Projeto: Interdisciplinaridade e Energia AtômicaProfessores:Ângela, Cristiane, Osney e JoséDisciplinas:Química, Física, Bi...
No cotidiano dos alunos, especialmente, os alunosdos 3º Anos do Ensino Médio, o tema sobre a energianuclear      é    bast...
-   Compreender a Energia nuclear dos seus    primórdios aos dias atuais;-   Elencar as contribuições da energia nuclear;-...
Conteúdo:- Energia atômica;- Energia Nuclear;- Fabricação e uso da Bomba Atômica;- Ética científica e Energia atômica.
-  Uso de slides com o recurso do data-show;- Pesquisa nos seguintes sites:www.ciencia.hsw.uol.com.br/bomba-nuclearwww.sbf...
-   Engajamento nas atividades e temas propostos;-   Debate;-   Produção de textos críticos acerca do tema.-   Resolução d...
Os alunos serão estimulados durante o período de umasemana a observarem na mídia, notícias relacionadas aenergia atômica. ...
Duas aulas serão utilizadas para a exposição do tema. Oobjetivo dessas aulas são de dotar os alunos deconhecimentos teóric...
A aula
Aspectos históricos e filosóficosQual a essência das coisas? Do que é feita a matéria?Qual a origem dos seres? Perguntas c...
Sua doutrina baseia-se na água como elemento         primordial de todas as coisas.
Tales, observou que o calor necessita de água, que omorto resseca, que a natureza é úmida, que osgermens são úmidos, que o...
Ar
O princípio de tudo, o arqué, seria oar e as coisas da natureza seriam o arcondensado em vários graus. Ararefação e conden...
O ar é a própria vida, a força vital, a  divindade que “anima” o mundo.   Do ar nascem todas as coisas              existe...
Apesar do grande esforço dos filósofos pré-socráticos algumas perguntas insistiam emaparecer: como a terra pode ser formad...
Tudo o que existe é composto de  átomos, partículas invisíveis e indivisíveis. Osátomos, infinitos em número, combinam-se ...
Para Demócrito é o acaso ou a necessidade quepromove a aglomeração de certos átomos e arepulsão de outros.
Com a queda do império romano no século V e o posteriorfortalecimento da Igreja, as tentativas de entender omundo ganharam...
Foi por volta do século XVIII, entretanto, com aRevolução Industrial, que aquelas questões iniciais sobrea matéria retomar...
Vários países passaram a financiar as pesquisas emciência e tecnologia, visando aumentar a produção deconhecimento, capita...
O nome do livro é muito sugestivo, pois marca atransposição de um modelo abstrativo e especulativo paraum paradigma cientí...
REAÇÃO EMCADEIA
Sites sugeridos:www.ciencia.hsw.uol.com.br/bomba-nuclearwww.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol05a15.pdfwww.eletronuclear.gov.brw...
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Energia angela
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Energia angela

369 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
369
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Energia angela

  1. 1. Projeto: Interdisciplinaridade e Energia AtômicaProfessores:Ângela, Cristiane, Osney e JoséDisciplinas:Química, Física, Biologia, ArtesHistória, Sociologia eFilosofia
  2. 2. No cotidiano dos alunos, especialmente, os alunosdos 3º Anos do Ensino Médio, o tema sobre a energianuclear é bastante recorrente. Despertapolêmicas, curiosidades, e ímpeto por entender melhoro funcionamento, a utilidade e as conseqüências do usoda energia atômica. O tema é atual e ocupa longosmomentos nos nossos noticiários. A grande questãosuscitada é: a energia atômica é para o bem dahumanidade ou ela pode causar o seu extermínio?Movido por essa máxima, nós (Prof. José Gomes, eProfª. Maria Ângela) professores do 3º Ano do EnsinoMédio optamos por trabalhar o tema de maneirainterdisciplinar e transversal, visando uma maiorcontextualização do mesmo. Para esse nossodesafio, convidamos a profª Cristiane e profº Osney
  3. 3. - Compreender a Energia nuclear dos seus primórdios aos dias atuais;- Elencar as contribuições da energia nuclear;- Analisar os processos que envolvem a fabricação e o uso da bomba atômica;- Ponderar sobre as implicações éticas que envolvem a pesquisa atômica.
  4. 4. Conteúdo:- Energia atômica;- Energia Nuclear;- Fabricação e uso da Bomba Atômica;- Ética científica e Energia atômica.
  5. 5. - Uso de slides com o recurso do data-show;- Pesquisa nos seguintes sites:www.ciencia.hsw.uol.com.br/bomba-nuclearwww.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol05a15.pdfwww.eletronuclear.gov.brwww.cnen.gov.brwww.ipen.br- Navegação para visualizar vídeos que complementem o entendimento do assunto.
  6. 6. - Engajamento nas atividades e temas propostos;- Debate;- Produção de textos críticos acerca do tema.- Resolução de exercícios.
  7. 7. Os alunos serão estimulados durante o período de umasemana a observarem na mídia, notícias relacionadas aenergia atômica. Essas notícias deveriam ser fichadas.Como introdução ao tema; os alunos deverão compartilharos dados levantados durante o período de observação.Interpelações serão utilizadas como forma de suscitar osassuntos.
  8. 8. Duas aulas serão utilizadas para a exposição do tema. Oobjetivo dessas aulas são de dotar os alunos deconhecimentos teóricos sobre o assunto. Obviamente nãoserá utilizado o quadro e o giz (nada contra), maspreparamos slides sobre o tema e utilizaremos o recurso dodata-show. Além do mais, acessaremos coletivamente umvídeo postado no You tube que faz referência ao assunto.Em outra aula, os alunos acessam, de maneira espontânea,sites, vídeos, charges, slogans etc., sobre o assunto. A idéia édeixá-los a vontade para trilhar e buscar sanar suas dúvidas.As descobertas podem nos surpreender.O último passo será um debate acalorado com o tema:Energia atômica: boa ou ruim?O resultado será exposto no blog.
  9. 9. A aula
  10. 10. Aspectos históricos e filosóficosQual a essência das coisas? Do que é feita a matéria?Qual a origem dos seres? Perguntas como essasdesafiam o ser humano desde os tempos maisantigos. Muitas respostas já foram propostas, semprelevando em consideração o tempo e a culturadaqueles que ousaram responder tamanhoquestionamento. A primeira resposta que sedesvinculou do campo mítico foi a que Tales deMileto elaborou.
  11. 11. Sua doutrina baseia-se na água como elemento primordial de todas as coisas.
  12. 12. Tales, observou que o calor necessita de água, que omorto resseca, que a natureza é úmida, que osgermens são úmidos, que os alimentos contêmseiva, e conclui que o princípio de tudo era a água.Mais tarde, observando que o ar é fundamental para avida e também capaz de produzirmovimento, Anaxímenes teria dito que o ar e não aágua seria o princípio de todas as coisas.
  13. 13. Ar
  14. 14. O princípio de tudo, o arqué, seria oar e as coisas da natureza seriam o arcondensado em vários graus. Ararefação e condensação do ar formao mundo.A alma é ar, o fogo é ar rarefeito;quando acontece uma condensação,o ar se transforma em água, secondensa ainda mais e se transformaem terra, e por fim em pedra.
  15. 15. O ar é a própria vida, a força vital, a divindade que “anima” o mundo. Do ar nascem todas as coisas existentes.
  16. 16. Apesar do grande esforço dos filósofos pré-socráticos algumas perguntas insistiam emaparecer: como a terra pode ser formada por águaou ar? Para tentar resolver essa situação, outrosgregos resolveram colaborar. Leucipo e Demócrito,postularam que a diversidade de substâncias queobservamos não poderiam ser atribuída a umúnico elemento, mas sim a um conjunto básico desubstâncias que se misturavam. Concluíram que amatéria era descontínua (possui partes vaziascomo minúsculos “buracos”) e que sedividíssemos a matéria em partes cada vezmenores chegaríamos a unidades indivisíveis,eternas, homogêneas e invisíveis, às quaisdenominaram átomos. Esses se diferenciam emforma e tamanho e as propriedades da matériadependeriam do tipo de átomos que as constitui.
  17. 17. Tudo o que existe é composto de átomos, partículas invisíveis e indivisíveis. Osátomos, infinitos em número, combinam-se uns aos outros e formam todas as coisas.
  18. 18. Para Demócrito é o acaso ou a necessidade quepromove a aglomeração de certos átomos e arepulsão de outros.
  19. 19. Com a queda do império romano no século V e o posteriorfortalecimento da Igreja, as tentativas de entender omundo ganharam um caráter mais religioso e tudo seriaobra divina e as explicações dos naturalistas perderamsentido. TECNOLOGIA E CIÊNCIAApenas no Renascimento, entre os séculos XIV e XVI, coma revalorização das humanidades, em detrimento dopensamento teocrático dominante, diferentes maneiras depensar o mundo emergiram. As formas de se praticar ocomércio muda, aparece as grandes Navegações Marítimase o Mercantilismo. A integração entre pessoas de diferenteslocais favoreceu as trocas culturais e novos saberesafloraram. As descobertas de Cristóvão Colombo eGalileu, redefiniram os mapas da terra e doscéus, tornando muitos conhecimentos antigos obsoletos.
  20. 20. Foi por volta do século XVIII, entretanto, com aRevolução Industrial, que aquelas questões iniciais sobrea matéria retomaram lugar de destaque no pensamentocientífico. Até então, o desenvolvimento tecnológico nãoestava atrelado ao desenvolvimento científico. Atecnologia vinculada à prática é muito mais antiga doque a ciência, que está ligada a teoria. Desde a pré-história o ser humano se valia de experiência práticaacumulada.Todavia, para o aperfeiçoamento das máquinas avapor, pilares da Revolução Industrial, tornou-sefundamental explicar os fenômenos observados (surgemos filósofos empiristas: Lock, Hume e Bacon). Desde ofinal do século XVIII, portanto, ciência, tecnologia esociedade passaram a andarem juntas, ligadas aodesenvolvimento industrial. Nesse época semultiplicaram as Universidades, os centros depesquisas, as publicações científicas, etc.
  21. 21. Vários países passaram a financiar as pesquisas emciência e tecnologia, visando aumentar a produção deconhecimento, capital e poder. A partir dessa época, épossível estabelecer uma forte relação entreinvestimento em ciência e tecnologia e desenvolvimentoeconômico e social.Para explicar os resultados experimentais obtidos emlaboratório sobre a densidade dos materiais e asproporções entre as substâncias que misturava paraobter novos produtos, o cientista inglês John Dalton, noinício do século XIX, retomaria as ideiasatomistas, publicando Novo Sistema de FilosofiaQuímica, livro no qual afirmava que os átomos existemcomo esferas muito pequenas e maciças, com diferentestamanhos. Cada elemento químico teria seu próprioátomo e esses se misturariam para compor as demais
  22. 22. O nome do livro é muito sugestivo, pois marca atransposição de um modelo abstrativo e especulativo paraum paradigma científico, baseados em resultadosexperimentais (empiria), incluindo medidas e relaçõesmatemáticas entre elas. Novas experiências mostraram,entretanto, que o átomo não seria uma bolinha maciça, masque seria composto de outras partículas menores com cargasnegativas (elétrons) e positivas (prótons).Atualmente existem inúmeras polêmicas envolvendo aenergia nuclear. Em 1970 foi realizado o primeiro Tratado deNão-Ploliferação Nuclear. O tratado autorizou apenas cincopaíses a deter armas nucleares e a permanecer livres deinspeções – EUA, Rússia, Reino Unido, França e China.Calcula-se que Rússia e Estados Unidos possuam juntos 96%(força capaz de destruir mais de 1 planeta terra)das armasnucleares existentes no mundo. Apesar de novos acordos (Tratado de redução de Armas Ofensivas Estratégicas[START])preverem a diminuição desse arsenal em sete anos.
  23. 23. REAÇÃO EMCADEIA
  24. 24. Sites sugeridos:www.ciencia.hsw.uol.com.br/bomba-nuclearwww.sbfisica.org.br/rbef/pdf/vol05a15.pdfwww.eletronuclear.gov.brwww.cnen.gov.brwww.ipen.br

×