SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Área de competência: Cultura Língua e Comunicação  Fafe Identificar a diversidade
CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
 	Os dados  recolhidos  têm por base a  informação disponível nos  registos dos censos da população,  	elaborados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).     	Optou-se  pela  análise  de  dados  dos  últimos  três  censos. CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
O   concelho é   composto  por  36  freguesias, destaca-se  claramente  uma  concentração  populacional na  sede  do  Concelho,  o  núcleo  urbano  da  cidade  de Fafe. CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
 A população residente no concelho é aproximadamente de 52.757 habitantes. Nos últimos 10  anos,  esse  crescimento  foi  de  10,23%.  CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
Faixa Etária Faixa Etária
Faixa Etária  A  “predominância  de  escalões  etários jovens é ainda confirmada se se comparar com os valores  observados  para  o  país. Quer  no  que  diz respeito à população entre 0 e 14 anos quer entre  15  e  24  anos,  Fafe  apresenta  percentagens superiores  às  verificadas  para  o  total  do  país  e para o total da região Norte.”     No  entanto,  tal  situação,  quando comparada  com  os  dois  recenseamentos anteriores,  aponta  no  sentido  de  um  decréscimo  nos níveis etários mais baixos, o que pressupõe o  caminho do envelhecimento da população.
Quanto  à  origem  dos  imigrantes  no  concelho,  destacam-se os Ciganos,  Franceses, Brasileiros, Angolanos e Chineses.  O concelho de Fafe surge, na década de 90, como um dos concelhos do Norte do país com elevado saldo migratório positivo, embora numa comparação entre 1995 e 1999, se registe uma  tendência  para  a  diminuição. Etnias
 Ainda que a estrutura etária  fizesse prever um nível de qualificação qualitativamente superior ao do país,  tal  não  se  verifica. Em  2001,  cerca  de  38%  da  população  possui  apenas  o  primeiro  ciclo  de  ensino básico.  Refira-se  também  que  para  cerca  de  9%  de  analfabetos  a  nível  nacional,  Fafe  posiciona-se ligeiramente acima com 9,88%. Realce-se, ainda, o facto de apenas 9,3% do universo da população de Fafe se posicionar no nível do ensino secundário, e 5,8% no ensino médio ou superior. Escolaridade
Escolaridade
Uma  análise  sucinta  dos  sectores  de  actividade  económica  do concelho, suas dinâmicas e perspectivas de desenvolvimento.  Caracterização socioeconómica da população
Problemas sociais (Serafão) Problemas sociais (Serafão)
Toxicodependência : 	Criação de um gabinete de apoio, com especialistas para encaminhar os utentes, para centros de reabilitação e inserção social. 	Com esta estratégia tentaríamos  conciliar todos os recursos existentes na freguesia e com isso recorrer a uma pequena verba, para o devido encaminhamento no mercado de trabalho e social. Estratégias de combate aos problemas sociais
Desemprego: 	Nesta área começávamos por trabalhar em parceria com o IEFP, para um levantamento dos desempregados da freguesia tentando encaminha-los para formação profissional nas áreas onde a freguesia poderá ter mais saídas profissionais.  Estratégias de combate aos problemas sociais
Envelhecimento populacional: Com  a taxa de natalidade a diminuir e a esperança de média devida a aumentar deparamo-nos com um problema social, onde cada vez mais  assistimos a uma população envelhecida, a viver em condições precárias, muitas delas no limiar da pobreza. 	Aproveitando os recursos institucionais da freguesia como o centro social entre outros, tentaríamos uma aproximação maior dessa mesma população colmatando as carências identificadas. Exemplo:      Restauro das habitações; isolamento social; convívio social etc. Estratégias de combate aos problemas sociais
Trabalho Realizado  Marco Araújo Rosa Lopes Humberto Moreira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
jcmoser
 
Politicas demográficas
Politicas demográficasPoliticas demográficas
Politicas demográficas
Fábio Pombo
 
Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014
ivanilton
 
Apresentação analfabetismo
Apresentação analfabetismoApresentação analfabetismo
Apresentação analfabetismo
thatalmeidars
 

Mais procurados (20)

Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
RevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O TesteRevisõEs Para O Teste
RevisõEs Para O Teste
 
Educação rs
Educação rsEducação rs
Educação rs
 
Aspectos Educacionais de São João do Caru
Aspectos Educacionais de São João do CaruAspectos Educacionais de São João do Caru
Aspectos Educacionais de São João do Caru
 
A Educacao No Rio Grande Do Sul
A Educacao No Rio Grande Do SulA Educacao No Rio Grande Do Sul
A Educacao No Rio Grande Do Sul
 
Desenvolvimento Humano para Além das Médias
Desenvolvimento Humano para Além das MédiasDesenvolvimento Humano para Além das Médias
Desenvolvimento Humano para Além das Médias
 
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População PortuguesaInstrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
 
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).pptAs estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
As estruturas e os comportamentos demográficos (1).ppt
 
Os principais problemas sociodemográficos da população portuguesa
Os principais problemas sociodemográficos da população portuguesaOs principais problemas sociodemográficos da população portuguesa
Os principais problemas sociodemográficos da população portuguesa
 
Saldos naturais negativos- Estatísticas vitais 2016
Saldos naturais negativos- Estatísticas vitais 2016Saldos naturais negativos- Estatísticas vitais 2016
Saldos naturais negativos- Estatísticas vitais 2016
 
Principais problemas sociodemográficos
Principais problemas sociodemográficos Principais problemas sociodemográficos
Principais problemas sociodemográficos
 
Evolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesaEvolução da população portuguesa
Evolução da população portuguesa
 
Politicas demográficas
Politicas demográficasPoliticas demográficas
Politicas demográficas
 
Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014
 
Resumos
ResumosResumos
Resumos
 
Relatorio natalidade
Relatorio natalidadeRelatorio natalidade
Relatorio natalidade
 
Resumos
ResumosResumos
Resumos
 
slides - Leandro Leal
slides - Leandro Lealslides - Leandro Leal
slides - Leandro Leal
 
Geografia
Geografia Geografia
Geografia
 
Apresentação analfabetismo
Apresentação analfabetismoApresentação analfabetismo
Apresentação analfabetismo
 

Destaque

Dna1 SAB FUND- Dr2
Dna1 SAB FUND- Dr2Dna1 SAB FUND- Dr2
Dna1 SAB FUND- Dr2
mega
 
ReflexãO Dna Clc
ReflexãO Dna ClcReflexãO Dna Clc
ReflexãO Dna Clc
mega
 
RefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
RefelexãO Dr3 Saberes FundamentaisRefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
RefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
mega
 
ReflexãO Clc Dr2
ReflexãO  Clc Dr2ReflexãO  Clc Dr2
ReflexãO Clc Dr2
mega
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
I.Braz Slideshares
 
Cartaz As..Mudanca
Cartaz As..MudancaCartaz As..Mudanca
Cartaz As..Mudanca
guest5294c9
 
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO MicaelaIntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
mega
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
mega
 
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandes
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandesClc 7 reflexão_sílvia_fernandes
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandes
SILVIA G. FERNANDES
 
InquéRito
InquéRitoInquéRito
InquéRito
mega
 
Guiao De Entrevista
Guiao De EntrevistaGuiao De Entrevista
Guiao De Entrevista
mega
 
Dr1 STC Saberes Fundamentais Marco
Dr1 STC Saberes Fundamentais MarcoDr1 STC Saberes Fundamentais Marco
Dr1 STC Saberes Fundamentais Marco
mega
 
Ng 7 Dr1 Marco STC
Ng 7 Dr1  Marco STCNg 7 Dr1  Marco STC
Ng 7 Dr1 Marco STC
mega
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
I.Braz Slideshares
 

Destaque (18)

Dna1 SAB FUND- Dr2
Dna1 SAB FUND- Dr2Dna1 SAB FUND- Dr2
Dna1 SAB FUND- Dr2
 
ReflexãO Dna Clc
ReflexãO Dna ClcReflexãO Dna Clc
ReflexãO Dna Clc
 
Saberes fundamentais clc
Saberes fundamentais clcSaberes fundamentais clc
Saberes fundamentais clc
 
RefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
RefelexãO Dr3 Saberes FundamentaisRefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
RefelexãO Dr3 Saberes Fundamentais
 
ReflexãO Clc Dr2
ReflexãO  Clc Dr2ReflexãO  Clc Dr2
ReflexãO Clc Dr2
 
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguaisS.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
S.T.C. 7 - Todos diferentes/Todos iguais
 
Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7 Reflexão - CLC7
Reflexão - CLC7
 
Cartaz As..Mudanca
Cartaz As..MudancaCartaz As..Mudanca
Cartaz As..Mudanca
 
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO MicaelaIntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
IntervençAo Publica Musica Dr3 Marco Carina ConceiçãO Micaela
 
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJoMudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
Mudam Se Os Tempos Dr4 Marco AraúJo
 
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandes
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandesClc 7 reflexão_sílvia_fernandes
Clc 7 reflexão_sílvia_fernandes
 
InquéRito
InquéRitoInquéRito
InquéRito
 
Guiao De Entrevista
Guiao De EntrevistaGuiao De Entrevista
Guiao De Entrevista
 
Dr1 STC Saberes Fundamentais Marco
Dr1 STC Saberes Fundamentais MarcoDr1 STC Saberes Fundamentais Marco
Dr1 STC Saberes Fundamentais Marco
 
Ng 7 Dr1 Marco STC
Ng 7 Dr1  Marco STCNg 7 Dr1  Marco STC
Ng 7 Dr1 Marco STC
 
Referencial de CLC
Referencial de CLCReferencial de CLC
Referencial de CLC
 
Ng7 Dr2
Ng7 Dr2Ng7 Dr2
Ng7 Dr2
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 

Semelhante a áRea De CompetêNciaclc Fafe saberes fundementais Dr 1

Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014
ivanilton
 
Módulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
Módulo 4_Portugal-A PopulapdffbnucjjfvoMódulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
Módulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
sdpx652fwz
 
Aljustrel 2014 abril
Aljustrel 2014 abril Aljustrel 2014 abril
Aljustrel 2014 abril
DigitEmotions
 
Trabalho de geo
Trabalho de geoTrabalho de geo
Trabalho de geo
sss
 
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
UFPB
 

Semelhante a áRea De CompetêNciaclc Fafe saberes fundementais Dr 1 (20)

Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014Relatorio integrado 2013 2014
Relatorio integrado 2013 2014
 
Módulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
Módulo 4_Portugal-A PopulapdffbnucjjfvoMódulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
Módulo 4_Portugal-A Populapdffbnucjjfvo
 
Sinais vitais 2008
Sinais vitais 2008Sinais vitais 2008
Sinais vitais 2008
 
A emigração como fenómeno social
A emigração como fenómeno socialA emigração como fenómeno social
A emigração como fenómeno social
 
Demografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibularDemografia aplicada ao vestibular
Demografia aplicada ao vestibular
 
Aljustrel 2014 abril
Aljustrel 2014 abril Aljustrel 2014 abril
Aljustrel 2014 abril
 
Trabalho de geo
Trabalho de geoTrabalho de geo
Trabalho de geo
 
Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas Crescimento populacional e Políticas demográficas
Crescimento populacional e Políticas demográficas
 
Apresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento SocialApresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento Social
 
Lançamento da 4ª Mostra de Responsabilidade
Lançamento da 4ª Mostra de Responsabilidade Lançamento da 4ª Mostra de Responsabilidade
Lançamento da 4ª Mostra de Responsabilidade
 
1.pdf
1.pdf1.pdf
1.pdf
 
Apresentação da nota sobre desigualdade social 2017
Apresentação da nota sobre desigualdade social 2017Apresentação da nota sobre desigualdade social 2017
Apresentação da nota sobre desigualdade social 2017
 
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transiçõesPopulação: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
População: Elementos demográficos para compreender o Brasil e suas transições
 
A Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PEA Z GRANITO - PE
A Z GRANITO - PE
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Revisões para o teste
Revisões para o testeRevisões para o teste
Revisões para o teste
 
Índice mostra que desigualdade racial condena negros a menos renda ensino e e...
Índice mostra que desigualdade racial condena negros a menos renda ensino e e...Índice mostra que desigualdade racial condena negros a menos renda ensino e e...
Índice mostra que desigualdade racial condena negros a menos renda ensino e e...
 
ASPECTOS DEMOGRAFICOS REGIAO SUL.pptx
ASPECTOS DEMOGRAFICOS REGIAO SUL.pptxASPECTOS DEMOGRAFICOS REGIAO SUL.pptx
ASPECTOS DEMOGRAFICOS REGIAO SUL.pptx
 
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
As políticas públicas para a juventude rural balanço, perspectivas e questões...
 
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 

Mais de mega

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marco
mega
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma história
mega
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
mega
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Meses
mega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
mega
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
mega
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tu
mega
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
mega
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJo
mega
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidario
mega
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
mega
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
mega
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marco
mega
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marco
mega
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
mega
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32
mega
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Blues
mega
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Blues
mega
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marco
mega
 
Cv Template En Gb Marco
Cv Template En Gb MarcoCv Template En Gb Marco
Cv Template En Gb Marco
mega
 

Mais de mega (20)

Reflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 MarcoReflexão 2011 Marco
Reflexão 2011 Marco
 
Deasafio contame uma história
Deasafio contame uma históriaDeasafio contame uma história
Deasafio contame uma história
 
Reflexão
ReflexãoReflexão
Reflexão
 
Reflexão 13 Meses
Reflexão 13 MesesReflexão 13 Meses
Reflexão 13 Meses
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
Logótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anosLogótipo escolhas 10 anos
Logótipo escolhas 10 anos
 
M 37 Anima Tu
M 37 Anima TuM 37 Anima Tu
M 37 Anima Tu
 
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo MarcoKuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
Kuduro M27 – Corpo e simbolismo Marco
 
ReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJoReflexãO Marco AraúJo
ReflexãO Marco AraúJo
 
marco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidariomarco Oficio Natal Solidario
marco Oficio Natal Solidario
 
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
M17 Marco Projecto Natal Solidario[1]
 
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRioM 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
M 17 Texto De Teatro Natal SolidáRio
 
M 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao MarcoM 9 Escravidao Marco
M 9 Escravidao Marco
 
Ng5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 MarcoNg5 Dr3 Marco
Ng5 Dr3 Marco
 
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4MarcoCartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
Cartaz As..Mudanca CLC Dr4Marco
 
Decalogo M 32
Decalogo M 32Decalogo M 32
Decalogo M 32
 
Ritmos & Blues
Ritmos & BluesRitmos & Blues
Ritmos & Blues
 
Origem Blues
Origem BluesOrigem Blues
Origem Blues
 
ReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marcoReflexãO Tic ingles marco
ReflexãO Tic ingles marco
 
Cv Template En Gb Marco
Cv Template En Gb MarcoCv Template En Gb Marco
Cv Template En Gb Marco
 

áRea De CompetêNciaclc Fafe saberes fundementais Dr 1

  • 1. Área de competência: Cultura Língua e Comunicação Fafe Identificar a diversidade
  • 2.
  • 4. Os dados recolhidos têm por base a informação disponível nos registos dos censos da população, elaborados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Optou-se pela análise de dados dos últimos três censos. CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
  • 5. O concelho é composto por 36 freguesias, destaca-se claramente uma concentração populacional na sede do Concelho, o núcleo urbano da cidade de Fafe. CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
  • 6. A população residente no concelho é aproximadamente de 52.757 habitantes. Nos últimos 10 anos, esse crescimento foi de 10,23%. CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO
  • 8.
  • 9. Faixa Etária A “predominância de escalões etários jovens é ainda confirmada se se comparar com os valores observados para o país. Quer no que diz respeito à população entre 0 e 14 anos quer entre 15 e 24 anos, Fafe apresenta percentagens superiores às verificadas para o total do país e para o total da região Norte.” No entanto, tal situação, quando comparada com os dois recenseamentos anteriores, aponta no sentido de um decréscimo nos níveis etários mais baixos, o que pressupõe o caminho do envelhecimento da população.
  • 10. Quanto à origem dos imigrantes no concelho, destacam-se os Ciganos, Franceses, Brasileiros, Angolanos e Chineses. O concelho de Fafe surge, na década de 90, como um dos concelhos do Norte do país com elevado saldo migratório positivo, embora numa comparação entre 1995 e 1999, se registe uma tendência para a diminuição. Etnias
  • 11. Ainda que a estrutura etária fizesse prever um nível de qualificação qualitativamente superior ao do país, tal não se verifica. Em 2001, cerca de 38% da população possui apenas o primeiro ciclo de ensino básico. Refira-se também que para cerca de 9% de analfabetos a nível nacional, Fafe posiciona-se ligeiramente acima com 9,88%. Realce-se, ainda, o facto de apenas 9,3% do universo da população de Fafe se posicionar no nível do ensino secundário, e 5,8% no ensino médio ou superior. Escolaridade
  • 13. Uma análise sucinta dos sectores de actividade económica do concelho, suas dinâmicas e perspectivas de desenvolvimento. Caracterização socioeconómica da população
  • 14.
  • 15. Problemas sociais (Serafão) Problemas sociais (Serafão)
  • 16. Toxicodependência : Criação de um gabinete de apoio, com especialistas para encaminhar os utentes, para centros de reabilitação e inserção social. Com esta estratégia tentaríamos conciliar todos os recursos existentes na freguesia e com isso recorrer a uma pequena verba, para o devido encaminhamento no mercado de trabalho e social. Estratégias de combate aos problemas sociais
  • 17. Desemprego: Nesta área começávamos por trabalhar em parceria com o IEFP, para um levantamento dos desempregados da freguesia tentando encaminha-los para formação profissional nas áreas onde a freguesia poderá ter mais saídas profissionais. Estratégias de combate aos problemas sociais
  • 18. Envelhecimento populacional: Com a taxa de natalidade a diminuir e a esperança de média devida a aumentar deparamo-nos com um problema social, onde cada vez mais assistimos a uma população envelhecida, a viver em condições precárias, muitas delas no limiar da pobreza. Aproveitando os recursos institucionais da freguesia como o centro social entre outros, tentaríamos uma aproximação maior dessa mesma população colmatando as carências identificadas. Exemplo: Restauro das habitações; isolamento social; convívio social etc. Estratégias de combate aos problemas sociais
  • 19. Trabalho Realizado Marco Araújo Rosa Lopes Humberto Moreira