Portugal Património Mundial
Torre de Belém:
Mais do que qualquer outro monumento de Portugal, a
Torre de Belém reflete a ousadia, os contactos pioneir...
Projeto de Conservação
O projeto de conservação da Torre de Belém
começou por uma fase de avaliação e
documentação das con...
Intervenções Estruturais
Inicialmente, foi efetuada a recolha e a
numeração de fragmentos instáveis
referenciados nas base...
Fases de Limpeza
Numa perspectiva genérica, existiam na Torre
tipologias de formação e deposição estranhas às
superfícies,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cp4

731 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cp4

  1. 1. Portugal Património Mundial
  2. 2. Torre de Belém: Mais do que qualquer outro monumento de Portugal, a Torre de Belém reflete a ousadia, os contactos pioneiros com outros Povos e o vanguardismo do nosso País no passado histórico. Construída estrategicamente na margem norte do rio Tejo, entre 1514 e 1520, para defesa da barra de Lisboa, é uma das jóias da arquitetura do reinado de D. Manuel, uma síntese entre a torre de tradição medieval e os primeiros dispositivos aptos para resistir ao fogo de artilharia. Mantém algumas salas de utilização civil com as características abóbadas quinhentistas, a casamata para o disparo da artilharia e a memória dos cárceres que ali funcionaram desde Finais de seculo XVI. Está inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO, é um ex-libris do património cultural português projetado em todo o mundo e é um dos elementos arquitetónicos que pontua a paisagem ribeirinha na zona monumental Ajuda-Belém.
  3. 3. Projeto de Conservação O projeto de conservação da Torre de Belém começou por uma fase de avaliação e documentação das condições exteriores do monumento. Nesta fase foram identificadas, documentadas e localizadas as formas de degradação que afetavam as pedras e as argamassas. Construída em pedra de liós, a alvenaria foi executada de modo diferente acima e abaixo do nível da água. Os principais problemas de conservação encontrados e identificados foram: estruturais, de infiltração de águas, superfícies sujas e manchadas e blocos de pedra deteriorados. Os trabalhos de conservação da Torre iniciaram-se em Fevereiro de 1997 e prolongaram-se por seis meses, ao que se seguiram os trabalhos no Baluarte, concluídos em Janeiro de 1998. Agregando os esforços do Instituto Português do Património Arquitetónico, em representação do Ministério da Cultura, da World Monuments Fund, da World Monuments Fund Portugal e de um conjunto de empresas Mecenas, o Projeto de Conservação do Exterior da Torre de Belém, levou em conta a filosofia de intervenção, a avaliação das condições existentes, o planeamento e controlo dos procedimentos de conservação, bem como a gestão da informação relativa ao projeto e ao seu impacto junto da opinião pública.
  4. 4. Intervenções Estruturais Inicialmente, foi efetuada a recolha e a numeração de fragmentos instáveis referenciados nas bases gráficas dos sectores. Os elementos foram posteriormente colados com resina epoxídica e as fracturas estucadas com as mesmas argamassas da estucagem final. No caso dos elementos instáveis de maior dimensão, deslocados e/ou fraturados, foi efetuado o realinhamento e a fixação e, sempre que necessário, o reforço estrutural. A intervenção no Arcanjo S. Miguel no cunhal NE do Torreão significou, numa primeira fase, uma pesquisa sistemática no espelho de água envolvente da Torre para a procura do fragmento da asa esquerda, já fraturada em 1994 e entretanto perdida. Após algumas tentativas o fragmento foi recuperado. Por ocasião do levantamento, evidenciou-se a deslocação existente da escultura em relação à sua base e uma acentuada instabilidade da peça. Assim, foi realizada a recolocação correta e um novo assentamento.
  5. 5. Fases de Limpeza Numa perspectiva genérica, existiam na Torre tipologias de formação e deposição estranhas às superfícies, que necessitaram de uma accão mista de limpeza, quer por questões de conservação quer estéticas, conjugando por níveis, sistemas húmidos e secos, químicos e mecânicos. Tratamento das Juntas Reintegrações de Superfície O tratamento das juntas consistiu na remoção dos materiais não funcionais, no enchimento parcial dos vazios estruturais e na estucagem final de superfície - foram intervencionadas cerca de dez mil metros lineares de juntas. Trabalhos Diversos Neste grupo inserem-se temáticas diversas, relativas a várias atividades, desde intervenções localizadas a tratamentos finais de proteção.

×