Dr3 Sociedade Marco AraúJo

6.223 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.223
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
235
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dr3 Sociedade Marco AraúJo

  1. 1. Nome: Marco Araújo Data: 2/12/2009 Núcleo gerador – Saberes fundamentais (DR3) Competências – Intervir racional e criticamente em questões públicas com base em conhecimentos científicos e tecnológicos. Critério de evidência (Sociedade) – Actuar nas sociedades contemporâneas num quadro de pluralidade de instituições, reconhecendo que as argumentações científicas e técnicas interagem com interesses particulares e poderes específicos e diferenciados. 1.1 O que é a Co-incineração? Incineração é a queima do lixo em fornos e usinas próprias. Apresenta a vantagem de reduzir bastante o volume de resíduos. Além disso, destrói os microrganismos que causam doenças, contidos principalmente no lixo 1.2 Em Portugal, que locais foram escolhidos para a implementação do processo da co-incineração? Em Portugal, que locais escolhidos foram: Souselas e Outão(Setúbal) 1.3 Quais as diferenças entre incineração dedicada e co-incineração? Incineração Dedicada A incineração dedicada consiste no tratamento térmico de resíduos, com ou sem recuperação da energia térmica gerada pela combustão (Directiva n.º 2000/76/CE). Animador Sócio Cultural STC – Saberes Fundamentais (DR3)
  2. 2. Co-incineração A co-incineração ocorre quando se efectua a incineração numa instalação cuja principal finalidade seja a geração de energia ou a produção de materiais e que utiliza resíduos como combustível regular ou adicional ou na qual os resíduos são sujeitos a tratamento térmico com vista à sua eliminação (Directiva n.º 2000/76/CE). Este processo permite assim a eliminação e/ou valorização de resíduos industriais, por alimentação desses resíduos inertizados ao forno durante o processo de fabrico do clínquer, produto intermédio no fabrico do cimento. 1.4 Quais as vantagens e limitações/riscos inerentes à Co-incineração? Vantagens· Como principais vantagens do processo de co-incineração de resíduos industriais em cimenteiras, os cientistas destacam a taxa de destruição dos resíduos pelo processo de co-incineração ser superior à das incineradoras; o facto de os fornos das cimenteiras, ao utilizar os calcários como matéria-prima principal, terem um ambiente tipicamente alcalino e, por isso, comportarem-se como “lavadores” naturais dos gases; o facto de, no processo de cozedura, as cinzas de combustão dos resíduos ficarem dissolvidas na estrutura do próprio cimento e, finalmente, o custo do tratamento para os resíduos ser três vezes inferior ao de uma incineradora. Desvantagens· Como desvantagens os cientistas apresentam o facto de os fornos rotativos das cimenteiras não terem uma temperatura uniforme, não garantindo que se evite a formação de compostos indesejados; os limites das emissões das cimenteiras estarem abaixo dos exigidos para as unidades de incineração; os filtros deixarem de funcionar (quando a laboração é interrompida) e os gases escaparem-se, praticamente sem tratamento, pela chaminé devido ao facto de os filtros de mangas previstos para as cimenteiras não terem capacidade para reter gases mais voláteis como o mercúrio (mas esta é uma questão operativa, que pode ser Animador Sócio Cultural STC – Saberes Fundamentais (DR3)
  3. 3. facilmente resolvida, tornando as possíveis fugas residuais) e, por último, não estar suficientemente estudada a questão das emissões de metais pesados pelas cimenteiras na sequência da queima de resíduos industriais perigosos, nem a incorporação destas substâncias cancerígenas no cimento (embora, regra geral, este cimento seja transformado em blocos que são colocados em locais onde não há contacto directo com as pessoas – as fundações, por exemplo). Riscos para a saúde pública· Existem doenças que podem ser associadas à proximidade de uma incineradora, sobretudo no caso das incineradoras de resíduos urbanos. No final da década de 1980, verificou-se, na Holanda, que os níveis de dioxinas no leite junto a centrais de incineração eram três vezes mais elevadas do que noutros locais. A Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública considera que não estão reunidas as condições técnicas que permitam dizer que a co-incineração é a de menor risco para a Saúde Pública e considera que existem argumentos que apontam para riscos não controlados. 1.5. Tendo como referência a polémica do “Caso de Souselas”, elabore um texto que aborde os seguintes tópicos: • Em que se baseia a controvérsia e principais autores em torno da mesma • Pontos de vista defendidos (baseados em argumentos de índole cientifica) • O que é e como surgiu a Comissão Cientifica Independente O movimento de protesto contra a co-incineração tem sido caracterizado por períodos diferenciados de contestação. Até ao presente momento, podemos identificar três desses períodos, de onde ressaltam as seguintes características fundamentais: no primeiro tempo, a insuficiência da reivindicação popular junto dos decisores governamentais traduziu-se num apelo ao saber de peritos, por forma a fundamentar a decisão; no segundo tempo, a posição tomada pela CCI, totalmente favorável ao avanço do processo de co-incineração, fez com que a contestação se fizesse, sobretudo, por via da controvérsia científica instalada; no terceiro tempo, o alargamento das análises científicas às questões relativas à saúde pública permitiram um reforço da associação que já vinha acontecendo entre parte da comunidade científica e o movimento de protesto, havendo uma aproximação Animador Sócio Cultural STC – Saberes Fundamentais (DR3)
  4. 4. inequívoca às principais preocupações das populações locais, muito embora o parecer do Grupo de Trabalho "Médico (GTM) tenha garantido a inocuidade da co- incineração para a saúde das populações afectadas e referido que os riscos decorrentes da actividade de uma co-incineradora eram «socialmente aceitáveis». 1.8 Como reagiria à construção de uma incineradora próximo da sua habitação? Fundamente a resposta. Depois de uma breve pesquisa e informação sobre esta temática, poderei afirmar que não via com agrado uma incineradora junto à minha zona de habitação, tirando alguns itens do meu trabalho vemos que as desvantagens são imensas e controversas, mas tenho o conhecimento que este processo terá de existir são todos nos seres humanos corremos sérios riscos. Animador Sócio Cultural STC – Saberes Fundamentais (DR3)

×