Oswald de andrade

2.817 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.817
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
151
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oswald de andrade

  1. 1. • Nasceu no dia 11 de janeiro de 1890; • Faleceu no dia 22 de outubro de 1954; • Em 1905, participa da roda literária de Indalécio Aguiar, o qual o poeta Ricardo Gonçalves fazia parte. Nesta época surgiu o bonde elétrico, rádio, a propaganda e o cinema; • Em 1909, inicia sua carreira no jornalismo como redator e crítico teatral do “Diário Popular”;
  2. 2. • Teve um caso com uma estudante francesa, que voltou com ele para o Brasil, depois se sua viagem à Europa, e teve um filho, o Nône. Foi casado com Tarsila de Amaral cerca de 4 anos (1926-1930); • Foi o primeiro a compor um romance de acordo com os preceitos do novo movimento (modernismo); • Nas obras “Manifesto Pau-Brasil” (1924) e “Manifesto antropófago” (1928), contribui para uma nova maneira de visão entre a cultura brasileira e estrangeira e nega tanto a xenofobia quanto o imperialismo cultural;
  3. 3. - 1ª fase do modernismo (1922-1930): • Linguagem coloquial: busca da oralidade, do dialeto cotidiano; • Prosaísmo: valorização do cotidiano; • Versilibrismo: versos sem rimas (brancos) e sem métrica regular; • Poemas rápidos e curtos (poema-minuto); • Humos, paródia e ironia; • Nacionalismo: temas sobre a cultura e o cotidiano do Brasil; (nacionalismo crítico: “ver com olhos livres”);
  4. 4. “Pronominais” Dê-me um cigarro Diz a gramática Do professor e do aluno E do mulato sabido Mas o bom negro e bom branco Da Nação Brasileira Dizem todos os dias Deixa disso camarada Me dá um cigarro - Sátira da dialética culta e popular; - Prosaísmos; - Nacionalismo; - É um poema-minuto;
  5. 5. Eu empobreço de repente Tu enriqueces por minha causa Ele azula para o sertão Nós entramos em concordata Vós protestais por preferência Eles escafedem a massa. Sê pirata Sede trouxas Abrindo o pala Pessoal sarado Oxalá eu tivesse sabido Que esse verbo era irregular Nacionalismo crítico; Linguagem coloquial; Paródia, humor e ironia; Prosaísmo;

×