Ludicidade e Educação

1.338 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Ludicidade e Educação

  1. 1. Secretaria Municipal da Educação – SMED Coordenadoria Regional da Educação – CRE ORLA V Encontro com os Coordenadores Pedagógicos da CRE Orla das Escolas Partipantes do IAB O Lúdico na Sala de Aula ANGELA FREIRE
  2. 2. “Brincar com a criança não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver menino sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados, tolhidos e enfileirados em uma sala de aula sem ar, com atividades mecanizadas, exercícios estéreis, sem valor para a formação dos homens críticos e transformadores de uma sociedade.” (Carlos Drummond de Andrade) Para Refletir....
  3. 3. Objetivo do Encontro: Refletir sobre a importância do lúdico no processo ensino e aprendizagem.
  4. 4. O que se entende por ludicidade? Como trabalhar na sala de aula com o aspecto lúdico? Qual a importância de trabalhar a atividade lúdica na sala de aula ?
  5. 5. HOMO SAPIENS HOMO FABER HOMO LUDENS LÚDICO “LUDUS” JOGO EVOLUÇÃO DO HOMEM
  6. 6. O LÚDICO faz parte das atividades essenciais da dinâmica humana. Possibilita o estudo da relação da criança com o mundo externo, passando a ser uma necessidade básica da personalidade, do corpo e da mente. O LÚDICO • O LÚDICO é um ingrediente indispensável nas relações. • Esta presente em todas as fases do ser humano. • Não pode ser visto apenas como uma diversão. • Ajuda no desenvolvimento pessoal, social e cultural. • Facilita a aprendizagem. • Colabora para uma boa saúde mental • Forma conceito. • Seleciona idéias. • Estabelece relações lógicas. • Promove a socialização.
  7. 7. LUDICIDADE Para Luckesi (2000:21) [...] um fazer humano mais amplo, que se relaciona não apenas à presença dos brinquedos ou jogo, mas também a um sentimento, atitude do sujeito envolvido na ação... O que traz LUDICIDADE para a sala de aula é muito mais uma "atitude" lúdica do professor e dos alunos. Assumir essa postura implica sensibilidade, envolvimento, uma mudança interna, e não apenas externa, implica não somente uma mudança cognitiva, mas, principalmente, uma mudança afetiva.
  8. 8. “Uma EDUCAÇÃO LÚDICA tem na sua base uma compreensão de que o ser humano é um ser em movimento, permanentemente construtivo de si mesmo. (LUCKESI, 2000) [...] Uma PRÁTICA EDUCATIVA LÚDICA só pode assentar-se, ao contrário, sobre um entendimento de que o ser humano, através de sua atividade e consequente compreensão da mesma, constrói-se a cada momento, na perspectiva de tornar-se mais senhor de si mesmo, de forma flexível e saudável”. (LUCKESI, 2000)
  9. 9. A IMPORTANCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NOS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM São LÚDICAS as ATIVIDADES que propiciem a vivência plena do aqui- agora, integrando a AÇÃO, o PENSAMENTO e o SENTIMENTO. Tais atividades podem ser uma BRINCADEIRA, um JOGO ou qualquer outra ATIVIDADE que possibilite instaurar um estado de inteireza: • uma dinâmica de integração grupal ou de sensibilização, um trabalho de recorte e colagem, uma das muitas expressões dos jogos dramáticos, exercícios de relaxamento e respiração, uma ciranda, movimentos expressivos, atividades rítmicas, entre outras tantas possibilidades. Mais importante, porém, do que o tipo de atividade é a forma como é orientada e como é experienciada, e o porquê de estar sendo realizada.
  10. 10. [...] a palavra JOGO se afasta do significado de competição e se aproxima de sua origem etimológica latina, com o sentido de gracejo ou mais especificamente divertimento, brincadeira, passatempo (ANTUNES, 2008) O JOGO e a BRINCADEIRA estão presentes em todos as fases da vida dos seres humanos, tornando especial a sua existência. De alguma forma o LÚDICO se faz presente e acrescenta um ingrediente indispensável no relacionamento entre as pessoas, possibilitando que a criatividade aflore.
  11. 11. Por meio da BRINCADEIRA a criança envolve-se no jogo e sente a necessidade de partilhar com o outro. Brincando e jogando ela terá oportunidade de desenvolver capacidades indispensáveis a sua futura atuação profissional, tais como atenção, afetividade, o hábito de permanecer concentrado e outras habilidades perceptuais psicomotoras. Brincando a criança torna-se operativa. • A brincadeira é uma atividade cotidiana na vida das crianças. • Mostra como a criança interpreta e assimila o mundo, os objetos, a cultura e os afetos. • O que determina o conteúdo da brincadeira é a imaginação de quem está brincando. (KISHIMOTO, 1999:18)
  12. 12. “A BRINCADEIRA refere-se ao comportamento espontâneo ao realizar uma atividade das mais diversas. • O JOGO, é uma brincadeira que envolve certas regras, estipuladas pelos próprios participantes. • O BRINQUEDO é identificado como o objeto de brincadeira. • A ATIVIDADE LÚDICA compreende todos os conceitos anteriores.”
  13. 13. O PAPEL DO PROFESSOR NA EDUCAÇÃO LÚDICA • Perceber a importância do desenvolvimento das atividades lúdicas em sala de aula. • Estar preparado para utilizar todos os tipos de brincadeira. • Partir da realidade dos alunos, ver suas necessidades. • Buscar alternativas de interação. • Respeitar a criança como um todo e, assim promover o seu desenvolvimento integral. • Proporcionar situações de brincar livre e dirigido que tente atender as necessidades e aprendizagem das crianças.
  14. 14. COMO O LÚDICO PODE SER TRABALHADO? E COM QUE RECURSOS? • Pode ser utilizado como forma de sondar introduzir conteúdos. • Precisa estar fundamentado no interesse e satisfação do aluno. Os Recursos utilizados poderão ser: • Brincadeiras de roda. • Historias infantis. • Teatro. • Jogos coletivos. • Sucatas.
  15. 15. A ludicidade propicia à criança o desenvolvimento das estruturas cognitivas, a construção da personalidade, o intercâmbio do cognitivo e do afetivo, o avanço das relações interpessoais, o conhecimento lógico- matemático, a representação do mundo e do desenvolvimento da linguagem, leitura e escrita. O lúdico é extremamente importante para o desenvolvimento do ser humano, podendo auxiliar na aquisição de novos conhecimentos, em sala de aula, facilitando muito no processo ensino- aprendizagem. É através de atividades lúdicas, que “o educando explora muito mais sua criatividade, melhora sua conduta no processo de ensino-aprendizagem e sua autoestima”. (NEVES, s/d) CONSIDERAÇÕES FINAIS
  16. 16. LUDICIDADE CRIATIVIDADE SOLIDARIEDADE INVENTIVIDADE DESAFIOS AUTONOMIA DESAFIOS AMIZADE RESPEITO MÚTUO RESPEITO AS REGRAS ATENÇÃO CONCENTRAÇÃO INTERAÇÃO RACIOCÍNIO LÓGICO DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL, SOCIAL, INTELECTUAL APRENDIZAGEM ALEGRIA PRAZER
  17. 17. FLUÊNCIA FLUÊNCIA é a ponte que liga a capacidade de identificar a palavra (decodificar) com a compreensão. Refere-se à qualidade da leitura, e inclui os seguintes indicadores: • A VELOCIDADE – o número de palavras por minuto. • A PRECISÃO – o número de erros cometidos durante a leitura. • A PROSÓDIA – o ritmo e entonação da leitura. Um leitor inexperiente, sem fluência, é aquele que: • Lê pouco. • Identifica palavras mas não as emenda bem na leitura da frase. • Não demonstra, pela entonação, que está compreendendo o texto. • Não adquiriu um ritmo fluido de leitura. • Lê com esforço, concentrando sua atenção na decifração de leitura, e não na sua compreensão do texto.
  18. 18. 1.Médias de Fluência – Alunos: - Final da 2º ano – 80 a 90 - Final da 2º ano – 90 a 110 - Final da 2º ano – 110 a 130 - Final da 5º ano – 130 a 140 2.Leitor Adulto proficiente – 250 min [...] fluência é uma capacidade leitora que nos permite reconhecer/identificar as palavras numa boa velocidade, de forma precisa e expressiva para que possamos alcançar o significado do que estamos a ler. Ana Antunes Silva (2012) “ (…) habilidade do leitor para desenvolver o controle sobre os níveis superficiais de processamento do texto, de tal modo que ele passa a poder focar-se no entendimento dos níveis mais profundos do significado inerente ao texto”. Vitor M. L. da Cruz (2007)
  19. 19. IDENTIFIQUE E CIRCULE 2 PALAVRAS INTROMETIDAS posso posso posso posso posso posso posso posso posso posso posso posso possa posso posso posso posso posso posso posso posso posso posso possa posso LUDICIDADE X FLUÊNCIA
  20. 20. BATALHA NAVAL – LIVRO D / LIÇÃO 2 COMO JOGAR: 1. O professor explica que vai fazer a leitura do texto, pulando algumas palavras. 2. Os alunos sublinham com lápis as palavras que foram omitidas durante a leitura 3. O professor verifica com os alunos, qual deles sublinharam 1, 2, 3... 4. Ganham os que identificaram todas as palavras que o professor pulou durante a leitura.
  21. 21. LEIA 3 VEZES A FRASE: O tatuador tatuado tatuou a tatua do tatu. Tatua tatuada enfezada, tatuou a tatua do tatu E o tatuador já tatuado.
  22. 22. CAÇA PALAVRAS
  23. 23. ALMEIDA, A. Ludicidade como instrumento pedagógico. http://www.cdof.com.br/recrea22.htm. ALMEIDA, P. N. Educação técnicas e jogos pedagógicos. 5ª ed. São Paulo: Loyola, 1994 LUCKESI, Cipriano. Ludicidade e atividades uma abordagem a partir da experiência interna. NEVES, Lisandra Olinda Roberto. O lúdico nas interfaces das… relações educativas. Disponível em: http://www.centrorefeducacional.com.br/ludicoint.htm http://www.slideshare.net/rocandida/o-ldico-na-aprendizagem-4084179 REFERÊNCIA
  24. 24. Sorrir, rir, brincar também é resistir - à crueldade do mundo, visível nas relações predatórias dos homens e entre eles, naquilo que desintegra, separa. Esta forma de resistência se chama esperança (Morin).

×