                             Bioflavonóide (Quercetina e etc.)
                   Estradiol             Isoflavona de Soja Pesticidas Inibem
  Eqüina

                                             Catecol Metil Transfererase
        4 Hidroxiestrona (Cancerígena)       (COMT)
                                                  4 metoxiestrona
                       Oxidação     Inibi Vit E, VIT C, Beta Caroteno, Selênio,
                                          Curcumina, Cisteína e Chá Verde.
               3-4- Quinonas              Potencial Cancerígeno

                       Curcumina + Selênio + Cisteína
                   Excretado                                 Dr. Tsutomu Higashi
                                                                             49
BDORT E ORTOMOLECULAR
Suscetibilidade

                   Polimorfismos
                      Genéticos


                                   34
                  Dr. Tsutomu Higashi50
RISCO DE CÂNCER: TOXIDADE E STRESS
OXIDATIVO
                        •Defeito de detoxificação
                        • Regulação de Citocromo P 450
                        • 2 fase de detox hepática:
                        conjugação de glutation e
                        acetilação
                        • Alteração de metilação
                        catecolamina, stress oxidativo,
                        defeito de detoxificação tem
                        relação com câncer, fadiga
                        crônica, sensibilidade química
                        múltipla e alcoolismo


BDORT E ORTOMOLECULAR                    Dr. Tsutomu Higashi
                                                           51
DOENÇAS
CARDIOVASCULARES
            • Aterosclerose
                        • Hipertensão
                        • Doenças coronarianas
                        defeito de metilação
                        • Síndrome de
                        hipercoagulaçào
                        • Efeito do metabolismo de
                        colesterol
                        • Distúrbios inflamatórios
                        •Marcador geral dos riscos
                        • Marcador de cardio
                        protetors

BDORT E ORTOMOLECULAR                   Dr. Tsutomu Higashi
                                                          52
RECUPERAÇÃO DO APARELHO DIGESTIVO E O CAMINHO
 PARA A CURA DAS ENFERMIDADES




                   Programa de “4R”: Fase de tratamento
                   clínico para recuperação intestinal




     1-Remover resíduos tóxicos e        2- Recolocar Enzimas
     bactérias                           Digestivas e HCL


      3- Reinocular Bífidobactérias,
      Lactobacilus e Fos                4- Reparar com dieta
                                        hipoalérgica e nutrientes
                                        adequados

                                                          Dr. Tsutomu Higashi
                                                                          53
BDORT E ORTOMOLECULAR
Comportamento         Diminuição     Desordens     Muitos projetos Comportamento
       Auto destrutivo       de auto-estima psicológicas Não definidos    anti-social
       Problema de    Contraventor Automedicação Procrastinação Esquecimentos
       personalidade Relacionamento                    Lentidão           perfeccionismo
                                                               Ansiedade
     Comportamento Problemático              Impulsividade                   crônica
     Carregado de risco                                                                Agressão Vícios
                                               Inatenção
                Dificuldade de               Hiperatividade            Extremo          Problema
                começar projetos              SINAIS                   mal humor        Estrutural
                                              E SINTOMAS                                do cérebro
                                             Disfunção do Problema
 MODELO DA MEDICINA                        Neurotransmissor Estrutural
 FUNCIONAL                                cerebral,         do cérebro
                                        Imuno modulatório;
 (ORTOMOLECULAR)                       neuropeptideos e
                                                            Insuficiência
                                       neurotoxinas          de nutrientes
EM DE ATENÇÃO                         MEDIADORES (Efeito Bioquímico)
                                  Disfunção:Intestino vazado
                                Digestão Alergia Ambiental            Disbiose
VIDADE                                                                 Intestinal:
                                Absorção Ambiental/ Intolerância
AL                            Fígado        Infecção crônica e            Parasita
                            Detoxificação Perda de flora normal           Bactéria e
                         Glicemia regulação Distúrbio do Sistema imunológico Fungo
                              GATILHO (Resultado de problema orgânico)

                     Toxina Ambiental                           Abuso, negligência
                                                  Insuficiência ou família
                        Injúria Cerebral
                                                  nutricional “stressora”
                Predisposição Genética
                             ANTECEDENTES (Fator de risco básico)                                        54
O QUE É STRESS NEUROTÓXICO ?
                 +                       +
                                             Crítica
                     Imuno modulatório       Insuficiência
   Neurotoxinas                              de nutrientes   =
                                                             STRESS
                                                             NEUROTÓXICO
      +

Neuropeptídeos
                                                               CÉLULAS
                                                               DENTATA
                                                               GRANULOSAS
                                                               (Zinco E
                                                               Histamina)


                                                                NUCLEO CA3
                                                                (Conexão de
                                                                Prazer e
          Centros Executivos                                    cognição )
          (Chefe do Cérebro)

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                                             Dr. Tsutomu Higashi
                                                                             55
PESTICIDAS E DISRUPÇÃO NEURO ENDÓCRINA
                        Hipotálamo
                         Hipófise

                         Tireóide

                          Timo


                         Pâncreas           Mama

                         Adrenais

                                          Ovários
  Testículos


BDORT E ORTOMOLECULAR
                                     Dr. Tsutomu Higashi
                                                     56
VAZAMENTO DA MUCOSA INTESTINAL CAUSADO
PELAS TOXINAS EXÓGENAS (Ex: Agrotóxicos)




                   TÓXICOS




BDORT E ORTOMOLECULAR
                                Dr. Tsutomu Higashi
                                                57
MUCOSA INTESTINAL NORMAL
                         Camada da Mucosa




                        Junção Compacta

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                            Dr. Tsutomu Higashi
                                                            58
NA FASE II AS SUBSTÂNCIAS INTERMEDIÁRIAS SÃO
STEP 2 No fígado (fase I) as toxinas são                         BIOTRANSFORMADAS PARA SUBSTÂNCIAS SOLÚVEIS
transformadas em substâncias intermediárias                      EM H2O, PARA SEREM EXCRETADAS VIA RENAL.
ainda tóxicas, sua detoxificação completa
será na Fase II.                                                               STEP 5  AS TOXINAS RECIRCULAM
                                              STEP 2                                 NO SANGUE E CONTRIBUEM
                                                             STEP 3                   AO LONGO DO PRAZO PARA
                                                                                           DESEQUILIBRIO
STEP1                                                                                        MOLECULAR DAS
                                                                                             CÉLULAS, PERDA DA
                                                                                         SAÚDE E DA VITALIDADE
                                                                                               STEP 4
                                                                                                  AS TOXINAS
                                                                                                    NÃO
                                                                                                    BIOTRANS
                                                                                                 FORMADAS,
                                                                                               SÃO LEVADAS
                                                                                          PARA O FÍGADO,
                                                                                          ESTOCADA NO
                                                                                          TECIDO GORDUROSO
                                                                                          CÉREBRO E SISTEMA
                                                                                          NERVOSO.




                                                                                                         23

                              APÓS A FASE I, SÃO BIOTRANSFORMADAS EM H2O,        Dr. Tsutomu Higashi
                                                                                                59
                              POR INTERMÉDIO DE NUTRIENTES ANTIOXIDANTES.
Citocromo
                                           P450
  MEDICAMENTOS
QUIMICOS




 Radical
 Livre




                 Health Comm „97 page 17               60
MITOCONDRIOPATIAS
                                      RADICAL L I V R E



  FÓRMULA MOLECULAR
                          T.C.A.
  COEZ Q 10
                                     COEZQ 10
          O                                                 ATP


CH3O              CH3               Coez Q 10
                                     120mg/dia diminui
                                    45% da mortalidade.
                                    Mol. Cell Biochem 2003. Ellis et All
                        CH3    H    360mg/dia melhora parcial do
                                    Parkinsom
 CH3O                               1200 mg/dia melhora atividade
                  CH2CH=CCH2   10   motora do Parkinsom
                                    Shuts Arch Neurology 2002
           O
                                                                     61
BDORT E ORTOMOLECULAR                               Dr. Tsutomu Higashi
OXIDAÇÃO E ALTERAÇÃO MITOCONDRIAL


      Músculo                                                     Fígado
                                                 Olho
      Esquelético
                      Coração

     Cérebro                                                             Rim
                                       Subunidades

                        DNA Nuclear
                                                     ATP
                                                           Pâncreas

                    DNA          Fosforilação
                    Mitocondrial Oxidativa


                                                           Sangue
   Núcleo do
   DNA
                   Colon              Ouvido Interno
BDORT E ORTOMOLECULAR                 (Perda de audição)   Dr. Tsutomu Higashi
                                                                            62
DESTRUIÇÃO DA MEMBRANA CELULAR SOB
  EFEITO DOS RADICAIS LIVRES ( ).



                        RADICAIS LIVRES DESORGANIZANDO
                        A ARQUITETURA DA MEMBRANA.


      FOSFOLIPEDES        PROTEÍNAS INTRA
      DE                  MEMBRANAS
      MEMBRANA




BDORT E ORTOMOLECULAR
                                            Dr. Tsutomu Higashi
                                                             63
RADICAIS         L I V R ES

                                  Mecanismo de deterioração celular
                                  causada pelo estresse oxidativo dos
                                  radicais livres de origem exógena ou
                                  endógena.




Mecanismo de proteção anti-                                   ANTIOXIDANTE
                                                            ANTIOXIDANTE
                                                             ENZIMATÍCO E
radicais      livres      de                                  NUTRIENTES

ANTIOXIDANTE sobre a
membrana celular, proteínas
citoplasmáticas e o DNA
(mitocôndria     e   núcleo).
Mitocôndria 1.000 x mais
deletério em relação ao núcleo.
                                                                    18
BDORT E ORTOMOLECULAR
                                                      Dr. Tsutomu Higashi
                                                                     64
RADICAL LIVRE :                              Glicose              Oxigênio
 TÓXICO INTERMEDIÁRIO

                                                                        Mitocôndria

                                               Núcleo               Membrana Celular

                                                               97 %
                                 Cromossomo
                                                   3%
                                                             Energia

             DNA mitocondrial                           RADICAL DE OXIGÊNIO=
             danificado                                 RADICAL LIVRE
                                                        (SUPERÓXIDO) COM
                                           SOD          ELÉTRON NÃO-PAREADO
                                                        (MANCHA ESCURA)
                                                          Peróxido de Hidrogênio


                                                        Catalase
                                Membrana celular
                                danificada
                                                                        Oxigênio
       DNA nuclear danificado
                                               Água                               65
BDORT E ORTOMOLECULAR                                              Dr. Tsutomu Higashi
STRESS OXIDATIVO

AO                      AO
NUTRIENTES      RL      NUTRIENTES
ENZIMAS                 ENZIMAS

                                         RL


     NORMAL
     (EQUILÍBRIO)        STRESS OXIDATIVO
                         (DESEQUILÍBRIO)

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                     Dr. Tsutomu Higashi66
IDADE     ESTADO       ATEROSCLEROSE       CANCER

   20       INICIAL       COLESTEROL        EXPOSIÇÃO
                                          CARCINOGENICA

   30     DISCERNIVEL   PLACAS PEQUENAS    METAPLAZIA
                        (ARTEREOGRAFIA)     CELULAR

   40     SUBCLINICO    PLACAS GRANDES     METAPLAZIA
                        (ARTERIOGRAMAS)    AUMENTADA

   50      UMBRAL       CLAUDICAÇÃO NO     CARCINOMA
                           EXERCICIO         IN SITIO

   60       SEVERO          ANGINA           CANCER
                                             CLINICA

   70         FIM           AVC 1 AM         CANCER
                                           METASTATICO


                                            Dr. Tsutomu Higashi
                                                             67
BDORT E ORTOMOLECULAR
IDADE     ESTADO            ARTROSE                DIABETE

   20       INICIAL        ALTERAÇÃO MIN.           OBESIDADE
                              CARTILAGEM


   30     DISCERNIVEL   REDUÇÃO MIN. DE ESPAÇO      TOLERANCIA
                           INTRA ARTICULAR          ANORMAL DE
                                                      GLICOSE

   40     SUBCLINICO       DESGASTE ÓSSEO        HIPER GLICEMIA EM
                                                       JEJUM


   50       UMBRAL       DOR ARTICULAR LEVE         GLICOSURIA



   60       SEVERO          DOR ARTICULAR        HIPOGLICEMIA POR
                              MODERADA                DROGA
                                                    RES. INSUL.
   70        FIM              INVALIDEZ             CEGUEIRA
                                                   NEVROPATIA,
                                                   NEFROPATIA


BDORT E ORTOMOLECULAR                               Dr. Tsutomu Higashi
                                                                    68
PROGRESSÃO DA DOENÇA
          GENS, HÁBITO        ENDOTOXINAS
          DIETA               EXOTOXINAS
          MEIO AMBIENTE

DROGAS E
                                            INTOXICAÇÃO
MEDICAÇÕES.
                                            METABÓLICA



                                       DA RESISTÊNCIA
  SINTOMAS                            COMPROMETIMENTO
  CRÔNICAS.                           HEPÁTICO
                   FUNCIONAMENTO
                   DE ORGÃOS /
                   SISTEMAS
                   CORTAR CICLO.
BDORT E ORTOMOLECULAR
                                            Dr. Tsutomu Higashi
                                                             69
POLIMORFISMO NUCLEOTÍDEOS SIMPLES




                                              8
                        Dr. Tsutomu Higashi   70
TRIADES DAS ENFERMIDADES
                                             EX:
                        GENOMA               CARDIOVASCULAR
                                             CEREBROVASCULAR
                                             CÂNCER
                                             ARTROSE
                                             OSTEOPOROSE
                                             COLITES
                                             ALERGIAS
                                             ASMAS
                                   MEIO
           ORGANISMO:            AMBIENTE:

           DETOX                 AR
           DIAITA                COMIDA
           PROTEÔMICA            ÁGUA
                                 CONTACTO
            REGULAÇÃO            IRRADIAÇÃO
              SNPs

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                                Dr. Tsutomu Higashi
                                                                 71
8 das 10 causas de morte estão
   relacionadas com Erro Nutricional:
 1. Doença do Coração 36.4%   We can all    I don’t think
 2. Câncer           22.3%    be thankful   that I could
 3. Doença CV         7.1%    for the       pay my
                              miracle of    mortgage
    ADR’s??
                              bypass.       without it.
 4. Acidentes         4.6%
 5. Doença Pulmonar 3.6%
 6. Pneumonia, Gripe 3.3%
 7. Diabete           1.8%
 8. Suicidios         1.5%
 9. Doença Hepática   1.2%
10. Arterosclerose    1.1%
11. Outras Causas     3.4%
BDORT E ORTOMOLECULAR                       Dr. Tsutomu Higashi72
EL CLÍNICO
   Digestão, absorção e desequilíbrio
   microbiológico.
   Desequilíbrio de detox e
   biotransformação.
   Desequilíbrio de óxido – redução e
   mitocondriopatia.
   Desequilíbrio imunológico e inflamatórios.
   Desequilíbrio estrutural da função de
   membrana celular para sistema músculo
   esquelético.
                                  Dr. Tsutomu Higashi
                                                   73
 BDORT E ORTOMOLECULAR
PRINCÍPIOS BIOLÓGICOS
  Comunicação intercelulares.
Bioenergéticos:
  Alimentos e Energia.
  Reposição e manutenção da integridade
celular a partir da célula para organismo.
  Eliminação de resíduos e sua defesa.
  Circulação e transporte de nutrientes para
  organismo.

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                      Dr. Tsutomu Higashi
                                                       74
COMO O ALIMENTO, AMBIENTE TÓXICO E OXIDAÇÃO (RL)
AFETAM A EXPRESSÃO GENÉTICA


                 ALIMENTOS,
                 NUTRIENTES E

                                                EXPRESSÃO DE
                                                ALGUMAS
                                                CARACTERÍSTICAS
                                                GENÉTICAS


                MEIO AMBIENTE
                EX: AGROTÓXITOS



                                  FUNÇÃO DO FENÓTIPO
GENE CODIFICADO                   INDIVIDUAL (DOENÇAS)
EM DNA CROMOSSOMAL
                                                 Dr. Tsutomu Higashi
                                                                   75
4 PILARES DA SAÚDE
                                    • Dr. Leo Galland

                        Cosmos
                        Social                    Dieta
 1- Relacionamento
                        Familiar   2- DIAITA      Exercício
                                                  • Relaxamento
                        Consigo Mesmo             Sono

                     Ar
                                                   Genoma
 3- Meio Ambiente    Água                          Proteômica
                            4- Detoxificação
                     Comida                        Nutrientes
                     Contacto                      Hábitos


                                                                 76

BDORT E ORTOMOLECULAR
                                           Dr. Tsutomu Higashi
A média do sistema
circulatório consiste acima de
    60.000 milhas de vasos
         sangüíneos.
    1 milha = 1.609 metros
NOVA ABORDAGEM PARA CUIDAR DA
SAÚDE
I- Princípios Genéricos
         Individualidade Bioquímica
         Estudo centrado do Paciente
         Homeostase - Equilíbrio dinâmico dos
       fatores EXT e INT
         Interconexão de multifatores
         Vitalismo (Saúde como vitalidade positiva)
         Promover reserva funcional dos órgãos
         Basear no processo fisiológico que apóia
       homeostase e melhorar a sua função.
BDORT E ORTOMOLECULAR
                                        Dr. Tsutomu Higashi
                                                         79
MALHA DE INTERCONEXÃO DAS RAIZES DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS
                                            1

                               FATOR MEIO AMBIENTE

           2                                                             8
     DESEQUILÍBRIO                                         PRODUÇÃO DA ENERGIA E
  INFLAMATÓRIO IMUNE                                          STRESS OXIDATIVO

           3                                                              7
     ESTADO
 GASTROINTESTINAL                                               DETOXIFICAÇÃO

           4                                                              6
 ESTRUTURA MÚSCULO                                             HORMÔNIO E
    ESQUELÉTICO                                            NEUROTRANSMISSORES


                                                5
                             MENTE,ESPÍRITO, EMOÇÃO
                                 E COMUNIDADE
                                                                 Dr. Tsutomu Higashi
Text Book. Medicina Funcional 2005. David S. Jone Editor
NUTRIGENOMICO, NUTRIPROTEOMICO:
         FUNÇÃO CELULAR E ENFERMIDADE HUMANA
   Expressão genética
       do genoma
                                              Proteômicos                   Metabolomico
          Enzima                                                        Função          Resultado
         Polimerase                               Ribossomos                            da saúde
                                                                        Celular
            RNA                              mRNA                     100.000 Proteínas (fenótipo)

30.000 Gene
                         Transcrição do
                         Código Genético
                                            ↑Nutrientes
                                            (Vit D, Zinco e Selênio)Proteínas
                        Modulação de
                         Nutrientes
                                                                                    Modulação de
                        NÚCLEO             Citoplasma                                Nutrientes
  Expressão genética de
 Polimorfismo Nucleotídeo
                                           Proteômicos                          Metabolomico
      Simples (SNP)                                                     Função Celular        Fadiga,
            Enzima                                   Ribossomos Comprometida                Dor e outras
           Polimerase                        mRNA                                          enfermidades
              RNA                                                       Proteínas Alteradas funcionais


  Gene

                        Polimorfismo Deficiência de
                          Genético    Nutrientes
                                                                Proteínas
                                            (↓Toxidade)                              Modulação de
                        NÚCLEO
                                           Citoplasma                                 Nutrientes
COMO O ALIMENTO, AMBIENTE TÓXICO E OXIDAÇÃO
(RADICAL LIVRE) AFETAM A EXPRESSÃO GENÉTICA
                                               EXPRESSÃO DE
                                                  ALGUMAS
               SUPLEMENTO NUTRICIONAL
                                              CARACTERÍSTICAS
                         +
                                                 GENÉTICAS
                 ALIMENTO FUNCIONAL




                      MEIO AMBIENTE
                     EX: AGROTÓXICOS
                       (Radical Livre)
                          NFK-Beta
GENE CODIFICADO                          FUNÇÃO DO (FENÓTIPO)
EM DNA CROMOSSOMAL                       INDIVIDUAL (DOENÇAS)
(GENÓTIPO)                                     Dr. Tsutomu Higashi
VAZAMENTO DA MUCOSA INTESTINAL CAUSADO
 PELAS TOXINAS EXÓGENAS (Ex: Agrotóxicos)




             TÓXICOS




                                Dr. Tsutomu Higashi
Destruição da membrana celular sob efeito dos
         Radical Livre ( ).



                     RADICAIS LIVRES DESORGANIZANDO
                     A ARQUITETURA DA MEMBRANA.


   FOSFOLIPEDES        PROTEÍNAS INTRA
       DE              MEMBRANAS
    MEMBRANA




                                          Dr. Tsutomu Higashi
Isquemia de Reperfusão – Radicais livres
      Situações Clínicas
         Coronáriopatias
         Acidente vascular isquêmico
         Artrose
         Insuficiência vascular periférico
         etc.

     PROGRESSÃO DE ATEROSCLEROSE

                    INICIAL - JOVEM




                        TROMBO                PCR-U
                                              PAI
                           +                  Integrina
                      INFLAMAÇÃO              Colesterol Normal 60% dos casos
ASPECTOS QUE ENVOLVEM DOENÇAS CRÔNICAS


         DESEQUILÍBRIO   DETOX
         NUTRICIONAL     ALTERADA




DESEQUILÍBRIO                     STRESS
HORMONAL                          OXIDATIVA




                         DEFICIÊNCIA
          DISFUNÇÃO
                         IMUNOLÓGICA E
          INTESTINAL     INFLAMATÓRIA
50 toneladas de alimentos / ano


                     Conteúdo fecal




Fígado



                Bactéria fecal   Bactéria amiga
                 patogênica      (Lactobacilus e
                                 Bifudobacteria)
Dr. Tsutomu Higashi
LONGEVIDADE SAUDÁVEL
INFLUÊNCIA GENÉTICA X NÃO GENÉTICO


                10%



                               Genético
                               Não Genético




              90%
MUCOSA INTESTINAL NORMAL
          Camada da Mucosa




         Junção Compacta
                             Dr. Tsutomu Higashi
BASE TERAPÉUTICA COM
               ANTIOXIDANTE (SINERGISMO )
INICIADOR DE RADICAL LIVRE
(Radiação, Drogas e Alteração
da atividade enzimática orgânica)
                                Capturado por
               Capturação           Ascorbato Vitamina C     Radical Ascorbil
               Direta                                                    Quercetina
                                                    Bioflavanóide        Rutina
                                                                         Hesperidina
                                                                         Ginko Biloba
                                                                         Picnogenol
  Enzimas Antioxidantes
  (Superoxido Dismutase requer        Tocoferol Vitamina E      Radical Tocoferol
                                                      Carotenóides
  Zinco, Cobre e Manganês)

 2O*2+2H H2O2 + O2                     Glutation Peroxidase          Selênio
                                            H2O2+2GSH            2H2O+GSSG
                       Cisteína           Glutation (GSH) Glutation Disulfito (GSSG)

                                                Glutation Redutase      Vitamina B2
Sintoma de
Intoxicação Cronica
1.   Fadiga
2.   Disturbio de Sono
3.   GI disturbios
4.   Dor de cabeça
5.   Sintomas Alergicos
6.   Confusão - Irritação       Liang, HK.
7.   Ansiedade              Clinical evaluatio
                              of the poisoned
                                patient and
                             toxic syndromes.
                            Clin Chem. 1996
                            42(8B): 1350-135
ASPECTOS QUE ENVOLVEM DOENÇAS CRÔNICAS


         DESEQUILÍBRIO   DETOX
         NUTRICIONAL     ALTERADA




DESEQUILÍBRIO                     STRESS
HORMONAL                          OXIDATIVA




                         DEFICIÊNCIA
          DISFUNÇÃO
                         IMUNOLÓGICA E
          INTESTINAL     INFLAMATÓRIA
FIM


www.ortomoleculardrhigashi.med.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nutrição cerebral e neurotransmissores
Nutrição cerebral e neurotransmissoresNutrição cerebral e neurotransmissores
Nutrição cerebral e neurotransmissoresClínica Higashi
 
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgica
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgicaNeurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgica
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgicaCaio Maximino
 
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticosApresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticosPaula Soares
 
Doença de parkinson
Doença de parkinsonDoença de parkinson
Doença de parkinsonCaioUrsine
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antidepressivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos AntidepressivosAula de Farmacologia sobre Fármacos Antidepressivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos AntidepressivosJaqueline Almeida
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaAroldo Gavioli
 
Sinais e sintomas em neurologia
Sinais e sintomas em neurologiaSinais e sintomas em neurologia
Sinais e sintomas em neurologiaDr. Rafael Higashi
 
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticosPsicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticosCaio Maximino
 
Seminario neuro mal de parkinson
Seminario neuro   mal de parkinsonSeminario neuro   mal de parkinson
Seminario neuro mal de parkinsonHannah Dantas
 
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíaca
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíacaAula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíaca
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíacaMauro Cunha Xavier Pinto
 

Mais procurados (20)

Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
Aula - Cardiovascular - Vasodilatadores
Aula - Cardiovascular - VasodilatadoresAula - Cardiovascular - Vasodilatadores
Aula - Cardiovascular - Vasodilatadores
 
Aula - SNC - Anticonvulsivantes
Aula -  SNC - AnticonvulsivantesAula -  SNC - Anticonvulsivantes
Aula - SNC - Anticonvulsivantes
 
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e HipnóticosAula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
Aula - SNC - Ansiolíticos e Hipnóticos
 
Nutrição cerebral e neurotransmissores
Nutrição cerebral e neurotransmissoresNutrição cerebral e neurotransmissores
Nutrição cerebral e neurotransmissores
 
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgica
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgicaNeurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgica
Neurofarmacologia da neurotransmissão GABAérgica e glutamatérgica
 
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticosApresentação antidepressivos e ansioliticos
Apresentação antidepressivos e ansioliticos
 
Doença de parkinson
Doença de parkinsonDoença de parkinson
Doença de parkinson
 
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antidepressivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos AntidepressivosAula de Farmacologia sobre Fármacos Antidepressivos
Aula de Farmacologia sobre Fármacos Antidepressivos
 
Psicofarmacologia
PsicofarmacologiaPsicofarmacologia
Psicofarmacologia
 
Ansioliticos
AnsioliticosAnsioliticos
Ansioliticos
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
 
Sinais e sintomas em neurologia
Sinais e sintomas em neurologiaSinais e sintomas em neurologia
Sinais e sintomas em neurologia
 
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticosPsicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
Psicofarmacologia e psicoterapia dos transtornos psicóticos
 
Cefaléias Primárias
Cefaléias PrimáriasCefaléias Primárias
Cefaléias Primárias
 
Ansiolíticos
AnsiolíticosAnsiolíticos
Ansiolíticos
 
Depressao no idoso
Depressao no idosoDepressao no idoso
Depressao no idoso
 
Opioides (1)ppt
Opioides (1)pptOpioides (1)ppt
Opioides (1)ppt
 
Seminario neuro mal de parkinson
Seminario neuro   mal de parkinsonSeminario neuro   mal de parkinson
Seminario neuro mal de parkinson
 
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíaca
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíacaAula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíaca
Aula - Cardiovascular - Tratamento da insuficiência cardíaca
 

Destaque

Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecular
Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecularNeurotransmissor cerebral na medicina ortomolecular
Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecularClínica Higashi
 
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORT
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORTIntoxicação por metais pesados e técnica do BDORT
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORTClínica Higashi
 
Introdução ao Ortomolecular
Introdução ao OrtomolecularIntrodução ao Ortomolecular
Introdução ao OrtomolecularClínica Higashi
 
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambiente
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambienteMedicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambiente
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambienteClínica Higashi
 
Ortomolecular para uma longevidade saudável
Ortomolecular para uma longevidade saudávelOrtomolecular para uma longevidade saudável
Ortomolecular para uma longevidade saudávelClínica Higashi
 
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo Clínica Higashi
 
Ortomolecular na Desintoxicação do Organismo
Ortomolecular na Desintoxicação do OrganismoOrtomolecular na Desintoxicação do Organismo
Ortomolecular na Desintoxicação do OrganismoClínica Higashi
 
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesados
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesadosIntoxicação por agrotóxicos e metais pesados
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesadosClínica Higashi
 
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação Saudável
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação SaudávelMedicina Ortomolecular para uma Alimentação Saudável
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação SaudávelClínica Higashi
 
Estudo da medicina Anti-Aging
Estudo da medicina Anti-AgingEstudo da medicina Anti-Aging
Estudo da medicina Anti-AgingClínica Higashi
 
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica Higashi
 
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T Clínica Higashi
 
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXI
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXIMECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXI
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXIClínica Higashi
 
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?Eduardo Litvachkes
 
Guia de consulta oligoelementos
Guia de consulta   oligoelementos Guia de consulta   oligoelementos
Guia de consulta oligoelementos Mirhyam Conde Canto
 

Destaque (20)

Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecular
Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecularNeurotransmissor cerebral na medicina ortomolecular
Neurotransmissor cerebral na medicina ortomolecular
 
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORT
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORTIntoxicação por metais pesados e técnica do BDORT
Intoxicação por metais pesados e técnica do BDORT
 
Introdução ao Ortomolecular
Introdução ao OrtomolecularIntrodução ao Ortomolecular
Introdução ao Ortomolecular
 
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambiente
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambienteMedicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambiente
Medicina Ortomolecular: agrotóxicos na alimentação e meio ambiente
 
Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular
 
Medicina ortomolecular
Medicina ortomolecularMedicina ortomolecular
Medicina ortomolecular
 
Ortomolecular para uma longevidade saudável
Ortomolecular para uma longevidade saudávelOrtomolecular para uma longevidade saudável
Ortomolecular para uma longevidade saudável
 
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo
Estudo da Medicina Antienvelhecimento no Mundo
 
Ortomolecular na Desintoxicação do Organismo
Ortomolecular na Desintoxicação do OrganismoOrtomolecular na Desintoxicação do Organismo
Ortomolecular na Desintoxicação do Organismo
 
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesados
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesadosIntoxicação por agrotóxicos e metais pesados
Intoxicação por agrotóxicos e metais pesados
 
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação Saudável
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação SaudávelMedicina Ortomolecular para uma Alimentação Saudável
Medicina Ortomolecular para uma Alimentação Saudável
 
Estudo da medicina Anti-Aging
Estudo da medicina Anti-AgingEstudo da medicina Anti-Aging
Estudo da medicina Anti-Aging
 
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor MuscularClínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
Clínica de Dor no Tratamento da Dor Muscular
 
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T
Metais tóxicos, Agrotóxicos, Asbestos e conservantes pelo método B.DO.R.T
 
Células-Tronco brasil
Células-Tronco brasilCélulas-Tronco brasil
Células-Tronco brasil
 
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXI
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXIMECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXI
MECICINA ANTI AGING-CIÊNCIA DO SÉCULO XXI
 
Seminário Ortomolecular
Seminário OrtomolecularSeminário Ortomolecular
Seminário Ortomolecular
 
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?
¿Ortomolecular? holistico? medicina alternativa?
 
Oligoelementos
OligoelementosOligoelementos
Oligoelementos
 
Guia de consulta oligoelementos
Guia de consulta   oligoelementos Guia de consulta   oligoelementos
Guia de consulta oligoelementos
 

Semelhante a MEDICINA ORTOMOLECULAR: O USO DE VITAMINAS, MINERAIS E DESINTOXICANTES PARA OTIMIZAR A SAÚDE COMO UM TODO

Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas
Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas
Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas 4003
 
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraOzonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraMaria Emilia Gadelha Serra, MD
 
Obesidade e Diabetes Tipo 2 a Importância da Disfunção Mitocondrial
Obesidade e Diabetes Tipo 2  a Importância da Disfunção MitocondrialObesidade e Diabetes Tipo 2  a Importância da Disfunção Mitocondrial
Obesidade e Diabetes Tipo 2 a Importância da Disfunção MitocondrialVan Der Häägen Brazil
 
Ortomolecular e Teste Bdort
Ortomolecular e Teste BdortOrtomolecular e Teste Bdort
Ortomolecular e Teste BdortClínica Higashi
 
Estresse oxidativo e Doenças Cardiovasculares
Estresse oxidativo e Doenças CardiovascularesEstresse oxidativo e Doenças Cardiovasculares
Estresse oxidativo e Doenças CardiovascularesFabrício Bragança
 
MAPA mental rabdomiólise completo 6 (1).pdf
MAPA mental rabdomiólise completo  6 (1).pdfMAPA mental rabdomiólise completo  6 (1).pdf
MAPA mental rabdomiólise completo 6 (1).pdfthassiofranklin
 
Estudos de geriatria em cães
Estudos de geriatria em cãesEstudos de geriatria em cães
Estudos de geriatria em cãesLeonora Mello
 
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapia
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapiaDislipidemia_Fisiopatologia dietoterapia
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapiaNiellyNoronha1
 
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.ppt
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.pptDislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.ppt
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.pptAlexConceioBrito
 
Ozonioterapia em oncologia 2015 - maria emilia gadelha serra
Ozonioterapia em oncologia   2015 - maria emilia gadelha serraOzonioterapia em oncologia   2015 - maria emilia gadelha serra
Ozonioterapia em oncologia 2015 - maria emilia gadelha serraMaria Emilia Gadelha Serra, MD
 
Revista Bifórmula Informa - Med Esportiva - 2015
Revista Bifórmula  Informa - Med Esportiva - 2015Revista Bifórmula  Informa - Med Esportiva - 2015
Revista Bifórmula Informa - Med Esportiva - 2015Sylvia Ferreira
 

Semelhante a MEDICINA ORTOMOLECULAR: O USO DE VITAMINAS, MINERAIS E DESINTOXICANTES PARA OTIMIZAR A SAÚDE COMO UM TODO (20)

Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas
Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas
Estrés oxidativo en enfermedades degenerativas crónicas
 
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha SerraOzonioterapia   Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
Ozonioterapia Nova antiga ferramenta - Maria Emilia Gadelha Serra
 
Obesidade e Diabetes Tipo 2 a Importância da Disfunção Mitocondrial
Obesidade e Diabetes Tipo 2  a Importância da Disfunção MitocondrialObesidade e Diabetes Tipo 2  a Importância da Disfunção Mitocondrial
Obesidade e Diabetes Tipo 2 a Importância da Disfunção Mitocondrial
 
Ortomolecular e Teste Bdort
Ortomolecular e Teste BdortOrtomolecular e Teste Bdort
Ortomolecular e Teste Bdort
 
Estresse oxidativo e Doenças Cardiovasculares
Estresse oxidativo e Doenças CardiovascularesEstresse oxidativo e Doenças Cardiovasculares
Estresse oxidativo e Doenças Cardiovasculares
 
Faculdade de medicina de petropólis
Faculdade de medicina de petropólisFaculdade de medicina de petropólis
Faculdade de medicina de petropólis
 
aines.ppt
aines.pptaines.ppt
aines.ppt
 
Aies
AiesAies
Aies
 
Aines 3
Aines 3Aines 3
Aines 3
 
Apresentacao speo
Apresentacao speoApresentacao speo
Apresentacao speo
 
Terapia ortomolecular
Terapia ortomolecularTerapia ortomolecular
Terapia ortomolecular
 
MAPA mental rabdomiólise completo 6 (1).pdf
MAPA mental rabdomiólise completo  6 (1).pdfMAPA mental rabdomiólise completo  6 (1).pdf
MAPA mental rabdomiólise completo 6 (1).pdf
 
Estudos de geriatria em cães
Estudos de geriatria em cãesEstudos de geriatria em cães
Estudos de geriatria em cães
 
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapia
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapiaDislipidemia_Fisiopatologia dietoterapia
Dislipidemia_Fisiopatologia dietoterapia
 
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.ppt
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.pptDislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.ppt
Dislipidemia_Fisio_2019 (1) o melhor.ppt
 
Hipercalemia
HipercalemiaHipercalemia
Hipercalemia
 
Ozonioterapia em oncologia 2015 - maria emilia gadelha serra
Ozonioterapia em oncologia   2015 - maria emilia gadelha serraOzonioterapia em oncologia   2015 - maria emilia gadelha serra
Ozonioterapia em oncologia 2015 - maria emilia gadelha serra
 
Revista Bifórmula Informa - Med Esportiva - 2015
Revista Bifórmula  Informa - Med Esportiva - 2015Revista Bifórmula  Informa - Med Esportiva - 2015
Revista Bifórmula Informa - Med Esportiva - 2015
 
VITAMINA D
VITAMINA D VITAMINA D
VITAMINA D
 
Corticóides
CorticóidesCorticóides
Corticóides
 

Último

ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 

Último (10)

ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 

MEDICINA ORTOMOLECULAR: O USO DE VITAMINAS, MINERAIS E DESINTOXICANTES PARA OTIMIZAR A SAÚDE COMO UM TODO

  • 1. MEDICINA ORTOMOLECULAR: O USO DE VITAMINAS, MINERAIS E DESINTOXICANTES PARA OTIMIZAR A SAÚDE COMO UM TODO Dr. Tsutomu Higashi – médico patologista, nutrólogo e pesquisador da medicina ortomolecular www.ortomoleculardrhigashi.med.br
  • 2. Demonstração Esquemática dos Benefícios da Vitamina E (Tocofecol) Publicado no Fórum IFM – 2002 Aumenta mediador da imunidade celular Aumenta oxido nítrico endotelial Diminuição de agregação plaquetária Diminui alta sensibilidade de PCR Aumenta atividade fibrinolítica Diminui PAI 1 e P selectina) Diminui NF Kappa Beta Diminuição de citocinas proinflamatório Diminui oxidação in vivo Coe Q10 VITAMINA E e Proaterogenico (IL 1B, TN Alfa e IL 6) 100 ui – 400 ui – 600 ui- Diminui F2 isoprostanos 800 ui – 1200 ui Diminui proliferação celular da (marcadores de peroxidação lipídica) musculatura lisa Diminui LDL oxidada em “vitro” Melhora disfunção Endotelial Diminui produção de tromboxane Diminui hemoglobina A1C Em diabete tipo I Diminui adesão monocitaria em endotélio vascular (ICMA – Intra Celular Molecular Adesão VCMA – Vascular Celular Molecular Adesão
  • 4.
  • 5.
  • 6. AM.J. OF CARDIOLOGY 1992  Increase of cardiovascular diseases incidence in patients with slight high leves of free plasmatic iron.
  • 7. J. OF GERONT. 1970 decrease incidence of cardiovascular diseases in blood donors. Iron??
  • 8. Iron chelation improves endothelial function in patients with coronary diseases.  Iron chelators improved nitric-oxide mediated endothelium dependent vasodilatation in patients with coronary artery diseases, these results suggest that iron availability contributes to impared nitric oxide action in atherosclerosis.  Circulation. 2001, 103;2788-2804  Duffy and col. Evans dpt of med. And whitaker card. Inst.Boston univ. Scholl of med.
  • 9. NEUROLOGY 2000-MASAKIET AL  Estudo Haas  Demonstro que a combinacao de vitaminas C, e da vitamina E, se associa a uma reducao de 88% na frequencia de demencia de origem vascular
  • 10. LANCET 1996-ESTUDO CAOS  Vitamina E-1.5 anos de follow up-400- 800UI  77% de reducao do infarto de miocardio nao fatal,  e de 47% dos eventos cardiovasculares combinados  Efeito obtido apos 200 dias de tratamento
  • 11. VITAMIN E HUMAN STUDIES  Health Professional’s Follow-up to the Physician’s Health Study  39,910 men, ages 40-70  subjects with the highest vitamin E intake (> 60 IU / day) had a 36% lower risk of coronary disease after 4 years NEJM 1993;328(20):1450-1466
  • 12. CIRCULATION 1999  VITAMIN E and  VITAMIN C  reduce endotelial injury  nitric oxide protection
  • 13. VITAMIN E HUMAN STUDIES  Nurse’s Health Study 87,245 women, ages 34-59, with no prior heart disease those taking  100 IU/d of vitamin E for  2 years, had 40% lower risk of developing CAD after 8 years NEJM 1993;328(20):1444-1449
  • 14. Argini na No Sintetasa +O NO- 2 Peroxido Nitroso Fator de Fator de relajamento constricción endoterial. Vascular
  • 16. APO.A APO.B Colesterol LpA HDL Homocisteina LDL Fibrinogenio VLDL PCR
  • 17. APO-B LDL Ox L Fator Herdado p IAM paciente jovem A Atividade Plasminogeno LDL sh D LDL Ox ~
  • 18. Endotelio Cérebro Homocisteina Teratogenesis Câncer Metionina
  • 19. RL Monomeros Fibrinogenios Fibrina Soluble Insoluble Coagulación
  • 20. H. Pilory PRC Clamidia Herpes Macrofagos Inflamación (leucotrienos)
  • 21. ENSTROM. UNIV. CALIF. LOS ANGELES  11 pacientes americanos  Utilizando um grupo com 300 mgs de suplementção de vitamina C, contra grupo placebo usando 50 mg de vitamina C.  Os autores concluem que a vitamina C reduz em 50 % a incidencia de infarto de miocardio em homens e 40% em mulheres.  Segundo os autores o consumo de vitamina C associa-se a um aumento de sobrevida de 6 anos.  Epidemiology 1992
  • 22. WILLIS. CANAD. J. MED. ASSOC. 1954  Identificou o deposito de placas ateroscleroticas com contraste e RX, metade dos pacientes receberom 1.5 gr de vitamina C por dia, a outra metade não recebeu a suplementação.  Os pacientes com Vitamina C, reduziram em 30% o tamanho das placas após 10-12 meses de estudo, o grupo controle não moficou, pelo contrario em alguns casos ate aumento.  Estudo feito há 40 anos, e nunca repetido
  • 23. NEWMNA AND HULLEY. JAMA 1996  Carcinogenecity of lowering drug cholesterol: incluindo vastatinas e fibratos.  Provocando cancer em animais de laboratorio. A pergunta dos autores: Como a FDA liberou estas drogas para venda para milhões de pacientes com aterosclerose.  A resposta: as companias farmaceuticas produtoras destos produtos, menosprezam a importancia destos efeitos colaterais removendo assim os obstaculos para sua aprovação
  • 24. FOLKERS K. UNIV. DE TEXAS.  O uso de vastatinas associa-se a uma diminuição de ubiquinona, podendo ser a causa de lesão muscular.  Proc. Of de Nat. Acad. Of Scienc. 1990
  • 25. NEWMAN. NEJM.20001  Os resultado confirmam a alta prevalencia e persistencia do declinio cognitivo apos cirurugia de revascularizacao miocardica, sugirindo um padrao de rapida recuperacao seguida por um declinio posterior que pode ser anticipado por um declinio cognitiva na fase temprana pos-operatoria
  • 26. FREE RADICAL THEORY OF AGING DENHAM HARMAN, M.D. ,PH.D. (1954)  Aging occurs as cells are permanently damaged by continual attacks from chemical particles known as free radicals.
  • 27. “75 percent of an individual’s health after age 40 is dependent upon what the person has done to his or her genes, not to the genes themselves.” Jeffrey S. Bland, Ph.D. Genetic Nutritioneering, 1999 p. 65 75% 25% Murray, CJL, Lopez AD. Alternative projections of mortality by cause 1990-2020: global burden of disease. Lancet. 1997; 349:1498-1504.
  • 28. ATP 95-98% O 2 Citrocomo RL (3-5%) Oxidasa (Zn-Mg) R: Molécula com electron no pareado en la orbita externa.
  • 31. Enzima Moléculas Química Antioxid O- Superoxido 2 SOD-MN O- SOD CO Superoxido 2 ZN Peroxido de Catalasa H O hidrogênio GL PX 2 2 Peroxido - Lipidico COOH GL PX - Radical OH Hidroxilo
  • 32. Enzima Química Antioxid Molécula Oxigênio O 1 Singlet 2 Oxido - Nítrico NO Burst Inflamación Respiratório Isquemia e reperfusion
  • 33. COMO USAR 5 HIDROXITRIPTOFANO PARA DEPRESSIVOS? 1.º Soro EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g VITAMINA C 5ML – 1g COMPLEXO B 1 A - 2 ML SORO FISIOLÓGICO -100 ML Endovenoso administrado de 15 A 20 minutos 1 À 2 vezes por Semana. 2.º Soro SORO FISIOLÓFICO - 100 ML (P1= 0,5ml / P2= 0,75ml / P3= 1ml / P4= 1,25 ml )* * 5 Hidroxtriptofano tem 2 apresentações de 1 A = 5ml/ 20mg ou 1 A = 2ml /4mg OBS: 5 Hidroxtriptofano pode ter efeito gástrico quando aplicado em excesso. Endovenoso administrado em 30 minutos (quando depressão é grave pode fazer diariamente até melhorar). ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO 33 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi
  • 34. COMO ACRESCENTAR RIBOFLAVINA EM DOENÇAS NEURODEGENERATIVA QUE REQUER GLUTATION REDUTASE EX: PARKINSOM, AVCI. 1.º Soro EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g VITAMINA C 5ML – 1g COMPLEXO B 1 A - 2 ML SORO FISIOLÓGICO -100 ML Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana. Não é necessário acrescentar 2.º Soro, podendo ser utilizando com quelante. RIBOFLAVINA 1 A = 50MG/5 ML (Pode acrescentar um ampola ou até 2 ampola). ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO 34
  • 35. COMO ACRESCENTAR ACIDO LIPÓICO INDICAÇÃO QUANDO TEM OXIDAÇÃO VASCULAR E SISTEMA NERVOSO INTENSO EX: NEUROPATIA DIABÉTICA, STRESS OXIDATIVO HEPÁTICA (GAMA GT ELEVADO) 1.º Soro EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g VITAMINA C 5ML – 1g COMPLEXO B 1 A - 2 ML SORO FISIOLÓGICO -100 ML Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana. 2.º Soro SORO SOROLÓGICO – 100 ML ACIDO LIPÓICO - 600 mg/24 ML (P1= 12 ml/ P2 = 24ml ) 11 ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO 35
  • 36. COMO ACRESCENTAR MSM (METILSULFONILMETANO) PODE SUBISTITUIR DMSO QUANDO O PACIENTE NÃO SUPORTA O ODOR. EX: ARTRITE, ARTROSE, FIBROMIALGIA E DORES MIOFASCIAIS. 1.º Soro EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g VITAMINA C 5ML – 1g COMPLEXO B 1 A - 2 ML SORO FISIOLÓGICO -100 ML Endovenoso administrado de 15 a 20 minutos 1 à 2 vezes por semana. Não é necessário acrescentar 2.º Soro, podendo ser utilizando com quelante. MSM 15% 1 A = 10 ml (P1= 12 ml/ P2 = 24ml ) 36 ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO
  • 37. COMO USAR 5 HIDROXITRIPTOFANO PARA DEPRESSIVOS? 1.º Soro EDTA DE CÁLCIO 15% 10 ML- 1,5g SULFATO DE MAGNÉSIO 10% 5 ML- 0,5g VITAMINA C 5ML – 1g COMPLEXO B 1 A - 2 ML SORO FISIOLÓGICO -100 ML Endovenoso administrado de 15 A 20 minutos 1 À 2 vezes por Semana. 2.º Soro SORO FISIOLÓFICO - 100 ML (P1= 0,5ml / P2= 0,75ml / P3= 1ml / P4= 1,25 ml )* * 5 Hidroxtriptofano tem 2 apresentações de 1 A = 5ml/ 20mg ou 1 A = 2ml /4mg OBS: 5 Hidroxtriptofano pode ter efeito gástrico quando aplicado em excesso. Endovenoso administrado em 30 minutos (quando depressão é grave pode fazer diariamente até melhorar). ÚNICA PRECAUÇÃO QUALIDADE SORO FISIOLÓGICO, ISTO É, CHOQUE PIROGÉNICO 37 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi
  • 38. DMSO TRANSDÉRMICA (DORES E INFLAMAÇÃO) DMSO - 60 % Diclofenac de K -2% Arnica TM – 20 % Carbopol q.s.p. – 100 g Manipulado em farmácia de manipulação que atende Ortomolecular. Aplicar 3 x ao dia no local lesado ou dores DMSO TRANSDÉRMICA (HEMATOMA E TRAUMÁTICA) DMSO - 30 % JAN GU TZ JIN TANG ALCOOLICA 10% - 20% Carbopol q.s.p. – 50 g INDICAÇÃO: HEMATOMAS ISQUEMIA TRAUMA POS CIRURGIA (ONDE TEM SANGUE COAGULADO) JAN GU TZ JIN TANG é a fórmula da fitoterapia de Medicina Tradicional Chinesa que tem propriedade de promover neovascularização, ativa circulação, elimina estase, dor acelera processo de cicatrização e calcificação óssea. Retira estagnação de sangue causada por trauma no sistema dermato ósteo muscular 38
  • 39. D) Terapias Endovenosa •DMSO: ANTIOXIDANTE •H2O2: OXIDANTE •EDTA DE CÁLCIO •5 HIDROXI TRIPTOFANO •TAURINA •ÁCIDO LIPÓICO •MSM – METILSULFONILMETANO •RIBOFLAVINA •DOLAMIM = NOME COMERCIAL BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 39
  • 40. GABA PREDOMINA LÓBULO TEMPORAL PERSONALIDADE – TRADICIONAL – MÍSTICA- ESOTÉRICA Substância negra Giro cingulado Córtex frontal Estriado Área tegmental ventral Núcleo accumbens Hipófise Hipotálamo Hipocampo BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 40
  • 41. PREDOMINÂNCIA DA SEROTONINA NO CÉREBRO LÓBULO OCCIPITAL) - VOCAÇÃO DE ARTESÃO – HABILIDADE GERAL - Tálamo Neo-Córtex Núcleo dorsal da rafe Hipocampo Cerebelo Protuberância Núcleo magno da rafe Medula Espinhal BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 41
  • 42. DOPAMINA PREDOMINA NA REGIÃO FRONTAL DO CÉREBRO- PERSONALIDADE ESTRATEGISTA Substância negra Giro cingulado Córtex frontal Estriado Área tegmental ventral Núcleo accumbens Hipófise Hipotálamo Hipocampo BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 42
  • 43. NOÁCIDOS PRECURSORES DE ROTRANSMISSORES E NEUROMODULADORES Acetil Colina Ácido Oxido Nítrico Aspartico Colina Gaba Ac. Glutâmico Histidina * Histamina Glutamina Aminoácidos Metionina * Taurina Ac.Glutâmico Cisteína Tirosina Serotonina Tirosina Melatonina Dopamina Dopamina Nor Epinefrina Nor Epinefrina *AA- ESSÊNCIAS (ORGANISMO NÃO SINTETIZA) BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 43
  • 44. PRECURSORES DE NEUROTRANSMISSORES H O 1) AMINOÁCIDOS SIMPLES: NH2 C C R=H OH 2) NEUROPEPTÍDEOS : 2 OU MAIS AMINOÁCIDOS CATECOLAMINAS: DOPAMINAS E 3) MONO AMINAS NOR EPINEFRINAS INDOLAMINA: SEROTONINA E MELATONINA BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 44
  • 45. CONEXÃO STRESS E IMUNIDADE: DISFUNÇÃO DO EIXO HIPOTALAMO – HIPOFISE -ADRENAL 34 Dr. Tsutomu Higashi 45 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 46. Fator reumatóide e Th2 outros anticorpos Interleucina – 4 Interleucina- 6 Macrófago-TH1 Interleucina -10 Células Th0 plasmáticas Interferon -γ Interferon – γ Interleucina -12 CD4+ T TNF-α B Célula CD 11 Interleucina -1 CD 69 e interleucina -6 OPGL CD 11 Sinovia CD 69 Condrocitos Osteoclasto Fibroblasto Produção de metaloproteínases Pituitário Outros efeitos moleculares (ICAM-1) Corticotropin Migração de células polimorfonucleares Adrenal córtex Erosão de osso e cartilagem 36 46 Inibe inflamação
  • 47. LINFÓCITOS MACRÓFAGOS (THO) TH1 PROINFLAMATÓRIA TH2 ANTIINFLAMATÓRIA TNF ADESÃO DAS MOLÉCULAS IL4 IL1 PG2 – ARTICULAÇÃO – ENDOTÉLIO IL6 IL2 IL10 IL3 IL5 IL6 INTERFERON AUTOIMUNE SISTÉMICO: PGF2 LUPUS SISTÉMICO ÓRGÃO ESPECÍFICO: S.S JOGREN E ETC. ESCLEROSE MÚLTIPLA FADIGA CRÔNICA DOENÇA INFLAMATÓRIA HIV INTESTINAL E ETC. LEPRA LESHIMANIA ESQUISTOSSOMOSE MAIOR COMPLEXO HISTOCOMPATIBILIDADE (GENE) TH1 TH2 35 Dependem de nutrientes, vitaminas, sais minerais e meio ambiente. Dr. Tsutomu Higashi 47 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 48. Inibidores de Cascata de Ácido Araquidônico (Moduladores de Inflamação) Vit E * Membrana celular-fosfolipideos Quercetina * Fosfolipase A2 Fitoterapia Glicyrrhiza * (Licoricorce) Acido Araquidônico Curcumina * 5- Lipoxigenase Corticóide Ciclooxigenase-1 E.P.A. Quercetina * EPA/DNA * Vit E * Fitoterapia Zingiber Off EPA Curcumina * Curcumina * Salix Nigra Allium cepa Allium Sativa Indometacina Boswellia 12- Lipoxigenase Aspirina Serrata * Ciclooxigenase-2 Ibuprofeno Sulfasalazine Sulfasalazine Série 4 Acetoaminofen (fraca) Leucotrienos Protaglandina Serie 2 Tromboxane A2 B2 Dr. Tsutomu Higashi 48 * Utilizado na clínica
  • 49. Câncer de Próstata 5  Reductase 5 Hidroxi testosterona Testosterona (cancerígeno) Aromatase Moduladores VIT E Estrógenos Bioflavonóide (Quercetina e etc.) Estradiol Isoflavona de Soja Pesticidas Inibem Eqüina Catecol Metil Transfererase 4 Hidroxiestrona (Cancerígena) (COMT) 4 metoxiestrona Oxidação Inibi Vit E, VIT C, Beta Caroteno, Selênio, Curcumina, Cisteína e Chá Verde. 3-4- Quinonas Potencial Cancerígeno Curcumina + Selênio + Cisteína Excretado Dr. Tsutomu Higashi 49 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 50. Suscetibilidade Polimorfismos Genéticos 34 Dr. Tsutomu Higashi50
  • 51. RISCO DE CÂNCER: TOXIDADE E STRESS OXIDATIVO •Defeito de detoxificação • Regulação de Citocromo P 450 • 2 fase de detox hepática: conjugação de glutation e acetilação • Alteração de metilação catecolamina, stress oxidativo, defeito de detoxificação tem relação com câncer, fadiga crônica, sensibilidade química múltipla e alcoolismo BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 51
  • 52. DOENÇAS CARDIOVASCULARES • Aterosclerose • Hipertensão • Doenças coronarianas defeito de metilação • Síndrome de hipercoagulaçào • Efeito do metabolismo de colesterol • Distúrbios inflamatórios •Marcador geral dos riscos • Marcador de cardio protetors BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 52
  • 53. RECUPERAÇÃO DO APARELHO DIGESTIVO E O CAMINHO PARA A CURA DAS ENFERMIDADES Programa de “4R”: Fase de tratamento clínico para recuperação intestinal 1-Remover resíduos tóxicos e 2- Recolocar Enzimas bactérias Digestivas e HCL 3- Reinocular Bífidobactérias, Lactobacilus e Fos 4- Reparar com dieta hipoalérgica e nutrientes adequados Dr. Tsutomu Higashi 53 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 54. Comportamento Diminuição Desordens Muitos projetos Comportamento Auto destrutivo de auto-estima psicológicas Não definidos anti-social Problema de Contraventor Automedicação Procrastinação Esquecimentos personalidade Relacionamento Lentidão perfeccionismo Ansiedade Comportamento Problemático Impulsividade crônica Carregado de risco Agressão Vícios Inatenção Dificuldade de Hiperatividade Extremo Problema começar projetos SINAIS mal humor Estrutural E SINTOMAS do cérebro Disfunção do Problema MODELO DA MEDICINA Neurotransmissor Estrutural FUNCIONAL cerebral, do cérebro Imuno modulatório; (ORTOMOLECULAR) neuropeptideos e Insuficiência neurotoxinas de nutrientes EM DE ATENÇÃO MEDIADORES (Efeito Bioquímico) Disfunção:Intestino vazado Digestão Alergia Ambiental Disbiose VIDADE Intestinal: Absorção Ambiental/ Intolerância AL Fígado Infecção crônica e Parasita Detoxificação Perda de flora normal Bactéria e Glicemia regulação Distúrbio do Sistema imunológico Fungo GATILHO (Resultado de problema orgânico) Toxina Ambiental Abuso, negligência Insuficiência ou família Injúria Cerebral nutricional “stressora” Predisposição Genética ANTECEDENTES (Fator de risco básico) 54
  • 55. O QUE É STRESS NEUROTÓXICO ? + + Crítica Imuno modulatório Insuficiência Neurotoxinas de nutrientes = STRESS NEUROTÓXICO + Neuropeptídeos CÉLULAS DENTATA GRANULOSAS (Zinco E Histamina) NUCLEO CA3 (Conexão de Prazer e Centros Executivos cognição ) (Chefe do Cérebro) BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 55
  • 56. PESTICIDAS E DISRUPÇÃO NEURO ENDÓCRINA Hipotálamo Hipófise Tireóide Timo Pâncreas Mama Adrenais Ovários Testículos BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 56
  • 57. VAZAMENTO DA MUCOSA INTESTINAL CAUSADO PELAS TOXINAS EXÓGENAS (Ex: Agrotóxicos) TÓXICOS BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 57
  • 58. MUCOSA INTESTINAL NORMAL Camada da Mucosa Junção Compacta BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 58
  • 59. NA FASE II AS SUBSTÂNCIAS INTERMEDIÁRIAS SÃO STEP 2 No fígado (fase I) as toxinas são BIOTRANSFORMADAS PARA SUBSTÂNCIAS SOLÚVEIS transformadas em substâncias intermediárias EM H2O, PARA SEREM EXCRETADAS VIA RENAL. ainda tóxicas, sua detoxificação completa será na Fase II. STEP 5 AS TOXINAS RECIRCULAM STEP 2 NO SANGUE E CONTRIBUEM STEP 3 AO LONGO DO PRAZO PARA DESEQUILIBRIO STEP1 MOLECULAR DAS CÉLULAS, PERDA DA SAÚDE E DA VITALIDADE STEP 4 AS TOXINAS NÃO BIOTRANS FORMADAS, SÃO LEVADAS PARA O FÍGADO, ESTOCADA NO TECIDO GORDUROSO CÉREBRO E SISTEMA NERVOSO. 23 APÓS A FASE I, SÃO BIOTRANSFORMADAS EM H2O, Dr. Tsutomu Higashi 59 POR INTERMÉDIO DE NUTRIENTES ANTIOXIDANTES.
  • 60. Citocromo P450 MEDICAMENTOS QUIMICOS Radical Livre Health Comm „97 page 17 60
  • 61. MITOCONDRIOPATIAS RADICAL L I V R E FÓRMULA MOLECULAR T.C.A. COEZ Q 10 COEZQ 10 O ATP CH3O CH3 Coez Q 10  120mg/dia diminui 45% da mortalidade. Mol. Cell Biochem 2003. Ellis et All CH3 H 360mg/dia melhora parcial do Parkinsom CH3O 1200 mg/dia melhora atividade CH2CH=CCH2 10 motora do Parkinsom Shuts Arch Neurology 2002 O 61 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi
  • 62. OXIDAÇÃO E ALTERAÇÃO MITOCONDRIAL Músculo Fígado Olho Esquelético Coração Cérebro Rim Subunidades DNA Nuclear ATP Pâncreas DNA Fosforilação Mitocondrial Oxidativa Sangue Núcleo do DNA Colon Ouvido Interno BDORT E ORTOMOLECULAR (Perda de audição) Dr. Tsutomu Higashi 62
  • 63. DESTRUIÇÃO DA MEMBRANA CELULAR SOB EFEITO DOS RADICAIS LIVRES ( ). RADICAIS LIVRES DESORGANIZANDO A ARQUITETURA DA MEMBRANA. FOSFOLIPEDES PROTEÍNAS INTRA DE MEMBRANAS MEMBRANA BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 63
  • 64. RADICAIS L I V R ES Mecanismo de deterioração celular causada pelo estresse oxidativo dos radicais livres de origem exógena ou endógena. Mecanismo de proteção anti- ANTIOXIDANTE ANTIOXIDANTE ENZIMATÍCO E radicais livres de NUTRIENTES ANTIOXIDANTE sobre a membrana celular, proteínas citoplasmáticas e o DNA (mitocôndria e núcleo). Mitocôndria 1.000 x mais deletério em relação ao núcleo. 18 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 64
  • 65. RADICAL LIVRE : Glicose Oxigênio TÓXICO INTERMEDIÁRIO Mitocôndria Núcleo Membrana Celular 97 % Cromossomo 3% Energia DNA mitocondrial RADICAL DE OXIGÊNIO= danificado RADICAL LIVRE (SUPERÓXIDO) COM SOD ELÉTRON NÃO-PAREADO (MANCHA ESCURA) Peróxido de Hidrogênio Catalase Membrana celular danificada Oxigênio DNA nuclear danificado Água 65 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi
  • 66. STRESS OXIDATIVO AO AO NUTRIENTES RL NUTRIENTES ENZIMAS ENZIMAS RL NORMAL (EQUILÍBRIO) STRESS OXIDATIVO (DESEQUILÍBRIO) BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi66
  • 67. IDADE ESTADO ATEROSCLEROSE CANCER 20 INICIAL COLESTEROL EXPOSIÇÃO CARCINOGENICA 30 DISCERNIVEL PLACAS PEQUENAS METAPLAZIA (ARTEREOGRAFIA) CELULAR 40 SUBCLINICO PLACAS GRANDES METAPLAZIA (ARTERIOGRAMAS) AUMENTADA 50 UMBRAL CLAUDICAÇÃO NO CARCINOMA EXERCICIO IN SITIO 60 SEVERO ANGINA CANCER CLINICA 70 FIM AVC 1 AM CANCER METASTATICO Dr. Tsutomu Higashi 67 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 68. IDADE ESTADO ARTROSE DIABETE 20 INICIAL ALTERAÇÃO MIN. OBESIDADE CARTILAGEM 30 DISCERNIVEL REDUÇÃO MIN. DE ESPAÇO TOLERANCIA INTRA ARTICULAR ANORMAL DE GLICOSE 40 SUBCLINICO DESGASTE ÓSSEO HIPER GLICEMIA EM JEJUM 50 UMBRAL DOR ARTICULAR LEVE GLICOSURIA 60 SEVERO DOR ARTICULAR HIPOGLICEMIA POR MODERADA DROGA RES. INSUL. 70 FIM INVALIDEZ CEGUEIRA NEVROPATIA, NEFROPATIA BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 68
  • 69. PROGRESSÃO DA DOENÇA GENS, HÁBITO ENDOTOXINAS DIETA EXOTOXINAS MEIO AMBIENTE DROGAS E INTOXICAÇÃO MEDICAÇÕES. METABÓLICA DA RESISTÊNCIA SINTOMAS COMPROMETIMENTO CRÔNICAS. HEPÁTICO FUNCIONAMENTO DE ORGÃOS / SISTEMAS CORTAR CICLO. BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 69
  • 70. POLIMORFISMO NUCLEOTÍDEOS SIMPLES 8 Dr. Tsutomu Higashi 70
  • 71. TRIADES DAS ENFERMIDADES EX: GENOMA CARDIOVASCULAR CEREBROVASCULAR CÂNCER ARTROSE OSTEOPOROSE COLITES ALERGIAS ASMAS MEIO ORGANISMO: AMBIENTE: DETOX AR DIAITA COMIDA PROTEÔMICA ÁGUA CONTACTO REGULAÇÃO IRRADIAÇÃO SNPs BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 71
  • 72. 8 das 10 causas de morte estão relacionadas com Erro Nutricional: 1. Doença do Coração 36.4% We can all I don’t think 2. Câncer 22.3% be thankful that I could 3. Doença CV 7.1% for the pay my miracle of mortgage ADR’s?? bypass. without it. 4. Acidentes 4.6% 5. Doença Pulmonar 3.6% 6. Pneumonia, Gripe 3.3% 7. Diabete 1.8% 8. Suicidios 1.5% 9. Doença Hepática 1.2% 10. Arterosclerose 1.1% 11. Outras Causas 3.4% BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi72
  • 73. EL CLÍNICO Digestão, absorção e desequilíbrio microbiológico. Desequilíbrio de detox e biotransformação. Desequilíbrio de óxido – redução e mitocondriopatia. Desequilíbrio imunológico e inflamatórios. Desequilíbrio estrutural da função de membrana celular para sistema músculo esquelético. Dr. Tsutomu Higashi 73 BDORT E ORTOMOLECULAR
  • 74. PRINCÍPIOS BIOLÓGICOS Comunicação intercelulares. Bioenergéticos: Alimentos e Energia. Reposição e manutenção da integridade celular a partir da célula para organismo. Eliminação de resíduos e sua defesa. Circulação e transporte de nutrientes para organismo. BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 74
  • 75. COMO O ALIMENTO, AMBIENTE TÓXICO E OXIDAÇÃO (RL) AFETAM A EXPRESSÃO GENÉTICA ALIMENTOS, NUTRIENTES E EXPRESSÃO DE ALGUMAS CARACTERÍSTICAS GENÉTICAS MEIO AMBIENTE EX: AGROTÓXITOS FUNÇÃO DO FENÓTIPO GENE CODIFICADO INDIVIDUAL (DOENÇAS) EM DNA CROMOSSOMAL Dr. Tsutomu Higashi 75
  • 76. 4 PILARES DA SAÚDE • Dr. Leo Galland Cosmos Social Dieta 1- Relacionamento Familiar 2- DIAITA Exercício • Relaxamento Consigo Mesmo Sono Ar Genoma 3- Meio Ambiente Água Proteômica 4- Detoxificação Comida Nutrientes Contacto Hábitos 76 BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi
  • 77. A média do sistema circulatório consiste acima de 60.000 milhas de vasos sangüíneos. 1 milha = 1.609 metros
  • 78.
  • 79. NOVA ABORDAGEM PARA CUIDAR DA SAÚDE I- Princípios Genéricos Individualidade Bioquímica Estudo centrado do Paciente Homeostase - Equilíbrio dinâmico dos fatores EXT e INT Interconexão de multifatores Vitalismo (Saúde como vitalidade positiva) Promover reserva funcional dos órgãos Basear no processo fisiológico que apóia homeostase e melhorar a sua função. BDORT E ORTOMOLECULAR Dr. Tsutomu Higashi 79
  • 80. MALHA DE INTERCONEXÃO DAS RAIZES DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS 1 FATOR MEIO AMBIENTE 2 8 DESEQUILÍBRIO PRODUÇÃO DA ENERGIA E INFLAMATÓRIO IMUNE STRESS OXIDATIVO 3 7 ESTADO GASTROINTESTINAL DETOXIFICAÇÃO 4 6 ESTRUTURA MÚSCULO HORMÔNIO E ESQUELÉTICO NEUROTRANSMISSORES 5 MENTE,ESPÍRITO, EMOÇÃO E COMUNIDADE Dr. Tsutomu Higashi Text Book. Medicina Funcional 2005. David S. Jone Editor
  • 81. NUTRIGENOMICO, NUTRIPROTEOMICO: FUNÇÃO CELULAR E ENFERMIDADE HUMANA Expressão genética do genoma Proteômicos Metabolomico Enzima Função Resultado Polimerase Ribossomos da saúde Celular RNA mRNA 100.000 Proteínas (fenótipo) 30.000 Gene Transcrição do Código Genético ↑Nutrientes (Vit D, Zinco e Selênio)Proteínas Modulação de Nutrientes Modulação de NÚCLEO Citoplasma Nutrientes Expressão genética de Polimorfismo Nucleotídeo Proteômicos Metabolomico Simples (SNP) Função Celular Fadiga, Enzima Ribossomos Comprometida Dor e outras Polimerase mRNA enfermidades RNA Proteínas Alteradas funcionais Gene Polimorfismo Deficiência de Genético Nutrientes Proteínas (↓Toxidade) Modulação de NÚCLEO Citoplasma Nutrientes
  • 82. COMO O ALIMENTO, AMBIENTE TÓXICO E OXIDAÇÃO (RADICAL LIVRE) AFETAM A EXPRESSÃO GENÉTICA EXPRESSÃO DE ALGUMAS SUPLEMENTO NUTRICIONAL CARACTERÍSTICAS + GENÉTICAS ALIMENTO FUNCIONAL MEIO AMBIENTE EX: AGROTÓXICOS (Radical Livre) NFK-Beta GENE CODIFICADO FUNÇÃO DO (FENÓTIPO) EM DNA CROMOSSOMAL INDIVIDUAL (DOENÇAS) (GENÓTIPO) Dr. Tsutomu Higashi
  • 83. VAZAMENTO DA MUCOSA INTESTINAL CAUSADO PELAS TOXINAS EXÓGENAS (Ex: Agrotóxicos) TÓXICOS Dr. Tsutomu Higashi
  • 84. Destruição da membrana celular sob efeito dos Radical Livre ( ). RADICAIS LIVRES DESORGANIZANDO A ARQUITETURA DA MEMBRANA. FOSFOLIPEDES PROTEÍNAS INTRA DE MEMBRANAS MEMBRANA Dr. Tsutomu Higashi
  • 85. Isquemia de Reperfusão – Radicais livres Situações Clínicas  Coronáriopatias  Acidente vascular isquêmico  Artrose  Insuficiência vascular periférico  etc. PROGRESSÃO DE ATEROSCLEROSE INICIAL - JOVEM TROMBO PCR-U PAI + Integrina INFLAMAÇÃO Colesterol Normal 60% dos casos
  • 86. ASPECTOS QUE ENVOLVEM DOENÇAS CRÔNICAS DESEQUILÍBRIO DETOX NUTRICIONAL ALTERADA DESEQUILÍBRIO STRESS HORMONAL OXIDATIVA DEFICIÊNCIA DISFUNÇÃO IMUNOLÓGICA E INTESTINAL INFLAMATÓRIA
  • 87.
  • 88. 50 toneladas de alimentos / ano Conteúdo fecal Fígado Bactéria fecal Bactéria amiga patogênica (Lactobacilus e Bifudobacteria)
  • 90. LONGEVIDADE SAUDÁVEL INFLUÊNCIA GENÉTICA X NÃO GENÉTICO 10% Genético Não Genético 90%
  • 91. MUCOSA INTESTINAL NORMAL Camada da Mucosa Junção Compacta Dr. Tsutomu Higashi
  • 92. BASE TERAPÉUTICA COM ANTIOXIDANTE (SINERGISMO ) INICIADOR DE RADICAL LIVRE (Radiação, Drogas e Alteração da atividade enzimática orgânica) Capturado por Capturação Ascorbato Vitamina C Radical Ascorbil Direta Quercetina Bioflavanóide Rutina Hesperidina Ginko Biloba Picnogenol Enzimas Antioxidantes (Superoxido Dismutase requer Tocoferol Vitamina E Radical Tocoferol Carotenóides Zinco, Cobre e Manganês) 2O*2+2H H2O2 + O2 Glutation Peroxidase Selênio H2O2+2GSH 2H2O+GSSG Cisteína Glutation (GSH) Glutation Disulfito (GSSG) Glutation Redutase Vitamina B2
  • 93. Sintoma de Intoxicação Cronica 1. Fadiga 2. Disturbio de Sono 3. GI disturbios 4. Dor de cabeça 5. Sintomas Alergicos 6. Confusão - Irritação Liang, HK. 7. Ansiedade Clinical evaluatio of the poisoned patient and toxic syndromes. Clin Chem. 1996 42(8B): 1350-135
  • 94. ASPECTOS QUE ENVOLVEM DOENÇAS CRÔNICAS DESEQUILÍBRIO DETOX NUTRICIONAL ALTERADA DESEQUILÍBRIO STRESS HORMONAL OXIDATIVA DEFICIÊNCIA DISFUNÇÃO IMUNOLÓGICA E INTESTINAL INFLAMATÓRIA