O Jovem José ou o José Jovem

552 visualizações

Publicada em

Artigo a respeito da relação de São José com a juventude.

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
552
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Jovem José ou o José Jovem

  1. 1. O JOVEM JOSÉ OU O JOSÉ JOVEM? José Aniervson Souza dos Santos1Lembro-me que durante toda a minha formação cristã católica, chamávamos Joséde “justo”. Quando criança, confesso, não entender bem o porquê que um homemprestes a abandonar a futura mãe de Jesus e sua noiva, fosse chamado de justo,mas não contestava, pois, me diziam, às vezes, ser mistério da fé.Certamente, José quando aparece na história, segundo a Bíblia, não é mais deidade jovem, porém é notado assim como muitos de nós hoje nos auto-caracterizamos: “jovem de espírito”. Talvez fosse, antes de tudo, necessário dizercomo entendemos o estado de “espírito” de uma pessoa que diz ser jovem,mesmo não o sendo. Como os/as jovens hoje são vistos pela sua força, garra,coragem, ousadia e também pelos seus medos, costuma-se conceituar as coisas eas pessoas como “sendo jovens” independente de sua faixa etária, desde que amesma detenha dessas características “comuns aos/as jovens”. Em se tratando doser “justo”, título ou característica dada a José, poderíamos dizer que seja o estadode agir com justiça.Quando nos reportamos à juventude de hoje, que semelhanças e/oudessemelhanças conseguimos encontrar tendo como modelo a figura mítica deJosé? Talvez sejamos todos impelidos em caracterizar a juventude em “umconjunto de fantasias e falta de compromissos” e assim, afastemos de uma vez portodas às semelhanças ao “justo José”. Mas não é por esse caminho. Olhemospara a juventude, como diz Regina Novaes, sendo o “espelho agigantador dasociedade”. Se ela reflete a sociedade, significa dizer que há mais de nós nointerior da juventude do que dela mesma. José também quis voltar atrás, quandonão aceitou de vez a gravidez de sua noiva. Precisou que fosse convencido porum anjo da fidelidade de Maria para aceitá-la e desposá-la. Como comparado ao1 Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco – UPE e Pós-graduação emJuventude no Mundo Contemporâneo pela FAJE. Atua na área de juventude há mais de 10 anosacompanhando e assessorando grupos juvenis e instituições que trabalham com jovens. Desenvolveacompanhamento a projetos governamentais que lidam com o público jovem. Já atuou na área socialem projetos do governo federal, lindando com famílias vulneráveis e em situação de risco, coordenandoatividades de aumento da autoestima, valorização pessoal, qualificação profissional e educacional,reaproveitamento e tecnologia. Coordenou durante muitos anos a Pastoral da Juventude na Diocese deNazaré/PE,. Participou da comissão nacional de coordenação do Projeto da Pastoral da Juventudeintitulado “A Juventude quer Viver”, representando o Regional Nordeste 2 (CNBB). Foi DiretorPresidente do Instituto de Protagonismo Juvenil – IPJ. Publicou 3 materiais de pesquisas desenvolvidospelo IPJ. Atuou na Fundação de Atendimento Socioeducativo (FUNASE) e no Programa ATITUDE doEstado de Pernambuco. Foi Assessor Técnico do CMDCA e membro da Comissão Municipal Pró-SeloUnicef em Surubim/PE. Atualmente é Development Instructor no Institute for Internacional Cooperationand Development – IICD/Michigan/USA.
  2. 2. ioiô, o relacionamento dos/as jovens, é uma re-configuração da atitude de José nopassado. Não que haja nesse contexto irresponsabilidade ou desamor, pelocontrário, se deseja intimamente construir uma família verdadeira e duradoura,onde o princípio da verdade seja fundamental.Ser justo/a na sociedade atual não significa dizer usar da força física ou dacapacidade intelectual para persuadir e/ou punir aos demais, é, pelo contrário, acapacidade de usar de suas ferramentas pessoais construídas socialmente parapromover o bem que se deseja alcançar. José, em sua vida, segundo os escritos,é caracterizado como um homem sábio, do silêncio, de atitude forte, destemido ecorajoso que escutava a voz do seu Deus e o seguia. Que fez sua vontade.Construiu sua família e depois morreu. Não diferente da nossa juventude quesonha, que ama, tem desejos e suas próprias crenças. Essa mesma juventudesegue seus preceitos, alguns religiosos outros não, porém todos/as acreditam naforça do sagrado e procura ouvi-los. No solo sacro da mente jovem, caminha aimagem de um deus que é jovem como eles/as, que compreende seus gostos,suas cores, suas escolhas e seus mundos e principalmente, que não os/ascondena. Esse deus construído pelos/as jovens, não é, talvez em hipótese alguma,o desejo de se ver livre das “obrigações” divinas, ao contrário, assim como José,os/as jovens hoje costumam ouvir a voz de Deus e reproduzi-la.José, homem de profissão, característica humilde, mas de família nobre, nãodiferente dos/as milhares de Catarinas, Marcelos, Marias, Martas, Brunos,Rodrigos, Susanas, Marianas... espalhados/as por esse imenso planeta, quedesejam e buscam sua profissionalização, ter seu próprio salário para o seusustento e de sua família, construir sua própria família e experimentar da vidaenquanto existe virilidade e força em seus corpos, ainda jovens.Sem sombra de dúvida os/as jovens na época de José, se comportavam diferente,criam e/ou desejam coisas diferentes, mas também passavam por fatoreshistóricos diferentes. A nossa juventude hoje estar imensa numa cultura ondeexiste o computador, o celular, as roupas de marca, avião, malhação, cirurgias,rádio, internet, etc. todos esses fatores contribuem diretamente na formaçãopessoal do indivíduo e consegue determinar, em algumas vezes, seuscomportamentos. Mesmo estando a milhares de anos distantes a juventude deJosé e a juventude de hoje o que difere uma da outra são apenas os insumos quedireta e indiretamente interferem na construção da sua personalidade. O desejo deter uma profissão e construir família, por exemplo, estão para José como paraos/as nossos/as jovens hoje uma questão identitária que configura o desejo“natural” do ser humano em se relacionar com as pessoas e fazer-se emcomunidade, mais uma vez re-configurando a imagem bíblica das comunidadescristãs que dividiam tudo e repartiam entre si, mas ao mesmo tempo eraimportante se posicionar diante dela, para além de outras coisas, serempercebidos/as e notados/as entre os/as demais.
  3. 3. Dessa forma, é possível então dizer que são os/as jovens de hoje que seassemelham a José ou seria a vida de José que se assemelha aos/as jovens dehoje? Poderíamos dizer que José é jovem ou o/a jovem é José?BIBLIOGRAFIAhttp://marcioreiser.blogspot.com/2010/02/sao-jose.htmlhttp://pt.wiktionary.org/wiki/justo

×