Participantes da Semana de ArteModerna Cartaz deDivulgação
Abaporu- Tarsila do AmaralMario de Andrade-Anita Malfatti
Virgem mal-sexuadaEu queria a estrela da manhã        Atribuladora dos aflitosOnde está a estrela da manhã?       Girafa d...
O que não tenho e desejo           Criou-me, desde eu meninoÉ que melhor me enriquece.         Para arquiteto meu pai.Tive...
E como farei ginástica        E quando eu estiver mais                                 Andarei de bicicleta          trist...
Tela em grafiterepresentando oautor e sua obra
- Tá vendo?                               - Qual é, minha tia?- Tou. A gente liberta o       - Adivinhe.negro.            ...
É doce morrer no mar         Saveiro partiu de noite foi Nas ondas verdes do marNas ondas verdes do mar      Madrugada não...
Modernismo
Modernismo
Modernismo
Modernismo
Modernismo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modernismo

151 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
151
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modernismo

  1. 1. Participantes da Semana de ArteModerna Cartaz deDivulgação
  2. 2. Abaporu- Tarsila do AmaralMario de Andrade-Anita Malfatti
  3. 3. Virgem mal-sexuadaEu queria a estrela da manhã Atribuladora dos aflitosOnde está a estrela da manhã? Girafa de duas cabeçasMeus amigos meus inimigos Pecai por todos pecai com todosProcurem a estrela da manhã Pecai com malandrosEla desapareceu ia nua Pecai com sargentosDesapareceu com quem? Pecai com fuzileiros navaisProcurem por toda à parte Pecai de todas as maneiras Com os gregos e com os troianosDigam que sou um homem sem orgulho Com o padre e o sacristãoUm homem que aceita tudo Com o leproso de Pouso AltoQue me importa? Depois comigoEu quero a estrela da manhã Te esperarei com mafuás novenasTrês dias e três noite cavalhadasFui assassino e suicida [comerei terra e direi coisas de umaLadrão, pulha, falsário ternura tão simples Que tu desfalecerás Procurem por toda à parte Pura ou degradada até a última baixeza Eu quero a estrela da manhã.
  4. 4. O que não tenho e desejo Criou-me, desde eu meninoÉ que melhor me enriquece. Para arquiteto meu pai.Tive uns dinheiros — perdi-os... Foi-se-me um dia a saúde...Tive amores — esqueci-os. Fiz-me arquiteto? Não pude!Mas no maior desespero Sou poeta menor, perdoai!Rezei: ganhei essa prece. Não faço versos de guerra.O que não tenho e desejo Não faço porque não sei.É que melhor me enriquece. Mas num torpedo-suicidaTive uns dinheiros — perdi-os... Darei de bom grado a vidaTive amores — esqueci-os. Na luta em que não lutei!Mas no maior desesperoRezei: ganhei essa prece.Gosto muito de crianças:Não tive um filho de meu.Um filho!... Não foi de jeito...Mas trago dentro do peitoMeu filho que não nasceu.
  5. 5. E como farei ginástica E quando eu estiver mais Andarei de bicicleta triste Montarei em burro brabo Mas triste de não terVou-me embora pra Pasárgada Subirei no pau-de-sebo jeitoLá sou amigo do rei Tomarei banhos de mar! Quando de noite me derLá tenho a mulher que eu E quando estiver cansado Vontade de me matarquero Deito na beira do rio — Lá sou amigo do reiNa cama que escolherei Mando chamar a mãe-dágua —Vou-me embora pra Pasárgada Pra me contar as histórias Terei a mulher que eu Que no tempo de eu menino queroVou-me embora pra Pasárgada Rosa vinha me contar Na cama que escolhereiAqui eu não sou feliz Vou-me embora pra Pasárgada Vou-me embora praLá a existência é uma aventura PasárgadaDe tal modo inconseqüente Em Pasárgada tem tudoQue Joana a Louca de Espanha É outra civilizaçãoRainha e falsa demente Tem um processo seguroVem a ser contraparente De impedir a concepçãoDa nora que eu nunca tive Tem telefone automático Tem alcalóide à vontade Tem prostitutas bonitas Para a gente namorar
  6. 6. Tela em grafiterepresentando oautor e sua obra
  7. 7. - Tá vendo? - Qual é, minha tia?- Tou. A gente liberta o - Adivinhe.negro. - Mulher...A negra ia apanhando o - Não.tabuleiro. Henrique ajudou-a - Cachaça...a botar as latas vazias em - Não.cima. Ela perguntou: - Feijoada... - Não sabe o que é? É cavalo. Se não fosse cavalo, branco montava em- Você sabe qual é a coisa negro..."mais melhor do mundo? Jorge Amado
  8. 8. É doce morrer no mar Saveiro partiu de noite foi Nas ondas verdes do marNas ondas verdes do mar Madrugada não voltou meu bemÉ doce morrer no mar O marinheiro bonito Ele se foi a se afogarNas ondas verdes do mar Sereia do mar levou Fez sua cama de noivo No colo de IemanjáA noite que ele não veio foi É doce morrer no marFoi de tristeza pra mim Nas ondas verdes do mar É doce morrer no marSaveiro voltou sozinho É doce morrer no mar Nas ondas verdes do marTriste noite foi pra mim Nas ondas verdes do mar É doce morrer no mar Nas ondas verdes do marÉ doce morrer no marNas ondas verdes do marÉ doce morrer no marNas ondas verdes do mar Composição: Dorival Caymmi e Jorge Amado Interpretação: Dorival Caymmi

×