Redesociais

411 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redesociais

  1. 1. redessociais<br />Formação informal paraprofessoresbibliotecários<br />angelinamariapereira<br />angelinaper@gmail.com<br />www.bibliotecasemrede.blogspot.com<br />
  2. 2. o quesãoredessociais?<br />As redessociaisna Internet sãoserviçosquetêmcomoobjectivooestabelecimento de ligações entre utilizadoresque se conhecemouquepartilhaminteressesouactividadescomuns, permitindoassimumatroca de experiências, vivênciaseconhecimentos entre osváriosutilizadores.<br />
  3. 3. oquesãoredessociais?<br />Pordefinição, umarede social on-line éumapáginanaredeemque se podepublicar um perfilpúblico de simesmo – com fotose dados pessoais – emontarumalista de amigos quetambémintegramomesmo site. Como emumapraça, um clubeou um bar, esseéoespaço no qual as pessoastrocaminformaçõessobre as novidadescotidianas de suavida, mostram as fotos dos filhos, comentamosvídeoscaseirosuns dos outros, compartilhamsuasmúsicaspreferidaseatédescobrem novas oportunidades de trabalho. Tudocomo as relaçõessociaisdevem ser, mas com umagrandediferença: a ausênciaquase total de contatopessoal. http://veja.abril.com.br/080709/nos-lacos-fracos-internet-p-94.shtml<br />
  4. 4. o quepermitem?<br />Os serviçosdestasredespermitem, fundamentalmente, a interacção entre utilizadoresatravés de textos, publicação de imagens, chat, serviços de mensagensinstantâneas, email, vídeo, voz, partilha de ficheiros, blogs, grupos de discussão, etc.<br />
  5. 5. vulnerabilidadesnaprivacidadeesegurança<br />Os conteúdos de umaRede Social (RS) podem ser armazenadosaolongo do tempo poroutrasentidade(s) terceira(s) quenão a RS.<br />Como oscustos de armazenamento de dados sãocadavezmenores, estavulnerabilidadepermite a essasterceira(s) entidade(s) a criação de dossiêsdigitaisquecontêmos dados queforamsendoanexadoseeliminadosaolongo do tempo num determinadoperfil, bemcomo as ligaçõesqueforamsendocriadas (ouremovidas) aolongo do tempo entre osutilizadorese as respectivasalturasemqueessasligaçõesforamestabelecidas (ouremovidas)<br />
  6. 6. Outro factor importanteéo facto de osutilizadoresrevelareminformaçõespessoaisquepodemusadasemcontextosqueoutilizadornãoconsiderouaorevelaressasinformações.<br />Existeaindaoutravulnerabilidadeemalgumas RS que se prende com o facto de algumasinformaçõesqueoutilizadorpensaestarembarradas a utilizadores de fora do círculo de confiançaestaremdisponíveisaopúblicoatravés dos motores de buscadessasmesmas RS. Porexemplo, no Myspace, Facebookeemoutras RS onomee a fotografia de um determinadoutilizadorestãodisponíveisaopúbliconasconfiguraçõesporomissão.<br />http://www.cert.pt/index.php/pt/recomendacoes/1225-cuidados-em-redes-sociais-<br />
  7. 7. algumasredessociais<br />
  8. 8.
  9. 9. em Portugal…<br />
  10. 10. Hi 5<br />
  11. 11. facebook<br />
  12. 12. twitter<br />
  13. 13. linkedIn<br />http://diario2.com/redes-sociais-em-portugal-analise-de-audiencias-1386<br />
  14. 14. Sejaporrazõesprofissionaisou de lazer, a verdadeéque a adesão dos portuguesesàsredessociaiscolocaonossopaís no 3.º posto no 'ranking' europeu de utilizadores, segundo a comScore, enquanto a Marktestcontabiliza 2,5 milhões de adeptosem 2008, com o Hi5 no topo das preferências<br />À suafrenteestáoReinoUnidoe a Espanha, refere um relatóriodacomScore, querevelaaindaque, em Portugal, 72,9% dos utilizadores de Internet com mais de 15 anosequeacedemaocomputador a partir do lar, visitou, emDezembro de 2008, um site de relacionamento social.<br />Com um públicomaioritariamentejovem, estasredescomeçam a terumaadesãocadavezmaior de políticos, jornalistas, criativosdapublicidade, profissionaisliberais.<br />No total, a taxa de penetração das redessociaisnaEuropaé de 74,6% ou 282 milhões de pessoasmaiores de 15 anos com computadorem casa, tendo 211 milhõesacedido, emDezembro, a um site de relacionamentosocialhttp://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1173173<br />
  15. 15. A possibilidade de comunicarinstantaneamente com centenasoumilhares de pessoas, quase a custo zero seduzanónimos. Masestemicrofoneabertoaomundoéaindamaisalicianteparaempresasepolíticos. Foiporissoque Pedro MotaSoaresaderiu: "Na política, paracomunicartemos de estarondeestão as pessoaseesteé um meiomuitointeressanteporquenãoéunidireccionalcomoosoutros", explica.<br />BarackObamadesbravoucaminho: durante a campanhaàpresidência dos EstadosUnidosnãoignorouestepotencialparamobilizarapoianteserecolherfundos. "Tal comoo Churchill soubeusar a rádioparachegaràspessoase Kennedy a televisão, Obamafoioprimeiro a usareficazmente a web 2.0", ouseja, a web maisinteractiva, dizodeputado do CDS-PP. O seupartidoseguiu a dicaelançou-se no Twitter e no Facebook. Masnemsó de política se fazem as redessociaise Pedro MotaSoaresacabouporencontrarcolegasdaescolaedafaculdadequejánão via háanos.<br />
  16. 16. VisibilidadeéexactamenteoqueJoão Bettencourt Bacelarprocura no Facebook. Masparaoseutrabalho. Criativonumaagência de publicidade, tem cerca de 60 álbuns com trabalhos de fotografiaeilustraçãodisponíveisnaredeeessaexposiçãojálhevaleualgumaspropostas: "As pessoasviram as minhasgalerias, gostaramecontactaram-me. O Facebookéumamontra, emquecada um mostraoquequer. Eumostrooquefaçoprofissionalmente.<br />
  17. 17. algumashistórias<br />
  18. 18.
  19. 19.
  20. 20. ‘perigos’ das redes…<br />Equivocam-se ossociólogosepsicólogosqueveêm as coisasmaismirabolantesnasredessociais, diabolizando-as ouincensando-as — muitasvezesalternadamente. Umaredeéumaredeéumarede — umaestruturaquepermitecontactosdesintermediados com cadanódarede, tirandonósdaíopartidoqueentendermos. Oumesmotirando valor meramentedaobservaçãopassivadaactividadedarede –  trending, crowdsourcing. http://pauloquerido.pt/tecnologia/quem-sao-os-amigos-nas-redes-sociais-e-como-os-contabilizar/<br />
  21. 21. Twitter<br />«Twittoporqueé a únicamaneiraquetenho de ajudar», contaaotvi24.pt Yael Talleyrand,umajovem de 16 anos, que vive emJacmel, nacostasudeste do Haiti. «É a forma quetenho de difundiromáximo de informaçãoque me chega, de tentarque a ajudanecessáriachegue a Jacmele de darnotícias a quem tem famíliaoucasasnacidade», explica. http://diario.iol.pt/internacional/haiti-twitter-facebook-sismo-tvi24-ultimas-noticias/1132745-4073.html<br />
  22. 22. O sociólogo Gustavo Cardoso, director do ObservatóriodaComunicação (OberCom), explicaque "ograndesucesso das redes online deve-se ao facto de permitirematingirdeterminadosobjectivos, nomeadamentemantercontacto com muitaspessoas, com custosmuitobaixos: quer a nível de tempo quer de dinheiro<br />Gustavo Cardoso lembraqueosjovens, atraídospelanovidadeemais dados a experimentar, sãogeralmenteosprimeiros a aderiràs novas tendências. Agora, estamosnumafaseemqueosadultostambémaderem: porque a utilizaçãoda internet também se está a generalizareporcausadapossibilidade de encontrarpessoas…<br />
  23. 23. Paulo Querido, jornalistanaáreadatecnologia, faz parte da "elite" que segue tantaspessoascomo as queoseguem no Twitter: cerca de 2300. Essa base constrói-se com umapresençaconstante - mais de oito mil mensagens-, odomíniodatecnologiaeogostopelatroca de ideias.<br />O NunoMarklpercebeuem Janeiro paraqueéqueaquilo (o twitter) serviaeempouco tempo juntoumais de quatro mil seguidores. E nasúltimasduassemanasassistimosàchegadadablogosferapesada, maisrenitente, como Francisco José Viegas. Nestemomento, éondeestáo buzz”.<br />Até a PresidênciadaRepúblicareconheceuesseinteresseecriouumaconta no Twitter. A chegadafoiamplamentenoticiadae a Presidênciajá tem mais de dois mil seguidores. Algunscomo Pedro Rocha, nãoescondem a desilusão: "O queelesfazeméreproduzir a agenda oficial. Ouseja, estãolámasnãosabemusaraquilo<br />
  24. 24. Paulo Queridolembraque as "própriasredesevoluem. "O hi5, porexemplo, éumaredemaisantigaquenãoevoluiumuitoeestá a perderprotagonismo. O Facebookéumarede de segundageração, jápermiteconstruiraplicações. O Twitter éincrivelmente simples epermitegerar debates queduramdoisoutrêsdias". A evoluçãoéportantoocaminhoparasobrevivênciahttp://dn.sapo.pt/inicio/interior.aspx?content_id=1172715<br />
  25. 25. ‘estrelas’ nasredes<br />
  26. 26. O 1º atletaportuguês com conta no twitter<br />
  27. 27. BibliotecaNacional de Espanha no Facebook<br />La clave está en que la páginalejos de ser estáticaymeramentecorporativa, destacaporsudinamismo. Al igualque lo hacensususuarios. Se utilizaparapromoveractos, mostrarsuscolecciones, ciclosculturalesyexposiciones.Pepa Michel, subdirectora general adjunta de la BibliotecaNacional, tieneclaroque la presencia en lasredessocialesmásqueunamoda, son unanecesidad: "Necesitamosabrirnos, interactuaryllegar a ellos. La BibliotecaNacionalsiguetrabajandopero no estaba en estemundodonde hay muchosusuariospotenciales. Queremosqueconsideren la Bibliotecacomoalgo de todos, no como un espaciocerrado. Poresodimos el pasoyestamosmuycontentospor la respuesta tan positiva de la gente". http://www.elpais.com/articulo/internet/Biblioteca/Nacional/abre/puertas/Facebook/elpeputec/20090225elpepunet_2/Tes<br />
  28. 28. http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_social_networking_websites<br />
  29. 29. http://aeiou.exameinformatica.pt/quem-sao-os-campeoes-do-twitter-fotogaleria=f1006015<br />http://aeiou.exameinformatica.pt/eua-estudantes-vao-desenvolver-o-anti-facebook=f1006003<br />http://aeiou.exameinformatica.pt/ja-nao-se-fala-ao-telemovel=f1006014<br />
  30. 30. Entrar nasredes…sem se enredar!!…<br />

×