SlideShare uma empresa Scribd logo

Exercicio 6.2 - Plano de negócios sinergética estudos e projetos

A
antenorjr
1 de 30
Módulo ME 6.2
Apresentação do Modelo de Negócio
Sinergética Estudos e Projetos Ltda.
76 - Bruno Augusto Schlup
60 – Antenor Celestino de Souza Junior
280 - José Edmilson Galdino da Silva
468 - Regina Celia Mendes de Souza
592 – Cristiane Aparecida Ferrari
441 - Paulo Fernando Garreta Harkot
São Paulo, 03/06/2013
Oceanografia
 Tornar-se uma referência na elaboração de estudos,
projetos e trabalhos técnicos que contribuam para
que os objetivos e atividades dos clientes
constituam-se em referências que sejam sustentáveis
nas esferas econômica, social e ambiental
 Consolidar-se como uma empresa que faz uso de
soluções inovadoras em oceanografia costeira
operacional, sistemas e monitoramento da
qualidade das águas e engenharia costeira focada
em contribuir para a melhoria e aprimoramento dos
resultados, eficácia e construção de valor para os
Stakeholders
Parcerias
Principais
• Instituições de pesquisas
• Instituições de ensino
• Consultores
independentes
• Empresas atuantes na
área de ambiental
• Empresas de engenharia
• ONG‘s
• Fabricantes e
revendedores de
equipamentos e
instrumentos
oceanográficos
• Instituições públicas
relacionadas à área de
gestão ambiental com foco
em recursos hídricos e
regiões costeiras
• Maricultores e
aquicultores
Proposta de
Valor
• Planejamento e
execução de atividades
em oceanografia
operacional costeira
• Desenvolvimento de
sistemas e rotinas para
monitoramento da
qualidade da água
• Desenvolvimento,
acompanhamento da
execução e avaliação de
projetos para atenuação
e controle da erosão
costeira
• Otimização do uso da
água
Recursos
Principais
• Acervo de
conhecimento
 Parcerias institucionais
 Redes de contato
 Iniciativas inovadoras
na área
Atividades
Chaves
•Identificar, organizar,
avaliar, prover e integrar
as informações
necessárias para
assegurar aos clientes à
consecução dos seus
objetivos e
necessidades em
perspectivas de curto,
médio e longo prazo.
Segmentos de
Cientes
• Instituições de ensino
• Instituições de
pesquisas
• Empresas atuantes
na área de consultoria
ambiental
• Empresas cujas
atividades alteram a
qualidade da água
• Condomínios e
marinas litorâneas
• Operadores
portuários
• Municípios litorâneos
e ribeirinhos
Canais
• Diretos – site,
participação em
feiras e eventos,
equipe de vendas
• Indiretos –
empresas parceiras
Relacionamento
com
Clientes
• Assistência
empresarial
dedicada
Plano de Negócios – SINERGÉTICA Estudos e Projetos
Estrutura de Custos
•Direcionados pelo valor Fontes de Rendas
• Venda isolada de serviços - projetos
• Venda continuada de serviços – consultoria e assessoria
• Comissão sobre revenda de equipamentos
 Modelo de negócio fundamentado na
IDENTIFICAÇÃO e MAPEAMENTO de nichos de
mercado, EFETIVAÇÃO de parcerias, EXECUÇÃO
de atividades e OTIMIZAÇÃO dos recursos para uma
maior proposição de valor, alteração expressiva de
processos, identificação de soluções e
implementação de práticas organizacionais mais
eficazes, produtivas e lucrativas.
A Sinergética, considerada pela direção da Incubadora de
Empresa de Santos como uma empresa de base tecnológica
focada na inovação, demanda informações para a continuidade
e aprimoramento dos seus processos internos, para análise
mercadológica e para posicionamento estratégico considerando
as oportunidades de inserir, no rol dos produtos e serviços, aqueles
tecnologicamente inovadores e ainda não disponíveis no mercado
brasileiro.
Nesse contexto, o refinamento do plano de negócio por meio de
um processo de inovação tecnológica - que prevê melhoria do
plano de negócios a partir da aplicação do CANVAS - poderá
propiciar informações mais precisas para balizar os próximos passos
da empresa.
A partir desse cenário estabelecido, os próximos passos serão, além
de facilitados, em muito otimizados, e as iniciativas e necessidades
de inovação tecnológica poderão ser consideradas como
desdobramentos e consequências do trabalho e diagnóstico
proposto.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano operacional para plano de negócios
Plano operacional para plano de negóciosPlano operacional para plano de negócios
Plano operacional para plano de negóciosGuilherme Carvalho
 
Projeto Final plano de negocio
Projeto Final plano de negocioProjeto Final plano de negocio
Projeto Final plano de negocioÉlida Tavares
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismocattonia
 
Exercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento EstrategicoExercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento EstrategicoPAULO RICARDO FLORES
 
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!Confirp Contabilidade
 
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negóciosIdeias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negóciosjosedornelas
 
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE 01.docx
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE  01.docxESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE  01.docx
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE 01.docxClaudemirOliviera
 
O processo de negociacao internacional
O processo de negociacao internacionalO processo de negociacao internacional
O processo de negociacao internacionalboscomonte
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e Ohio
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e OhioTeorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e Ohio
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e OhioJooPauloPaulo3
 
Computação desplugada na prática escolar
Computação desplugada na prática escolarComputação desplugada na prática escolar
Computação desplugada na prática escolarJessica Pontes
 

Mais procurados (20)

Atividade governo jk
Atividade governo jkAtividade governo jk
Atividade governo jk
 
Plano operacional para plano de negócios
Plano operacional para plano de negóciosPlano operacional para plano de negócios
Plano operacional para plano de negócios
 
Projeto Final plano de negocio
Projeto Final plano de negocioProjeto Final plano de negocio
Projeto Final plano de negocio
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Atividade - Missão Visão e Valores
Atividade - Missão Visão e ValoresAtividade - Missão Visão e Valores
Atividade - Missão Visão e Valores
 
Exercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento EstrategicoExercicio de Planejamento Estrategico
Exercicio de Planejamento Estrategico
 
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
Como planejar o RH. A maneira mais prática de atingir suas metas!
 
Métodos de formação de preços
Métodos de formação de preçosMétodos de formação de preços
Métodos de formação de preços
 
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negóciosIdeias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
Ideias, oportunidades, Canvas e Plano de negócios
 
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE 01.docx
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE  01.docxESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE  01.docx
ESTUDO ORIENTADO ATIVIDADE 01.docx
 
O processo de negociacao internacional
O processo de negociacao internacionalO processo de negociacao internacional
O processo de negociacao internacional
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Gestao de custos
Gestao de custosGestao de custos
Gestao de custos
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Avaliação história 7º ano setembro - gabarito
Avaliação história 7º ano   setembro - gabaritoAvaliação história 7º ano   setembro - gabarito
Avaliação história 7º ano setembro - gabarito
 
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e Ohio
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e OhioTeorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e Ohio
Teorias sobre Lideranças Universidade de Michigan e Ohio
 
Computação desplugada na prática escolar
Computação desplugada na prática escolarComputação desplugada na prática escolar
Computação desplugada na prática escolar
 

Destaque

A importância do plano de negócios
A importância do plano de negóciosA importância do plano de negócios
A importância do plano de negóciosFelipe Pereira
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo socialTânia Lucas
 
2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelasMateus Monte
 
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeMah1986mah
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedracontacontabil
 

Destaque (6)

Fundos próprios
Fundos própriosFundos próprios
Fundos próprios
 
A importância do plano de negócios
A importância do plano de negóciosA importância do plano de negócios
A importância do plano de negócios
 
Empreendedorismo social
Empreendedorismo socialEmpreendedorismo social
Empreendedorismo social
 
2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas2 plano de negócios dornelas
2 plano de negócios dornelas
 
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
 
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedraExercicios resolvidos contabilidade geral   aula 05 cathedra
Exercicios resolvidos contabilidade geral aula 05 cathedra
 

Semelhante a Exercicio 6.2 - Plano de negócios sinergética estudos e projetos

Curso gepi – exercícios módulo 6
Curso gepi – exercícios módulo 6Curso gepi – exercícios módulo 6
Curso gepi – exercícios módulo 6José Galdino
 
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012E-Consulting Corp.
 
Apresentação Comecial Modro Consultoria
Apresentação Comecial Modro ConsultoriaApresentação Comecial Modro Consultoria
Apresentação Comecial Modro ConsultoriaReiner Modro
 
Estratégia e BSC
Estratégia e BSCEstratégia e BSC
Estratégia e BSCBuccelli
 
Projeto CMAdMagic
Projeto CMAdMagicProjeto CMAdMagic
Projeto CMAdMagicCarla Viola
 
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022Daniela Senador
 
Planejamento estratégico de uma agência de comunicação
Planejamento estratégico de uma agência de comunicaçãoPlanejamento estratégico de uma agência de comunicação
Planejamento estratégico de uma agência de comunicaçãoJeferson L. Feuser
 
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARBFGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARBMarco Coghi
 
Pi mmodelo
Pi mmodeloPi mmodelo
Pi mmodelodynahina
 

Semelhante a Exercicio 6.2 - Plano de negócios sinergética estudos e projetos (20)

Curso gepi – exercícios módulo 6
Curso gepi – exercícios módulo 6Curso gepi – exercícios módulo 6
Curso gepi – exercícios módulo 6
 
Modelo delta
Modelo deltaModelo delta
Modelo delta
 
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012
E-Book Design Thinking: Ideias e Aplicacões E-Consulting Corp. 2012
 
Apresentação Comecial Modro Consultoria
Apresentação Comecial Modro ConsultoriaApresentação Comecial Modro Consultoria
Apresentação Comecial Modro Consultoria
 
Estratégia e BSC
Estratégia e BSCEstratégia e BSC
Estratégia e BSC
 
Projeto CMAdMagic
Projeto CMAdMagicProjeto CMAdMagic
Projeto CMAdMagic
 
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022
Daniela Senador Consultoria e Ensino | Portfólio 2022
 
PIPE 2 - Convênio FAPESP Sebrae
PIPE 2 - Convênio FAPESP SebraePIPE 2 - Convênio FAPESP Sebrae
PIPE 2 - Convênio FAPESP Sebrae
 
Bramam047
Bramam047Bramam047
Bramam047
 
Planejamento estratégico de uma agência de comunicação
Planejamento estratégico de uma agência de comunicaçãoPlanejamento estratégico de uma agência de comunicação
Planejamento estratégico de uma agência de comunicação
 
Marketing pizzopack ebook
Marketing pizzopack ebookMarketing pizzopack ebook
Marketing pizzopack ebook
 
Serviços Defiinitivamente, Unip Lda.
Serviços Defiinitivamente, Unip Lda.Serviços Defiinitivamente, Unip Lda.
Serviços Defiinitivamente, Unip Lda.
 
Startadora Inovação Corporativa - Atividades e Projetos
Startadora Inovação Corporativa - Atividades e ProjetosStartadora Inovação Corporativa - Atividades e Projetos
Startadora Inovação Corporativa - Atividades e Projetos
 
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARBFGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
FGV MBA GEEP T40 Implantacao de PMO em LISARB
 
Pi mmodelo
Pi mmodeloPi mmodelo
Pi mmodelo
 
Apresentação Empresa Edvaldo Correa
Apresentação Empresa Edvaldo CorreaApresentação Empresa Edvaldo Correa
Apresentação Empresa Edvaldo Correa
 
Apresentação Empresa Edvaldo Correa
Apresentação Empresa Edvaldo CorreaApresentação Empresa Edvaldo Correa
Apresentação Empresa Edvaldo Correa
 
Bel Air
Bel AirBel Air
Bel Air
 
Vmg Institucional
Vmg   InstitucionalVmg   Institucional
Vmg Institucional
 
SEBRAE - Inteligência setorial
SEBRAE - Inteligência setorialSEBRAE - Inteligência setorial
SEBRAE - Inteligência setorial
 

Exercicio 6.2 - Plano de negócios sinergética estudos e projetos

  • 1. Módulo ME 6.2 Apresentação do Modelo de Negócio Sinergética Estudos e Projetos Ltda. 76 - Bruno Augusto Schlup 60 – Antenor Celestino de Souza Junior 280 - José Edmilson Galdino da Silva 468 - Regina Celia Mendes de Souza 592 – Cristiane Aparecida Ferrari 441 - Paulo Fernando Garreta Harkot São Paulo, 03/06/2013
  • 3.  Tornar-se uma referência na elaboração de estudos, projetos e trabalhos técnicos que contribuam para que os objetivos e atividades dos clientes constituam-se em referências que sejam sustentáveis nas esferas econômica, social e ambiental  Consolidar-se como uma empresa que faz uso de soluções inovadoras em oceanografia costeira operacional, sistemas e monitoramento da qualidade das águas e engenharia costeira focada em contribuir para a melhoria e aprimoramento dos resultados, eficácia e construção de valor para os Stakeholders
  • 4. Parcerias Principais • Instituições de pesquisas • Instituições de ensino • Consultores independentes • Empresas atuantes na área de ambiental • Empresas de engenharia • ONG‘s • Fabricantes e revendedores de equipamentos e instrumentos oceanográficos • Instituições públicas relacionadas à área de gestão ambiental com foco em recursos hídricos e regiões costeiras • Maricultores e aquicultores Proposta de Valor • Planejamento e execução de atividades em oceanografia operacional costeira • Desenvolvimento de sistemas e rotinas para monitoramento da qualidade da água • Desenvolvimento, acompanhamento da execução e avaliação de projetos para atenuação e controle da erosão costeira • Otimização do uso da água Recursos Principais • Acervo de conhecimento  Parcerias institucionais  Redes de contato  Iniciativas inovadoras na área Atividades Chaves •Identificar, organizar, avaliar, prover e integrar as informações necessárias para assegurar aos clientes à consecução dos seus objetivos e necessidades em perspectivas de curto, médio e longo prazo. Segmentos de Cientes • Instituições de ensino • Instituições de pesquisas • Empresas atuantes na área de consultoria ambiental • Empresas cujas atividades alteram a qualidade da água • Condomínios e marinas litorâneas • Operadores portuários • Municípios litorâneos e ribeirinhos Canais • Diretos – site, participação em feiras e eventos, equipe de vendas • Indiretos – empresas parceiras Relacionamento com Clientes • Assistência empresarial dedicada Plano de Negócios – SINERGÉTICA Estudos e Projetos Estrutura de Custos •Direcionados pelo valor Fontes de Rendas • Venda isolada de serviços - projetos • Venda continuada de serviços – consultoria e assessoria • Comissão sobre revenda de equipamentos
  • 5.  Modelo de negócio fundamentado na IDENTIFICAÇÃO e MAPEAMENTO de nichos de mercado, EFETIVAÇÃO de parcerias, EXECUÇÃO de atividades e OTIMIZAÇÃO dos recursos para uma maior proposição de valor, alteração expressiva de processos, identificação de soluções e implementação de práticas organizacionais mais eficazes, produtivas e lucrativas.
  • 6. A Sinergética, considerada pela direção da Incubadora de Empresa de Santos como uma empresa de base tecnológica focada na inovação, demanda informações para a continuidade e aprimoramento dos seus processos internos, para análise mercadológica e para posicionamento estratégico considerando as oportunidades de inserir, no rol dos produtos e serviços, aqueles tecnologicamente inovadores e ainda não disponíveis no mercado brasileiro. Nesse contexto, o refinamento do plano de negócio por meio de um processo de inovação tecnológica - que prevê melhoria do plano de negócios a partir da aplicação do CANVAS - poderá propiciar informações mais precisas para balizar os próximos passos da empresa. A partir desse cenário estabelecido, os próximos passos serão, além de facilitados, em muito otimizados, e as iniciativas e necessidades de inovação tecnológica poderão ser consideradas como desdobramentos e consequências do trabalho e diagnóstico proposto.
  • 7. Analisou-se incialmente o modelo de negócios da SINERGÉTICA constituído em 2010. Desenhou-se um novo modelo de negócios baseado na experiência mercadológica atual da SINERGÉTICA com foco nas necessidades dos clientes e em soluções inovadoras. Os integrantes da equipe de inovação contribuíram com propostas de projetos de inovação. A apresentação do portfólio a um dos representantes do Comitê de Inovação resultou no aprimoramento e inclusão de novos projetos com aprofundamento dos princípios do modelo Canvas de Negócios para a SINERGÉTICA.
  • 9. 1.1 estruturar a Equipe Dedicada Para os Projetos de Inovação 1.2 definir os Canais de Comunicação para atingir os clientes 1.3 definir os tipos de Relacionamento com Clientes caracterizar e definir os Recursos Principais 1.4 Identificar e definir as Parcerias Principais 1.5 identificar as componentes para cálculo da Estrutura de Custo 1.6 Participar de concursos de projetos 1.7Ampliar conteúdo do site inserindo artigos, vídeos e e- talks
  • 10. 2.1 Identificar e definir os Segmentos de Mercado para atuação 2.2 definir a Proposta de Valor para os serviços e produtos 2.3 identificar as Fontes de Receitas 2.4 criar modelo de negócio para captação de recursos na área de responsabilidade socioambiental apoiadas pelo setor público ou privado 2.5 Intensificar campanha institucional para fortalecimento da marca 2.6 instituir núcleo de inteligência competitiva para análise de tendências gerais do core business e prospecção de novos negócios
  • 11. 3.1 definir as Atividades-Chave 3.2 definir estratégias para assessorar o Mercado Segurador em Gerenciamento de Riscos para minimizar perdas financeiras das Seguradoras nos Seguros de Riscos Ambientais em áreas costeiras e sob influência fluvial
  • 12. PROJETO 1 – Baixo Risco Escopo do Problema A SINERGÉTICA não dispõe de uma equipe de inovação Projeto estruturar a Equipe Dedicada Para os Projetos de Inovação Garantir a existência, ao longo dos próximos dois anos, de uma equipe cuja única responsabilidade seja desenvolver e avaliar a execução dos projetos de inovação a serem criados Objetivos Secundários / Metas • Propor à Coordenação do GEPIT a presente proposta para constituição do grupo responsável pelo desenvolvimento de projetos de inovação da tecnológica na SINERGÉTICA, constituído pelos consultores dedicados: Antenor, Bruno, José Galdino, Regina e Cristiane; • Criar e estruturar um Comitê de Inovação com a participação dos sócios, Paulo Harkot e Maria Claudia, e do consultor para a reformulação organizacional, Rolando Ravasini; • Capacitar a equipe de inovação nos temas em que a Sinergética atua e em metodologias e uso de ferramentas de PDEI; e • Definir as responsabilidades da equipe de inovação e do Comitê de Inovação. Objetivo Principal
  • 13. PROJETO 2 – Médio Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA necessita definir, com precisão, os Segmentos de Clientes, mercado potencial e área geográfica de atuação a partir dos diferentes nichos de mercado identificados. Projeto Identificar e definir os Segmentos de Mercado para atuação Identificar os diferentes grupos de organizações passíveis de se tornarem clientes Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal • Identificar os segmentos que apresentam demandas e necessidades passíveis de serem atendidas pela empresa; • Verificar os tipos de relacionamentos necessários para cada um dos segmentos considerados; • Subsidiar, a partir das informações levantadas, a definição dos serviços e produtos oferecidos.
  • 14. PROJETO 3 – Médio Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA precisa identificar e ajustar as ofertas de produtos e serviços que criam valor para os segmentos de clientes identificados no Projeto 2. Projeto definir a Proposta de Valor para os serviços e produtos Identificar as necessidades dos potenciais clientes passíveis de serem supridas pelos produtos e serviços Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os principais problemas enfrentados pelos potenciais clientes passíveis de serem solucionados a partir dos produtos e serviços ofertados; Identificar as principais necessidades dos potenciais clientes; Definir o conjunto de produtos e serviços passíveis de serem oferecidos para cada Segmento de Clientes.
  • 15. PROJETO 4 – Baixo Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA precisa identificar e definir a estratégica de comunicação para atingir o Segmento de Cliente identificado. Projeto definir os Canais de Comunicação para atingir os clientes Identificar e definir os canais de comunicação, distribuição e vendas Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os principais canais de comunicação preferidos pelos segmentos de mercados definidos no projeto 2; Identificar como se conjugam nossos canais; Definir o conjunto de canais de comunicação, distribuição e vendas.
  • 16. PROJETO 5 – Baixo Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA precisa aprimorar as estratégias para assegurar bom relacionamento com os clientes. Projeto definir os tipos de Relacionamento com Clientes Identificar os tipos de relações que a empresa deverá estabelecer com os seus clientes Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os tipos de relacionamentos de acordo com o Segmento de Cliente considerado; Estimar os custos demandados para a implementação de cada uma das estratégias a serem adotadas; Definir as estratégias para integrar os tipos de relacionamentos com Modelo de Negócio da Sinergética.
  • 17. PROJETO 6 – Médio Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA não identificou, ainda, fontes de receitas regulares para assegurar o bom desenvolvimento e evolução do negócio. Projeto identificar as Fontes de Receitas Estimar e estipular os valores a serem praticados junto aos clientes Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os tipos de fonte de receitas de acordo com o Segmento de Cliente considerado; Estimar o valor que os segmentos de Cliente estão dispostos à pagar à Sinergética; Identificar fontes de receitas regulares para assegurar a evolução da SINERGÉTICA.
  • 18. PROJETO 7 – Baixo Risco Escopo do Problema: a SINERGÉTICA, como decorrência da falta de clareza a respeito dos Segmentos de Clientes e das Propostas de Valor a serem oferecidas, precisa definir os Recursos Principais. Projeto caracterizar e definir os Recursos Principais Definir os Recursos Principais e estipular os valores a serem alocados Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os principais tipos de recursos necessários para cada proposta de valor identificada; Estimar os tipos de recursos, e respectivos montantes, para cada um dos canais de distribuição definidos; Identificar os tipos de recursos para assegurar o continuo relacionamento com os clientes; e Mapear as fontes de receitas passíveis de serem demandadas para garantir a manutenção e operação da empresa
  • 19. PROJETO 8 – Alto Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA necessita de claro discernimento a respeito das principais ações que deve realizar para cumprir seus propósitos. Projeto definir as Atividades-Chave Identificar e definir as ações mais importantes para a execução das atividades e assegurar as entregas das Propostas de Valor Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar as atividades-chave para cada uma das Propostas de Valor eleitas; Definir as atividades-chave para a manutenção dos Canais de Distribuição; Definir as atividades-chave para assegurar a continuidade do relacionamento com os Clientes; e Identificar as atividades-chave para manter as fontes de receitas.
  • 20. PROJETO 9 – Baixo Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA, embora já conte com uma rede de parceiros para algumas atividades, deve identificar, a partir das Propostas de Valor definidas, novas alternativas de fornecedores e empresas parceiras. Projeto Identificar e definir as Parcerias Principais Mapear e identificar as empresas e fornecedores passíveis de alavancar e fortalecer as Propostas de Valor da empresa Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal Identificar os principais parceiros em potencial; Identificar os principais fornecedores; Definir os recursos a serem a serem adquiridos de terceiros; e Estipular as diferentes Atividades-Chave executadas por parceiros.
  • 21. PROJETO 10 – Baixo Risco Escopo do Problema a SINERGÉTICA precisa definir, com a precisão necessária, os custos mais importantes para a execução do modelo de negócios, aquisição de recursos e desenvolvimento das atividades-chave. Projeto identificar as componentes para cálculo da Estrutura de Custo Identificar, ponderar e integrar os custos mais importantes envolvidos na operação do Modelo de Negócio da Sinergética Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Avaliar os custos associados aos recursos principais, atividades-chave e parcerias principais;  Valorar os custos envolvidos com a geração e oferta das Propostas de Valor;  Estimar os custos decorrentes da manutenção dos canais para Relacionamento com os Clientes;  Estimar os custos associados à geração de receitas;
  • 22. PROJETO 11 – Médio Risco Escopo do Problema necessidade em aprimorar propostas de trabalho voltadas à aplicação dos conceitos técnicos e fundamentação filosófica junto à empresas que impactem a qualidade das águas Projeto criar modelo de negócio para captação de recursos na área de responsabilidade socioambiental apoiadas pelo setor público ou privado Definir estratégia de trabalho para fundamentar modelo de negócio para captação de recursos para desenvolvimento , teste, execução do protótipo e avaliação de proposta para melhoria dos indicadores de responsabilidade socioambiental Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Identificar as iniciativas implantada em instituições privadas elaboradas a partir dos conceitos divulgados pela Avaliação Ecossistêmica do Milênio;  Avaliar a eficácia das medidas adotadas a partir de informações disponíveis em veículos de divulgação científica;  Desenvolver estratégias para a implantação de projetos de intervenção voltados à melhoria dos indicadores de desempenho das empresas, que atendam contribuam para a manutenção dos serviços naturais assegurados pelos ecossistema; e  Definir critérios para avaliar a eficácia dos resultados obtidos pela empresa no contexto dos cenários formulados pela Avaliação Ecossistêmica do Milênio.
  • 23. PROJETO 12 – Médio Risco Escopo do Problema necessidade de expressiva alteração e melhoria das tecnologias, processos e/ou praticas organizacionais voltadas à diminuição do impacto ambiental causado pelas atividades econômicas produtivas. Projeto instituir núcleo de inteligência competitiva para análise de tendências gerais do core business e prospecção de novos negócios Desenvolver novas soluções inexistentes no mercado para a avaliação e o monitoramento da qualidade das águas doces, salobras e salinas Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Identificar métodos para avaliação dos distúrbios e impactos ambientais causados pelas atividades organizacionais aos corpos d´águas;  desenvolver e aplicar métodos estratégias para avaliação do potencial de alteração e degradação da qualidade das águas; e  identificar oportunidades para melhoria dos processos e diminuição do impacto junto à qualidade das águas
  • 24. PROJETO 13 – Baixo Risco Escopo do Problema: pequena visibilidade para os trabalhos realizados pela Sinergética, como estratégia para assegurar visibilidade da empresa junto ao seu público-alvo e sociedade Projeto participar de concursos de projetos Identificar concursos, certames e demais tipos de eventos correlatos para inscrever os trabalhos desenvolvidos para fins de avaliação da qualidade e excelência Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Identificar eventos com características que possibilitem a inscrição de trabalhos realizados pela Sinergética;  Identificar veículos e periódicos científicos com linha editorial passível de receber comunicações e trabalhos científicos resultados de trabalhos realizados;  Formatar os produtos principais resultados com a estrutura e formatação de trabalho científico;  Divulgar os trabalhos e comunicações científicas publicadas no site da empresas e por meio de outras estratégias de divulgação e marketing.
  • 25. PROJETO 14 – Médio Risco Escopo do Problema a imagem da SINERGÉTICA junto aos potenciais clientes deixa a desejar como resultado da complexidade e diversidade das propostas de trabalho apresentadas Projeto Intensificar campanha institucional para fortalecimento da marca Definir mix de produtos, mercado e propostas de soluções para aumentar a participação e/ou preparar-se para novas demandas, concorrências ou mudança de foco Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Redefinir processos e/ou práticas organizacionais vigentes, consolidar uma imagem de soluções inovadoras junto a clientes e concorrentes
  • 26. PROJETO 15 – Baixo Risco Escopo do Problema falta de clareza, no site da SINERGÉTICA, do agrupamento de segmentos, as propostas de valor, os canais, os tipos de relacionamentos, os valores e os resultados almejados. Projeto ampliar conteúdo do site inserindo artigos, vídeos e e-talks, entre outros Definir mix de produtos, mercado e propostas de soluções para aumentar a participação e/ou preparar-se para novas demandas, concorrências ou mudança de foco Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Redefinir processos e/ou práticas organizacionais vigentes, consolidar uma imagem de soluções inovadoras junto a clientes e concorrentes; Vincular os projetos da Sinergética aos oito objetivos do milênio e da Avaliação Ecossistêmica do Milênio, a partir do site; e  Divulgar no site as premiações dos projetos elaborados.
  • 27. PROJETO 16 – Alto Risco Escopo do Problema carência de estratégias para o desenvolvimento de soluções técnicas junto às empresas privadas do ramo de seguros de atividades realizadas na região costeira e ambientes fluviais. Projeto definir estratégias para assessorar o Mercado Segurador em Gerenciamento de Riscos para minimizar perdas financeiras das Seguradoras nos Seguros de Riscos Ambientais em áreas costeiras e sob influência fluvial Construir estrutura para apoiar as Seguradoras nos Seguros de Riscos Ambientais Objetivos Secundários / MetasObjetivo Principal  Capacitação no conhecimento de Seguros de Riscos Ambientais e Gerenciamento de Riscos;  Conhecer os concorrentes (empresas de gerenciamento de riscos);  Estudar aspectos jurídicos no envolvimento com gerenciamento de riscos;  Especializar-se em gerenciamento de riscos; e Conceder palestras gratuitas na FUNENSEG para formação de networking com o mercado segurador
  • 28. Projeto Risco Análise de Riscos Planos de Contingência (plano B) 1.1 Baixo O não comprometimento da equipe de inovação no período de 2 anos Propor a Agência USP a composição de outra equipe 1.2 1.3 1.4 1.5 Dificuldade, ou impossibilidade, de se mensurar adequadamente as variáveis para a definição dos indicadores e métricas necessárias Solicitar apoio da Agência USP, SEBRAE SP, SENAC ou consultores independentes 1.6 Não obter a premiação desejada Avaliar a adequação dos procedimentos adotados, dos eventos escolhidos da formatação dada aos trabalhos apresentados com o intuito de escolher e preparar um projeto para os próximos eventos e certames.
  • 29. Projeto Risco Análise de Riscos Planos de Contingência (plano B) 2.1 2.2 2.3 Médio Informações levantadas não caracterizarem, com a precisão necessária, o indicador que está a se construir Solicitar apoio da Agência USP, SEBRAE SP, SENAC ou consultores independentes 2.4 Não obter financiamento público ou privado para o desenvolvimento de pesquisas aplicadas na elaboração de proposta de trabalho Revisar os critérios adotados para a elaboração dos projetos Identificar editais que apresentem maior aderência Buscar outros tipos de fontes de apoio financeiro 2.5 Campanha realizada não obteve o retorno desejado no que respeita ao fortalecimento da marca Solicitar apoio da Agência USP, SEBRAE SP, SENAC ou consultores independentesResultados obtidos pelo grupo de inteligência competitiva
  • 30. Projeto Risco Análise de Riscos Planos de Contingência (plano B) 3.1 Alto Atividades - Chave não definidas com a precisão necessária Solicitar apoio da Agência USP, SEBRAE SP, SENAC ou consultores independentes 3.2 Impossibilidade de acesso ao mercado segurador para apresentação das propostas para assessoria e realização de trabalhos conjuntos Avaliar e adequar a estratégia adotada para inserção da empresa nesse nicho de atuação Identificar instituições que atuem com seguro em empreendimentos e atividades realizados nos ambientes fluviais, lacustrinos, costeiros e marinho.