Psicologia cognitiva

1.790 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.790
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia cognitiva

  1. 1. PSICOLOGIA COGNITIVA DA LEITURA EQUIPE PEDAGÓGICA DA CRE ORLA
  2. 2. CONSIDERAÇÕES CIENTÍFICAS ACERCA DO PROGRAMA ALFA E BETO CIÊNCIA COGNTIVA DA LEITURA COMO OCORRE A APRENDIZAGEM E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO? PENSAR E REFLETIR SOBRE ESSA CIÊNCIA E OS RESULTADOS PARA A EDUCAÇÃO DE SALVADOR
  3. 3. PSICOLOGIA COGNITIVA E NEURO-CIÊNCIAS 1ª CONSIDERÇÃO PSICOLOGIA COGNITIVA CONTEXTUALIZAÇÃO Países como a França, a Inglaterra e os Estados Unidos, vem se beneficiando das pesquisas relacionadas aos processos de aprendizagem da leitura e da escrita, em que os resultados apontam os conhecimentos e as técnicas mais eficientes e eficazes para o ensino de ambas as habilidades (Brasil, 2005).
  4. 4. PSICOLOGIA COGNITIVA 1. Bases biológicas – Quais são as estruturas e os processos do cérebro humano que sustentam as estruturas e os processos da cognição humana? 2. Atenção e consciência – Quais são os processos básicos da mente que governam o modo como a informação entra em nossas mentes, em nossa consciência e em nossos processos de alto nível de controle da informação? 3. Percepção – Como o cérebro humano percebe o que os sentidos recebem? Como a mente humana realiza distintamente a percepção de formas e de padrões? 4. Representação do conhecimento: imagens e proposições – Como representamos mentalmente a informação em nossas mentes? Fazemos isso em palavras, em imagens ou em alguma outra forma para representar o significado? Alternativamente temos formas múltiplas de representação? 5. Representação do conhecimento e processamento da informação – Como organizamos mentalmente o que sabemos? Como manipulamos e operamos o conhecimento?
  5. 5. PSICOLOGIA COGNITIVA 6 - Memória: modelos e estruturas – Como estão representados na memória os diferentes tipos de informação? 7 – Processos de memórias – Como passamos a informação para a memória? 8 – Linguagem: sua natureza e aquisição – Como obtemos e produzimos significado através da linguagem? 9 – Linguagem contextual – Como nossa utilização da linguagem interage com outras maneiras de pensar? Como nosso mundo social interage com nosso uso da linguagem? 10 – Solução de problemas e criatividade – Quais processos ajudam ou impedem que alcancemos soluções para os problemas? 11 – Tomada de decisão – Como chegamos a importantes decisões ou quando não as tomamos? 12 – Desenvolvimento cognitivo – Como nosso pensamento muda ao longo da duração média de vida? 13 – Inteligência – Por que consideramos algumas pessoas mais inteligentes do que outras?
  6. 6. PSICOLOGIA COGNITIVA DA LEITURA - IAB LER PARA APRENDER APRENDER A LER Habilidades específicas de compreensão Fluência Análise do discurso Decodificação Gêneros Princípio alfabético Tipos Consciência fonêmica Indicadores de coesão Metalinguagem Indicadores de coerência Consciência fonológica Pistas contextuais Familiaridade com livros Pistas semânticas Pistas morfológicas Pistas ortográficas (Oliveira, 2013)
  7. 7. PSICOLOGIA COGNITIVA DA LEITURA - IAB COMPETÊNCIAS DE ESCRITA COMPETÊNCIAS DE LEITURA Caligrafia Fluência Ortografia Decodificação Sintaxe Princípio alfabético Redação Vocabulário Compreensão (Oliveira, 2013)
  8. 8. COMO OCORRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA • A capacidade de leitura é indispensável na vida cotidiana. É por meio dela que obtemos informações, representando a forma física do sinal gráfico (grafema), buscando compreender a mensagem escrita. Esse é o objetivo da leitura: compreender, extrair sentido de um material escrito. Lemos para compreender, todavia, “os processos específicos da leitura não são processos de compreensão, mas que levam à compreensão.” (Morais, 1996, 114). Para aprender a ler, processos específicos complexos são postos em ação (linguagem, memória, pensamento, inteligência e percepção). Tais processos envolvem a manipulação de diferentes habilidades visando decodificar as representações gráficas codificadas
  9. 9. • Para a aprendizagem da leitura é essencial a aquisição de habilidades de codificação e decodificação. A decodificação envolve a identificação e a interpretação das unidades lingüísticas, transformando os símbolos (letras) em informações significativas. Nesse sentido, “ler é extrair a pronúncia que corresponde a uma representação gráfica da linguagem falada” (Morais, Kolinsky, Grimm-Cabral, 2004, p.54). (Maluf, 2005). Mas para compreender é preciso inicialmente aprender o código alfabético, reconhecer palavras(decodificação) e conseguir automatizar o processo de conversão grafofonológica.
  10. 10. COMO OCORRE A APRENDIZAGEM DA ESCRITA • Ao contrario da fala que é utilizada de forma natural e espontânea nas situações comunicativas, a escrita é objeto de análise e reflexão deliberada, consciente. É preciso “manipular diretamente as unidades lingüísticas que são as palavras e as partes que as compõem” (Maluf, 2010, p.18). • Essa capacidade de manipular, refletir sobre, conhecer explicitamente, é chamada de capacidade metalingüística e envolve diferentes tipos de habilidades tais como: atenção, nível de abstração, autocontrole intencional, análise da língua em fonemas, manipulação da fala em palavras, silabas e fonemas, conhecer a estrutura formal (fonológica e sintática) de sua língua, entre outras.
  11. 11. • O processamento fonológico, isto é, a habilidade de fazer uso dos elementos sonoros da língua, está associada ao desenvolvimento inicial da leitura e da escrita. Para descobrir como as palavras escritas representam a palavra falada, a criança deve descobrir/discriminar os fonemas (sons), ou seja, analisar (as palavras) em fonemas. No entanto, “a consciência fonológica vai além da discriminabilidade perceptiva, resulta de uma reflexão sobre as propriedades fonológicas das expressões, mais exatamente ela é essa reflexão.” (Morais, 1996, p.91)
  12. 12. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Pesquisas científicas vêm sustentando a hipótese de que existe relação entre a aprendizagem da leitura e a capacidade de identificar os componentes fonológicos das unidades lingüísticas e manipulá-los de forma intencional. • Para decodificar informações gráficas, a criança além de conhecer os sinais gráficos (letras), precisa compreender que cada letra ou combinações de letras representam sons, os sons da fala. Aprender a ler consiste essencialmente em adquirir as competências para decodificar (Maluf, 2008) • Para aprender a escrever é preciso identificar os sons das palavras e associar letras e sons. Dito isto, se pode afirmar que a consciência fonológica – habilidade em identificar e manipular conscientemente os sons que compõem a fala - possui um importante papel na aprendizagem da leitura e da escrita. • A origem da linguagem escrita é o ensino. Tal habilidade se instala por aprendizagem. O contato com livros e com pessoasalfabetizadas, sem o ensino explícito da leitura e da escrita, pode não ser eficaz. Se ajudado pelos que ensinam, os resultados podem vir com rapidez e eficiência.
  13. 13. REFERENCIAIS BIBLIOGRÁFICAS Brasil (2005). Comissão de Educação e Cultura da câmara dos deputados. Grupo de trabalho. Grupo de trabalho: Cardoso – Martins, C; Capovilla, F.C; Gombert, J.E; J.B.A e Oliveira, J. C; Morais J; Adams M.J e Beart R. Alfabetização Infantil: os novos caminhos. Brasília: Congresso Nacional. Cardoso-Martins C; Corrêa, M. F; Marchetti, P. M. T. O conhecimento do nome das letras e o desenvolvimento inicial da escrita: o caso do português no Brasil. In: Maluf, M.R; Guimarães, S.R.K. Desenvolvimento da Linguagem oral e Escrita. Curitiba: UFPR, 2008. Maluf, M.R. (Org). Metalinguagem e aquisição da escrita: contribuições da pesquisa para a prática da alfabetização. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003. Maluf, M.R; Guimarães, Sandra R. K. Aprendizagem da linguagem escrita. Contribuições da pesquisa. São Paulo: Vetor, 2010.

×